BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

LEI 8.213/1991

1

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS? PAGOS AOS SEGURADOS
‡ POR INVALIDEZ;

‡ IDADE;

APOSENTADORIAS
‡TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO; ‡APOSENTADORIA ESPECIAL;
2

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS? PAGOS AOS SEGURADOS

‡ SALÁRIO-FAMÍLIA;

SALÁRIOS
‡ SALARIO-MATERNIDADE;

3

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS? PAGOS AOS SEGURADOS ‡ AUXÍLIO-DOENÇA. AUXÍLIOS ‡ AUXÍLIO-ACIDENTE. 4 .

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS? PAGOS AOS DEPENDENTES ‡ PENSÃO POR MORTE. DEPENDENTES ‡ AUXÍLIO-RECLUSÃO. 5 .

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Artigos 42 a 47 da Lei 8.213/91 6 .

INSS.  7 .  Doença pré-existente à filiação: direito a préfiliação: aposentadoria apenas no caso de progressão ou agravamento.  Pode ou não ser precedida de auxílioauxíliodoença.APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Benefício devido ao segurado que ficar incapaz para o trabalho de forma permanente. agravamento. doença.  Necessidade de Perícia pelo INSS. permanente.

 +25% . com a morte.048/99.  Equivale a 100% do Salário de 100% Contribuição. carência). pensão.APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Carência: Carência: 12 meses (para alguns casos previstos em lei não é exigida a carência). 048/99.Assistência de outra pessoa. Cessa 25% pessoa.  Situações Previstas no Anexo I do Decreto 3. Contribuição. Não se incorpora à pensão.  8 . morte.

Perda dos membros inferiores. Perda de uma das mãos e de dois pés. quando a prótese for impossível. ainda que a prótese seja possível. Perda de um membro superior e outro inferior. acima dos pés. quando a prótese for impossível. Incapacidade permanente para as atividades da vida diária. Doença que exija permanência contínua no leito. Paralisia dos dois membros superiores ou inferiores.APOSENTADORIA POR INVALIDEZ          Cegueira total. 9 . Alteração das faculdades mentais com grave perturbação da vida orgânica e social. Perda de nove dedos das mãos ou superior a esta.

. as seguintes entidades mórbidas: I . assim entendida a produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social.doença profissional. assim entendida a adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente.doença do trabalho. constante da relação mencionada no inciso I. II .10 ACIDENTE DE TRABALHO Consideram-se acidente do trabalho.

haja contribuído diretamente para a morte do segurado. . ou produzido lesão que exija atenção médica para a sua recuperação. embora não tenha sido a causa única.11 ACIDENTE DE TRABALHO Equiparam-se também ao acidente do trabalho  O acidente ligado ao trabalho que. para redução ou perda da sua capacidade para o trabalho.

b) ofensa física intencional. de negligência ou de imperícia de terceiro ou de companheiro de trabalho. e) desabamento. d) ato de pessoa privada do uso da razão. sabotagem ou terrorismo praticado por terceiro ou companheiro de trabalho. em conseqüência de: a) ato de agressão. inclusive de terceiro. incêndio e outros casos fortuitos ou decorrentes de força maior. inundação. . por motivo de disputa relacionada ao trabalho. c) ato de imprudência.12 ACIDENTE DE TRABALHO O acidente sofrido pelo segurado no local e no horário do trabalho.

13 ACIDENTE DE TRABALHO Doença proveniente de contaminação acidental do empregado no exercício de sua atividade .

.14 ACIDENTE DE TRABALHO O acidente sofrido pelo segurado ainda que fora do local e horário de trabalho: a) na execução de ordem ou na realização de serviço sob a autoridade da empresa. b) na prestação espontânea de qualquer serviço à empresa para lhe evitar prejuízo ou proporcionar proveito.

inclusive para estudo quando financiada por esta dentro de seus planos para melhor capacitação da mão-de-obra. inclusive veículo de propriedade do segurado.15 ACIDENTE DE TRABALHO c) em viagem a serviço da empresa. qualquer que seja o meio de locomoção. . independentemente do meio de locomoção utilizado. d) no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela. inclusive veículo de propriedade do segurado.

ou por ocasião da satisfação de outras necessidades fisiológicas. .16 ATENÇÃO Nos períodos destinados a refeição ou descanso. no local do trabalho ou durante este. o empregado é considerado no exercício do trabalho.

I.transformação em A.APOSENTADORIA POR INVALIDEZ  Se o segurado recebia auxílio-doença: laudo auxílio-doença: pericial conclusivo . Invalidez. Individual. Avulso. Início do Recebimento da A. Aposentadoria por Invalidez Empregado Doméstico. Especial e Facultativo ‡16º dia (afastamento) ± ‡Empresa paga 15 primeiros dias ‡Requerimento (+ 30 dias) Inicio da Incapacidade Do requerimento (+ 30 dias) 17 .

Interdição.APOSENTADORIA POR INVALIDEZ       Doença Mental ± Apresentação de Certidão de 6 em e meses sobre processo de Interdição. Obrigação de apresentação para perícia a cada 02 anos. exceto cirúrgico e de transfusão de sangue. O Segurado deve estar afastado de todas as suas atividades. atividades. 6722/08) Submissão a reabilitação profissional. 18 . Retorno voluntário do segurado à atividade: atividade: CANCELAMENTO IMEDIATO!!! Não mais pode ser transformada em Aposentadoria por idade (decreto 6722/08). sangue. anos.

aposentado por invalidez pelo regime geral de previdência social.APOSENTADORIA POR INVALIDEZ (Técnico Moacir. Nessa situação. do Seguro Social/CESPE/UNB/2008) ERRADO 19 . recusa-se a submeter-se a tratamento cirúrgico por meio do qual poderá recuperar sua capacidade laborativa. devido à recusa. Moacir terá seu benefício cancelado imediatamente.

(Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB/2008) ERRADO 20 .APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Tomé já havia contribuído para a previdência social durante 28 anos quando foi acometido de uma doença profissional que determinou sua aposentadoria por invalidez. após ter recebido o auxílio-doença por quatro anos. depois de receber por três anos a aposentadoria por invalidez. Tomé poderá requerer a conversão do beneficio em aposentadoria por tempo de contribuição. Nessa situação.

D. Dentro de 5 anos do auxiliadoença ou Aposentadoria por Invalidez Recuperação Parcial de atividade habitual.I ou A. c) 25% nos outros 6 meses d) Após.D e A. ainda Aptidão apenas para outra função SOLUÇÃO Segurado Empregado: cessação imediata.Invalidez Para todos segurados: a) Integral por seis meses b) 50% nos 6 meses seguintes. cessação definitiva 21 . ou Depois de 5 anos do A. Demais empregados: Tantos meses quantos forem os anos de duração do A.APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Recuperação do Segurado SITUAÇÃO Recuperação total para trabalho habitual e .

contado da data em que for verificada a recuperação da capacidade (FCC/Procurador ALSP/2010) 22 . e) Com redução de 50%.Com relação ao beneficio previdenciário da aposentadoria por invalidez. b) Com redução de 50%. durante seis meses contados da data em que for verificada a recuperação da capacidade. sem prejuízo da volta à atividade. contados da data em que for verificada a recuperação da capacidade. durante seis meses contados da data em que for verificada a recuperação da capacidade. c) Com redução de 75% durante seis meses. durante um ano contado da data em que for verificada a recuperação da capacidade. durante um ano. quando a recuperação for parcial. d) No seu valor integral. a aposentadoria será mantida: a) No seu valor integral.

APOSENTADORIA POR IDADE Artigos 48 a 51 da lei 8.213/91 23 .

Trabalhadores urbanos: os homens têm direito ao benefício aos 65 anos. Categorias de Rurais: empregados. e as mulheres. avulsos contribuintes individuas e o GARIMPEIRO (regime de economia familiar) 24    . Trabalhadores rurais (exceto empresários rurais): os homens têm direito ao benefício aos 60 anos.APOSENTADORIA POR IDADE  Benefício concedido ao trabalhador que alcança a idade avançada. e as mulheres. aos 60 anos. aos 55.

25 .APOSENTADORIA POR IDADE    O valor do benefício é de 70% do salário-debenefício. mais 1% deste por grupo de 12 contribuições.B O valor do benefício deve ser calculado com e sem o fator previdenciário. concedendo-se o que for mais vantajoso para o segurado. não podendo ultrapassar 100% do S. Carência: ter pelo menos por 180 contribuições mensais para a Previdência Social.

APOSENTADORIA POR IDADE Aposentadoria Compulsória: requerida pela empresa. a ser paga pela empresa. de cumprimento de requisitos legais.  Suspensão: uma vez deferida. 70 anos para homens e 65 para mulheres. ainda.  O empregado tem direito à indenização. não pode ser suspensa.  Necessidade.  Cessação: com a morte do segurado.  26 . salvo em caso de fraude.

APOSENTADORIA TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO Artigos 52 a 56 da Lei 8.213/91 27 .

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO  Introduzida pela EC/20/98. salvo se contribuir com individual.  Sistema especial de inclusão previdenciária: MEI e Facultativo (5%) ou com contribuição de 11% sobre o salário mínimo.  Não é devida ao SEGURADO ESPECIAL. 28 .

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO  Para os homens. o período é de 35 anos. 30 anos. do ensino médio e fundamental. e para as mulheres. os professores da educação infantil. 29  Para . o tempo de contribuição é reduzido em 5 anos.

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO IMPORTANTE ADI 3772/DF Diretores e Coordenadores Pedagógicos têm direito à redução de 5 anos. desde que estes cargos sejam exercidos por professores. 30 . não se estendendo para os diretores e coordenadores administrativos que jamais tiverem exercido a docência.

31 . (obrigatório).APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO  Carência de 180 contribuições mensais. mensais.  Salário de benefício: apurado pela benefício: média do 80% maiores salários de 80% contribuição + fator previdenciário (obrigatório).

Deverá. desde que conte 30 ou 25 anos de contribuição e 53 ou 48 anos de idade. completar mais 40% do tempo que. em 16-12-98. ainda. 32 . faltava para atingir 30 ou 25 anos de contribuição. conforme seja homem ou mulher.APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO   REGRA DE TRANSIÇÃO O segurado filiado até 16-12-98 pode optar pela aposentadoria proporcional.

para ter direito a aposentadoria proporcional (70% do S. 5% por ano trabalhado após o preenchimento dos requisitos. logo precisaria cumprir 5 anos + 02 de pedágio.B). com 20 anos de contribuição e 43 anos de idade: Pela CF/88 precisa de 25 de contribuição Faltariam 5 anos + 40% (pedágio)= 2 anos. 33 APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO . que só completará com 50 anos de idade. totalizando 7 anos faltantes.REGRA DE TRANSIÇÃO Ex: Mulher filiada antes de 16/12/98.

34 IN 45/2010 }Será contado como contribuição. }Se decorrente de acidente de trabalho: intercalado ou não é considerado tempo de contribuição . os beneficios por incapacidade recebidos entre períodos de atividade.

haja vista a possibilidade de computar o tempo em sala de aula em quantidade superior ao efetivamente trabalhado. (Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB) ERRADO 35 . dada a natureza especial da prestação de serviço. Nessa situação. Firmino pode requerer o benefício integral de aposentadoria por tempo de contribuição. excluindo-se as regras de transição.Firmino foi professor do ensino fundamental durante vinte anos e trabalhou mais doze anos como gerente financeiro em uma empresa de exportação.

em 1999.. (Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB) Renato CORRETO 36 . o tempo de serviço prestado por Renato em outro regime é contado como tempo de contribuição.era servidor municipal vinculado a regime próprio de previdência social havia 16 anos. desde que haja a devida comprovação. certificada pelo ente público instituidor do regime próprio. próprio. quando resolveu trabalhar na iniciativa privada. Nessa situação. 1999.

APOSENTADORIA ESPECIAL Artigos 57 e 58 da Lei 8.213/91 37 .

de acordo com o nível de exposição a agentes nocivos.APOSENTADORIA ESPECIAL É concedida aos segurados empregados. aos trabalhadores avulsos. e contribuintes individuais (cooperados) que tenham trabalhado em condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física durante 15. 38 . 20 ou 25 anos.

APOSENTADORIA ESPECIAL 
Alíquotas

conforme grau de exposição (6%, 9% ou 12%) a agentes nocivos; Cooperativa de trabalho: 5, 7 ou 9%; Domésticos: não tem direito a este benefício Carência: 180 contribuições mensais; O valor da aposentadoria corresponde a 100% do salário-de-benefício.
39

APOSENTADORIA ESPECIAL 
Conversão

entre atividades especiais e de especial para comum: possibilidade; Conversão de comum para especial: impossibilidade; Carência: 180 contribuições Aposentado especial que volte a trabalhar com exposição de agentes nocivos: benefício suspenso; A exposição deve ser permanente; Afastamento por incapacidade, licença maternidade e férias: Contagem para efeitos legais
40

deverá comprovar a exposição permanentes aos agentes nocivos químicos, físicos e biológicos; Perfil Profissiográfico Previdenciário. Obrigatoriedade a partir de 2004. Empregados, avulsos e cooperados; constar no PPP; 
Fornecimento Fornecimento PPP: 

Segurado

APOSENTADORIA ESPECIAL

de EPI¶s: informação deve

ao trabalhador de cópia deste documento quando da rescisão do CT ou desligamento do cooperado;
41

42 .SÚMULA 09 DA TURMA NACIONAL DE UNIFORMIZAÇÃO O uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI). ainda que elimine a insalubridade. no caso de exposição a ruído. não descaracteriza o tempo de serviço especial prestado.

APOSENTADORIA ESPECIAL  O segurado que retornar ao exercício de atividade ou operações que o sujeitem aos agentes nocivos ou nele permanecer. Não há impedimento para retorno em outra atividade comum. ou categoria de segurado. qualquer que seja a forma de prestação do serviço. na mesma ou em outra empresa. a partir da data do retorno à atividade. terá o seu benefício cessado (suspenso). 43 .

44 .Quanto à aposentadoria especial. equivalente a 100% do salário-de-benefício do segurado. pois o recolhimento deste segurado é sempre presumido. a) Entre as espécies de aposentadoria especial. assinale a alternativa correta. e) O valor da aposentadoria especial será. b) A concessão de aposentadoria especial ao segurado empregado dispensa qualquer tipo de comprovação perante o INSS. d) O período em que o segurado está de férias não é computado com tempo de efetiva exposição a agente nocivo. sempre. c) A aposentadoria especial para as mulheres é em menor tempo frente aos homens. pode-se citar. a aposentadoria especial do professor que exerça atividade exclusiva de ensino fundamental ou médio. a título de exemplo.

desegurado. 45 .ALTERNATIVA CORRETA e) O valor da aposentadoria especial será. equivalente a 100% do salário100% saláriode-benefício do segurado. sempre.

Nessa situação. ele deverá instruir seu pedido com o perfil profissiográfico previdenciário. (Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB) CORRETO 46 . documento emitido pela empresa em que trabalha e embasado no laudo técnico das condições ambientais do trabalho que comprove as condições para habilitação de benefícios previdenciários especiais.Getúlio julga-se na condição de requerer aposentadoria especial.

Nessa situação. cujo tempo de contribuição é mitigado. a condição de Leandro é suficiente para que ele esteja habilitado ao recebimento de aposentadoria especial. segurado da previdência social.(Técnico Leandro. recebe adicional de periculosidade da empresa em que trabalha. do Seguro Social/CESPE/UNB) ERRADO 47 .

de forma não-ocasional nem intermitente. tempo em que não esteve exposto aos agentes nocivos. a fim de completar a carência. Nessa situação.(Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB) João trabalha. ERRADO 48 . João terá direito a requerer. converter tempo comum trabalhado anteriormente. aposentadoria especial. há dez anos. a agentes químicos nocivos. em tempo de contribuição para a aposentadoria do tipo especial. sendo-lhe possível. no futuro. exposto. isto é.

já que trabalha em condições especiais prejudiciais a sua saúde.49 O trabalhador de empresa de conservação e limpeza que presta serviço de conservação e limpeza que presta serviços a diversos hospitais e que recebe adicional de insalubridade. (Procurador do Municipio de Aracaju ± CESPE/UNB/2008) ERRADO . manter contato com lixo hospitalar de natureza tóxica. tem direito a aposentar-se com tempo reduzido de contribuição. eventualmente. por.

213/91 50 .SALÁRIOS Artigos 65 a 70 da lei 8.

ou inválido de qualquer idade . Demais aposentados a partir de 65 anos. se mulher. ‡ Aposentados: Por Invalidez e Idade.SALÁRIO FAMÍLIA ‡ Benefício pago aos trabalhadores e aos aposentados de baixa renda para ajudar na manutenção dos filhos. (se eram empregados ou avulsos) ‡ Têm direito ao benefício o segurado empregado e o trabalhador avulso que tenham filhos ou equiparados de até 14 51 anos. se homem e 60.

‡ A empresa compensará quando do recolhimento das contribuições previdenciárias. ‡ As cotas serão pagas pela empresa. junto com o salário.SALÁRIO FAMÍLIA ‡ É necessária a apresentação anual do atestado de vacinação para crianças e de freqüência escolar (semestral). (arquivo 10 anos dos comprovantes) 52 .

‡ Segurados aposentados por invalidez ou em gozo de auxíliodoença: pagamento pelo INSS 53 .F através do Sindicato. ambos receberão a cota.SALÁRIO FAMÍLIA ‡ O trabalhador avulso poderá receber sua cota do S. ‡ Se os genitores forem segurados empregados ou avulsos. ‡ O pagamento da cota independe dos dias trabalhados no mês.

Recuperação do inválido ( mês seguinte). salvo se inválido (mês seguinte a data de aniversário). Desemprego. 54 . Atinge 14 anos de idade.SALÁRIO FAMÍLIA CAUSAS DE INTERRUPÇÃO Morte do filho ou equiparado ± mês seguinte ao do óbito.

SALÁRIO FAMÍLIA CAUSA DE SUSPENSÃO Falta de entrega da renovação da documentação (atestado de vacinação e freqüência escolar). Se comprovar a vacinação e a freqüência escolar no período de suspensão ± recebimento das cotas suspensas. 55 .

em regra. quando o filho for inválido. permanece até a idade de 14 anos do filho. cessando automaticamente quando este completa 15 anos. e) O salário-família será mantido sem limite de idade. conforme o caso. a) O pagamento do salário-família será devido a partir da data da apresentação da certidão de nascimento do filho ou da documentação relativa ao equiparado. caso o menor esteja sob sua dependência econômica e seja comprovada a freqüência escolar e a vacinação obrigatória. estando condicionado à apresentação anual de atestado de vacinação obrigatória. até seis anos de idade. 56 . b) O salário-família é devido ao segurado empregado. e de comprovação semestral de freqüência à escola do filho ou equiparado. c) O salário-família será pago a empregado que tenha filho de idade inferior a 14 anos. d) O direito ao recebimento do salário-família pelo segurado. a partir dos sete anos de idade.Assinale a alternativa INCORRETA.

em regra.ALTERNATIVA INCORRETA d) O direito ao recebimento do salário-família pelo segurado. permanece até a idade de 14 anos do filho. 57 . cessando automaticamente quando este completa 15 anos.

de acordo com a legislação previdenciária.Indique qual dos benefícios listados abaixo. é reembolsado à empresa a) Auxílio-acidente. e) Aposentadoria por Invalidez (Auditor da Receita Federal ± ESAF/2005) 58 . b) Aposentadoria por idade c) Pensão por morte. d) salário-família pago aos segurados a seu serviço.

aos 59 .ALTERNATIVA CORRETA d) salário-família pago segurados a seu serviço.

PROVA TÉCNICO DO SEGURO SOCIAL/CESPE/UNB Carmen é segurada do regime geral da previdência social e está em gozo de auxílio-doença. CORRETO 60 . Carmen também tem direito de receber o saláriofamília pago diretamente pela previdência social. Nessa situação.

além de serem considerados trabalhadores de baixa renda. trabalham e são segurados do regime geral da previdência social. dois filhos. ERRADO 61 .PROVA TÉCNICO DO SEGURO SOCIAL/CESPE/UNB Rubens e sua esposa Amélia têm. Nessa situação. o saláriofamília somente será pago a um dos cônjuges. juntos.

Dalila não tem o direito de receber esse benefício. CORRETO 62 . Nessa situação. apesar de ser considerada trabalhadora de baixa renda.PROVA TÉCNICO DO SEGURO SOCIAL/CESPE/UNB Dalila. tem três filhos. mas não recebe salário-família. que é empregada doméstica e segurada do regime geral da previdência social.

SALÁRIO MATERNIDADE 63 .

SALÁRIO MATERNIDADE Todas as seguradas da Previdência Social têm direito ao saláriomaternidade 64 .

se a criança tiver até 1 ano de idade.SALÁRIO MATERNIDADE ‡ Será devido à segurada por 120 dias. ± 91 dias depois do PARTO. 65 . com início: ± 28 dias antes do PARTO. e ± de 30 dias se a criança tiver de 4 a 8 anos de idade. ± de 60 dias se a criança tiver de 1 a 4 anos de idade. ‡ Para a segurada que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança é devido o salário-maternidade: ± de 120 dias.

Para as individuais e facultaivas. apurados nos últimos 15 meses. o saláriomaternidade corresponde ao último salário-de-contribuição (com teto da Prev.Limite só do STF Para as domésticas.). correspondente à média dos últimos 12 salários-de-contribuição (com teto da Prev).SALÁRIO MATERNIDADE Para trabalhadoras empregadas e avulsas o salário-maternidade corresponde à última remuneração (sem teto) . Segurada especial: 01 Salário Mínimo 66 .

Contribuintes individuais e facultativa: 10 meses. 67 . Seguradas domésticas e avulsas: não é exigida carência. Segurada especial: comprovação de 10 meses de efetivo exercício de atividade rural.SALÁRIO MATERNIDADE CARÊNCIA empregadas.

a segurada terá direito a 2 semanas. ‡ No caso de aborto não criminoso ou natimorto (antes do 6º mês de gestação).SALÁRIO MATERNIDADE CONSIDERAÇÕES GERAIS ‡ Em caso de parto antecipado. a segurada continua com direito aos 120 dias. 68 .

SALÁRIO MATERNIDADE CONSIDERAÇÕES GERAIS EM CASOS EXCEPCIONAIS. podem ser aumentados em duas semanas. 69 . os períodos anteriores e posteriores ao parto.

a segurada terá direito a 120 dias. Empregada: Pagamento pela Empresa. 70 . No caso de empregos concomitantes. a segurada fará jus ao salário-maternidade relativo a cada emprego.SALÁRIO MATERNIDADE CONSIDERAÇÕES GERAIS No caso de natimorto (após o 6º mês de gestação).

71 .IMPORTANTE A segurada aposentada que retornar à atividade fará jus ao pagamento do saláriomaternidade (art. 103 do RPS).

SALÁRIO MATERNIDADE ATENÇÃO!! Não é possível a acumulação do salário-maternidade com benefício por incapacidade. (auxílio-doença e aposentadoria por invalidez). Suspensão do pagamento OU Adiamento do início após 120 dias 72 .

será pago diretamente pela Previdência Social.470/2011. de 14 de dezembro de 2006. Lei 12. 18-A da Lei Complementar no 123. .73 }O salário-maternidade devido à trabalhadora avulsa e à empregada do microempreendedor individual de que trata o art.

e) O benefício salário-maternidade dispensa o cumprimento de carência por parte da segurada contribuinte individual. d) A segurada aposentada que retornar à atividade fará jus ao pagamento do salário-maternidade. ou terá sua data de início adiada para o primeiro dia seguinte ao término do período de cento e vinte dias. conforme o caso. 74 . a segurada fará jus ao salário-maternidade relativo a cada emprego. b) No caso de empregos concomitantes.SALÁRIO MATERNIDADE Assinale a alternativa incorreta. deverá ser suspenso enquanto perdurar o referido pagamento. o benefício por incapacidade. c) Quando ocorrer incapacidade em concomitância com o período de pagamento do salário-maternidade. a) A empresa pagará o salário maternidade diretamente à segurada empregada.

SALÁRIO MATERNIDADE ALTERNATIVA CORRETA e) O benefício salário-maternidade dispensa o cumprimento de carência por parte da segurada contribuinte individual. 75 .

76 Médico perito do INSS-2005 . quando se tratar do nascimento de gêmeos. e) Será pago juntamente com o auxílio doença quando ocorrer incapacidade concomitante ao período de pagamento do benefício.O . b) É devido por 90 (noventa) dias.SALÁRIO MATERNIDADE salário maternidade: a) É indevido à mãe adotiva quando a mãe biológica tiver recebido o mesmo benefício por ocasião do nascimento da criança. d) Poderá ser prorrogado por duas semanas nas situações que exista risco de vida para o feto. c) Será concedido em duplicidade. a criança ou à mãe. quando a adoção referir-se à criança com idade de até 4 anos.

77 . a criança ou à mãe.SALÁRIO MATERNIDADE ALTERNATIVA CORRETA d) Poderá ser prorrogado por duas semanas nas situações que exista risco de vida para o feto.

Rute terá direito a dois salários-maternidade. adotou gêmeas recém-nascidas cuja mãe falecera logo após o parto e que não tinham parentes que pudessem cuidar delas. impossibilitada de ter filhos. ERRADO 78 . professora em uma escola particular. Nessa situação.Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB Rute.

Nessa situação. CORRETO 79 .Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB Helena. Helena terá direito ao salário-maternidade em relação a cada uma das empresas. mesmo que a soma desses valores seja superior ao teto dos benefícios da previdência social. grávida de nove meses de seu primeiro filho. trabalha em duas empresas de telemarketing.

uma menina de 9 anos de idade.Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB Adriana. CORRETO 80 . Adriana não tem direito ao saláriomaternidade. Nessa situação. adotou Paula. segurada da previdência.

AUXÍLIOS AUXILIO-DOENÇA AUXÍLIO-ACIDENTE AUXÍLIO.RECLUSÃO 81 .

AUXÍLIO DOENÇA CONCEITO É o benefício recebido pelo segurado que ficar incapacitado para o seu trabalho ou para a sua atividade habitual por mais de 15 dias consecutivos. 82 .

Não poderá ser inferior ao salário mínimo se substituir o salário-de-contribuição ou o rendimento do trabalho.  Incapacidade constatada por perícia médica oficial.  Não será devido no caso de doença préexistente. 83  Todos os beneficiários da Previdência Social . Renda Mensal: 91% do Salário-de-benefício.AUXÍLIO DOENÇA tem direito a este benefício. sob pena de suspensão do benefício.  O segurado deverá se submeter a exame médico e reabilitação profissional.

AUXÍLIO DOENÇA AUXÍLIO-DOENÇA ESPÉCIES ACIDENTÁRIO Não há carência ORDINÁRIO OU PREVIDENCIÁRIO Carência 12 CM Acidente de Trabalho Doença do Trabalho (perda audição) Doença Profissional (LER) Eventos de Natureza não ocupacional 84 .

AUXÍLIO DOENÇA ± INICIO DO PAGAMENTO Primeiros 15 dias de afastamento Empresa paga o salário INSS paga o auxíliodoença Auxíliodoença Empregado A partir do 16º dia afastamento Afastamento dentro de 60 dias do retorno ao trabalho pela mesma doença INSS paga o auxíliodoença. a partir da data do afastamento 85 .

AUXÍLIO DOENÇA ± INICIO DO PAGAMENTO DEMAIS SEGURADOS INÍCIO DA INCAPACIDADE OU DATA DO REQUERIMENTO (+ DE 30 DIAS) 86 .

sua transformação em não cabendo aposentadoria por invalidez. atividades. E Atividades Atividades iguais: será afastado de todas se o segurado exerce várias atividades e fica definitivamente incapacitado somente em uma delas? Será mantido o auxílio-doença indefinidamente.AUXÍLIO DOENÇA diferentes: será afastado somente da atividade que deu causa ao auxílio-doença. 87 .

88 Com . Com a transformação em aposentadoria por invalidez.AUXÍLIO DOENÇA QUANDO CESSA O AUXÍLIO-DOENÇA? a recuperação da incapacidade.  O segurado que sofreu acidente de trabalho tem direito a manutenção do seu contrato por 12 meses após a cessação do benefício. e Com a transformação em auxílio-acidente (quando resultar seqüela que implique redução da capacidade de trabalho que habitualmente exercia).

questão (Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB/2008) Um segurado empregado do regime geral que tenha sofrido acidente no trajeto de sua casa para o trabalho tem direito ao recebimento do auxílio-doença pela previdência social a partir do primeiro dia de afastamento do trabalho. ERRADO 89 .AUXÍLIO DOENÇA .

b) Exige a incapacidade total e provisória para o exercício das atividades laborativas habituais. e) É devido. c) É devido aos segurados empregados desde o afastamento das atividades. desde o requerimento. a contar do 16º dia. aos segurados empregados e domésticos 90 .questões (Médico perito do INSS-2005) O auxílio-doença: a) Exige a incapacidade total e provisória para o exercício de todas as atividades laborativas.AUXÍLIO DOENÇA . d) É devido aos segurados especiais.

questões Uma segurada empregada que tenha ficado afastada do serviço durante dezoito meses em virtude de um acidente de trabalho não pode ser demitida durante os primeiros doze meses após seu retorno às atividades laborais. (Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB) CORRETO 91 .AUXÍLIO DOENÇA .

acidentário). segurado especial que sofram lesões ou apresentem seqüelas de acidentes de qualquer natureza (auxílio-acidente (auxílioprevidenciário) ou acidente de trabalho (auxílio(auxílio-acidente acidentário). trabalhador avulso. O Segurado empregado doméstico e individual não recebe esse benefício: benefício:  92 .AUXÍLIOAUXÍLIO-ACIDENTE  Benefício devido como indenização ao segurado empregado.

AUXÍLIOAUXÍLIO-ACIDENTE ATENÇÃO O AUXÍLIO-ACIDENTE É DEVIDO EM AUXÍLIODECORRÊNCIA DE ACIDENTE DE QUALQUER NATUREZA E NÃO APENAS EM CASO DE ACIDENTE DE TRABALHO 93 .

AUXÍLIOAUXÍLIO-ACIDENTE
ser acumulado com outros benefícios pagos pela Previdência, com exceção de aposentadoria. não pode ser cumulado com o auxíliodoença quando decorrer da mesma causa (mesma doença). Pode ser cumulado com o auxílio-doença originado de outra doença. 
Também Pode

for concedida a aposentadoria, o valor do auxílio-acidente será computado como saláriode-contribuição. .
94 

Quando

AUXÍLIOAUXÍLIO-ACIDENTE 

Sempre será precedido do auxílio-doença; auxílio-doença; é exigido o cumprimento do período de valor corresponde a 50% do salário-de50% salário-dedesempregado tem direito a 

Não

carência. carência. 
Seu

benefício. benefício. 
Segurado

receber esse benefício (Decreto 6.722/08) 722/08)
95

AUXÍLIOAUXÍLIO-ACIDENTE - QUESTÕES Marcela, empregada doméstica, após ter sofrido grave acidente enquanto limpava a vidraça da casa de sua patroa, recebeu auxílio-doença por auxíliotrês meses. Depois desse período, foi meses. comprovadamente constatada a redução de sua capacidade laborativa. Nessa situação, laborativa. Marcela terá direito ao auxílio-acidente auxíliocorrespondente a 50% do valor que recebia a 50% título de auxílio-doença. auxílio-doença.
(Técnico do Seguro Social/CESPE/UNB) Social/CESPE/UNB)
96

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful