Ir para o Po rt al Exam e de Orde m

Busca Rápida
d ig ite a p alavra c have

ACESSAR O PORT AL EXAME DE

PÁGINA INICIAL DO BLOG



SOBRE O BLOG

V Exame de Ordem: Correção da prova subjetiva de Direito Penal gerou quebra da Isonomia entre os candidatos
Muito s candidato s repro vado s na pro va subjetiva do V Exame de Ordem Unificado reclamaram que alguns candidato s receberam no ta em po nto s o nde o s demais não co nseguiram, EM QUE PESE o uso da mesma linha argumentativa. Co lhi relato s de o co rrências desse tipo em pro vas de Direito do Trabalho e Penal.

CURSOS

Editado po r Maurício Gie se le r , advo gado em Brasília (DF), este blo g é fo cado nas questõ es que envo lvem o Exame Nacio nal da OAB, divulgando info rmaçõ es e matérias atualizadas, além de edito riais, artigo s de o pinião e manifestaçõ es que dizem respeito ao tema. Co lo camo s, também, a dispo sição de no sso s visitantes pro vas, gabarito s, dicas, análises críticas, sugestõ es e o rientaçõ es para quem pretende enfrentar o certame. Tudo so bre o Exame de Ordem vo cê enco ntra aqui.

Quanto ao Direito do Trabalho , não co nsegui levantar nenhum do cumento o u evidência, não sendo po ssível tecer maio res ilaçõ es. Em relação a pro va de Direito Penal, a candidata beneficiada, em que pese infelizmente não ter lo grado apro vação , auto rizo u-me a publicar sua pro va e espelho para demo nstrar a discrepância entre sua co rreção e a do s demais candidato s. O pro blema é simples: na questão 4 o espelho o ficial e o padrão de respo sta apo ntam co mo respo sta co rreta, po r se tratar de crime de meno r po tencial o fensivo , o recurso cabível seria a Apelação , de aco rdo co m o artigo 8 2 da Lei 9 0 9 9 /9 5. Vejamo s o enunciado da questão e o padrão de respo sta:

publicidade
PDFmyURL.com

PORTAL TV

Padrão de respo sta:

ARQUIVO
janeiro 20 12 (8 7) dezembro 20 11 (159 ) no vembro 20 11 (110 ) o utubro 20 11 (157) setembro 20 11 (9 8 ) ago sto 20 11 (140 ) julho 20 11 (158 )
PDFmyURL.com

PARCEIROS

julho 20 11 (158 ) junho 20 11 (129 ) maio 20 11 (8 6 ) abril 20 11 (6 2) março 20 11 (114) É HOJE: SIMULADO DA fevereiro 20 11 (110 ) janeiro 20 11 (70 ) dezembro 20 10 (145) no vembro 20 10 (10 1) o utubro 20 10 (8 9 ) setembro 20 10 (10 6 ) ago sto 20 10 (116 ) julho 20 10 (8 7) junho 20 10 (10 5) maio 20 10 (8 3) abril 20 10 (41) A co ntro vérsia aqui o rbita na ambiguidade do enunciado da questão . Seria um dano simples o u um dano qualificado ? Vejamo s o que o s pro fesso res Geo vame Mo raes a Ana Cristina escreveram so bre a questão no MODELO DE RECURSO elabo rado para o s candidato s: “”A banca examinadora adotou a corrente de Nelson Hungria, no sentido de que “o motivo egoístico não é o que se liga à satisfação de qualquer sentimento pessoal, mas é o desejo ou expectativa de um ulterior proveito pessoal indireto, seja econômico ou moral”. Todavia, Guilherme de Souza Nucci explica que “o dano qualificado pelo motivo egoístico é um Mais uma pro mo ção No caute no CERS! 13 de janeiro de 20 12 Co nfira o Último Treino para co ncurso do TJ/PE 13 de janeiro de 20 12 Co leção Có digo s e Co nstituição para co ncurso s
PDFmyURL.com

NOTÍCIAS

PRIMEIRA FASE OAB 20 11.3 20 de janeiro de 20 12 Co mércio ilegal a apenas um clique 18 de janeiro de 20 12 Primeiro Questão de Ordem de 20 12 17 de janeiro de 20 12 Universidades públicas se destacam na apro vação do Exame de Ordem 17 de janeiro de 20 12 Repro vado s em Penal e Co nstitucio nal po dem refazer Exame de Ordem 17 de janeiro de 20 12

CATEGORIAS
A semana do Blo g Advo cacia

particular motivo torpe. Quem danifica patrimônio alheio somente para satisfazer um capricho ou incentivar um desejo de vingança ou ódio pela vítima deve responder mais gravemente pelo que fez. A motivação egoística liga-se exclusivamente ao excessivo amor-próprio do agente, ainda que ele não possua interesse econômico envolvido”. Sendo assim, resta claro que o candidato que estudou por Guilherme de Souza Nucci respondeu a assertiva como sendo dano qualificado, já que não havia uma explicação mais

porém. vedada a verificação de critérios subjetivos de avaliação dos candidatos . considerando o dano como qualificado. se comprovada ilegalidade ou inconstitucionalidade nos juízos de oportunidade e conveniência. Vejamo s o po sicio namento quanto a este po nto em específico : “”MANDADO DE SEGURANÇA.Ao Poder Judiciário é permitido proceder à verificação da legalidade e constitucionalidade do processamento de concurso público. isento de apreciação pelo Poder Judiciário. (TRF2. .As disposições editalícias inserem-se no âmbito do poder discricionário da Administração. Diante do exposto. no entanto. p. OAB. sendo-lhe. eventual ação na Justiça Federal co ntra um entendimento DOUT RINÁRIO da banca muito fatalmente enco ntrará so mente o fracasso . ADMINISTRATIVO. Sexta Turma. a aceitação também do recurso em sentido estrito. inserto no art. 169)“” 13 de janeiro de 20 12 Em breve. AMS 200550010116284. o qual não está. Relator Fernando Marques. poderia o Judiciário anular questões de concurso. já que a própria doutrina diverge no assunto. EXAME DE ORDEM. . sua vinculação ao Edital.com . não podendo este Poder avaliar os critérios de elaboração e correção de provas . a apreciação da correção da peça processual e das questões práticas da segunda etapa do Exame de Ordem a que se submeteu o apelante. razão por que não cabe. nesse caso. em respeito ao princípio da independência dos Poderes.É defeso ao Judiciário intervir no exame de mérito de questões relativas a concurso.“” Aqui faço uma co nsideração . se comprovado flagrante erro material ou incluída matéria não constante do programa de disciplinas arroladas no respectivo Edital.Análise crítica do Exame Análise de pro va o bjetiva Análise de pro va subjetiva Anulaçõ es de questõ es Artigo Cespe Co mo se preparar para a pro va Co ncurso s Curso s do Po rtal Datas do Exame de Ordem Debate so bre a legitimidade do Exame de Ordem Do utrina para a pro va Editais Enquetes Ensino jurídico Entrevista Espelho pro va subjetiva Espelho s Estatísticas elaborada na questão. REAVALIAÇÃO DA PEÇA PROCESSUAL E DE QUESTÕES PRÁTICAS. . de descumprimento do teor do Edital e de tratamento não isonômico aos candidatos. 2° da Constituição Federal. ALCANCE DA APRECIAÇÃO PELO PODER JUDICIÁRIO. requerendo. Apó s a divulgação do resultado final. justificando-se a intervenção do Judiciário apenas em hipóteses de ilegalidade no procedimento administrativo do concurso. CONCURSO PÚBLICO. DJU de 15/01/2007. no vidades e pro mo çõ es! 12 de janeiro de 20 12 Pro jeto quer suspender co brança de Fies ate que o bacharel se to rne advo gado 11 de janeiro de 20 12 PDFmyURL. Somente em situações excepcionalíssimos. O recurso previsto no edital permitia ao s candidato s co mbaterem a tese da banca. CORREÇÃO DA PROVA PRÁTICO – PROFISSIONAL. no caso. não pode requerer a banca examinadora que o candidato tome por base um ou outro doutrinador. seu aspecto formal.

Vejam a respo sta dada pela candidata em sua questão 4 da pro va de Penal: Co nfiram ago ra o espelho da pro va da examinanda Íria Co rdeiro : PDFmyURL. Aqui nó s estamo s falando de quebra do Princípio da Iso no mia. no caso em tela.com .Exame de Suficiência Exames de pro ficiência Fraude no Exame de Ordem Fundação Getúlio Vargas Fundação Getúlio Vargas – FGV Gabarito extrao ficial da pro va o bjetiva Gabarito extrao ficial da pro va subjetiva Humo r Inscrição IPad Jurisprudência em Exame de Ordem Jus News Legislação Mandado de Segurança Material didático gratuito Minuto Po rtal Mo tivacio nal No tícias so bre o Exame O aresto acima representa a síntese da jurisprudência do minante quanto ao tema. a banca atribuiu no ta de fo rma DIST INTA entre candidato s que apresentaram respo stas IGUAIS. Po r o utro lado .

com . Dessa fo rma. PDFmyURL.OAB Padrão de respo sta Palestras Po dcast Pro mo çõ es Pro va o bjetiva da OAB Pro va subjetiva da OAB Pro vas anterio res O espelho requer uma apelação co mo respo sta. e Questão de Ordem Recurso s Recurso s para pro va subjetiva Redes so ciais Resultado s Simulado s Vídeo s mesmo assim recebeu a co rrelata po ntuação . Para ele. c) adequação (co rrespo ndência) entre o s fins o bjetivado s pela descriminação e o s valo res jurídico s co nsagrado s pelo o rdenamento jurídico . co m vista a minimizá-la. deverá ser invalidada a discriminação que – criada pela pró pria lei o u at o adm inist rat ivo (no caso . Celso Antô nio Bandeira de Mello estabeleceu critério s para a identificação do desrespeito à iso no mia. mas a candidata apresento u um RESE. o s do s demais candidato s também deveriam ter sido ! Aqui fica caracterizada a quebra da Iso no mia balizado ra do s pro cesso s seletivo s so b a tutela do Po der Público . seu recurso fo i PROVIDO. a co rreção da pro va) – não reflita uma diferença real no mundo . nesse aspecto . O Direito . Eis o po nto : se o recurso dela fo i pro vido quanto ao item. apenas retrata a diferença efetivamente existente. a discriminação só é legítima em face de três elemento s: a) existência de diferenças nas situaçõ es de fato a serem reguladas. pelo Direito . b) adequação (co rrespo ndência) entre o tratamento discriminató rio e as diferenças entre as situaçõ es de fato . Ou seja.

Muito bem… Aqui batemo s mais uma vez na tecla da qualidade do Exame de Ordem. P. Impo rtantíssimo co nsignar que a candidata. Pro va e espelho são da mesma pesso a e eu co nferi isso diretamente no site da FGV. A redação fo i pensada para co nfundir e.Uma o u o utra pesso a argumento u que o espelho de pro va seria de uma pesso a e a pro va de o utra.com . A pro va PODE ser difícil. po rquanto a no ta fo i dada já na primeira co rreção . Ou seja. O po nto é assegurar ao s candidato s um enunciado intelectível. Isso não se questio na. Co rrijo ago ra a info rmação para situá-lo s melho r do co ntexto . Uma repro vação so b estas circunstâncias representa uma vio lação ao s estudo s e à capacidade do s candidato s. Repito ! Isso só fo i po ssível se o recurso dela fo i pro vido . co ncebida de tal fo rma que admitia DUAS so luçõ es jurídicas distintas. 2 . Só isso … P. mais do que isso . A info rmação passada no po st é co rreta e fo i co nferida. To do s o fertaram co mo respo sta ao pro blema o recurso em sentido estrito têm o Direito à no ta o btida pela candidata beneficiada em sua co rreção .S. apto a demandar o s co nhecimento s sem gerar repercussõ es co mo as o co rridas no V Exame. escrevi supo ndo que o recurso havia sido pro vido . PDFmyURL. lo gro u receber a po ntuação . assim co mo a apro vação . ela recebeu o s po nto s da questão 4 sem mesmo precisar reco rrer. claro . Algo po ssível em uma ciência não exata co mo o Direito . resta patente a inexistência de nenhum do s elemento s capazes de justificar o tratamento não -iso nô mico emprestado pela FGV na co rreção da pro va da candidata-paradigma em relação a to do s o s candidato s cujo s recurso s não lo graram sucesso especificamente em relação a questão em tela. Dif iculdade não é sinô nim o de o bscuridade .S. A repro vação tem de ser justa. (12:0 3h) – Co nversei ago rinha co m a candidata e ela fez uma co rreção em relação ao po stado aqui.Analisando o co ntexto do V Exame. Ela NÃO reco rreu da questão nº 4. apesar de terem apresentado respo sta diversa da exigida pelo espelho (RESE). respo sta essa po ssíve l face ao co mando da questão . Co mo eu não sabia desse detalhe.

leia-se artigo 155. Diante desta situação .3 . po is. alínea “m” do Có digo de Pro cesso Penal. inciso II.S. o candidato apo nto u de fo rma clara a o bscuridade quanto ao s critério s utilizado s pelo magistrado para embasar o aumento de pena.com .P. para o candidato era a peça mais adequada para arguir to das as teses defensó rias. Co mo po de ser verificado na página 3. § 4. linhas 72/8 2. o que gero u a nulidade prevista no artigo 56 4. que a sentença do PDFmyURL. na peça prático -pro fissio nal deveria ser realizada uma co rreção e a errata fo i divulgada no s seguintes termo s “o nde se lê artigo 155. inciso III. inclusive co m fundamentação legal prevista no artigo 38 1 inciso s III e IV do Có digo de Pro cesso Penal. o candidato teve que reiniciar seu racio cínio jurídico . inciso IV do Có digo Penal.O material usado neste po st. § 2°. incluindo o espelho e a pro va po dem ser enco ntrado s na no ssa co munidade no Facebo o k – Grupo de e st udo s para a OAB 258 1760 share 47 share 2088 Por Maurício Gieseler em 16 de janeiro de 2012 às 11:30 Cat egoria: Anulações de questões. este candidato apó s uma ho ra de pro va fo i info rmado pela Co o rdenação do exame que. o ptando nesse mo mento em interpo r o Recurso de Apelação . apo nto u ainda em sua fundamentação . Jurisprudência em Exame de Ordem. Mandado de Segurança 206 Comentários para “V Exame de Ordem: Correção da 206 Comentários para “V Exame de Ordem: Correção da prova subjetiva de Direito Penal gerou quebra da prova subjetiva de Direito Penal gerou quebra da Isonomia entre os candidatos” Isonomia entre os candidatos” « 1 2 3 4 » Gilson d is s e : 16 de janeiro de 2012 às 20:44 Eis o meu Recurso : Item 1 No bres integrantes da Banca Recursal. do Có digo Penal”.

Lo go . linhas 9 7/10 1.com . Entretanto . Item 2 Co mo po de ser verificado na página 3. Po rtanto requer a po ntuação integral deste item. mas. co nsiderando -se que o artigo 46 . deve ser atribuído ao candidato a po ntuação integral referente a este item em o bservância ao principio da fungibilidade. entretanto . o candidato demo nstro u co nhecimento jurídico ao identificar em sua peça a tese co rreta. e que referida tese po deria ser co mbatida também em sede de Recurso de Apelação sem prejuízo para a defesa. PDFmyURL. Bo m que se diga que. Entretanto . Diante do expo sto e co mo medida de justiça deve ser atribuído ao candidato a po ntuação integral referente à este item em o bservância ao princípio da fungibilidade. mas ho uve previsão de po ntuação no gabarito o ficial ao s candidato s que o ptaram em o po r Embargo s de Declaração . e que. Co mo po der ser verificado o candidato apresento u na página 4. Item 3 No gabarito o ficial é prevista a po ntuação para o candidato que defender a não incidência da qualificado ra de abuso de co nfiança e o seu desenvo lvimento jurídico . a po ntuação referente a este item não fo i atribuída ao candidato . linhas 8 3/9 1. entretanto . o examinado r não atribuiu ao candidato a po ntuação deste item. não fo i atribuída a po ntuação referente a este item pelo examinado r. referida tese po deria ser co mbatida também em sede de Recurso de Apelação sem prejuízo para a defesa. parágrafo 3º do Có digo Penal. o desenvo lvimento jurídico necessário . a peça prático -pro fissio nal info rmava que o magistrado se limito u apenas a info rmar que “a ré po ssuía circunstâncias judiciais desfavo ráveis”. Item 4 No gabarito o ficial é prevista a po ntuação para o candidato que apresentar a tese so bre a atipicidade material da co nduta e o seu desenvo lvimento jurídico . Diante do expo sto e co mo medida de justiça. estabelece que a fração é de apenas uma ho ra de prestação de serviço s po r semana.magistrado infringiu o texto co nstitucio nal em seu artigo 9 3 inciso IX. ho uve previsão de po ntuação no gabarito o ficial ao s candidato s que o ptaram em o po r Embargo s de Declaração . co mo na situação anterio r a po ntuação referente a este item não fo i atribuída ao candidato . fo i devidamente apresentado pelo candidato a co ntradição existente entre a co ndenação de 8 ho ras semanais de serviço s co munitário s. Referidas fundamentaçõ es se devem ao fato que. este candidato demo nstro u co nhecimento jurídico ao identificar em sua peça a respo sta co rreta.

co ntida no artigo 6 17 do CPP. Diante do expo sto requer a po ntuação integral deste item. em razão do trânsito em julgado para a acusação . o examinando deveria argumentar que inexistia relação de co nfiança a justificar a incidência da qualificado ra e que a quantia subtraída era insignificante. na fo rma do artigo 10 9 . so bretudo to mando -se co mo referência o patrimô nio co ncreto da vítima.Co mo po demo s verificar na página 4. bem co mo seu co nhecimento legal so bre o s temas abo rdado s. Vejam a respo sta da FGV: A pro va prático -pro fissio nal tem po r o bjetivo avaliar o candidato em seu racio cínio jurídico . tendo que reto mar o racio cínio jurídico que o pro blema exigia. cabia ao examinando elabo rar peça pro cessual argumentando que a segunda sentença vio lo u a pro ibição à refo rmatio in pejus – co nfigurando -se um caso de refo rmatio in pejus indireta –. o examinando deveria PDFmyURL. mesmo diante de várias interrupçõ es o casio nadas pela Co o rdenação do exame.com . Dessa fo rma. do Có digo Penal. linhas 121/123. e. a pena não po deria exceder do is ano s de reclusão . Em razão disso . Superada a questão . entre o recebimento da denúncia (12/0 1/20 0 7) e a pro lação de sentença válida (0 9 /0 2/20 11). linhas 10 4/120 e página 5. o candidato . transco rreu lapso superio r a quatro ano s. apresento u o desenvo lvimento jurídico co rreto e co erente para o caso apresentado devendo a sua no ta ser elevada. de mo do que. uma vez que. V. estando prescrita a pretensão punitiva estatal.

45. Ago ra dizem que nenhum candidato seria prejudicado po r causa da errata.45.). Po r essas razõ es. ao meno s deveria ser reduzida a pena em razão do furto privilegiado (o privilégio no furto é uma causa especial de diminuição de pena.75. Atendido s o s requisito s legais primariedade e pequeno valo r da co isa -. reco rri a peça e fiquei co m 5. tendo em vista a respo sta fiquei co m a no ta 5. A minha respo sta da questao nº 0 4 fo i extamente a mesma e eu nao recebi nenhum po nto ! A minha no ta da pro va fo i 4. Existe algo que eu po ssa fazer em relaçao a isso ? Responder PDFmyURL. ainda. As no tas devem permanecer. de mo do a abso lver a ré po r atipicidade material de sua co nduta. DECEPÇÃO!!!!!!!! Responder Tainah d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 16:18 Dr Mauricio . que.com . O examinando deveria argumentar. eu tenho certeza que nem leram o recurso . o u ser aplicada apenas pena de multa.requerer a refo rma da sentença. na hipó tese de não se refo rmar a sentença para se abso lver a ré. substituindo -se a sanção po r multa. a pena privativa de liberdade do acusado po de ser diminuída de até 2/3. o recurso não deve ser pro vido . ante a incidência do princípio da insignificância/bagatela.

com . jo sego mesipc@gmail. no s termo s do artigo 140 do Có digo Penal.co m. varia de 1 (um) a 6 (seis) meses de detenção . po is. go staria de info rmaçõ es so bre o caso .co m Responder Juliana Minuz z i d is s e : 16 de janeiro de 2012 às 23:07 A respo sta dada ao meu recurso na 4 questão fo i a seguinte: A questão narra um crime de injúria praticado po r Maria.Sandro Gome s d is s e : 16 de janeiro de 2012 às 20:50 pro f. O que faço nesse sentido ? É um absurdo ! Responder José Vict or d is s e : 16 de janeiro de 2012 às 22:16 Esto u co m o mesmo pro blema. de crime de meno r po tencial o fensivo . Maurício Tem co mo eu receber a có pia da pro va desta aluna e seu gabarito de co rreção para po der anexar ao MS?? Meu email é sandro wgo mes@terra. respo ndi exatamente o mesmo que ela. Trata-se. cuja pena. sendo a apelação o recurso cabível em face da decisão PDFmyURL.br Responder Malu d is s e : 16 de janeiro de 2012 às 21:04 Dr Maurício .

po r fim. lanamg20 0 7@uai. A co mpetência para seu julgamento . Uma bela atitude dela! Caso ela leia este meu co mentário . Pelo expo sto . se puder enviar-me o espelho de pro va. Parabenizo esta candidata que pensando em ajudar candidato s prejudicado s e repro vado s pela co rreção diferente da mesma questão repasso u sua pro va ao Maurício .0 9 9 /9 5.com . co nfo rme parágrafo único do mesmo preceito dispo sitivo . Apenas nesse caso o prazo será de cinco dias para a sua interpo sição e a co mpetência para pro cessar e julgar o recurso será do respectivo Tribunal de Justiça. Ajudará em meu mandado de segurança. Vale lembrar que o Recurso em Sentido Estrito é cabível na hipó tese de rejeição de queixa o u denúncia quando o delito imputado não fo r de meno r po tencial o fensivo . é da Turma Recursal. 8 2 da Lei 9 .que rejeita a queixa. Co mo faço para co piar essa sua no tiicia para usá-la em meu mandado de segurança? Po de enviá-la para meu email po r favo r? Responder Eliana d is s e : 16 de janeiro de 2012 às 23:50 Sempre vejo muita so lidariedade entre o s bacharéis candidato s do Exame de Ordem.co m. O prazo para a interpo sição do recurso é de 10 (dez) dias. ficaria muito agradecida. Qual respo sta te deram? Responder Lana d is s e : 16 de janeiro de 2012 às 23:11 Maurício . no s termo s do art.br Responder PDFmyURL. deixo de atribuir po ntuação ao candidato .

para eu anexar ao MS… Desde já agradeço … evaldo rsneto @gmail.com .co m desde já agradeço ! Responder Evaldo Rodrigue s d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 4:18 Dr. QUE ENVIE PARA MEU EMAIL – evaldo rsneto @gmail.Priscila d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 1:10 MS co letivo pesso al. CONFIEM EM DEUS! ELE PROVERÁ… Responder PDFmyURL. Mauricio .co m Responder Evaldo Rodrigue s d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 4:41 Desculpem a insistência… mas o espelho da pro va da candidata em co mento po de valer minha apro vação no exame mais humilhante e degradante ao qual já to mei “co nhecimento ” – Exame da Ordem… Assim.co m. vamo s no s unir!! Go staria tbm de receber o espelho dessa candidata que merece o reco nhecimento de to do s nó s. me envie o espelho da pro va da candidata em analise. POR FAVOR. peço encarecidamente que HÁ QUALQUER PESSOA QUE ESTEJA DE POSSE DO ESPELHO. o bjeto desse po st. po r ser so lidária a to do s e estar no s ajudando !!! meu e-mail é pri8 8 18 @ho tmail.

po r isso . Responder Igor d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:06 Aí pesso al.9 5. minha no ta ago ra é 4. teve pesso as que passaram mais não adquiriram sua carteirinha po r causa da marfia da OAB. a co rreção fo i um absurdo . Pesso al de Trabalhista se mo vimentem.co m Responder ALESSANDRA d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:13 go staria muito de receber o espelho da co rajo sa examinanda. reco rri de 3 questo es e tambem da peça e só lo grei exito em 1 das fundamentaco es juridicas. GENTE SE MOVIMENTEM ENTRAM COM MS. a questao é a seguinte.com . po rem. eu tambem respo ndi a 4 questao co mo to do s vo ces (RESE) e claro que meu recurso fo i negado .po is tb tentarei interpo r um PDFmyURL. Grato Responder Igor d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:07 meu email. claro -> iguestrella@ho tmail. go staria que me fo sse enviada a co pia da pro va da Iria Co rdeiro para anexar ao MS.Danie la d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 9:00 Peso al de Penal parabens pela iniciativa vão em frente não deixe que a OAB prejudiquem vcs.

EMBORA ACREDITE DO PROVIMENTO DO RECURSO SO POR DEUS. FORMIGAS LUTANDO CONTRA GIGANTES.com .MS. né?! po r favo r. me passem o gabarito …esto u inco nfo rmada ainda…o brigada Responder Luci d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:25 Po r favo r Maurício dispo nibilize a pro va e o espelho de co rreção desta mo ça para utilização em MS Responder Maurício Gie se le r d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:32 Vo u fazer isso ! Responder Pâme la d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:26 Quem tiver o gbarito . po de me enviar? PDFmyURL. po r favo r. DESCULPEM FALEI. Responder Pâme la d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:17 Co mo vcs vai lidar co m essa questão do MS? A idéia d MS co letivo é uma bo a.

preciso pro to co lar um MS so bre a questão numero 4 da pro va de penal e go staria de so licitar á candidata có pia da sua pro va e sua no ta gerada o ficialmente no site da OAB. Responder Pat ricia Prado .Quem tiver o gbarito . po r favo r.co m. desde ja o brigada. po de me enviar? Obrigada!!! Responder ALESSANDRA d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 11:41 MEU EMAIL : alessandra.br Responder Cle ut on d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 13:25 Bo a tarde a to do s.Advogada d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 12:22 Bo a tarde a to do s e to das.co m Go staria muito de receber o espelho da pro va. co mo faremo s para impetrar um MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO? E também go staria de saber co mo pro ceder para impetrar um MS individual (quanto custa?) Email: cleuto nladislau@gmail.ferreirabo rges@ho tmail. para co ntato : p-to maz@ig. co mo pro va no MS. a có pia seria uma pro va irrefutável. apesar de estar vinculada na internet.com .co m Responder PDFmyURL. e-mail. desde já agradeço sua genero sidade.

br Obrigada! Responder wilson mart ins d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 14:19 prezado s… o pro blema é o mesmo … se alguem puder me enviar o espelho da candidata supra. me enviem. wilso niretama@ho tmail.co m muito o brigado .. Meu e-mail é caro lsanm@yaho o . Email: cleuto nladislau@gmail. me ajudaria bastante no MS.Carol d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 13:49 Go staria de receber o espelho também.co m.com .co m Responder T hyago Lima d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 15:09 URGENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEE !!!!!!!!! PDFmyURL. Responder Cle ut on d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 15:07 Alguém co nseguiu o espelho e a no ta da pro va da candidata? Po r favo r.

MAURICIO.4.DR. QUANTO À AÇÃO CIVIL PUBLICA MOVIDA PELO MPF DE TOCANTINS!! A DECISÃO ATESTA QUE REPROVADOS (EM CONSTITUCIONAL E PENAL) NA SEGUNDA FASE DO EXAME DA OAB DEVEM FAZER NOVAS PROVAS!!!! ACOMPANHEM!!!! http://www.20 12.br/ NÚMERO DO PROCESSO: AÇÃO CIVIL PUBLICA Nº : 16 -6 7. inclusive.mpf.0 1.prto . da Ordem do s Advo gado s do Brasil.jfto . letra b. de Direito Co nstitucio nal. PDFmyURL. A inicial da ação fo i apresentada requerendo a anulação da questão referente à prática pro fissio nal da pro va de Direito Penal e da questão nº 3.430 0 Responder T hyago Lima d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 15:12 EIS A DECISÃO!!!! VEICULADA NO SITE DO MPF DE TOCANTINS!!!! MPF/TO: repro vado s em duas disciplinas do exame da OAB devem fazer no vas pro vas Os candidato s repro vado s nas pro vas prático -pro fissio nais em Direito Penal e Direito Co nstitucio nal do V Exame de Ordem Unificado . NOTICIA QUENTE.jus. ACABOU DE SER VEICULADA NO SITE DO MPF/TO DECISÃO DA JUSTIÇA FEDERAL TRF 1ª REGIÃO. po derão realizar no vas pro vas nestas disciplinas sem qualquer custo adicio nal. As no vas pro vas devem ser aplicadas até o dia 25 de março .go v.br/ OU NO SITE DO TRF 1ª REGIÃO http://www. A medida é co nsequência de ação civil pública pro po sta pelo Ministério Público Federal no To cantins em face do Co nselho Federal da Ordem do s Advo gado s do Brasil e da Fundação Getúlio Vargas.com .

ficando estes candidato s privado s de sua prática pro fissio nal. Além de diverso s termo s de declaração . fato s que permitem reco nhecer a não o bservância ao princípio da iso no mia. mas questio na as pro vidências to madas em relação ao s equívo co s. e co ncedeu tempo adicio nal ao s examinando s. argumento s que embasam a co ncessão de no va o po rtunidade ao s repro vado s nas duas disciplinas. Em algumas lo calidades. Embo ra reco nheça a vio lação ao princípio da iso no mia. Em co municado emitido pela pró pria FGV.com . denúncias o n line e reclamaçõ es via internet juntado s ao pro cesso . a pró pria Fundação Getúlio Vargas reco nheceu as erratas nas pro vas de Penal e Co nstitucio nal. Assesso ria de Co municação Pro curado ria da República no To cantins asco m@prto . segundo a sentença.go v. mas.br Fo ne:(6 3)3219 -729 8 Responder José Vict or d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 15:16 PDFmyURL. Alega o MPF/TO que ho uve erro s materiais nas duas questõ es mencio nadas e que o tempo de pro va não teria sido o mesmo para to do s o s candidato s. A decisão judicial co nsidera que a existência de erro s materiais não ensejam a nulidade do exame. as erratas nas duas pro vas o casio naram co ncessão de tempo adicio nal a to do s o s examinando s. já que to do s o s candidato s se vêm submetido s à mesma situação . já que o exame da o rdem visa o regular exercício da pro fissão de advo gado . o aviso referente à medida dificilmente o co rreu de mo do unifo rme em to do s o s rincõ es do país. a medida po deria disto rcer a finalidade do exame. sequer fo i co ncedido tempo adicio nal. O deferimento parcial ao pedido de antecipação de tutela do MPF/TO também co nsidero u que o pro nunciamento judicial so mente ao final do pro cesso po deria trazer co nsideráveis prejuízo s ao s examinando s.mpf. No caso da pro va em Direito Co nstitucio nal. a decisão judicial co nsidera que a atribuição do s po nto s referentes às pro vas anuladas a to do s o s candidato s po ssibilitaria que um candidato fo sse apro vado em Direito Penal ainda que ho uvesse co mpletado apenas dez po r cento da pro va.co m a co nsequente distribuição do s respectivo s po nto s a to do s o s aluno s.

fiz a pro va de penal.co m peço a gentileza de me co ntatar Responder Hudson d is s e : 20 de janeiro de 2012 às 10:59 Senho res.acredito que um MS induvidual não terá sucesso ..Co m certeza um MS COLETIVO teria maio r chance de exito !!!……vamo s no s unir…. Responder PDFmyURL. A união é a melho r po ssibilidade no ssa!!! MS COLETIVOOO! Responder Fe rnando d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 9:12 passa seu e-mail que ja estamo s juntando Responder Ana Cláudia Fre it as d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 13:39 Fernando . quero participar também deste po ssível MS co letivo . Meu e-mail é kakasatierf@ho tmail. não fui po ntuado na questão 4 quando minha respo sta também fo i RESE. Aguardo co ntato . tenho interesse no MS.com . o u até mesmo facebo o k…. tendo em vista a “po liticagem” envo lvida tbm!! Po demo s criar alguma fo rma de no s co municarmo s po r internet….um grupo de email..

peço encarecidamente que me envie a pro va desta mo ça. Os erro s das letras vieram através do chamado “efeito do minó ” po is se se errasse a letra “a”. po r favo r mande pra o meu email. de fo rma justa. errava-se as letras “b” e “c” Responder André Franklin de Q ue iroz d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 16:50 Pro fesso r Mauricia. o brigado ! Responder Luisy Carlos d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 15:47 Pro f. valeu Dr. PDFmyURL.com . po is esto u ingressando co m a ação cabivel junto ao TRF. Maurício preciso do espelho de co rreção e da respo sta na pro va desta co lega de exame que po sto u a pro va para o Senho r. Se meu recurso tivesse sido pro vido . co nsequentemente. Maurìcio … Reco rri da 4ª questão e meu recurso não fo i pro vido …o lhando ago ra o po st referente à questão que fo i atribuída po ntuação diferente da do gabarito o ficial… o que me revo lto u bastante. Achei que a 4ª questão co mo também to do s o s incidentes que o co rreram durante a aplicação da pro va prejudicaram no sso desempenho . Co nvicatamente em relação à 4ª questão …não co nsigo engo lir a respo sta APELAÇÃO. po is servirá para a pro po situra do meu mandado de segurança o meu email é franklindequeiro z@ho tmail. E preciso juntar tudo que puder co nseguir de pro vas. espero o envio .co m. o bteria minha apro vação tranquilamente.Ernildo Arruda d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 15:43 Dr.

Um abraço . se po ssível dispo nibilize o espelho e a po va da candidata para ingressar co m ação judicial. talk.Responder Cle ut on d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 17:04 O detalhe da “co rreção ” do s recurso s é que em nada adianto u falarmo s. se o senho r puder dispo nibilizar esse espelho de pro va. E o chefão da OAB ainda disse que nenhum candidato seria prejudicado pelo fato .br Responder Diogo Sant os d is s e : PDFmyURL. hablar so bre o grande prejuízo e co nfusão causado s no mo mento da pro va pelo erro material da FGV (frise-se “o erro fo i deles”) na peça prático -pro fissio nal (vulgo “erro de digitação ”) e eles nem sequer co mentaram tal falto . Maurício . simplesmente são o nipo tentes e nó s mero s mo rtais. co mo assim? Responder e st re la d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 18:56 Maurício .co m. Responder Rossana d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 19:11 Dr. Do rme co m um barulho desses. para o ingresso urgente de um MS. E se fo r do interesse de to do s esse Ms co letivo eu tô dentro ! ro ssanaaraujo @yaho o . NO aguardo .com .

co m. favo r enviar um email para cleuto nladislau@gmail.9 e respo ndi a mesma co isa que ela isso é um absurdo . é UNICA chance de isso dar certo . sendo meu email dio go nico @ig. Responder Cle ut on d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 9:27 Pesso al de DIREITO PENAL interessado s em impetrar um MS Co letivo . reco rri e negaram o meu recurso . Aaa e ja adicio nei uma galera aceitei ai e vamo s decidir so bre o MS .17 de janeiro de 2012 às 20:31 Ola Mauricio da para me enviar po r email o espelho de respo sta da candidata. demo nstrando interesse.com . E po r favo r se alguém ja co nseguiu passa ai. po is fiz recurso em sentido estrito .co m juntamente co m seus dado s. minha no ta fo i 5. go staria de impetrar também mandado de segurança Responder cice ro mourah d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 23:22 gente vamo s adicio nar uns ao s o utro s e de po sse do espelho de pro va da Iris Co rdeiro entrar co m este MS. desde já lhe agradeço Responder margare t h d is s e : 17 de janeiro de 2012 às 21:09 go staria de ter acesso a essa respo sta da candidata.br. tendo em vista que é mais barato do que impetrar individualmente e para no s o rganizarmo s e retirarmo s qualquer dúvida: NOME: CIDADE: PDFmyURL.

o envio do mesmo para instruir meu mandado de segura. Mas ago ra quero buscar meus Direito s. Meu e_mail: s_andro rj@yaho o . co m a permissão da examianda que realizo u a pro va e o espelo po stado em seu site. respo ndi a 4 questão da mesma fo rma da co lega Iria Co rdeiro . preciso da pagina inteira co m a respo sta e po ntuação desta PDFmyURL. Destarte. se tivesse sido co rrigida co m a mesma po ntuação teria sido apro vado .co m. Enco ntro -me na mesma situação ao caro s co legas que po starem diversas mensagens eu seu site acerca da questão 4 do V Exame Unificado .CIDADE: EMAIL: Vamo s no s o rganizar. Co mo o utro s tanto s aqui. po is. na po ssibilidade.25. a minha no ta fo i 5.com .br Desde já. Maurício . Responder Ale ssandro Ale mida d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 10:00 Bo m dia Dr. Responder José Evandro Alve s da Trindade d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 20:28 Preciso também entrar co m MS. go staria de receber. agradeço Alessandro Responder Gabrie l Marque s d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 12:20 Pro fesso r Maurício .

meu pai irá entrr co m meu MS esto u precisando apenas da pro va para anexar no pro cesso . é muito impo rtante. algum do s no bres co legas que já fez o MS para a pro va de DIREITO PENAL po deria me enviar o mesmo para eu ter no ção de co mo é. gabrielg_co sta@ho tmail. Responder Cle ut on d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 13:26 Bo a tarde a to do s.quarta questão para instruir o MS.com .. se po ssível. Esto u precisando do mesmo já falei c advo gado da família. Email: PDFmyURL. Fiquem tranquilo s. Vo cê o u algum do s leito res po de me enviar? Po sso co nseguir to da a po ntuação que preciso para a apro vação . um abraço no bre maurício que tanto no s ajuda. Responder e st re la d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 12:24 Pro fesso r Maurício po r caridade dispo nibilize o espelho e a pro va da mo ça para anexar em MS. um grande abraço Deus te abenço e.co m pio r do que não saber da no ticia é saber e nao ter acesso ao mesmo pro fesso r. Responder e st re la d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 12:36 se po ssivel manda para estrelaazulcristal@ho tmail.co m Obrigado . o sr po deria mandar o u dispo nibilizar para nó s caro mauricio . não irei co piar nada de ninguém para que não haja prejuízo s. Fico no aguardo . Esto u no aguardo do espelho .

6 5) Respo ndi: “Não . preciso da ajuda do s No bres Co legas que também fizeram a pro va de Trabalho .30 ). faltavam 10 min. e eu estava co m 2 questõ es em branco . Po r favo r. Co ntudo .30 ) e passiva.7. é po ssível qualificar tal mo vimento paredista do s trabalhado res co mo uma greve? (Valo r: 0 . Quesito Avaliado pela Banca * a) Opção A: O mo vimento não po de ser caracterizado co mo greve po r ino bservância do s requisito s materiais e fo rmais de caracterização do mo vimento (0 . po sso dispo nibilizálo .30 ). reco rri e minha no ta fo i majo rada para 5. Na minha sala fo i um entra e sai. Co nfesso . po rque ambas são garantido ras do s crédito s trabalhistas (0 . eu não co nseguia me co ncentrar… enfim… ***Questão 3 – a) Qual é a natureza da respo nsabilidade so lidária das empresas que integram grupo eco nô mico para efeito s da relação de emprego : é ativa e/o u passiva? (Valo r 0 .0 .35) previsto s na Lei 7.9 na pro va de Direito do Trabalho . me co munique (41) 9 6 16 -4745. Acredito que mereceria no ta parcial (0 . segundo da CLT. se alguém tiver respo ndido igual a mim e recebeu no ta. o qual eu parabenizo . Meu recurso fo i impro vido .cleuto nladislau@gmail. Quesito Avaliado pela Banca * a) So lidariedade ativa. para impetrar um MS. Meu recurso fo i impro vido . justamente o que preciso para ficar co m 6 . PDFmyURL. co nfo rme redação da Súmula 129 do TST e parágrafo segundo do art. po is não havia tempo . uma co nfusão … po r causa das pro vas de Penal e Co nstitucio nal…. apó s as precio sas info rmaçõ es do Ilustre Co lega Mauricio Gieseler.6 0 ) Respo ndi: “A natureza da respo nsabilidade so lidária das empresas que integram grupo eco nô mico para efeito s da relação de emprego é passiva. po is fo i apenas um pro testo ”. Alguém recebeu po ntuação co m as mesmas respo stas minha? ***Questão 1 – a) Tendo em vista a Co nstituição Federal e a legislação o rdinária e também o s princípio s do Direito do Trabalho . Para quem quiser o meu espelho de co rreção individual.com .co m Responder José (Curit iba) d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 13:59 Olá Co legas! Fiquei co m 4. po r se tratar de empregado r único (0 .78 3/8 9 (0 . minha respo sta fo i ”po bre”.30 ).

o qual eu parabenizo . Alguém recebeu po ntuação co m as mesmas respo stas minha? ***Questão 1 – a) Tendo em vista a Co nstituição Federal e a legislação o rdinária e também o s princípio s do Direito do Trabalho . Co ntudo . po rque ambas são garantido ras do s crédito s trabalhistas (0 .7.78 3/8 9 (0 . Po r favo r.0 . po r se tratar de empregado r único (0 . po is fo i apenas um pro testo ”. o u uma respo sta muito parecida. justamente o que preciso para ficar co m 6 . para impetrar um MS. Quesito Avaliado pela Banca * a) So lidariedade ativa.com . Grato .30 ). co nfo rme redação da Súmula 129 do TST e parágrafo segundo do art. Quesito Avaliado pela Banca * a) Opção A: O mo vimento não po de ser caracterizado co mo greve po r ino bservância do s requisito s materiais e fo rmais de caracterização do mo vimento (0 . Meu recurso fo i impro vido . reco rri e minha no ta fo i majo rada para 5.Quero entrar co m MS. eu não co nseguia me co ncentrar… enfim… ***Questão 3 – a) Qual é a natureza da respo nsabilidade so lidária das empresas que integram grupo eco nô mico para efeito s da relação de emprego : é ativa e/o u passiva? (Valo r 0 . Meu recurso fo i impro vido . me co munique (41) 9 6 16 -4745. po sso dispo nibilizálo . co m a mesma respo sta minha. minha respo sta fo i ”po bre”. Acredito que mereceria no ta parcial (0 . Na minha sala fo i um entra e sai.6 5) Respo ndi: “Não . Co nfesso . Olá amigo s! Fiquei co m 4.6 0 ) Respo ndi: “A natureza da respo nsabilidade so lidária das empresas que integram grupo eco nô mico para efeito s da relação de emprego é passiva. é po ssível qualificar tal mo vimento paredista do s trabalhado res co mo uma greve? (Valo r: 0 . mas preciso de um co lega que tenha o btido po ntuação nas questõ es acima narradas. co m a mesma respo sta minha. uma co nfusão … po r causa das pro vas de Penal e Co nstitucio nal…. po is não havia tempo .35) previsto s na Lei 7. faltavam 10 min. se alguém tiver respo ndido igual a mim e recebeu no ta. Quero entrar co m MS. e eu estava co m 2 questõ es em branco . preciso da ajuda do s No bres Co legas que também fizeram a pro va de Trabalho .9 na pro va de Direito do Trabalho . Para quem quiser o meu espelho de co rreção individual. apó s as precio sas info rmaçõ es do Ilustre Co lega Mauricio Gieseler. o u uma respo sta muito parecida.30 ).30 ). segundo da CLT. Jo sé Ro drigues Responder PDFmyURL. mas preciso de um co lega que tenha o btido po ntuação nas questõ es acima narradas.30 ) e passiva.

co m. no pró prio padrão de respo sta a banca diz se tratar de crime de dano simples. Mais um erro da banca examinado ra… Responder Lúgubre d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 10:34 PDFmyURL.br Responder Juliano d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 20:42 Esto u na mesmasituação . Co mo po de isso ??? Quero minha po ntuação !!! Responder CAL d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 22:01 A respo sta que deram ao meu recurso fo i de que se tratava de crime de injuria e po r isso o recurso cabivel seria o de Apelação (crime de meno r po tencial o fensivo ).5 e respo ndi co mo a co lega pro tago nista deste artigo . Preciso de 0 . Po rém.Erick d is s e : 18 de janeiro de 2012 às 19:24 URGENTE – Esto u precisando reco rrer de algum o utro po nto além dessa questao 4 da pro va de direito penal para co nseguir a apro vação me ajudem fazendo favo r! meu email é erickcbj@yaho o .com .

Mas. tenho muito interesse.] Responder hudson d is s e : 20 de janeiro de 2012 às 11:11 Srs..Po is é no bres co legas. Responder Examinanda d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 13:44 Eu co lo quei minha respo sta igual ao da co lega . po rque até ago ra ninguém co nseguiu a mesma Responder . Exista algum mo vimento co ncreto a respeito de um po ssivel MS COLETIVO? Fiz a pro va de penal. pelo visto iremo s ficar sem respo stas quanto a pro va da candidataparadigma. acho que fo i meu último . o nde respo nde a respeito do RESE. também não reco rri da questão . Já cansei desse Exame da OAB..com .. É triste. Favo r info rmar a respeito deste MS.. RESE e não po ntuei a questão . Responder PO LYMANT E d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 13:45 PDFmyURL. não recebi nenhuma po ntuação na questão 4. Blog Exame de O rde m » A que bra de isonomia na prova de Dire it o Pe nal: Download do e spe lho e prova d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 12:09 [.] Na última segunda-feira escrevi so bre a quebra da Iso no mia entre o s candidato s que fizeram a pro va subjetiva de Direito Penal – V Exame de Ordem: Co rreção da pro va subjetiva de Direito Penal gero u quebra da Iso no mia entre o s c… [.

Também respo ndi a questão 4 igualmente.co m Grata! Responder João Apare cido Be rt i d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 16:21 Caro pro fesso res e co legas ….br Responder juliana d is s e : 19 de janeiro de 2012 às 13:59 Olá Mauricio ! Po r favo r dispo nibilize para nó s o espelho de respo sta da candidata! No ssa to na mesma situação que vcs! Gente vamo s entrar co m um MS COLETIVO. BRINCADEIRAS A PARTE O CASO É QUE UMAS BOAS PARALIZAÇÕES EM FRENTE àS SECIONAIS NÃO SERIA NADA RUIM QUE ACHAM? CONTATOS: po lymante@yaho o . PRECISAMOS DA IMPRENSA. ONDE ESTÁ O MOVIMENTO DOS CARAS PINTADAS. VAMOS NOS UNIR E DARMOS REPERCUSSÃO À DECISÃO DO MPF TO. ELA ANDA VELADA E ISTO NÃO É NADA BOM.com .co m. creio que po deremo s ter mais chances! Co mo pro cederemo s? Alguém tem mais no ticias… só li o blo g hj ! Meu e-mail: ju_andradec@ho tmail. Go staria de o rientaçõ es so bre co mo devo pro ceder… PDFmyURL.GALERA MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO NELES.

Alguém já impetro u MS.com .co m Responder « 1 2 3 4 » Deixe seu comentário Deixe seu comentário No me (*) Email (não será publicado ) (*) Website Digite as duas palavras: Enviar Co m e nt ário PDFmyURL. Ainda tem pesso as que não o fizeram. Se ho uver alguém co m esse mesmo pro blema. po deriamo s impetrar um MS co letivo … O que acham…? jo ao berti@ho tmail.

eletrô nico o u impresso .To do s o s direito s reservado s É pro ibida a repro dução do co nteúdo desta página em qualquer meio de co municação . sem prévia auto rização .com . PDFmyURL.O Po rt al Quem So mo s Pro fesso res Parceiro s Fale Co no sco Co nt e údo Curso s Online Cadastro Pro vas Antigas Po dcast Web TV Fó rum Livro s Adicio nado s Estatísticas OAB © 20 10 Blo g Exam e de Orde m .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful