Você está na página 1de 5
Teresina - PI, 10 de Abril de 2010 p. 001-005 GEOTECNOLOGIA APLICADA A CONSERVAÇÃO DO

Teresina - PI, 10 de Abril de 2010 p. 001-005

GEOTECNOLOGIA APLICADA A CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE: O CASO DO ATERRO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE TIMON–MA

EVANDRO ALVES DA SILVA¹ LINEARDO FERREIRA DE SAMPAIO MELO² MARINALVA DE OLIVEIRA LIMA³

¹ Engº. Agrº e Aluno do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu: Especialização em Geoprocessamento: Fundamentos e Aplicações ² Orientador, Tecgº em Geoprocessamento, Esp. em Ger. Recursos Ambientais, Esp. em Geoprocessamento:

Fundamentos e Aplicações e Mestrando em Ciências Geodésicas ³ Co-orientadora, Tecgº em Geoprocessamento e Esp. em Ger. Recursos Ambientais

easilva-18@bol.com.br; {lineardo, nalvalimasr}@hotmail.com

RESUMO - O geoprocessamento é uma ferramenta que se dispõe hoje para otimizar os recursos dos mapeamentos e detecção de mudanças geoambientais. Este trabalho objetivou mostrar uma aplicação do

geoprocessamento no mapeamento e identificação dos pontos de lixo a céu aberto e do aterro sanitário na cidade

de Timon-Maranhão, os pontos foram coletados com receptor GPS. No desenvolvimento deste trabalho foram

utilizados o software para conversão das coordenadas geográficas coletadas com GPS para coordenadas UTM, disponibilizado pelo setor de engenharia cartográfica da UERJ, o gvSIG para elaboração do mapa sobre a DSG. Tivemos como resultado um mapa de identificação do aterro sanitário e pontos de lixo a céu aberto, onde foi possível analisar que o aterro sanitário está adequadamente instalado e que a grande parte dos depósitos de lixos a céu aberto encontra-se em lugares público devido a falta de sensibilidade ambiental. Foi constatado que o serviço de coleta pública funciona de forma eficaz no centro da cidade e em alguns bairros, tendo carência somente em alguns locais de difícil acesso. Podemos verificar que a ferramenta de geoprocessamento, facilita o

trabalho em campo, mostrando rapidez e precisão nos resultados.

ABSTRACT - The geoprocessing is a tool that is available today to optimize the capabilities of mapping and geo-environmental change detection. This paper we show an application of geoprocessing in the mapping and identification of areas of open waste and landfill in the city of Timon, Maranhão, points were collected with a GPS receiver. In this work we used the software to convert geographic coordinates collected with GPS to UTM coordinates provided by the Department of Cartographic Engineering, UERJ, gvSIG to draw up the map on the DSG. We had a map as a result of identification of landfill and garbage points in the open, where it was possible to analyze the landfill is properly installed and that much of these waste dumps in the open is in public places due to lack environmental sensitivity. It was noted that the collection service public works effectively in the city center and in some neighborhoods, and lack only a few areas of difficult access. We can verify that the tool of geoprocessing, facilitates the work in the field, showing speed and accuracy in results.

1 INTRODUÇÃO

A grande maioria das cidades brasileiras não

possui um local adequado para deposição dos resíduos sólidos (lixo urbano), o qual pode comprometer seriamente a saúde das populações dessas cidades, uma vez que a colocação do lixo a céu aberto resulta em conseqüências imprevisíveis para a saúde e o meio ambiente. A preocupação com o destino do lixo urbano

vem crescendo no seio da população, porém ainda é premente a necessidade de conscientizar ambientalmente, culturalmente e socialmente da sociedade para o potencial econômico do lixo para uma parcela da população (os catadores de lixo, que têm como fonte principal de renda os materiais que coletam nos lixões que se localizam na periferia das cidades) e alertar sobre os malefícios causados por lançamentos de lixo em locais inadequados.

E. A. da Silva, L. F. de S. Melo, M. de O. Lima

Artigo Submetido à avaliação do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu: Especialização em Geoprocessamento:

Fundamentos e Aplicações, como requisito final para obtenção do Título de Especialista.

Os desperdícios decorrentes da não reciclagem do lixo, motivados pelo desconhecimento de seu valor econômico, de sua viabilidade para reaproveitamento como matéria-prima e a falta de políticas públicas voltadas para a sua destinação adequada são os retratos do descaso com que é tratado este importante segmento dos serviços públicos no País. Os catadores de lixo trabalham ainda em condições adversas, sem nenhuma proteção (luvas, máscaras, botas e etc) e estão sujeitos a contrair doenças provocadas por microrganismos que se desenvolvem em ambientes inóspitos, como é o caso dos resíduos sólidos misturados com material orgânico contido no lixo urbano. Em meados do século XIX os resíduos sólidos começam a se destacar no contexto ambiental, devido à ocorrência de vários problemas, como a proliferação de doenças, a contaminação do solo e dos corpos d’água, entre outras. No século XX, com o aumento da população, o crescimento urbano, evolução dos costumes, mudanças de hábitos, melhoria do nível de vida e desenvolvimento industrial, culminaram no aumento da quantidade total de resíduos sólidos gerados, o que fez surgir à preocupação com a sustentabilidade do planeta. (BROOLLO, 2001) Com isso, as autoridades municipais tomaram a iniciativa de criar mecanismos para o gerenciamento dos resíduos sólidos, porém sem muito êxito. Entretanto, com

o conhecimento das conseqüências ambientais causadas

pelos resíduos, começaram as iniciativas legais para a gestão desses resíduos, entre as quais se destaca a implantação de aterros sanitários nas proximidades das cidades.

De acordo com Mota (2003), o uso do

geoprocessamento como ferramenta nas ações para a preservação e conservação ambiental tem aumentado cada vez mais, pois ele permite as atualizações a respeito de mudanças ocorridas no meio, sejam de caráter natural ou antrópico. Para Alves (2007), o Geoprocessamento procura mostrar o mundo real em que vivemos sob forma computacional, com bases cartográficas apropriadas e de um sistema de referência correto com um conjunto poderoso de ferramentas que entre elas destacam-se o Mapeamento, Sistema de Informação Geográfico - SIG e

o Computer Aided Design - CAD. Nesta perspectiva, o presente artigo teve por objetivo estudar a localização do aterro sanitário implantado na cidade de Timon-MA, assim como também

a distribuição espacial dos pontos de maior acúmulo de

resíduos sólidos na área urbana da cidade utilizando ferramentas de geoprocessamento para analise na preservação e conservação do meio ambiente.

2 REVISÃO DA LITERATURA

2.1 Considerações sobre geoprocessamento

Teresina - PI, 10 de Abril de 2010 p. 002-005

No entender de Moreira (2005), o

geoprocessamento é a utilização de técnicas matemáticas

e computacionais para tratar dados obtidos de objeto ou fenômenos geograficamente identificados ou extrair informações desses objetos ou fenômenos, quando eles são observados por um sistema sensor. Uma das tecnologias mais utilizadas nos trabalhos de geoprocessamento é o Sistema de Posicionamento Global – GPS foi projetado e desenvolvido pelo Departamento de Defesa Americano.

As intenções iniciais eram utilizá-lo, principalmente, para

a navegação com propósito militares. Somente com a

descoberta da grande precisão do sistema e com o aumento da eficiência dos receptores é que ele passou a ser também utilizado pela comunidade civil. (ROCHA,

2000).

O princípio básico de navegação pelo GPS consiste na medida de distâncias entre o usuário e quatro satélites. Conhecendo as coordenadas dos satélites num sistema de referência apropriado, é possível calcular as coordenadas da antena do usuário no mesmo sistema de referência dos satélites. (MONICO, 2000).

2.2 Aterro sanitário

O método de enterrar o lixo, não agride tanto o

meio ambiente, tão pouco prejudica a saúde das pessoas, pois a cobertura de terra isola os detritos dos catadores, impede à proliferação de insetos, evita mau cheiro e não deixa papéis e plásticos serem carregados pelo vento ou pelas enxurradas. Além disso, protege as águas de poços e rios dos materiais poluentes contidos no lixo e diminui o acúmulo de gases dentro das células. (RODRIGUES,

2003)

Para Meneses et al (2008), afirmam que as características do aterro sanitário ideal são: infra-estrutura geral composta pelos elementos de controle de acesso (guaritas, cercas e balanças rodoviárias), as vias de circulação interna, os prédios administrativos e os pátios de manutenção de máquinas e equipamentos; infra- estrutura de controle operacional (balança rodoviária, cerca, iluminação); vias de circulação interna pavimentadas ou não; células de disposição final de resíduos sólidos com base impermeabilizada; redes coletoras de chorume e de gases residuais; estações de tratamento de líquidos percolados (chorume); unidades de incineração de resíduos de serviços de saúde e de abate de animais; unidades de compostagem de matéria orgânica; unidades de reciclagem de materiais diversos (metais, papel, pneus, vidro etc.); centros de educação ambiental.

2.3 Aterro controlado

O aterro controlado, apesar de não ser a solução

ideal para o problema de destinação final do lixo, pode, em curto prazo e com baixo investimento, reduzir a agressão ambiental e a degradação social que os lixões

geram. Neste tipo de aterro, o lixo é recoberto periodicamente, reduzindo a proliferação de insetos e a ocorrência de incêndios. A escolha do local para a implantação do aterro controlado deve seguir critérios específicos e ter o acompanhamento de profissional capacitado, além de necessitar da construção de drenos para escoamento das águas de chuva e para os gases, bem como o lixo compactado e recoberto com terra ou entulho com a maior freqüência possível. A área deve ser isolada com cerca e o local mantido sob vigilância para impedir a catação de lixo. (ABREU, 2001)

2.4 Aterro sanitário e meio ambiente

O aterro sanitário é um equipamento projetado

para receber e tratar o lixo produzido pelos habitantes de

uma cidade, com base em estudos de engenharia, para reduzir ao máximo os impactos causados ao meio ambiente. Do ponto de vista de sustentabilidade ambiental,

a prioridade é minimizar os impactos ambientais

provocados pela destinação inadequada dos resíduos, erradicando os lixões que representam uma situação sanitária indesejável. É importante implantar o manejo diferenciado dos resíduos, incorporando o princípio da minimização de rejeitos e estimulado a reutilização e a reciclagem dos materiais. (ABREU, 2001)

3 METODOLOGIA

3.1 Área de estudo

O Município de Timon-MA (antiga Flores) tem

sua posição geográfica determinada pelo paralelo de 5° 05’ 12” de latitude sul em sua interseção com o meridiano

de 42° 50’ 12” de longitude oeste, às margens do rio

Parnaíba e faz parte da região metropolitana de Teresina, Capital do Estado do Piauí, ocupando uma área geográfica de 1.740,559 km 2 com população estimada pelo IBGE de aproximadamente 151.000 habitantes.

3.2 Caracterização do aterro sanitário de Timon

A figura 01 mostra que o aterro sanitário de

Timon está localizado próximo à rodovia federal BR–316

que liga Teresina-PI a São Luis-MA, exatamente no km 5, partindo de Timon em direção a São Luis, distando 8 km

do centro da cidade, sendo que a residência mais próxima

fica a 3 km de distância do aterro. O local possui as coordenadas geográficas: 05° 03’ 55,3” de latitude sul e 42° 51’ 56,9” de longitude oeste a uma altitude de 94 metros em relação ao nível do mar.

Teresina - PI, 10 de Abril de 2010 p. 003-005

do mar. Teresina - PI, 10 de Abril de 2010 p. 00 3 -005 figura 01:

figura 01: Localização da cidade e do aterro sanitário da cidade de Timon-MA.

O aterro é do tipo controlado, onde é feita a

compactação diária do material despejado e cobertura com barro e areia mediante utilização de trator de esteiras,

seguindo as recomendações indicadas para este tipo de aterro pelos órgãos ambientais. O chorume produzido no

aterro cai em uma caixa coletora e daí é escoado através de dutos até o tanque de decantação e em seguida despejado em um lago natural, onde sofre evaporação. O gás metano produzido na célula de lixo é expelido através

de 12 torres para o ar.

A coleta, transporte e disposição final dos resíduos, bem como a operacionalização do aterro são feitas por uma empresa privada, a Construtora Metrópole

Ltda., que possui 50 funcionários envolvidos no processo

e utiliza os seguintes equipamentos: um caminhão

poliguindaste, um trator de esteiras, uma pá carregadeira, cinco caminhões caçambas e quatro caminhões

compactadores. O total de resíduos sólidos coletados mensalmente atinge a cerca de 3.520 toneladas, sendo 2.380 toneladas de lixo doméstico/mês, 1.080 toneladas/mês de entulho/restos de poda e 60 toneladas/mês de lixo hospitalar.

A entidade pública municipal responsável pela

gestão dos resíduos sólidos do Município é o Serviço Autônomo de Meio Ambiente e Limpeza Pública de Timon (SELMA). Existe também a Cooperativa dos Catadores de Lixo de Timon (COOCALT) que congrega 35 famílias, sendo que cada família chega a obter uma renda mensal de R$ 300,00. As famílias ligadas à COOCALT desenvolvem atividades em uma horta comunitária experimental, onde utilizam adubo orgânico oriundo da compostagem do lixo doméstico coletado. A cooperativa possui uma usina de reciclagem com capacidade de processar até 20 toneladas de lixo seco por dia em um regime de trabalho de dois turnos (sete horas de trabalho).

A usina foi implantada em outubro de 2003 e é

Teresina - PI, 10 de Abril de 2010 p. 004-005

considerada a primeira usina de reciclagem de lixo do Nordeste. A estrutura da usina é composta por: guarita,

A elaboração do mapa de identificação do aterro sanitário e pontos de concentração de lixo a céu aberto foi

4 RESULTADOS

casa da balança, poço tubular (artesiano) com casa de bomba, prédio da administração (escritório), pátio de

realizado no software gvSIG, onde foram colocados os pontos coletados com o GPS, em uma base cartográfica

compostagem, depósito de recepção e setor de triagem, e galpão da usina (esteira e peneira). Além disso, possui duas prensas, um trator de esteiras, uma caçamba, um tambor coletor, uma esteira, uma peneira e um moinho.

um

técnico administrador encarregado pela usina e aterro,

georreferenciada da área de estudo.

Os recursos humanos para operação da usina são

Tivemos

como

resultado

um

mapa

de

mantidos pela prefeitura municipal e são compostos por

identificação do aterro sanitário e pontos de lixo a céu aberto.

um

tratorista, quatro vigias, um técnico de manutenção e

Foi possível analisar através das conversas,

um

auxiliar de serviços gerais.

com os órgãos competentes, que o aterro sanitário está

3.3 Levantamento georreferenciado

adequadamente instalado, por atender os critérios e diretrizes para o licenciamento ambiental de aterro sanitário de pequeno porte de resíduos sólidos urbanos de

A identificação do Aterro Sanitário e dos focos

de lixo a céu aberto foi feita através da demarcação de

pontos por GPS, que serviram com pontos de controle para a confirmação dos mesmos na base cartográfica (DSG), para fazer o mapeamento do aterro e identificação

de lixos a céu aberto na cidade. O levantamento do estado

de conservação e/ou degradação, da área de estudo, foi

realizado através de observações in loco e conversas informais com moradores, trabalhadores e órgãos competentes. Após coletado os pontos com o GPS, foram feitas as conversões de Coordenadas Geográficas para

UTM, a conversão realizou-se de forma online, pelo o site

do curso de Engenharia Cartográfica da Universidade

Estadual do Rio de Janeiro, disponível no link:

<http://www.carto.eng.uerj.br/cgi/convutm.cgi> (figura

02), para posterior leitura no programa GvSig.

(figura 02), para posterior leitura no programa GvSig . figura 02: software de conversão de coordenadas

figura 02: software de conversão de coordenadas geográficas para UTM.

acordo com a resolução CONAMA Nº 404, de 11 de novembro de 2008, o que pode ser observado e confirmado

pelo mapa, podendo ver que o aterro sanitário encontra-se afastado da mancha do perímetro urbano do município em questão.

Foi constatado que a grande parte dos lixos a céu aberto encontra-se em lugares público (rodoviária, centro comercial, CEASA, etc) onde a falta de educação ambiental é um fator primordial para o excesso de lixo. Verificamos que o serviço de coleta pública funciona de forma eficaz no centro da cidade e em alguns bairros, tendo carência somente em alguns locais de difícil acesso. Podemos verificar que a ferramenta de geoprocessamento, facilita o trabalho em campo, mostrando rapidez e precisão nos resultados. A figura 03 e 04 mostra com clareza a localização espacial do aterro sanitário e dos pontos mais agredidos por lixo a céu aberto:

e dos pontos mais agredidos por lixo a céu aberto: figura 03: Mapa de identificação (

figura 03: Mapa de identificação ( Aterro Sanitário e Pontos de

E. A. da Silva, L. F. de S. Melo, M. de O. Lima

Artigo Submetido à avaliação do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu: Especialização em Geoprocessamento:

Fundamentos e Aplicações, como requisito final para obtenção do Título de Especialista.

Lixo a céu aberto)

Lixo a céu aberto) figura 04: Mapa de Identificação com a DSG da área de estudo.

figura 04: Mapa de Identificação com a DSG da área de estudo. (Base Cartográfica)

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

A manutenção da saúde da população, mediante

execução de medidas preventivas de políticas públicas, e a proteção do meio ambiente, através da fiscalização e da execução da legislação pertinente, são de extrema importância para o Município de Timon, o qual apresenta um crescimento acelerado da demanda por serviços públicos em todas as áreas, econômica, cultural, social, ambiental, sanitária, educacional etc.

A instalação do aterro sanitário em Timon pode

ser considerada um avanço na política municipal de gerenciamento dos resíduos sólidos, tendo em vista que a implantação do aterro sanitário operacionalizado pela prefeitura municipal, através do Serviço Autônomo de Meio Ambiente e Limpeza Pública de Timon (SELMA), em parceria com a COOCALT e a Construtora Metrópole Ltda. vem resolvendo o problema da coleta, transporte e destinação final dos resíduos sólidos gerados na cidade, respeitando o meio ambiente e oferecendo alternativas de geração de emprego e renda para as famílias de catadores que no passado recente viviam do material catado no lixão a céu aberto que existia na cidade. Esta experiência exitosa em Timon é um exemplo que deve ser seguido por outras cidades do Nordeste brasileiro, uma vez que a grande maioria das cidades nordestinas de pequeno e médio porte não dispõe de uma estrutura adequada de coleta, transporte e destinação final de seus resíduos sólidos.

REFERÊNCIAS

ABREU, M. de F. Do lixo à cidadania: estratégias para a ação. Brasília: Caixa Econômica Federal, 2001.

Teresina - PI, 10 de Abril de 2010 p. 005-005

ALVES, Chaenne M. D., Processamento de Imagens de Satélite aplicado na identificação de focos de degradação na lagoa do mocambinho Teresina – Piauí. 2007. Trabalho de conclusão de curso (Tecnólogo) – Centro Federal de Educação Tecnológica do Piauí, Teresina - PI, 2007.

BROLLO, M. J. Gestão de resíduos sólidos e planejamento ambiental. In: Seminário sobre Meio Ambiente. Mogi Mirim, SP, 2001.

IBGE, Timon – MA. Disponível em:

<http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>.

Acesso em: 19/março/2010.

MENESES, H. B.; SOUSA, V. M. P. L. & FERNANDES, F. J. S. Cartilha Técnica: planejamento, construção e operação de aterros para destinação final de resíduos sólidos. Teresina: TCE-PI, 2008.

MONICO, João F. G., Posicionamento pelo NAVSTAR – GPS: Descrição, fundamento e aplicação. – São Paulo: Editora UNESP. 2000.

MOREIRA, Maurício A., Fundamentos do Sensoriamento Remoto e Metodologias de Aplicação/ Maurício Alves Moreira. 3 ed. atual. ampl. – Viçosa: Ed. UFV, 2005.

MOTA, Suetônio. Urbanização e Meio Ambiente/Suetônio Mota: 3 ed. – Rio de Janeiro: ABES,

2003.

ROCHA, Cezar H. B., Geoprocessamento: Teconologia transdisciplinar – Juiz de Fora, MG: Ed do Autor, 2000.

RODRIGUES, F. L. & CAVINATTO, V. M. Lixo: De onde vem? Para onde vai? 2. ed. reform. São Paulo:

Moderna, 2003.

E. A. da Silva, L. F. de S. Melo, M. de O. Lima

Artigo Submetido à avaliação do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu: Especialização em Geoprocessamento:

Fundamentos e Aplicações, como requisito final para obtenção do Título de Especialista.