Você está na página 1de 28
COMPONENTES PARA INSTALAÇÕES SOLARES JANEIRO 2008
COMPONENTES PARA INSTALAÇÕES SOLARES JANEIRO 2008

COMPONENTES PARA INSTALAÇÕES SOLARES JANEIRO 2008

COMPONENTES PARA INSTALAÇÕES SOLARES JANEIRO 2008
As séries de produtos CALEFFI SOLAR foram especialmente concebidas para a utilização nos circuitos das

As séries de produtos CALEFFI SOLAR foram especialmente concebidas para a utilização nos circuitos das instalações solares, onde se podem normalmente atingir elevadas temperaturas e, em função do tipo de instalação, pode ser utilizado glicol. Os materiais com os quais são concebidos os componentes e o seu desempenho devem necessariamente ter em consideração estas condições de funcionamento especiais.

COMPONENTES PARA CIRCUITO PRIMÁRIO - SOLUÇÕES COM GLICOL

Carga automática M07 1259 07185865
Carga
automática
M07 1259
07185865

2

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

BSI EN ISO 9001:2000 UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Cert. n°0003

Purgadores de ar - Válvula de segurança - Separador de micro-bolhas

de ar - Válvula de segurança - Separador de micro-bolhas 250 Conjunto constituído por: Purgador de

250

Conjunto constituído por:

Purgador de ar automático para instalações solares. Corpo em latão. Cromado. Pressão máx.: 10 bar. Pressão máx. de descarga: 5 bar. Campo de temperatura: -30÷180°C.

Torneira de intercepção com guarnição. Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura: -30÷200°C.

O purgador de ar automático deve ser seccionado após o enchimento da instalação.
O purgador de ar automático
deve ser seccionado após
o enchimento da instalação.

Código

250131 3/8” M

o enchimento da instalação. Código 250 131 3/8” M Código 253 Válvula de segurança para instalações

Código

253

Válvula de segurança para instalações solares. Corpo em latão. Cromado. Ligações fêmea-fêmea. PN 10. Campo de temperatura: -30÷160°C. Saída de descarga maximizada. Potência de descarga: 50 kW. Homologada TÜV segundo SV 100 7.7 N° TÜV SV 07 2009 · SOL · 50 · p. Regulações: 2,5 - 3 - 4 - 6 - 8 - 10 bar.

SOL · 50 · p. Regulações: 2,5 - 3 - 4 - 6 - 8 -

253042

1/2” F x 3/4” F

2,5 bar

253043

1/2” F x 3/4” F

3

bar

253044

1/2” F x 3/4” F

4

bar

253046

1/2” F x 3/4” F

6

bar

253048

1/2” F x 3/4” F

8

bar

253040

1/2” F x 3/4” F

10 bar

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

I S T E R E D BSI EN ISO 9001:2000 Cert. n ° FM21654 Código

Código

251

DISCAL

Separador de micro-bolhas para instalações solares. Corpo em latão. Cromado. Ligações fêmea-fêmea. Pressão máx.: 10 bar. Pressão máx. de descarga: 10 bar. Campo de temperatura: -30÷160°C.

251003 3/4” F

10 bar. Campo de temperatura: -30÷160°C. 251 003 3/4” F Código 251 DISCAL A A I

Código

251

DISCALAAIIRR

Purgador de ar automático para instalações solares. Corpo em latão. Cromado. Ligação fêmea. Pressão máx.: 10 bar. Pressão máx. de descarga: 10 bar. Campo de temperatura: -30÷160°C.

251004 1/2” F

10 bar. Campo de temperatura: -30÷160°C. 251 004 1/2” F Código 250 Torneira de intercepção com

Código

250

Torneira de intercepção com guarnição. Corpo em latão. Cromado. Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura: -30÷200°C.

Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura: -30÷200°C. 250 300 3/8” M x 3/8” F 250

250300

3/8” M x 3/8” F

250400

1/2” M x 1/2” F

-30÷200°C. 250 300 3/8” M x 3/8” F 250 400 1/2” M x 1/2” F UNI

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

3

Grupos de circulação

Grupos de circulação 255 Grupo de circulação para instalações solares, ligação de ida e retorno. Pressão

255

Grupo de circulação para instalações solares, ligação de ida e retorno. Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura da válvula de segurança: -30÷160°C. Regulação da válvula de segurança: 6 bar

(para outras regulações, consultar série 253). Temperatura máx. do caudalímetro: 120°C. Constituído por:

- bomba de circulação Grundfos Solar 15-60;

- válvula de segurança para instalações solares série 253;

- 2 torneiras de carga/descarga;

- adaptador porta-instrumentos com manómetro;

- regulador de caudal com caudalímetro;

- purgador de ar;

- termómetro de ida;

- termómetro de retorno;

- 2 válvulas de intercepção e retenção;

- isolamento com borracha pré-formada.

Código

Escala do

caudalímetro l/min

255056

3/4” F

1÷13

255156

3/4” F

8÷30

255166

1” M

5÷40

bomba SOLAR 25-120

8÷30 255 166 1” M 5÷40 bomba SOLAR 25-120 256 Grupo de circulação para instalações solares,

256

Grupo de circulação para instalações solares, ligação de retorno. Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura da válvula de segurança: -30÷160°C. Regulação da válvula de segurança: 6 bar

(para outras regulações, consultar série 253). Temperatura máx. do caudalímetro: 120°C. Constituído por:

- bomba de circulação Grundfos Solar 15-60;

- válvula de segurança para instalações solares da série 253;

- 2 torneiras de carga/descarga;

- adaptador porta-instrumentos com manómetro;

- regulador do caudal com caudalímetro;

- termómetro de retorno;

- válvula de intercepção e retenção;

- isolamento com borracha pré-formada.

Código

Escala do

caudalímetro l/min

256056

3/4” F

1÷13

255

Bomba de enchimento para grupos de circulação série 255 e 256.

de enchimento para grupos de circulação série 255 e 256. 255 Caudalímetros de substituição para grupos
de enchimento para grupos de circulação série 255 e 256. 255 Caudalímetros de substituição para grupos

255

Caudalímetros de substituição para grupos de circulação série 255 e 256.

Código

Escala do

caudalímetro l/min.

255015 3/4”

1÷13

255016 3/4”

8÷30

Código

255 015 3/4” 1÷13 255 016 3/4” 8÷30 Código 255 ● Caudalímetro de substituição para grupos

255

Caudalímetro de substituição para grupos de circulação série 255.

Escala do

caudalímetro

(l/min)

255017

1”

5÷40

255. Escala do caudalímetro (l/min) 255 017 1” 5÷40 259 Vaso de expansão soldado para instalações

259

Vaso de expansão soldado para instalações solares. Membrana em diafragma certificada segundo a norma DIN 4807-3. Compatível com soluções com glicol. Pressão máx.: 10 bar. Temperatura máx. da membrana:100°C. Campo de temperatura: -10÷120°C.

da membrana:100°C. Campo de temperatura: -10÷120°C. Pré-carga Código Litros Ligação (bar) 259

Pré-carga

Código

Litros

Ligação

(bar)

259012

12

3/4”

2,5

259018

18

3/4”

2,5

259025

25

3/4”

2,5

259035

35

3/4”

2,5

259050

50

3/4”

2,5

255

Kit de ligação vaso de expansão. Constituído por:

- tubo flexível de aço inox;

- torneira automática de intercepção;

- suporte de fixação na parede.

Pressão máx.: 10 bar. Temperatura máx. da torneira: 110°C.

Código

Código

255010

255001

3/4”

 
R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

 

4

Cert. n° FM21654

 

Cert. n°0003

Ligadores mecânicos com vedação O-ring

2543

União de manguito, mecânico com vedação O-Ring para instalações solares. Para tubagem em cobre recozido, cobre cru, latão, aço e aço inox. Pressão máx.: 16 bar. Campo de temperatura:

e aço inox. Pressão máx.: 16 bar. Campo de temperatura: -30÷160°C. Casquilho niquelado preto. 2547 Ligador

-30÷160°C.

Casquilho niquelado preto.

de temperatura: -30÷160°C. Casquilho niquelado preto. 2547 Ligador curvo macho, mecânico com vedação O-Ring

2547

Ligador curvo macho, mecânico com vedação O-Ring para instalações solares. Para tubagem em cobre recozido, cobre cru, latão, aço e aço inox. Pressão máx.: 16 bar. Campo de temperatura: -30÷160°C. Casquilho niquelado preto.

Código

Código

254305

Ø 15

254755

3/4” M - Ø 15

254308

Ø 18

254758

3/4” M - Ø 18

254302

Ø 22

254752

3/4” M - Ø 22

- Ø 18 2543 02 Ø 22 2547 52 3/4” M - Ø 22 2544 Ligador

2544

Ligador macho, mecânico com vedação O-Ring para instalações solares. Para tubagem em cobre recozido, cobre cru, latão, aço e aço inox. Pressão máx.: 16 bar. Campo de temperatura:

-30÷160°C.

Casquilho niquelado preto.

de temperatura: -30÷160°C. Casquilho niquelado preto. 2548 Ligador curvo fêmea, mecânico com vedação O-Ring

2548

Ligador curvo fêmea, mecânico com vedação O-Ring para instalações solares. Para tubagem em cobre recozido, cobre cru, latão, aço e aço inox. Pressão máx.: 16 bar. Campo de temperatura: -30÷160°C. Casquilho niquelado preto.

Código

Código

254455

3/4” M - Ø 15

254855

3/4” M - Ø 15

254458

3/4” M - Ø 18

254858

3/4” M - Ø 18

254452

3/4” M - Ø 22

254852

3/4” M - Ø 22

2544 52 3/4” M - Ø 22 2548 52 3/4” M - Ø 22 Código 2545

Código

2545

Ligador curvo, mecânico com vedação O-Ring para instalações solares. Para tubagem em cobre recozido, cobre cru, latão, aço e aço inox. Pressão máx.: 16 bar. Campo de temperatura:

-30÷160°C.

Casquilho niquelado preto.

254505

Ø 15

254508

Ø 18

254502

Ø 22

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

02 Ø 22 R E G I S T E R E D BSI EN ISO

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

5

Reguladores de temperatura diferencial e termóstatos

Reguladores de temperatura diferencial e termóstatos Código 257 Regulador de temperatura diferencial para instalações

Código

257

Regulador de temperatura diferencial para instalações solares, com saída de relé. Inclui caixa, sonda de contacto e sonda de imersão com baínha. Grau de protecção da caixa: IP 65. Alimentação eléctrica: 230 V. ±6% - 50 Hz. Absorção nominal: 1,45 VA. Corrente dos contactos em comutação: 6 A (230 V). Campo ΔT programável: 2÷20 K. Histerese: 2 K (± 1 K).

Campo Δ T programável: 2÷20 K. Histerese: 2 K (± 1 K). 257 020 Código 257

257020

Δ T programável: 2÷20 K. Histerese: 2 K (± 1 K). 257 020 Código 257 Termóstato

Código

257

Termóstato para instalações solares com saída de relé. Para controlo da integração térmica e válvulas desviadoras. Com caixa e sonda de contacto. Grau de protecção da caixa: IP 65. Alimentação eléctrica: 230 V. ±6% - 50 Hz. Absorção nominal: 1,45 VA. Corrente dos contactos em comutação: 6 A (230 V). Campo de temperatura programável:

20÷90°C.

Histerese: 1 K.

de temperatura programável: 20÷90°C. Histerese: 1 K. 257 030 Código 257 Regulador e termóstato para

257030

temperatura programável: 20÷90°C. Histerese: 1 K. 257 030 Código 257 Regulador e termóstato para instalações

Código

257

Regulador e termóstato para instalações solares com saída de relé. Com caixa, 2 sondas de contacto e sonda de imersão com baínha. Grau de protecção da caixa: IP 65. Características segundo os códigos 257020 e 257030.

IP 65. Características segundo os códigos 257020 e 257030. 257 040 Código 255 Suporte de fixação

257040

segundo os códigos 257020 e 257030. 257 040 Código 255 Suporte de fixação para regulador e

Código

255

Suporte de fixação para regulador e termóstato série 257, para grupo de circulação série 255.

255002

série 257, para grupo de circulação série 255. 255 002 Código 256 Suporte de fixação para

Código

256

Suporte de fixação para regulador e termóstato série 257, para grupo de circulação série 256.

256002

Contador de energia

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

75525 CONTECA SOLAR

Contabilização directa com leitura local mediante visor LCD ou centralizada com controlador código 755000 ou interface série 75505 para instalações solares.

Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura: 5÷120°C. Compatível com soluções com glicol. O módulo CONTECA SOLAR é fornecido com:

- Par de sondas de temperatura com baínhas de imersão.

- Baínhas em Y para sondas de imersão.

- Contador volumétrico com saída por impulsos (Temp. máx. 120°C).

- Integrador electrónico com visor LCD.

- Alimentação a 24 V (ac) 50 Hz - 1 W.

- Predisposto para transmissão através protocolo M bus. Conforme as normas EN 1434-1.

através protocolo M bus. Conforme as normas EN 1434-1. Código Ligação Tipo med. Q n o
através protocolo M bus. Conforme as normas EN 1434-1. Código Ligação Tipo med. Q n o
através protocolo M bus. Conforme as normas EN 1434-1. Código Ligação Tipo med. Q n o

Código

Ligação

Tipo med.

Q nom m 3 /h

755254 1/2”

monojacto

1,5

755255 3/4”

monojacto

2,5

755256 1”

multijacto

3,5

BSI EN ISO 9001:2000

BSI EN ISO 9001:2000 UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Cert. n°0003

6

Válvula de balanceamento com caudalímetro

Válvula de balanceamento com caudalímetro 258 Válvula de balanceamento com caudalímetro para instalações solares.
Válvula de balanceamento com caudalímetro 258 Válvula de balanceamento com caudalímetro para instalações solares.

258

Válvula de balanceamento com caudalímetro para instalações solares. Leitura directa do caudal. Corpo da válvula e caudalímetro em latão. Cromado. Válvula de esfera para regulação do caudal. Caudalímetro com escala graduada com indicador de caudal de movimento magnético.

Com isolamento. Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura: -30÷130°C. Compatível com misturas com glicol. Pedido de patente N° MI2007A000703.

Código

Campo de caudal (l/min)

258503

3/4”

007

258523

3/4”

07÷28

258603

1”

10÷40

COMPONENTES PARA CIRCUITO SECUNDÁRIO - ÁGUA SANITÁRIA

COMPONENTES PARA CIRCUITO SECUNDÁRIO - ÁGUA SANITÁRIA ACUMULAÇÃO SOLAR 50 60 40 70 30 80 20
ACUMULAÇÃO SOLAR 50 60 40 70 30 80 20 90 °C R E G Válvula
ACUMULAÇÃO
SOLAR
50
60
40
70
30
80
20
90
°C
R
E
G
Válvula desviadora
no circuito secundário
I
Válvula normalmente
fechada
S
T
BSI EN ISO 9001:2000
UNI EN ISO 9001:2000
Cert. n° FM21654
Cert. n°0003
E
R
E
D

7

Misturadoras termostáticas

Misturadoras termostáticas Código 2521 Misturadora termostática regulável para instalações solares. Corpo em liga

Código

2521

Misturadora termostática regulável para instalações solares. Corpo em liga anti-dezincificação

Cromado. Ligações roscadas macho com casquilho. Pressão máx.: 14 bar. Temperatura máx. de entrada: 100°C.

.
.
máx.: 14 bar. Temperatura máx. de entrada: 100°C . . Regulação temperatura Kv (m 3 /h)

Regulação

temperatura

Kv (m 3 /h)

252140

1/2”

30÷65°C

2,6

252150

3/4”

30÷65°C

2,6

30÷65°C 2,6 2521 50 3/4” 30÷65°C 2,6 Código 2521 Misturadora termostática regulável com

Código

2521

Misturadora termostática regulável com válvulas de retenção para instalações solares.

Corpo em liga anti-dezincificação

Cromado. Ligações roscadas macho com casquilho. Pressão máx.: 14 bar. Temperatura máx. de entrada: 100°C.

.
.
máx.: 14 bar. Temperatura máx. de entrada: 100°C . . Regulação temperatura Kv (m 3 /h)

Regulação

temperatura

Kv (m 3 /h)

252153

3/4”

30÷65°C

2,6

Válvula de zona de esfera motorizada, desviadora

2,6 Válvula de zona de esfera motorizada, desviadora 6443 Válvula de zona de esfera motorizada, 3

6443

Válvula de zona de esfera motorizada, 3 vias, desviadora.

Pressão máx. : 10 bar.

Δp máx.: 10 bar. Campo de temperatura: -5÷110°C. Com motor com comando a 3 contactos. Com micro-interruptor auxiliar. Alimentação eléctrica:

230 V. (ac) ou 24 V. (ac). Potência absorvida: 4 VA. Corrente nos contactos auxiliares:

absorvida: 4 VA. Corrente nos contactos auxiliares: 0,8 A (230 V). Campo da temperatura ambiente: 0÷55°C.

0,8 A (230 V). Campo da temperatura ambiente: 0÷55°C. Grau de protecção:

IP 44 (haste de comando vertical). IP 40 (haste de comando horizontal). Tempo de manobra: 40 s (rotação 90°). Comprimento do cabo de alimentação: 100 cm.

Tensão

Código

V Kv (m 3 /h)

644342

1/2”

230

3,9

644352

3/4”

230

3,9

644344

1/2”

24

3,9

644354

3/4”

24

3,9

644353

3/4”

230

8,6

644362

1”

230

9,0

644355

3/4”

24

8,6

644364

1”

24

9,0

55 3/4” 24 8,6 6443 64 1” 24 9,0 Código 2523 Misturadora termostática com cartucho

Código

2523

Misturadora termostática com cartucho substituível para instalações solares. Corpo em latão. Cromado. Ligações roscadas macho com casquilho. Pressão máx.: 14 bar. Temperatura máx. de entrada: 110°C.

Válvula de segurança por temperatura e pressão

110°C . Válvula de segurança por temperatura e pressão 309 Válvula de segurança combinada com válvula

309

Válvula de segurança combinada com válvula de temperatura e pressão. Para protecção das instalações hidro-sanitárias com acumulação. Temperatura de regulação: 90°C. Potência de descarga: 1/2” x Ø 15: 10 kW.

3/4” x Ø 22:

25 kW.

Regulações: 6 - 7 - 10 bar. Certificada segundo a norma EN 1490,

regulações: 7 - 10 bar.

segundo a norma EN 1490, regulações: 7 - 10 bar . Regulação temperatura Kv (m 3
segundo a norma EN 1490, regulações: 7 - 10 bar . Regulação temperatura Kv (m 3

Regulação

temperatura

Kv (m 3 /h)

252340

1/2”

30÷65°C

4,0

252350

3/4”

30÷65°C

4,5

30÷65°C 4,0 2523 50 3/4” 30÷65°C 4,5 2523 Cartucho de substituição. Para misturadora

2523

Cartucho de substituição. Para misturadora termostática série 2523 SOLAR.

Código

252305

 
    Código  
    Código  
 

Código

 

Substituição

309461

1/2” M x Ø 15

6 bar

do cartucho

da misturadora

309471

1/2” M x Ø 15

7 bar

série 2523

309401

1/2” M x Ø 15

10 bar

309561

3/4” M x Ø 22

6 bar

309571

3/4” M x Ø 22

7 bar

309501

3/4” M x Ø 22

10 bar

 
R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

 

8

Cert. n° FM21654

 

Cert. n°0003

Kit de ligação solar - caldeira

264

SOLARNOCAL

Kit de ligação solar - caldeira 264 SOLARNOCAL Função Uma misturadora termostática anti-queimadura, colocada na
Kit de ligação solar - caldeira 264 SOLARNOCAL Função Uma misturadora termostática anti-queimadura, colocada na
Kit de ligação solar - caldeira 264 SOLARNOCAL Função Uma misturadora termostática anti-queimadura, colocada na

Função

Uma misturadora termostática anti-queimadura, colocada na entrada do kit, controla a temperatura da água na chegada da acumulação solar. O termóstato com sonda posicionada na ida da água quente proveniente da acumulação solar comanda a válvula desviadora, colocada na saída do kit. Em função da temperatura definida, a válvula desvia a água entre o circuito de utilização e o da caldeira, sem integração térmica.

Esquemas hidráulicos de funcionamento

FRIA

CALDEIRA MIX M D SOLAR UTILIZAÇÃO
CALDEIRA
MIX
M
D
SOLAR
UTILIZAÇÃO

T SOLAR > 45°C

FRIA

CALDEIRA M D SOLAR UTILIZAÇÃO
CALDEIRA
M
D
SOLAR
UTILIZAÇÃO

T SOLAR < 45°C

Kit de ligação ao acumulador solar com caldeira, sem integração térmica. Constituído por:

- misturadora termostática anti-queimadura regulável com manípulo para instalações solares. Com filtros e válvulas de retenção nas entradas.

- válvula desviadora com servocomando a três contactos. Com micro-interruptor auxiliar.

- termóstato com sonda para instalações solares, para accionamento da válvula desviadora. Led indicador da posição.

- isolamento com borracha pré-formada.

Acoplamento misturadora-válvula com posição regulável das ligações na entrada e saída.

Misturadora Corpo em liga antidezincificação

Pressão máx.: 10 bar. Campo de regulação temperatura: 35÷55°C. Temperatura máx.: 100°C.

Válvula desviadora Corpo em latão. Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura: -5÷110°C.

Servocomando Tipo a três contactos. Alimentação: 230 V (ac). Potência: 4 VA. Corrente nos contactos auxiliares: 0,8 A. Campo de temperatura ambiente: 0÷55°C. Grau de protecção: IP 44 (haste de comando na vertical), IP 40 (haste de comando na horizontal). Tempo de manobra: 40 s (rotação 90°). Comprimento cabo de alimentação: 2 m.

Termóstato com sonda Alimentação: 230 V (ac). Campo de temperatura regulável: 35÷50°C.

Regulação de fábrica: 45°C.

Grau de protecção caixa: IP 65.

.
.

Pedido de patente N° MI2007A000936.

Código

264352 3/4”

Esquema de aplicação kit Solarnocal série 264

FRIAUTILIZAÇÃO

UTILIZAÇÃOFRIA

R CALDEIRA E NÃO MODULANTE G I S 230 V - 5 VA - IP
R
CALDEIRA
E
NÃO
MODULANTE
G
I
S
230 V - 5 VA - IP 65
ENTRADA
FRIA
T
BSI EN ISO 9001:2000
UNI EN ISO 9001:2000
Cert. n° FM21654
Cert. n°0003
E
R
E
D

9

Kit de ligação solar - caldeira

265

SOLARINCAL

Kit de ligação solar - caldeira 265 SOLARINCAL Função O termóstato com sonda posicionada na ida

Função

O termóstato com sonda posicionada na ida da água quente

proveniente da acumulação solar comanda a válvula desviadora, colocada na entrada do kit. Em função da temperatura definida, a

válvula desvia a água entre o circuito de utilização e o da caldeira, com integração térmica. Uma misturadora termostática anti-queimadura, colocada na saída do

kit, controla a temperatura da água enviada à utilização.

Esquemas hidráulicos de funcionamento

FRIA

CALDEIRA M D
CALDEIRA
M
D

MIX SOLAR

T SOLAR > 45°C

FRIA

CALDEIRA M D
CALDEIRA
M
D

MIX SOLAR

T SOLAR < 45°C

Esquema de aplicação kit Solarincal série 265

Kit de ligação ao acumulador solar com caldeira, com integração térmica. Constituído por:

- misturadora termostática anti-queimadura regulável com manípulo para instalações solares. Com filtros e válvulas de retenção nas entradas.

- válvula desviadora com servocomando a três contactos. Com micro-interruptor auxiliar.

- termóstato com sonda para instalações solares, para accionamento da válvula desviadora. Led indicador da posição.

- isolamento com borracha pré-formada.

Acoplamento misturadora-válvula com posição regulável das ligações na entrada e saída.

Misturadora Corpo em liga antidezincificação

Pressão máx.: 10 bar. Campo de regulação temperatura: 35÷55°C. Temperatura máx.: 100°C.

Válvula desviadora Corpo em latão. Pressão máx.: 10 bar. Campo de temperatura: -5÷110°C.

Servocomando Tipo a três contactos. Alimentação: 230 V (ac). Potência: 4 VA. Corrente nos contactos auxiliares: 0,8 A. Campo de temperatura ambiente: 0÷55°C. Grau de protecção: IP 44 (haste de comando na vertical), IP 40 (haste de comando na horizontal). Tempo de manobra: 40 s (rotação 90°). Comprimento cabo de alimentação: 2 m.

.
.

Termóstato com sonda

Alimentação: 230 V (ac). Campo de temperatura regulável: 35÷50°C. Regulação de fábrica: 45°C. Grau de protecção caixa: IP 65.

Pedido de patente N° MI2007A000936.

Código

265352 3/4”

MIX

FRIA

T CALDEIRA MODULANTE ENTRADA FRIA 65IP-VA5-V230
T
CALDEIRA
MODULANTE
ENTRADA
FRIA
65IP-VA5-V230

10

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

BSI EN ISO 9001:2000 UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Cert. n°0003

Módulos complementares para termoacumuladores

SATRB1 - SATRB2

SATRB1

CENTRAL SOLAR AFS IDA CALDEIRA fornecimento externo RETORNO CALDEIRA SERVIZI ELETTRICI Alimentazione elettrica:
CENTRAL
SOLAR
AFS
IDA
CALDEIRA
fornecimento
externo
RETORNO
CALDEIRA
SERVIZI ELETTRICI
Alimentazione elettrica:
Pompa
Sanitario
230
V - 50 Hz
120
W - IP 44
Attenzione:
Componenti in tensione
Togliere l’alimentazione prima di
Riscaldamento
230 V
aprire la scatola
79642
Água quente
Aquecimento
sanitária

Função

O módulo complementar para termoacumulador SATRB regula a necessidade térmica de utilização e a produção da água quente sanitária mediante acumulação individual externa ao módulo complementar (acumulador não fornecido). A principal característica deste módulo complementar para termoacumulador é o facto de garantir a necessidade térmica global (aquecimento / água quente sanitária) através do mesmo líquido termovector, simplificando ao máximo a rede de distribuição geral.

- Funções básicas

· Regulação ON/OFF do aquecimento - Válvula de zona de 3 vias

· Produção de água quente sanitária

· Contabilização do calor

- Funções opcionais

· Contador de água fria sanitária

· Contador de água quente sanitária directa ou pré-aquecida proveniente do acumulador solar

· Transmissão centralizada dos dados, cód. 755000

solar · Transmissão centralizada dos dados, cód. 755000 SATRB2 CENTRAL SOLAR AFS IDA CALDEIRA fornecimento

SATRB2

CENTRAL SOLAR AFS IDA CALDEIRA fornecimento externo RETORNO CALDEIRA SERVIZI ELETTRICI Alimentazione elettrica:
CENTRAL
SOLAR
AFS
IDA
CALDEIRA
fornecimento
externo
RETORNO
CALDEIRA
SERVIZI ELETTRICI
Alimentazione elettrica:
Pompa
Sanitario
230
V - 50 Hz
120
W - IP 44
Attenzione:
Componenti in tensione
Togliere l’alimentazione prima di
Riscaldamento
230 V
aprire la scatola
79642
Água quente
Aquecimento
sanitária

Função

- Funções básicas

· Regulação ON/OFF do aquecimento - Válvula de zona de 2 vias

· Produção de água quente sanitária

· Contabilização do calor

· Autoflow

- Funções opcionais

· Contador de água fria sanitária

· Contador de água quente sanitária directa ou pré-aquecida proveniente do acumulador solar

· Transmissão centralizada dos dados, cód. 755000

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

cód. 755000 R E G I S T E R E D BSI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

11

Módulo complementar de utilização com separação hidráulica

série 792 MO.SE

MO.SE IDA CALDEIRA RETORNO CALDEIRA SERVIZI ELETTRICI Alimentazione elettrica: Pompa Sanitario 230 V - 50
MO.SE
IDA
CALDEIRA
RETORNO
CALDEIRA
SERVIZI ELETTRICI
Alimentazione elettrica:
Pompa
Sanitario
230 V - 50 Hz
120 W - IP 44
Attenzione:
COLD
Componenti in tensione
Togliere l’alimentazione prima di
Riscaldamento
230 V
aprire la scatola
79642
AFS
CENTRAL
SOLAR
fornecimento
externo
Água quente
sanitária
Circuito de
Circuito de
temperatura alta
temperatura baixa
THO

Função

Sempre mais frequentemente, um sistema de aquecimento centralizado implica não apenas a gestão

autónoma da liberdade operativa individual mas também

a liberdade de realizar sistemas de aquecimento

diferentes (radiadores, fan-coil, pavimento radiante). Num sistema centralizado, mas com sistemas mistos, surge portanto a necessidade de controlar de uma forma

diversa a temperatura e o caudal do líquido.

O módulo complementar de utilização com separação

hidráulica e contabilização do calor é a solução mais simples e linear num sistema centralizado autónomo e de controlo dos consumos de cada utilização.

- Funções básicas

· Regulação ON/OFF do aquecimento de temperatura alta e baixa

· Mistura termostática do líquido para circuito de temperatura baixa

· Contabilização do calor

- Funções opcionais

· Contador de água fria sanitária

· Contador de água quente sanitária directa ou pré-aquecida proveniente da acumulação solar, série 7941 ligação vertical

· Transmissão centralizada dos dados, cód. 755000

· Termóstato de supervisão da temperatura baixa, cód. 792585

Módulo complementar com produção de água quente sanitária instantânea com permutador

série SAT77 SOLAR 4 6 7 R 2 5 E 1 6 4 7 2
série SAT77 SOLAR
4
6
7
R
2
5
E
1
6
4
7
2
1
5
3
5
G
5
6
4
1
5
COLD
2
3
SISTEMI
3
7
CALORE
DISPLAYLCD
PUSH
CALEFFI
3
6
CONTECA
3
FAST
Caratteristiche elettriche: 24 VAC
50 Hz 1 W
Batteria
1 x 3 V- 1,8Ah
5
Modulo 755
Nome
TAMB. MAX = 5 -50°C TMAX = 90°C
Classe protezione: IP 42
utente
I
6
4
8
4
4
3
2
8
S
2
2
6
7
Circuito aquecimento
Central térmica
Água
Água fria
Água sanitária
4
pré-aquecida
8
solar
7
4
T
1
9
7
12
3
4
9
5
1
3
5
E
1
9
3
5
0
0
0
2
0
R
8
8
0
2
8
1 2 3 4 5 6
6
6
9
1
6
0
2
E
7
9
1
2 3 4 5 6
9
HOT
7
9
9
7
8
1
0
1
2 3 4 5 6
D
9
1
MAX 712
MIN
0
8
0
CALEFFI
8

Função

O módulo de utilização SAT77 Solar tem a função de

regulação das necessidades térmicas da utilização e

de produção instantânea de água quente sanitária.

Assegura-se a necessidade térmica total

(aquecimento - sanitário) através do mesmo fluido termovector, tornando mais rápida a rede de distribuição. Está previsto o uso para o circuito sanitário quente da

água pré-aquecida por fonte solar, de modo a diminuir

o consumo energético atingido pelo gerador de calor.

- Funções básicas

· Regulação ON/OFF do aquecimento

· Produção instantânea de água quente sanitária

· Mistura termostática de água sanitária

· Utilização de água pré-aquecida por fonte solar

· Contabilização do calor

- Funções opcionais

· Medição da água fria ou pré-aquecida pela acumulação solar

· Medição da água sanitária fria (cód. 794204)

· Transmissão centralizada dos dados (cód. 755000)

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

BSI EN ISO 9001:2000 Cert. n ° FM21654 UNI EN ISO 9001:2000 Cert. n ° 0003
BSI EN ISO 9001:2000 Cert. n ° FM21654 UNI EN ISO 9001:2000 Cert. n ° 0003

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

INFORMAÇÃO TÉCNICA
INFORMAÇÃO TÉCNICA
INFORMAÇÃO TÉCNICA
INFORMAÇÃO TÉCNICA
INFORMAÇÃO TÉCNICA
INFORMAÇÃO TÉCNICA

INFORMAÇÃO TÉCNICA

Purgador de ar automático para instalações solares e válvula de intercepção

série 250

Purgador de ar automático para instalações solares e válvula de intercepção série 250
solares e válvula de intercepção série 250 Função Os purgadores de ar automáticos são utilizados
solares e válvula de intercepção série 250 Função Os purgadores de ar automáticos são utilizados

Função

Os purgadores de ar automáticos são utilizados nos circuitos fechados das instalações solares de forma a permitirem a saída do ar contido no fluido de forma automática, através da acção de um obturador comandado por uma bóia em contacto com o fluido da instalação. As válvulas de intercepção são, por sua vez, normalmente utilizadas conjuntamente com os purgadores de ar automáticos, para os poder interromper após o enchimento do circuito das instalações solares. Estas séries especiais de produtos foram especificamente concebidas para operarem a alta temperatura e com soluções com glicol.

operarem a alta temperatura e com soluções com glicol. Gama de produtos Código 250131 Conjunto constituído

Gama de produtos

Código 250131

Conjunto constituído por purgador de ar e torneira de interpção

para instalações solares

Medida 3/8” M

Código 250300

Válvula de intercepção para purgadores de ar

Medida 3/8” M x 3/8” F

Código 250400

Válvula de intercepção para purgadores de ar

Medida 1/2” M x 1/2” F

para purgadores de ar Medida 1/2” M x 1/2” F Características técnicas purgador série 250 Materiais:

Características técnicas purgador série 250

Materiais:

Corpo:

latão EN 12165 CW614N, cromado

Tampa:

latão EN 12165 CW614N, cromado

Haste de comando:

liga

Haste de comando: liga EN 12164 CW602N

EN 12164 CW602N

Bóia e guia:

polímero de alta resistência

Vedações:

elastómero de alta resistência

Prestações:

Fluido de utilização:

água, soluções com glicol

Percentagem máx. de glicol:

50%

Campo de temperatura de exercício:

-30÷180°C

Pressão máx. de exercício:

10 bar

Pressão máx. de descarga:

5 bar

Ligações:

3/8” M

Dimensões

C Tmax = 180°C / 360°F Pmax = 10 bar / 150 psi A B
C
Tmax = 180°C / 360°F
Pmax = 10 bar / 150 psi
A
B
D

Características técnicas válvulas de intercepcão série 250

Materiais:

Corpo:

Esfera:

Vedações:

Prestações:

Fluido de utilização:

latão EN 12165 CW 617N, cromado latão EN 12164 CW 614N, cromado elastómero de alta resistência

água, soluções com glicol

Percentagem máx. de glicol:

50%

Campo de temperatura de exercício:

-30÷200°C

Pressão máx. de exercício:

10 bar

Ligações:

3/8” M x 3/8” F 1/2” M x 1/2” F

Dimensões

D A A B C
D
A
A
B
C

Código

A

B

C

D

Peso (kg)

Código

A

B

C

D

Peso (kg)

250031

3/8”

97

Ø 55

11

0,32

250300

3/8”

46

8,5

35

0,90

 

250400

1/2”

 

Em preparação

 

14

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

BSI EN ISO 9001:2000 UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Cert. n°0003

Princípio de funcionamento A acumulação de bolhas de ar no corpo da válvula provoca a

Princípio de funcionamento

A acumulação de bolhas de ar no

corpo da válvula provoca a descida da bóia e, consequentemente, a abertura do obturador.

Este fenómeno, e por isso o correcto funcionamento da válvula,

é garantido até que a pressão da água permaneça abaixo da pressão máxima de descarga.

água permaneça abaixo da pressão máxima de descarga. Particularidades construtivas Resistência à temperatura O

Particularidades construtivas

Resistência à temperatura

O elevado desempenho desta série de purgadores de ar

automáticos, alías necessários nas instalações solares, é garantido

pela utilização de materiais particularmente resistentes à temperatura.

De facto, estes permitem manter as características funcionais da

válvula com temperaturas de água com glicol até aos 180°C.

Características hidráulicas

Capacidade de descarga (na fase de enchimento da instalação)

1,2 1,1 1 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0 0,5 1,5
1,2
1,1
1
0,9
0,8
0,7
0,6
0,5
0,4
0,3
0,2
0,1
0
0,5
1,5
2,5
3,5
4,5
5,5
6,5
0
1
2
34567
Nl/s

bar

(ar) Tmax = = 10 180°C 360°F bar / / 150 psi Pmax Tmax =
(ar)
Tmax = = 10
180°C
360°F
bar / / 150
psi
Pmax
Tmax = 180°C / 360°F
Pmax = 10 bar / 150 psi
Tmax = = 10
180°C
360°F
bar / / 150
psi
Pmax
F°360/C°180=maxT
psi150/bar10=maxP

Instalação

Os purgadores de ar automáticos série 250 devem ser instalados na posição vertical,

normalmente no topo dos painéis das instalações solares e nos

pontos do circuito onde se recolhem as bolhas de ar, que devem ser expelidas.

A sua instalação deve ser sempre efectuada conjuntamente com

uma válvula de intercepção. Esta é necessária, dado que os purgadores de ar devem ser interrompidos após a sua utilização para eliminar o ar na fase de enchimento e de arranque da instalação.

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Manutenção

O

purgador de ar automático série 250 foi

O purgador de ar automático série 250 foi

concebido de forma a permitir efectuar o

controlo do mecanismo interno.

O

acesso aos órgãos em movimento que

comandam a purga do ar obtém-se simplesmente retirando a tampa superior. Antes do dispositivo série 250 deve ser instalada uma válvula de intercepção para simplificar eventuais operações de manutenção, e para a interceptação após a fase de enchimento.

Tmax = 180°C / 360°F Pmax = 10 bar / 150 psi
Tmax = 180°C / 360°F
Pmax = 10 bar / 150 psi
 
 
Esquema de aplicação Tmax = 180°C / 360°F Pmax = 10 bar / 150 psi
Esquema de aplicação
Tmax = 180°C / 360°F
Pmax = 10 bar / 150 psi
Tmax = 180°C / 360°F
Pmax = 10 bar / 150 psi
/ 360°F Pmax = 10 bar / 150 psi Tmax = 180°C / 360°F Pmax =

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

15

Válvula de segurança para instalações solares

série 253

Válvula de segurança para instalações solares série 253
de segurança para instalações solares série 253 Gama de produtos Série 253 Válvula de segurança para

Gama de produtos

Série 253 Válvula de segurança para instalações solares

Geral

As válvulas de segurança são fabricadas pela Caleffi em conformidade com os requisitos essenciais de segurança ditados pela Directiva 97/23/CE do Parlamento Europeu e do Conselho da União Europeia para a reaproximação dos Estados-membros em matéria de equipamentos de pressão.

Função

As válvulas de segurança são utilizadas para o controlo da pressão nos circuitos primários das instalações solares. Quando se atinge a pressão de regulação, a válvula abre-se e, através da descarga, impede que a pressão da instalação atinja limites perigosos para o funcionamento dos colectores solares e do equipamento montado.

Esta particular série de produtos foi especificamente concebida e certificada para operar a altas temperaturas e com soluções com glicol.

1115
1115

Medida 1/2” F x 3/4” F

e com soluções com glicol. 1115 Medida 1/2” F x 3/4” F Características técnicas   Dimensões

Características técnicas

 

Dimensões

 

Materiais:

 

Corpo

latão, EN 12165 CW 617N, cromado latão, EN 12165 CW617N elastómero de alta resistência aço UNI 3823

 

Haste comando:

 

Vedação obturador:

 
A E D B C
A
E
D
B
C
 

Mola:

Manípulo comando:

 

PA6G30

Fluido de utilização:

 

água, soluções com glicol

 

Percentagem máx de glicol:

 

50%

Pressão nominal:

 

PN 10

Campo de temperatura:

 

-30÷160°C

Categoria PED:

 

IV TÜV segundo SV100 7.7 N° TÜV 07 2009 • SOL • 50 • p 1/2” F x 3/4” F

 

Homologação:

Ligações:

Prestações:

 

Sobrepressão de descarga:

 

10%

Atraso de fecho:

 

20%

 

Potência de descarga:

 

50 kW

Código

253042

253043

253044

253046

253048

253040

 

Código

A

B

C

D

E

Peso (kg)

Regulação

2,5 bar

3 bar

4 bar

6 bar

8 bar

10 bar

25304.

1/2"

3/4"

24

70

33,5

0,22

 

BSI EN ISO 9001:2000

 

UNI EN ISO 9001:2000

 

16

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

Cert. n° FM21654

16 R E G I S T E R E D Cert. n ° FM21654 Cert.

Cert. n°0003

Princípio de funcionamento O obturador (1) impelido por uma mola calibrada (2), levanta-se quando se

Princípio de funcionamento

O obturador (1) impelido por uma

mola calibrada (2), levanta-se

quando se atinge a pressão de regulação e abre completamente a passagem de descarga.

A pressão de regulação é

escolhida em função da pressão

máxima permitida na instalação.

O diâmetro da ligação à saída (3) é

maior para favorecer a descarga da potencialidade pedida. Quando diminui a pressão, verifica-se a acção inversa, com o consequente fecho da válvula dentro das tolerâncias impostas.

2 1 3
2
1
3

Particularidades construtivas

Temperatura e glicol

Nas instalações solares, ao fluido termovector do circuito primário

é acrescentado glicol, e opera a alta temperatura; para ter em

conta estas condições especiais de funcionamento, a guarnição

do obturador da válvula de segurança é em elastómero de alta

resistência. O manípulo é em material plástico particularmente resistente ao aumento da temperatura e aos raios UV, no caso de instalações no exterior.

Cromagem

O corpo da válvula é cromado para a proteger da agressividade

dos agentes atmosféricos, em caso de instalações externas das instalações solares.

Certificação

As válvulas de segurança série 253 são certificadas para a

utilização específica em instalações solares pela entidade certificadora TÜV, segundo a norma SV 100 Ed. 10.01 par. 7.7.

Instalação

As válvulas de segurança para instalações solares devem ser

instaladas perto do ponto do circuito no qual é efectuado o enchimento da instalação, antes do vaso de expansão. Prestar atenção para que não haja interposição de nenhum

dispositivo de interceptação entre a válvula e o resto da instalação. As válvulas de segurança podem ser montadas na posição vertical ou horizontal, mas não viradas ao contrário. Deste modo, evita-se que o depósito de impurezas prejudique o funcionamento correcto.

A válvula de segurança deve ser instalada seguindo o sentido de

fluxo indicado pela seta presente no corpo da válvula.

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D
presente no corpo da válvula. R E G I S T E R E D BSI

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Condução da descarga

A tubagem de descarga da válvula de segurança deve ser

concebida de forma a não impedir a normal funcionalidade das

válvulas, e a não criar danos a pessoas ou bens. Em conformidade com as normativas em vigor, a descarga da

válvula de segurança deve ser visível e conduzida em tubagem de recolha

apropriada.

O fluido com glicol deve ser assim

conduzido para um recipiente de

recolha adequado.

Como evidenciado no esquema

apresentado, é aconselhável a

instalação de um funil directamente

na tubagem de descarga.

de um funil directamente na tubagem de descarga. Esquema de aplicação UNI EN ISO 9001:2000 Cert.

Esquema de aplicação

de um funil directamente na tubagem de descarga. Esquema de aplicação UNI EN ISO 9001:2000 Cert.
de um funil directamente na tubagem de descarga. Esquema de aplicação UNI EN ISO 9001:2000 Cert.

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

17

Grupos de circulação

série 255 - 256

Grupos de circulação série 255 - 256

Série 255

Função

2 8 12 3 2 4 4 1 5 0 6 7 80 80 60
2
8
12
3
2
4
4
1
5
0
6
7
80
80
60
100
60
100
40
120
40
120
3
20
140
20
140
0
160
0
160
10
11
9
1
6
3
5
5
4
3
2
1
0

O grupo de circulação é utilizado no circuito primário dos

instalações solares para a regulação da temperatura no interior do acumulador.

O circulador no interior do grupo é activado pelo sinal proveniente

do regulador de temperatura diferencial. Além disso, no mesmo

grupo, estão inseridos os dispositivos de segurança e funcionais

para o controlo óptimo do circuito.

Gama de produtos

Série 255

Grupo de circulação para instalações solares,

ligação de entrada e retorno. Medidas 3/4” F - 1” M

Série 256

Grupo de circulação para instalações solares,

ligação de retorno. Medida 3/4” F

Cód. 255001

Kit de ligação para vaso de expansão

 

Características técnicas

Líquido utilizado:

água, soluções de glicol

Percentagem máx. de glicol:

50%

 

Pressão máx. de funcionamento:

10 bar

Campo de temperatura da válvula de segurança:

-30÷160°C

Série 256

2 8 12 3 2 4 4 1 5 0 6 10 80 60 100
2
8
12
3
2
4
4
1
5
0
6
10
80
60
100
40
120
3
20
140
0
160
9
11
1
3
5
5
4
3
2
1
0

Componentes característicos

Regulação da válvula de segurança:

6 bar

(para outras regulações, ver série 253)

Escala do caudalímetro:

1÷13 l/min (cód. 255056, 256056) 8÷30 l/min (cód. 255156) 5÷40 l/min (cód. 255166)

Temperatura máx. do caudalímetro:

120°C

Escala do termómetro:

0÷160°C

Ligações:

3/4” F

Esquema de aplicação

CALEFFI °C -00 - + Sonda ON AC 24V 50Hz AC 230V 6(2)A T50 3
CALEFFI
°C
-00
-
+
Sonda
ON
AC 24V
50Hz
AC 230V
6(2)A
T50
3
2
4
1
5

DE/PARASonda ON AC 24V 50Hz AC 230V 6(2)A T50 3 2 4 1 5 CALDEIRA 0

CALDEIRAON AC 24V 50Hz AC 230V 6(2)A T50 3 2 4 1 5 DE/PARA 0 6

0 6 80 80 60 100 60 100 40 120 40 120 20 140 20
0
6
80
80
60
100
60
100
40
120
40
120
20
140
20
140
0
160
0
160
5
4
3
2
1
0

11) Circulador Grundfos Solar 15-60 12) Válvula de segurança para instalações solares série 253 13) Torneira de carga/descarga 14) Adaptador porta-instrumentos com manómetro 15) Regulador do caudal com caudalímetro 16) Purgador de ar 17) Termómetro de ida 18) Termómetro de retorno 19) Isolamento com borracha pré-formada 10) Válvula de intercepção com retenção 11) Kit de ligação ao vaso de expansão (opcional) 12) Tampa 3/4” (para ser utilizada no caso de se não instalar o vaso de expansão)

18

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

BSI EN ISO 9001:2000 UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Cert. n°0003

Regulador de temperatura diferencial

série 257

Regulador de temperatura diferencial série 257
1 2 Diff. T-Soll 3 TF TF N L SH 1 2 5 6 4
1
2
Diff. T-Soll
3
TF
TF
N
L
SH
1
2
5
6
4
Componentes característicos

1) Visor indicador da temperatura diferencial e temperatura de cada sonda 2) Potenciómetro para programação do valor da temperatura diferencial de intervenção 3) Tecla para selecção da visualização dos parâmetros de funcionamento 4) Ligação às sondas de temperatura 5) Alimentação eléctrica 6) Saída do relé

Esquema de aplicação

CALEFFI °C -00 - + Sonda ON AC 24V 50Hz AC 230V 6(2)A T50 3
CALEFFI
°C
-00
-
+
Sonda
ON
AC 24V
50Hz
AC 230V
6(2)A
T50
3
2
4
1
5

DE/PARASonda ON AC 24V 50Hz AC 230V 6(2)A T50 3 2 4 1 5 CALDEIRA 0

CALDEIRAON AC 24V 50Hz AC 230V 6(2)A T50 3 2 4 1 5 DE/PARA 0 6

0 6 80 80 60 100 60 100 40 120 40 120 20 140 20
0
6
80
80
60
100
60
100
40
120
40
120
20
140
20
140
0
160
0
160
5
4
3
2
1
0
R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Função

O regulador adquire os sinais de temperatura provenientes das

sondas posicionadas na saída do painel e no acumulador.

O regulador calcula a diferença entre as duas temperaturas e, por

comparação com o valor programado, comanda a bomba de circulação do circuito primário solar.

Gama de produtos

Cód. 257020

Regulador de temperatura diferencial para instalações solares, com saída em relé com caixa, sonda de imersão com baínha

com saída em relé com caixa, sonda de imersão com baínha Características técnicas Alimentação eléctrica: 230

Características técnicas

Alimentação eléctrica:

230 V ± 6%-50 Hz

Absorção nominal:

Caudal dos contactos em comutação:

1,45 VA 6 A (230 V)

Campo ΔT programável:

2÷20 K

Histerese:

2 K (± 1 K)

Temperatura ambiente:

T50

Teste de isolamento:

4 kV

Dimensões:

3 TE (DIN 43880)-3 posições da barra DIN

Sondas de temperatura

O regulador pode ser combinado com sondas de temperatura de

contacto ou de imersão.

com sondas de temperatura de contacto ou de imersão. Montagem O regulador está preparado para a
Montagem
Montagem
sondas de temperatura de contacto ou de imersão. Montagem O regulador está preparado para a montagem

O regulador está preparado para a montagem na barra DIN, em

caixa de contenção ou armário eléctrico.

3 2 1
3 2 1
3
2
1
a montagem na barra DIN, em caixa de contenção ou armário eléctrico. 3 2 1 UNI

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

19

Termóstato de controlo da integração e válvulas desviadoras

série 257

Termóstato de controlo da integração e válvulas desviadoras série 257
5 1 50 60 40 70 30 80 20 90 °C N L SH X
5
1
50
60
40
70
30
80
20
90
°C
N
L
SH
X TF
2
7
3
6
4
Componentes característicos

1) Selector para programar a temperatura de intervenção do termóstato 2) Alimentação eléctrica 3) Saída do relé de activação 4) Ligação às sondas de temperatura 5) LED de indicação do funcionamento do termóstato 6) Saída de alarme em caso de anomalia da sonda 7) Caixa IP 65, com barra DIN

Função

O termóstato controla a temperatura no acumulador e activa a

integração térmica por fontes de energia alternativa à solar (caldeiras, energia eléctrica, etc.). Além disso, pode controlar as válvulas desviadoras nos painéis solares de circulação natural para um melhor aproveitamento até da mínima energia disponível.

Gama de produtos

Cód. 257030

Termóstato para instalações solares com saída de relé. Para o controlo da integração térmica e válvulas desviadoras. Com caixa e sonda de contacto.

Cód. 150006

Sonda de imersão

Cód. 150029

Baínha para sonda de imersão

Cód. 150 029 Baínha para sonda de imersão Características técnicas Alimentação eléctrica: 230

Características técnicas

Alimentação eléctrica:

230 V ± 6% - 50 Hz

Consumo nominal:

1,45 VA

Corrente dos contactos em comutação:

6 A (230 V)

Campo de temperatura:

20÷90°C

Histerese:

1 K

Temperatura ambiente máx.:

50°C

Contacto de saída de alarme:

24 V / 20 mA

Teste de isolamento:

4 kV

Dimensões:

3 DIN

Sondas de temperatura

Esquema de aplicação O termóstato pode ser montado em conjunto com sondas de temperatura de
Esquema de aplicação
O termóstato pode ser montado em conjunto com sondas de
temperatura de contacto (1) ou de imersão (2).
R
E
Montagem
50
60
40 70
30 80
90
20 °C
G
O termóstato está preparado para a montagem na barra DIN, numa
caixa ou num armário eléctrico.
712
MIN
MAX
CALEFFI
HOT
3
I
T
Desviadora
2
S
no circuito
1
secundário
Válvula normalmente fechada
T
BSI EN ISO 9001:2000
UNI EN ISO 9001:2000
20
Cert. n° FM21654
Cert. n°0003
E
R
E
COLD
D

Contador de calor directo Transmissão M bus

série 75525

Contador de calor directo Transmissão M bus série 75525
1 3 4 M07 1259 07185865 2 Componentes característicos
1
3
4
M07 1259
07185865
2
Componentes característicos

1) Contador de calor directo Conteca Solar com visor de cristais líquidos 2) Medidor de caudal com turbina 3) Sondas de temperatura ida/retorno 4) Adaptadores para sonda de temperatura

Esquema de aplicação

Função

O contador de calor Conteca Solar é um contador directo da

energia térmica recuperada por fonte solar. O mesmo permite a leitura simplificada dos dados instantâneos úteis para

conhecimento do estado de funcionamento do sistema solar, bem

como dos dados de consumo e do respectivo histórico.

O contador foi concebido para a transmissão centralizada (no

máximo 250 módulos) no modo M bus. Além disso, é possível

efectuar a interface com sistemas de supervisão mediante uma saída impulsiva térmica (opcional 755881).

O tipo da misturadora de caudal utilizado é de turbina e é idóneo

a utilização de misturas com glicol.

Gama de produtos

Série 75525

Conteca Solar monojacto Conteca Solar multijacto

medidas 1/2”, 3/4” medidas 1”

Conteca Solar multijacto medidas 1/2”, 3/4” medidas 1” Características técnicas Alimentação eléctrica: 24 V

Características técnicas

Alimentação eléctrica:

24 V (ac) - 50 Hz - 1 W

Líquido utilizado:

água, soluções com glicol

Percentagem máx. de glicol:

40%

Valores-limite do campo de temperatura

5÷120°C

Transmissão dos dados:

Conforme as normas:

Protecção anti-manipulação

Caudais nominais (Qnom):

segundo modalidade M Bus EN 1434 EN 1434

1/2”: 1,5 m 3 /h 3/4”: 2,5 m 3 /h 1”: 3,5 m 3 /h

1/2”÷1” com casquilho dois adaptadores em ”Y” 2,5 m

Ligações do contador volumétrico:

Ligações para sondas térmicas:

Sondas de temperatura, comprimento:

M07 1259 07185865 M07 1259 07185865
M07 1259
07185865
M07 1259
07185865
R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

07185865 R E G I S T E R E D BSI EN ISO 9001:2000 Cert.

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n°0003

21

Misturadoras termostáticas reguláveis para instalações solares

série 2521

Misturadoras termostáticas reguláveis para instalações solares série 2521
reguláveis para instalações solares série 2521 Função A misturadora termostática é utilizada nas

Função

A misturadora termostática é utilizada nas instalações de produção

de água quente para uso higiénico-sanitário.

A sua função é manter constante, no valor seleccionado, a

temperatura da água misturada enviada à utilização, mesmo se as condições de temperatura e de pressão de alimentação da água quente e fria na entrada variarem e ainda que o caudal solicitado pela utilização também varie. Esta particular série de misturadoras pode funcionar, em serviço contínuo, com as elevadas temperaturas da água quente de entrada proveniente da acumulação solar.

Gama de produtos Código 252140/50 COLD Código 252153 Misturadora termostática regulável para instalações solares
Gama de produtos
Código 252140/50
COLD
Código 252153
Misturadora termostática regulável para instalações solares
Misturadora termostática regulável com válvulas de retenção nas entradas para instalações solares
Medidas 1/2”, 3/4”
Medida 3/4"
Características técnicas
Materiais:
Corpo:
liga antidezincificação
Temperatura máx. de entrada:
Molas:
Elementos de vedação:
EN 12165 CW602N, cromado
PSU
aço inox
EPDM
100°C
Obturador:
Relação máxima entre as pressões de entrada (Q/F ou F/Q):
2:1
Diferença mínima de temperatura entre a entrada de
Campo de regulação:
30÷65°C
água quente e a saída de água misturada para assegurar
Precisão:
±2°C
o
melhor desempenho:
15°C
Caudal mínimo para assegurar uma temperatura estável:
5 l/min
Pressão máx. exercício (estática):
14 bar
Pressão máx. exercício (dinâmica):
5 bar
Ligações:
- versão standard:
Pressão mínima exercício (dinâmica):
0,2 bar
- versão com retenção:
- 1/2” e 3/4” M com casquilho
- 3/4” M com casquilho
C
C
B
B
B
B
R
E
2
1
MIN
MAX
7
2
1
MIN
MAX
7
COLD
G
MIX
MIX
I
A
S
A
Código
A
B
C
D
E
F
Peso (kg)
252140
1/2”
67
134
152
86,5
65,5
1,11
Código
A
B
C
D
E
F
Peso (kg)
252150
3/4”
67
134
152
86,5
65,5
1,12
252153
3/4”
71,5
143
156,5
91
65,5
1,21
T
BSI EN ISO 9001:2000
UNI EN ISO 9001:2000
22
Cert. n° FM21654
Cert. n°0003
E
R
D
FE
A
E
HOT
D
A
D
FE
A
HOT
A
Instalações solares - temperaturas elevadas Nas instalações solares com circulação por termossifão e com depósito,

Instalações solares - temperaturas elevadas

Nas instalações solares com circulação por termossifão e com depósito, a temperatura da água sanitária contida na acumulação pode variar notavelmente em função da irradiação solar e atingir valores muito elevados durante longos períodos. Acontece, de facto, com muita frequência que, em pleno Verão e com consumos reduzidos, a água quente de saída da acumulação atinja temperaturas de cerca de 98°C antes de serem accionadas as válvulas de descarga de segurança de temperatura e de pressão.

Além disso, a estas temperaturas, a água quente não pode ser utilizada directamente, dado o perigo de poder provocar queimaduras nos utilizadores. Temperaturas superiores a 50°C podem provocar queimaduras de forma muito rápida. Por exemplo, a 55°C é provocada uma queimadura parcial em cerca de 30 segundos, enquanto que a 60°C

é provocada uma queimadura parcial em cerca de 5 segundos.

Torna-se, assim, necessário instalar uma misturadora termostática que seja capaz de:

reduzir a temperatura da água distribuída na instalação sanitária a um valor inferior ao de armazenamento e utilizável para consumo. Por motivos de segurança, recomendamos que se regule a temperatura da água misturada e enviada ao utilizador para valores não superiores a

e enviada ao utilizador para valores não superiores a 50°C. • manter constante a temperatura da

50°C.

manter constante a temperatura da água misturada, sejam quais forem as variações ocorridas nos valores das temperaturas e pressões de entrada.

funcionar e manter o desempenho ao longo do tempo, sem problemas devido à contínua e elevada temperatura da água quente de entrada.

garantir uma maior duração da água acumulada a alta temperatura, distribuindo pela rede água a uma temperatura já reduzida.

Princípio de funcionamento

O elemento regulador da misturadora termostática é um sensor de temperatura completamente imerso na conduta de saída da água misturada

que, com a sua dilatação ou contracção, estabelece continuamente a proporção correcta entre as quantidades de água quente e fria que

devem entrar. A regulação destes fluxos é garantida por meio de um pistão que desliza
devem entrar.
A
regulação destes fluxos é garantida por meio de um pistão
que desliza num cilindro específico entre as entradas das
águas quente e fria.
Mesmo quando se verificam quedas de pressão devidas aos
consumos de água quente ou fria noutros pontos de utilização
ou
uma variação das temperaturas de entrada, a misturadora
regula automaticamente os caudais de água de entrada de
modo a manter a temperatura pretendida.
Particularidades construtivas
R
Elevada resistência à temperatura
Os
componentes que constituem o grupo interno de regulação
E
são fabricados para resistir e para manter o desempenho da
misturadora com temperaturas da água quente de entrada até
100°C, em exercício contínuo.
G
Materiais anti-calcário
Os materiais utilizados no fabrico da misturadora eliminam os
problemas de funcionamento causados pelas incrustações de
calcário. Todas as partes funcionais, tais como o obturador, as
entradas e as superfícies de passagem, são fabricadas com
um material anti-calcário especial, de baixo coeficiente de
atrito, que garante a manutenção do desempenho ao longo do
tempo.
I
S
Regulação da temperatura e sua fixação
O
manípulo de comando permite uma regulação da temperatura, entre um
mínimo e um máximo, numa volta completa (360°). É também dotado de um
sistema anti-manipulação para a fixação do valor pretendido para a temperatura.
MISTURADA
T
BSI EN ISO 9001:2000
UNI EN ISO 9001:2000
Cert. n° FM21654
Cert. n°0003
23
E
R
E
D
QUENTE
FRIA

Misturadoras termostáticas reguláveis para instalações solares

série 2521

Misturadoras termostáticas reguláveis para instalações solares série 2521

(l/min) (m 3 /h)

Características hidráulicas

Válvulas de retenção

Δp (bar)

1,5

1,0

0,5

0,3

0,2

0,1

0,05

Δp (m c.a.)

Nas instalações com misturadoras termostáticas devem instalar-se

15 válvulas de retenção para evitar circulações e retornos indesejáveis. As misturadoras termostáticas também estão disponíveis na versão

10 com válvulas de retenção incorporadas nas entradas quente e fria.

de retenção incorporadas nas entradas quente e fria. 5 Colocação em funcionamento Dadas as específicas

5 Colocação em funcionamento

Dadas as específicas utilizações das misturadoras termostáticas, o

3 seu arranque deve ser efectuado segundo as normas vigentes por

2 pessoal qualificado utilizando instrumentos adequados para o controlo da temperatura. Aconselha-se o uso de um termómetro

digital para medir a temperatura da água misturada.
1

Regulação da temperatura

A regulação da temperatura para o valor desejado é efectuada no

manípulo da válvula que tem uma escala graduada para o efeito.

0,5

0,2 5 0,5 10 1 20 2 50 5 Caudal
0,2
5
0,5
10
1
20
2
50
5
Caudal

Kv = 2,6 (m 3 /h)

Utilização

As misturadoras termostáticas Caleffi da série 2521 são normalmente instaladas na saída da acumulação de água quente solar, para garantir o nível constante da temperatura da água misturada distribuída. As misturadoras termostáticas da série 2521, dadas as características de caudal, podem ser instaladas para controlar a temperatura tanto em instalações simples (Ex.: lavabo, bidé, duche), como em instalações múltiplas. Para garantir a disponibilidade de água misturada à temperatura estabelecida, as misturadoras termostáticas devem ter um caudal mínimo de 5 l/min.

Instalação

Antes da instalação da misturadora, deve efectuar-se a limpeza das tubagens para evitar que as impurezas em circulação prejudiquem o seu desempenho. Aconselha-se sempre a instalação de filtros adequados nas entradas de água da rede. As misturadoras termostáticas da série 2521 devem ser instaladas segundo os esquemas de instalação apresentados no manual de instruções ou no presente catálogo. As misturadoras termostáticas da série 2521 podem ser instaladas em qualquer posição, vertical ou horizontal. No corpo da misturadora estão bem marcadas:

a entrada da água quente a vermelho e com a palavra “HOT”

a entrada da água fria a azul e com a palavra “COLD”

a saída de água misturada com a palavra “MIX”.

Tabela de regulação da temperatura

Posição

Mín.

 

1234567

         

Máx.

T (°C)

27

32

38

44

49

53

58

63

67

Condições de referência:

Tquente = 68°C Tfria = 13°C Pressões de entrada da quente e da fria = 3 bar

Fixação da regulação

Uma vez efectuada a regulação, é possível fixar a temperatura no valor definido utilizando o manípulo de manobra. Para realizar essa operação, é necessário desapertar o parafuso de fixação situado na parte superior do manípulo, retirar o manípulo e recolocá-lo de modo a que o encaixe interno enfie directamente na saliência existente na anilha porta-manípulo.

7 X A M N I M 1 2 3
7
X
A
M
N
I
M
1
2
3

24

R E G I S T E R E D
R
E
G
I
S
T
E
R
E
D

BSI EN ISO 9001:2000

BSI EN ISO 9001:2000 UNI EN ISO 9001:2000

UNI EN ISO 9001:2000

Cert. n° FM21654

Cert. n°0003

Esquemas de aplicação - Instalação com compensação térmica Válvula de corte T Redutora de pressão

Esquemas de aplicação - Instalação com compensação térmica

Válvula de corte T Redutora de pressão Funil de descarga Válvula de retenção Válvula de
Válvula de corte
T
Redutora de pressão
Funil de descarga
Válvula de retenção
Válvula de segurança T/P
HOT
Termómetro
Vaso de expansão
T
Válvula desviadora
automatica
Termostato
T
Bomba
Válvula
Válvula de segurança
normalmente fechada
712
MIN
MAX
CALEFFI
COLD

Instalação com compensação térmica e recirculação

Instalação com compensação térmica e recirculação T 712 MIN MAX CALEFFI R E HOT G T
T 712 MIN MAX CALEFFI R E HOT G T I S Válvula normalmente fechada
T
712
MIN
MAX
CALEFFI
R
E
HOT
G
T
I
S
Válvula
normalmente fechada
T
BSI EN ISO 9001:2000
UNI EN ISO 9001:2000
Cert. n° FM21654
Cert. n°0003
E
R
E
COLD
D

25

Válvulas de esfera motorizadas

série 6442 - 6443 - 6444

Válvulas de esfera motorizadas série 6442 - 6443 - 6444

Série 6442

esfera motorizadas série 6442 - 6443 - 6444 Série 6442 Gama de produtos Série 6443 Série

Gama de produtos

Série 6443

6442 - 6443 - 6444 Série 6442 Gama de produtos Série 6443 Série 6444 Função As

Série 6444

- 6444 Série 6442 Gama de produtos Série 6443 Série 6444 Função As válvulas de esfera

Função

As válvulas de esfera motorizadas permitem o corte automático dos circuitos hidráulicos nos instalações de climatização e solares.

As válvulas de esfera motorizadas possuem ausência de estrangulamentos, tempos de manobra curtos (abertura - fecho da válvula), capacidade de funcionamento com pressões diferenciais elevadas, baixas perdas de carga. Estão também equipadas com actuador adaptável a qualquer tipo de comando de 3 contactos para um controlo completo na fase de abertura e fecho.

Conformidade com as directivas europeias

Marcação CEE directivas 89/336 CEE e 73/23 CEE.

europeias Marcação CEE directivas 89/336 CEE e 73/23 CEE. Série 6442 Válvula de zona de esfera

Série 6442

Válvula de zona de esfera com duas vias motorizada com comando de 3 contactos

Série 6443

Válvula de zona de esfera com três vias de desvio motorizada com comando de 3 contactos

Série 6444

Válvula de zona de esfera com três vias com T de by-pass telescópico motorizada com comando de 3 contactos

by-pass telescópico motorizada com comando de 3 contactos   FURAÇÃO EM "T" Utilização On/Off e
 

FURAÇÃO EM "T" Utilização On/Off e modulante Rotação de 90º

 
A B A B

A

A B A B

B

A B A B

A

A B A B

B

 

AB

 

AB

Características técnicas

Líquidos utilizados:

água, soluções de glicol

Percentagem máx. de glicol:

50%

Pressão máx. de funcionamento:

10 bar

Campo de temperatura:

-5÷110°C

Pressão diferencial máxima:

10 bar

Ligações:

1/2”, 3/4 e 1” M com casquilho

Motor síncrono

Alimentação eléctrica:

230 V (± 10%), 24 V (± 10%) - 50÷60 Hz

Potência absorvida:

4 VA

Corrente máxima no micro-interruptor auxiliar:

0,8 A (230 V)

712 MIN MAX CALEFFI CALEFFI Grau de protecção: IP 44 (horizontal) - IP 40 (vertical)
712
MIN
MAX
CALEFFI
CALEFFI
Grau de protecção:
IP 44 (horizontal) - IP 40 (vertical)
Tempo de manobra:
40 s
Campo de temperatura ambiente:
0÷55°C
Binário de arranque dinâmico:
8 N·m
Comprimento do cabo de alimentação:
100 cm
Esquema de aplicação
R
T
E
G
I
T
Válvula desviadora para
circuito secundário
S
Válvula normalmente
fechada
T
BSI EN ISO 9001:2000
UNI EN ISO 9001:2000
26
Cert. n° FM21654
Cert. n°0003
E
R
E
D

Regulador de pressão diferencial

série 140 - 142

Regulador de pressão diferencial série 140 - 142
Regulador de pressão diferencial série 140 - 142 Função O regulador de pressão diferencial mantém constante,

Função

O regulador de pressão diferencial mantém constante, no valor

programado, a diferença de pressão existente entre dois pontos de um circuito hidráulico.

O dispositivo deve ser inserido na tubagem de retorno do circuito

com ligação, mediante um tubo capilar, à válvula montada na tubagem de ida. É utilizado nos sistemas de caudal variável, com válvulas de duas

vias termostáticas ou motorizadas, para limitar o aumento da

pressão diferencial gerada após o fecho, parcial ou total, das

mesmas.

Gama de produtos

Série 140

Regulador de