Você está na página 1de 2
E. M. PASTOR MIRANDA PINTO

E. M. PASTOR MIRANDA PINTO

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 3ª CRE

PLANO DE AULA

DISCIPLINA: História

Aula nº 1 2h/a

PROFESSOR: Diogo Silva

Série: 9º ano 1ª Bimestre

 

Tema

-

A Transição do Império do Brasil para a República

Objetivos

- esquematizar as características principais do Brasil Império;

- relacionar a perda do apoio político dos grupos de elite com o fim do Império do Brasil;

- deduzir a ligação entre o escravismo e o apoio político da elite cafeeira do Vale do Paraíba;

- reconhecer a nova elite agrária que se desenvolvia no Oeste Paulista;

- compreender a Proclamação da República como um golpe organizado pela elite política, que não contou com a participação ativa e ampla da população brasileira.

Recursos Pedagógicos

-

Quadro branco

Procedimentos Didáticos

1.

Brainstorm: perguntas para os alunos, identificando o que eles se lembram sobre o Império do

Brasil último conteúdo do 8º ano;

2.

O direcionamento do brainstormdeverá levá-los a rememorar as seguintes características do

Brasil Império: estrutura escravista, quadripartição do poder político (Executivo, Legislativo,

Judiciário e Moderador), cidadania restritiva, voto censitário, economia cafeeira, e os grupos políticos que embasavam o poder imperial (elite agrária do Vale do Paraíba, elites locais, Exército e Igreja Católica);

3.

Sem descrever as Questões Religiosa, Militar e Escravista, indicar aos alunos que o imperador

começou a perder o apoio dos grupos que haviam embasado a ordem imperial, fortalecendo as

fileiras republicanas;

4.

Relacionar a Abolição dos Escravos com a perda do apoio do último grupo que ainda apoiava o

Império a elite do Vale do Paraíba.

5. Observar o surgimento de uma nova elite cafeeira no Oeste Paulista;

6. Relatar a Proclamação da República, indicando aos alunos a falta de participação popular neste

levante; 7. Indicar aos alunos que, embora tenha ocorrido uma mudança no sistema político da monarquia para a república , a participação política manteve-se restrita aos grupos de elite, que

desenvolveram novas táticas para a manutenção do poder político.

 

Avaliação

- Fazer um apanhado do conteúdo da aula, a partir de uma série de perguntas aos alunos, observando quais os conteúdos que ainda precisam de uma melhor explicação;

-

Propor duas questões para serem desenvolvidas em aula, ou casa se não houver tempo para

fazer em sala , uma pergunta sobre o conteúdo anterior, e uma sobre o conteúdo ministrado na

 

aula:

1ª) Apresente quatro características do Brasil Império. 2ª) Relacione a Abolição dos Escravos, ocorrida em 13 de maio de 1888, com a perda do apoio político da elite cafeeira do Vale do Paraíba.

Referências Bibliográficas

CARVALHO, José Murilo. Os Bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo:

Companhia das Letras, 1987.

CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 10ª Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. 8ª Ed. São Paulo:

UNESP, 2007.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: EDUSP, 1995.

NEVES, Margarida de Souza. Os cenários da República. O Brasil da virada do século XIX para o século XX. In. FERREIRA, Jorge. DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. O tempo do liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. 3ª Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008. - (O Brasil Republicano; vol. 1). pp.13-44.