Fotos do Museu Cap Pitaluga

Museu Cap Pitaluga
O Museu Cap Pitaluga Foi criado para que nele fosse preservada toda uma história que não pode e não deve ser esquecida, pois todo o acervo nele existente são lembranças e fatos de uma época que marca a presença e participação efetiva do Brasil na Campanha da Itália e da cavalaria brasileira representado pelo 1º Esqd Rec.

Contato pelo Telefone (24) 2452-0505 – Ramal 26 Sgt Romano – Cb Brandão – Cb Cardoso

Museu Cap Pitaluga

Acervo
Inaugurado em 13 de novembro de 2002, o museu possui fotos com a participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB), e em particular do 1º Esquadrão de Reconhecimento na 2º Guerra Mundial, peças de fardamentos, medalhas, material aprisionado e documentos históricos e armamento. Além de contar com uma biblioteca que possui livros referentes à guerra e outros assuntos. Localização: 1º Esqd C Mec – Esqd Ten Amaro Rua Com Antonio Jannuzzi – nº 415 Bairro Belo Horizonte – Valença – RJ Funcionamento: Segunda e Quinta: 08:00h às 11:00h 13:30h às 16:00h Sexta: 08:00h às 11:00h Sábados, Domingos e Feriados visitas agendadas.

Comandante da 4ª Divisão de Cavalaria. Casado com a senhora Maria Therezinha Vaz Pitaluga. construindo. Tem como Patrono o 2º Ten Cav R/2 Amaro Felicíssimo da Silveira. . Montese. promovido a 2º Ten a 26 de dezembro de 1935 e a 1º Ten em 24 de maio de 1937 e a Cap em 25 de dezembro de 1944. . Fornovo. que como seu nome indica é uma Unidade de Reconhecimento. . nesse caso a Força Expedicionária Brasileira. Muitos viveram por este Esquadrão. Após a sua criação. Foi à única OM da arma de Cavalaria do Exército Brasileiro que combateu na maior Guerra travada até hoje.Fábio Vaz Pitaluga – 1º Secretário do Itamarati.Comando e Estado-Maior das Forças Armadas. assumiu o comando deste Esquadrão.Da França – Cruz de Guerra com Palma. major de Infantaria sertanista da comissão Rondon. Nacionais: . formando Soldados e preparando cidadãos para a Pátria.Medalha Militar de Ouro. Na XXIX Convenção Nacional das Associações dos Ex-combatentes do Brasil. no biênio 1967-1969. aos militares dotados de virtude: “BRAVURA”.Comandante do Regimento de Reconhecimento Mecanizado. hoje 15º Regimento de Cavalaria Mecanizado. e teve sob seu comando inúmeras vitórias importantes na Itália.Curso de formação de Oficial da arma de cavalaria da Escola Militar de Realengo. . o que aconteceu. .Valença . somente agraciado. que em 1944 partiu para os campos de batalha da Itália. quando então ocupou o atual aquartelamento. a 4ª Divisão de Cavalaria.No Exterior. Portador de cerca de 30 (trinta) medalhas. . . seu pai Octávio Pitaluga. .Medalha Mérito Tamandaré. Estrangeiras: . hoje 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada. realizada na cidade de Valença/RJ.RJ). o educaram de acordo com o seu pendor militar para ser realmente um militar. para ser subcomandante do 1º Esqd Rec. Nascido em Cuiabá em 13 de janeiro de 1910. serviu como Adido Militar na Argentina.RJ Resumo Histórico do 1º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado O 1º Esqd C Mec (Esqd Ten Amaro). assim como a de 2ª Classe. teve na campanha da Itália outras baixas: 2º Sgt Pedro Krinski. e muito lutou pela assistência e amparo aos ex-combatentes do Exército. além de muitas outras. originário do 2º Regimento Moto-Mecanizado (Campinho . principalmente na região de Gaggio Montano. .Octávio Vaz Pitaluga – Administrador de empresas.Da Argentina – Ordem de Maio ao Mérito. e em seguida promovido ao posto de Capitão. como General comandou durante os anos de 1969 a 1972. sobre a face da terra. que não permite que o inimigo surpreenda a tropa que o combate.Instrutor da Escola de Comando e Estado-Maior. teve 04 filhos: .Marcos Vaz Pitaluga (falecido). onde se encontra a 1ª Cia PE. O General Plínio Pitaluga possuía os seguintes Cursos: . e à vida militar. O 1º Esquadrão de Reconhecimento saiu do Morro do Capistrano indo brilhar na Itália no Vale do Rio do Pó e Serchio. . durante a realização de uma patrulha de reconhecimento no transcurso da 2ª Guerra Mundial. Posteriormente.Ordem do Rio Branco.Diretor de Aperfeiçoamento e Especialização. em Valença. quando foi declarado Aspirante a Oficial da Arma de Cavalaria. a Cruz de Combate de 1ª Classe. no Brasil e na Itália. e sua mãe Maria Nina Moreira Pitaluga. quando era adido militar na Argentina. A Unidade. podendo se destacar: recebeu do governo Americano a Medalha de Bravura Bronze Star e do Governo Brasileiro. Após 1945. Foi presidente do Conselho Nacional da Associação dos Ex-combatentes do Brasil.Medalha do Pacificador. Collecchio. acrescentaram e - . .Ordem do Mérito Militar – Grande Oficial. o Esquadrão continuou cultivando suas tradições. . Cb Benedito Alves e o Sd Bernardino da Silva. onde tinha a denominação de 3º Esquadrão de Reconhecimento e Descoberta. passou a chamar-se 1º Esquadrão de Reconhecimento e a partir de 01 de janeiro de 1973.Patrícia Vaz Pitaluga – Antropóloga.Medalha de Guerra.Da Itália – Medalha Cruz ao valor Militar e Ordem do Mérito da Itália. responsável pela segurança do sul do Mato Grosso. General Plínio Pitaluga Era o Ten Cav Plínio Pitaluga. Foi promovido a General em 1968. concluindo o curso em 1935. os delegados por unanimidade. instruindo e educando gerações e gerações de jovens brasileiros. morto pelos alemães na Itália. que participaram do esforço de guerra. em 15 de março de 1935.Medalha do Mérito Santos Dumont. Pois em 1932 entrou para Escola Militar de Realengo. . Marano Sull Panaro. . mudou-se para o Morro do Capistrano no qual permaneceu até meados de março de 1973. . transferiu-se para o conjunto de barracões situados na Vila Militar. reeleito durante 30 anos. .Aperfeiçoamento de Oficiais. foi criado em 06 de dezembro de 1943. quando assumiu o comando do 1º Esqd Rec em 10 de janeiro de 1945. . . acostumado às andanças do Marechal Cândido Rondon. . Desempenhou as seguintes funções (mais expressivas) .Medalha Humanitária – 1ª Classe.Comandante do 1º Esquadrão de Reconhecimento durante a 2ª Guerra Mundial. presentes em todos os momentos da vida Nacional. Marinha de Guerra e Mercante e da Força Aérea Brasileira.Medalha de Campanha. além do 2º Ten Amaro. 1º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado.

O General Pitaluga faleceu no Hospital Central do Exército as 09:00 h do dia 17 de dezembro de 2002 e teve as honras militares devidas. . 99 do Estatuto a criação de Presidente de Honra do Conselho. em homenagem ao Gen Pitaluga.aprovaram no art.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful