01.

(OAB/SP - 2000) "A" e "B" obrigaram-se a entregar a "C" e "D" um boi de raça, que fugiu por ter sido deixada aberta a porteira, por descuido de "X", funcionário de "A" e "B". Podese dizer que a obrigação é: a) indivisível, que se tornou divisível pela perda do objeto da prestação, com responsabilidade dos devedores "A" e "B", pela culpa de "X", seu funcionário. b) solidária, com responsabilidade dos devedores "A" e "B", por culpa de seu funcionário, ante a perda do objeto da obrigação. c) indivisível, tornando-se divisível com o perecimento do objeto, sem culpa dos devedores "A" e "B" e sem responsabilidade destes. d) simplesmente, divisível com o perecimento do objeto da prestação, respondendo objetivamente "A" e "B" pela culpa de seu empregado "X". 02. (OAB/PB - 2004) O Código Civil estabelece, com relação às obrigações divisíveis e indivisíveis que: a) diante da pluralidade de credores, sendo indivisível a prestação, o devedor se desobrigará pagando a apenas um deles, desde que este lhe dê caução de ratificação dos outros credores. b) havendo dois ou mais devedores, cada um será responsável pela dívida toda, mesmo que a prestação seja divisível. c) quando se trata de obrigação divisível, o credor deverá recebê-la por partes do devedor. d) quando indivisível, a obrigação resolvida em perdas e danos não se descaracteriza como tal. 03. (OAB/PR - 2003) Assinale a alternativa INCORRETA: a) Obrigação é a relação jurídica na qual um determinado sujeito se obriga a realizar uma prestação em favor de outro, e o conteúdo desta prestação não é necessariamente patrimonial, pois existem obrigações cuja prestação não é de caráter patrimonial. b) Nas obrigações de dar a coisa certa, se esta se perder por culpa do devedor, este responderá pelo equivalente, mais perdas e danos. c) A solidariedade não se presume; resulta da lei ou da vontade das partes. d) A obrigação de fazer é aquela que vincula o devedor à prestação de um serviço ou à realização de um ato positivo, material ou imaterial, seu ou de terceiro, em beneficio do credor ou de terceira pessoa. Trata-se de uma obrigação positiva. 04. (OAB/MS - 2004) Assinale a questão correta: a) Quando a obrigação for divisível, só incorre na pena (cláusula

exceções essas que se transferem ao assuntor como efeito da própria assunção da dívida. não subsistindo mesmo que o devedor primitivo concorde expressamente com ela.penal) o devedor ou herdeiro do devedor que a infringir. independe da anuência expressa do credor. (TJ/SC . d) no domicílio do devedor. o pagamento efetuar-se-á: a) em se tratando de prestações periódicas alternadamente no domicílio do devedor e do credor. e) no domicílio do credor. d) O consignatário. ainda que reiteradamente feito em outro local. ou em razão da natureza da obrigação. c) O credor tem direito a exigir e receber de um ou de alguns dos devedores. a critério deste. por terceiro. está sujeito a sofrer penhora por parte de seus credores sobre a coisa que está em seu poder. importará renúncia da solidariedade a propositura de ação pelo credor contra um ou alguns dos devedores. e) Em se tratando de imóvel hipotecado aquele que o adquirir pode tomar a seu cargo o pagamento do débito garantido. podendo porém o devedor fazê-lo noutro local. não impugnar essa transferência no prazo de 30 (trinta) dias.2003) Salvo disposição legal ou contratual em contrário ou diferente. c) As garantias especiais. b) A um dos credores solidários pode o devedor opor exceções pessoais oponíveis aos outros. d) O novo devedor pode opor ao credor as exceções pessoais que cabiam ao devedor primitivo. qual a correta. 05. notificado. validando-se a transferência do débito se o credor. b) no domicílio do credor. considerando-se as disposições do Código Civil/2002: a) A validade da assunção de uma dívida. independente de Ter pago ou não integralmente o preço. a dívida. originariamente dadas pelo devedor primitivo ao credor extinguem-se a partir da assunção por terceiro da dívida garantida. no contrato de consignação. não fazendo isto presumir renúncia a disposição contratual. c) indistintamente no domicílio do credor ou do devedor. e proporcionalmente à sua parte na obrigação. ficando a sua obrigação intacta até que o assuntor cumpra a obrigação. desde que não haja prejuízo para aquele. parcial ou totalmente. (Defensoria Pública/MA . mas se reiteradamente feito em outro local faz presumir renúncia do credor relativamente ao previsto no contrato. 06. . b) A assunção da dívida não exonera o devedor primitivo.2003) Assinale. entre as afirmações a seguir.

2003) Nos contratos de execução continuada ou diferida. marque a alternativa CORRETA. estando revogadas as exceções antes previstas na legislação especial. se a parte que as recebeu não executar o contrato. para não ferir o princípio da autonomia da vontade.07. II. se a prestação de uma das partes se tornar excessivamente onerosa. juros e honorários de advogado. em virtude de acontecimentos extraordinários e imprevisíveis. com extrema vantagem para a outra. 08. poderá a que as deu haver o contrato por desfeito. exonerado definitivamente o devedor primitivo e extintas.2004) Leia com ATENÇÃO as proposições abaixo. Nas arras penitenciais. com o consentimento expresso do credor. Considerando as proposições supra. automaticamente. a resolução não poderá ser evitada. é nula toda e qualquer convenção de pagamento em ouro e moeda estrangeira. III. Não é admissível indenização suplementar. ainda que anulada a substituição. (TJ/MG . d) a resolução judicial só será admissível se o autor comprovar que já cumpriu pelo menos 40% (quarenta por cento) de sua obrigação. a) por se tratar de direito potestativo da parte prejudicada. e exigir sua devolução mais o equivalente. ainda que o réu na ação de resolução ofereça modificar eqüitativamente as condições do contrato. Segundo o novo Código Civil brasileiro. b) os efeitos de sua resolução judicial retroagirão à data da citação. bem como para compensar a diferença entre o valor desta e o da moeda nacional. c) o Juiz só poderá acolher o pedido de resolução se houver concordância do réu. e) a resolução judicial só produzirá efeitos a partir do trânsito em julgado da sentença. Nas obrigações em que há solidariedade ativa. todas as garantias que não se restabelecem. pode o devedor opor a um dos credores solidários as exceções pessoais oponíveis aos outros. com atualização monetária segundo índices oficiais regularmente estabelecidos. ficando. Pode terceiro assumir a obrigação do devedor. a) Todas as proposições são verdadeiras. IV. (Defensoria Pública/MA . I. . nesta hipótese. b) As proposições I e II são verdadeiras.

2003) Considerando os dispositivos do Código Civil de 2002. (TJ/MG . o julgamento favorável a um dos credores solidários aproveita os demais credores solidários. tal como contraído. b) os devedores solidários não culpados respondem somente pelo encargo de pagar o equivalente. b) O julgamento contrário a um dos credores solidários atinge todos os demais credores solidários. por força de lei ou por convenção entre credor e devedor não podem ser objeto de cessão. assinale a alternativa correta: a) O devedor pode opor a todos os credores solidários as exceções pessoais que tiver contra um deles. c) De regra. d) Todas as proposições são falsas. "A cessão de crédito enfoca a substituição. Sobre esta cessão é INCORRETO afirmar que: a) pode ocorrer a título oneroso ou gratuito. por ato entre vivos. antes de notificar o devedor. 10.2003) A transmissibilidade das obrigações pode se dar por vontade das partes. b) o crédito é transferido intacto. passando o devedor que impossibilitou a prestação a responder isoladamente pelo encargo de pagar o equivalente e pelas perdas e danos decorrentes. c) os créditos inalienáveis por natureza. d) os devedores solidários não culpados respondem somente por perdas e danos decorrentes da impossibilidade. aproveita aos demais credores solidários. . e) As proposições I.c) As proposições I. III e IV são verdadeiras. nas cessões onerosas. a) subsiste para todos o encargo de pagar o equivalente e as perdas e danos decorrentes da impossibilidade. (Sílvio de Salvo Venosa). e) o cessionário não pode tomar medidas protetivas de seu crédito. d) o cedente garante ao cessionário a existência do crédito. e) A conversão da prestação em perdas e danos faz desaparecer a solidariedade ativa. da figura do credor". 09. (TJ/SP . (TJ/SC . d) Mesmo que o julgamento favorável a um dos credores solidários se funde em exceção pessoal ao credor que o obteve.2003) Tornando-se impossível a prestação por culpa de um dos devedores solidários. II e IV são verdadeiras. c) fica insubsistente a solidariedade passiva. 11.

c) I e II. III. A concentração de débito. II. e) II e III. é correto afirmar-se que: a) a relação paciente-hospital é regulada pela responsabilidade civil subjetiva. não pode pedir o reembolso. a) somente a I e a II estão corretas. 13. d) I e V.2002) Em matéria obrigacional. quanto à relação paciente-médico e à relação paciente-hospital. c) somente a II e a IV estão corretas. APENAS está correto o que se afirma em a) III e IV. (MP/RS . nas cirurgias plásticas de correção de defeito físico e embelezamento. I . b) somente a I e a IV estão corretas.12. III .a transmissibilidade automática constitui uma das características das obrigações ambulatórias. b) IV e V. (Procuradoria/BA .o terceiro não interessado. O devedor só pode compensar com o credor o que este lhe deve. II . O pagamento feito ao credor aparente é válido. IV . que paga a dívida em nome e por conta do devedor.é válido o pagamento feito de boa-fé ao herdeiro aparente. ou quando estiver em mora. IV. V. na obrigação de dar coisa incerta. Uma das características da transação é a sua divisibilidade. ocorre no momento da escolha da prestação devida. Na obrigação de dar coisa certa.o devedor não responde pelos prejuízos resultantes de caso fortuito ou força maior.2002) I. mesmo provando-se depois que não era credor. julgue as asserções abaixo e assinale a alternativa correta. d) todas estão corretas.2001) À solução de questões que envolvem danos decorrentes de erro médico. . exceto quando se houver por eles responsabilizado. o devedor só pode substituir a prestação oferecendo uma mais valiosa ao credor. (TRF . ainda que quando haja prova subseqüente da sua condição. mas o fiador não pode compensar sua dívida com a de seu credor ao afiançado. 14.

08. 10. 14. salvo prova de intervenção de fator imprevisível. A A A A C D B D E B C E D C . força maior ou caso fortuito. 09. c) a obrigação resultante da relação paciente-médico é de resultado. d) a obrigação resultante da relação paciente-médico é sempre de meio. e) nenhuma das alternativas anteriores está correta. 04. 06. 02. 05. Gabarito: 01. 03. 12.b) a relação paciente-médico não é contratual. 07. 13. 11.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful