Você está na página 1de 6
SEMINÁRIO ANGLICANO TEOLÓGICO DA PARAÍBA SAT-PB DISCIPLINA: PRINCIPIOS BÁSICOS DE LIDERANÇA PROF: MÁRCIO MEIRA, REV.

SEMINÁRIO ANGLICANO TEOLÓGICO DA PARAÍBA SAT-PB

DISCIPLINA: PRINCIPIOS BÁSICOS DE LIDERANÇA

PROF: MÁRCIO MEIRA, REV.

SEMINARISTA: PATRICIA AGUIAR DE OLIVEIRA

AS 21 IRREFUTÁVEIS LEIS DA LIDERANÇA

JOÃO PESSOA-PB JUNHO 2011

Resenha do livro de John Maxwell, As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança, trad.

Alexandre Martins. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2007. 334p. Original

em inglês: The 21 irrefutable laws of leadership.

OLIVEIRA, Patricia Aguiar 1

Neste livro, considerado um Bestseller e incluso na lista dos mais vendidos, pelo Wall Street Journal, The New York Times e da Business Week, o autor, John Maxwell, faz uma ligação entre a prática da teoria, e entre a ação da reflexão sobre liderança demonstrando como as leis propostas são realmente irrefutáveis. Este livro é capaz de auxiliar o leitor a desenvolver melhor suas técnicas e práticas de liderança, além de constituir-se também como uma ferramenta excepcional para a formação de outros líderes, afinal o legado de um líder precisa continuar. E perguntas como “Você se considera um verdadeiro líder?” e “Como os seus liderados o vêem?” são duas questões cruciais para o verdadeiro exercício da liderança no mundo globalizado do século 21. John Maxwell é um líder nato e um empreendedor testado e aprovado. Como fundador da Injoy Stewardship Services e EQUIP, todo ano ajuda milhares de pessoas a maximizar seu potencial vocacional na área de liderança. Usando exemplos extraídos da própria experiência como líder, o autor leva o leitor a pôr em prática a autêntica liderança, partilhando frutos, beneficiando-se e a seus liderados com os resultados obtidos. Sua fórmula permite o exercício do poder de forma eficiente e eficaz mostrando que seguir as 21 leis é a maneira mais segura de se adequar ao perfil do líder moderno. Nessa resenha irei abordar 8 das 21 Leis Irrefutáveis, que podem ser aplicada em todos os níveis de liderança, são elas:

A lei do limite Contando a história dos irmãos McDonald, o autor coloca a Lei do Limite como o mais importante princípio de liderança que o livro ensina, pois ela ajuda na compreensão do valor da liderança. A capacidade de liderança determina o grau de eficácia de cada pessoa. Quem deseja alcançar o ponto mais alto na sua liderança, deve ultrapassar os limites encontrados pelo caminho. A eficácia pessoal e da organização é proporcional a força da liderança. É por isso que em tempos de dificuldades, as organizações naturalmente procuram uma nova liderança. O líder deve desenvolver habilidade com as pessoas, planejando e elaborando estratégias com visão afim de obter resultados eficazes. Podemos citar o exemplo dos reis Saul e Davi. Porque Saul falhou e Davi foi bem sucedido. Enquanto Davi superou limites, Saul manteve sua liderança limitada. Saul e Davi reagiram de maneira muito diferente quando confrontados com suas limitações. Quando Samuel repreendeu Saul por realizar ofertas queimadas inapropriadas a Deus, o rei não expressou tristeza nem arrependimento. Davi possuía um coração bem diferente. Quando Natã o confrontou o rei depois do sórdido episódio com Bete Seba, Davi ficou quebrantado e arrependeu-se profundamente.

1 Aluna do Seminário Anglicano Teológico da Paraíba SAT-PB

A lei da influência Utilizando agora o exemplo de Madre Tereza de Calcutá, uma freira que criou uma organização: Missionárias da Caridade, que abriu filial em todo o mundo, cujo o lema principal era amar uns aos outros e cuidar uns dos outros. Maxwell nos mostra que se você não tiver influência, nunca conseguirá liderar os outros. Sua influência veio através do exemplo, ela mostrou que era importante fazer doações para instituições de caridade, antes, porém, ela preconizou que devemos doar a nós mesmos para o serviço de caridade. Ensinava também que não devemos colocar os interesses pessoais em primeiro lugar, pois assim nos tornamos egoístas, egocentristas, soberbos, arrogantes. Numa conferência da ONU mesmo não tendo a concordância de todos, ninguém ousou questioná-la. Foi a pessoa mais respeitada da época. A Lei da

Influência nos diz que quando um verdadeiro líder fala os outros escutam. Os títulos não têm tanta importância quanto o respeito ao liderar. A liderança é conquistada, jamais pode ser imposta. Ser líder não é só estar na frente, mas é ter pessoas agindo através da sua visão. Não é a posição que faz o líder; é o líder que faz a posição. (Stanley Huffty). Devemos usar como base da influência positiva sobre as pessoas o caráter.

A verdadeira liderança sempre começa dentro da pessoa. As pessoas conseguem

sentir a profundidade do caráter do líder e ele deve moldado segundo Gl. 5:22, com os Frutos do Espírito. O caráter reflete quem é o líder, que pode ser refletido em

seus seguidores. Entre os 10 espias que examinaram Canaã, somente Josué e Calebe

acreditaram que os israelitas poderiam tomar posse da terra. Josué motivou o povo

a ir em frente. A sua influência cresceu por causa de seu relacionamento com

Moisés, porque possuía paciência e integridade e porque ele era correto. Liderança tem tudo haver com influência, e Josué demonstrava que a influência esta associada ao caráter e à convicção. A verdadeira medida de liderança é a influencia nada mais, nada menos. Jesus conquistou as multidões, não só por seu poder de curar os enfermos, mas pela capacidade de influenciar pessoas e torná-las seus seguidores.

A lei da adição Através do exemplo de Sinegal em sua liderança empresarial na Costco aprendemos que tratar bem as pessoas e dar crédito a elas, torna as coisas melhores para o bom desempenho da equipe, tornando-as capaz de realizar atos relevantes, se desenvolver e tornarem-se mais produtivas. Agregar qualidades às pessoas as eleva e as valoriza, assim elas produzem mais, e melhor. Por meio deste conceito vemos que líderes inexperientes são rápidos para liderar antes de saber algo sobre as pessoas que pretendem liderar, mas os líderes maduros escutam, aprendem e depois lideram. Líderes agregam valor ao servir aos outros. Adicionar aqui se refere a, além de uma boa remuneração, dar liberdade para produzir, agregar valores e promover uma qualidade de vida melhor para a equipe. Outra importante lição aprendida com a Lei da Adição é que uma grande parcela da boa liderança é não ter conflitos de relacionamentos não resolvidos com as pessoas. Fazendo isso abriremos caminhos para realizações fantásticas. A credibilidade de Samuel se dava pela Adição das imagens de liderança em sua vida, tais como: Pastor: Samuel identificou-se com o povo e podia ser duro ou gentil por causa do seu relacionamento; Mordomo: Ele permaneceu fiel ao chamado

de Deus sendo responsável pelo povo, por isso eles lhe davam ouvidos; Visionário:

Samuel levou palavras de Deus a responder questões contemporâneas, tornando-se profeta, falando habilmente como líder visionário. Pessoas o ouviam por causa da revelação; Serviço: Samuel abriu mão de seus direitos ao invés de disputá-los quando chegou ao ápice, sacrificando-se pelo bem do povo que liderava. O povo lhe ouvia por causa do seu coração de servo.

Lei do magnetismo Músicos atraem músicos e Líderes atraem Líderes. Cada um de nós leva consigo uma lista mental do tipo de pessoa que gostaria de ter em sua organização. Acredite ou não, a pessoa que você obtêm não é determinada pelo que você quer, mas pelo que você é. Na maioria das situações, você atrai pessoas que possuem as mesmas qualidades que você possui. O coração vem antes da mente. Quanto maior os vínculos mais pessoas querem ajudar. A função do líder é iniciar o vínculo com as pessoas. Você como líder tem que se preocupar o quanto você sabe. Vocês podem fazer coisas que eu não posso. Eu posso fazer coisas que vocês não podem. Juntos, podemos fazer grandes coisas.

Só quando você atinge o potencial como líder é que seu potencial tem a chance de atingir o potencial deles; porém, é solitário lá no alto, então é melhor levar alguém com você. Liderar bem não é se enriquecer é fortalecer os outros. O principal inimigo do fortalecimento é o medo de perder o que temos. Para empurrar as pessoas para baixo você tem que descer com elas. Você é quem você atrai (simbiose). Ex.: Eliseu atraiu pessoas de pensamento semelhante a fim de cumprir a sua missão e ampliar a sua influência. Atração mútua é mais do que química, cooperam para isso: visão mútua, expectativa mútua, contribuição mútua e comprometimento mútuo.

Lei da aquisição Através de Ghandi aprendemos que pessoas não seguem primeiramente causas dignas; elas seguem líderes dignos que promovem causas dignas. Pessoas aceitam primeiro o líder, depois a visão do líder. Você não pode separar um líder da causa que ele promove. Como líder seu sucesso é medido por sua capacidade de levar as pessoas aonde elas precisam ir Mas você só consegue isso se, antes, as pessoas comprarem você. As pessoas, de início, não seguem causas merecedoras, mas seguem líderes merecedores que defendem causas nas quais possam acreditar. Você pode obter credibilidade com a equipe: Desenvolvendo um bom relacionamento com as pessoas; sendo honesto, autêntico e desenvolvendo confiança; dando um bom exemplo; dando a elas as ferramentas para fazer melhor seu trabalho; ajudando-as a atingir suas metas pessoais. Desenvolva uma estratégia para cada pessoa. Se seu principal objetivo for agregar valor a todas elas, seu fator de credibilidade aumentará rapidamente. Gideão se desenvolveu de um discreto membro de uma pequena família, em um líder das Tribos do Norte que aglomerou seu povo em volta dele e conduziu Israel para vitória mais assimétrica em toda história do povo de Deus. Líderes devem compreender que estão expostos, antes que tenham a chance de expor a sua visão.

A lei do grande impulso Com Catmull vemos a necessidade de um líder para criar impulso, pois seguidores o captam. Mas para criar, requer alguém que consegue motivar os outros, não alguém que precisa ser motivado. Todo líder enfrenta o desafio de fazer mudanças. Sem impulso, até mesmo as tarefas mais simples podem parecer irrealizáveis. Com o impulso os obstáculos parecem pequenos e os problemas parecem temporários. O impulso é o maior amigo do líder. Uma organização sem impulso é como um trem parado. O impulso é o grande exagerador. O impulso faz os líderes parecerem melhor do que são. O impulso ajuda os seguidores a ter um desempenho melhor do que poderiam. Mesmo pessoas medianas podem ter desempenho acima da média em uma igreja com grande impulso. É mais fácil administrar o impulso do que iniciá-lo. O impulso é o mais poderoso agente de mudança. O impulso coloca a vitória ao alcance das mãos. É de responsabilidade do líder o impulso. O impulso começa no interior do líder, começa com a visão, paixão e entusiasmo. Salomão empreendeu tanto sucesso pois: Ele começou com o que Davi providenciou; Ele pediu humildemente, acima de tudo, sabedoria para liderar; Ele tomou decisões sábias que lhe garantiram credibilidade; Ele manteve a paz e Ele cercou-se de companheiros sábios. Nenhum líder pode ignorar o impacto do impulso. Se o obteve, você e seus liderados serão capazes de realizar coisas que nunca imaginaram. Se não obteve, as menores tarefas parecerão difíceis. Como líder você deve decidir tê-lo.

A lei do momento Ao lembrarmos do que o Katrina fez com Nova Orleans, entendemos que essa lei nos mostra quando liderar é tão importante quanto o que fazer e aonde ir. Quando o líder certo e o momento certo se juntam, coisas incríveis acontecem. Ler uma situação e saber o que fazer são o suficiente para que você seja bem sucedido na liderança. Somente a ação certa, no tempo certo trará sucesso. Qualquer outra coisa cobra um preço elevado. O momento, muitas vezes faz a diferença entre o sucesso e o fracasso em uma empreitada. O bom momento de liderança demanda muitas coisas:

Compreensão: Os líderes devem ter pleno controle da situação; Maturidade: Se os motivos dos líderes não são os certos, o momento não será oportuno; Confiança: As pessoas seguem líderes que sabem o que precisa ser feito; Decisão: Os líderes fracos criam seguidores fracos; Experiência: Se os líderes são inexperientes, precisam da sabedoria de quem tem experiência; Intuição: O momento, muitas vezes, depende de fatores inatingíveis, como impulso e moral; e Preparação: Se as condições não são boas, os líderes precisam criar essas condições. Para ser um líder eficiente, você deve vencer tudo que lhe impede de avançar. Como Ester, você aprender que, se não percebe o momento: O seu destino será semelhante aquele do restante da multidão; Deus irá substituir você por alguém outro; Você perderá mais do que uma simples oportunidade; Você poderá omitir a missão da sua vida. Não há uma coisa tal como risco zero na liderança. Mas, quando você se determina a perceber uma oportunidade madura apesar do risco, você constrói o momento. Ester demonstrou tremenda coragem repetidas vezes. Bons líderes entendem que oportunidade maduras nunca aparecem sem medo. Por isso ele vão em frente apesar dos momentos de hesitação.

A lei do legado A busca da sentença de vida de Maxwell nos mostra que líderes que têm um legado têm uma proposta diferente. Eles lidam com o amanhã como se fosse hoje. Seu valor como líder será medido pelos que o sucederam. Para criar um legado, você precisa ser estratégico e agir propositadamente neste sentido. Para dar início a criação do seu legado você precisa: Decidir antecipadamente o que você está querendo entregar como legado; Tomar iniciativa de começar este processo; Conhecer suas metas para cada pessoa; Preparar-se para passar o bastão adiante. Criar e liderar organizações para fazer a diferença. Agregar valores aos outros. A maioria das pessoas simplesmente aceita sua vida, não a comanda. Saber como as pessoas seguem adiante sem você. O valor duradouro de um líder é medido pela sua sucessão. A vida não tem sentido, a não ser por seu impacto em outras vidas. No final, seremos julgados de acordo com a Lei do Legado. Em Mateus 28:18-20 a Bíblia nos mostra que Jesus reuniu em si todas estas capacidades: Seu legado era alcançar o mundo. Os resultados foram impressionantes: Todo o mundo da época, aproximadamente 250 milhões de pessoas ouviu falar do Evangelho. Seu planejamento estratégico foi surpreendente:

Formou 12 homens e imprimiu na mente deles o legado de dar continuidade a Sua missão.

Jesus anteviu a tarefa de modificar a vida das pessoas milhares de anos depois dele; e Ele obteve sucesso. Ele conseguiu fazê-lo sem escrever um único livro, sem construir uma única escola e sem fundar qualquer instituição. Dessa maneira, Jesus escolheu entregar seu legado a pessoas. Nós devemos aprender com E Le o seu método e pô-lo em prática tão bem quanto nós conseguirmos.

Conclusão Recomendo As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança para todos os líderes que se preocupam de fato em liderar, pois a aplicação de seus princípios é imediata, independentemente do nível de liderança. As leis têm consequências. Aplique-as e as pessoas o seguirão, viole-as ou ignore-as, e não será capaz de liderar os outros. Essas leis são a base da liderança. Primeiro você aprende os princípios, depois precisa praticá-los e os aplicará a sua vida.

Os princípios de liderança são imutáveis e resistem à prova do tempo. As leis podem ser aprendidas. Algumas são mais fáceis de compreender e aplicar que outras, mas todas podem ser conhecidas e praticadas. As leis têm valor em si. Cada lei complementa todas as outras, mas você não precisa de uma para aprender a outra.

O livro nos mostra que precisamos procurar líderes fortes nas áreas em que somos fracos. Nenhum de nós é tão influente quanto todos nós juntos.