Você está na página 1de 4

ESATABILIZADORES DE TENSÃO E FILTROS DE LINHA: A BESTEIRA

Paulo Brites.

Agora que você já ressuscitou as fontes e livrou o planeta de um monte de lixo hightec vamos conversar sobre um assunto que há muito me incomoda:

os pseudo estabilizadores de tensão e pseudo filtros de linhas vendidos desde camelodromos a lojas chics.

O mito do estabilizador remonta a um passado um tanto distante, lá pelos anos 50 (isso mesmo, essa é vantagem de ser velho, sabe-se de muitas coisas) em que as fontes do equipamento eletrônico mais sofisticado que existia na época, a tv preto e branco, eram bem precárias e pouco estáveis.

Por outro lado a rede elétrica também era bem ruim (pior que hoje) e variava de 90 a 130 volts, na melhor das hipóteses.

Hoje a maioria das fontes opera de 100 a 240 V em modo automático e a rede elétrica está bem mais estável (quando tem).

Quem é da velha guarda deve lembrar dos famosos TeleVolt que eram usados até em geladeiras.

Por volta de 1985, os computadores começaram a invadir a “colônia”, mas as máquinas daquela época, como PC 500 da Prológica e MSX, para citar alguns membros da família dos dinossauros cibernéticos, não têm nada em comum com os PCs atuais.

Seria o mesmo que quer comparar um tiranossauro rex com um camelo.

Naquela época usava-se como monitor a TV preto&branco de 14, após modificações para receber sinal de vídeo composto, que estava encostada no quarto dos fundos, depois de ter sido recentemente substituída por uma “moderna” Philco color all solid state.

Aqueles televisores horrorosos cujo quadro diminuía a qualquer variação de tensão da rede exigiam um estabilizador de tensão. Foi a época de ouro da TeleVolt.

Vieram os PCs com os “moderníssimos” monitores monocromáticos de tela verde (ou melhor com letrinhas verdes) cujas fontes ainda estavam engatinhando em matéria de estabilização.

Aí os estabilizadores começaram a ganharam espaço e mercado.

Dos anos 90 para cá os circuitos evoluíram muito e as fontes de alimentação, dos PCs, monitores, televisores e etc são extremamente estáveis e aceitam sem cerimônia as variações da rede elétrica.

Então para que ligar um computador ao estabilizador?

Só que quem pode responder esta pergunta são os vendedores de estabilizador; - para a gente ganhar um dinheiro à custa dos incautos.

Mas o mito de que não se deve ligar um computador sem um estabilizador sob pena dele ir para o inferno contínuo sendo sustentado pelos vendedores espertos e os “técnicos” de informática embarcam nesta porque não querem se comprometer e, por via das dúvidas, e melhor seguir a boiada.

A teoria deles se baseia no seguinte: “o vendedor da loja disse que não se

pode ligar computador sem estabilizador”.

Eu estou falando daqueles estabilizadores de “trinta real” que o vendedor do computador da lojinha de informática lhe empurra goela abaixo quando você compra o seu brinquedo novo.

É claro que existem estabilizadores profissionais de médio e grande porte

que deveriam ser utilizados em empresas ou ambientes onde se tem um grande número de máquinas ligadas a uma rede elétrica, geralmente,

sobrecarregada.

Já os estabilizadores de “trinta real” são caixinhas de plásticos com meia dúzia de tomadas, muitas vezes, bem vagabundas (desculpem, mas essa é melhor palavra que eu posso usar aqui, as outras não são muito educadas). Estes, podem esquecer porque não servem absolutamente para nada.

O “circuito” interno destas “coisas” é uma piada. Os “melhores” tem três

relés (alguns só tem dois) que comutam a derivação de um transformadorzinho (isso mesmo no diminutivo) quando a rede elétrica varia cerca de 10 v para cima ou para baixo. Mas para que corrigir a tensão da

rede dentro desta faixa de variação se as fontes “convivem” com elas sem nenhum problema?

Há, pelo menos 10 anos, não uso estabilizador nos meus PCs e nunca tive nenhum deles queimado por causa de rede elétrica.

A propósito, você usa estabilizador no se televisor, no seu DVD ou no seu

equipamento de som?

Certamente porque o vendedor não lhe disse que tinha que comprar um para ser feliz!

Hoje existem televisores no mercado que incorporam um HD, estes aparelhos são tão ou mais sofisticados que um computador e ninguém usa estabilizador neles, não é mesmo?

Talvez alguém queira argumentar que nos apagões da Era FHC (que estão de volta na Era Lula) muitos equipamentos foram queimados pela rede elétrica.

Sim, realmente isto aconteceu bastante, mas por conta da lambança das concessionárias que mandava 220 V numa rede que era para ser de 127 V.

E os filtros de linha, ajudam?

Ajudariam a “limpar” a rede de espúrios se eles realmente fossem filtros de linha, mas o que temos no mercado é nada mais que uma tira de tomadas, às vezes, com uma luzinha e uma chave liga/desliga.

Filtros de linha decentes não custam “10 real” como estes que se encontram por aí.

Ainda bem que todas as fontes (exceto aquelas muito ruins) já incorporam filtros de linha de qualidade razoável porque se fossemos depender da filtragem destes “filtros” de linha seria o mesmo que beber água de poço porque eles não filtram nada.

Então como ligar um PC e seus acessórios de forma confiável?

A primeira coisa, antes de tudo deveria ser se preocupar com a fonte do PC.

A fonte é uma das partes mais importantes de um PC e é onde geralmente

as pessoas economizam.

Compre uma fonte de boa qualidade, e não aquelas baratinhas achando que é tudo igual porque não é.

Por favor, não corte o terceiro pino das tomadas, nem coloque aqueles adaptadores safados que convertem de três para dois pinos. O aterramento que é feito pelo terceiro pino é essencial.

Portanto, cuide para que a tomada onde você vai ligar o PC & Cia tenha

aterramento e aí sim, use uma régua de tomadas (vulgarmente chamada de filtro de linha) de boa qualidade a qual todos os equipamentos serão ligados

e, portanto estarão devidamente aterrados, pois a régua estará ligada à

tomada que tem aterramento.

Quando você desliga o PC através do comando do Windows a fonte fica em modo de espera e, portanto não está totalmente desligada e aí, além de estar consumindo energia, se houver algum distúrbio sério na rede elétrica os equipamentos poderão ser afetados.

O mesmo ocorre com monitores, impressoras e televisores, portanto o mais

recomendado é desligar a régua na sua chave liga/desliga ou, melhor ainda,

desconectá-la da tomada da parede.

O ideal é que estas réguas utilizassem uma chave dupla para desligar fase e

neutro, mas não conheço nenhuma que seja tão “decente” assim, por isso eu

digo que é mais seguro retirá-la da tomada.

Se quiser maior integridade do seu PC, e não perder nada caso ocorra um apagão no momento em que você esteja trabalhando, então utilize um no break o qual deverá ficar permanentemente ligado para que a bateria fique em carga e nunca ligue impressoras laser nele.

Por enquanto é só, mês que vem vou abordar as especificações das fontes e dos no breaks para ajudá-lo na hora da compra e não cair na conversa dos vendedores que não sabem nada do assunto e se metem a especialista dando opiniões estapafúrdias.

Até sempre.