Você está na página 1de 12

Escola Secundária de Rio Tinto

Disciplina de História
Ano Lectivo:
2006/2007

Ana Monteiro
Daniela Teixeira
Daniela Lino
Maria João Machado
Mónica Cunha
11ºJ
Introdução:

Com este trabalho, o nosso grupo, pretende


mostrar as características da arquitectura e da
escultura da época romântica.
Pretendemos mostrar alguns exemplos de obras da
época romântica que se destacaram.
Definição de Romantismo:

O Romantismo expressa individualismo, o


humanismo e o nacionalismo do liberalismo.
Ideologicamente definiu princípios como a
integridade, o isolamento da alma em comunhão
com a natureza, a valorização do passado de
cada nação e a convicção de que a arte é
essencialmente de inspiração e criação.
A Arquitectura baseia-se:

• na irregularidade da estrutura espacial e volumétrica;


• no organicismo das formas;
• nos efeitos da luz;
• no movimento dos planos;
• na decoração pitoresca;
• na reanimação de estilos passados (revivalismo).

Estas características provocam o encantamento e a


evasão; estimulam a imaginação e os sentidos; convidam
ao sonho e à fantasia, evocando espaços/realidades
diferentes distantes ou imaginárias.
Romantismo na Arquitectura:

• Foi a passagem da “forma medida” para a “forma


sentida”;
• Manifestou-se sobretudo pela forma e decoração,
desvalorizando os aspectos estruturais ou técnicos;
• Influência das culturas orientais (indo-mulçumano e
neo-árabe);
• Ecletismo que surge por crítica aos revivalismos
exagerados;
• Desprezo pelas regras das academias neoclássicas,
inspiradas nos valores da ordem e proporção da
simetria e da harmonia;
• Irregularidade da estrutura;
A arquitectura Romântica em Portugal:
• Iniciou-se pelo Príncipe D. Fernando de Saxe;
• Os revivalismos manifestaram-se nos edifícios
públicos, destacando-se o neomanuelino;
• Os exotismos apareceram na segunda metade do
séc. XIX, incidiram em moradias e palacetes,
salientando-se o estilo neo-árabe;
• Em finais do séc. XIX, princípios de XX
divulgaram-se os ecletismos, representados na
arquitectura pública e privada…
A escultura do Romantismo:
• Aparece-nos em monumentos funerários, estátuas
equestres e na decoração arquitectónica;
• Vê-se também na representação de animais exóticos em
cenas de caça ou de luta;
• Manifestação do individualismo, tendo em conta a
variedade temática;
• Realce para o retrato psicológico, a paisagem, o macabro
e o onírico;
• Utilização de mármore, bronze, madeira, terracota e
outros materiais mais baratos;
• Expressividade através de composições movimentadas
de corpos realistas;
• Jogos de texturas;
• Superfícies aparentemente inacabadas e
propositadamente definidas;
Casa Gótica no parque
do Palácio de Worlitz
1769-1773, Alemanha Pavilhão Real, 1815-1821, Castelo de
Brighton – exótico e Neuschwamstein, 1870,
revivalista (cúpulas bulbosa Baviera, Alemanha
e minaretes orientalizantes) -neogótico

Palacete de Monserrate,
1863, Sintra –
Palace Hotel do Buçaco, - Lyuigi revivalismos árabe
Manini 1888-1907 (neomanuekino – ´(fórmulas mouriscas e
espécie de réplica da Torre de Belém) indianas)
O Desterrado – Soares
dos Reis

Marselhesa – François Rude


Conclusão:
Com este trabalho o nosso grupo, conclui que o
romantismo foi um movimento cultural e
artístico que surgiu em meados do séc. XVIII e
que reflecte as ideias politicas e sociais da época.
Arquitectonicamente caractetrizou-se pelos
revivalismos, exotismos, ecletismos e
nacionalismo.
A nível escultórico caracterizou-se pela variedade
temática, individualismo, realismo, pela
representação de animais exóticos…

Interesses relacionados