Você está na página 1de 6

1

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I)


Subdomínio Seleccionado: A2 - Promoção da Literacia da Informação

Indicadores seleccionados Análise dos Indicadores

Identificar o tipo de evidências que é necessário recolher para poder conhecer e fundamentar
PROCESSO A.2.1. Organização de qual a performance da biblioteca neste domínio. Esta recolha documental de registos de
actividades de planeamento da biblioteca é uma das técnicas a envolver. Inquérito aos utilizadores
formação de (Questionários e entrevistas, esta última, tal como refere McNamara, é um dos métodos a
utilizadores. incluir, porque os questionários não conseguem captar “ the story”, e esta é habitualmente a
mais poderosa forma de demonstrar os benefícios dos serviços que se prestam.) Contudo,
não podemos deixar-nos tentar em entrevistar apenas as situações que consideramos de
sucesso. Aprende-se muito sobre o modelo de avaliação se compreendermos os pontos
fracos, os ”dropouts”.
No início dever-se-á recolher informação para poder diagnosticar e investir em acções de
planeamento. Não se deve ter medo de correr riscos. Não devemos deitar fora os resultados
da avaliação se esta não foi de facto o que nós esperávamos, devemos sim, reflectir sobre o
seu resultado para compreender como actuar na sua melhoria.
Instrumentos de recolha de evidências: Grelha de observação da utilização da Biblioteca
(O1), esta grelha permite dar informação como realmente actuam os processos. Analisar as
evidências recolhidas através da utilização de instrumentos e desenvolver uma análise sobre
o desempenho da biblioteca neste domínio.
A finalidade da avaliação é que esta seja sistemática e concreta. Com os resultados obtidos e
2

posteriormente analisados dever-se-ão compará-los com as diferentes turmas envolvidas de


forma a compreender se os serviços da biblioteca correspondem à exigência dos alunos.
“Understand, verify or increase the impact of(…) services on customers(…) “.(1)
Os dados estatísticos são documentos fundamentais que nos indicam sobre a utilização ou
funcionamento da biblioteca. Neste caso, analisamos os processos, o exemplo mais evidente
sobre a disponibilidade de serviços que a BE oferece, por exemplo, o número exacto de
sessões de formação aos utilizadores organizadas com as turmas ao longo do ano.
A BE torna-se segundo o novo modelo, “como um centro cada vez mais activo e interveniente
IMPACTO A.2.5. Impacto da BE ao nível da aprendizagem e da formação dos alunos” (2). A recomendação “é que não se
no desenvolvimento avaliem os resultados da biblioteca de uma forma global, mas aplicada a determinadas
de valores e atitudes actividades, serviços ou programas (…)”(3). A avaliação permite o feedback contínuo de
indispensáveis à forma a ajustar e melhorar o programa inicial. O fundamental é de facto recolher o máximo
formação da de informação e compreendê-la de forma a registar novas decisões de actuação.
cidadania e à Demonstrar o impacto e a contribuição que a BE produz na aprendizagem e no
aprendizagem ao desenvolvimento de valores e atitudes nos alunos. Para avaliar os impactos produzidos nos
longo da vida. utilizadores, dever-se-á esclarecer claramente os objectivos de aprendizagem dos alunos em
relação com a biblioteca e estabelecer os seus indicadores. Recolher as evidências
apropriadas e assegurar a realização do processo de recolha, tratamento e análise e
comunicação dos dados. Para este indicador determinei avaliar o impacto que a biblioteca
desenvolve na equipa da Biblioteam, grupo heterogéneo de alunos que participam
activamente nas actividades da biblioteca.
(1) In Basic Guide to Program Evaluation, Carter McNamara, 1997
(2) In Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização, AAVV, s/d, pág.3
(3) Idem, Ibidem, pág. 4
Indicadores Finalidades Actividades do Público-alvo Métodos Vantagens Momentos
3

Plano de Acção aplicados de


da BE avaliação
A.2.1. Organização Avaliar se a Organização de Turmas de 2º e 3º Observação de Utilizar/adaptar Registo no 1º,
de actividades de organização e os actividades ciclo e professores. utilização da BE instrumentos já 2º e 3º
formação de serviços da BE estruturadas de (aplicar os (O1). existentes. período, com
utilizadores desenvolvem formação de instrumentos a as diferentes
competências de utilizadores com 10% do número de Questionários, Facilidade na obtenção turmas.
apoio à formação de professores e alunos em cada inquéritos e da informação, uma vez
utilizadores. alunos. Exploração nível de entrevistas. que é anónima. Análise
de guiões fornecidos escolaridade, e sistemática.
pela BE para saber aplicar os Dados estatísticos Visibilidade clara na
melhorar a utilização instrumentos a sobre o número de análise e comparação
da BE e os diferentes 20% do total de sessões de de dados estatísticos.
serviços. Por professores). formação de
exemplo, formar utilizadores e a Formar alunos que
grupos de alunos da análise comparativa “amanhã” serão os
mesma turma que sobre a correcta novos formadores.
rotativamente utilização e
passam por cada autonomia dos
zona específica da serviços da BE.
BE. Cada zona é
explorada com
actividades lúdicas
para que dominem a
sua funcionalidade e
automaticamente
4

vão atingindo a
autonomia na
utilização da BE.
Ao longo do ano
lectivo vamos
comparando a
evolução da
autonomia dos
alunos e professores
neste processo.

A.2.5. Impacto da Avaliar o impacto da Os alunos da Equipa Alunos de diversas Observação de Observações mais Mensal
BE no BE no envolvimento da Biblioteam, turmas (6º, 7º,8º actividades de espaçadas ao longo do
desenvolvimento dos alunos, na sua equipa de alunos e 9ºano) aprendizagem de ano, mas regulares, de
5

de valores e formação e envolvida nas desenvolvimento de forma a fornecer um


atitudes aprendizagem. actividades da BE. conhecimentos, quadro mais
indispensáveis à Estes alunos competências e representativo.
formação da trabalham a par ou atitudes (QA1)
cidadania e à em grupo e
aprendizagem ao contribuem para Observação da A observação
longo da vida uma série de utilização da BE concentra-se num
actividades de (O1). determinado número de
valorização da BE aspectos (trabalho em
(participam na equipa, partilha de
elaboração do informação, entreajuda,
boletim informativo, convivência mútua,
recolha, análise e cooperação, autonomia,
construção de texto responsabilidade,
e imagens; iniciativa, criatividade e
Actualização do reflexão crítica)
Blog; produção de
materiais (guiões) e
mobilizam outros. O
facto de serem
alunos de diferentes
turmas e diferentes
níveis de ensino
proporciona
aprendizagens
diferentes.
6

Maria Mário Murteira