Você está na página 1de 5

/

CENTROEDUCACIONALCIMAN

':

.;'

;

/

~'.>: :

. -'~.

"., '" ',.,:,' "::. PA::l>NOSSO::'"';<,, ,. " f. • :::,
".,
'"
',.,:,'
"::.
PA::l>NOSSO::'"';<,,
,.
"
f.
:::,
•••
:
".
o',
~
l~, ,,:~ai' no:ssÓ;' não Pai 'meu. Não e so meu;~ t de todos. Nele me encon-
"" L ",'.
,"
"t. '.
•.
.~.',
.t,r.o c.om. ;-todo'~.,o'"
'
' .•
:
.,
e
Não posso querer que ele me proteja prete~indo os ,o'lltrps: Ele
os
,nosso Pai . Não lhe 'c1ev~ip~dir ~pa~~"mimo-;que vai entristecer
':out1l"os'::El'~.é nósshPai .i: ,~
-'
.;
Pedir a
ele
sem pensar
em distribuir
com os outros
e nao
crer
que ele
Pedir
a
e o Pai nosso.
ele alguma coisa
que quando retem em meU poder o'que
fál .
.
i .
, ta a' outros
é, n.ão.'crer
que ele
é Pai ndsso'~'
El~'ê, ,Pa:i.:dO'meul.inirtligO que: é Irieu:irmãó. 'Eik" é~i C pai " d~"6~iminoso
~, .'
.
.
",
.
'
,
que é meu irmão.
Ele é Pai da prostituta
que é minha, irmá.
E]"e e
Pai do lad;rãQ, :que entrou' em minha casà e levoU:: o' \l~e era meu'~ E
:.
;: ~
'.
;
"
p.,ama.
Ele é'meu pai.
~.<
"-";":
:'
Logo, tudo o que ê deie'é
meu.
Tudo que.~ de;1:e nosso porque' éle' é: pài'hósso.
é
O C:t:'isto é,dele,:,~
meü,.énoss0~:b:'murid<rédelE{,
":,;" '
~'meu, e,nosso .
.:!~l,~'P~d~;,.t~do
':;El~é
I?ai nossch:Nele füdo 'pdde~Ó~'. '''f,
.
(.
QUE ESTAIS NO CÉU
\ ~.
2.
O Pai nosso não está
preso a:iugar
tal
tempo. Ele é de):Céh
';':'
nenhum. O Pai, nosso, não ede
'
I.
;,
Dele :Vfemos/ :pará
ele! cam1nha:mos~ Do Pai do céu {)ara o
C~\l
do
Pai. Ele não é de longe. Ele não mora longe. Ele está no Céu. O
céu é onde e.le est;.á.
,
Se ele está nort\e'uco:r?g,~ã6~j"tã é ~é,~:~~;'J
céu é . presenc;ade.iê.
Ele é amor .céu.'ê ~'vida de amor .', océu'
é
viver 9QrnEüê. QuaIl'Ào'"distribue> aIrior,'d1'strlbuo'o Cé~.,Qua-ndo re
cuso amor, fU'jo".doCéu.Qriando:.me entrego ao ám-or;:'~50para ., o
céu.
.
,
.i.
1'-
' •.
'
". !'
L
". ~
:.
" .• ~
paf NOSS,?:,~pe,e$t,à,ts' no. céu.:";,
Pai Nosso ,que ,podes em,:tc:Xia'parte Céu~
C;"';",'
:
"
1
,', " .i".'
.'.' ,
';:.,
~ ","'
,,:.'.,
SANTIFICADOSEJA o VOSSONOME
/.~1:~;
:-~.;.
,I
••
,
.'

3. Ter um nome honrado é ser honrado. Ter um nom~'sant:i.ficado';é: ser

_

santo. A gloria

••••••

.

,'i

•• ,.'

-",

,""."

:'),"

,"

::"

',r

.(' í,;

~;:"_ ~'_,::"::,,,

A

do Pai e a gloria :,ã-ós 'filh6s:. "Quando me';-elevo

,.

glo

rifico meu Pai e gonro seu nome. Quando nos valorizamos no amor honramos o nome de nosso"Pai.

Quando digo "Santificado seja o Vosso nome" me disponho a promo-

ver a glória de nosso Pai •••Quando' memostró' feliz por ser

tão estou trabalhando para que "santificado

Cris-

seja" o nome de nos-

'.;'#

sO'pai.

É meu trabalho que posso tornar

santificado

o nome de nosso pai.

É múih:a dhc1Ibâção ÉloS irmã'ós que pÔde 'tornar santif icado o nome

dE; nàs~oPéii

" "",

VENHÀ A N6s O VOS's6;REn~d

4. 0feip.o de D~\lS.' Semente que cai na terra. ""DeveIrlos ser terra fé!:'

til. Devemos acolher 'a 'semente. DevemOsdar-lhe'condições de crer -' -

minação .

O rei de Deus~, Fermento que se perde" n'a massa. Somos a massa i-

nerte. Consin,tamos 'que'~ fermento nos p!~Ií.etre. Aceitamos o do 10'-

:

,"o

•••

"

. ~-' , ,',,'

,'"

:,

roso processo de ser fermentados.'

O reino de Deus. O lugar das crianças.

juizados demais, prU:dentes demais, 'calculi~t'as dema'is, despojamo

nos Çle ,nossa' cul tu~~,nos~os racioci~io~ ,"'nossasfalsâs seguran ças.' Corramos ori~~o de '~ão ~er'~a.d~':.' ' c

Somos grande demais,

a-

""."'''''

O reino de Deus. O último lugar. somo~' dompetitivo demais.

Corramos o risco de ficar para trás.

Venha a nos o vosso reino, quê Aceitar o 'rEÚno de Deus'i'é lutár

outros~" no mundoó

nao e deste mundo. pelá sua':implantação" Em,nás ;.nos

:

~

'.

"'.01.

SEJA FEITA' A' vosà VONTADE"ASêIMN1\'

.

.

:

.'

!

;':"'fr'

'."i"

: ~ '1'ERRA'COMO ,NO ",CÉU

.'

.

:

,

.:1

5.

; ::

A vontade de um pai e que o filho. sej'a feliz.

liA vossa vontade"é

nossa f~l~Cid~de.S~" somo~ felizes

vossa von

'.

,

_

J~.;_i

',

: ".~,

.

"

'

.': _",

.":

;.,;:

'.

,',

~

;

;:

'1>",

",

-;~:,

,',

t"

tade esta s~1)do ;e,D~t~~:,p~usI?:a,q im?O~,",arbit:r:a:riamente acontec~ -

mentos arbitrários.

construir noss~'~~li~ida~~~; ~~a~do p~~~~ro incansavelmenté a"'fe-

pára

Deus se ser~~'>cié~oss6s' iltbs:livre~'"

licidade estou fazendo a vontade' d~ 'Deús'~' Quando'iprocuro 'faZe~r

os outros mais felizes,' estou' fà:'zenl:1o'á'~~rithde' dei Deus .:

:.

-

'!,.

o PÃO NOSSO DE CADA DIA

6. Se o pai e_n9sso~ o ,pão e nosso •

.,

CTMAN.'

Não há gente

Não 'hâ"~bt>ra de"pãó~ hápã6 longe ddsdonos. i Quando dou pâÓ êntrego"ó' pão ao dorio'.' Qua.tidonego pão retenho

pão dos outros. O pai dá o pão do dia: Não ararrota ninguém

pão. Ele dá o pão dando-nos força para:gânVé\:t:;ºpão~ ,,'Não há

sem pão, há aqueles

cujopâo

os outros' retêm. '

.

'

,

o

de

dia,

sem pão como há pão sem dono.

Há a'f al ta' de amor que retém o "pao com guem já' tem, vindo; a 'f f ai

tar

para "ôs oUtros.

Não

há pão meu, como nao há p'ai meu.

A

bondade dó pai nosSo' se "ITiostra"no pao nossa. Ea nossa bonda-

de também.

Se o pai é nosso,

mais como nosso: 'terra nos'sa ,casa

'sa, amor nosso, felicidade

tudo é' nosso.

,

O pai que dá o paonossO

dá, ' tudo

,

nossa ,vida "nossa, riqueza nos

nossa.

O PÃO NOSSO ••• NOS DAI HOJE 'i.: 6. Não pedimos o pão de sempre.
O PÃO NOSSO •••
NOS DAI
HOJE
'i.:
6.
Não pedimos o pão de sempre. Pedi.mos o pao de hoje~
O pão' de cada
dia nos liga
ao Pai,
Quando pensamos
ter
cada dia.
o "pão de
sempre n ,,'es~tiecemü~ queó," ~ã6~", nos~
s~." Cada manhã nos'pói?- dianté do Pai ,nosso#na.dependêncià;qo
pao
nosso.
" O pãb" d~hoj"ê: mel.iga a meus irmãos,'
na indugência comum., O
pao
de sempre mf~desligaria
da
família orante.
Pedi~~6; o pão 'de 110je me afasta ela tentação de amoptoar recursos
a pretexto
de' te':!:' s~l:npre pão . ArOontbar' pao' ec.orrer
oriscq"
de
,estar
com o pão de ,Jama:"rihâ, que seria ó pãO' de'"~hojepara algum ir-
',: , L. ," -
,
. ~.
;
.
mão, f ilhOde nosso pai.
i:
'
O
sempre é urna sOma de"h6jes". ;:'i,
Devo confiar
no Pai e esperar
dele o 'pão de (,cada, d:~?
As~im voU:"mulf.iplicaridó os atosde'aínor.,,:
.i'
i'
'
.)( :'
PERDOAI AS NOSSAS': OFENSAS
-.'
.~
~'! '.
',:
.
o'"",
,-'
,"
'"
~

7. Peço perdão para nós todos."'" '.1 "",,'

"' '

Não posso ser jam. O perdão

perdoado se nao desejo que os outros também o se- do Pai é um reforço na capacidade'de ~~mât.,~Quando.~

ço perdão inergulh6 'máis prófimdãmente '09i: amo:'r.,Quan"(,10'o' Pai 'me ~

.

'-

':, ".

"

.

,

.

.'.

, doa. nao esquece minrtà:'ofensa:'trànsfo-rmâ-:aem"r:elementoq,e , amor.

~.':',~ :'.;~-';'~.:"

'";

",. ;'-,' '

,.

",

"

.

"

",

-

.

'

" O P~i s~mpre no~ 'perdoa>. óipái Sém~re;aGredi,ta em~"nós. t-1e~mo que

nos

tenhamos :t;'ecaido no pecado muitas vezes, ele sempre aCF~dita

;,

;","

: •

~i

r

' "'. ~ ;

.

CI$N

-

"'

nossos. propósitos de emenda. Não conseguimos ter confiança numa pessoa que nosepganou muitas ve2;es. O.,pai: nqssonunca perde a confiança em nos.

PERDOAI-NOS. oo.COMO,N6s. PERDOAM.OS ,',

8.

Deus me perdoa corno eu perdôo. :Serei nuad~docom am'=ldidq.que uso para medir os outros. Eu

e

que forneço a dimensão do perdão e do julgamento. O

nosso

sempre que perdoar, mas depende de nós. Ele só nos pode ,perdoar

ir

'.nossasofensas se nós perdoamos qtlem nos ofendeu. Se tenho o coração sempre pronto para perdoar quem nos ofendeu,

apresso e até antecipo o perdãq do Pai • •Quand0 perdôo quem no~ ofendeu nao faço ,favor: apenas yivo ° ,a.,.

mor.

Quando peço

Perdoar sem amar é humilhar.

Pedir perdão sem amar

~erdão por medo do castigo apenas finjo amor.

e ludibriar.

NÃO NOS DEIXE CAIR EM TENTAÇÃO

9 •. Tentação é a prova, o teste do amor. Tentação e a oportunidade

para crescer

no amor .

. É tão: fácil' cair em

tentação

É tão comum cair em tentação •••

Deus compreende ,Só:a forçado

qu~m cai em tentação. , Pai nos livra de cair~mtentação.

Pedir-lhe que

não.nos deixe cair em :tentação não é motivá-lo para proteger -

. nos,

masmot.ivar-nos par'à nos segurarmos nele.

Cair em tentação pode servir de adve~tência. O orgulho de ."':nao

ter caido pode prejudicar mais do que a humildade deter

reerguer-se. e prosseguir. "Não nos deix.es cair. emtentação 'i

.que

.,.'

podetambéIl1

s:ignit:icqri:"Não

/

nos deixe ,~,icarcaldos".

A maior tentação

ditar no perdão, na regeneração.

e nao querer reerguer-seda

,queda, ,é;não ,élc~E.

MAS LIVRAI~~OS .DO MAL.

10. .• "Livrai

mos'.dot1a),;.nquer

(~izer:."Guardai-nos :n,Qbem".

O bem:estás:emprea .•nosso. alcanqe .•Ninguém me poq.~ impedir. de

fazer .o bem:,.'pois" quando luto para fazer o bem, Já, o estou fa

zendo'~",

Ninguém me pode obrigar a

o',

,

,

,;

.-'

fazer o mal, pois, quando nao o acei-

;.to;' já o destruo.

CIMAN

Trata-se de atitudes radicalmente minhas.

Quando peço ao Pai nosso para me livrar do mal já estou me situ~

ando

no bem. Resta a ele dar~me

força para fazer o bem e

esta

força ele sempre dá, mas lançada ã aventura

de minha

liberdade

pessoal, em que ele jamais toca.

Deus nunca destrói nossa liberdade; nem para nos salvar.

Nossa

salvação

é um ato de nossa livre escolha.

A única pressao

que

Deus exerce

sobre n6s ê a pressão

do amor. O amor de Cristo

nos

pressiona. Só há mérito onde há liberdade. Mal e bem são alternativas livres.

Vitória

- ES

Autor desconhecido.

ClMAN

~