Você está na página 1de 1

2) Em que consiste a recuperação extrajudicial de empresas?

Quais
os requisitos para a homologação do acordo?

A recuperação extrajudicial representa uma das formas de possibilidade de
todos os credores virem a receber seus créditos, esse tipo de recuperação
advêm da procura dos credores (ou parte deles) pela sociedade devedora, a
fim de convencê-los de que a renegociação de suas obrigações é
indispensável para a superação do estado crítico e, sem a quota de
sacrifício deles (representada pela dilação do prazo de pagamento, novação
etc.), não terá como sociedade empresarial escapar da falência, o acordo de
vontades é suficiente para realizar-se o desiderato. Os requisitos de
recuperação extrajudicial são de duas ordens: subjetivos e objetivos. Os
requisitos subjetivos são: atender as mesmas condições estabelecidas
pela lei para acesso à recuperação judicial; exercer sua atividade
empresarial há pelo menos 2anos; não estar falido ou, se o foi, terem sido
declaradas extintas por sentença transitada em julgado; não ter como
administrador pessoa condenada pro crime falimentar; não se encontrar em
recuperação judicial ou extrajudicial e não lhe ter sido concedida a
recuperação judicial ou extrajudicial, há pelo menos 2 anos. Os requisitos
objetivos: não ter no plano o pagamento antecipado de nenhuma dívida;
todos os credores sujeitos ao plano devem receber tratamento paritário,
vedado o favorecimento de alguns ou o desfavorecimento apenas de parte
dele; no plano só deve conter as dívidas contidas até a data do pedido de
homologação do plano; do plano só pode constar a alienação de bem
gravado ou supressão ou substituição de garantia real se com a medida
concordar expressamente o credor garantido e por último, o plano não pode
estabelecer o afastamento da variação cambial nos créditos em moeda
estrangeira sem contar com a anuência expressa do respectivo credor.