Você está na página 1de 4

Agrupamento de Escolas António José de Almeida

Dissecação de um coração de um Mamífero

de Almeida Dissecação de um coração de um Mamífero Relatório experimental realizado por: Gonçalo Ferreira nº

Relatório experimental realizado por:

Gonçalo Ferreira nº 8 Carlos Costa nº 5

Agrupamento de Escolas António José de Almeida

1. Introdução

O sistema circulatório, ou sistema cardiovascular, assegura a continuidade de trocas de substâncias ao nível dos diferentes órgãos do corpo humano através do movimento do sangue. Esta ação é completada pelo sistema linfático. Os fluídos circulatórios são o sangue e a linfa: a sua parte líquida são os principais componentes do líquido que constitui o meio interno, este é formado por água, sais minerais e substâncias orgânicas.

2. Material

Coração de um mamífero

Tabuleiro

Bisturi

Pinça

Luvas cirúrgicas

Vareta de vidro

Agulha de dissecação

Tesoura

3. Procedimento Experimental

Observou-se o coração, primeiro pela face ventral e depois pela face dorsal. Em seguida identificou-se as aurículas. Com a ajuda da vareta de vidro, identificou-se os diferentes vasos sanguíneos. Com o auxílio do bisturi e da pinça, retirou-se o pericárdio e a gordura exterior. Depois com a ajuda do bisturi e da tesoura cortou-se a parede da artéria pulmonar. Prolongou-se a incisão até ao ventrículo direito.

Agrupamento de Escolas António José de Almeida

Fez-se outra incisão na parede da veia cava superior, prolongando-a até á aurícula direita. Procedeu-se do mesmo modo com a metade esquerda do coração. Para tal, faz-se fazer um corte desde a artéria aorta até ao ventrículo esquerdo. Por fim identificou-se as cavidades, as válvulas cardíacas e o

septo.

4. Registo de Observações

as válvulas cardíacas e o septo. 4. Registo de Observações Figura 1 – Estrutura externa de

Figura 1 Estrutura externa de um coração de porco

Agrupamento de Escolas António José de Almeida

Agrupamento de Escolas António José de Almeida Figura2 – Estrutura interna de um coração de mamífero

Figura2 Estrutura interna de um coração de mamífero

5. Interpretação de resultados

Com esta actividade experimental foi possível identificarmos os ventrículos e as aurículas. Os ventrículos são maiores que as aurículas e têm um miocárdio mais espesso que as mesmas Ao observarmos as válvulas auriculoventriculares que tem uma cor esbranquiçada, conseguimos ver a diferença entre a válvula bicúspide e a válvula tricúspide devido ás pregas membranosas, a válvula tricúspide tem 3 e a válvula bicúspide 2. O septo interventricular foi difícil de observar visto que estava cortado. Para terminar no interior do coração podemos verificar a ligação que existe entre a aurícula direita e as veias cavas superiores e inferiores; entre a aurícula esquerda e as veias pulmonares; entre o ventrículo direito e a artéria pulmonar e entre o ventrículo esquerdo e a artéria aorta. Externamente foi possível observar que o coração continha uma película extremamente fina que protege o coração.