Você está na página 1de 2
F ICHA I NFORMATIVA – T ECTÓNICA DE P LACAS C C i i ê ê

FICHA INFORMATIVA TECTÓNICA DE PLACAS CCiiêênncciiaass NNaattuurraaiiss 77ºº aannoo

F ICHA I NFORMATIVA – T ECTÓNICA DE P LACAS C C i i ê ê
COMO SE DESLOCAM AS PLACAS TECTÓNICAS? A – Dorsal Oceânica B1 – Zona de subducção 2
COMO SE DESLOCAM AS PLACAS TECTÓNICAS?
A – Dorsal Oceânica
B1 – Zona de subducção
2
1
3
B2 – Zona de subducção
  • O Núcleo é a zona mais interna da Terra, que se encontra a temperaturas muito elevadas. O calor que gera aquece o magma que constitui a camada do manto que se situa por baixo da Litosfera.

  • Quando é aquecido, o magma torna-se menos denso e sobe até à superfície (1).

  • Quando chega à superfície, desloca-se lateralmente, arranstando a litosfera que se encontra por cima em sentidos opostos.

  • Forma-se então uma dorsal oceânica (esquema A) na zona onde as placas se afastam. Nesses locais, o magma que atinge a superfície arrefece, transforma-se em rocha e passa a constituir o fundo do oceano.

  • À medida que o magma por baixo da Litosfera se desloca, vai arrefecendo (2).

  • Quando arrefece, o magma torna-se mais denso e tem tendência a afundar de novo em direcção ao núcleo (3). Quando chega perto do núcleo, o magma é aquecido de novo e o ciclo reinicia-se.

  • Nas zonas em que o magma se afunda, verifica-se a colisão entre duas placas.

  • Quando se dá encontro entre uma placa oceânica e uma continental, a placa oceânica afunda por baixo da continental, sendo por isso destruída (esquema B). Nessa zona, chamada zona de subducção, a placa oceânica funde-se e forma-se uma fossa oceânica.

CONSTRUÇÃO DO FUNDO OCEÂNICO AO NÍVEL DOS RIFTES

C ONSTRUÇÃO DO FUNDO OCEÂNICO AO NÍVEL DOS R IFTES Se recordares o que foi dito

Se recordares o que foi dito na página anterior, os riftes correspondem a zonas onde as placas tectónicas se afastam.

Quando as placas se afastam, fica um pequeno espaço entre elas, que é ocupado por magma proveniente do manto.

Quando o magma chega à superfície, arrefece rapidamente, solidifica e transforma-se em rocha, neste caso representada com a letra A.

Entretanto as placas continuam a afastar-se, e de novo a criar espaço entre elas.

O magma sobe, ocupa esse espaço, arrefece e transforma-se em rocha, representada na figura com a letra B.

Por isso a rocha mais antiga será a A e a mais recente a C.

E assim sucessivamente. O processo repete-se à medida que as placas se vão afastando.

Por isso, à medida que nos afastamos do rifte as rochas são cada vez mais antigas porque se formaram há mais tempo.

DESTRUIÇÃO DA CROSTA OCEÂNICA NAS ZONAS DE SUBDUCÇÃO

C ONSTRUÇÃO DO FUNDO OCEÂNICO AO NÍVEL DOS R IFTES Se recordares o que foi dito

Quando há confronto entre duas placas, uma tem de ceder. Normalmente é a placa oceânica que cede, porque a crosta oceânica é menos espessa e mais densa que a crosta continental. Assim, a placa oceânica mergulha por baixo da placa continental.

  • Na zona onde a placa oceânica mergulha, desenvolvem-se temperaturas muito elevadas devido à proximidade do magma do manto e à fricção das rochas.

  • Nessa zona, chamada zona de subducção, as rochas que constituem a placa oceânica fundem-se e transformam- se de novo em magma.

  • O magma formado normalmente ascende em direcção à superfície (é quente, logo fica menos denso, certo?), dando origem a vulcões.

  • Por outro lado, a placa continental também enruga, formando grandes cordilheiras de montanhas que são vulcânicas por causa do magma.

A professora:

Ana Rita Rainho