Você está na página 1de 156

G UIA TURÍSTICO

TEMPLÁRIOS Profundamente!

Região de Turismo dos Templários floresTa cenTral e albufeiras


TEMPLÁRIOS Profundamente!
Edição
Região de Turismo dos Templários (Floresta Central e Albufeiras)

Coordenação
Manuel A. Antunes Faria

Textos
Eduardo Mendes

Fotografia
Carlos Garcia [FOTOLETRAS]
Arquivo RTT: MA (Maurício Abreu); GP (Grande Plano); FS (Foto Shop);
JM (José Manuel); CVi (Carlos Vidigal); CV (Casa de Vargos); CMT (C. M. Tomar)

Tratamento de Informação
Dália Costa

Design | Produção Gráfica


José Teófilo Duarte | Eva Monteiro [DDLX]

Impressão
Corlito. Artes Gráficas

Número de Exemplares
30.000

Número de Depósito Legal


212581/04

ISBN
972-98350-1-2

© Direitos reservados: Região de Turismo dos Templários (Floresta Central e Albufeiras)


TEMPLÁRIOS
Profundamente!
6 10 RAZÕES PARA VIR... E VOLTAR
10 TEMPLÁRIOS PROFUNDAMENTE
18 A CIDADE TEMPLÁRIA
24 PATRIMÓNIO CONSTRUIDO
46 ALDEIAS HISTÓRICAS E PRESERVADAS
54 PRAIAS FLUVIAIS
60 SITIOS NATURAIS
66 MIRADOUROS
70 MUSEUS
76 GASTRONOMIA
88 ARTESANATO
90 ROMANCES
94 SABORES SEM PALAVRAS
96 ADRENALINAS
100 LAZERES E PRAZERES
104 A NÃO PERDER
108 INFORMAÇÕES

Região de Turismo dos Templários floresTa cenTral e albufeiras


MA
Vive-se tranquilamente na região dos Templários.
Gostamos de partilhar esta tranquila forma de viver com quem nos visita.
A deslumbrante floresta dá-nos a paz e purifica-nos o corpo.
A criativa gastronomia revela-nos vivências e permite-nos a descoberta de saberes
e sabores inigualáveis. Convívios que denunciam uma cultura de cumplicidades
com a História Universal e a evolução do Homem.
A história da humanidade está presente na excelência dos nossos monumentos.
Surge-nos a cada passo, ilumina-nos a passagem pelas ruas dos nossos lugares.
Luz atraente e culta que aflora a existência do conhecimento na sua mais salutar
componente. A autenticidade do que há de mais característico e tradicional numa
terra com vida própria, com gente que sabe receber, que sabe honrar o seu
passado, preservando-o e dando-o a conhecer.
É isto que nos anima ao editar este guia.
A nossa intenção é estimular o vosso olhar.
Descubra-nos com os seus próprios sentidos.
Nós faremos o nosso melhor.
Volte quando quiser.

Jorge Neves

Presidente da Região de Turismo dos Templários, Floresta Central e Albufeiras


RAZÕES
PARA VIR...
E VOLTAR
10 RAZÓES PARA VIR... E VOLTAR

1 Acessibilidades / Centralidade A Região de Turismo dos


Templários (Floresta Central e Albufeiras) é servida pela A1 e A23, com o seu interior
atravessado pelo IC8. Possui a maior placa giratória de transportes ferroviários do país,
no Entroncamento, possibilitando rápidos e fáceis acessos. Fica situada em pleno centro
de Portugal, perto de Espanha e do mar.
2 Templários / Descobrimentos / Património Mundial
Aqui se fez a História de Portugal e do Mundo. Dos Templários ao Barroco, passando
pelos Descobrimentos henriquinos e pelo período áureo das riquezas do Oriente,
materializando-se em expressões singulares do Manuelino e Renascimento. Um per-
curso de oito séculos que torna único o Convento de Cristo, classificado pela UNESCO MA

como Património Mundial.


3 A Água Esta é a Região dos grandes lagos. As barragens da Ortiga (Tejo), 7
Pracana (Ocreza), Cabril, Bouçã e Castelo do Bode (Zêzere) criam outras tantas albu-
feiras, envolvidas por um extenso manto florestal. Especial menção ao Castelo do Bode
que, com os seus 60 quilómetros de extensão, é um dos maiores lagos artificiais da
Europa.A pureza das suas águas é certificada por abastecer a região da Grande Lisboa.
4 Ar / Natureza Com sítios naturais únicos, como a Reserva do Paul do
Boquilobo (classificada pela UNESCO) ou o Parque Natural das Serras de Aire e Can-
deeiros, a região fica situada no coração da maior mancha florestal de Portugal, rasgada
TEMPLÁRIOS Profundamente

por ribeiras de pontes romanas e beleza intacta. A paisagem regista uma diversidade
que vai das serranias beirãs, a norte, às terras da charneca, mais espraiadas e vizinhas
do Tejo.
5 Lazer e Adrenalina Pode optar por se instalar numa das estalagens
sobranceiras às albufeiras, gozar a água, apreciar a paisagem e descobrir a gastronomia
nas aldeias históricas e preservadas que se estendem pelas margens. Pode sentir
emoções mais radicais em terra, no ar ou na água, pois existem empresas especializadas
em qualquer uma das opções. Do ski aquático às descidas do Zêzere; do slide, nas
margens escarpadas das ribeiras, à iniciação no pára-quedismo sob os céus de Proença-
-a-Nova, a oferta é enorme e a escolha é sua.
6 Gastronomia Quer voltar a saborear o paladar de um verdadeiro cabrito?
Comer, à beira-rio, o peixe acabado de pescar em águas despoluídas? Descobrir a ancestral
cozinha beirã, nos sabores do bucho ou dos maranhos com o aroma da hortelã? Então
venha mesmo à Região dos Templários e comprove, em fim de refeição, se é verdade
o que se diz no Guia Expresso/O Melhor de Portugal: “É o melhor queijo que se faz
em Portugal. É de cabra, produzido na região de Mação e Proença-a-Nova…”.
7 Monumentalidades Mesmo sem contar com o Convento de Cristo/
Património Mundial, existe na Região um vasto e rico conjunto monumental. Desde
o centro histórico de Tomar com o seu traçado medieval, onde se encontra o maior
10 RAZÓES PARA VIR... E VOLTAR

FS
número de monumentos nacionais do distrito, até à milenar vila de Dornes, com a sua
torre templária pentagonal, em península à beira-Zêzere, muito há para ver.
8 Festa dos Tabuleiros De remotas origens, onde se pressentem
cultos de fertilidade, é das mais profundas manifestações de religiosidade popular em
todo o país.
O desfile de centenas de Tabuleiros, decorados com o pão e as magníficas flores, é um
espectáculo de cor e grandiosidade que jamais se esquece.
9 Praias Fluviais Águas cristalinas, soberbas paisagens, boas infra-estruturas,
sem engarrafamentos e estacionamento garantido. Tudo o que se pode desejar numa
praia. Há uma dúzia a funcionar na Região, tendo algumas delas merecido distinções
internacionais pela qualidade dos projectos e belíssimo enquadramento na paisagem
envolvente. 9
10 Aqui tão Perto Pela centralidade, excelentes acessibilidades e curtas
distâncias, é fácil multiplicar os pontos de interesse turístico a partir da Região. Praias
como a Nazaré, S. Pedro de Moel ou São Martinho do Porto, estão a cerca de uma
hora de caminho. O mesmo se passa com monumentos como o Mosteiro da Batalha
e de Alcobaça, que pelo seu interesse histórico e monumental têm uma importância
reconhecida mundialmente. Fátima, a pouco mais de vinte quilómetros de Tomar, é um
dos santuários e locais de peregrinação mais importantes do mundo cristão.
TEMPLÁRIOS
Profundamente
Templários / Descobrimentos Em Tomar se fez, muitas vezes, a His-
tória do mundo ocidental. Logo no século XII chegaram os místicos cavaleiros Templários,

guerreiros do Cristianismo na Terra Santa e na Península Ibérica, os primeiros banqueiros

na Europa.

Guardiões do Tejo, a primeira linha de defesa contra o sul muçulmano, espalharam

castelos pelos seus domínios de Pombal a Castelo Branco, mas era Tomar a cabeça

do território.

Construído o castelo, Mestre Gualdim Pais inspira-se nos seus tempos de cruzado

na Terra Santa para erguer a Charola, essa espantosa síntese do ocidente cristão com

a cultura oriental. A igreja, quase torre de menagem, é considerada a mais bela e pre-

servada construção religiosa erguida pelos Templários na Europa.


11
Foi também o Mestre Templário que ergueu o romanesco Castelo de Almourol,

construído no espantoso cenário de uma ilha no Tejo, e ainda a torre da aldeia medieval

de Dornes, com a sua estranha arquitectura de cinco faces enquadrada pela beleza

do Zêzere.

A enorme riqueza e poder da Ordem do Templo acabou por a fazer cair em desgraça.

Perseguidos na Europa, Tomar acabou por ser o último reduto dos Templários,

transformados em Ordem de Cristo.


TEMPLÁRIOS Profundamente

Vem então o Infante D. Henrique que, a partir do Convento e com a herança templária,
lança as caravelas com a Cruz de Cristo “por mares nunca dantes navegados”.
Aqui nasceu o mundo moderno.
As Descobertas trazem o desenvolvimento comercial de Tomar. Constroem-se os Estaus,
grandes armazéns henriquinos, de arcaria gótica ainda hoje embebidas nas paredes
da cidade velha. É o período de maior desenvolvimento da comunidade judaica que
no século XV levanta a sua sinagoga, um dos raros templos judaicos do nosso país
e, talvez, o mais bem conservado.
Porém, é quando Portugal liga, por mar, o Ocidente com o Oriente que chega a maior
grandeza.
É de mar, de cheiro a canela, de mundos novos que Arruda nos fala na Janela do Capítulo,
o Manuelino em todo o seu esplendor.
Trabalham na cidade os grandes artistas do século XVI. João de Castilho com o mara-
vilhoso pórtico da nave manuelina. Diogo de Torralva conclui Nossa Senhora da
Conceição, a capela renascentista que D. João III construiu para seu mausoléu e que
críticas internacionais classificam como “o mais belo interior do mundo”.
Aqui está a pintura de Gregório Lopes e João Afonso, a escultura de João de Ruão e até
Gil Vicente, o mestre ourives criador da Custódia de Belém e pai do teatro português,
estreou no Convento a Farsa de Inês Pereira, com D. João III como espectador.
Na Sala do Capítulo, com a sua Janela feita de mar, nasceu o maior império do mundo,
quando as Cortes de Tomar aclamaram Filipe II como único rei de toda a Península
e suas terras de Além-Mar.
A dinastia Filipina não esqueceu gratidão ao Convento e à cidade.
No Convento de Cristo está toda a História de Portugal e aqui, muitas vezes, se decidiu
o Mundo. Todas as épocas lhe quiseram prestar tributo e os seus oito séculos de Patri-
mónio são o verdadeiro tesouro templário, um Património da Humanidade, como
a UNESCO o declarou.
Albufeira / Pinhal A Natureza é outro tesouro destas terras templárias.
O Paul do Boquilobo, a primeira área protegida portuguesa integrada na Rede Mundial
de Reservas da Biosfera pela UNESCO. O Parque Natural das Serra de Aire e Candeeiros,
onde pode visitar o mais antigo e longo trilho de dinossáurios do mundo. 13
Porém, a qualidade do ar e água são o nosso maior património.
A Região de Turismo dos Templários (Floresta Central e Albufeiras) está situada
no coração da maior mancha florestal do país. Um gigantesco Parque Natural a que
não falta o encanto dos grandes lagos, formados pelas albufeiras da Pracana, Bouçã,
Cabril e Castelo do Bode, que nos seus 60 quilómetros de extensão é um dos maiores
lagos artificiais da Europa. É aqui que se capta no Zêzere a água que abastece Lisboa,
uma incontestável garantia de qualidade.
TEMPLÁRIOS Profundamente

O Tejo, o Nabão, o Zêzere e as muitas ribeiras que descem das serras beirãs, viram
aproveitados os seus recantos de maior beleza para instalar calmas e bem equipadas
praias fluviais. A qualidade destas apostas é certificada pelas distinções internacionais
que já mereceram.
Nas margens destes grandes lagos encontramos aldeias ancestrais, algumas com 2000
anos de História, enquadradas pelo encanto natural que o rio e o pinhal lhes oferecem
e num estado de preservação hoje difícil de encontrar. Álvaro; Água Formosa;
Fernandaires; Dornes; Pedrógão Pequeno; Zaboeira, são exemplos notáveis.
Gastronomia Nestas aldeiras irá descobrir propostas gastronómicas
irrecusáveis. Como se pode resistir, frito ou grelhado, ao belíssimo e despoluído achegã,
saboreado enquanto o sol se põe sobre o imenso lago? A lampreia, o sável, a enguia,
a fataça também são propostas.
Na serra o cabrito é rei, mas poderá optar pelos diferentes e característicos maranhos,
plangaios ou bucho recheado.Todos têm em comum o facto das carnes e arroz, compo-
nentes essenciais do recheio e apaladados por ervas aromáticas, serem cozidos dentro
do bucho de porco ou carneiro.
Lazer e Aventura As albufeiras também são lazer e adrenalina.
Instale-se confortavelmente, numa estalagem ou hotel sobre o Zêzere e disfrute a calma,
a paisagem, o romance. Preferindo outras emoções, os imensos espelhos de água permitem
uma enorme variedade de desportos aquáticos.
O Castelo do Bode, concretamente a zona do Lago Azul, é escolhido por diversas
selecções nacionais para realização de estágios pelas excelentes condições que oferece
para a prática do remo e canoagem.
Se é adepto de modalidades mais velozes, encontra aqui as condições ideais para essas
actividades. As albufeiras estão equipadas com diversos ancoradouros e rampas de acesso
para embarcações, mas a prática destes desportos tem especiais condições e oferta
nos diversos clubes e centros náuticos.
Festa Encontramos na Região manifestações religiosas, com séculos de tradição
e profundo enraizamento popular, como os Círios de Dornes ou as Festas da Aleluia
de Cem Soldos. O Sardoal é terra de igrejas e capelas que se enfeitam de pétalas
durante as celebrações da Semana Santa e a Festa do Espírito Santo.
É o culto do Espírito Santo que está na origem da maior manifestação de religiosidade 15
popular em toda a Região, a Festa dos Tabuleiros.
As festividades do Espírito Santo radicam na apropriação cristã de antigos ritos pagãos
ligados à fertilidade, espírito que se mantém nos Tabuleiros de Tomar.
A Festa começa no Domingo de Páscoa, com a saída das Coroas do Espírito Santo.
Sucedem-se outros Cortejos, como o do Mordomo e o dos Rapazes. Neste, as crianças,
vestidas a rigor, transportam pequenos tabuleiros e cestos de flores com que percorrem
as ruas da cidade.
TEMPLÁRIOS Profundamente

No dia grande da Festa, centenas de Tabuleiros são levados à cabeça por raparigas
vestidas de branco, a contrastar com o imenso colorido das flores e o dourado do pão.
Esta Festa é uma das mais antigas e genuínas manifestações de religiosidade e tradição
popular em Portugal, mas também um espectáculo único em que se aliam a cor,
a grandiosidade, a cenografia, num espectáculo singular.
17
A CIDADE TEMPLÁRIA
A CIDADE TEMPLÁRIA

Tomar é um caso de amor à primeira


vista.
Feito o aviso, marque-se encontro com
a cidade na esplanada do Santa Iria.
O café está bem integrado no Convento
do mesmo nome, cujas origens remontam
ao século VI.
Segundo a lenda, a Santa teria sido sacri-
ficada nesses tempos visigóticos e o seu
corpo lançado ao Nabão, vizinho do Con-
vento. Daí, primeiro pelo Zêzere e depois
pelo Tejo, teria chegado a Santarém, dando
origem ao nome daquela cidade.
O Templo que hoje se nos oferece é de 19
feição renascentista e exemplo precioso Castelo à Capela da Senhora da Concei- de Santa Iria, um touro visigótico, como
do trabalho de João de Ruão, merecendo ção, surpreende-se nas quedas de água aqueles que depois só Picasso soube fazer.
especial destaque o Calvário, à direita do açude dos Frades e vem admirar-se Atravessado o rio podemos acompanhar
do altar-mor onde tem honras a padroeira. com as centenas de peixes que se amon- o curso até ao Mouchão, ilha-jardim dentro
Poucos metros à frente espera-nos o Nabão, toam nas águas límpidas do rio, quase da cidade com entrada assinalada por um
com paragem obrigatória junto ao restau- ao alcance da mão. dos seus símbolos, a famosa roda, como
rante “Bela Vista”, nome merecido pelo A Ponte Velha percorre-se devagar, absor- as que, em tempos não muito recuados,
panorama que oferece. O olhar desce do vendo o rio ou descobrindo, sobre o nicho regavam as terras do vale do Nabão.
TEMPLÁRIOS Profundamente

dos Templários, obter informações sobre certamente para retiro espiritual dos guer-
a cidade e a região. Logo em frente, reiros de Cristo depois das lides na Corre-
na Confeitaria Estrelas de Tomar, podemos doura, mas foi D. Manuel I, no tempo da
deliciar-nos com os doces nascidos da pimenta e da canela do Oriente, que lhe
longa tradição da doçaria conventual. deu a exuberância que hoje nos oferece.
Agora, é levantar o olhar para as fachadas No interior, a luz filtrada do sol incide sobre
onde o azulejo dá à principal artéria de os capitéis, num jogo de luzes douradas
Tomar um encanto muito especial. que brinca com as magníficas talhas do
Da Havaneza Lda. à Pharmácia Pinheiro; altar-mor e realça o trabalho da pedra
da fachada Arte Nova do antigo Barateiro que transforma o púlpito numa obra de
à entrada da Pensão União. ourivesaria. A atmosfera gótica é realçada
Uma palavra para esse outro monumento pelas tábuas quinhentistas do Mestre
do tempo dos cafés que é o Paraíso Gregório Lopes.
Contudo se, finda a ponte, a decisão for e eis-nos chegados à Praça da República. À saída espera-nos o poder temporal sim-
seguir em frente, vamos entrar na Corre- Não se estranhe a familiaridade com que bolizado no antigo palácio de D. Manuel I,
doura, nome ganho nos tempos em que ela nos acolhe, de facto já a conhecemos que hoje é Câmara Municipal, e pelo velho
os cavaleiros templários ali “corriam” por ter sido escolhida, entre as mais belas castelo templário que domina a praça.
as lanças, sempre com o castelo como de Portugal, como cenário e imagem para Num banco repousante e com Gualdim
cenário. promover o EURO 2004. Pais por companhia, podemos aqui optar
Depois de nos surpreendermos com A praça dá à Igreja de S. João o espaço por uma visita guiada pela cidade, no pano-
o revivalismo da Casa Vieira Guimarães, que o seu gótico flamejante precisa. O tem- râmico comboio turístico ou seguir, a pé,
é boa altura para, na Região de Turismo plo foi erguido pelo Infante D. Henrique, pela Rua Infantaria 15. Cortando logo na
A CIDADE TEMPLÁRIA

primeira à esquerda, estamos na rua


Dr. Joaquim Jacinto, antes dita da Judiaria.
Calcetada com seixos do rio, aqui flores-
ceu, durante o século XIV, a judiaria de
Tomar, demarcada até à Rua dos Moinhos,
por portões que se cerravam com a noite.
Hoje a rua é uma espécie de milagre de
rosas, com as flores que os orgulhosos
moradores fazem, inexplicavelmente, nascer
das pedras.
No número 73, situa-se a Sinagoga.
A antiga entrada do templo fazia-se a nas-
cente e penetrando no vão do número
71 encontramos o primitivo acesso, a porta de El-Rei. Construção manuelina para Não sem antes admirar os Estaus, as estru- 21
rude e ogivada que nos permite recriar aproveitamento da força motriz do Nabão, turas dos antigos armazéns henriquinos,
a ambiência medieval. No interior, da sobrie- raro e excepcionalmente bem preservado admiravelmente integrados na arquitectura
dade das abóbadas ressaltam os capitéis exemplo da arquitectura industrial do início da cidade velha, atravessamos de novo
de influência mudéjar, de concepção geo- de quinhentos. Sem cair na tentação do o Nabão, agora pela Ponte Nova. Vamos
métrica e naturalista. “toque veneziano”, aqui é impossível deixar voltar à companhia dos cavaleiros do templo,
A antiga Rua da Judiaria vai levar-nos de sentir cidade e rio como se fossem na Igreja de Santa Maria dos Olivais.
à também antiga Levada, hoje Rua Everard, uma coisa só e já poucas cidades conseguem O templo foi edificado em meados do
onde se reflectem nas águas os moinhos manter esta relação. século XIII, sobre o que restava de antigo
TEMPLÁRIOS Profundamente

mosteiro visigótico, com a intenção de Deve estar a chegar o fim da tarde,


servir de panteão aos Mestres Templários vamos esperá-lo à esplanada do Santa
e depois de Cristo, mas obras quinhen- Iria na companhia de uma bebida revigo-
tistas fizeram desaparecer a maioria desses rante. É esta a melhor hora e local para
monumentos funerários. Curiosamente, ver a Senhora da Conceição dourar-se
salvaram-se as lápides de Gualdim Pais com os últimos raios de sol.
(1195), embutida na segunda capela
do lado sul, e de D. Gil Martins, primeiro
Mestre da Ordem de Cristo.
O gótico dava em Portugal os primeiros
passos e Santa Maria teve um papel
pioneiro, servindo de modelo às igrejas
de três naves construídas até ao período
manuelino.Esta importância compreende-
-se pela elegância e leveza do seu espaço
interior.
Pecado é sair de Santa Maria sem travar
conhecimento com a mais terna e terrena
das Santas. Sob a luz gótica do altar-mor
está uma embevecida Senhora do Leite
que, num gesto deliciosamente humano,
afaga o pé do Menino que se alimenta
como qualquer menino.
A CIDADE TEMPLÁRIA

23
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

Judiaria e Sinagoga
Tomar

Na rua Dr. Joaquim Jacinto, antes dita


da Judiaria, floresceu desde o século XIV,
a Judiaria de Tomar. Demarcada por portões,
que se cerravam à noite, entre as esquinas
da rua Infantaria 15 e dos Moinhos, esta
ainda hoje assinalada por prédios de raiz
quatrocentista.
A construção da Sinagoga, coincidente
com o período áureo da comunidade
judaica da cidade, terá ocorrido entre
25
1430 e 1460, quando o Infante D. Henri-
que, a partir de Tomar e com o dinheiro
da Ordem, mandava as caravelas à desco-
berta do mundo por mares nunca dantes A primitiva entrada em ogiva, polida e gasta em quatro elegantes colunas de capitéis
navegados.Ao desenvolvimento da comu- pelo tempo, é ainda visível (penetrando vegetalistas. Porém, esta simplicidade é enga-
nidade não será estranho o vigor econó- no vão do número 71), recriando uma am- nadora, já que toda a construção encerra
mico da cidade nesse período, estimulado biência que o acesso principal não permite. um enorme simbolismo. As colunas sim-
pelo comércio ultramarino resultante dos O interior é de uma grande sobriedade, bolizam as quatro matriarcas: Sara, Rebeca
Descobrimentos. com abóbadas de arestas simples, apoiadas e as duas gémeas, filhas de Labão, Léa
TEMPLÁRIOS Profundamente

e Raquel, razão pela qual os capitéis das


suas colunas são iguais. Também as doze
mísulas, que nas paredes recebem as abó-
badas, representam as doze tribos de Israel.
A excelente acústica do templo é propor-
cionada por bilhas de barro incrustradas nas
paredes e de que apenas é visível o gargalo.
Desvendando o simbolismo da Sinagoga,
continua mistério o facto de esta deco-
ração ser gémea da que suporta a cripta
da Colegiada de Ourém, onde se encontra
o túmulo gótico de D. Afonso, o poderoso
e cristão Conde de Ourém. Semelhança
não só na forma, mas também nas propor-
ções quase milimetricamente reproduzidas.
O édito manuelino de 1496 pôs fim à liber- Castelo Templário sombra protectora, estaria longe de ima-
dade religiosa dos judeus em Portugal e Convento de Cristo ginar que fundava a última cidade templária.
e depois dessa data a “esnoga” conheceu Tomar A importância dos templários na afirma-
várias utilizações, desde prisão a adega ção do mundo ocidental foi continuada
e armazém de mercearias, tendo mesmo Quando, em 1160, o Mestre Templário pela sucessora Ordem de Cristo, dinami-
sido templo cristão. Só em 1921 foi clas- Gualdim Pais iniciou a construção do cas- zadora do primeiro movimento dos Desco-
sificado como monumento nacional. telo, com a cidade a nascer sob a sua brimentos, à escala mundial.
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

Este passado riquíssimo faz do castelo Gualdim Pais, do alto dos seus 72 anos,
templário de Tomar o guardião de um a comandar a defesa. Ainda hoje a Porta
imenso tesouro, oito séculos de História, do Sangue é memória do mais violento
reconhecidos pela UNESCO como Patri- desses combates.
mónio da Humanidade. Vamos nós agora, de forma pacífica,
Esta riqueza acumulada começou imedia- atravessar a dupla cintura de muralhas.
tamente com a construção do castelo, Transposta a Porta do Sol logo surge a
quando na torre de menagem se integra- Charola e se nos solta o espanto.Templo-
vam memórias antigas e recolhidas junto -fortificação coevo do castelo, não encontra
ao Nabão. Aí está embutida a lápide paralelo nas preocupações defensivas do
romana consagrada ao Génio Municipi, românico português. Essa singularidade vem-
espírito protector de Sellium (cidade ro- -lhe da influência bizantina, trazida pelo olhar
mana implantada onde hoje se encontra templário desse Oriente que combatia,
Tomar) que, para sempre, ali ficou a zelar mas que lhe mostrava outras formas de ver. 27
pela segurança da urbe. As cruzadas trouxeram para a Europa
Não sabemos se por influência da divin- o templo-rotunda, inspirado no Santo
dade romana, mas a verdade é que o castelo Sepulcro, que em Tomar tem o melhor
nunca caiu em mãos inimigas, nem mesmo exemplo do mundo ocidental. A planta
quando, em 1190, as tropas de Almançor quase circular e as proporções, que a tornam
recuperaram os territórios até à linha mais numa segunda torre de menagem
do Tejo e só foram travados em Tomar. que num local de culto, aproximam-nos
O castelo esteve cercado seis dias, com desse Deus Guerreiro do século XII.
TEMPLÁRIOS Profundamente

porque a expurga o impunha, a Ordem


passou a ser de Cristo.
Nesta nova era surge como figura mais
carismática o Infante D. Henrique. É ele
que vai ligar os cavaleiros de Cristo à epo-
peia dos Descobrimentos e são os bens
templários que vão financiar a descoberta
do Mundo e a expansão do cristianismo.
Homem de profundas convicções religiosas
e porque achava que os monges do seu
tempo se afastavam da contenção que
conviria a um servo de Deus, procurou
refrear certa liberalização de costumes
propiciada pelos encantos profanos da
No deambulatório circular e com o encanto Os interesses terrenos de Filipe de França cidade. Para serviço da Ordem erguem-
emprestado pela lenda, os altivos monges- vão ter, junto do Papa, mais eco que a divisa -se os Claustros da Lavagem e do Cemitério,
-guerreiros assistiriam ao ofício religioso templária “Não a nós, Senhor, não a nós, este, sem desprimor do primeiro, é um
montados a cavalo. Seriam dos poucos mas ao teu nome dá glória”. A Ordem delicioso exemplo gótico quatrocentista,
mortais que poderiam estar na presença é perseguida e extinta em toda a Europa, pequeno sem ser diminuto, convidando
de Deus sem ajoelhar. mas em Portugal e invocando a proximi- ao recolhimento à sombra da austera
Mas o enorme poderio da Ordem do dade do perigo islâmico, D. Dinis consegue e protectora Charola. Cinco tramos de ogivas
Templo vai acabar por ditar a sua queda. justificar a continuidade. No entanto, elegantes e capitéis de um vegetalismo
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

que orgulha Mestre Fernão Gonçalves, ao ridade românica, não choca a convivência.
assinar a obra na base de um dos ângulos. O interior da Charola foi recebendo
Contudo o que confere o toque de dife- decoração ao longo de todo o século XVI,
rença a este claustro é a intervenção tornando-se um extraordinário exemplo
manuelina que, forrando-o de azulejos da escultura e pintura do século de ouro
mudéjares, lhe dá uma inesperada inspi- português.
ração mourisca, reforçada pelo perfume I. Cas. cos 515, é assim que João de Castilho
a limão que alguém, sabiamente, ali plantou. nos indica a paternidade do portal, cons-
Ao ciclo templário do Convento sucedeu truído em 1515, de acesso à Charola
o henriquino e, se o Infante e a Ordem e nave manuelina. Também aqui são duas
contribuíram para dar do Mundo uma partes que formam o todo, a carnalidade
nova visão, o conjunto monumental foi da estatuária manuelina tem como suporte
depois recompensado com os lucros os primeiros sintomas da sobriedade
da pimenta e da canela. Com D. Manuel e lisura renascentista das três arquivoltas 29
e D. João III, o Convento torna-se na obra do portal. Sobre ele a Virgem, tema central
mais eclética e rica da nossa arquitectura da composição, encontra-se na boa com-
monumental, do Românico à Renascença. panhia de vários santos, curiosamente
No reinado do Venturoso, a Charola trajados ao gosto da época, que ao cair
vai servir de altar-mor à luminosa nave da tarde se entretêm em deliciosos jogos
manuelina. Apesar da distância temporal de escondidas nas sombras do dossel.
entre as duas partes da igreja e da exube- D. Manuel, porém, não se contentou com
rância quinhentista em oposição à auste- este acesso mais faustoso e em inundar
TEMPLÁRIOS Profundamente

a canela, trazido pela brisa do mar.


É este vento que já não se sente na janela
sul, ocultada que está pelo Claustro Prin-
cipal, mas o gótico é um imaginário já pas-
sado e o gosto vai mudar rapidamente,
vai italianizar-se, copiando um classicismo
de linhas sóbrias e geométricas, sem
a exuberância incontida do gótico
português, agora tido por bárbaro. Chegou
a Renascença.
O Claustro Principal, projectado inicial-
mente por Castilho – o autor do pórtico
da Charola – e continuado por Diogo de
Torralva, é exemplo da mudança radical.
De uma grandiosidade solene e fria,
a hermética Charola com a luz poente proporcionaram os meios e inspiraram impressionante pela pureza das formas
do coro, em cujo andar térreo se encon- as formas. A Janela do Capítulo é disto e geometrismo da composição. Neste
tra a Sala do Capítulo, essa onde o rei abriu o melhor exemplo e se quanto aos meios cenário enquadra-se bem a fonte central,
uma janela com vista para a ocidental podemos dizer que se trata da saldar já seiscentista, com o eco da água em
praia lusitana. dívida antiga, a forma que Diogo de Arruda queda a dar musicalidade sóbria para se
Frequente é a associação do Manuelino idealizou foi a de uma nau da carreira apreciar a clausura e austeridade que
aos Descobrimentos, porque estes lhe da Índia. Não se estranhe o cheiro doce o local inspira.
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

O Convento de Cristo tem muito mais a


mostrar e a descobrir, mas à saída
devemos guardar ainda um olhar para
o Aqueduto dos Pegões, notável obra de
engenharia que Filipe I mandou construir,
em 1593, para abastecer de água o Con-
vento.
O rei espanhol teria razões para sentir
um especial carinho por Tomar, já que foi
nas Cortes realizadas na Sala do Capítulo,
em 1581, que Filipe II de Espanha se tornou
I de Portugal e no primeiro rei ibérico.
O aqueduto, numa extensão de seis
quilómetros a partir do lugar de Pegões, 31
é formado por 180 arcos, muitas vezes
sobrepostos. Os vinte anos que levou
a erguer dão ideia da imensa tarefa que
foi a sua construção. Esta obra de per-
sistência e duro trabalho bem merece
a curta viagem até Pegões, onde a sua
imponência e dimensão melhor podem
ser apercebidos.
TEMPLÁRIOS Profundamente

A torre, pela base robusta e guerreira,


faz-nos recordar os templos medievais,
lembrança reforçada pelo baixo-relevo
dos leões, de inspiração visigótica, em-
butidos na sua base. À medida que se vai
levantando para o céu, a torre vai ganhando
leveza até terminar num elegante coruchéu
que faz ligação estética com o gótico flame-
jante do portal.
O relógio quinhentista da torre, trazido
do castelo, mostra-nos, com rostos e cavei-
ras, a marcha inexorável do tempo, o dia
e a noite, a vida e a morte. O mesmo jogo
simbólico que, logo à entrada, encontra-
mos na singela pia de água benta decorada
Igreja de as lanças”. Desse tempo será a origem da com o sol e a lua, escolha entre o caminho
S. João Baptista igreja, ampliada pelo Infante D. Henrique, da Luz ou das Trevas.
Tomar regedor da Ordem de Cristo. Também No interior, o púlpito é absolutamente
seu regedor, antes de ser rei da pimenta extraordinário. Apesar de danificado devido
Vindo do castelo, S. João ergue-se no e da canela, foi D. Manuel que, vivendo à maciez da pedra e à dureza dos anos,
início da Corredoura, onde, segundo no palácio fronteiro (hoje Câmara Muni- mostra como era requintado o trabalho
rezam as crónicas, os Templários “corriam cipal), deu ao templo a feição gótica. do calcário, obra mais próxima da ourive-
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

saria que da escultura e cujo lavor tem


evidentes parecenças com o flamejante
do portal.
A luz filtrada do sol reforça a ambiência
gótica e cria o espaço ideal às seis tábuas
quinhentistas de Gregório Lopes, pintor
régio que retrata as cenas bíblicas com
as roupagens do século XVI. Mais ao
gosto flamengo é o triptíco do Baptismo
de Cristo, da oficina de Quentin Metzys,
que se pode ver no baptistério.
As três naves são suportadas por ele-
gantes colunas com capitéis vegetalistas,
unidade quebrada pelo segundo capitel Castro e Capela devido à intensa exploração do ouro que 33
da direita onde se retrata uma caçada de S. Pedro este povo fez nas margens do Zêzere.
ao javali duma estética quase românica. Ferreira do Zêzere Subindo o monte, são ainda visíveis restos
de muralhas e fragmentos cerâmicos.
O próprio nome do local, S. Pedro de Talvez pelo seu magnetismo ou beleza
Castro indica a sua remota fundação natural, os homens sempre escolheram
e origem castreja. O castro de S. Pedro certos locais para estarem mais perto
aponta para uma cronologia do período dos deuses, este é um deles.
Bronze/Ferro, posteriormente romanizado Atingindo o cume e coroando o que seria
TEMPLÁRIOS Profundamente

o povoado latino, deparamos com a base


de um templo romano a que se sobrepôs,
no século XV, a pequena capela gótica.
O templo cristão aproveitou diversos mate-
riais romanos ainda hoje visíveis e incor-
porados nas suas paredes. Curiosa é a
lápide funerária, embebida na frontaria,
em memória de Antónia Máxima e onde
se invocam os Deuses Manes, divindade
romana dos mortos, anterior ao cristia-
nismo.
O acesso a S. Pedro faz-se por razoável
estrada de terra, a partir do Lago Azul,
tendo o Zêzere por companhia, mas
é junto à capela que se tem uma das mais
admiráveis vistas sobre o rio. Torre Templária da arquitectura militar dos tempos da
e Igreja de Dornes Reconquista.

Ferreira do Zêzere Edificada por Gualdim Pais para defesa


da linha do Tejo, foi construída sobre a
A torre templária de Dornes surpre- base de antiga torre romana, garante da
ende pela invulgaridade da forma, as suas segurança para a exploração do ouro
cinco faces tornam-na um exemplar raríssimo que aquele povo fazia no Zêzere.
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

Do xisto rude destacam-se os cunhais


calcários, onde ainda se podem descobrir
as marcas dos canteiros medievais.Também
de calcário é a verga da porta, aprovei-
tamento de uma estela funerária, prova-
velmente visigótica, decorada com símbolos
guerreiros (lanças, espadas e escudos).
No interior da torre encontram-se, intactas,
várias estelas funerárias templárias, lem-
brando eras em que estes cavaleiros defen-
diam o território das investidas muçulmanas
e procuravam sepulcro junto das casas
de Deus.
Com tempos mais pacíficos e perdida 35
a função guerreira, a torre ficou sineira
no século XVI, função que ainda hoje Apesar da sua antiquíssima fundação um órgão de tubos em excelente estado
conserva. é D. Gonçalo de Sousa, homem de con- de conservação e utilizado frequente-
À sua sombra nasceu a igreja, fundada fiança do Infante D. Henrique e comen- mente nos concertos que aproveitam
ainda no século XII e que desde o tempo dador da Ordem nestas terras, que dá a a estupenda acústica.
da rainha Santa Isabel se encontra feição à actual igreja. Disso nos dá conta A igreja está revestida de bons azulejos
associada à lenda e culto da Senhora do a lápide gótica à entrada do templo. do século XVI (altar-mor) e XVII (nave),
Pranto. No interior somos surpreendidos por cenário ideal para apreciar um excelente
TEMPLÁRIOS Profundamente

hoje se mantêm vivas, os Círios, tendo


o 15 de Agosto como ponto alto. A Pietá
não é a mesma que no século XIII, segundo
a lenda, foi encontrada entre matos por
indicação da Rainha Santa. Esta é obra de
artífice seiscentista e que denota alguma
rigidez no tratamento da pedra, mas nem
por isso menos venerada pela religiosi-
dade popular.
Digno de registo é o púlpito renascentista,
conjunto de arte sacra quinhentista, de que datado de 1544, formado por cinco fiadas Vila de Cardílio
se destaca uma notável imagem de Santa de rosetas tendo por centro a Cruz de Torres Novas
Catarina. Cristo. Apetece libertar a imaginação
Mas em Dornes, todas as atenções vão e pensar que a pedra nos fala do milagre Nas imediações da cidade, Cardílio
para a Senhora do Pranto que, natural- das rosas, prodígio da Rainha que sabia é uma história de amor com 2 000 anos.
mente, faz as honras da casa presidindo onde encontrar a imagem da Senhora do Esta “villa” rural, com ocupação entre
ao altar-mor. Desde a Idade Média, tempo Pranto. Ou desse outro milagre, operado os séculos I e IV, apresenta um peristilo,
de fomes, peste e guerra, que lhe é pres- pelo rei seu marido, quando transformou elemento central da casa nobre romana,
tado culto por toda a região e remontam a cruz do Templo na de Cristo e nestas formado por um pátio com colunas e normal-
a essa época as peregrinações que ainda terras fez crescer o último reduto templário. mente ajardinado. Neste espaço podemos
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

admirar diversos painéis de tesselas (peque-


nos mosaicos romanos) em excelente estado
de conservação e tendo por base motivos
geométricos. É ainda nesta dependência
que se vê a arcaria em tijolo, estrutura des-
tinada ao aquecimento das águas da casa
e um luxo que se perdeu na Idade Média.
Porém, é no ostivm, a recepção da casa, que
se encontram as mais belas tesselas, for-
mando um grande painel historiado que
nos dá conta do amor de Cardílio e Avita.
Enquadrado por moldura de motivos geo-
GP
métricos, temos um quadro em que o casal Em Cardílio o passado tem rosto e é feito
amoroso surge retratado a meio corpo. de sentimentos quase palpáveis. Para 37
Funcionando como legenda, surge um continuarmos a história de amor do
segundo quadro com a inscrição latina casal, no Museu Municipal Carlos Reis
“Viventes Cardilium et Avitam Félix Turre” e na secção dedicada ao período romano,
(Que Cardílio e Avita sejam felizes na sua vamos admirar a notável estatueta de Eros
“villa” da Torre). Este voto de amor eterno adormecido, encontrada em Vila Cardílio.
tem, há 2 000 anos, a companhia de um Não sabemos se pertenceu a Cardílio
terceiro quadro em que se representam e Avita, mas gostamos de imaginar que
aves transportando flores nos bicos. sim.
TEMPLÁRIOS Profundamente

que foi Afonso Henriques que chamou Depois das lutas com Castela, D. Fer-
Novas a estas Torres, após a sua conquista nando ordenou a reconstrução do castelo
em 1198, distinguindo-as assim das outras e das muralhas da cerca, mas não mais foi
já Vedras (Velhas). Certo é que o castelo palco de guerras medievais. Isto não quer
remonta, pelo menos, ao período árabe, dizer que não tenha passado por outras
como prova a conquista afonsina. provações, no século XVIII enfrentou um
O período da Reconquista foi agitado ataque não menos devastador, o terra-
para a fortaleza, com sucessivos cercos, moto de 1755 que lhe destruiu quatro
conquistas e reconquistas por parte de das torres.
cristãos e muçulmanos.Afonso Henriques Com o advento da República foi reconhe-
entrega a defesa do castelo aos Templários, cido como Monumento Nacional, rece-
mas só D. Sancho I, em 1190, consegue bendo obras de restauro e consolidação
Castelo garantir definitivamente a sua posse para entre 1940 e 46.
Torres Novas Portugal. Hoje é um dos mais bem conservados
As suas muralhas presenciaram o dramático castelos portugueses, continuando, com
O castelo deTorres Novas está rodeado episódio do alcaide Gil Pais, quando, as suas dez torres, a dominar a cidade
de lendas antigas e estórias dramáticas. na sequência da invasão de Henrique II, e o fértil Almonda.
A mais remota das tradições atribui a sua em 1372, recusou a entrega do castelo às
fundação a amigos de Ulisses que, depois hostes castelhanas em troca do seu filho,
de Lisboa, teriam subido o Tejo e o Almon- feito prisioneiro. Conta a lenda que assistiu
da até à colina onde ergueram Neupergama, ao seu enforcamento diante da porta da
ou seja, Nova Torre. Já Damião Peres diz fortaleza.
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

Igreja das Areias ainda pela sua função sineira e de acesso


Ferreira do Zêzere à igreja, feito por galilé de três arcos onde
Castilho soube dar graciosidade e impo-
Foi antes de ser rei, quando era “apenas” nência.
duque de Beja e governador da Ordem São estes os atributos que nos acompa-
de Cristo, que D. Manuel ordenou a cons- nham até ao interior, onde as três naves
trução do templo. jizadas pelo arquitecto dão a impressão
Porém, é no reinado de D. João III que de uma só. Esta noção de espaço é ampliada
João de Castilho, o mesmo da Batalha pela abóbada da capela-mor, onde em
e de Tomar, aqui deixa o seu traço. Não azul celeste se suspendem os emblemas
sem que antes tenha tido necessidade reais e os símbolos da Ordem de Cristo,
de escrever ao rei a queixar-se dos apuros os mecenas da obra.
monetários em que se encontrava para Mas verdadeiramente prodigioso, para
que a obra pudesse avançar. O dinheiro não cair na tentação de chamar milagre
certamente não tardou, pois a primeira e
39
àquilo que não tem explicação aparente,
surpreendente impressão é de uma gran- é o púlpito. A grande massa calcária sus-
diosidade que não se esperaria encontrar pende-se sobre um fuste de mais que
num templo rural. duvidosa robustez para semelhante encargo.
O corpo central da fachada destaca-se A única explicação para este desafio de
dos laterais, com a volumetria a ser refor- séculos às leis da Física será o friso de anjos
çada pelos cunhais de calcário a desco- alados que, com um esforço pétreo,
berto e pelo contraste entre o tom dourado mantêm o púlpito no seu quase mira-
da pedra e a brancura da cal. Destaca-se culoso equilíbrio.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Capela de Nossa de Castilho e concluída por Diogo de extraordinária sobriedade, todo o conjunto
Senhora da Conceição Torralva, o arquitecto que impôs, defini- é beneficiado pela abundante luz que entra
Tomar tivamente, a estética renascentista em pelas suas doze janelas, criando um fan-
Portugal. tástico e precário jogo de luz e sombra,
A capela de Nossa Senhora da Con- A construção iniciou-se por ordem de enriquecido pelos dourados cambiantes
ceição ergue-se a meio caminho da subida D. João III e com a intenção, depois gorada, emprestados pelo calcário.
para o Convento, oferecendo estupendo de lhe vir a servir de mausoléu. No mais Este é o trabalho de dois génios e por
panorama sobre a cidade e as serranias puro estilo clássico, parece um templo isso não é de estranhar que a crítica de arte
envolventes. romano pousado numa colina de Tomar. internacional considere esta jóia renas-
Tal como o Claustro Principal do Con- A lisura e simplicidade exterior acentua, centista como “o mais belo interior do
vento de Cristo, foi iniciada por João por contraste, a beleza interior. De uma mundo”.
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

Santa Maria mente justificado pela elegância, pela leveza


dos Olivais do seu espaço interior, perspectivando-

Tomar -se as três naves como se, de facto, apenas


de um corpo se tratasse. Esta visão
Santa Maria foi edificada em meados do é facilitada pela abundância de luz gótica,
século XIII, no local de um antigo templo entrada pela magnífica rosácea que, sobre
datado do século VII, com a função de o pórtico, faz contraponto com a estrela
servir de panteão aos Mestres Templários, de cinco pontas templária da capela-mor.
mas obras quinhentistas destruíram esses Descidas as escadas de acesso, a reduzida
monumentos funerários. Curiosamente, e discreta ornamentação torna ainda
salvou-se a lápide do fundador do castelo mais nítida a pureza das linhas góticas
e da cidade, Mestre Gualdim Pais (1195), e nem a presença das capelas renascen-
embutida na segunda capela do lado sul tistas, do lado sul, chega a perturbar esta
e do primeiro Mestre da Ordem de ambiência. 41
Cristo, D. Gil Martins, esta na capela-mor Também o altar-mor é um trecho de
e sob o túmulo renascentista de D. Diogo, singular beleza de formas e abundante
lavrado por João de Ruão. luminosidade. Este é o cenário ideal para
O gótico estava a dar os primeiros passos admirar a fabulosa imagem, atribuída No adro ergue-se uma vigorosa torre
e Santa Maria teve um papel pioneiro, a Diogo Pires-o-Velho, da Senhora do Leite de fundação medieval e coeva da igreja.
vindo a servir de modelo às igrejas de que, num gesto deliciosamente humano, Inicialmente teve a função de atalaia,
três naves construídas até ao período afaga o pé do Menino que se alimenta mas foi adaptada a sineira nos tempos de
manuelino. Este protagonismo é ampla- como qualquer menino. D. Manuel I.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Igreja Matriz O Sardoal deu nome ao trabalho dos

Sardoal Mestres por acolher aquela que é unani-


memente considerada a sua obra-prima,
Entra-se no Sardoal por uma rua de destacando-se o Busto de Cristo dos
capelas e solares, em tons de amarelo ocre restantes painéis do políptico.
como toda a vila. É a vizinhança alente- Num tempo em que a Idade Média cedia
jana. Do largo do pelourinho, sobem-se passo à Modernidade, esta Escola é um
os seixos rolados da rua de Gil Vicente testemunho de época. É a última repre-
– que chamava Lagartos aos do Sardoal sentante portuguesa duma estética de raiz
– e chega-se à Matriz. medieval, com o gótico, já arcaico, a ser
Nesta igreja está um dos mais importantes em breve substituído pelos valores classi-
núcleos da pintura portuguesa de finais cistas da Renascença.
do século XV e transição para a centúria É interessante notar alguma influência
seguinte. É o primitivo retábulo do templo, bizantina, fazendo algumas imagens lem-
constituído por um políptico de sete brar representações de ícones ortodoxos.
tábuas a óleo sobre madeira de carvalho. Extraordinária é a minúcia do detalhe deco-
Apesar do mistério e discussão à volta rativo, particularmente visível nas textu-
da identidade do Mestre ou Mestres do ras dos brocados.
Sardoal, tem vindo a ganhar força a hipó- A capela-mor apresenta bons painéis de
tese de se tratar da oficina coimbrã azulejos figurativos do início do século
de Vicente Gil e continuada por seu filho, XVIII, mas notável é a talha dourada do
Manuel Vicente. mesmo século.
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

No corpo da igreja, o classicismo dos também se diz que se ergueu “à onra


quatro altares em pedra da Batalha des- de Sam Pedro e fezea Johane Anes Pietro
tacam, por contraste, o gótico quatrocen- de Ourê”.
tista de uma enternecedora Pietá. De pujante arcaria gótica, apoiada em
A curtíssima distância está a igreja da robustos pilares de granito, todo o espaço
Misericórdia com o seu portal renascen- interior é revestido de valiosos azulejos
tista, atribuído a Nicolau Chanterene. quinhentistas e seiscentistas. A policromia
O revestimento de azulejos do século da cerâmica é complementada por boa
XVIII é particularmente interessante na pintura no tecto das três naves.
capela-mor, criando profanas ilusões de Nos dois altares laterais, mas sobretudo
portas e janelas, decoração pouco habi- na capela-mor a talha dourada é simples-
tual no cenário religioso. mente fabulosa, como a Senhora da Con-
ceição que aí preside.
Igreja Matriz A ambiência da igreja continua na sacristia 43
Sertã contígua, com bom tecto de caixotões
decorados e o mobiliário a personalizar
Doada em 1165 aos Templários e poucos o espaço, destacando-se uma tábua da
anos depois à Ordem do Hospital, escola portuguesa do século XVI repre-
a Sertã teria igreja mais antiga. A que sentando o primeiro Papa, S. Pedro.
hoje podemos admirar foi terminada em Pode dizer-se, sem sombra de pecado,
1404, a mando de D. João I, conforme que a igreja da Sertã é uma das mais
consta em lápide na porta lateral, onde belas de todo o centro do país.
TEMPLÁRIOS Profundamente

conferindo-lhe amplitude e grandeza, Igreja Matriz


destacando-se o tecto totalmente coberto Mação
com pinturas setecentistas de evocação
Mariana. Edificada no período Filipino, a igreja
A capela-mor é simplesmente fantástica, de Mação é surpreendente, quase mágica
com o altar revestido por silhar de azu- no seu jogo de luz e volume.
lejos de inspiração mourisca, do século Apesar de sermos recebidos pela grande
XVI. As paredes laterais são totalmente massa das colunas dóricas que fazem a
decoradas por painéis cerâmicos figurativos, separação das três naves, o interior é um
do século XVIII, representando uma cena espaço luminoso, por acção das janelas
profana e a expulsão do Paraíso, com viradas a poente e do revestimento de
Adão e Eva curiosamente representados azulejos do século XVII, em tons de azul,
à maneira setecentista. amarelo e verde.
Elevando-se às alturas, o elaborado e rico Quando os olhos se erguem, em busca
retábulo de talha complementa esplen- da carga tremenda que a robustez das
Igreja Matriz dorosamente o conjunto. colunas sugere, somos surpreendidos

Oleiros A vizinha igreja da Misericórdia, erguida pela leveza transmitida pelo revestimento
no século XVI e reconstruída 200 anos cerâmico das empenas. Sobre cada coluna
É um templo de três naves, cons- depois, merece visita pela boa talha dou- figuram painéis, com traço e policromia
truído no século XVI, cuja fachada não rada e excelentes caixotões pintados de uma ingenuidade tocante, represen-
anuncia a riqueza interior. que cobrem o tecto, ambos com recente tando cenas bíblicas. Afinal, as grandes
Possantes colunas elevam a nave central, e competente restauro. colunas suportam o próprio Céu.
PATRIMÓNIO CONSTRUIDO

O mesmo revestimento azulejar forra juntamente com a janela da mesma


todo o arco triunfal do altar-mor e serve época, constitui o único sinal exterior da
de moldura, destacando a também belís- nobreza e antiguidade do edifício.
sima talha dourada, às quatro capelas Transposta a entrada, é o retábulo, delica-
colaterais. É sobre um destes retábulos, damente lavrado com arcaria renascença,
do lado da Epístola, que se encontra da Capela dos Vales que imediatamente
o painel representando a Árvore de Jessé, chama a atenção. Testemunhando a
obra magnífica e uma das mais notáveis continuidade da influência e temática
peças de azulejaria de toda a região. ultramarina, o frontão é decorado por
curiosos bustos de índios. O orientalismo
Convento manuelino começava a ser substituído
de Santa Iria pelo sabor do açúcar brasileiro.
Tomar Peça central desta capela é o conjunto
45
escultórico com a figuração do calvário,
No mesmo local, junto ao Nabão, esculpido na fina pedra de Ançã pelo
já no século VII existia um convento onde mestre francês João de Ruão.
Santa Iria teria sido sacrificada e o corpo Forrado por azulejos setecentistas que
lançado ao rio. se estendem a toda a capela, o altar-mor procissão pelas ruas da cidade, com
A traça actual é da responsabilidade de é presidido pela imagem da padroeira, paragem sobre a Ponte Velha de onde
João de Castilho e data de 1536. Isto nos enquadrada por boa talha barroca. É esta são lançadas flores ao rio em invocação
é dito no portal renascentista que, imagem que, a 20 de Outubro, sai em ao sacrifício da Santa.
ALDEIAS HISTÓRICAS
E PRESERVADAS
ALDEIAS HISTÓRICAS E PRESERVADAS

Dornes No interior, o magnífico revestimento de


Ferreira de Zêzere azulejos é cenário ideal para contemplar
o conjunto de interessante estatuária
Situada numa península que entra do século XVI.
pelo Zêzere, a aldeia de Dornes mostra Porém, nesta casa de Deus as honras
à luz do dia os seus 2 000 anos de vão para a imagem de Nossa Senhora
História. do Pranto, no altar-mor. A ela estão asso-
Por aqui andaram os Romanos, constru- ciadas as mais diversas lendas e o seu
tores da primeira torre para segurança culto fez de Dornes um importante
do ouro extraído das águas do rio. Foi centro de peregrinação religiosa desde
sobre a base destas ruínas milenares que a Idade Média. Ainda hoje aqui acorrem
Gualdim Pais fez erguer a insólita torre peregrinações de toda a região, os Círios, no rio e na igreja; pelas casas de traçado
templária de cinco faces, para defesa das culminando na grande romagem de 15 antigo, onde se descobrem testemunhos
47
terras em tempo de Reconquista. de Agosto. da poderosa Ordem de Cristo, mas
À sombra protectora da atalaia medieval Além do interesse histórico e monumental, sobretudo pela sua esplêndida localização
logo nasceu, no século XII, a igreja matriz, Dornes é uma das mais bem preservadas naquela península, quase barco.
embora na sua aparência exterior seja e características aldeias das margens do
mais evidente a feição quatrocentista Zêzere. Soberbamente enquadrada pela
dada pela mão de D. Gonçalo de Sousa, moldura paisagística que o rio e o pinhal
privado do Infante D. Henrique que lhe lhe oferecem; com as ruas calcetadas de
confiou estas terras da Ordem de Cristo. seixos e de traçado medieval, a desembocar
TEMPLÁRIOS Profundamente

GP

Fernandaires Seguindo viagem, sempre com o rio em paisagem, aqui pensa-se com os olhos

Vila de Rei fundo, passam-nos ao lado Alcamim e Isna e só nos ocorre uma palavra: Paraíso.
Nova até que, ao dobrar de uma curva, Contrariada a vontade de ficar e percor-
Passada a ponte sobre o Zêzere, que surge Fernandaires sem qualquer aviso. rido o curto caminho até à aldeia, os sons
leva de Ferreira a Vila de Rei, estamos Passada a surpresa não passa o deslum- vêm juntar-se à serenidade do olhar.
a sair do Ribatejo para entrar na Beira Baixa. bramento de uma das mais belas paisagens É o marulhar dos pinheiros e das águas;
Logo à frente viramos em direcção que a albufeira nos oferece. Lá em baixo o chilrear dos pássaros; o som seco e caden-
à Zaboeira, pequena e característica aldeia o rio corre a perder de vista, entre o ciado das enchadas a entrar na terra;
à beira rio que, por si só, vale a visita. acetinado suave e verde dos montes. As os balidos mais ou menos distantes, dos
Porém, o “Paraíso do Zêzere” é uma pequenas embarcações parecem que rebanhos. Nas margens de suave declive,
oportunidade excelente para saborear flutuar no espaço, tal é a limpidez. A aldeia, a sombra dos pinheiros estendem-se até
duas delícias, o achegã, frito ou grelhado, espraiada à beira-rio, completa a imagem às águas convidativas das tardes quentes
e a fantástica panorâmica da albufeira que se garante inesquecível. de Verão.
que do restaurante se saboreia. É difícil pôr por palavras a beleza de uma Aproveite o dia.
ALDEIAS HISTÓRICAS E PRESERVADAS

CV
Vargos O relógio, parado, na torre do solar e as
Torres Novas ruas, que são dos Cavaleiros ou do Guarda-
-Mor; da Fonte ou da Escola, trazem-nos
Na estrada velha de Torres Novas um tempo já perdido e medido pelos
para Tomar, a indicação para Vargos surge ritmos da Natureza.
a par do painel de azulejos da “Casa de A aldeia é denominada pelo Solar de
Vargos”, assinalando a entrada da antiga Vargos, mas há um diálogo perfeito entre
propriedade senhorial. a arquitectura popular e a de cariz mais
Percorridos 500m chegamos à aldeia aristocrático, numa escala humanizada
e imediatamente nos apercebemos do e harmoniosa.
carinho orgulhoso posto pelos habitantes Absolutamente imperdível é a visita
na preservação daquelas casas de séculos. à capela de Sant’Ana, integrada no solar, O trabalho pode ser lido, horizontalmente,
Esse cuidado transparece nos cortinados mas de portas sempre abertas aos visitantes.
49
em dois níveis. O inferior, terreno e
de linho que espreitam das janelas de O templo, datado de 1726, recebe-nos profano, é uma crónica de costumes
guilhotina; nos amarelos, vermelhos e azuis com o seu fabuloso revestimento de onde, entre jardins de inspiração francesa
nas platibandas das casas; das cantarias azulejos, também setecentistas e da lavra e fantasiosa, se faz o retrato fiel da
que mostram a patine do tempo; na de mestre Valentim de Almeida. Estes nobreza do século XVIII. No nível
discrição e bom gosto com que são inte- painéis, por encomenda, e os do claustro superior, já celestial, é narrada a vida de
grados na arquitectura os inevitáveis sinais da Sé do Porto, são os únicos que se podem Sant’Ana mãe de Maria. Apesar da sua
de modernidade. atribuir, com segurança, ao mestre. ascendência divina é a sua condição,
TEMPLÁRIOS Profundamente

docemente humana, de mulher e mãe Água Formosa já feitas estão absolutamente integradas
que, logo no primeiro quadro (esquerda) Vila de Rei no conjunto, respeitando volumetrias
nos cativa. No leito, Sant’Ana, cansada e materiais.
e feliz como qualquer mãe, olha para O Plano das Aldeias de Xisto visa Passeando pelas ruas estreitas, sentimos
a menina ao colo duma mulher, enquanto a recuperação de pequenos aglomerados um tempo diferente, um mundo diferente.
uma outra seca as fraldas ao calor do tradicionais, unidos pela utilização do xisto São os velhos ferrolhos de madeira, mais
carvão. na região do Pinhal Interior. Água Formosa simbólicos que funcionais, a lembrar que
À direita do templo sobressai um esplên- é uma destas aldeias. aqui as portas estão sempre abertas;
dido púlpito em talha dourada, emoldurado Percorridos dez quilómetros desde Vila é o som da ribeira na pequena ponte que
pelos azulejos num efeito de trompe de Rei, é na encosta soalheira de um une as duas partes da aldeia; é o cheiro
l’oeil. Da janela fronteira a luz do sol da pequeno vale, rasgado pela ribeira da Galega, materializado do pinho que sai pelas
tarde volta a dar à talha o fulgor de há que vamos encontrar Água Formosa. chaminés.
300 anos. A circulação dentro da aldeia só pode Seguindo o caminho calcetado que ladeia
Não saia sem visitar Sant’Ana, que preside fazer-se a pé ou de bicicleta, mas outra a ribeira atravessamos pequenos campos
ao altar-mor, e depois vá sentir a calma coisa não seria de esperar. de cultivo, em socalcos junto às águas.
do fim da tarde em Vargos, algures entre Sem “maisons” ou qualquer outro tipo Mais adiante, escavada na rocha, encon-
o céu e a terra. de intrusão na arquitectura original a aldeia tramos a mina de águas límpidas. Será
é, quase na totalidade, formada por esta a Água Formosa ou a que corre pela
construções em xisto e com a tradicional ribeira, mais adiante, entre grandes lapas
cobertura de telha vã. As recuperações polidas e na companhia da velha azenha?
ALDEIAS HISTÓRICAS E PRESERVADAS

51
TEMPLÁRIOS Profundamente

Pedrógão Pequeno caiado, servindo o granito para a nobre


Sertã função de dar cantaria a portas e janelas.
A vila é uma longa rua onde o granito,
O acesso a Pedrógão Pequeno está das cantarias, saliente e escuro, sobressai
facilitado por lhe passar o IC8 ao lado. do reboco branco e vai criando jogos
Estamos na região do Cabril, onde o de formas e luz.
Zêzere corre entre altas fragas, onde O casario que se estende ao longo da
Filipe II mandou construir uma ponte, rua calçada é de características rurais
onde o século XX fez nascer a barragem e dominantemente construído no século
e albufeira do Cabril. XIX. A meio, domina o solar seiscentista,
Logo à chegada à vila, indicação aponta, a mais antiga e nobre casa de Pedrógão.
à esquerda, o caminho do Moinho das À saída de Pedrógão, em direcção à bar-
Freiras, onde a estrada nos leva até às ragem, surge a indicação da ponte filipina
margens escarpadas do rio. Lá no fundo, do Cabril. Só é aconselhável a veículos
ao som da pequena cascata que ali todo-o-terreno porque a calçada, apesar
mesmo desagua, corre o Zêzere, fundo, de curta, é de meados do século XIX
silencioso, entre apertadas gargantas. e apresenta alguns troços em mau
Pedrógão Pequeno nasceu num pequeno estado. Porém, o que aqui se oferece
afloramento granítico perdido num mar é um lugar fantástico e absolutamente
de xisto e as casas reflectem o meio. imperdível, seja qual for o meio de trans-
As paredes são de xisto, sob reboco porte.
ALDEIAS HISTÓRICAS E PRESERVADAS

O entardecer é o tempo perfeito para A aldeia, integrada na Rede de Aldeias


subir ao santuário/mirador da Senhora do Xisto, estende-se por uma única rua
da Confiança e disfrutar da belíssima que corre empoleirada sobre o vale do
panorâmica sobre a Albufeira do Cabril, Zêzere. Lá em baixo, o rio espraia-se por
com o Zêzere a serpentear até ao hori- acção da barragem do Cabril.
zonte. Saborear o pôr-do-sol e a gastro- A passagem dos séculos, desde a origem
nomia regional com esta paisagem ao medieval, é testemunhada pelas casas
fundo, é o que se oferece no restaurante rústicas e solarengas dispersas pela
panorâmico do Hotel Varandas do Zêzere. povoação, tornando Álvaro numa das mais
São estes momentos que se guardam. típicas aldeias ribeirinhas do Zêzere.
Antes da descida ao rio, ou à ponte
Álvaro romana da vizinha ribeira de Alvelos,
Oleiros é indispensável a visita à igreja, que se
53
ergue a meio do povoado, oferecendo
Vindo da Sertã, pela Madeirã, a Serra miradouro sobre o vale. Além da riquís-
de Alvelos oferece panorâmicas esmaga- sima talha merecem referência duas
doras, com o Pinhal a suceder-se em curiosas estátuas, em tamanho natural
diversos planos até se esbater no azul de Nicodemus e José de Arimateia. Não
celeste. A partir do Alto do Cavalo temos menos interessante e invulgar é o mausoléu
Álvaro no horizonte, rodeado pela de Cristo, onde o velam quatro imagens
floresta e abraçado pelo rio. femininas de traços arcaicos.
PRAIAS FLUVIAIS
PRAIAS FLUVIAIS

As praias fluviais que se estendem ao longo do Zêzere e ribeiras


afluentes são locais paradisíacos nas margens de um dos maiores lagos
artificiais de Europa.
As águas do Zêzere, nascidas nas terras altas da Serra da Estrela e repre-
sadas no Castelo do Bode, são tão puras e cristalinas que abastecem
três milhões de pessoas em toda a Área Metropolitana de Lisboa.
É esta a garantia de qualidade que oferecemos.
A albufeira é bordejada pela maior mancha florestal do país, o que lhe
acrescenta os encantos e torna a região numa enorme reserva ecológica
nacional.
Nas praias fluviais interferiu a mão humana o mínimo possível para se
poder usufruir destes pedaços de paraíso com um máximo de conforto.
O que temos para oferecer são as águas e o ar mais puro de Portugal,
sem filas de espera nem horas de ponta. 55
TEMPLÁRIOS Profundamente

CVi
O núcleo central da praia aproveita o Penedo Furado
enquadramento dado por uma carac- Vila de Rei
terística casa de xisto da região, ladeada
por uma pequena azenha, ambos em per- Para comprovar a limpidez das águas
feito estado de conservação. e a beleza de todo o vale, rasgado pela
Além de ser vigiada, tem áreas de ribeira da Isna, aconselha-se uma primeira
utilização perfeitamente segura para as paragem no curioso miradouro do Penedo
crianças, que podem ainda divertir-se no Furado, maciço rochoso com uma passa-
parque infantil. gem natural que se nos oferece como
O bar, situado no início da praia, oferece ponto de observação.
uma pequena e sombreada esplanada A praia, de águas represadas e pouco
Fróia
com vista sobre o vale. profundas, foi enriquecida por um areal
Sobreira Formosa,
Na Sobreira Formosa, apenas a 2km, artificial que, sem prejudicar o belíssimo
Proença-a-Nova
o restaurante O Felisbelo é uma refe- enquadramento, propícia repouso confor-
rência gastronómica de grande qualidade, tável aos banhistas. Conforto assegurado
Situada num pequeno vale arborizado,
tanto na confecção como na excelência também por um conjunto de infra-estru-
polvilhado de terrenos de cultivo, nasceu
dos produtos, com grande oferta de espe- turas como balneários; posto de primeiros
do aproveitamento da ribeira de Fróia.
cialidades regionais. socorros; parque infantil e de merendas
O espaço requalificado estende-se ao longo
e um refrescante bar.
de duzentos metros, numa sucessão de
Porém, o maior atractivo do Penedo Furado
quedas e espelhos de águas límpidas.
PRAIAS FLUVIAIS

CVi
é a sua extraordinária beleza natural, sendo a montante,das que se vão transformando
absolutamente imperdível a caminhada, em espelho por acção da represa.
entre a floresta e caminhos escavados As infra-estruturas são mínimas, a praia
na rocha, até às quedas de água das não é vigiada, mas tem áreas de água
Bafureiras. Situadas a algumas centenas pouco profundas e perfeitamente seguras.
de metros do núcleo central da praia, são A falta de intervenção humana é reforçada
um recanto do Paraíso para saborear e amplamente compensada pelo som da
numa tarde quente de Verão. ribeira e pelo chilrear saído do verde
envolvente. As águas correm pelo leito
Pego das Cancelas de seixos rolados e ganham profundidade
Vila de Rei junto à represa, de fácil acesso.
Malhadal
O Pego das Cancelas é para aqueles que
Proença-a-Nova
Esta é, de todas as praias fluviais da estão dispostos a abdicar de alguns con-
57
Região, a mais profundamente integrada fortos, mais ou menos urbanos, pela
O aproveitamento de uma pequena
e enquadrada por uma Natureza em fruição de uma Natureza intocada.
represa na ribeira da Isna criou este espe-
estado puro.
lho de água que se espraia por algumas
Logo visível na descida que da aldeia da
centenas de metros. As margens arbori-
Portela dos Colos nos leva à praia, a
zadas criam recantos agradáveis, de uma
velha ponte romana (monumento
privacidade verdejante e sombreada.
nacional) propicia um espantoso cenário
Os veraneantes podem também refres-
e separa as águas livres e selvagens,
TEMPLÁRIOS Profundamente

CVi
da Isna oferece um fantástico enquadra- veraneantes, providencia também um
mento à ribeira que corre entre fragas. serviço de lavandaria.
É um retrato da Natureza em estado puro. Todo o espaço envolvente é relvado
e densamente arborizado, proporcionando
Aldeia Ruiva amplas zonas de sombra que tornam
Proença-a-Nova agradável a permanência. A praia é ampla,
de águas límpidas e um sistema de com-
A praia fluvial de Aldeia Ruiva é, portas assegura duas profundidades dife-
a par da Ortiga, aquela que melhores infra- rentes, para segurança dos mais peque-
estruturas e acessibilidades oferece em nos.
toda a Região, factores que a tornam uma
car-se na esplanada do bar-restaurante, das mais concorridas durante o verão. Ortiga
que oferece excelente panorâmica sobre A poucos quilómetros de Proença, é ser- Mação
a praia e acesso directo à piscina flutuante. vida pelo IC8 que liga à Sertã, dispondo
Esta estrutura, apesar da praia ser vigiada, de espaçoso parque de estacionamento. Esta é a única praia da Região de
oferece maior segurança e descanso aos Com a ribeira da Isna por cenário, a praia Turismo dos Templários que faz aprovei-
que fazem férias com os mais pequenos. dispõe de balneários; bar-restaurante; tamento das águas do Tejo e também
Devido à extensão, a prática da canoagem posto de primeiros socorros; parque de a que dispõe de melhores e mais completas
tem aqui excelentes condições, podendo merendas equipado de grelhadores e uma infra-estruturas de apoio, já que, paredes
os que não possuem embarcação fazer zona adjacente de “bungalows”, proprie- meias com a praia, está instalado um
o seu aluguer no local. dade da Câmara Municipal de Proença- moderno e bem equipado parque de
Junto à represa a velha ponte romana -a-Nova que, para maior conforto dos campismo.
PRAIAS FLUVIAIS

CVi
Vantagem é também o fácil acesso auto- de peixes do Tejo. Da fataça ao achegã;
móvel e ferroviário. O primeiro por via da enguia ao sável, passando pela lampreia
do eixo A1/A23 que lhe passa a curta na época devida, a escolha é sua.
distância. Preferindo o comboio rume-se Se à leveza do peixe preferir a suculência
ao Entroncamento, placa giratória para do javali ou porco preto e se a tarde estiver
todo o país, e daí se chega à estação agradável, faça um passeio digestivo até
da Barragem da Ortiga, numa viagem à anta da Foz do Rio Frio.
de 30 minutos pelas margens do Tejo
(Linha da Beira Baixa). A praia fica a 150 Açude Pinto
metros! Oleiros
De águas serenas, mas profundas, tem
excelentes condições para a prática de Apenas a um quilómetro de Oleiros cria dois níveis de profundidade, tor-
desportos como o remo ou a canoagem. e com estacionamento espaçoso, esta nando-a num paraíso para os mais peque-
A praia conta com vigilância e para maior praia fluvial aproveita a qualidade e pureza nos, para mais com parque infantil. Já os 59
segurança está instalada uma piscina da ribeira da Sertã. É um espelho de água mais velhos, depois do banho de água
flutuante que oferece recreio seguro a numa bela paisagem e com as estruturas e de sol, podem buscar no bar o comple-
miúdos e graúdos. necessárias à completa fruição do espaço. mento refrescante para saborear, descan-
Na hora de restaurar forças, pode optar O aproveitamento das margens com zonas sadamente, à sombra do verde.
pelo almoço no restaurante da praia ou, relvadas e de areal, sombreadas pela Em poucas palavras: águas cristalinas;
a um quilómetro, deliciar-se no Kabra’s Natureza envolvente, permite largueza espaço; privacidade; Natureza; excelentes
Bar, uma das referências gastronómicas de espaço e intimidade fácil. Como noutras infra-estruturas; segurança e, sobretudo,
da Região, com a abundante proposta praias da região, o sistema de comportas serenidade. É isto o Açude Pinto.
SÍTIOS NATURAIS
SÍTIOS NATURAIS

Pegadas de
Dinossáurios
da Serra de Aire
Torres Novas

No Parque Natural das Serras de Aire


e Candeeiros, mais propriamente na
localidade de Bairro, encontramos o
geomonumento da Pedreira do Galinha.
A designação deve-se ao facto de ali
ter funcionado uma pedreira até ao
momento em que foram descobertos
os trilhos de pegadas de dinossáurios.
Num processo de fossilização com milhões 61
de anos, ali ficaram registados vinte trilhos na Pedreira do Galinha são o mais antigo
feitos por dinossáurios saurópedes, quadrú- e extenso registo mundial de rastos
pedes e herbívoros durante o período de pegadas deixadas por dinossáurios.
do Jurássico Médio. O cenário emprestado pela antiga
Com uma cronologia que remonta há pedreira contribui para criar o ambiente
175 milhões de anos e pelo comprimento que enquadra, de forma perfeita, este
do trilho mais longo, cerca de 140 metros, monumento único.
as impressões e marcas encontradas
TEMPLÁRIOS Profundamente

Logo na descida, que da aldeia do Pego


das Cancelas nos leva à praia fluvial com
o mesmo nome, somos surpreendidos
pela primeira e mais abrangente visão da
ponte e das águas límpidas da ribeira,
correndo num leito de fragas e seixos
rolados.
A ponte romana, classificada como monu-
mento nacional, é bom ponto de obser va-
ção antes de partir à exploração da ribeira
ou, tão só, escolher o recanto que mais
nos agradar para uma tarde repousante.
A montante, as águas, apesar de pouco
profundas, correm rápidas e selvagens,
rasgadas pelas rochas polidas por tempos
de maior caudal. Já em direcção à foz
Ponte dos Três O baptismo vem do facto de aqui as águas espraiam-se num calmo espelho,
Concelhos confluírem e servir a ribeira de fronteira emoldurado de verde, por acção da
Vila de Rei aos concelhos de Vila de Rei, Sertã represa que forma a praia fluvial.
e Proença-a-Nova e é, sem dúvida, um O ambiente é de paz absoluta, ouvindo-
dos trechos mais belos que a Isna nos -se apenas o correr das águas e o chilrear
oferece ao longo do seu percurso. que nos chega da floresta envolvente.
SÍTIOS NATURAIS

GP
Ribeira da Isna

A ribeira da Isna, absolutamente


despoluída e correndo no seio da maior
mancha florestal da Europa, é um santuário
natural. Nos 45 quilómetros que percorre
desde o Cabeço Rainho, Oleiros, atra-
vessa florestas e campos de cultivo; passa
por velhas azenhas e pontes romanas;
recebe as afluentes ribeiras da Tamolha
e Bostelim até desaguar no Zêzere, perto
da aldeia de Fernandaires, num dos mais
belos trechos do rio.
Ao longo do percurso estão instaladas 63
quatro praias fluviais, integrando as casas
de xisto da região como estruturas de azenhas e da soberba ponte romana, únicas
apoio (Fróia, Malhadal) ou aproveitando marcas esquecidas da intervenção humana.
o cenário fantástico de uma ponte romana Indo na estrada que liga Vila de Rei à Sertã
(Pego das Cancelas). (E.N. 2), passada Relva de Boi, percorre,
Noutros sítios, como na serpenteante à direita, um escasso quilómetro de boa
confluência da Tamolha com a Isna, as águas terra batida e devidamente assinalada.
correm selvagens na companhia de velhas Chegou à Natureza em estado puro.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Mundial de Reservas da Biosfera da


UNESCO, facto bem revelador da impor-
tância ecológica, a nível mundial, desta
pequena área na confluência dos rios
Tejo e Almonda.
Santuário ornitológico, o seu interior
mantém-se alagado praticamente todo
o ano, mas é a Primavera que melhores
condições oferece para a observação
das diversas espécies que ali procriam.
Nos terrenos alagadiços, de paisagem
dominada por freixos, salgueiros, caniçais
e pontilhada de plantas aquáticas, a pa-
ciência da espera é compensada pelos
graciosos vôos das garças, marrequinhos,
Reserva Natural ozarros e patos colhereiros.
do Paul do Boquilobo Quando as visitas se realizam em grupos,
Torres Novas é conveniente contactar previamente
o Centro de Interpretação do Paul, não
Durante longos anos, a Reserva Natural só para perturbar minimamente este
do Paul do Boquilobo foi a única área delicado habitat, mas também para que
protegida portuguesa integrada na Rede da visita se tire um máximo de proveito.
SÍTIOS NATURAIS

Mata dos Sete Montes


Tomar

No topo de uma das principais avenidas


de Tomar e ligando a cidade ao castelo,
a Mata dos Sete Montes, com os seus
39 hectares, é a fruição da natureza em
pleno centro urbano.
Integrado no Serviço Nacional de Parques,
Reservas e Conservação da Natureza
desde 1986, o denso manto florestal data
de 1938, altura em que voltou à posse
do Estado, depois de ter pertencido
durante um século à família Costa Cabral
que a tinha adquirido em conjunto com
65
o Convento de Cristo!
Anteriormente pertencia à Ordem de Logo à entrada somos acolhidos por um caminhos e recantos como a Charolinha.
Cristo, usada como área de recolhimento jardim formal, à francesa, que nos leva É um pequeno templete ao gosto clássico,
e de cultivo, com rega assegurada pelo à bucólica Alameda dos Freixos e daí ao transformado em ilha pelo lago circun-
filipino aqueduto dos Pegões. Foi inteira- interior da Mata. Entre pinheiros mansos dante e rodeado por abóbada de verde
mente murada no início do século XVI, e bravos, carvalhos, olaias, ciprestes e secu- que filtra a luz do sol. Bem ao gosto
donde lhe vem o outro nome de baptis- lares oliveiras que testemunham as antigas romântico do século XIX, e de sempre,
mo, a Cerca do Convento. culturas conventuais, vamos descobrindo é sítio ideal de fruição e contemplação.
MIRADOUROS
MIRADOUROS

se torna verdadeiramente panorâmica,


com a linha do horizonte a desenhar-se
nas planícies alentejanas e a alcançar depois
os maciços montanhosos da Gardunha,
Estrela, Lousã, Aire e Montejunto, em dis-
tâncias que chegam a ser superiores
à centena de quilómetros.
Motivo acrescido para a visita é o interes-
sante Museu de Geodesia, recentemente
construído ao lado do marco com 9 metros
de altura, onde o visitante recebe certifi-
cado comprovativo da sua presença no
ponto mais ao centro de Portugal. 67
Picoto da Milriça miradouro de onde, verdadeiramente,
Vila de Rei se pode ver Portugal a 360º.
Dum primeiro plano, onde o verde seco Miradouro do Mosqueiro
Foi no alto dos 578 metros da Serra do pinhal é salpicado pelo branco das Vilar Barroco, Oleiros
da Milriça que, em 1802, se construiu aldeias próximas, a vista estende-se a para-
o primeiro marco geodésico e por ele gens que já anunciam o norte mais aci- A ampla visão sobre a região do Pinhal,

se regularam os 8000 que permitiram dentado ou a suavidade do sul. Mas é em que se estende pelas serras da Beira

fazer a cartografia do país. Este é o único dias de maior visibilidade que a visão Baixa, é proporcionada por uma falha no
TEMPLÁRIOS Profundamente

O templo está implantado num cenário


estranho, entre lapas e azinheiras, ladeado
pelas antigas e rústicas instalações que
davam abrigo aos peregrinos e outras,
mais recentes e profanas, mas que mostram
continuar viva a devoção.
Alguns metros à frente o miradouro ofe-
rece soberba panorâmica sobre o Zêzere,
represado pela barragem e serpenteando
entre o verde ondulado dos montes.
A paisagem merece bem mais que uma
maciço quartzítico da Serra do Muradal, Miradouro da Senhora mirada, merece ser saboreada demorada-
cavando um largo e profundo vale. da Confiança mente e essa é a grande vantagem deste
Lá em baixo, o ribeiro das Casas da Pedrógão Pequeno, Sertã miradouro. A sugestão é para ficar, em
Zebreira aproveita o caminho aberto para boa companhia, no esplêndido restaurante
se ir encontrar com o Zêzere. Passada a barragem do Cabril, a panorâmico do Hotel Varandas do Zêzere
A poucos metros da estrada, ergue-se estrada à direita, assinalada por catorze e degustar a paisagem. Em tardes de calor
um gigantesco promontório rochoso, quase cruzeiros, leva-nos até ao Santuário da pode optar por uma bebida refrescante
suspenso sobre esta paisagem. Senhora da Confiança. no bar da também panorâmica piscina.
MIRADOUROS

Miradouro Miradouro
de Santo António do Penedo Furado
Gargantada, Mação Vila de Rei

É esta a melhor panorâmica sobre a O Penedo Furado é um símbolo em


imensidão do Pinhal. terra de reis porque, de facto, é um sítio
A pequena capela de Santo António, encantatório.
que também dá nome à serra, está situada Talvez a magia lhe venha da Bicha Pintada,
no promontório transformado em mira- a serpentíforme gravura rupestre na mar-
douro. É minúscula na escala esmagadora gem da ribeira, ou de lendas antigas, como
da paisagem e, certamente, representa daquela moura encantada, lindíssima claro, Lá em baixo a ribeira corre por um cami-
as interrogações dos homens perante que ali escondeu um tesouro. nho de seixos e de fragas, de águas tão
tanta grandiosidade. O cenário faz soltar a imaginação. À beira transparentes que nunca se deixa de ver 69
É, como em tempos megalíticos, a divini- do caminho, em lugar fresco e verdejante, o fundo. Mais adiante são represadas para
zação da Natureza. um enorme maciço rochoso é atravessado formar a praia fluvial e continuam até se
por passagem natural que, do outro lado, perderem na imensa floresta que cobre
se oferece em miradouro sobre todo o vale.
o vale de Codes.
MUSEUS
MUSEUS

Museu dos Fósforos


Tomar

Em Tomar a arte sente-se onde foi


criada, com toda a envolvência original.
A cidade tem, no entanto, um museu
invulgar, nascido a bordo de um paquete,
a caminho de Londres, onde ia Aquiles
Mota Lima para assistir à coroação de
Isabel II. Neste ambiente, que imaginamos
quase cinematográfico, o tomarense trocou
uma caixa de fósforos com uma senhora
americana. O perfil da nova rainha é a
71
primeira peça de uma colecção que se
tornou a maior da Europa, com mais de
50 000 exemplares.
Das formas bizarras às impensáveis dimen-
sões, da cera à madeira tudo pode ser visto,
caixas centenárias ou as mais recentes
criações, mas as preferidas são aquelas
que acendem recordações de infância.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Museu Municipal
Etnográfico
Vila de Rei

O Museu soube resistir, com sobrie-


dade e sabedoria, à tentação em que se
deixam cair boa parte dos museus etno-
gráficos rurais, um amontoado de peças
que tornam impossível a leitura.
Nascido no seio de uma ruralidade que
permanece viva no espaço e no tempo,
o seu acervo é composto por peças de
grande qualidade e bom estado de conser-
vação, dispostas no seu estado de utiliza-
ção na casa camponesa de entre os séculos
XIX e XX. Ali se reconstituem, com rigor
e contextualização, as várias divisões da
habitação, como o quarto do rapaz e da
menina, dos pais, o quarto de fora, a cozi-
nha e a despensa ou a adega.
Além da casa estão ainda representadas
MUSEUS

diversas tarefas que marcavam o quoti- O Museu apresenta um rico e bem con-
diano de então, como a matança do porco, ser vado espólio, com apresentação con-
o fabrico do pão ou a preparação da textualizada e que permite recriar a vida
barrela. rural e tradicional das gentes da região.
Boa qualidade das peças, leitura fácil e expo- A maquinaria, os ofícios tradicionais,
JM
sição num contexto adequado fazem deste o traje, a casa e suas dependências, surgem
Museu uma visita a não perder. representados com grande pormenor, Desde o Paleolítico que o Homem aqui
tanto mais que o Museu dispõe de um deixa marcas da sua presença, seja nas
Museu Agrícola Centro de Documentação, aberto a estu- gravuras rupestres dos vales do Ocreza e
de Riachos dantes e investigadores, que permite a abor- Tejo, na anta da Foz do Rio Frio ou na sua
Torres Novas dagem pedagógica e o rigor científico. vizinha e romana estação arqueológica
do Vale do Junco.
Este é um Museu no lugar certo. Riachos Museu de Arte Porém, não é o aspecto material desta
está implantado numa área de transição, Pré-Histórica e do ocupação que serve de tema ao Museu, 73
geográfica e cultural, entre as terras mais Sagrado no Vale do Tejo mas sim as manifestações espirituais e sim-
altas do bairro e a borda d’água ribatejana, Mação bólicas do sagrado. Desde os rituais de
com práticas agrícolas bem particulares fertilidade pré-históricos ao culto megalí-
e resultantes do meio envolvente. É por Mação é terra ribeirinha do fértil Tejo, tico dos mortos; do embrião do cristianis-
esta realidade tão específica que aqui mere- de transição entre as serranias das Beiras mo, trazido pela romanização, às personi-
cem especial tratamento e atenção activi- e as paisagens espraiadas do norte alente- ficações da espiritualidade, materializadas
dades como a dos boieiros, dos gadanheiros jano, terra de fixação e de passagem e, talvez na arte sacra medieval. É um museu de
ou dos valadores. por isso, de interrogações e de culto. espírito humano.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Museu Municipal Nem sempre é fácil, por questões de


Carlos Reis segurança e horário, apreciar arte sacra
Torres Novas nos altares originais. Aqui isso não é pro-
blema, já que o Museu expõe um número
Situado num palacete setecentista, considerável de peças originárias de diver-
o Museu apresenta, além das exposições sos templos do concelho.
temporárias, três núcleos permanentes: A qualidade é nota dominante, mere-
Arqueologia, Arte Sacra e Pintura. cendo especial destaque, apesar de mutilada,
O primeiro, formado com peças reco- a imagem quatrocentista de Nossa Senhora
lhidas no concelho, cobre o período do do Ó. Os dedos góticos da Senhora
Paleolítico à Romanização, com particular repousam sobre o ventre de gravidez avan-
destaque para a riqueza e importância çada. Esta atitude de divindade humani-
do espólio de Cardílio, a “villa” romana zada, comungando anseios e afectos, foi
a 2 quilómetros da cidade. proibida com o movimento da Contra-
A obra naturalista de Carlos Reis é a base -Reforma.
fundamental do núcleo dedicado à pintura. O Museu desenvolve uma importante
Um valioso conjunto de telas do pintor componente pedagógica, especialmente
torrejano, acompanhado por alguns Malhoas, nas áreas da pintura e arqueologia, dis-
constitui bom testemunho daquela tendên- pondo os serviços culturais de diversas
cia artística e é retrato da sociedade por tu- publicações especialmente concebidas para
guesa na passagem do século XIX ao XX. apoio a visitas de estudo.
MUSEUS

CMT
Museu de Arte
Contemporânea
José Augusto-França
Tomar

Tomar é uma cidade especial. Oferece-


-nos oitocentos anos de História da Arte
e uma das mais importantes e recentes
colecções de Arte Contemporânea por-
tuguesa.
Inaugurado em Maio de 2004, foi insti-
tuído a partir de doações do Professor
José Augusto França. As obras expostas 75
são reflexo da sua relação de cumplicidade na segunda metade do século XX, passando
com diversas gerações de criadores por- pelas obras de Almada; António Dacosta;
tugueses, através de mais de uma centena Mário Eloy; António Pedro; Albertina O edifício, quase à Raul Lino, onde fun-

de trabalhos. Mântua; Bernardo Marques; Fernando ciona o Museu foi intervencionado no

Dando especial atenção ao Surrealismo, Azevedo; Ana Vidigal; Vespeira; Fernando exterior por obras de Eduardo Nery

a colecção dá-nos a retrospectiva dos Lemos; Cutileiro; Dourdil e Palodo, entre (painel de azulejos) e José de Guimarães

grandes marcos da pintura portuguesa muitos outros. (picto-escultura).


GASTRONOMIA
GASTRONOMIA

Faca e Garfo Tradicionais em toda a floresta das mar- garantida. Na cidade templária nasceu
gens do Zêzere, estes enchidos sem fumeiro uma espécie de pão dos deuses, feito de
Floresta e albufeiras, a geografia da também fazem uso do porco. É o caso açúcar e ovos: as fatias de Tomar. Maná
Região reflecte-se no prato. do bucho recheado ou do singular plangaio, em fim de refeição ou ex-libris da cidade
Tirando melhor partido das características que aos ossos do espinhaço junta a massa para levar aos amigos.
do Pinhal, o gado caprino, fundamental- da farinheira, um sabor único no país. Os doces de ovos e amêndoa, tão que-
mente o cabrito, abrange gastronomica- Em Ferreira do Zêzere o leitão assado ridos à doçaria conventual, são a base
mente toda a Região, de Oleiros a Torres ganhou fama e faz bom proveito. doceira da confeitaria nabantina, com
Novas. Os rios garantem variedade na escolha as castanhas doces; as estrelas de Tomar;
O forno a lenha é uma das formas de dos peixes. os queijinhos doces; os doces de cama ou
confecção. É o caso do cabrito estonado Ao Tejo vamos comer as enguias, gre- os sugestivos beija-me depressa. Alimento
de Oleiros que assado com pele, à guiza lhadas ou fritas, bem acompanhadas por para os olhos são as lindíssimas caixas
de leitão, faz as carnes ganharem textura 77
umas migas à Manuel Pescador; a consis- da Confeitaria Estrelas de Tomar.
e sapidez. A companhia são os grelos, tência cremosa da açorda de ovas faz boa As tigeladas, hoje perfeitamente plastificadas
as batatas que assaram com o cabrito boca ao sável, enquanto a lampreia faz e banais, nasceram na Região há séculos
e o arroz, feito dos miúdos. companhia ao arroz. e só aqui se pode ainda conhecer o sabor
De cabrito ou borrego são os maranhos, A carpa, a boga, mas sobretudo o achegã, original, transmitido por gerações de
com as carnes a serem cozidas com presunto, são uma dádiva das águas do Zêzere doceiras. Prove-o, nos seus diversos cam-
arroz e o aroma exótico da hortelã, dentro e para ser saboreada na sua companhia. biantes, no Sardoal, em Mação ou em
de sacos feitos com o bucho do animal. Em terra de conventos a doçaria é sempre Proença-a-Nova.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Vinhos e Petiscos pouco encorpados, frutados e indicados


para beber no ano da respectiva colheita.
Vinhos As principais castas brancas são Fernão
Delimitada pelos concelhos de Tomar Pires, Arinto, Malvásia, Tália e Trincadeira-
e Torres Novas, a sub-região vitivinícola -das-Pratas. Já nas tintas destacam-se
de Tomar, uma das seis que constituem a Periquita (dominante), Baga, Camarate
a Região Demarcada do Ribatejo Norte, e Trincadeira Preta.
abrange ainda a freguesia de Chãos, Pela excelência dos seus vinhos, o eno-
em Ferreira do Zêzere. turismo tem na Região de Turismo dos
É a sub-região situada mais a Norte Templários um papel importante.
do Ribatejo, o que lhe confere algumas O “Tesouro Manuelino/Castelos Templários”
particularidades que a diferenciam das é um dos percursos que faz parte da Rota
restantes. O clima mais fresco, modera- da Vinha e dos Vinhos do Ribatejo, com
damente húmido, com temperaturas sete adegas de quintas e casas agrícolas
médias anuais a rondar os 15º C e uma a abrir as suas portas aos visitantes, pro-
paisagem mais homogénea, verde e aci- porcionando visitas guiadas, prova de vinhos
dentada, aproximam-na, por vezes, mais e até cursos de iniciação à prova de
da Beira Baixa ou da Estremadura que néctares.Estas unidades estão devidamente
das suas congéneres ribatejanas. assinaladas no item “adegas” nas infor-
Destas vinhas saem néctares geralmente mações finais.
GASTRONOMIA

Queijo Enchidos e Presunto


Solos graníticos, boas pastagens, cardos Apesar do fumeiro, sobretudo da região
e velhos segredos artesanais são o segredo do Pinhal, ter fama e tradição de quali-
da transformação do leite no melhor dade, são enchidos como o maranho,
queijo do país. o bucho recheado ou o plangaio que
A afirmação poderá parecer exagerada, tornam absolutamente singular a oferta
por isso se cita a opinião alheia e impar- regional.
cial: “É o melhor queijo que se faz em À carne dominante, cabrito, borrego ou
Portugal. porco, juntam-se outras, resultando uma
É de cabra, produzido na região de Mação vasta paleta de sabores, aromatizados
e Proença-a-Nova, e o seu segredo reside pela companhia das ervas. O arroz, pão
no tempero que lhe confere um sabor ou massa de farinheira que se cozem
79
extremamente acentuado… divinal.”. no mesmo “saco” dão surpreendentes
Às palavras do guia “O Melhor de Por- e apaladadas texturas a estes enchidos e invernos frios e húmidos, criaram as con-

tugal”, publicado pelo Expresso, apenas que são uma refeição completa. A arte dições ideais para a produção do óptimo

acrescentamos os concelhos de Vila de do fumeiro aprendida no norte alente- presunto. O concelho é uma autêntica

Rei e Sertã, com produção de igual jano – mesmo ali vizinho em terras de “região demarcada” deste produto curado,

qualidade e garantida pela Denominação Gavião – e o clima de Mação, carac- responsável por 70% da produção nacional.

de Origem Protegida. terizado por verões quentes e secos Presunto é em Mação.


TEMPLÁRIOS Profundamente

Maria do Céu é, de facto, uma cozi- sunto sobre pão de milho esfarelado que
nheira celestial. Foi este dom que transfor- vai ao forno embebido em cerveja;
mou a antiga tasquinha num dos templos as couves à D. Prior, resultado de velha
de bem comer em Portugal. receita conventual, onde o lombo e tou-
A D. Céu conjuga genialmente o seu cinho do porco, depois de salteados, se
talento e criatividade com a tradição gas- deitam entre camadas de couve lombarda.
tronómica regional e a riquíssima herança A cobertura é de amêndoa torrada ou
da cozinha conventual. pinhões, aconchegados pelo molho que
Estes seriam ingredientes q.b. para fazer as carnes soltaram durante a fritura. Saído
um bom restaurante, mas no Chico Elias o tabuleiro do forno, só se pode comer
usa-se também a honestidade e rigor em como um abade.
doses generosas. É por isso que almoço A oferta é variada e sempre tentadora:
ou jantar exigem marcação antecipada, petingas no forno; enguias de fricassé;
forma de garantir a qualidade e frescura bacalhau assado no forno com carne
dos géneros e os necessários temperos de porco; feijoada de caracóis; danado
de véspera. A D. Céu e o forno de lenha de bom; cabrito no forno a lenha; cachola
Cozinha de Autor tratam do resto. e outras propostas de fazer crescer água
Saborosa invenção, de inspiração quase na boca.
Restaurante Chico Elias divina, é o famoso coelho cozinhado Em terra de conventos, os doces não
Algarvias – Tomar no interior de uma abóbora, que causa podiam faltar. O tradicional arroz-doce,
espanto quando servido; o bacalhau com o leite-creme, as peras bêbedas, mas divinas
broa, de altas postas recheadas de pre- são as fatias de Tomar.
GASTRONOMIA

81
TEMPLÁRIOS Profundamente

Restaurante A Lúria mexidos, saboreiam-se como acompanha-

Portela de S. Pedro – Tomar mento no arroz de silercas ou na açorda


do magusto de carnes e, assados, provam-
Em Tomar as cozinheiras até de nome, -se com bacalhau. Sabores únicos.
são celestiais: Maria do Céu nas Algarvias Na época devida, Maria de Fátima sur-
e Maria de Fátima na Portela de São Pedro. preende-nos, além do mais tradicional
Foi o talento da D. Fátima que transfor- e afamado arroz, com a sua sopa de lampreia,
mou o pequeno café do Chico da Beca, onde namora o sabor da hortelã.
o seu pai, no amplo e confortável restau- À sobremesa surge a original laranjada
rante “A Lúria”. O nome da casa vem de feijão ou as conventuais fatias de Tomar.
da configuração longa e escura da antiga Nesta Portela de S. Pedro está a entrada
taberna, semelhante a uma toca de coelho, para um paraíso de sabores e prazeres.
uma lúria como por aqui se diz.
Não sendo único, é genial o cabrito assado
no forno com batatas e arroz de miúdos,
bem acompanhado pela salada saloia.
O sável, com açorda de ovas, está ao
mesmo nível.
Singulares são os pratos à base de silercas,
uma espécie de cogumelos que se colhem
na região com a chegada da Primavera.
Como entrada apresentam-se com ovos
GASTRONOMIA

83
TEMPLÁRIOS Profundamente

A excelência dos sabores depende, de Vale Pequeno. Premiados em Portugal


naturalmente, da qualidade das matérias- e no estrangeiro, produzem-se usando as
-primas. Por esta razão, em tempos de tecnologias ancestrais, nos lagares de pedra
produção industrializada e manipulação de uma adega com mais de cem anos.
genética dos alimentos, a agricultura Este saber antigo também é aplicado na
biológica ganha cada vez mais sentido. moagem da azeitona, num lagar que mantém
A Quinta do Côro, no Sardoal, e a Quinta as galgas (mós) de pedra, transmitindo
do Vale Pequeno, Lamarosa – Torres ao azeite o aroma e sabor do fruto.
Novas, são dois bons exemplos desta Devido às particulares condições climá-
busca da qualidade e dos sabores origi- ticas da região, o figo é fruto de eleição
nais dos produtos. e com uma tradição de séculos em Torres
No Sardoal aposta-se na produção viní- Novas. A sua vida curta é prolongada
cola a partir das castas Trincadeira Preta, pela secagem, as passas, outra das apostas
Produtos Biológicos Tinta Carvalha e castelão Francês, mas de Vale Pequeno. Figos lampos e vindimos
sem passar por quaisquer processo físico- são transformados pelo sol em frutos
Quinta do Côro, Sardoal -químico de estabilização, ou seja, “sem secos, “pingos de mel” autênticos.
corantes nem conservantes”. As duas quintas têm presente a vertente
Quinta do Vale Pequeno,
Natural é, também, a produção dos poma- pedagógica, promovendo-se, na Lamarosa,
Torres Novas
res, grande é o talento doceiro de Florinda visitas guiadas à vinha, adega e lagar; provas
Graça e magia é o que daí resulta, a de vinho e azeite e cursos de iniciação
marmelada e geleias da Quinta do Côro. à prova de vinhos. Na Quinta do Côro
Os vinhos são a principal aposta biológica tem-se a possibilidade da prova de vinhos.
GASTRONOMIA

Eventos Festival Gastronómico do Cabrito Congresso da Sopa


Gastronómicos Março – Torres Novas Maio – Tomar

Festival da Lampreia “O viajante (…) pode aqui declarar que A famosa roda do Nabão assinala
Março – Ortiga/Mação em Torres Novas conheceu, e disso se a entrada para a ilha do Mouchão,
Mostra da Lampreia aproveitou, o mais maravilhoso cabrito em pleno centro da cidade, uma catedral
Fevereiro/Março – Tomar assado de toda a sua vida. de verde que em Maio acolhe o Con-
Como se chega a tal obra-prima de culi- gresso da Sopa.
A sazonalidade e período de tempo nária não sabe o viajante, que nisso não Nem sempre, e particularmente em tempos
limitado que marcam estes eventos, são é entendido. Porém, confia no seu paladar, mais recentes, se tem reconhecido à sopa
condicionados pelo ciclo natural de que tem discernimentos de sábio infalível, a importância gastronómica que ela merece.
reprodução da lampreia. O início do ano se os há.” Este Congresso é lugar de recuperação
(Fevereiro/Março) é a época em que José Saramago in “Viagem a Portugal” de sabores antigos e palco de surpreen-
este ciclóstomo procura os rios para dentes e inovadoras propostas. 85
a desova. Estando dito o que há para dizer, apenas Inúmeros restaurantes da Região apresen-
A esta restrição temporal junta-se o facto registamos que em paralelo com o Festival tam várias dezenas de sopas, com uma
da espécie rarear cada vez mais nos nossos decorre uma Mostra de Doçaria Regional, paleta imensa de ingredientes e sabores.
rios, pelo que a Região, a par do Minho, em que são especialmente utilizados como Pela sua singularidade e oferta de extrema
se oferece como uma das poucas opor- ingredientes os frutos secos e passados. qualidade, tornou-se já uma referência
tunidades para saborear este delicioso gastronómica em Portugal.
manjar.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Festival Gastronómico da Enguia Feira das Passas Ceias Renascentistas


Setembro – Boquilobo/Torres Novas Outubro – Tomar Tomar
Feira Nacional dos Frutos Secos
Na terra onde nasceu o General Outubro – Torres Novas Exactamente nos mesmos lugares
Humberto Delgado, na vizinhança da onde há quinhentos anos se faziam estes
Reserva Natural do Paul do Boquilobo, Nozes, castanhas, amêndoas, avelãs, passas repastos, recuperando as receitas e
decorre este Festival dedicado aos sabores de figo, ameixa, uva e toda a variedade sabores de então; recriando ambiências
do rio, com particular destaque para de frutos secos que se possa imaginar. com as sonoridades renascentistas ou os
as enguias. Pelo tipo de solos e condições atmos- Autos de Gil Vicente interpretados à luz de
Ensopadas, fritas ou grelhadas, mas féricas particularmente favoráveis, Ferreira archotes; usando um rigoroso guarda-
acompanhadas das indispensáveis migas do Zêzere, Tomar e muito em particular, roupa de época, do serviçal ao mestre
à Manuel Pescador. Inventadas há mais Torres Novas – concelho produtor por de cerimónias.
de um século, na vizinha povoação de excelência de frutos secos e passados – São estes argumentos que fazem das Ceias
Riachos, são a prova de que a gastronomia formam um dos mais importantes núcleos Renascentistas uma experiência gastro-
é um acto cultural. nacionais de oferta destes produtos. Quan- nómica e cultural inesquecível.
tidade e qualidade são apanágios destas
Feiras.
A Feira das Passas tem o atractivo suple-
mentar de decorrer paralelamente com
a Feira de Santa Iria, criada por Filipe III
em 1625, e a imponente procissão da
padroeira.
GASTRONOMIA

87
MA

ARTESANATO
ARTESANATO

GP
A industrialização afectou rude-
mente a sobrevivência do artesanato, que
perdeu a importância basicamente utili-
tária e adquiriu funções mais ligadas às artes
decorativas.
Existem três grandes áreas de actividade
artesanal na Região: a olaria, a tecelagem
e bordados em linho.
A arte do barro está em plena laboração
na Asseiceira (Tomar) e na Árgea (Torres
Novas)
A tecelagem e os bordados em linho,
com uma implantação mais forte na zona
do Pinhal, em concelhos como Vila de 89
Rei, Mação, Oleiros e Proença-a-Nova Ferreira do Zêzere, Oleiros e Vila de Rei.
com as suas toalhas bordadas, trabalho Manifestações mais isoladas, são os lindís-
próximo dos bordados de Castelo Branco. simos leques de palha do Sardoal, pintal-
Também Torres Novas e o Sardoal, onde gados por uma festa de cor sobre o fundo
funciona a Cooperativa Artelinho, se fazem dourado, ou as miniaturas dos Tabuleiros,
representar nesta área. trabalho de minúcia e delicadeza, onde
A cestaria, antes indispensável ao modo sobresaiem efusivamente as cores da Festa
de vida rural, continua a produzir em de Tomar.
ROMANCES
ROMANCES

1 Passe o fim-de-semana no solar do século XVIII que domina a linda aldeia de Vargos.
Não descure pormenores e escolha a cor do quarto: Giesta, Madressilva, Rosa
ou Pervinca. Perca-se, em boa companhia, no Parque Natural das Serras de Aire
e Candeeiros ou descubra o Convento de Cristo.

2 Em Tomar, o passeio pelo rio, o açude, a ilha-jardim do Mouchão, a descoberta


da cidade velha e a partilha de tudo, ao fim da tarde, numa esplanada calma.

3 Dornes, pela quietude e intimidade do lugar, pela beleza extraordinária da paisagem,


por tudo.

4 Proença-a-Nova – Salto de pára-quedas. 91


Surpreenda!

5 Pare na doçaria “Estrelas de Tomar” e ofereça uma caixa de “Beija-me Depressa”.


São irresistíveis, a embalagem é uma ternura e o resultado é delicioso.
TEMPLÁRIOS Profundamente

6 Tarde em Fernandaires. O sol, a água, a sombra calma dos pinheiros e todo o tempo
do mundo.

7 Passar uma tarde em Pedrógão Pequeno a descobrir os trechos intimistas


do Zêzere e partilhar um lugar que será, para sempre, dos dois, a fantástica ponte
filipina do Cabril. Reserve jantar e guarida no Hotel Varandas do Zêzere e assista,
no restaurante panorâmico, ao pôr-do-sol sobre o rio.

8 Moinhos da Pena. Aqui as almas não são pequenas. Um dos maiores conjuntos
de moinhos de vento em Portugal, dominando a paisagem da Serra d’Aire. A 20
quilómetros de Fátima e Tomar, a dez de Torres Novas e sete de Ourém, são muitas
as escolhas para tornar o dia diferente. A noite é para passar no moinho, com três pisos
e todas as comodidades, com o vento em fundo.

9 Há recordações, a dois, que são eternas. O Convento de Cristo é um tesouro


partilhado para sempre. Inesquecível!

10 Um fim-de-semana numa das estalagens debruçadas sobre o Zêzere. O rio,


a paisagem e a melhor companhia do mundo.
ROMANCES

93
SABORES SEM PALAVRAS
SABORES SEM PALAVRAS

1 Achegã (frito ou grelhado) / Ferreira do Zêzere e Vila de Rei

2 Enguias (fritas ou grelhadas) / Torres Novas

3 Lampreia (na época) / Mação e Tomar

4 Cabrito estonado / Oleiros

5 Maranhos, bucho recheado, plangaios / Sertã, Proença-


-a-Nova, Mação, Vila de Rei e Oleiros
MA

6 Queijo de cabra / Proença-a-Nova, Mação


95
7 Presunto / Mação e Vila de Rei

8 Tigeladas / Proença-a-Nova e Sardoal Fatias de Tomar / Tomar

9 Produtos biológicos (azeite, doces e vinho) / Quinta do Côro – Sardoal


e Quinta do Vale Pequeno (Torres Novas)

10 Cerejas / Proença-a-Nova Laranjas / Pafarrão – Torres Novas


ADRENALINAS
ADRENALINAS

1 As albufeiras As quatro albufeiras, bem como os rios e ribeiras que nele


desaguam, oferecem condições perfeitas para a prática da canoagem, remo ou vela.

Os centros e clubes náuticos oferecem os meios para a prática das modalidades

motorizadas e dispõem de professores credenciados para fornecer a iniciação a estes

desportos.

2 Descida do Zêzere em canoa Todo o vale, desde as imediações


da imensa garganta de Castelo do Bode até à entrada no Tejo, na vila-poema

de Constância, a terra de Camões. Com um público que vai das empresas ao passeio

familiar, há diversos operadores de turismo activo a oferecer este percurso.


97

3 Mergulho na Albufeira do Castelo do Bode As águas


límpidas da Albufeira são ideais para a prática do mergulho que, aqui, se pode fazer

todo o ano. Represadas há mais de cinquenta anos, as águas do Zêzere criaram um

mundo translúcido de vida. A aventura e a surpresa começam logo na margem e vão

até dezenas de metros de profundidade. Imagine uma visita, guiada por achegãs e percas,

a uma das velhas aldeias de xisto submersas.


TEMPLÁRIOS Profundamente

4 Percursos T.T. e B.T.T. no Pinhal Interior Os caminhos


acidentados e sinuosos da maior área de floresta em Portugal; as margens das albufeiras;

as pontes romanas que transpõem ribeiras em vales perdidos; as praias fluviais encon-

tradas no meio da Natureza; uma gastronomia antiga e verdadeira. É difícil encontrar

outro cenário assim.

5 Paraquedismo em Proença-a-Nova A partir da pista das

Moitas, onde funciona o centro de paraquedismo Skydive Portugal, pode voar e saltar

nos céus de Proença-a-Nova. Pelas constantes correntes térmicas da região, ausência

de desnível e óptimas condições de tecto, a pista das Moitas é considerada pelos

especialistas a melhor de Portugal e das melhores do mundo. Nas suas instalações

funciona a Paratec, uma fábrica de pára-quedas que lhe possibilita os meios para se iniciar

na modalidade, frequentando um curso de A.F.F (Acelerated Free Fall), paraquedismo

e tandem. Tem uma recentíssima estalagem de quatro estrelas ali ao lado, em Proença-

-a-Nova.
ADRENALINAS

6 Desportos aquáticos motorizados na Sertã O Centro


Náutico do Zêzere, no Trízio – Sertã, é um dos locais na Albufeira do Castelo do Bode

onde se oferecem todas as possibilidades ao aproveitamento radical do Zêzere.

Possibilita a iniciação nos desportos aquáticos por professores credenciados e dispõe

de uma oferta variada: ski aquático; bóia; skyski; banana; canoas; toppers; barefoot;

wayfares; wakeboard; motas d’água e omni-pontoon boat.

7 Escalada e quedas d’água As ribeiras da Região correm em leitos,


por vezes, escarpados. Apresentando grau de maior ou menor dificuldade, há muito MA

por onde escolher. Sugerem-se para as actividades ligadas à escalada, as paredes das

Bafureiras – quedas d’água, junto à praia fluvial do Penedo Furado – ou a queda d’água 99

do Escalvadouro, perto de Vila de Rei.

8 O Tejo visto do céu Sobrevoar o Pinhal, o vale do Tejo até às graníticas


Portas de Ródão, as terras raianas, com partida da pista das Moitas, em Proença-a-Nova.

Só para quem não tem medo das alturas.


LAZERES E PRAZERES
LAZERES E PRAZERES

1 Pare para saborear as coisas boas. Os néctares por exemplo. Faça um curso de prova
de vinhos na Quinta do Vale Pequeno.

2 Um cruzeiro pelo Zêzere, com almoço a bordo do S. Cristóvão. Por esse rio abaixo,
do calmo Lago Azul à paradisíaca ilha do Lombo.

3 Um fim-de-semana numa das estalagens debruçadas sobre o Zêzere. O resto

é paisagem… gastronomia, património e um tempo sem pressas.

4 Tire o dia para estar realmente de férias. Chegue, de manhã, à medieval Dornes
101
e dê um mergulho. Vá almoçar peixe do rio na Zaboeira, à beira Zêzere. Acabe a tarde

em Fernandaires, à sombra dos pinheiros e com mais uns mergulhos ao pôr-do-sol.

5 Traga ou alugue a canoa e, com o indispensável colete, vá explorar as margens

do Zêzere e das ribeiras que nele desaguam. Não é preciso dobrar grandes cabos para

descobrir o seio da Natureza.


TEMPLÁRIOS Profundamente

6 Faça o roteiro dos três templos. Marque, de véspera, almoço no Chico Elias. Porque

não as couves à D. Prior e umas conventuais fatias de Tomar? Desça ao Convento

de Cristo e percorra, devagar, os corredores e claustros da História. Termine no “mais

belo interior do mundo”, a Capela da Nossa Senhora da Conceição, sítio para olhar

a cidade ao fim da tarde.


LAZERES E PRAZERES

7 Esqueça-se da agitação, das preocupações sem prazo limite, do tempo contado

que não pára de contar. Com ou sem guia, dê um passeio a cavalo pelos campos e florestas

de Proença-a-Nova.

8 Faça praia descansando. As duas coisas não são incompatíveis. Conheça o Açude

Pinto (Oleiros) e a Fróia (Proença-a-Nova). Acredite que vai voltar.

9 Redescubra sítios mágicos em rotas perdidas. A ponte romana da ribeira da

Tamolha, na confluência com a Isna, entre prados e azenhas. A ponte filipina e a tortuosa

calçada no desfiladeiro do Cabril, o Zêzere profundo. A ponte romana dos Três Concelhos,
103
a Isna, o vale, a floresta e mais nada.

10 Barbos, carpas, bogas, achegãs; as águas mais límpidas e despoluídas do país;

a sombra da imensa floresta; recantos de Natureza intocada. Tudo para uma boa

e relaxante tarde de pesca no Zêzere ou nas suas ribeiras.


A NÃO PERDER
A NÃO PERDER

1 Janela do Capítulo no Convento de Cristo O mar

começa aqui. O Manuelino em todo o seu esplendor.

2 Charola no Castelo de Tomar A igreja mais templária de toda


a Europa. Uma ponte entre o Ocidente e o Oriente.

3 Festa dos Tabuleiros Única em Portugal e no mundo. Tradição,

beleza, cor e grandiosidade.

4 Sabores do Tejo e do Zêzere As enguias e as migas à Manuel

Pescador; o arroz de lampreia; o sável com açorda de ovas; o achegã, frito ou 105
grelhado.

5 Chico Elias – Tomar Um dos templos de bem comer em Portugal.

6 Praia Fluvial da Fróia – Proença-a-Nova Distinguida

pelo Prémio Internacional do Ambiente. A plena fruição da Natureza.


TEMPLÁRIOS Profundamente

7 Pintura do século XVI – Matriz do Sardoal; Igreja


de S. João Baptista e Charola de Tomar Os Mestres do Sardoal;
Quintino Metzys; Gregório Lopes; Jorge Afonso e Domingos Vieira Serrão. O retrato de uma
época de ouro.

Os Mestres do Sardoal – Igreja Matriz do Sardoal


As permanências góticas e as influências bizantinas no admirável Busto de Cristo,
a obra-prima desta Escola a que o Sardoal deu nome.

8 Centro Histórico de Tomar O maior núcleo monumental

do centro do país. O rio, os açudes, a ilha-jardim do Mouchão. Já não há cidades assim.

9 Albufeira do Castelo do Bode Um dos maiores lagos artificiais


da Europa, de águas tão puras que abastece Lisboa. Para disfrutar numa das estalagens

debruçadas sobre o Zêzere ou numa viagem panorâmica a bordo do S. Cristóvão.


A NÃO PERDER

10 Cabrito Estonado – Oleiros Alimentado a pastagens e restolhos,


o cabrito de Oleiros é assado com pele, ao modo do leitão. O forno a lenha faz o resto.

O resultado é de uma intraduzível suavidade acetinada, mas os sabores não se põem


por palavras. Provam-se.

11 Dornes – Ferreira do Zêzere A torre templária na aldeia

medieval, enquadrada pelo rio e uma paisagem fantástica.

12 Tomar, Cruzamento de Culturas Referência central da


MA
cultura portuguesa, a cidade cresceu e enriqueceu-se com o contributo de outras

influências culturais. Aqui se vê e sente a pujança da comunidade judaica durante


107
o período dos Descobrimentos, materializada na sua sinagoga e judiaria. Foi na cidade

que Filipe II se tornou rei de toda a Península (Cortes de Tomar, 1581) e nasceu o maior

império do mundo. Desse tempo se guardam testemunhos como a jóia renascentista

do Claustro dos Filipes ou o notável Aqueduto dos Pegões.


INFORMAÇÕES ÚTEIS
INFORMAÇÕES ÚTEIS

ONDE COMER .............................. 110 CIRCUITOS TURÍSTICOS .................................................. 132

EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS ............................... 134

ONDE DORMIR ............................ 114 OUTROS EQUIPAMENTOS ............................................ 136

EVENTOS GASTRONÓMICOS .................................... 136

ONDE SE INFORMAR .................... 120 EVENTOS MUSICAIS........................................................... 137

OUTROS EVENTOS ............................................................ 138

OUTRAS INFORMAÇÕES FEIRAS ........................................................................................... 138

ADEGAS ...................................................................................... 122 FESTAS E ROMARIAS .......................................................... 140 109


AGÊNCIAS DE VIAGENS .................................................. 123 MERCADOS ............................................................................. 141

ALUGUER DE VIATURAS ................................................. 124 MUSEUS....................................................................................... 142

ARTESANATO ......................................................................... 125 PARQUES E RESERVAS NATURAIS ......................... 144

BARES E DISCOTECAS ..................................................... 128 PRAIAS FLUVIAIS ................................................................... 144

CÂMARAS MUNICIPAIS .................................................... 131 SALAS DE CONGRESSOS............................................... 146

CINEMAS .................................................................................... 132 TURISMO ACTIVO ............................................................... 149


TEMPLÁRIOS Profundamente

ONDE COMER de milho; carrossel de carnes; pudim caseiro; Oleiros


baba de camelo
Não se indicando aqui as imensas unidades Capacidade: 60 Restaurante O Prontinho
de restauração que servem toda a Região, Encerramento: Domingo ao jantar Praça do Município
deixa-se referência a algumas casas onde e segunda-feira 6160-418 Oleiros
a gastronomia regional de grande qualidade Férias: Agosto - 15 dias Tel.: 272 682 338
é uma presença constante. Horário: 12h30 às 15h30 e 19h30 às 22h30 Proprietária: Maria Afonso Silva
Pagamento: Multibanco; Visa; American Cozinheira: Maria Afonso Silva
Express; Diners Club Especialidades: Cabrito estonado; maranhos
RESTAURANTES Estacionamento próprio à moda de Oleiros; bucho recheado; tarte
Especialidades Gastronómicas de gila; bolo de nozes; tigelada (por encomenda)
Ferreira do Zêzere Capacidade: 80
Entroncamento
Encerramento: Não encerra
Restaurante A Grelha do Zêzere Férias: Não tem
Restaurante Refeitório O Barrigas
Rua Maria Vasques, 37 Horário: 9h30 às 21h30
Rua Fernando Pessoa, 8 c/v - Largo das
2240-358 Ferreira do Zêzere Pagamento: Cheques
Comunidades
Tel.: 249 362 300
Casal Saldanha
Proprietários: José Rosa / Carlos Marques Mação
2330-157 Entroncamento
Cozinheiro: José Rosa
Tel.: 249 717 631
Especialidades: Morcela; negrita; farinheira, Restaurante Kabra’s
Fax: 249 719 580
chouriço; morcela de arroz; queijos da Sertã; Estrada da Barragem - Monte Novo, 2
E-mail: obarrigas@netcabo.pt
bacalhau à casa; bifinhos no chapéu; espetadas 6120-525 Ortiga
Gerência: Jorge Manuel Pereira
no almofariz; naco na telha; polvo à lagareiro; Tel.: 241 573 346
Cozinha: Ana Paula Pereira
doce da casa; gelado da casa com molho Fax: 241 573 134
Especialidades: Serviço “buffet” à descrição:
de chocolate Site: www.restaurante-kabras.com
orelha de porco; petingas; carapaus de
Capacidade: 76 Proprietária: Restaurante Kabra’s unipessoal Lda.
escabeche; favas com chouriço; peixe grelhado
Encerramento: Quarta-feira ao jantar Cozinheira: Maria Manuela Pires
(cherne, espadarte, salmão); lombinhos;
e quinta-feira todo o dia Especialidades: Queijo de cabra; presunto
morcela de arroz com salada fria; fritada
Férias: Setembro de Mação; paio de Mação; chouriço; morcela;
de camarão com açorda; caril de camarão;
Horário: 12h00 às 15h00 e 19h00 às 22h00 pão da região; salada de almeirão; açorda de
feijoada de camarão; bacalhau assado; naco
Pagamento: Cheque; Multibanco ovas com peixe do rio (sável, achegã, fataça);
de boi no carvão com miga de couve e pão
INFORMAÇÕES ÚTEIS

fataça grelhada ou frita; enguias fritas; Capacidade: 300 Restaurante Milita


maranhos; javali grelhado; lampreia; cabrito Encerramento: Não encerra Zona Industrial, Lote 49
estonado; cabrito assado no forno a lenha Férias: Não tem 6150-516 Proença-a-Nova
com migas de couves com feijão; grelhado Horário: 9h00 às 02h00 Tel.: 274 672 096
de porco preto; borrego; cabrito ou vitela Pagamento: Cheque Proprietária: Maria Emília Tavares
com batata frita com pele, migas de couves Estacionamento Próprio Cozinheira: Maria do Rosário
com feijão e salada; doce de abóbora; tigelada Especialidades: Queijo cabreiro; morcela; paio;
de mel; pudim de café Restaurante Famado farinheira assada; sopa Troc-troc; sopa de grão
Capacidade: 90 Estrada Nacional 233 da malha; petingas de escabeche com salada
Encerramento: Segunda-feira Vale de Urso de almeirão; maranhos; cabrito assado
Férias: Não tem 6150-509 Proença-a-Nova no forno a lenha com arroz de miúdos;
Horário: 12h00 às 16h00 e 19h00 às 24h00 Tel.: 274 672 872 couves com broa; tigelada; papas de carolo
Pagamento: Multibanco; Visa Fax: 274 672 874 Encerramento: Quarta-feira e domingo
Estacionamento próprio Proprietário: Fabricação de Produtos ao jantar
Alimentares, Lda. Horário: 9h00 às 23h00
Proença-a-Nova Cozinheira: Ana Cristina e Lisete Maria
Especialidades: Enchidos de porco preto; Sardoal
Restaurante O Felisbelo maranhos; bucho; joelho de porco; burras
EN 233 de porco preto; bacalhau com broa; cabrito Restaurante As Três Naus
Sobreira Formosa assado em forno de lenha; cabrito estonado; Fonte da Estrada 111
6150-737 Proença-a-Nova couves com broa; esparregado de nabiças; 2230-105 Sardoal
Tel.: 274 822 100 nabos com feijão; tigelada; pudim de gila Tel.: 241 855 333
Proprietário: Felisbelo Costa da nossa avó; pudim de pão com nozes Fax: 241 851 520
Cozinheira: Rosalina Santos Costa Capacidade: 70 Proprietário: José Quintas Pedro
Especialidades: Farinheira; chouriço; morcela; Encerramento: Segunda-feira Cozinheira: Paula Cristina
plangaios; queijo fresco e curado da região; Horário: Das 12h00 às 15h00 Especialidades: linguiça da região; farinheira;
presunto de Sobreira Formosa; bucho Pagamento: Cheque; multibanco; cartões chouriço mouro; queijo de ovelha curado;
recheado; maranhos; cabrito assado no forno de crédito cozinha fervida; bife à Café Paris; gambas
a lenha; cabrito estonado; naco na pedra; Estacionamento próprio grelhadas à moda do patrão; entrecosto grelhado
galinha de cabidela; tigelada com migas; bacalhau assado com cozinha fervida
(couve ratinha da zona e pão de milho)
TEMPLÁRIOS Profundamente

Capacidade: 300 Tomar Restaurante Chico Elias


Encerramento: Quinta-feira EN 113 - Algarvias, 70
Horário: 12h00 às 16h30 e 19h00 às 24h00 Restaurante A Lúria 2300-302 Tomar
Portela de S. Pedro Tel.: 249 311 067
Sertã 2300-182 Tomar Fax: 249 311 067
Tel.: 249 381 402 Proprietária: Maria do Céu
Restaurante Ponte Velha Fax: 249 381 206 Cozinheira: Maria do Céu
Alameda da Carvalha Proprietário: Chico da Beca Especialidades: (só por encomenda) Petingas
6100-760 Sertã Cozinheira: Maria de Fátima no forno; feijoada de caracóis; morcela de arroz;
Tel.: 274 600 160 Especialidades: Petingas assadas no forno; couves à Dom Prior; rago do embaixador;
Fax: 274 600 169 silercas com ovos; morcela de arroz; paté bacalhau com carne; coelho na abóbora; danado
E-mail: santos.marcal@s-m.pt de ovas de lampreia; açorda de sável; cabrito de bom; lombo de fricassé; bacalhau com broa;
Site: www.s-m.pt assado no forno em tabuleiro de barro, bacalhau com carne; bacalhau à S. João
Proprietário: Carlos Marçal temperado de véspera e acompanhado Baptista; cabrito assado no forno a lenha;
Cozinheira: Maria Odete Farinha de batatas e arroz de miúdos; magusto enguias de fricassé; pato com migas; cachola;
Especialidades: Morcela; farinheira; chouriço de carnes com açorda de silercas servido fatias de Tomar; peras bêbedas; leite-creme
mouro; chouriço magro; queijos da Sertã; em pão; fatias de Tomar; laranjada de feijão Capacidade: 120
achegã com molho verde; sopa de peixe; (branco) Encerramento: Terça-feira e domingo à noite
bucho recheado; maranhos; cabrito estonado; Capacidade: 110 Férias: Julho/Setembro
achegã frito com arroz de feijão; couves com Encerramento: Domingo ao jantar Horário: 12h00 às 15h00 e 19h00 às 22h00
broa; migas; cartuchos de ovos; tigelada beirã; e segunda-feira Pagamento: Não aceita cartões de crédito
aguardente de medronho Férias: Julho Estacionamento próprio
Capacidade: 200 + 400 Horário: 12h00 às 15h00 e 19h00 às 22h00
Encerramento: Segunda-feira Pagamento: Aceita cartões de crédito
Horário: 12h00 às 16h00 e 19h00 às 24h00
Pagamento: MB; Visa; AmericanExpress;
MasterCard; Diners Club
Estacionamento próprio
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Torres Novas lombo na telha com castanhas; lombinhos de Restaurante O Paraíso do Zêzere
cherne no forno a lenha; migas de figo; tartes Zaboeira
Restaurante Casa das Enguias de figo branco; doce de figo com pão-de-ló; 6110-169 Vila de Rei
Largo General Humberto Delgado doce de ovos-moles com nozes Tel.: 274 898 688
Boquilobo Encerramento: Segunda e terça-feira Fax: 274 898 688
2350-051 Brogueira Férias: Agosto/Setembro E-mail: paraiso.zezere@clix.pt
Tel.: 249 835 455 Horário: 12h00 às 15h00 e das 19h30 às Proprietários: Ilda Martins e Filhos
23h30 Cozinheiras: Ilda Martins e Carla Martins
Fax: 249 830 199
Pagamento: Aceita cartões de crédito Especialidades: Chouriço; morcela; de sangue;
E-mail: enguia@netc.pt
Estacionamento próprio
Proprietária: Maria Luísa Cepo farinheira; queijo de cabra fresco e seco;
Cozinheira: Maria Luísa Cepo salada de almeirão com feijão; achegã, carpa
Vila de Rei
Especialidades: Queijo regional de mistura e barbo frito ou grelhado; bucho recheado;
curado; enguias fritas, grelhadas, ou de maranhos; sopa de peixe do rio; açorda de
Restaurante Albergaria
ensopado; fataça frita; carnes grelhadas D. Dinis O Lavrador ovas de peixe do rio; cabrito assado em forno
Capacidade: 130 Rua Dr. Eduardo Castro de lenha; migas de couve com broa; tigelada;
Encerramento: Segunda-feira 6110-218 Vila de Rei pudim paraíso (com presunto)
Férias: Julho (última quinzena) Tel.: 274 890 100 Capacidade: 90
Horário: 12h00 às 15h00 e 19h00 às 22h00 Fax: 274 890 109 Encerramento: Não encerra
Pagamento: Multibanco E-mail : santo.marcal@s-m.pt Férias: Não tem
Site : www.s-m.pt Horário: 12h00 às 22h00 113
Restaurante Pic’s Proprietário: Carlos Marçal Pagamento: Cheque; Multibanco; Visa
Quinta das Vieiras - S. Pedro Cozinheira: Lena Marçal Estacionamento próprio
2350-816 Torres Novas Especialidades: Farinheira; queijos da Sertã;
Tel.: 249 825 580 chouriço magro; chouriço mouro; morcela;
Proprietário: Rui Honorato bucho recheado; maranhos; sopa de peixe;
Cozinheira: Margarida Honorato cabrito estonado; tigelada; cartuchos de ovos
Especialidades: Enchidos de Vila de Rei; de Cernache do Bonjardim
morcela de Rio de Moinhos (Abrantes); Capacidade: 250
carnes à antiga na caldeira; telha de bacalhau; Encerramento: Quarta-feira
Férias: Não tem
cabrito à moda da Serra; migas de bacalhau;
Horário: 12h00 às 23h00
pataniscas com arroz de grelos; arroz de cabrito;
Pagamento: Aceitam cartões
TEMPLÁRIOS Profundamente

ONDE DORMIR Pensão Flor do Zêzere Proença-a-Nova


Rua Alfredo Keil
ALOJAMENTO 2240-346 Ferreira do Zêzere Estalagem das Amoras
Tel.: 249 361 550 Rua Comendador Assis Roda, 25
Entroncamento Fax: 249 361 664 6150-557 Proença-a-Nova
Categoria: 3ª Tel.: 274 670 210
Pensão Residencial Gameiro Quartos: 8 Fax: 274 670 219
Rua Abílio César Afonso, 3 Camas: 16 E-mail: info@estalagemdasamoras.com
2330-096 Entroncamento Tipo: 27 Duplos; 23 Single Site: www.estalagemdasamoras.com
Tel.: 249 726 834 Categoria: 4 estrelas
Fax: 249 718 708 Apartamentos Chão de Lousa Quartos: 32 quartos + 1 suite
Categoria: 2ª Rio Cimeiro, Dornes Tipo: 28 quartos de duplos + 4 casal + 1
Quartos: 35 2240 Ferreira do Zêzere suite
Camas: 68 Tel.: 249 366 565
Tipo: 60 Triplos, 44 Duplos, 33 Single E-mail : roberto.barata@iol.pt Sardoal
Tipo: 2 T1 com quarto, cozinha
Ferreira do Zêzere e sala com lareira Pensão Residencial Gil Vicente
Av. Heróis do Ultramar, 53 r/c
Estalagem do Lago Azul Mação 2230-224 Sardoal
Estrada Nacional 348 Tel.: 274 851 090
Castanheira Pensão Residencial Mansinho Fax: 241 855 904
2240-332 Ferreira do Zêzere Avenida Sá Carneiro Site: www.zonaweb.pt/abrantesonline/turismo/
Tel.: 249 361 445 6120-724 Mação gil_vicente
Fax: 249 361 664 Tel.: 241 572 585 Categoria: 2ª
E-mail: lagoazul@hoteldostemplarios.pt Fax: 241 572 585 Quartos: 7
Site: www.hoteldostemplarios.pt Categoria: 2ª Camas: 9
Categoria: 4 estrelas Quartos: 13
Quartos: 20 Camas: 25
Camas: 40 Tipo: 50 Duplos, 22 Single
Tipo: 104 Duplos (Lago), 89 Single (Jardim)
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Sertã Hotel Varandas do Zêzere Estalagem da Ilha do Lombo


Monte Senhora da Confiança Barreira
Estalagem Vale da Ursa 6100-532 Pedrógão Pequeno 2300-251 Serra de Tomar
Estrada Nacional 238, km 23 Tel.: 236 480 210 Tel.: 249 371 108 / 249 371 128
6100-302 Cernache do Bonjardim Fax: 236 480 219 Fax: 249 371 104
Tel.: 274 802 981 E-mail: infor@hotel-varandasdozezere.com Categoria: 4 estrelas
Fax: 274 802 982 Site: www.hotel-varandasdozezere.com Quartos: 17
E-mail: hotelvaledaursa@mail.telepac.pt Categoria: 3 estrelas
Site: www.hotelvaledaursa.com Quartos: 51 Estalagem de Santa Iria
Categoria: 4 estrelas Camas: 102 Parque do Mouchão
Quartos: 17 Facilidades: Quarto para deficientes motores; 2300-586 Tomar
Camas: 35 Restaurante regional; Adega típica Tel.: 249 313 326
Fax: 249 321 238
Pensão Residencial Lar Verde Tomar E-mail: estalagem.iria@clix.pt
Recta do Pinhal Site: www.estalagemiria.com
6100-751 Sertã Hotel dos Templários Categoria: 4 estrelas
Tel.: 241 603 584 Largo Cândido dos Reis, 1 Quartos: 14
Fax: 274 603 095 Apartado 91 Camas: 20
E-mail: lar.verde@clix.pt 2304-909 Tomar Tipo: 13 quartos + 1 suite
Site: www.residenciallarverde.pa-net.pt Tel.: 249 310 100 115
Categoria: 2ª Fax: 249 322 191 Pensão Residencial Trovador
Quartos: 20 E-mail: geral@hoteldostemplarios.pt Rua 10 de Agosto de 1385
Camas: 52 hoteltemplarios@mail.telepac.pt 2300-553 Tomar
Facilidades: Piscina Site: www.hoteldostemplarios.pt Tel.: 249 322 567
Categoria: 4 estrelas Fax: 249 322 194
Pensão Residencial D. Nuno Quartos: 176 E-mail: residencialtrovador@oninet.pt
Rua dos Pinheiros, 96 Camas: 352 Site: www.residencialtrovador.pa-net.pt
6100-266 Cernache do Bonjardim Tipo: 101 Duplos, 84 Single Categoria: 1ª
Tel.: 274 899 373 Quartos: 30
Categoria: 3ª Camas: 60
Quartos: 12
Camas: 23
TEMPLÁRIOS Profundamente

Pensão Residencial Sinagoga Pensão Restaurante Luanda Torres Novas


Rua Gil Avô, 31 A Av. Marquês de Tomar, 15
2300-580 Tomar 2300-586 Tomar Hotel Residencial dos Cavaleiros
Tel.: 249 323 083 / 249 323 086 Tel.: 249 323 200 / 249 315 153 Praça 5 de Outubro
Fax: 249 322 196 Fax: 249 322 145 Santa Maria do Castelo
E-mail: residencial.sinagoga@clix.pt Categoria: 2ª 2350-418 Torres Novas
Categoria: 2ª Quartos: 12 Tel.: 249 819 370
Quartos: 23 Camas: 28 Fax: 249 819 379
Camas: 45 E-mail: hotel_dos_cavaleiros@clix.pt
Pensão Residencial Luz Site: www.guianet.pt/hotelcavaleiros
Pensão Residencial Cavaleiros de Cristo Rua Serpa Pinto, 144 Categoria: 2 estrelas
Rua Alexandre Herculano, 7 2300-592 Tomar Quartos: 59
2300-554 Tomar Tel.: 249 312 317 Camas: 116
Tel.: 249 321 203 / 249 321 067 Fax: 249 312 753
Fax: 249 321 192 E-mail: info@residencialluz.com Hotel Torres Novas
E-mail: residencialcavcristo@sapo.pt Site: www.residencialluz.com Praça 5 de Outubro
Categoria: 2ª Categoria: 3ª Santa Maria do Castelo
Quartos: 17 Quartos: 14 2350-418 Torres Novas
Camas: 30 Camas: 24 Tel.: 249 813 660
Fax: 249 812 100
Pensão Residencial União Pensão Restaurante Bonjardim E-mail: hoteltorresnovas@mail.telepac.pt
Rua Serpa Pinto, 94 - 1º Praceta de Santo André, 1 - 2 Site: www.hoteltorresnovas.com
2300-592 Tomar 2300-445 Tomar Categoria: 3 estrelas
Tel.: 249 323 161 Tel.: 249 313 195 / 249 316 136 Quartos: 37
Fax: 249 321 299 Fax: 249 322 196 Camas: 61
E-mail: residencialuniao@oninet.pt Categoria: 3ª
Categoria: 2ª Quartos: 14
Quartos: 29 Camas: 28
Camas: 40
Tipo: Triplo/Duplo/Single
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Vila de Rei Quinta da Pinheira (TR) Quinta das Freiras (AT)


Carril Venda Nova, Entrevinhas
Albergaria D. Dinis, O Lavrador 2240-310 Dornes 2230-163 Sardoal
Rua Dr. Eduardo de Castro Tel.: 249 366 407 Tel.: 241 855 320
6110-218 Vila de Rei Fax: 249 366 475 Fax: 241 855 320
Tel.: 274 890 100 E-mail: quinta@iol.pt E-mail: quintadasfreiras@clix.pt
Fax: 274 890 109 Site: www.rustictour.com Site: http://planeta.clix.pt/quintadasfreiras/
Tlm.: 91 879 5406 Tipo: 5 quartos / 1 AT Quartos: 10
E-mail: d.dinis@s-m.pt Facilidades: Restaurante; bar; esplanada
Site: www.s-m.pt Mação
Categoria: 1ª Sertã
Quartos: 17 Casa da Tejada (C. Campo)
Camas: 33 Albergue do Bonjardim (TR)
Rua do Tejo, 1
Nesperal
Ortiga
6100-459 Nesperal
Turismo no Espaço Rural 6120 Mação
Tel.: 274 809 647
Tel.: 241 573 398 Fax: 247 809 323
Ferreira do Zêzere Tlm.: 91 903 0198 E-mail: albergbonjardim@mail.telepac.pt
Quartos: 5 Duplos Site: www.albergue-do-bonjardim.com
Casa da Inveja (TR) Facilidades: Biblioteca; sala de jogos; bar; jardim; Quartos: 4
Dornes terraço 117
Facilidades: Sauna; piscina climatizada;
2240-310 Dornes
equitação; jardim
Tel.: 249 366 265 Sardoal
Fax: 249 366 677 Quinta de Santa Teresinha (TR)
Quartos: 6 Quinta de Arecês (TR) Cabeçudo
Facilidades: Ténis; ténis de mesa; jardim; praia Cabeça das Mós 6100-730 Cabeçudo
fluvial a 20m 2230-102 Sardoal Tel.: 274 600 160
Tel.: 241 855 255 Fax: 274 600 169
Fax: 241 855 255 E-mail: santos.marcal@s-m.pt
Quartos: 6 Site: www.s-m.pt
Facilidades: Sala de banquetes; jardim; Quartos: 6
equitação; praia fluvial a 14 km Facilidades: Piscina; mini-golfe; court-ténis;
jardim; sala de banquetes; acesso a deficientes
TEMPLÁRIOS Profundamente

Tomar Quinta do Troviscal (TR) Torres Novas


Alverangel, Castelo do Bode
Quinta da Anunciada Velha (TR) 2300-152 São Pedro de Tomar Casa dos Vargos (TH)
Cem Soldos Tel.: 249 371 318 Vargos
2305-417 Tomar Fax: 249 371 962 2350-202 Vila do Paço
Tel.: 249 345 218 Telemóvel: 91 733 3456 Tel.: 249 791 159
Fax: 249 345 752 E-mail: troviscal@mail.telepac.pt Fax: 249 791 037
E-mail: anunciadavelha@sapo.pt Site: www.troviscal.com E-mail: casadosvargos@clix.pt
Tipo: 4 quartos / 2 AT Quartos: 3 Site: www.ciberguia.pt-casadosvargos
Funcionamento: Encerra de Novembro a Camas: 6 Quartos: 4
Fevereiro Facilidades: Jardim; acesso a deficientes; animais Facilidades: Piscina; jardim; passeios de burro;
Facilidades: Capela; sala de banquetes; piscina; admitidos praia fluvial a 25 km
jardim; equitação; praia fluvial a 16 km
Quinta do Valle (AT) Horta do Avô (TR)
Casa da Avó Genoveva (TR) Santa Cita Soudos
Rua 25 de Abril, 16 2305-123 Asseiceira 2305-201 Vila do Paço
Curvaceiras Tel.: 249 381 165 Tel.: 249 791 116
2305-511 Paialvo Fax: 249 382 720 Fax: 217 791 219
Tipo: 1 quarto / 7 AT Tipo: 3 quartos / 2 AT
Tel.: 249 982 219
Facilidades: Jardim; animais admitidos Facilidades: Capela; sala de banquetes; piscina;
Fax: 249 981 235
jardim; equitação; pesca a 4 km; bicicletas
Site: www.lifecooler.com
Tipo: 3 quartos / 2 AT Quinta de São José dos Montes (TR)
Montes
Vila de Rei
Facilidades: Sala de jogos; sala de banquetes;
sala de bilhar; ténis de mesa; equitação 2300-087 Olalhas
Casa dos Azulejos (TR)
Tel.: 249 376 122
Rua da Misericórdia, 6
Fax: 249 315 278
6110-208 Vila de Rei
E-mail: qsjose@quintadosmontes.com
Tel.: 274 898 107
Site: www.quintadosmontes.com
Fax: 274 898 107
Tipo: 2 quartos / 3 AT
Tipo: 2 AT
Facilidades: Sala de banquetes; jardim; praia
fluvial a 8 km
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Parques de Campismo Proença-a-Nova Parque de Campismo Rural


Pelinos, 77
Entroncamento Parque de Campismo Rural 2300-093 Tomar
de Aldeia Ruiva Tel.: 249 301 814
Parque de Campismo do Entroncamento Aldeia Ruiva Tendas: 40
Albufeira do Bonito 6150-420 Proença-a-Nova Caravanas: 20
2330-078 Entroncamento Tel.: 274 670 000 (CM)
Tel.: 249 720 400 (CM) Site : www.cm-proencanova.pt
Site: www.cm-entroncamento.pt Categoria: rural
Observações: Para uso exclusivo de Período de funcionamento: de 2 de Janeiro a
31 de Dezembro
escuteiros
Bungalows: 7
Mação
Tomar
Parque de Campismo da Ortiga
Parque de Campismo Rural Camping
Barragem de Belver, Ortiga
Redondo
6120-525 Mação
Rua do Casal Rei, 6
Tel.: 241 573 440
2300-035 Poço Redondo
Fax: 241 577 280 (CM)
Tel.: 249 376 421 119
E-mail: turismo@cm-macao.pt Fax: 249 376 421
Site: www.cm-macao.pt E-mail: hansfromme@hotmail.com
Categoria: 2 estrelas Site: home.wanadoo.nl/edvols
Horário de funcionamento: 9h00 às 17h30 Categoria: rural
(Inverno); 9h00 às 20h00 (Verão) Período de funcionamento: de 15 de Março a
Período de funcionamento: de 2 de Janeiro a 3 de Setembro
31 de Dezembro das 9h00 às 12h30 e das Tendas: 15
14h00 às 17h30 (recepção) Caravanas: 10
Tendas: 20 Bungalows: 4
Caravanas: 42 Facilidades: Bar com esplanada; ténis de mesa;
bicicletas; café-restaurante; paragem de
autocarro a 300 metros; parque infantil
TEMPLÁRIOS Profundamente

ONDE SE INFORMAR E-mail: geral@cm-ferreiradozezere.pt E-mail: cmpnova@mail.telepac.pt


Site: www.cm-ferreiradozezere.pt Site: www.cm-proencanova.pt
INFORMAÇÕES Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30 Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30
TURÍSTICAS
Mação Sardoal
Região de Turismo dos Templários
(Floresta Central e Albufeiras) Câmara Municipal de Mação Posto de Turismo
Rua Serpa Pinto, 1 Rua Padre António Pereira de Figueiredo Praça da República
2300-592 Tomar 6120-750 Mação 2230-222 Sardoal
Tel.: 249 329 000 Tel.: 241 577 200 Tel.: 241 851 498
Fax: 249 324 322 Fax: 241 577 280 Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30
E-mail: geral@rttemplarios.pt E-mail: turismo@cm-macao.pt
Site: www.rttemplarios.pt Site: www.cm-macao.pt Sertã
Horário: 9h30/12h30 – 14h00/18h00 Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30
Câmara Municipal da Sertã
Entroncamento Oleiros Largo do Município
6100-738 Sertã
Posto de Turismo Câmara Municipal de Oleiros Tel.: 274 600 300
Largo da Estação Praça do Município Fax: 274 600 301
2330-078 Entroncamento
6160-409 Oleiros E-mail: cmsgeral@cm-serta.pt
Tel.: 249 719 229
Tel.: 272 680 130 Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30
Fax: 249 718 615
Fax: 272 682 446
E-mail: geral@cm-entroncamento.pt
E-mail: cm.oleiros@vizzavi.pt Tomar
Site: www.cm-entroncamento.pt
Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30
Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30
Posto de Turismo
Ferreira do Zêzere Proença-a-Nova Avenida Dr. Cândido Madureira
2300-531 Tomar
Posto de Turismo Câmara Municipal de Proença-a-Nova Tel.: 249 322 427
Praça Dias Ferreira Apartado 24 Fax: 249 322 427
2240-341 Ferreira do Zêzere 6150-519 Proença-a-Nova E-mail: turismo.tomar@sapo.pt
Tel.: 249 360 150 Tel.: 274 670 000 Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30
Fax: 249 361 660 Fax: 274 672 697
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Torres Novas Câmara Municipal de Ferreira Monumento Natural das Pegadas


do Zêzere dos Dinossáurios de Serra de Aire
Posto de Turismo www.cm-ferreiradozezere.pt www.pegadasdedinossaurios.org
Largo dos Combatentes
2350-437 Torres Novas Câmara Municipal de Mação Site da Associação Empresarial
Tel.: 249 813 019 www.cm-macao.pt da Região de Santarém
Fax: 249 811 696 www.nersant.pt
E-mail: geral@cm-torresnovas.pt Câmara Municipal de Proença-a-Nova
Site: www.cm-torresnovas.pt www.cm-proencanova.pt Página do Instituto Politécnico de Tomar
Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30 www.ipt.pt
Câmara Municipal de Torres Novas
Vila de Rei www.cm-torresnovas.pt Página sobre Tomar e do Jornal
O Templário
Posto de Turismo Câmara Municipal de Vila de Rei http://tomar.com.sapo.pt
Praça Família Matos Silva e Neves www.cm-viladerei.pt
6110-174 Vila de Rei Página sobre os concelhos da região
Tel.: 274 890 010 (CM) Webblog do concelho do Sardoal do Ribatejo
Fax: 274 890 018 (CM) www.sardoal.blogspot.com www.ribatejo.com/ecos/concelhos/concelhos.
E-mail: geral@cm-viladerei.pt html
Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30 Património de Sardoal 121
www.terravista.pt/portosanto/4600/Mestre. Edição on-line do jornal Cidade de Tomar
htm www.cidadetomar.pt
LINKS ÚTEIS
Página pessoal sobre a cidade de Tomar Jornal on-line do Entroncamento
Região de Turismo dos Templários www.terravista.pt/portosanto/1940/ www.entroncamentoonline.pt
(Floresta Central e Albufeiras)
www.rttemplarios.pt Guia turístico de Tomar Edição on-line do jornal O Ribatejo
www.ep-tomar.rcts.pt/Tomar/index2.html www.oribatejo.pt
Câmara Municipal do Entroncamento
Página pessoal sobre Tomar Edição on-line do jornal Torrejano
www.cm-entroncamento.pt
e a Festa dos Tabuleiros www.jornaltorrejano.pt
www.terravista.pt/guincho/3731/
TEMPLÁRIOS Profundamente

Edição on-line do jornal O Mirante OUTRAS Torres Novas


www.omirante.pt INFORMAÇÕES
Caves Dom Teodósio, SA *
Página sobre a cidade do Entroncamento ADEGAS Quinta São João Baptista
www.eb1-entroncamento-n2.rcts.pt/eb1n2_ 2350-296 Riachos
04/index.htm Sardoal Tel.: 243 829 674
Fax: 249 829 674
Página sobre Tomar Quinta do Côro E-mail: caves@domteodosio.com
“O Tesouro dos Templários” 2230-123 Sardoal Site: www.domteodosio.com
http://cph.ipt.pt/paisagensmegaliticas/tomar. Tel.: 241 855 166 Horário: Dias úteis das 10 às 12h30 e das
html Fax. 241 855 507 14h00 às 17h00 (marcação com 3 dias de
Horário: Dias úteis das 10h30 às 17h00; antecedência)
Página sobre Mação “Verde Horizonte” Sábados e Domingos das 11h30 às 17h00
http://cph.ipt.pt/paisagensmegaliticas/macao. Quinta do Vale Pequeno
html Sociedade Agrícola Rua Arcebispo de Évora, 134
Quinta do Vale da Lousa, Lda. Lamarosa
Moinhos da Pena,Torres Novas Quinta do Vale da Lousa 2350-174 Olaia
www.terravista.pt/copacabana/5316/ 2230 Sardoal Tel.: 249 982 209
Tel.: 241 855 274 Fax. 249 982 209
Roteiro arqueológico da Beira Interior Horário: Dias úteis por marcação prévia
nomeadamente dos concelhos de Oleiros, Sertã
Proença-a-Nova, Sertã e Vila de Rei Tomar
www.arqueobeira.net Albergue do Bonjardim
6100-459 Nesperal Agrovalente, Lda. *
Página pessoal sobre a Vila da Sertã Tel.: 274 809 647 Quinta do Casal das Freiras
www.terravista.pt/portosanto/2121/ Fax: 247 809 323 Carvalhal Grande
E-mail: albergbonjardim@mail.telepac.pt 2305-425 Madalena
Página pessoal sobre a Vila de Oleiros Site: www.albergue-do-bonjardim.com Tel.: 249 345 591
www.terravista.pt/enseada/4354/concelho/ Horário: Das 14h00 às 19h00 (Verão) Fax: 249 345 591
Site: www.casaldasfreiras.no.sapo.pt
Aldeia de Cambas, concelho de Oleiros Horário: Dias úteis das 11h00 às 18h00;
www.geocities.com/RainForest/4177/ Sábados e Domingos com marcação prévia
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Casa Agrícola Solar dos Loendros, SA * AGÊNCIA DE VIAGENS Turinovas,Viagens e Turismo


Marmeleiro 12 Rua Doutor Miguel Bombarda, 1
2305-426 Tomar Entroncamento 2330-017 Entroncamento
Tel. 249 345 839 Tel.: 249 719 160
Fax. 249 345 513 Noventur,Transportes e Turismo Lda.
E-mail: casa.sag@clix.pt Viagens Gheisa
Avenida Dr. José Eduardo V. das Neves 39
Site: www.solardosloendros.pt.vu Rua António Lucas, 15
Loja 28 r/c
Horário: Dias úteis das 9h00 às 18h00; 2330-101 Entroncamento
2330-066 Entroncamento
Sábados das 9h00 às 12h30 Tel.: 249 725 044
Tel.: 249 717 557
Fax: 249 717 548 Fax: 249 716 394
Encosta do Sobral, E-mail: entroncamento@gheisa.pt
E-mail: zediogo@noventur.mail.pt
Sociedade Agrícola Lda. *
Outeiro, Serra Horário: Segunda a sexta-feira das 9h30 às
13h00 e das 15h00 às 19h00, Sábados das Tomar
2300 Tomar
Tel.: 218 880 256 9h30 às 13h00
Listartour,Viagens e Turismo
Fax: 218 862 740
Gp-Tur,Viagens e Turismo Avenida Torres Pinheiro, 104
E-mail: geral@encostadosobral.com
Rua Abílio César Afonso, 2 2300-538 Tomar
Site: www.encostadosobral.com
2330-096 Entroncamento Tel.: 249 322 358
Adega Cooperativa de Tomar CRL Tel.: 249 725 072 Fax: 249 321 582
Estrada das Algarvias 72 Fax: 249 725 777 E-mail: listartour_tomar@clix.pt 123
2300-302 Tomar E-mail: gtur@mail.telepac.pt
Tel. 249 329 170 Nabantur,Viagens e Turismo
Fax. 249 329 179 Belcartur,Viagens e Turismo Avenida Marquês de Tomar, 19 / 22
E-mail: adega.coop.tomar@clix.pt Avenida Dr. José Eduardo das Neves, 2300-306 Tomar
Site: www.guianet.pt/profile/actomar Bloco 39-lj 25 Tel.: 249 323 088
2330-066 Entroncamento Fax: 249 316 697
Sociedade Agro-Vinícola Tel.: 249 725 671 E-mail: nabantur@clix.pt
Gaspar & Costa Lda. Fax: 249 725 671
Quinta do Cavalinho, Valdonas E-mail: aluguerautobelcartur@iol.pt
2300-608 Tomar
Tel. 249 311 630
Fax. 249 311 630

* Adegas que pertencem à Rota da Vinha e do Vinho


TEMPLÁRIOS Profundamente

Templar, Rotas e Destinos Turísticos, Lda. Onda Azul,Viagens e Turismo, Lda. ALUGUER
Alameda Um de Março, C. C.Templários, Lj. 309 Rua Manuel Costa Nery, Loja B-2 DE VIATURAS
2300-431 Tomar 2350-448 Torres Novas
Tel.: 249 323 414 Tel.: 249 830 140 Tomar
Fax: 249 323 493 Fax: 249 830 149
E-mail: templar@mail.telepac.pt E-mail : geral@ondazul.website.pt Império do Nabão, Automóvel
Site: www.templar.online.pt
de Aluguer sem condutor, Lda.
Horário: Das 10h00 às 13h00 Plenotur,Viagens e Turismo Lda. (Filial) Avenida D. Nuno Álvares Pereira, Lote 8/9
e das 15h00 às 19h00 Avenida 8 de Julho, Lote 12 r/c Esq. 2300-532 Tomar
Serviços: Turismo activo, cultural e eco-turismo 2350-724 Torres Novas Tel.: 249 310 832
Tel.: 249 823 111 Fax: 249 310 830
Torres Novas Fax: 249 823 123 Horário: Das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às
E-mail: plenotur.tnovas@mail.telepac.pt 18h00
Turinovas,Viagens e Turismo
Site: www.plenotur.pt Serviços: Automóveis de aluguer sem
Rua Miguel Bombarda, 100-104
Horário: Segunda a sexta-feira das 9h00 condutor
2350-449 Torres Novas
às 13h00 e das 14h00 às 18h30, Sábado
Tel.: 249 839 200
das 9h00 às 12h30 Lusonabão, Aluguer de Automóveis
Fax: 249 839 209
Serviços: Outgoing sem Condutor, Lda.
E-mail: turinovas@mail.telepac.pt
Site: www.turinovas.pt Rua Coronel Garcês Teixeira, 2 A
Belcartur,Viagens e Turismo 2300-460 Tomar
Gp-Tur,Viagens e Turismo (Filial) Rua Padre Cruz 79, Botequim Tel.: 249 322 912 / 249 322 919
Largo do Paço 2305-293 Riachos Fax: 249 322 913
2350-428 Torres Novas Tel.: 249 812 351 E-mail: lusonabao@zonaweb.pt
Tel.: 249 812 308 Site: www.zonaweb.pt/lusonabao
Fax: 249 812 428 RCT- Agência de Viagens e Turismo Horário: De segunda a sexta-feira das 9h00 às
Avenida Manuel Figueiredo, Lt. 6 r/c E 13h00 e das 14h00 às 19h00, sábado das
Turexpresso,Viagens e Turismo (Filial) 2350-771 Torres Novas 9h00 às 13h00 e das 15h00 às 17h00
Rua Miguel Arnide, 69 – A r/c centro Tel.: 249 812 522 Serviços: Aluguer de automóveis sem
2350-522 Torres Novas condutor; entregas gratuitas no aeroporto de
Tel.: 249 820 881 Lisboa e Porto para alugueres maiores do que
Fax: 249 820 890 uma semana
E-mail: turexpressotn@clix.pt
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Fatimacar,Transportes e Turismo, SA ARTESANATO Proença-a-Nova


(Filial)
Avenida Marquês de Tomar, 19 Cantaria Artística Maria do Céu Tavares
2300-306 Tomar Rua de Santa Cruz, 130
Tel.: 249 321 936 Tomar 6150-424 Proença-a-Nova
Fax: 249 323 179 Tel.: 274 671 661
E-mail: fatimacar-transportes@sapo.pt Luís Henriques da Graça Rodrigo
Horário: Das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às Rua 5 de Maio, 117 Sardoal
18h30 2305-554 Pedreira
Tel.: 249 311 399 Cooperativa “Artelinho”
Aluvia, Rent-a-Car Lda. Santa Clara
Alameda 1 de Março Cestaria 2230-011 Alcaravela
C.C. Templários, Loja 310 A Tel.: 241 855 768
2300-431 Tomar Ferreira do Zêzere Fax: 241 855 768
Tel.: 249 324 699
Fax: 249 324 509 José António Henriques Sertã
Site: www.aluvia-lda.pt Várzea
Horário: De segunda a sexta-feira das 9h00 às 2240 Ferreira do Zêzere António Farinha Mateus
13h00 e das 14h30 às 19h00 Tel.: 249 361 917 Pombas
Pagamento: Multibanco; cartões de crédito 6100-682 Sertã 125
Mação Tel.: 274 685 489
Torres Novas
Abel Luís Dias / José Luís Dias Cutelaria
Aluvia, Aluguer de Automóveis Aveleira
Edifício Açude Real, Loja 1 6110-105 Vila de Rei Sertã
2350-769 Torres Novas Tel.: 274 898 649
Tel.: 249 813 562 Tlm.: 916 437 456 / 917 802 237 Francisco Nunes
Fax: 249 820 977 Estrada Principal
Site: www.aluvia-lda.pt Mougueira
Pagamento: Multibanco; cartões de crédito 6100 Sertã
Tel: 274 685 130
Tlm.: 965 501 711
TEMPLÁRIOS Profundamente

Ferro Forjado Sardoal Miniaturas da Roda


do Mouchão
Sardoal Maurício Alves
Rua D. Nuno Álvares Pereira Tomar
Abílio Ventura Marques 2230-862 Carvalhal
Rua Aldeia do Soares, 4 Tel.: 241 841 035 José Vasco Lopes Adão
2230-180 Valhascos Rua da Cabine, 35
Sertã S. Simão
Aníbal João Gomes 2305-558 S. Simão
Rua do Sarabando, 1 António Gonçalves Nunes Tel.: 249 341 149
2230 Sardoal Rua de Santo António Tlm.: 963 464 700
Tlm.: 966 277 252 6100-406 Figueiredo
Tel.: 274 685 276 Miniaturas de Tabuleiros
Tomar
Tomar Tomar
Fundição Tomarense
Rua Everard Otília Marques José António Tendeiro Pereiros
2300 Tomar Rua de Leiria – Vivenda Migalhas Avenida Cândido Madureira, 48 loja 11
Tel.: 249 312 419 2300-318 Tomar 2300-531 Tomar
Fax: 249 323 442 Tel.: 249 315 351 Tel.: 249 315 450

Latoaria Leques de Palha Maria Rivotti


Rua 13 de Fevereiro, 35 r/c esq
Proença-a-Nova Sardoal 2300-447 Tomar
Tel.: 249 321 559
Francisco Cardoso Grilo Célia Maria Oliveira Belém E-mail: rivotti@iol.pt
Rua da Fonte da Urgueira, 48 Rua Rainha D. Leonor, Ed. 2 – 2º dto
6150-737 Sobreira Formosa 2230-228 Sardoal
Tel.: 241 855 265
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Olaria Maria Luísa Fernandes Tirá Maria da Graça Mexia da Silva


Rua Abílio Martins, 14 Rua Cândido dos Reis, 1
Sardoal 2350-843 Zibreira 6120-017 Envendos
Tel.: 249 831 374 Tlm.: 933 551 829
Maria Fernanda Leitão
Presa Tecelagem e Trabalhos em Linho Maria de Lurdes Mateus
2230-010 Alcaravela Rua S. Bernardo, 6
Tel.: 241 855 540 Entroncamento 6120-214 Cardigos
Tel.: 274 866 113
Tomar Isabel Sousa
Rua Conselheiro Albino Reis, Lt.1 – 2º B Oleiros
Oficina de Azulejaria e Loiça Conventual 2330-019 Entroncamento
Convento de S. Francisco Tel.: 249 727 738 Artesanato Linho e Seda
Várzea Grande Fax: 249 727 738 Rua do Ventoso
2300 Tomar 6160-115 Estreito
Tel.: 249 323 355 Ferreira do Zêzere Tel.: 272 650 100 / 272 654 221

Torres Novas Ana Maria O. Garces RDL do Orvalho


Casal das Rosas, 2 Rua Padre Domingos Vaz Azevedo
António Alves F. Rosa 2240 Ferreira do Zêzere 6160-115 Estreito 127
Rua das Amendoeiras, 1 Tel.: 249 362 072 Tel.. 272 746 236
Árgea
2350-171 Olaia Mação Proença-a-Nova
Tel.: 249 982 061
Maria Alina Ribeiro Júlia Martins
António Francisco Cardoso Estrada da Estação Rua Principal
Rua de Santo António, 5 6120-526 Ortiga 6150-351 Murteira
Árgea Tel.: 241 573 173 Tel.: 274 672 185
2350 Torres Novas Tlm.: 964 113 761
Tel.: 249 981 093
TEMPLÁRIOS Profundamente

Lurdes Costa Sertã Maria Inês Laranjeiro Tereso


Rua de Santa Cruz, 2 Rua da Escola Nova, 1
6150-424 Proença-a-Nova Cooperativa de Artesanato do Troviscal Silveira
Tlm.: 966 606 111 Troviscal 6110-016 Fundada
6100 Sertã Tel.: 274 891 312
Sardoal
Alice Farinha dos Santos
Cooperativa “Artelinho” Cabeço BARES E DISCOTECAS
Santa Clara 6100-864 Várzea dos Cavaleiros
2230-011 Alcaravela Tel.: 274 685 044 Entroncamento
Tel.: 241 855 768
Fax: 241 855 768 Lucília do Rosário Irreverência Bar
Sarnadas Rua Jacinto Marques Agostinho, 1-A
Isaltina Ribeiro 6100-433 Marmeleiro 2330-166 Entroncamento
Tel.: 274 601 970
Rua Velha Tel.: 249 725 520
2230-143 Sardoal
Torres Novas
Russian Bar
Lina e Maria Esperto Largo das Comunidades Europeias, 8 - c/v esq.
Joaquim Marques Rodrigues
Rua do Poço dos Açougues 2330-074 Entroncamento
Liteiros
2230-120 Sardoal
2350 Torres Novas
Discoteca Five Club
Maria de Fátima Margarido Dias Vila de Rei Estrada da Meia Via
Rua do Outeiro 2330-000 Entroncamento
Andreus Clementina dos Anjos Mateus Tel.: 249 715 218 / 249 727 411 / 249 727
2230-101 Sardoal Cidreiro 740
Tel.: 241 851 272 6110-123 Vila de Rei
Tel.: 274 898 304 Excalibur Bar
Rua Florbela Espanca, 4
Maria Fernanda da Silva Mendes 2330-229 Entroncamento
Quinta das Laranjeiras, 149 Tel.: 249 718 869
6110 Vila de Rei
Tel.: 274 877 350
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Bar Ritual Green Bar Lagarto Bar


Rua Luís F. Sommer, 59 Rua José Afonso, Lote 86 c/v esq. Rua Cónego Silva Martins, 3
2330-176 Entroncamento 2330-169 Entroncamento 2230-124 Sardoal
Tel.: 249 717 187
Tropical Bar Tomar
Rua Luís F. Sommer Oleiros
Centro Com. Avenida, Loja 15 Akiácopos
2330-176 Entroncamento LP Bar C.S João, 28
Rua Monsenhor Romão 2300 Tomar
Bar Azul Inox 6160-426 Oleiros Tel.: 249 323 800
Rua Abílio César Afonso - Residencial Horário: 21h30 às 4h00
Gameiro, c/v Café Bar Calado
2330-096 Entroncamento Estrada Nacional Bar do Pinto
Tel.: 249 726 834 6160-299 Oleiros Avenida Norton de Matos
2300 Tomar
Holiday Bar Proença-a-Nova Encerra aos Domingos
Rua Fernando Pessoa Horário: 22h00 às 3h00
2330-156 Entroncamento Pub Discoteca Mist
Largo do Chão D’Ordem Casablanca
Lareira Bar 6150-523 Proença-a-Nova C.S. João, 85 129
Rua Raúl Matos Torres, 10-A 2300 Tomar
2330-039 Entroncamento Sardoal Tel.: 249 314 757
Horário: 22h00 às 3h00
Tiagus Bar Shakespeare Bar
Rua José Afonso, Lote 87 c/v drt. Zona Industrial Café Paraíso
2330-169 Entroncamento 2230-162 Sardoal Rua Serpa Pinto, 127
Tel.: 249 717 955 Tel.: 241 855 398 / 241 851 032 2300 Tomar
Tel.: 249 312 997
California Bar Puro Bar Horário: A partir das 21h00
Rua José Afonso, Lote 87 c/v esq. Rua Lúcio Serras Pereira, 24
2330-169 Entroncamento 2230-138 Sardoal
Tel.: 249 726 706 Tel.: 241 851 441
TEMPLÁRIOS Profundamente

LáCalha Deslize Bar Big Bar


Travessa Rio Nabão, 3 Rua Dr. Joaquim Jacinto Rua Manuel Simões Pinho
Tel.: 249 323 496 2300 Tomar 2350-809 Torres Novas
2300 Tomar Observações: Com musica ao vivo aos fins-
Horário: 21h00 às 4h00 Torres Novas de-semana
Aberto todos os dias
Bar Vento dos Séculos Palmeiras Bar
Quinta Bar Rua Dr. F.L. Gouveia Pimenta, 9 Avenida Manuel Figueiredo, Lote 12
Quinta do Falcão 2350-767 Torres Novas 2350-711 Torres Novas
Tel.: 249 381 767 Tel.: 249 812 577
2300 Tomar Ribatejo Bar
Observações: Música ao Vivo Bar Destilaria Rua Direita de S. Pedro
Encerra aos Domingos Travessa Açude Real 2350-764 Torres Novas
2350-769 Torres Novas Observações: Com musica ao vivo aos fins-
Rio Bar Tel.: 249 811 217 de-semana
C.S. Gião, 50 Observações: Com pista de dança
Tel.: 249 322 005 Trampolim Bar
2300 Tomar Bar Século XX Rua do Caldeirão
Horário: Aberto todas as Quartas, Sextas e Ponte dos Duques 2350-689 Torres Novas
Sábados 2350 Torres Novas Tel.: 249 823 077
Observações: Discoteca com pista de dança Tlm.: 936 261 537
Observações: Com pista de dança Marrafa’s Bar
Bill Bar Pé de Cão
Valdonas Bar Ok 2350 Olaia
2300 Tomar Travessa do Lamego, 3b Tlm.: 938 844 221
2350-412 Torres Novas
Covil dos Templários Observações: Com música ao vivo H2 Bar
Praça da República aos fins-de-semana Rua de Santo António, 34 A
2300 Tomar Riachos
Bar Blue Moon 2350 Torres Novas
Praça 5 de Outubro
2350-418 Torres Novas
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Discoteca Emotion Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere Câmara Municipal da Sertã


Largo do Lamego Praça Dias Ferreira Largo do Município
2350 Torres Novas 2240-341 Ferreira do Zêzere 6100-738 Sertã
Tel.: 249 360 150 Tel.: 274 600 300
Vila de Rei Fax: 249 361 660 Fax: 274 600 301
E-mail: geral@cm-ferreiradozezere.pt E-mail: cmsgeral@cm-serta.pt
Vícios Bar Site: www.cm-ferreiradozezere.pt
Rua de Santo António, 6 Câmara Municipal do Sardoal
6110-210 Vila de Rei Câmara Municipal de Mação Praça da República
Tel.: 274 922 458 Rua Padre António Pereira de Figueiredo 2230-222 Sardoal
6120-750 Mação Tel.: 241 850 000
Palco Tel.: 241 577 200 Fax: 241 855 684
Rua Heróis de Mucaba Fax: 241 577 280 E-mail: geral@cm-sardoal.pt
6110-221 Vila de Rei E-mail: turismo@cm-macao.pt Site: camaradesardoal@mail.telepac.pt
Tel.: 274 898 891 Site: www.cm-macao.pt
Câmara Municipal de Tomar
Câmara Municipal de Oleiros Praça da República
CÂMARAS MUNICIPAIS Praça do Município 2300-550 Tomar
6160-409 Oleiros Tel.: 249 329 800
Câmara Municipal do Entroncamento Tel.: 272 680 130 Fax: 249 329 809 131
Largo José Duarte Coelho Fax: 272 682 446 E-mail: cmtomar@mail.telepac.pt
2330-078 Entroncamento E-mail: cm.oleiros@vizzavi.pt
Tel.: 249 720 400 Câmara Municipal de Torres Novas
Fax: 249 718 615 Câmara Municipal de Proença-a-Nova Rua General António César Vasconcelos
E-mail: geral@cm-entroncamento.pt Apartado 24 Correia
Site: www.cm-entroncamento.pt 6150-519 Proença-a-Nova 2350-421 Torres Novas
Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30 Tel.: 274 670 000 Tel.: 249 839 400
Fax: 274 672 697 Fax: 249 811 780
E-mail: cmpnova@mail.telepac.pt E-mail: geral@cm-torresnovas.pt
Site: www.cm-proencanova.pt Site: www.cm-torresnovas.pt
TEMPLÁRIOS Profundamente

Câmara Municipal de Vila de Rei Mação Cine-Templários


Praça Família Matos Silva e Neves Centro Comercial dos Templários
6110-174 Vila de Rei Cine-Teatro Municipal Alameda Um de Março
Tel.: 274 890 010 Largo dos Combatentes da Grande Guerra Tel.: 249 316 455
Fax: 274 890 018 6120 Mação Sessões: Todos os dias às 21h30
E-mail: geral@cm-viladerei.pt Tel.: 241 577 200 (CM) Sábados e Domingos às 15h00, 18h00 e
Sessões: Quinzenalmente às 21h30 21h30
Ciclo de Cinema Alternativo todas as quartas-
CINEMAS Proença-a-Nova feiras às 19h00

Entroncamento Auditório Municipal Torres Novas


Rua Manuel Martins Évora, 6
Estúdio 121 6150-544 Proença-a-Nova Cinemas Lusomundo Alfas
Rua D. João Castro 30/4 - Loja 19 Tel.: 274 672 800 Praça 5 de Outubro
2330 Entroncamento Sessões: Sextas-feiras e Sábados às 21h30 2350 Torres Novas
Tel.: 249 716 085 Tel.: 249 812 723
Sessões: Todos os dias às 21h30 Sertã Sessões: Todos os dias às 21h30
Sábados às 21h30 e às 00h00 Domingos às 16h00 e 21h30
Domingos às 16h30 e às 21h30 Cinema Monte Verde
Sítio da Abegoaria
Ferreira do Zêzere 6100 Sertã CIRCUITOS TURÍSTICOS
Tel.: 274 601 320
Cine-Teatro Municipal Sessões: Todos os dias às 21h00 Circuito Aéreo
Rua Manuel António Dias Ferreira
2240 Ferreira do Zêzere Tomar Proença-a-Nova
Tel.: 249 360 160
Sessões: Sábados às 21h30 Cine-Teatro Paraíso Naturtejo
Domingos às 15h30 e 21h30 Rua Infantaria 15 Rua Conselheiro Albuquerque, 4 cave C
2300 Tomar 6000 Castelo Branco
Tel.: 249 329 190 Tel.: 272 320 176
Sessões: Todos os dias às 21h30 Fax: 272 320 137
Quinzenalmente sessões só às 00h00 E-mail: geral@naturtejo.com
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Site: www.naturtejo.com Circuito: Apartado 91


Observações: Realização de circuitos aéreos a Percurso A 2304-909 Tomar
partir da pista de Moitas, sobrevoando o 10h00 * Praça da República Tel.: 249 310 100
Pinhal, o vale do Tejo, as escarpas Portas de 12h00 Praceta Raúl Lopes Fax: 249 322 191
Ródão e outras paisagens da Beira Baixa. 17h00 * Instituto Politécnico de Tomar E-mail: geral@hoteldostemplarios.pt
Hospital Novo hoteltemplarios@mail.telepac.pt
Comboio Turístico Site: www.hoteldostemplarios.pt
Percurso B Percurso: Estalagem Lago Azul – Ilha do
TomarTrem 16h00 Praça da República Lombo – Pombeira – Estalagem Lago Azul
2300 Tomar 18h00 * Convento de Cristo Duração: Viagem de 4 horas, das 12h00 às
Contacto: ACITOFEBA Igreja de Sta. Maria do Olival 16h00, almoço servido a bordo ou viagem de
Rua de Serpa Pinto, 55-1.º Praceta Raúl Lopes 2 horas, sem refeição a bordo (pagamento
2300-592 Tomar Parque de Campismo mínimo obrigatório de 50 pessoas); outros
Tel.: 249 323 401 - 249 312 265 Hotel dos Templários horários disponíveis, desde que coordenados
Fax: 249 323 419 com o serviço de reserva
Site: www.acitofeba.pt Percurso C Condições para crianças: Grupos de 50
Reservas: Existe um serviço alternativo de 11h00 Praça da República pessoas, que integrem crianças de idade
viagens, para grupos compostos por mais de 15h00 Convento de Cristo inferior a 8 anos, têm desconto de 50% num
10 pessoas, a preços reduzidos, até 50% (1 Aqueduto dos Pegões máximo de 5 crianças
Euro por pessoa) se a marcação for efectuada Hotel dos Templários Capacidade do barco: Mínimo 40 pessoas, 133
com três dias de antecedência; deverá máximo 164 pessoas
formalizar o pedido, com uma antecedência * Percursos permanentes com ou sem passageiros, Outras Informações: Regimes de exclusivida-
de 5 dias úteis. todos os outros horários e percursos só se realizarão de, sujeitos a negociação; informação do
Preços: Menores de 6 anos não pagam; dos 7 aos com lotação mínima de 10 pessoas. número final de clientes deve ser dado até 48
12 anos - 1 Euro; maiores de 12 anos - 2 Euros horas antes da viagem
Condições: Os menores de 12 anos não Circuitos de Barco Encerramento: Em funcionamento qualquer
podem viajar sozinhas. dia da semana, desde que assegurados um
Horário: De terça-feira a domingo das 10h00 Barco Turismo S. Cristóvão mínimo de 40 pessoas
às 12h30 e das 14h00 às 18h00 Albufeira do Castelo de Bode
Para mais informações contactar: Contacto: Hotel dos Templários
Largo Cândido dos Reis, 1
TEMPLÁRIOS Profundamente

Circuito de Barco em Dornes Proença-a-Nova Centros Hípicos


Barco Maria Odete
Dornes Complexo Desportivo Municipal Ferreira do Zêzere
2240 Ferreira do Zêzere Rua do Vale Cação
Tlm.: 933 765 890 6150 Proença-a-Nova Centro Equestre da Quinta da Canastra
Percurso: Dornes – Ponte Vale da Ursa – Dornes Tel.: 274 670 005
Besteiras
com a duração de 45 minutos ou 1h30 2240-003 Águas Belas
Condições: Mínimo de 10 pessoas, máximo Sardoal
Tel.: 966 632 947 / 919 195 293
de 20 pessoas Tlm.: 96 663 2947 / 91 919 5293 /
Campos de Ténis
Tapada do Américo 91 464 9083
2230 Sardoal E-mail: filipe.figueiredo@iol.pt
EQUIPAMENTOS Tel.: 241 850 000 (CM) Site: www.quintadacanastra.com
DESPORTIVOS Observações: Em construção
Proença-a-Nova
Campos de Ténis Tomar
Escola de Equitação da Quinta do Cerejal
Mação Campos de Ténis e Squash Municipais Quinta do Cerejal
Complexo Desportivo Municipal 6150-737 Sobreira Formosa
Complexo Desportivo do Marco Estrada do Barreiro Tel.: 274 822 404
6120 Mação 2300-442 Tomar Fax: 274 822 404
Tel.: 241 577 200 (CM) Tel.: 249 310 320 Observações: picadeiro coberto (500m2);
Fax: 249 310 329 picadeiro descoberto (8300m2)
Oleiros E-mail: cmt.cdmt@mail.pt
Horário: Das 9h00 às 22h00 Tomar
Pavilhão Desportivo Municipal
Rua do Campo de Futebol Torres Novas Picadeiro do Belmonte
6160 Oleiros Belmonte, Fontainhas
Tel.: 272 682 890 Campos de Ténis de Torres Novas
2300 Tomar
Largo das Piscinas
Tel.: 965 776 939
Apartado 30
2354-909 Torres Novas
Tel.: 249 822 430
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Centro Equestre da Quinta da Atouguia Centro Hípico Quinta da Rainha Proença-a-Nova


Quinta de S. Gabriel da Autoguia Meia Via
Madalena 2350 Torres Novas Piscina Municipal
2300 Tomar Tel.: 249 821 902 / 249 812 511 (escritório) Complexo Desportivo Municipal
Tlm.: 91 733 8410 Fax: 249 821 902 Rua do Vale Cação
Actividades: aulas de equitação E-mail: joseaires@clix.pt 6150 Proença-a-Nova
Tel.: 274 670 005
Coudelaria Ruy Escudeiro Piscinas
Quinta de Azinhais Sardoal
2300 Tomar Entroncamento
Tel.: 249 311 724 Piscina Municipal
Fax: 249 311 724 Piscina Municipal Complexo Desportivo Municipal
Observações: Picadeiro coberto (20x40); Parque do Bonito 2230 Sardoal
picadeiros descobertos; praça de touros; 2330 Entroncamento Tel.: 241 850 000 (CM)
E-mail: geral@cm-sardoal.pt
piscina Tel.: 249 725 155
Fax: 249 716 850
Tomar
Torres Novas E-mail: desporto@cm-entroncamento.pt
Piscinas Municipais
Centro Hípico de Torres Novas Ferreira do Zêzere Complexo Desportivo Municipal
Casal das Vinhas Mortas
Estrada do Barreiro
135
Variante do Bom Amor Piscina Municipal 2300-442 Tomar
Apartado 33 Rua Ferreira do Alentejo Tel.: 249 310 320
2354-909 Torres Novas 2240 Ferreira do Zêzere Fax: 249 310 329
Tel.: 918 554 386 Tel.: 249 360 158 E-mail: cmt.cdmt@mail.pt
Horário: Das 9h00 às 22h00
Centro Hípico Quinta do Casalito Mação
Casalito, Meia Via Torres Novas
2350 Torres Novas Piscina Municipal
Tel.: 249 821 172 Largo da Feira Piscinas Municipais
Tlm.: 918 705 341 6120 Mação Largo das Piscinas
Tel.: 241 577 200 (CM) 2350 Torres Novas
Tel.: 249 812 944
TEMPLÁRIOS Profundamente

OUTROS Torres Novas Feira de Artesanato e Gastronomia


EQUIPAMENTOS de Mação
Pista de Motocross do Alqueidão Local: Mação
Mação Alqueidão Data de Realização: Julho
2350-222 Pedrógão
Pista de AutoCross Tel.: 249 831 714 Feira e Mostra de Produtos Tradicionais
Observações: 3000 m2 Local: Mação
Estrada Municipal 3-12, km 2
6120 Mação Data de Realização: Junho
Vila de Rei
Tel.: 241 577 200 (CM)
Sardoal
Campo de Tiro aos Pratos
Proença-a-Nova Junto ao Centro Geodésio
Saborosos Encontros
Estrada Nacional 2
Asaparque Local: Sardoal
6110 Vila de Rei
Moitas Data da Realização: Quadra Pascal / Natal
6150 Proença-a-Nova
Observações: Em construção EVENTOS Feira Nacional do Fumeiro, Queijo e Pão
Facilidades: Piscina com escorregas aquáticos; GASTRONÓMICOS Local: Sardoal
campo de jogos; Miniatur-Golf com 18 pistas; Data de Realização: Fevereiro
circuito de manutenção; parque de merendas; Mação
parque infantil; bar com esplanada Tomar
Festival da Lampreia
Tomar Local: Praia Fluvial da Ortiga Mostra da Lampreia
Data da Realização: Março Local: Tomar - Restaurantes aderentes
Bowling Data de Realização: Final de Fevereiro, início
Estrada da Serra Encontro Gastronómico da Freguesia de Março
2300 Tomar de Penhascoso
Horário: Aberto todos os dias a partir de Local: Penhascoso Congresso da Sopa
Data da Realização: Junho Local: Tomar
Julho de 2004
Observações: Em construção; 10 pistas de Data de Realização: Maio
Festival de Sabores com Tradição
bowling; bar; restaurante
Local: Envendos
Data da Realização: Agosto
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Feira das Passas Feira Nacional dos Frutos Secos / Festival Internacional de Jazz de Tomar
Local: Rua dos Arcos Feira do Figo Preto Local: Tomar
Data de Realização: Outubro Local: Torres Novas Data de Realização: 2ª Quinzena Julho
Data de Realização: 1ª quinzena de Outubro
Todos com o Feijão… FRINGE (Festival Internacional de
O feijão com Todos Vila de Rei Dança Contemporânea)
Local: Restaurantes aderentes Local: Tomar /Torres Novas/ Leiria e Coimbra
Data de Realização: Outubro Feira de Enchidos, Queijo e Mel Data: Agosto / Setembro
Local: Vila de Rei Informações: www.fringefestival.pt.vu
Torres Novas Data de Realização: Julho / Agosto
Encontros de Música Antiga
Festival Gastronómico da Enguia do Convento de Cristo
– Sabores do Rio EVENTOS MUSICAIS Local: Convento de Cristo
Local: Largo General Humberto Delgado (Património Mundial da UNESCO)
e Restaurantes Aderentes Entroncamento Data de Realização: Setembro
Boquilobo, Brogueira
Data de Realização: Setembro Festival de Coros Torres Novas
Local: Entroncamento
Festival da Água-Pé Data de Realização: Novembro FRINGE (Festival Internacional
Local: Pátio da Rita Ferreira, Alcorochel de Dança Contemporânea) 137
Data de Realização: Novembro Tomar Local: Tomar /Torres Novas/ Leiria e Coimbra
Data de Realização: Agosto / Setembro
Festival Gastronómico do Cabrito / Curso Internacional de Música Antiga Informações: www.fringefestival.pt.vu
Mostra de Doçaria Regional Local: Convento de Cristo (Património
Local: Restaurantes aderentes Mundial da UNESCO) Ciclo Internacional de Música
Data de Realização: Março / Abril Data de Realização: Agosto de Torres Novas
Local: Torres Novas
Festival Gastronómico de Caça e Pesca Festival Internacional de Música Data de Realização: 1ª Quinzena de
Local: Torres Novas de Tomar Novembro
Data de Realização: Novembro Local: Tomar
Data de Realização: Fins Junho - Julho
TEMPLÁRIOS Profundamente

OUTROS EVENTOS Troféu dos Templários Ferreira do Zêzere


Local: Aeródromo de Valdonas
Entroncamento Data de Realização: Outubro Feira de S. Brás
Tipo: Aeromodelismo Local: Ferreira do Zêzere
Expo-Aves do Entroncamento Data de Realização: Fevereiro
Local: Salão da Coferpor 3 Léguas do Nabão
Data de Realização: Novembro Local: Tomar Feira da Cereja
Data de Realização: Março Local: Bêco
Sardoal Tipo: Atletismo Data de Realização: Junho

Festival Hípico do Sardoal Torres Novas Feira dos Doces Tradicionais


Local: Sardoal Local: Paio Mendes
Data de Realização: Setembro Corrida de S. Silvestre Data de Realização: Setembro
Local: Torres Novas
Tomar Data de Realização: Dezembro Mação
Tipo: Atletismo
Mercado de 1900 Feira de Artesanato
Local: Praça da República Vila de Rei e Gastronomia de Mação
Data de Realização: Setembro Local: Mação
Tipo: Recriação de um mercado do século XIX Mês do Teatro Data de Realização: Julho
Local: Vila de Rei
TTT – Temporada Teatral de Tomar Data de Realização: Maio Feira e Mostra de Produtos Tradicionais
Local: Cine-Teatro Paraíso Local: Mação
Data de Realização: Janeiro Data de Realização: Junho
FEIRAS
Festival de Teatro Oleiros
Local: Carregueiros Entroncamento
Data de Realização: Novembro Feira do Pinhal
Feira de Artesanato Local: Oleiros
Local: Entroncamento Data de Realização: Agosto
Data de Realização: Junho
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Proença-a-Nova Feira de S. Neutel Torres Novas


Local: Sertã
Feira de Santo António Data de Realização: Julho Feira de Antiguidades e Velharias
Local: Proença-a-Nova Local: Torres Novas
Data de Realização: Junho Feira de S. Marcos Data de Realização: 4º Domingo de cada mês
Local: Sertã
Feira da Melancia Data de Realização: Abril Feira Nacional dos Frutos Secos /
Local: Proença-a-Nova Feira do Figo Preto
Data de Realização: Agosto Feira Florestal Nacional Local: Torres Novas
Local: Sertã Data de Realização: Outubro
Sardoal Data de Realização: Outubro
FERSANT – Feira Empresarial
Feira da Primavera Tomar da Região de Santarém
Local: Sardoal Local: Pavilhões da NERSANT
Data de Realização: Maio Feira de Santa Cita Data de Realização: Outubro
Local: Santa Cita
Feira Nacional do Fumeiro, Queijo e Pão Data de Realização: Setembro Autosant
Local: Sardoal Local: Pavilhões da NERSANT
Data de Realização: Fevereiro Feira de Santa Iria / Feira das Passas Data de Realização: Abril
Local: Tomar 139
Feira Inter-Concelhia de Artesanato Data de Realização: Outubro Feira Digital
Local: Sardoal Local: Pavilhões da NERSANT
Data de Realização: Setembro Feira de Artes, Coleccionismo Data de Realização: Maio
e Velharias
Sertã Local: Praça da República Feira de S. Gregório ou de Março
Data de Realização: 2º Domingo de cada mês Local: Torres Novas
Feira das Varas Data de Realização: 1ª quinzena de Março
Local: Sertã Feira de Artesanato
Data de Realização: Janeiro Local: Tomar
Data de Realização: sem data certa
TEMPLÁRIOS Profundamente

Vila de Rei Festa de S. Miguel Sardoal


Local: Ferreira do Zêzere
Feira de Enchidos, Queijo e Mel Data de Realização: Setembro Semana Santa do Sardoal
Local: Vila de Rei Local: Sardoal
Data de Realização: Julho Festa da Água-Pé Data de Realização: Páscoa
Local: Pias
Feira do Pêro Data de Realização: Novembro Festa do Espírito Santo ou do Bodo
Local: Vila de Rei Local: Sardoal
Data de Realização: Julho Festas de Santo António Data de Realização: 1º quinzena de Junho
Local: Ferreira do Zêzere
Data de Realização: Junho Festa da Procissão e Corpo de Deus
FESTAS E ROMARIAS Local: Sardoal
Oleiros Data de Realização: Outubro
Entroncamento
Semana Santa Festas do Concelho
Festas da Cidade
Local: Entroncamento Local: Oleiros Local: Sardoal
Data de Realização: Junho Data de Realização: Páscoa Data de Realização: Setembro

Festas do Concelho Romaria da Senhora da Saúde Sertã


Local: Entroncamento Local: Lugar de Rabaças
Data de Realização: Novembro Data de Realização: Abril Festas do Concelho
Local: Sertã
Ferreira do Zêzere Procissão da Imaculada Conceição Data de Realização: Junho
Local: Oleiros
Festa de Nossa Senhora do Pranto Data de Realização: Dezembro Festa de Nossa Senhora dos Remédios
– Círio de Dornes Local: Senhora dos Remédios
Local: Dornes Festas do Concelho Data de realização: Agosto
Data de Realização: Agosto Local: Oleiros
Data de Realização: Agosto Festas de Nossa Senhora da Confiança
Festas do Divino Espírito Santo Local: Pedrógão Pequeno
Local: Dornes Data de Realização: Setembro
Data de Realização: Junho
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Tomar Torres Novas Ferreira do Zêzere

Festa dos Tabuleiros Festas da Cidade Mercado do Carril


Local: Tomar Local: Torres Novas Local: Dornes
Data de Realização: De 4 em 4 anos, a Data de Realização: Julho Data da Realização: Sábado
próxima deverá realizar-se em 2007
Festa de Nossa Senhora da Vitória Mercado das Areias
Festas da Fundação da Cidade Local: Lapas Local: Areias
Local: Tomar Data de Realização: Agosto Data da Realização: Domingo
Data de Realização: 1 de Março
Festa de Nossa Senhora Mãe dos Homens Mercado de Ferreira do Zêzere
Círio de Nossa Senhora da Piedade Local: Pedrógão Local: Praça Municipal
Local: Tomar Data de Realização: Setembro Data da Realização: Segunda-feira
Data de Realização: Setembro
Vila de Rei Mação
Procissão de Santa Iria
Local: Tomar Festa da Rainha Santa Isabel Mercado de Mação
Data de Realização: Outubro Local: Vila de Rei Local: Mação
Data de Realização: 3º Domingo de Maio Data da Realização: Segunda-feira
Festa da Aleluia 141
Local: Cem Soldos Oleiros
Data de Realização: Domingo de Páscoa MERCADOS
Mercado de Oleiros
Festa do Espírito Santo Entroncamento Local: Oleiros
Local: Carregueiros Data da Realização: Terça-feira e sexta-feira
Data de Realização: 7º semana depois Mercado Semanal
da Páscoa Local: Entroncamento Proença-a-Nova
Data de Realização: Sábado
Festa do Sr. Jesus das Necessidades Mercado Municipal
Local: Santa Cita Local: Proença-a-Nova
Data de Realização: Setembro Data da realização: 2ª quinta-feira de cada mês
TEMPLÁRIOS Profundamente

Sertã Vila de Rei Tomar

Mercado Semanal Mercado Mensal Museu dos Fósforos


Local: Cernache do Bonjardim Local: Vila de Rei de Aquiles da Mota Lima
Data da Realização: Segunda-feira Data da Realização: 4º domingo de cada mês Convento de São Francisco
2300-535 Tomar
Mercado Semanal Tel.: 249 329 829
Local: Pedrógão Pequeno MUSEUS Horário: Das 10h00 às 17h00
Data da Realização: Segunda-feira Encerramento: Não encerra
Mação Ingresso: Gratuito
Sardoal Características: 43 000 caixas de fósforos de
Museu de Arte Pré-Histórica
119 países; colecção das primeiras caixas de
e do Sagrado no Vale do Tejo
Mercado de Santa Clara fósforos fabricados em Portugal
Instalações provisórias, até final do verão,
Local: Santa Clara, Alcaravela nas antigas instalações da Escola Secundária
Data da Realização: Domingo Posteriormente: Largo Infante D. Henrique Museu de Arte Contemporânea
6120-750 Mação José-Augusto França
Mercado de Janeiro Tel.: 241 577 200 (CM) Rua Gil de Avô
Local: Sardoal Fax: 241 577 280 2300 Tomar
Data da Realização: 2º domingo do mês Horário: Das 14h00 às 17h30 Tel.: 249 322 373
Encerramento: Domingos e feriados Horário: De quarta-feira a domingo das
Torres Novas Ingresso: Gratuito 12h00 às 17h00
Facilidades: Posto de venda; cafetaria Junho, Julho e Agosto das 10h00 às 19h00
Mercado Semanal Características: Arqueologia, belas-artes Características: Arte Contenporânea dos
Local: Torres Novas e etnografia Séculos XX e XXI com predominância do
Data da Realização: Terça-feira Surrealismo português, nomeadamente sobre
Proença-a-Nova a obra do grupo surrealista de Lisboa,
Tomar ao qual pertencem José Augusto-França,
Centro de Ciência Viva tomarense doador das obras do museu.
Mercado Semanal Moitas
Local: Tomar 6150 Proença-a-Nova
Data da realização: Sexta-feira Observações: Em construção, prevista
a abertura para o início de 2005
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Torres Novas Museu Agrícola de Riachos Características: Casa onde nasceu o Marechal
Rua Dr. José Marques, 14 Humberto Delgado, grande vulto militar e
Museu Municipal Carlos Reis 2350-362 Riachos político da história contemporânea
Rua do Salvador, 10 Tel.: 249 820 499 portuguesa; espaço museológico dedicado à
2350-415 Torres Novas E-mail: museuagricola@iol.pt sua acção política em defesa da democracia e
Tel.: 249 812 535 Horário: Das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às da liberdade para Portugal
Fax: 249 811 696 1630 Ingresso: Gratuito
Site: www.cm-torresnovas.pt/museu/ Encerramento: Sábado e feriados Descrição: No Boquilobo, freguesia da
Horário: De terça a sexta-feira das 9h00às Ingresso: Gratuito Brogueira, encontra-se localizada a casa
12h30 e das 14h00 às 17h30; sábados e Características: Etnografia, traje popular, alfaias Memorial, que integra a casa onde nasceu
domingos das 14h00 às 17h30 agrícolas, maquinaria agrícola e artes e ofícios Humberto delgado e um espaço museológico
Encerramento: Segunda-feira e feriados tradicionais; oficinas pedagógicas dedicado à sua acção política em defesa da
Ingresso: Gratuito Descrição: Situado a 3 km da cidade, este democracia e da liberdade em Portugal.
Secções: Pintura de Carlos Reis, arte-sacra e museu reúne um riquíssimo espólio
pré-história e romanização representativo dos vários aspectos da Vila de Rei
Facilidades: Estacionamento; recepção; loja; ruralidade que marcaram o modo de vida
visitas guiadas (marcação prévia) tradicional dos riachenses. Os Serviços de Museu Municipal de Vila de Rei
Características: Pintura contemporânea, arte Museologia e Museografia, de Conservação e (Etnográfico e Histórico)
sacra, pré-história e arqueologia romana Restauro e os Serviços Educativos, constituem 6110 Vila de Rei
Descrição: Fundado em 1937, situado na rua as bases do projecto museológico deste Tel.: 274 890 010 (CM) 143
do salvador, integra um espólio bastante diver- espaço de cultura. Fax: 274 890 018 (CM)
sificado. De salientar a existência de um E-mail: geral@cm-viladerei.pt
núcleo de pintura do mestre Carlos Reis, um Casa Memorial Humberto Delgado Site: www.cm-viladerei.pt
dos expoentes do naturalismo português. Boquilobo Horário: Sábados e domingos das 14h30
Exposições permanentes de arte sacra, pré- 2350 Torres Novas às 18h00
histórica e romanização, merecem igual Tel.: 249 835 567 Dias úteis das 9h00 às 16h30
destaque pela riqueza do património artístico Horário: Terça-feira a sábado das 9h00 às Encerramento: Feriados
e arqueológico que reúnem. 12h30 e das 14h00 às 17h30 Ingresso: Gratuito
Encerramento: Segunda-feira, domingo Secções: Aspectos de uma casa agrícola entre
e feriados o século XIX e XX – A Habitação; O Campo
e os Animais; As Profissões Tradicionais.
TEMPLÁRIOS Profundamente

Características: Exposição permanente que Torres Novas PRAIAS FLUVIAIS


reconstitui aspectos de uma casa agrícola
entre o século XIX e o século XX Parque Natural das Serras de Aire Entroncamento
e Candeeiros
Museu de Geodesia Sede Praia Fluvial do Bonito
Centro Geodésico de Portugal Apartado 190 Albufeira do Bonito
6110 Vila de Rei 2040 Rio Maior 2330 Entroncamento
Tel.: 274 890 010 (CM) Tel.: 243 999 480 Tel.: 249 720 400 (CM)
Fax: 274 898 274 (CM) Fax: 243 999 488 Fax: 249 718 615
Horário: De quarta a sexta-feira das 10h00 E-mail: pnsac@icn.pt E-mail: camarapresidencial@mail.telepac.pt
às 12h00 e das 13h00 às 17h00 Site: www.icn.pt Site: www.cm-entroncamento.pt
Sábados e Domingos das 13h00 às 17h00 Horário: 9h/12h30 – 14h/17h30 Facilidades: Possui parque de campismo,
Encerramento: Segunda e terça-feira Encerramento: Fim-de-semana parque de merendas, balneários, praia vigiada,
Características: Painéis informativos e objectos Concelhos: Alcobaça, Porto de Mós, Ourém primeiros socorros, bar de apoio e piscina
sobre geodesia e auditório para projecção de e Torres Novas coberta a 500 m
filmes técnicos e informativos
Reserva Natural do Paúl do Boquilobo Ferreira do Zêzere
Quinta do Paul do Boquilobo
PARQUES E RESERVAS Apartado 27 Praia Fluvial da Castanheira
NATURAIS 2350-334 Torres Novas Castanheira, Lago Azul
Tel.: 249 820 550 2240 Ferreira do Zêzere
Tomar E-mail: rnpb@icn.pt Tel.: 249 360 150 (CM)
Site: www.icn.pt Fax: 249 361 660
Mata Nacional dos Sete Montes Horário: 9h00/12h30 – 14h00/17h30 E-mail: cmfzezere@mail.telepac.pt
Praça do Infante D. Henrique Site: www.cm-ferreiradozezere.pt
2300 Tomar Facilidades : Piscina fluvial para crianças e
Horário: Verão – Das 09h00 às 18h00 adultos ; rampa de acesso ; cais de acostagem
Inverno – Das 09h00 às 17h00 de pequenas embarcações; praia não vigiada;
Ingresso: Gratuito bar de apoio; restaurante e esplanada
Actividades: A Mata integra, actualmente, um
circuito de manutenção
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Mação Facilidades: Balneários; praia vigiada; Praia Fluvial de Fróia


bar de apoio; zona de lazer; restaurante Sobreira Formosa, na Ribeira de Fróia
Praia Fluvial da Ortiga Desportos; Natação; passeios pedestres; 6150 Proença-a-Nova
Barragem da Ortiga pesca; desportos de aventura; canoagem Tel.: 274 670 000 (CM)
6120 Mação Fax: 274 672 697
Tel.: 241 577 200 (CM) Praia Fluvial de Álvaro Tel.: 274 822 877 (Bar)
Fax: 241 571 280 6160 Oleiros E-mail: cmpnova@mail.telepac.pt
E-mail: geral@cm-macao.pt Tel.: 272 674 267 (Bar da praia) Site: www.cm-proencanova.pt
Site: www.cm-macao.pt Facilidades: Bar, esplanada, WC público, parque Facilidades: Balneários, praia vigiada, bar de
Facilidades: Balneários, praia vigiada, primeiros infantil, parque de merendas e piscina apoio e parque de merendas
socorros, restaurante, mini-mercado, parque flutuante
de campismo Desportos: Natação; passeios pedestres; pesca; Praia Fluvial do Malhadal
canoagem; desportos aquáticos; gaivotas Malhadal, Ribeira de Isna
Oleiros 6150 Proença-a-Nova
Proença-a-Nova Tel.: 274 670 000
Praia Fluvial de Açude Pinto Fax: 274 672 697
A 1 km da Vila de Oleiros Praia Fluvial da Aldeia Ruiva Tel.: 274 685 559 (Bar)
6160 Oleiros Estrada da Sertã/Proença na Ribeira da Isna E-mail: cmpnova@mail.telepac.pt
Tel.: 272 682 300 (Bar da praia) 6150 Proença-a-Nova Site: www.proencanova.pt
Facilidades: Balneários, praia vigiada, zona de Tel.: 274 670 000 (CM) Facilidades: Balneários, praia vigiada, bar de 145
lazer, parque de merendas, piscina para Fax: 274 672 600 (parque de campismo) apoio, restaurante, esplanada, parque de
crianças, bar de apoio, parque infantil e E-mail: cmpnova@mail.telepac.pt merendas, zona de lazer, primeiros socorros
primeiros socorros Site: www.cm-proencanova.pt
Desportos: Natação; passeios pedestres; pesca Facilidades: Balneários, bar-restaurante e
esplanada, praia vigiada, primeiros socorros,
Praia Fluvial de Cambas parque de campismo com bungalows, parque
Junto à povoação de Cambas de merendas e zona de lazer
6160 Oleiros
Tel.: 272 680 130 (CM)
Fax: 272 682 446
E-mail: cmoleiros@viazzi.pt
TEMPLÁRIOS Profundamente

Sertã SALAS DE CONGRESSOS Equipamento: canetas; blocos; flip chart; ecrã;


retroprojector; televisão; vídeo
Praia Fluvial da Ribeira da Sertã Entroncamento Sala do Restaurante
Centro da Vila Área: 126 m2; Comprimento: 13.2 m; Largura:
6100 Sertã Centro Cultural 9.6 m; Lugares: 96
Tel.: 274 600 300 (CM) Rua 5 de Outubro Sala Dornes
Fax: 274 600 301 2330 Entroncamento Área: 127 m2; Comprimento: 13.7 m; Largura:
Facilidades: Balneários, praia vigiada, bar de Tel.: 249 720 406 9.3 m; Plateia: 80; Escola: 40; “U”: 35; Recepção:
apoio, restaurante, esplanada, parque de Equipamentos: retroprojector; data-show; 120; Banquete: 80
merendas, zona de lazer, primeiros socorros ecrã (CM) Sala São Pedro
Sala: Área: 300 m2 (Palco: 80m2) Área: 48 m2; Comprimento: 7.4 m; Largura: 6.5 m;
Plateia: 24; Escola: 14; “U”: 15; Recepção: 40
Vila de Rei Lugares sentados: 200

Cine-Teatro S. João Mação


Praia Fluvial do Pego das Cancelas
Pego das Cancelas Rua D. Nuno Álvares Pereira
Residencial Mansinho
6110 Vila de Rei 2330 Entroncamento
Avenida Sá Carneiro
Tel.: 274 890 010 (CM) Tel.: 249 726 246
6120-724 Mação
Fax: 274 890 018 E-mail: cultura@cm-entroncamento.pt
Tel.: 241 572 585
E-mail: geral@cm-viladerei.pt Equipamentos: retroprojector; data-show;
Fax: 241 572 585
Site: www.cm-viladerei.pt ecrã (CM)
Equipamentos: televisão
Facilidades: Balneários, primeiros-socorros, Sala: Área do Palco: 12x5.5 m
Sala: Convenção: 200
esplanada e parque de merendas Convenção: 507
Cine-Teatro de Mação
Praia Fluvial do Penedo Furado Ferreira do Zêzere
Rua Padre António Figueiredo
Estrada Nacional 2, Desvio de Milreu 6120-750 Mação
Tel.: 274 890 010 (CM) Estalagem Lago Azul
Tel.: 241 577 200 (CM)
Castanheira
Fax: 274 890 018 Fax: 241 577 280 (CM)
2240 Ferreira do Zêzere
E-mail: geral@cm-viladerei.pt E-mail: geral@cm-macao.pt
Tel.: 249 361 445 / 249 361 654 / 917 215 510
Site: www.cm-viladerei.pt Equipamentos: retroprojector; projectores
Fax : 249 361 664
Facilidades: Bar, balneários, parque de multimédia; ecrã de projecção; leitor de DVD;
E-mail. lagoazul@hoteldostemplarios.pt
merendas televisão; vídeo
Site: www.hoteldostemplarios.pt Sala: Convenção: 203; Escola: 203
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Escola Básica 2-3 / Secundária Sertã Casa da Cultura


Avenida Sá Carneiro Alameda da Carvalha
6120 Mação Estalagem do Vale da Ursa 6100 Sertã
Tel.: 241 519 030 Estrada Nacional 238, km 23 Tel.: 274 600 300 (CM)
Fax: 241 519 038 6100-302 Cernache do Bonjardim Fax: 274 600 301 (CM)
E-mail: info@esec-macao.rcts.pt Tel.: 274 802 981 Equipamentos: Câmara Municipal da Sertã
Site: www.esec-macao.rcts.pt Fax: 274 802 982 (data-show; televisão; vídeo; retroprojector)
Equipamentos: projector multimédia; vídeo; Tlm.: 93 335 2735 Auditório: Convenção: 240
televisão; retroprojector E-mail: hotelvaledaursa@mail.telepac.pt
Auditório: Convenção: 86 Site: www.hotelvaledaursa.com Tomar
Equipamentos: data-show ; retroprojector ;
Oleiros projector de slides ; flip-chart ; televisão ; vídeo Instituto Politécnico de Tomar
Sala 1 Quinta do Contador, Estrada da Serra
Biblioteca Municipal de Oleiros
Área: 110 m2; Convenção: 100; Escola: 100 2300 Tomar
Praça da República
“U”: 40; Recepção: 180; Banquete: 120 Tel.: 249 328 100
6160 Oleiros
Sala 2 Fax: 249 328 186
Tel.: 272 681 005
Área: 25 m2; Convenção: 18; Escola: 25; “U”: 16; E-mail: sec.vicepresidencia@ipt.pt
Equipamentos: retroprojector; sistema de som;
Recepção: 25; Banquete: 20 Site: www.ipt.pt
vídeo; televisão; projector de slides
Auditório: Convenção: 100 Equipamento: projector de vídeo; projector
Auditório do G.A.T. de diapositivos; retroprojector; projector 147
Proença-a-Nova Pinhal de Cima, Lt. 7 de opacos; microfones; amplificador
6100 Sertã Auditório dos Grandes Actos
Auditório Municipal Tel.: 274 603 559 Convenção: 400; Auditório B 121; Convenção:
Rua Dr. Manuel Martins de Évora Fax: 274 603 561 112; Auditório O 106; Convenção: 200
6150-420 Proença-a-Nova E-mail: gatserta@mail.telepac.pt Edifício F
Tel.: 274 670 000 (CM) Equipamentos: Câmara Municipal da Sertã Recepção: 300
Fax: 274 672 697 (CM) (data-show; televisão; vídeo; retroprojector)
E-mail: cmpnova@mail.telepac.pt Sala: Área: 8,95x10,90 m2; Convenção: 70
Site: www.cm-proencanova.pt
Equipamentos: retroprojector; data-show;
televisão ; vídeo
Sala: Área : 180m2; Convenção: 162
TEMPLÁRIOS Profundamente

Hotel dos Templários 8.2 m; Altura: 4 m; Plateia: 130; Escola: 70; Biblioteca Municipal António Cartaxo
Largo Cândido dos Reis “U”: 35; Banquete: 100; Buffet: 80; Cocktail: 150; da Fonseca
2300 Tomar Sala da Cruzada Alameda dos Templários
Tel.: 249 310 100 Área: 101 m2; Comprimento: 14.45 m; 2300 Tomar
Fax: 249 322 191 Largura: 7.10 m; Altura: 4 m; Plateia: 80; Tel.: 249 324 141
E-mail: geral@hoteldostemplarios.pt Escola: 30; “U”: 25; Cocktail: 80; Fax: 249 329 805
hoteltemplarios@mail.telepac.pt Sala Castelo E-mail: geral.bmt@mail.telepac.pt
Site: www.hoteldostemplarios.pt Área: 192 m2; Comprimento: 16.40 m; Largura: Equipamento: vídeo projector; retroprojector;
Equipamento: ecrã retroprojector; flip chart; 12.30 m; Altura: 4 m; Plateia: 230; Escola: 130; projector de diapositivos
televisão; vídeo; projector de slides; ponteiro “U”: 50; Banquete: 200; Buffet: 140; Cocktail: 300 Auditório Municipal
luminoso; púlpito; biombos; câmara de vídeo; Sala Mouchão Área: 200 m2; Convenção: 183
projectores de alta potência; sonorização; Área: 177 m2; Comprimento: 22.55 m;
secretariado; cabines de tradução simultânea; Largura: 7.70 m; Altura: 4 m; Plateia: 150;
Associação Cultural
telefone; fax; telex. Escola: 90; “U”: 30; Banquete: 150; Buffet: 120;
“Canto Firme de Tomar”
Sala do Infante I Cocktail: 200
Rua D. Lopo Dias de Sousa
Área: 228 m2; Comprimento: 17.10 m; Sala Magnólia
Apartado 271
Largura: 13.35 m; Altura: 4 m; Plateia: 250; Área: 98 m2; Comprimento: 11.80 m; Largura:
2300-483 Tomar
Escola: 150; “U”: 50; Banquete: 180; Buffet: 150; 8.80 m; Altura: 4 m; Plateia: 60; Escola: 36; “U”:
Cocktail: 300 24; Cocktail: 80 Tel.: 249 314 251
Sala do Infante II Sala Jardim Fax: 249 323 059
Área: 213 m2; Comprimento: 16.20 m; Área: 109 m2; Comprimento: 15 m; Largura: E-mail: canto.firme@clix.pt
Largura: 13.20 m; Altura: 4 m; Plateia: 250; 11.23 m; Altura: 2.40 m; “U”: 20 Site: www.cantofirmedetomar.com
Escola: 150; “U”: 50; Banquete: 180; Buffet: 150; Sala Rio Equipamento: retroprojector
Cocktail: 300 Área: 48.5 m2; Comprimento: 12 m; Largura: Auditório Fernando Lopes Graça
Sala do Infante I + II 4.80 m; Altura: 2.35 m; “U”: 20 Convenção: 250
Área: 457 m2; Comprimento: 26.75 m; Sala Palmeira
Largura: 17.10 m; Altura: 4 m; Plateia: 600; Área: 30 m2; Comprimento: 4.58 m; Largura: Estalagem Santa Iria
Escola: 320; “U”: 100; Banquete: 400; Buffet: 6.82 m; Altura: 2.40 m; “U”: 12 Mouchão Parque
350; Cocktail: 600 Sala Parque 2300-586 Tomar
Sala do Convento Área: 28 m2; Comprimento: 5.30 m; Largura: Tel.: 249 313 326
Área: 208 m2; Altura: 4 m; Escola: 70; “U”: 35 6 m; Altura: 2.40 m; “U”: 12 Fax: 249 321 238
Banquete: 200; Buffet: 220; Cocktail: 220 Sala Lago E-mail: estalagem.iria@clix.pt
Sala D. Gualdim Área: 28 m2; Comprimento: 7 m; Largura: 4.18 Site: www.estalagemiria.com
Área: 131 m2; Comprimento: 16 m; Largura: m; Altura: 2.50 m; “U”: 12 Equipamentos: retroprojector; televisão e vídeo
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Junta de Freguesia NERSANT E-mail: geral@cm-vilarei.pt


de Santa Maria dos Olivais Várzea dos Mesiões Site: www.cm-viladerei.pt
Rua Major Ferreira do Amaral, 9 Apartado 177 Equipamentos: retroprojector; videoprojector ;
2300-507 Tomar 2350-433 Torres Novas projector de slides ; data-show ; televisão:
Tel.: 249 324 101 Tel.: 249 839 500 vídeo
Fax: 249 324 114 Fax: 249 820 804 Sala: Palco – 60 m2; Lugares sentados: 224
E-mail: junta.freguesia.olivais@clix.pt E-mail: geral@mail.nersant.pt
Site: www.stamariadosolivais.pt.vu Site: www.nersant.pt
Equipamentos: não tem Equipamentos: retroprojector; projector TURISMO ACTIVO
Salão: Comprimento: 14 m; Largura: 8 m; multimédia; televisão; vídeo; videoshow;
Recepção: 60 teleprojector; ecrã com tela Entroncamento
Sala: Comprimento: 8 m; Largura: 4 m; Auditório
Recepção: 30
Área: 350 m2; Convenção: 270 CLAC – Clube de Lazer e Competição
Sala de Reuniões Rua Isabel Falcão Trigoso, 32 Lt. 61 cave
Torres Novas
Área: 100 m2; Convenção: 130; Escola: 50; “U”: Apartado 90
30; Recepção: 150; Banquete: 50 2330-909 Entroncamento
Hotel Residencial dos Cavaleiros
Sala Multiusos Tel.: 249 718 761
Praça 5 de Outubro
Área: 120 m2; Convenção: 150; Escola: 110; Fax: 249 718 761
2350-418 Torres Novas
Tel.: 249 819 370 “U”: 50; Recepção: 210; Banquete: 110 E-mail: joseleote@mail.telepac.pt
Fax: 249 819 379 Pavilhão de Exposições Actividades: organização da Prova Nacional 149
E-mail: hotel_doscavaleiros@clix.pt Área: 2000 m2; Convenção: 1000; Escola: 700; “Descida dos 3 Castelos” (canoagem);
Site: www.guianet.pt/hotelcavaleiros “U”: 600; Recepção: 1500; Banquete: 1200 organização uma vez por ano de uma prova
Equipamentos: retroprojector; quadro de orientação (aberta a todos os interessa-
Sala: Convenção: 40 Vila de Rei dos); todos os últimos domingos de cada mês
organizam passeios pedestres a locais
Alcaidaria do Castelo de Torres Novas Auditório Municipal escolhidos pelos orientadores (abertos a
Largo Heróis de Diu Edifício Paços do Concelho todos os interessados); organizam passeios de
2350 Torres Novas Praça Família Matos e Silva Neves BTT (abertos a todos os interessados).
Tel.: 249 822 668 6100-201 Vila de Rei
Equipamentos: não tem Tel.: 274 890 010
Sala: Área: 100x625 m2; Recepção: 100; Fax: 274 890 018
Banquete: 100
TEMPLÁRIOS Profundamente

Ferreira do Zêzere Proença-a-Nova Reserva de Caça Municipal


Câmara Municipal de Proença-a-Nova
Zenautica Centro Náutico do Lago Azul Escola de Equitação da Quinta do Cerejal Apartado 24
Castanheira Quinta do Cerejal 6150-519 Proença-a-Nova
2240-999 Ferreira do Zêzere 6150-737 Sobreira Formosa Tel.: 274 670 000 (Gabinete Técnico da CM)
Tel.: 249 362 305 Tel.: 274 822 404 Actividades: jornadas de caça; largadas;
Fax: 249 362 255 Fax: 274 822 404 montarias a javalis; batida às raposas; batidas a
E-mail: zenautica@zenautica.com Actividades: ensino de equitação; passeios a saco-rabos
Site: www.zenautica.com cavalo com guia; passeios a cavalo sem guia; Condições: só para sócios; inscrições para
Horário: Inverno – 10h00/13h00 – randonées com ou sem dormida (passeios sócios em Julho
14h00/19h00 longos a cavalo); hipoterapia
Verão – 10h00/13h00 – 14h00/21h00 Observações: picadeiro coberto (500m2); Skydive Portugal
Proprietário: Grupo José Cristóvão picadeiro descoberto (8300m2) – Centro de Pára-quedismo, Lda.
Exploração: Zenautica Pista das Moitas
Actividades: wakeboard; ski-aquático; aluguer Zona Pinhal – Actividades Outdoor Apartado 3
de motas d’água; aluguer de jangadas Rua do Pinhal, Lt. 10 2º dto. 6150 Proença-a-Nova
6150-548 Proença-a-Nova Tel.: 274 672 089
Centro Equestre Quinta da Canastra Tlm.: 96 242 9600 / 91 880 4382 Fax: 274 672 081
E-mail: zonaventura@iol.pt E-mail: info@skydive-portugal.com
Besteiras
Actividades: tiro com arco Site: www.skydive-portugal.com
2240-003 Ferreira do Zêzere
Tlm.: 96 663 2947 / 91 919 5293 / 91 464 Actividades: curso de AFF (Accelerated Free
Horizontes No Pinhal Fall); pára-quedismo; tandem
9083
Rua das Vinhas, 14
E-mail: filipe.figueiredo@iol.pt Facilidades: Pista com 900 metros; edifício de
Monte do Trigo
Site: www.quintadacanastra.com apoio; pista de saltos relvada; hangar para 2
6150-125 Montes da Senhora
Actividades: ensino de equitação; passeios aeronaves; snack-bar
Tlm.: 91 913 7620 / 96 901 6899
a cavalo com guia (máx. 3 - 4 pessoas);
E-mail: horizontes@mail.telepac.pt
tiro com arco
Site: www.horizontes.pt.com
Observações: picadeiro coberto (30x15); Actividades: passeios de moto 4; orientação;
picadeiro descoberto (50x25) arco e flecha; zarabatana; balonismo; insufláveis
gigantes; formação vivencial; colónias de férias
INFORMAÇÕES ÚTEIS

Sertã Tomar YusTeam


Rua Marquês de Pombal, 2 – 1º B
Centro Náutico do Zêzere Templar 2300-510 Tomar
Trízio – Rotas e Destinos Turísticos, Lda. Tel.: 249 321 496
6100-494 Palhais Alameda Um de Março Fax: 249 321 489
Tel.: 274 802 172 Centro Comercial dos Templários, loja 309 E-mail: geral@yusteam.com
Fax: 274 802 178 2300-431 Tomar Site: www.yusteam.com
E-mail: trizio@centronauticozezere.com Tel.: 249 323 414 Actividades: animação temática (A Herança
Site: www.centronauticozezere.com Fax: 249 323 493 de Yuste; A Távola Redonda; O Castelo de
Actividades: aulas de desportos náuticos; E-mail: templar.lda@vizzavi.pt Lancelote; Magia e Metamorfose; Odisseia
organização de eventos; ski aquático; bóia; Site: www.templar.online.pt Viking; Imagem e Imaginação; jantares
skyski; banana; canoas; toppers; barefoot; Actividades: tiro com arco; BTT; canoagem; temáticos; peddy-pappers motivacionais);
wayfares; wakeboard; motas d’água; omni- manobras de cordas; escalada; jangadas; Motivação (Team building; Challenger’s;
pontoon boat marcha; cursos de mergulho; orientação; Campanhas de incentivo)
rafting; rappel; slide; ski-biscuit / ski-bob; ski-
aquático; windsurf; TT; espeleologia; animações Calma – Clube de Actividades
temáticas; outdoor learning; wine challenge´s; de Lazer e Manutenção
animação indoor; noites templárias; jantares Rua Coronel Garcês Teixeira, 14 A
com animação medieval; show’s musicais; 2300-909 Tomar
artistas circenses; sketchs teatrais Tel.: 249 324 356 151
Fax: 249 324 354
Via Aventura E-mail: calma@mail.telepac.pt
Rua Marquês de Pombal, 2 – 1º B Actividades: atletismo; organização do
2300-510 Tomar Encontro Nacional de Caminheiros no último
Tel.: 249 324 464 domingo de Abril; realiza uma vez por mês ao
Fax: 249 321 489 domingo uma caminhada para fora do
E-mail: via@ventura.web.pt concelho; percursos pedestres
TEMPLÁRIOS Profundamente

Grupo Desportivo e Recreativo Torres Novas Vila de Rei


da Marcol
Av. Norton de Matos, 5 Lama Clube 4x4 Opções & Alternativas
Apartado 181 Rua S. Pedro, 5 Largo da Capela
2304-209 Tomar 2350-764 Torres Novas Trutas
Tel.: 249 313 387 Tel.: 249 822 411 6110-156 Vila de Rei
Fax: 249 313 387 Actividades: todo-o-terreno Tel.: 274 898 642
Actividades: tiro aos partos Condições: sócios e não sócios interessados Fax: 274 898 642
(não é preciso ser sócio) nos eventos a realizar e com o equipamento E-mail: opalternativas@iol.pt
necessário para a sua realização Site: www.opalternativas.com
Fatia da China – Divulgação Actividades: passeios de TT 4x4; passeios
do Património Histórico e Cultural Aventur, Aventura e Lazer pedestres; passeios de BTT; escalada; rappel;
Rua dos Arcos, 57 dto Rua 1º de Maio – Nicho do Rodrigos slide; tirolesa; paralelas; canoagem; orientação;
2300-574 Tomar 2350-717 Torres Novas mini-challenger; out-door para empresas ou
Tel.: 249 311 049 Tlm.: 962 748 550 / 962 648 586 grupos por sugestão ou encomenda
Fax: 249 311 049 Fax: 249 824902
E-mail: fatiadachina@sapo.pt E-mail: geral@aventuralazer.com
Actividades: visitas guiadas a monumentos, Site: www.aventuralazer.com
locais culturais, paisagens naturais, zonas Actividades: passeios de cavalo; jogos
religiosas, festas tradicionais; organização tradicionais; mini-chalengers; curso de canoagem
e promoção de actividades culturais;
organização de exposições de arte, lançamento
de livros e sua promoção, festas e animação;
acções de formação em artes decorativas;
conservação e restauro de património
Região de Turismo dos Templários floresTa cenTral e albufeiras
Rua Serpa Pinto, nº 1. 2300-592 Tomar
Telefone: 249 329 000. Fax: 249 324 322
E-mail: geral@rttemplarios.pt Website: www.rttemplarios.pt