Você está na página 1de 29

11/3/2011

Fatores de Risco Cardiovascular Prof. Paulo Roberto Amorim, PhD
Fatores de Risco
Cardiovascular
Prof. Paulo Roberto Amorim, PhD
INTRODUÇÃO • Após a 2ª Guerra Mundial: ▫ Industrialização ▫ Urbanização ▫ Produção, armazenamento e
INTRODUÇÃO
• Após a 2ª Guerra Mundial:
▫ Industrialização
▫ Urbanização
▫ Produção, armazenamento e distribuição de
alimentos.
▫ Automatização do trabalho.
▫ Popularização do automóvel
▫ Diminuição da Atividade Física
▫ Aumento da venda de Cigarros
▫ Surgimento de antibióticos

11/3/2011

11/3/2011 GRANDES ESTUDOS • Framingham Heart Study ▫ Estudo Longitudinal (Até hoje!) ▫ 5.209 homens e
GRANDES ESTUDOS • Framingham Heart Study ▫ Estudo Longitudinal (Até hoje!) ▫ 5.209 homens e
GRANDES ESTUDOS
• Framingham Heart Study
▫ Estudo Longitudinal (Até hoje!)
▫ 5.209 homens e mulheres habitantes da cidade de
Framingham, USA.
▫ Seguidos desde 1948
• Após 10 anos de seguimento:
▫ Identifica os principais fatores de risco para a
doença coronária e cerebrovascular

11/3/2011

GRANDES ESTUDOS • Seven Countries Study ▫ Comparou hábitos dietéticos com surgimento de doença cardiovascular
GRANDES ESTUDOS
• Seven Countries Study
▫ Comparou hábitos dietéticos com surgimento de
doença cardiovascular
▫ Em 16 localidades em 7 países
• Concluiu:
▫ Existe correlação entre ingestão de alimentos com
alto teor de gorduras saturadas, elevação do
colesterol sérico e doença coronária.
O QUE É FATOR DE RISCO? • Conceito: ▫ Características associadas com maior risco de
O QUE É FATOR DE RISCO?
• Conceito:
▫ Características associadas com maior risco de ficar
doente.
▫ Qualquer fator identificado clínica (antecedentes
pessoais e familiares, doenças concomitantes) ou
Laboratorialmente (hiperglicemia, hipercoleste-
rolemia) que se associe, ainda que sem relação
causa-efeito nítida, com a probabilidade de
ocorrência de determinada doença em período
temporal variável.

11/3/2011

PARA QUE SERVEM OS FATORES DE RISCO? • Predizem o desenvolvimento futuro de doenças. •
PARA QUE SERVEM OS FATORES DE
RISCO?
• Predizem o desenvolvimento futuro de doenças.
• Ajudam a estabelecer a probabilidade pré-teste
da doença para testes diagnósticos.
• Auxilia na estratificação de risco em programas
de rastreamento.
• A remoção, pode prevenir doenças.
• Auxilia na estratificação de risco em programas de rastreamento. • A remoção, pode prevenir doenças.

11/3/2011

FATORES DE RISCO MODIFICÁVEIS Dieta Níveis sanguineos de lípidios MODIFICÁVEISMODIFICÁVEIS Hipertensão
FATORES DE RISCO
MODIFICÁVEIS
Dieta
Níveis sanguineos de lípidios
MODIFICÁVEISMODIFICÁVEIS
Hipertensão
Tabagismo
Sedentarismo
Obesidade
NÃONÃO--MODIFICÁVEISMODIFICÁVEIS
Estresse
Diabetes Melito
Educação deficiente
Níveis de Homocisteína
FATORES DE RISCO MODIFICÁVEIS Dieta Níveis sanguineos de lípidios Hipertensão Tabagismo Sedentarismo Obesidade
FATORES DE RISCO
MODIFICÁVEIS
Dieta
Níveis sanguineos de lípidios
Hipertensão
Tabagismo
Sedentarismo
Obesidade
Estresse
Diabetes Melito
Educação deficiente
Níveis de Homocisteína

11/3/2011

FATORES DE RISCO NÃO MODIFICÁVEIS Idade Sexo Etnia Calvície História familiar
FATORES DE RISCO
NÃO MODIFICÁVEIS
Idade
Sexo
Etnia
Calvície
História familiar
FATORES DE RISCO • IDADE ▫ Idade Hipertensão Dislipidemias Intolerância a glicose
FATORES DE RISCO
• IDADE
▫ Idade
Hipertensão
Dislipidemias
Intolerância a glicose

11/3/2011

FATORES DE RISCO McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO
McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO • HIPERTENSÃO ARTERIAL
FATORES DE RISCO
• HIPERTENSÃO ARTERIAL

11/3/2011

FATORES DE RISCO • NÍVEIS SANGUINEOS DE LIPÍDIOS ▫ As dislipidemias são componentes cruciais na
FATORES DE RISCO
• NÍVEIS SANGUINEOS DE LIPÍDIOS
▫ As dislipidemias são componentes cruciais na
gênese da aterosclerose.
FATORES DE RISCO McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO
McArdle, 2003.

11/3/2011

FATORES DE RISCO McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO
McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO
FATORES DE RISCO
McArdle, 2003.

11/3/2011

FATORES DE RISCO
FATORES DE RISCO
FATORES DE RISCO • OBESIDADE • OBESIDADE
FATORES DE RISCO
• OBESIDADE
• OBESIDADE

11/3/2011

1.1. ÁcidosÁcidos graxosgraxos 2.2. ILIL--66 ee TNF-TNF-AlfaAlfa 3.3. AdiponectinaAdiponectina 4.4.
1.1. ÁcidosÁcidos graxosgraxos
2.2. ILIL--66 ee TNF-TNF-AlfaAlfa
3.3. AdiponectinaAdiponectina
4.4. AngiotensinogênioAngiotensinogênio ee PAI-PAI-11
5.5. ResistinaResistina
6.6. LeptinaLeptina
4.4. AngiotensinogênioAngiotensinogênio ee PAI-PAI-11 5.5. ResistinaResistina 6.6. LeptinaLeptina 11

11/3/2011

FATORES DE RISCO • DIABETES TIPO 2
FATORES DE RISCO
• DIABETES TIPO 2
HEART ATTACKS IN PEOPLE WITH AND WITHOUT DIABETES OVER A PERIOD OF SEVEN YEARS Incidence
HEART ATTACKS IN PEOPLE WITH AND WITHOUT DIABETES OVER A PERIOD OF
SEVEN YEARS
Incidence (%)
Adapted from Haffner et al, N Engl J Med, 1998
SOURCE: DIABETES ATLAS THIRD EDITION © INTERNATIONAL DIABETES FEDERATION, 2006

11/3/2011

FATORES DE RISCO • TABAGISMO ▫ Ativo ou passivo: Indicadores mais poderosos para DCC. ▫
FATORES DE RISCO
• TABAGISMO
▫ Ativo ou passivo: Indicadores mais poderosos para
DCC.
▫ Magnitude está relacionada com o nº de cigarros
fumados diariamente.
FATORES DE RISCO • INATIVIDADE FÍSICA (SEDENTARISMO) ATIVIDADE FÍSICA = EXERCÍCIO FÍSICO ATIVIDADE FÍSICA ≠
FATORES DE RISCO
• INATIVIDADE FÍSICA (SEDENTARISMO)
ATIVIDADE FÍSICA
=
EXERCÍCIO FÍSICO
ATIVIDADE FÍSICA
EXERCÍCIO FÍSICO

11/3/2011

FATORES DE RISCO • INATIVIDADE FÍSICA (SEDENTARISMO) ATIVIDADE FÍSICA Movimento corporal produzido pela
FATORES DE RISCO
• INATIVIDADE FÍSICA (SEDENTARISMO)
ATIVIDADE FÍSICA
Movimento corporal produzido
pela contração muscular e que
faz aumentar o dispêndio de
energia.
EXERCÍCIO FÍSICO
Atividade física planejada,
estruturada, repetitiva e
intencional, intuito de melhor e
manter a aptidão física.
ACSM, 2007
FATORES DE RISCO McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO
McArdle, 2003.

11/3/2011

FATORES DE RISCO
FATORES DE RISCO
FATORES DE RISCO
FATORES DE RISCO

11/3/2011

11/3/2011 FATORES DE RISCO • INTERAÇÕES DOS FATORES DE RISCO McArdle, 2003. 16
FATORES DE RISCO • INTERAÇÕES DOS FATORES DE RISCO McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO
• INTERAÇÕES DOS FATORES DE RISCO
McArdle, 2003.

11/3/2011

FATORES DE RISCO McArdle, 2003.
FATORES DE RISCO
McArdle, 2003.
11/3/2011 FATORES DE RISCO McArdle, 2003. 17

11/3/2011

11/3/2011 SITUAÇÃO ATUAL 18
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL

11/3/2011

SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL

11/3/2011

SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL

11/3/2011

SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
11/3/2011 SITUAÇÃO ATUAL 21

11/3/2011

HORAS INATIVAS
HORAS INATIVAS
PREVALÊNCIAPREVALÊNCIA DOSDOS FATORESFATORES DEDE RISCORISCO EMEM TATA ee PROF.PROF. DADA UFVUFV 80 70 60 50
PREVALÊNCIAPREVALÊNCIA DOSDOS FATORESFATORES DEDE
RISCORISCO EMEM TATA ee PROF.PROF. DADA UFVUFV
80
70
60
50
40
30
20
10
0
Idade
Hereditariedade
Peso
Tabagismo
Exercício
Colesterol
Pressão Arterial
MOREIRA, O. C. et al., 2006

11/3/2011

INTENSIDADEINTENSIDADE DODO EXERCÍCIOEXERCÍCIO EMEM PRATICANTESPRATICANTES DEDE AFAF AERÓBICAAERÓBICA 50% 44% 45%
INTENSIDADEINTENSIDADE DODO EXERCÍCIOEXERCÍCIO EMEM
PRATICANTESPRATICANTES DEDE AFAF AERÓBICAAERÓBICA
50%
44%
45%
40%
34%
34%
35%
30%
30%
26%
25%
20%
16%
15%
8%
10%
4%
2%
2%
5%
0%
0%
0%
MUITO LEVE
LEVE
MODERADA
PESADA
MUITO PESADA
MÁXIMA
%FCRES
%BORG
6464 %% ESTÃOESTÃO COMCOM
SOBREPESOSOBREPESO
MOURA, B. P. et al., 2006
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL

11/3/2011

SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
11/3/2011 SITUAÇÃO ATUAL 24

11/3/2011

SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL

11/3/2011

SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL

11/3/2011

SITUAÇÃO ATUAL SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL
SITUAÇÃO ATUAL

11/3/2011

11/3/2011 28
11/3/2011 28

11/3/2011

TABELA DE RISCO CORONARIANO 10 a 20 21 a 30 31 a 40 41 a
TABELA DE RISCO CORONARIANO
10 a 20
21 a 30
31 a 40
41 a 50
51 a 60
Acima de 60
IDADE
1
2
3
4
6
8
Nenhuma história
1 parente com doença
2 parentes com doença
conhecida de
cardiovascular e mais de
60 anos
cardiovascular e mais de
1 parente com doença
cardiovascular e menos
2 parentes com doença
cardiovascular e menos
3 parentes com doença
cardiovascular e menos
HEREDITARIEDADE
cardiopatia
60
anos
de 60 anos
de 60 anos
de 60 anos
1
2
3
4
6
8
Mais de 2,3Kg abaixo do
peso padronizado
-2,3 a +2,3Kg do peso
padronizado
2,7 a 9Kg acima do
peso
9,5 a 15,9Kg acima do
peso
16,4 a 22,7Kg acima do
peso
23,3 a 29,5Kg acima do
peso
PESO
1
2
3
4
6
7
Não usuário
Charuto ou cachimbo
10
cigarros ou menos
20 cigarros por dia
30 cigarros por dia
40 cigarros por dia
0
1
por dia
4
6
10
TABAGISMO
2
Esforço profissional e
recreacional intenso
Esforço profissional e
recreacional moderado
Trabalho sedentário e
esforço recreacional
Trabalho sedentário e
esforço recreacional
Trabalho sedentário e
esforço recreacional
Ausência completa de
qualquer exercício
EXERCÍCIO
1
2
intenso
moderado
ligeiro
8
3
5
6
Colesterol abaixo de
Colesterol 181 a
Colesterol 206 a
Colesterol 231 a
Colesterol 256 a
Colesterol 281 a
180mg/dl
205mg/dl
230mg/dl
250ml/dl
2801ml/dl
300ml/dl
% DE COLESTEROL
OU GORDURA NA
DIETA
A dieta não contém
gorduras animais, nem
sólidas
A dieta contém 10% de
gorduras animais ou
sólidas
A dieta contém 20% de
gorduras animais ou
sólidas
A dieta contém 30% de
gorduras animais ou
sólidas
A dieta contém 40% de
gorduras animais ou
sólidas
A dieta contém 50% de
gorduras animais ou
sólidas
1
2
3
4
5
7
Leitura superior de 100
Leitura superior de 120
Leitura superior de 140
Leitura superior de 160
Leitura superior de 180
Leitura superior de 200
1
2
3
4
6
ou maior
PRESSÃO ARTERIAL
8
Mulher com menos de
Mulher com 40 a 50
Mulher com mais de 50
Homem
Homem atarracado
Homem calvo e
40
2
3
4
6
atarracado
SEXO
1
7
Explicação das variáveis: Hereditariedade – contar progenitores, irmãos e irmãs que tiveram um ataque cardíaco ou acidente
vascular cerebral; Tabagismo – se você inala profundamente ou fuma um cigarro até o fim, acrescentar um ponto ao seu escore.
Não subtrair nada pelo simples fato de pensar que você não inala ou fuma apenas meia polegada de um cigarro; Exercício – subtrair
um ponto do seu escore se você se exercita com regularidade e freqüência; Ingesta de colesterol/gordura saturada – é preferível
um nível sangüíneo de colesterol. Se você não fez um exame sangüíneo recentemente, nesse caso convém estimar com
honestidade o percentual de gorduras sólidas que você ingere. Estas costumam ser de origem animal – toucinho, creme, manteiga e
gordura bovina e de carneiro. Se você ingere muita gordura saturada, é provável que seu nível de colesterol seja alto; Pressão
Arterial – se você não fez nenhuma determinação recente, mas foi aprovado em um exame médico geral ou para a obtenção de
uma apólice de seguro, é provável que o nível de pressão sistólica seja 140 ou menos; Sexo – isso leva em conta o fato de os
homens terem de seis a 10 vezes mais ataques cardíacos que as mulheres em idade de procriação. (Adaptado da Michigan Hert
Association.)
TABELA DE RISCO RELATIVO Escore CATEGORIA DE RISCO RELATIVO 06-11 RISCO BEM ABAIXO DA MÉDIA
TABELA DE RISCO RELATIVO
Escore
CATEGORIA DE RISCO RELATIVO
06-11
RISCO BEM ABAIXO DA MÉDIA
12-17
RISCO ABAIXO DA MÉDIA
18-24
RISCO MÉDIO
25-31
RISCO MODERADO
32-40
ALTO RISCO
41-62
RISCO MUITO ALTO,
CONSULTAR SEU MÉDICO