Você está na página 1de 8

PROJETO ESCOLINHA DE FUTEBOL

PROJETO ESCOLINHA DE FUTEBOL CASTELO DO PIAUÍ – PI 2012
PROJETO ESCOLINHA DE FUTEBOL CASTELO DO PIAUÍ – PI 2012
PROJETO ESCOLINHA DE FUTEBOL CASTELO DO PIAUÍ – PI 2012
PROJETO ESCOLINHA DE FUTEBOL CASTELO DO PIAUÍ – PI 2012

CASTELO DO PIAUÍ – PI

2012

ESCOLINHA DE FUTEBOL

IDENTIFICAÇÃO DENOMINAÇÃO DO PROJETO: Projeto Escolinha de Futebol CHUTE NOTA 10 ENTIDADES RESPONSÁVEIS: Associação Atlética Banco do Brasil, Secretaria Municipal de Educação e Cultura e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente DURAÇÃO: 12 meses com a perspectiva de continuidade ÂMBITO: Municipal COORDENAÇÃO GERAL: Paulo Hiran da Silveira Maia INSTRUTOR: Francisco Santiago

1.0 - APRESENTAÇÃO O projeto tem como finalidade de contribuir para formação esportiva e

educacional de crianças e adolescentes estudantes de escolas publicas em situação de

Fortalecer a prática esportiva e estimular a socialização no intuito de

risco pessoal

desenvolver valores, resgatar a auto-estima e promover a inclusão objetivando a melhora na motricidade que a prática esportiva desenvolve.

2.0 - JUSTIFICATIVA

O projeto se justifica devido ao grande índice de violência envolvendo crianças e adolescentes em nosso município, sendo que, ao estarem ocupados praticando um esporte saudável, em turno contrário ao de aula a que freqüentam, essas crianças e adolescentes tem a oportunidade de se incluir em atividades esportivas e sócio-culturais

que esse projeto proporciona.

3.0 – OBJETIVOS

3.1 - OBJETIVO GERAL Este projeto visa, por meio do desenvolvimento esportivo, do lazer, do trabalho em equipe, do espírito esportivo, além de uma atividade de preparo para uma vida saudável, minimizar o índice de violência (familiar, escolar etc) bastante presente nesta etapa da vida das crianças e adolescentes que não tem apoio e incentivo para melhorar

este comportamento, bem como diminuir a evasão escolar, vinculando a partição na escolinha a um bom desempenho escolar.

3.2 - OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Diminuir a evasão escolar;

Motivar a melhora do rendimento escolar vinculando a participação na escolinha aos 50 melhores alunos do mês.

Desenvolver o espírito esportivo e o trabalho coletivo;

Melhorar a forma física, e a saúde através do esporte;

4.0 - PROGRAMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

4.1 - BENEFICIÁRIOS DO PROJETO

O projeto se destina potencialmente as crianças e adolescentes das escolas estaduais e municipais do município de Castelo do Piauí PI, na faixa etária de 7 a 16 anos de idade do sexo masculino ou feminino, tendo que comprovar freqüência, disciplina e bom rendimento escolar, através da apresentação mensal dos boletins para o orientador-treinador e para uma comissão formada por membros da AABB do Conselho Municipal da Infância e Juventude, Secretaria Municipal de Educação e Cultura e Diretores das Escolas Beneficiadas.

4.2 – SELEÇÃO DOS ALUNOS PARA INGRESSO NA ESCOLINHA

A Seleção dos alunos ficará sempre vinculada as melhores notas mês a mês. Exemplo:

Escola X tem direito a 30 vagas e realiza suas provas mensais sempre no dia 15 de cada mês:

Os 30 melhores alunos das provas do dia 15 de março ficarão na escolinha até as realizações das provas no dia 15 de abril, onde os 30 melhores alunos das provas de 15 de abril dará ao aluno a participação até as provas do dia 15 de maio, assim sucessivamente até o final do ano.

4.2 – RESPONSÁVEL

Associação Atlética Banco do Brasil – AABB Sociedade civil sem fins lucrativos localizada na Av. Antonino freire, SN

Castelo do Piauí – PI CEP: 64340-000

12.174.173/0001-05

Centro,

FONE: (86) 3247-1299 3247-1198 CNPJ

CONTATOS: Paulo Hiran da Silveira Maia (86) 9984- 5127 – Diretor de Esportes Francisco Jorge Alves Moureira (86) 9957-1477 - Presidente

Comissão da Escolinha composta por:

Paulo Hiran da Silveira Maia (AABB)

Francisco Jorge Alves Moureira (AABB)

Edimilson Pereira de Araújo (CMDCA)

Diretores dos Colégios Envolvidos

4.3 – CONTEUDOS E METODOLOGIA A SEREM DESENVOLVIDOS

Regras básicas do Futebol

A importância do trabalho em grupo (coletivo) para o futebol e para a vida;

Fundamentos do futebol

A importância do esporte para uma vida saudável;

Turma 01 (Quarta e Sexta das 07h:00 às 08h:00) Turma 02 (Quarta e Sexta das 08h:00 às 09h:00) Turma 03 (Quarta e Sexta das 15h:30 às 16h:30) Turma 04 (Quarta e Sexta das 16h:30 às 17h:30)

Cada turma com 20 alunos

4.4 – RECURSOS A SEREM UTILIZADOS

Valor

unitário

Quant.

Materiais e Recuros humanos

Valor Total

01

Instutores (valor mensal)

R$ 250,00

R$ 3.000,00

10

Bolas oficiais de Futebol

R$ 50,00

500,00

80

Pares de Chuteiras

R$ 50,00

R$ 4.000,00

80

Coletes treino

R$ 10,00

R$ 800,00

Kit Treinamento (Cones, Marcadores, Escadas de

01

circuito e Balizas

R$ 1.000,00

R$ 1.000,00

Total do Projeto

R$ 9.300,00

5.0 - PARCERIAS

Para operacionalizar este projeto, há necessidade de integração da AABB, da comunidade e das escolas no âmbito organizacional e de patrocinadores/doadores devido aos custos do mesmo: material e instrutores, sendo esses valores deduzidos do imposto de renda do patrocinador/parceiro no limite que a lei permite.

6.0 - METAS

Atender 80 crianças na faixa etária de até 07 até 14 anos de escolas publicas que se encontram em situação de extrema vulnerabilidade social com vínculos afetivos familiares fragilizados, sem renda fixa ou com renda inferior a ¼ de salário mínimo e beneficiários de Programa Bolsa Família etc.:

O Projeto destaca-se também como um projeto socialmente comprometido com o seu público e com a melhoria da educação dos alunos. Feito o dever de casa de atender plenamente às necessidades de benefícios, lazer, maior valorização educacional com a redução de evasão e repetência escolar,

juntamente com a integração da família e da comunidade, precisamos fortalecer os alicerces de uma ação cada vez mais ampla, de forma a sermos reais condutores de transformação social na comunidade onde atuamos.

7.0 – BENEFICICIOS PARA O PATROCINADOR

Divulgação nas emissoras de rádio;

Divulgação nos portais de internet locais

www.portalcdp.com.br ; www.maiscastelo.com ; www.pi10.com.br

Os materiais do Kit Uniforme serão todos personalizados com o logotipo do patrocinador.

Logomarca do patrocinador no muro da AABB

Dedução no imposto de renda até o valor previsto em lei

Áreas do campo para

do patrocinador no muro da AABB • Dedução no imposto de renda até o valor previsto
Mureta ao redor do campo para pintura do logotipo do patrocinador. 8.0 - SOBRE O

Mureta ao redor do campo para pintura do logotipo do patrocinador.

8.0 - SOBRE O FIA

O Estatuto da Criança e do Adolescente, em seu art. 260, dispõe sobre os Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente. Os Fundos, regulamentados pela Lei 8.242/91, podem ser criados no âmbito federal, estadual e municipal. Os Fundos são contas bancárias aptas a receber os recursos provenientes de fontes governamentais e de contribuições de pessoas físicas e jurídicas a serem utilizados no financiamento de programas e ações de proteção à criança e ao adolescente. As contribuições realizadas aos Fundos recebem incentivos ficais por parte do Governo Federal, sendo passíveis de dedução de imposto de renda, na declaração sobre a renda das pessoas físicas; bem como na apuração mensal das pessoas jurídicas. Os recursos destinados ao FIA só podem ser aplicados em projetos de defesa dos direitos de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social ou pessoal ou em projetos de combate ao trabalho infantil, à profissionalização de jovens, além de orientação e apoio sócio-familiar.

A movimentação dos recursos é feita pelos Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, que têm como atribuições deliberar e fiscalizar as políticas de atenção a crianças e adolescentes. Assim como os fundos, os Conselhos podem ser estruturados em nível nacional, estadual e municipal, de forma a melhor atender aos objetivos públicos e sociais preconizados na Constituição Federal do Brasil. .Os Conselhos dos Direitos são instituições paritárias, compostos por membros da comunidade que dirigem instituições de atendimento à criança e ao adolescente e por representantes do poder público. O Conselho fixa as diretrizes nacionais para a política de atenção integral à infância e à adolescência, onde apresenta as estratégias a serem adotadas. Em parceria com os Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, atuam os Conselhos Tutelares, órgãos públicos com atuação municipal, responsáveis pelo cumprimento dos direitos, previstos em lei, no que se refere à proteção da criança e do adolescente. São instituições de referência para as comunidades agindo de forma a viabilizar o atendimento às crianças e adolescentes em casos de ameaça e violação de direitos.