Disciplina ± Física Aplicada Prof. Luiz Carlos M. Neves Assunto: Centrifugação 1. Introdução.

A centrifugação é uma operação unitária amplamente utilizada nas áreas industriais e em bioquímica, biotecnologia, biologia celular, molecular, com a principal finalidade de separação de frações ou a concentração das moléculas de interesse. Pode ser realizada com o objetivo de separar sólidos de líquidos ou mesmo uma mistura de líquidos. Uma partícula em movimento linear continuará em velocidade constante e uniforme se não for influenciada por forças externas. Quando uma partícula é submetida a uma força centrífuga (g) para isolar partículas suspensas em seu meio, seja da forma em lotes ou fluxo contínuo, esta sedimentação é forçada. As aplicações de centrifugação são muitas e incluem testes de análises clínicas, testes bioquímicos, a sedimentação de células e vírus, a separação de massa celular, isolamento de DNA, RNA, proteínas ou lipídios ou até mesmo para secar a roupa ou a salada em casa (Figura 1).

2. Aumento no efeito da gravidade: a centrífuga. Se uma suspensão for deixada em repouso, as partículas dispersas irão se assentar por meio do fenômeno de decantação ou sedimentação, por ação da gravidade (g = 9,8 cm/s2). Primeiro serão sedimentadas as partículas maiores e depois as menores em valores de tempo variáveis, o que dificulta determinar o término da operação. Através da centrifugação este tempo é acelerado, pois pequenas partículas podem ser separadas com a aplicação da força centrífuga. Se compararmos com a filtração, a centrifugação é mais cara, porém a principal desvantagem da filtração é a possibilidade rápida de entupimento dos filtros, dependendo do tipo de material utilizado. Quando uma suspensão de partículas é centrifugada a sedimentação das partículas é proporcional à força aplicada. As propriedades da solução também irão interferir na taxa de sedimentação.

N = velocidade de centrifugação em rotações por minuto (rpm). enquanto que a eletroforese separa as partículas baseadas na carga elétrica. maior a força centrífuga. podendo ser combinada com outras técnicas. r = raio de rotação Quanto maior for o número de rotações por segundo. Quando se pretende separar componentes biológicos ou realizar a purificação de proteínas de interesse industrial. A força centrífuga relativa (FCR) pode ser calculada por: Onde: R = raio de centrifugação. = velocidade angular do movimento de rotação e. . carga elétrica e a partição pela solubilidade do produto de interesse. dimensão. a cromatografia por solubilidade. A força aplicada nas partículas é chamada de Força Centrífuga Relativa (RCF). que tem como referência. Por exemplo. O que é a força centrífuga? Qualquer corpo ou partícula que apresente um movimento circular uniforme está submetido a uma força centrífuga.3. dependendo da necessidade do produto. a operação unitária de centrifugação é bastante utilizada. maior será a força centrífuga aplicada na partícula e. quanto maior o raio da circunferência. um RCF de 500g indica que a força centrífuga aplicada é 500 vezes maior que a força gravitacional da Terra. em m ou cm. e pode ser representada pela relação: onde: m = massa do corpo. Quando uma suspensão é submetida a uma velocidade ou a um número de revoluções por minuto (RPM). o centro da trajetória circular que a partícula descreve. A centrifugação separa partículas por diferencial de tamanho ou densidade. a força centrífuga faz com que as partículas se afastem radialmente do eixo da rotação.

A principal desvantagem deste tipo de rotor é a ocorrência de sedimentação incompleta. Para corrigir eventuais erros. Em rotores de ângulo fixo. Ao girar. de ângulo fixo (2) e vertical (3). Este tipo de centrifugação em geral utiliza menor tempo e é eficiente para a separação de sólidos floculentos ou finamente divididos.4. os tubos são posicionados em um ângulo definido. como por exemplo para isolamento de DNA. Os tubos de amostra quando inseridos em rotores móveis (1) são mantidos na vertical enquanto o equipamento está em repouso. os tubos devem ser transparentes. Fatores para seleção de material de tubos para centrífuga: em escala laboratorial. Tipos de rotores para centrífugas Os rotores de centrífugas podem ser classificados como rotores móveis (1). Os rotores verticais são adequados para separações isopícnicas (de densidade). o material se reorienta no interior do tubo. compatibilidade química e boa recuperação da amostra. RNA e lipoproteínas. conforme a força centrífuga que é aplicada. Como principal desvantagem em relação à centrifugação vertical é não conseguir realizar a análise de volume de sedimento. Ao iniciar a operação. é bastante utilizada em laboratórios de biotecnologia para separação de bactérias e leveduras. pois a partícula tem que atravessar toda a ³coluna´ de líquido para chegar ao fundo do tubo. pois o caminho percorrido pela partícula é menor. se posiciona horizontalmente. dependendo da rotação que é aplicada. utiliza-se uma rotação maior. sendo que cada tipo tem potências e limitações de acordo com o tipo de separação (Figura 3). . resistentes a solventes químicos e com boa vedação. Mais eficiente do que a centrifugação vertical. Utilizam-se tubos graduados e é bastante utilizado para a determinação de volume de sedimentos.

Em casos de clarificação de material biológico. O material a ser centrifugado é alimentado pela parte inferior. O tamanho da partícula pode auxiliar a centrifugação. Na indústria farmacêutica é amplamente utilizada para a recuperação de bactérias e frações de células. removendo as cargas eletrostáticas da partícula e então elas aproximam-se umas às outras. máquinas modernas possuem sistemas de proteção.000g. e passa por toda a tubulação para ser separado ou clarificado.000 a 15. A quantidade de sólidos na mistura limita o uso desta centrífuga. adicionam-se pequenas quantidades de materiais de alto peso molecular. Tipos de Centrífuga. carregadas com carga oposta ao do material. promovendo agregação dos componentes que podem estes baratos e efetivos.Todo material fluido tende a expansão. Trabalha com a força centrífuga variando de 13. (b) Centrífuga de múltiplos discos. Para coagulação. Na indústria de alimentos é utilizada para a separação e clarificação de extratos animais e vegetais e óleo de peixe. assim como a formação de bolhas que também dificulta a centrifugação. enquanto os líquidos são retirados pela parte superior.000 g. Para floculação. (a) Centrífuga tubular.000 a 20. Atualmente. A parte sólida vai depositando-se nas laterais. Esta centrífuga opera geralmente na vertical. sendo retirada ao final do processo. . gerando uma pressão sobre os tubos. utiliza-se o fenômeno de coagulação ou floculação. sendo o fluxo contínuo de alimentação de 200 m3/h. com o rotor tubular provendo um longo caminho para a separação da mistura. O material é removido através de válvulas. A câmara possui uma série de discos paralelos que proporcionam uma grande área de sedimentação. realizase a mudança de pH da suspensão. Esta força (P) será somada à força centrífuga e. 4. Para aumentar o tamanho da partícula. a somatória pode romper tubos. pode-se trabalhar com a força centrífuga variando de 5.

(c) Centrífuga contínua opera horizontalmente A hélice roda e distribui os sólidos ao longo da superfície do recipiente. A centrífuga perfurada associa as operações de centrifugação e filtração em conjunto. 5. neste caso especifico. O liquido sai pelo outro lado da câmara. sem afetar o produto de interesse. Então. assemelhando-se ao tambor de uma máquina de lavar. o uso de refrigeração no caso de tratamento de material biológico. além de polieletrólitos sintéticos que reduzem a repulsão entre as partículas e formam pontes entre elas. cálcio e ferro. Para favorecer a coagulação são adicionados sais de alumínio. por exemplo. Tipos de separação centrífuga. No caso de sólidos cristalinos.porém. A) Centrifugação diferencial . utiliza-se o cesto sem filtros e no caso de partículas deformáveis. pode-se considerar a centrifugação como uma operação de pré-secagem. como por exemplo. com o passar do tempo estas começam a ser liberadas junto com o filtrado. As partículas sólidas tendem a se acumular nas paredes da centrífuga e. No caso de cestos não perfurados. proteínas. centrífugas providas de aquecimento que alteram a viscosidade e a solubilidade do material. a ação é apenas da força centrífuga. retirando-o do líquido. O parafuso roda em velocidade diferente da câmara (d) Centrífuga de Cestos A centrífuga de cestos pode ser classificada como perfurada e não perfurada. por exemplo. Outras características também devem ser consideradas como.

servindo como etapa preliminar para posterior purificação usando outros tipos de separação centrífuga. Uma suspensão contendo diferentes moléculas é centrifugada e as partículas maiores sedimentam com mais rapidez do que as partículas menores. embora possuam densidades diferentes. Se centrifugados a 600g por 10 minutos. Empregam-se substâncias como a sacarose. O sobrenadante é então centrifugado a 15. A separação . Centrifugação por gradiente A centrifugação diferencial não permite separar diferentes moléculas que se depositem em uma mesma etapa de centrifugação. B. submetendo a suspensão de partículas a uma força centrífuga constante. os núcleos densos sedimentam para o fundo do tubo. Exemplo: quando uma suspensão de material biológico é deixado em repouso. As partículas com densidades diferentes. de uma extremidade à outra do tubo.A separação é baseada no tamanho das partículas. obtendo-se frações de moléculas. se deslocam até alcançar o local de igual densidade. as células intactas se depositam.000g por 5 minutos para separar mitocôndrias e assim sucessivamente. A fração celular a ser separada é colocada sobre a camada e centrifugada. e em geral elas estão contaminadas com outras partículas. Para tanto. em meio de densidade /peso gradualmente variável. Algumas destas organelas em sedimentação podem ser obtidas em pureza parcial. faz-se uso da centrifugação por gradiente.

a densidade da partícula da amostra deve estar dentro dos limites das densidades de gradiente.Separação gradiente de tamanho. a atividade enzimática. pois se for muito extenso.Separação isopícnica.000g). as partículas podem ser acumular no fundo do tubo. posteriormente. para se identificar a composição química. utilizando-se de refrigeração e vácuo de forma a minimizar o atrito com o ar. vamos considerar uma partícula que possui uma determinada densidade e. que possuem densidades similares. Para que a centrifugação por tamanho seja bem sucedida. a separação com base na massa separará as diferentes classes. a extensão do gradiente devem ser suficiente para ocorrer a separação e o tempo deve ser bem dimensionado.por gradiente pode ser classificada em duas categorias: por índice regional (tamanho) e Separação isopícnica (densidade). bem como as capacidades metabólicas. a densidade da solução de amostra deve ser inferior à menor densidade do gradiente. Uma vez estabelecida a sua posição. Ultracentrifugação Processo de centrifugação sob pressão. qualquer extensão de gradiente é aceitável. Assim. permitindo a separação de partículas de modo eficiente. Esta separação baseia-se no tamanho e massa da partícula para sedimentação. a partícula irá ³estacionar´ em uma posição onde a densidade da solução em que se encontra é próxima à densidade da partícula. Uma utilização para este tipo de centrifugação é a separação de proteínas e anticorpos. C. Para que a centrifugação seja bem sucedida. o tempo total de centrifugação não irá alterar a migração da partícula. . Neste caso. . Uma aplicação bastante utilizada para este método é a separação de ácidos nucléicos em um gradiente de cloreto de césio (CsCl). porém massas diferentes. As frações isoladas podem. Após o processo. devido à elevada rotação aplicada (até 500. o tempo de execução deve ser suficiente para que as partículas se unam em seu ponto isopícnico. . ser submetidas a uma gama diversificada de análises bioquímicas. que será submetida ao processo de centrifugação.

htm&ID=30 . 8. esta não considera a massa da amostra. Quando se troca a centrífuga. R = diâmetro do rotor (cm) S = velocidade da centrífuga (rpm) M = massa da amostra No caso do cálculo da Força centrífuga relativa. A.ac. Além da inseminação. existem estudos que avaliam a possibilidade de separação de espermatozóides que não contenham o vírus da AIDS.coleparmer. A rotação de uma centrífuga pode ser especificada em termos de Força Centrífuga Relativa (RCF) expressa em unidades de gravidade (g).asp?htmlfile= basiccentrifugation. Referências PESSOA JR. Muitas centrífugas expressam a velocidade em termos de revoluções por minuto (rpm). para a geração de uma criança não portadora do vírus.lsbu. A NASA também utiliza uma espécie de centrífuga onde seus astronautas são submetidos a forças de até 20 g. é utilizada no processo de enriquecimento de urânio. a centrifugação.. Purificação de Produtos Biotecnológicos . tornando o negócio mais lucrativo. A conversão entre g (a força centrífuga) e rpm é dada pela relação: onde: Fc = força centrífuga. É também bastante aplicada em casos de tratamentos de fertilidade e. ou a sua densidade.html REVISTA VEJA. Esta seleção realizada para humanos é utilizada em gado. Cole-Parmer site. deve-se recalcular o g. http://www. com o objetivo de criar as melhores cabeças de gado. V. 2005. FCR = força centrífuga relativa. 7. B. KILIKIAN. Editora Manole. 30 a 36. http://www. Conversão de unidades de centrifugação. Aplicações da centrifugação A centrifugação pode ser utilizada além de apenas uma operação unitária na indústria.com/techinfo/techinfo.6. rebanho. p. 22 de setembro de 2004.uk/biology/enztech/centrifugation.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful