Você está na página 1de 2

1

Garantismo Penal: noes e relevncia social na aplicao na justia


Denise Carmen Ribeiro Conceio 1) Introduo Este trabalho visa realizao de uma abordagem terica acerca do Garantismo Penal, a mais recente Escola Penal, criada por Luigi Ferrajoli, frente necessidade de adequar o Direito Penal aos princpios constitucionais, assegurando direitos e garantias tanto ao agente que se encontrar processado ou condenado quanto sociedade como um todo, buscando diminuir o punitivo poder do Estado sobre o cidado e transform-lo num Estado Constitucional de Direito. Muito tem-se falado de uma atual crise no sistema penal, isto porque o Direito Penal passou a ser simblico, ou seja, apresenta muitos smbolos de rigor excessivo, o que mostra o forte interesse do Governo em manipular opinies mais do que fazer Direito. Esse excesso de rigor claramente demonstrado pelo exacerbado volume do Cdigo Penal Brasileiro, tudo caracterizado como crime, a conseqncia a banalizao da legislao penal, porquanto a mesma termina no sendo aplicada efetivamente. Como ensinava BECCARIA, o que faz a diminuio da criminalidade a certeza da punio e no o excesso de rigor das penas, tampouco o Estado mximo. O Direito Penal deve ser usado como ultima ratio. 2) Uma breve anlise histrica Nos primrdios da histria do Direito, atribua-se todos os acontecimentos bons ou maus s divindades. Para controlar a ira dos deuses, criaram-se proibies (regras de conduta) de cunho religioso, social e poltico, que se fossem desobedecidas aplicavamse castigos. Desta forma, surgiram os crimes e as penas. Por volta de dois mil antes de Cristo, aplicava-se a Pena de Talio, criada devido ao sentimento da vingana, conhecida pela frase olho por olho, dente por dente. Aps, foi institudo o Cdigo de Hamurabi, o qual trouxe para o Direito Penal contribuies

2 que at hoje vigoram, como a noo de roubo e receptao. No se pode olvidar da Lei das Doze Tbuas, onde continha os principais tipos penais. Ao longo dos sculos, a tortura nas penas foi se tornando apreciada pelos legisladores e pela sociedade da poca (que ainda hoje no muito diferente, usam o Direito do Inimigo: enquanto for com o outro, no tem problema). No sculo dezoito, as penassuplcio eram o cmulo da barbrie humana, conforme denuncia FOUCAULT, em Vigiar...