Você está na página 1de 6

IFRN – Campus Natal Tirol

Aluno(a)
2º ano Série: Professor Data

Mat.
Turma André Mendes Disciplina Turno História Geral Tema: Grécia Antiga.

A Civilização Grega: Período Homérico 1 – Introdução/Características Geográficas: 1.1 – A Grécia desempenhou um papel importante na gênese cultural da Civilização Ocidental, pois foi dela que herdamos a filosofia e uma enorme gama de conhecimentos científicos além de padrões estéticos de arte e beleza. Os gregos também criaram o conceito de Democracia, o governo exercido pelos cidadãos. 1.2 – A Grécia Antiga podia ser dividida em 3 regiões: - Grécia Continental: sul da Península Balcânica, incluindo a Ática e o Peloponeso. - Grécia Insular: as ilhas do mar Egeu, incluindo Creta. - Grécia Asiática: litoral da Ásia Menor (atual Turquia). Posteriormente, o território grego foi ampliado com a fundação de diversas colônias situadas em pontos diversos dos mares Mediterrâneo e Negro. 1.3 – O solo grego em geral é árido e pedregoso, o que dificultava a agricultura; o relevo é montanhoso e acidentado, dificultando a comunicação e favorecendo o desenvolvimento de comunidades isoladas. 1.4 – O litoral grego é muito recortado e conta com bons portos naturais, favorecendo a comunicação por via marítima. 2 – Povoamento da Grécia: 2.1 – Cretenses: a origem da civilização grega está ligada à ilha de Creta. Lá havia se desenvolvido uma sociedade baseada no comércio com as regiões vizinhas. - Até 2.000 a.C. dominou vastas áreas do Mediterrâneo Oriental. - Eram governados por um rei (cujo título era Minos), auxiliado por uma elite comercial e marítima (Talassocracia = governo do mar). - Importante participação das mulheres, que tinham praticamente os mesmos direitos que os homens. Isso pode ser visto inclusiva na sua religião, cuja deusa principal era a Grande Mãe.

2.2 – Pelasgos: habitantes primitivos da Grécia, estavam organizados em várias comunidades coletivistas. 2.3 – As Invasões dos povos indo-europeus: - Aqueus (entre 2000 e 1700 a.C.) – derrotaram os cretenses e fundaram a cidade de Micenas, continuadora da civilização Cretense (Civilização Creto-Micênica). Incorporação de valores cretenses, apesar do patriarcalismo. - Eólios e Jônios (entre 1700 e 1400 a.C.) – neste período, a civilização cretomicênica chega ao seu apogeu. - Dórios (cerca de 1200 a.C.) – povo essencialmente guerreiro, sua invasão à Grécia correspondeu a destruição da civilização micênica e ao retrocesso tecnológico da região, que volta efetivamente à Idade dos Metais. Obs: Fugindo dos Dórios, vários grupos populacionais fogem da Grécia e se instalam na Ásia Menor (atual Turquia). Esta foi a Primeira Diáspora Grega. 3 – Período Homérico (século XII ao século VIII a.C.): 3.1 – Este período recebe este nome pois as principais fontes para seu estudo provêm das obras do poeta Homero. Estas obras são a Ilíada e a Odisséia. Homero viveu no século VI a.C. e recolheu a tradição oral das épocas anteriores. 3.2 – O Genos: a grande família patriarcal grega, se constitui como a forma de organização social predominante do período homérico. Também eram chamadas de Comunidades Gentílicas. - Cada Genos tinha sua autonomia política, econômica, social e religiosa. - Economia natural e coletivista; posse coletiva das terras e pastagens. - O patriarca (pater) era a autoridade máxima política e religiosa. 3.3 – Por volta do século VIII a.C. se inicia o processo de desagregação das comunidades gentílicas, causado pelo aumento populacional e pelo correspondente aumento do consumo. Entretanto, a produção continuava limitada pela escassez das terras e pela precariedade das técnicas de produção.

Para enfrentar inimigos comuns os genos se uniam formando as frátrias (irmandades). na planície da Lacônia. inclusive a um grande incremento do comércio com as colônias.): Introdução: a privatização das terras levou a grandes transformações na sociedade grega. que resultaram na dispersão do povo grego na Segunda Diáspora Grega. 2 – Sociedade Espartana: 2. surgindo algumas contestações ao poder dos eupátridas. 3.Os excluídos gregos passaram a se expandir pelo Mar Mediterrâneo à procura de melhores condição de vida. quando passavam a receber treinamento militar. Massília (sul da atual França) e Emporiom (sul da Espanha). . A união das tribos de uma região vai dar origem ao Demos (“O Povo”).2 – Educação Espartana: Logo ao nascer havia uma seleção. A sociedade também passou por transformações.1 . estudaremos a seguir as duas mais importantes. Não tinham direitos políticos e eram obrigados a cultivar as terras dos espartanos.Inicia-se uma série de lutas entre os genos por espaço territorial. As saudáveis eram separadas da família aos 7 anos.2 – Gerúsia (Assembléia dos Anciãos): formada por 28 espartanos com mais de 60 anos. Crianças com deficiências físicas eram sacrificadas.1 – Espartanos (ou Esparciatas): descendentes dos conquistadores dóricos. nascendo aí a propriedade privada e a escravidão. 2. Executavam funções legislativas e judiciárias. chefiados pelo Basileu. 3 – Estrutura Política: 3.Esparta: 1 – Introdução: 1. esta crise da sociedade gentílica provocou o fim da propriedade coletivistas. as frátrias reunidas correspondiam as tribos.4 – Eforato: estes eram o verdadeiro poder de Esparta. Ponto Euxino (Mar Negro).C. os chamados eupátridas (“bem-nascidos”). detinham o monopólio do poder político e das terras. 3. Esparta não passou pelas transformações econômicas advindas da colonização e do desenvolvimento do comércio.A necessidade de manter os messênios constantemente oprimidos. as outras vão acabar adotando modelos semelhantes. elegiam a Gerúsia e o Eforato. entre outras..1 – Diferentemente das cidades gregas oligárquicas. Os espartanos deviam servir ao Estado e se empenhar para manter a ordem social. Obs: as leis espartanas foram criadas pelo mítico Licurgo. 3. às margens do rio Eurotas. Praticava-se a eugenia (seleção dos fisicamente aptos) nas classes mais altas. Civilização Grega: Período Arcaico PERÍODO ARCAICO (Séculos VIII – VI a.3 – Hilotas: Eram escravos de propriedade do Estado espartano. O restante das terras foi dividido entre os georgóis (pequenos agricultores).Apesar de existirem mais de 100 cidades gregas independentes. 4 – Considerações finais: 4. chamado de Oligarquia (governo de poucos). como o comércio ou o artesanato.5 – Por questões de segurança. Serviam o exército até os 60 anos. Como ela dispunha de muitas terras. . mais os dois reis.C.. Esparta (oligárquica) e Atenas (democrática).3 – Diarquia (Dois Reis): eram responsáveis pelo comando militar e religioso.Localizava-se na península do Peloponeso. acabou levando ao surgimento de uma sociedade militarizada. Aos 18 anos engajavam-se no exército. Quem vai se dar mal são os thetas (“marginais”) que vão ficar sem nenhuma terra. várias tribos se unem e formam as pólis (cidadesEstado independentes e autônomas). . I . Ela era cercada por montanhas que lhe davam uma proteção natural. como hoplitas (infantaria pesada com lanças e escudos).2 – Até o século VII a.2 – Periecos: Habitantes da periferia. após a união (sinecismo) das 3 tribos dóricas. Os eupátridas passam a organizar um governo em benefício próprio. o que ocasionou um desenvolvimento isolado.As melhores terras eram apropriadas pelos parentes mais próximos do pater. não passou por um processo de desagregação tão acentuado. lançando-se à conquista da Messênia (região vizinha).Ao mesmo tempo. 3. . permanecendo agrícola e oligárquica até o fim. 2. O ponto central das pólis era a Acrópole. o ponto mais alto e de defesa mais fácil. As demais classes eram constantemente mantidas sob terror e coerção. podiam se casar e participar da política.C. Elas eram consideradas ”imutáveis”. 3. Todos eram obrigados a servir o exército para manter a ordem social vigente. 1. .1 – Ápela (Assembléia dos Guerreiros): formada pelos cidadãos espartanos com mais de 30 anos.4 – A crise das sociedades gentílicas transformou a Grécia em palco de muitos conflitos. Eram em número de cinco e tinham poderes quase totais. Somente aos 30 anos recebiam ensino formal. 4. fundando várias colônias: Magna Grécia (sul da Itália). . Obs: a característica principal da sociedade espartana era a extrema militarização da sociedade. Esparta teve um desenvolvimento bastante parecido com o das outras cidades gregas. Fundada no século IX a. executavam atividades consideradas indignas pelos espartanos. .

artesanato. Estendeu a participação na Eclésia a todos os cidadãos atenienses.O primeiro deles. comprando produtos agrícolas (trigo).Seus filhos.O grande fluxo de escravos vindo das colônias acabou por consolidar o Modo de Produção Escravista em Atenas e em toda a Grécia Antiga. líderes ditatoriais que manipulavam a massa popular para se manter no poder. Encarregados de elaborarem as leis. incapazes de concorrer com o trigo barato vindo das colônias. surgem legisladores buscando soluções para superar o problema. . 4 – Da Oligarquia para a Democracia: 4. Atenas tinha cerca de 320 mil habitantes. Porém.A Bulé (Conselho dos Quatrocentos): formada por 40 representantes de cada uma das 10 tribos de Atenas.2 – Inicialmente organizada em uma sociedade gentílica.Eclésia (Assembléia Popular): aprovava as leis elaboradas pela Bulé. Envolta por montanhas. eleitos para um mandato anual. tornou-se uma sociedade de classes. 4. . O clima de instabilidade deu origem aos tiranos.): Introdução: O Período Clássico foi marcado por inúmeras guerras. para que ela estivesse ao conhecimento de todos. .A Classe dos comerciantes e artesãos (Demiurgos) se enriqueceu e passou questionar o monopólio político dos eupátridas. .): eliminou a escravidão por dívidas e devolveu as terras que os eupátridas haviam tomado aos georgoi. . sul da Grécia. . Ele procurou amenizar os conflitos empregando maciçamente os thetas e georgoi. . Pisístrato. . tinha bons portos naturais. o Areópago.1 – Quando o último basileu (rei) de Atenas foi derrubado. . 2.1 – Situada na Ática. No seu auge. . 3 – Expansão Comercial: 3. Hiparco e Hípias. 4. Grécia: Período Clássico (Séculos V e IV a. Criou ainda: . responsável por fiscalizar o trabalho dos arcontes.6 – Podemos certamente considerar que a Democracia foi um avanço inegável para sua época. só participava quem tivesse uma certa renda.Atenas: 1 – Introdução: 1. o que a protegeu das invasões dóricas.Aumentou a Bulé para 500 membros (50 de cada tribo). 3. Mas ela tem um porém: era válida apenas para os cidadãos. acabam se endividando e muitos acabam perdendo suas terras ou sendo escravizados. instrumento pelo qual aqueles indivíduos que seriam uma “ameaça” para a Democracia seriam expulsos da cidade por um prazo de 10 anos (mas não perdia as suas propriedades).Helieu: tribunal popular aberto a todos os cidadãos.3 – Sólon (594 a. seja entre as próprias cidades gregas.. seja no exército/marinha atenienses.Arconte Epônimo: detinha o poder religioso. estavam excluídos da política os jovens. Apesar disso. tantas eram as tensões sociais em jogo. Clístenes liderou uma rebelião contra o último tirano. chefiou Atenas entre 561 e 527 a.Criou ainda o Ostracismo. Neste contexto.5 – Finalmente. instalando logo em seguida a Democracia e realizando a pacificação da cidade. os gregos se lançaram no final do Período Homérico para a Segunda Diáspora Grega. instalando colônias no sul da Península Itálica (Magna Grécia) e na orla do Mar Negro. 2 – Da Monarquia para a Oligarquia: 2. a aristocracia proprietária de terras (os eupátridas) criaram um governo que os representasse. não tiveram a mesma habilidade política e acabaram sendo derrubados.II . Dividiu a sociedade de forma censitária (de acordo com a rende). eram responsáveis pelo poder judiciário sobre thetas e georgoi.1 – Atenas virou um “barril de pólvora”.Para completar. . filhos de pai e mãe atenienses e maiores de 21 anos eram considerados cidadãos.Arconte Polemarco: responsável pela defesa militar e julgamento dos estrangeiros. seja nas obras públicas. 4.C. .C.A cidade de Atenas certamente foi uma das maiores beneficiadas nesse processo.Arcontes Thesmothetas: em número de seis. os metecos (estrangeiros) e os escravos. procurando terras férteis e fundar colônias comerciais. após a formação da pólis no século X a.4 – As reformas de Sólon desagradaram a elite dos eupátridas. 1.C. havia um conselho de eupátridas.2 – Drácon (621 a. armas). .): compilou e registrou as antigas leis orais em vigor na cidade. possibilitando a ascensão política dos demiurgos. 3. como o porto de Pireu.2 . dos quais apenas uns 40 mil eram cidadãos.1 – Como vimos. o Arcontado (magistrados com mandatos anuais).2 – Atenas passou a realizar um vasto comércio com suas colônias. ele é considerado .Apenas os homens. 4. . ainda eram extremamente rígidas e severas (acabou piorando as coisas). em 510 a. 4. metais e madeira e vendendo produtos manufaturados (vinho. estas leis além de beneficiarem descaradamente os eupátridas. seja contra os invasores persas. por ampliar a discussão política e permitir uma maior participação popular.C. azeite.C.3 – Isso acabou por provocar alterações na estrutura social ateniense: .Ou seja.C. intensificando as lutas sociais.. as mulheres.Os pequenos proprietários (georgoi).

2 – Excelente estrategista.): Esparta passou a dominar a Grécia. Péricles morre. Obs: o domínio tebano dura apenas sete anos.Esparta incendeia os campos da Ática.2 – O conflito estoura em 431 a. estavam excluídos da política as mulheres. mas são derrotados na batalha de Maratona.): assinada entre os gregos e os persas.): 1 – Macedônia – região montanhosa situada ao norte da Grécia. permitindo assim o desenvolvimento comercial grego. .). Alexandria do Egito e Éfeso. Era o Imperialismo Ateniense. Seleuco (Síria e Mesopotâmia).C. Mas a frota persa é destruída na batalha de Salamina.Ptolomeu (Egito).C. a Liga do Peloponeso.3 – Volta para a Babilônia onde morre em 323 a. 3.C.C.4 – Porém. além de invadir as que resistiam. Obs: lembrem que na Democracia ateniense.): 3. fundaram sua própria aliança militar.Os persas vencem os espartanos do rei Leônidas na batalha de Termópilas e chegam a incendiar Atenas. É assassinado logo em seguida.5 – O fracionamento do império de Alexandre e as lutas internas provocaram o enfraquecimento e facilitaram a conquista posterior pelo Império Romano.1 – Sufoca a revolta de algumas cidades gregas após a morte de seu pai e parte para conquistar o Império Persa. Palestina. 371 a. consegue derrotar e dominar o Império Persa em menos de 10 anos. 3 – A Guerra do Peloponeso (431-404 a.C. permitindo que estes se inteirassem da política da cidade.): 2. Os persas se comprometiam a abandonar o Mediterrâneo Oriental.3 – Construção de novas muralhas para defesa e de grandes obras públicas que embelezaram a cidade (Partenon – Templo da Deusa Atena).: 2. 338 a.): 3. 2 – A “Idade de Ouro” de Atenas (governo de Péricles): 461-429 a. aos 33 anos de idade.1 – Péricles ampliou a Democracia ateniense e fez de Atenas a grande potência de sua época. os metecos (estrangeiros) e os escravos. 2.3 – O poder de Esparta baseava-se na infantaria.1 – Esparta e outras cidades oligárquicas.1 – 1a. 1 – Enquanto Atenas e Esparta se desenvolviam enquanto pólis (cidades-Estado).): frente ao perigo da invasão persa em toda a Grécia. invade a Grécia e domina todas as cidades (batalha de Queronéia.). . a Confederação de Delos. concentrando a maioria de suas realizações culturais..C. descontentes com a dominação de Atenas. obrigando os camponeses a fugirem para Atenas. Guerra Médica (484 – 479 a. 2.2 – 2a. explorando e dominando as outras cidades. Seu povo era também indo-europeu e falavam um dialeto grego. 1. 1.C. 3. Egito. Uma epidemia de peste assola a cidade.C. .C. este desenvolvimento de Atenas era financiado tanto pela exploração dos escravos como pela dominação através da Confederação de Delos. 3. sendo vencidos definitivamente na batalha de Platéia (479 a. gerando atritos que levaram à sua derrota pela cidade de Tebas (batalha de Leutras. sendo derrotada por outras sete cidades. 3. Cassandro (Grécia) e Lisímaco (Ásia Menor). Grécia: Período Helenístico (séculos IV a II a. seus quatro generais dividem seu império: . apenas 40 mil eram cidadãos. Pérsia e Afeganistão.3 – 3a. 3. Das 320 mil pessoas de Atenas. Ásia Menor.4 – Paz de Címon (449 a.).C. 3. o Império Persa.4 – Depois de sua morte.4 – Vitória espartana na Batalha de Égos Potamos (404 a. Esparta começou a querer dominar sobre todas as cidades gregas. apesar de serem tecnologicamente inferiores.como o apogeu da antiga Civilização Grega.2 – Melhorou as condições de vida dos atenienses de classe baixa. 2 – Governo de Filipe II (359-336 a. 3. Iniciavam-se as Guerras Médicas. acabando com a Democracia.). Guerra Médica (475 – 468 a.Atenas passou a utilizar os recursos da Confederação em benefício próprio.C.C. . e o poder de Atenas em sua Marinha de Guerra.C. . 3. Tinha este nome pois as contribuições dadas pelas cidades gregas eram guardadas na Ilha de Delos. 3 – Alexandre o Grande. que estavam em guerra entre si. 1. . da Macedônia (336 – 323 a.C. quebrada por Atenas sete anos depois. ameaçando toda a Grécia. na Ásia Menor. . quando Atenas tenta invadir Corinto (aliada de Esparta). 2. que já dominava o Oriente.C. dominado a Grécia. Mesopotâmia. Guerra Médica (490 a. chegando até às fronteiras da Índia. A sucessão de guerras acaba enfraquecendo todas as cidades gregas. atacou colônias gregas (Mileto e Éfeso).. as cidades gregas se unem em uma liga militar sob o comando de Atenas.Em Atenas assume o Governo dos 30 Tiranos.1 – Aproveitando-se da fraqueza das cidades gregas.C. Síria.Rotas comerciais pelo Mediterrâneo Oriental entre Rodes.): os persas tentam invadir Atenas.5 – Porém.): os gregos contra-atacam e retomam as colônias gregas da Ásia Menor na batalha do rio Eurimedon (468 a. e eles são forçados a recuar. assinam a Paz de Nícias.C.Em 421 a. 1.

Estilo Coríntio: extremamente ornamentado. marcadas pelo humanismo e pela busca do equilíbrio e da harmonia.1 – Certamente o grande nome da poesia grega foi Homero. autor das célebres obras Ilíada (que conta a Guerra de Tróia) e Odisséia (que conta as aventuras de Ulisses ou Odisseu). com a qual procuravam dar sentido aos acontecimentos do mundo. Atena (deusa da razão e da sabedoria).C.1 – A palavra “filosofia” em grego significa “amigo da sabedoria”. 4 – Nas artes plásticas (escultura e pintura) os gregos tiveram formas de expressão peculiares. Hera (esposa de Zeus. 5. Dionísio (deus do vinho). com a cultura oriental.Obs: Culturalmente.2 – Antropomorfismo: os deuses tinham aparência semelhante às dos homens. Cultura Grega 1 – A Herança Cultura Grega foi de grande importância para a Cultura Ocidental. . Obs: os artistas e filósofos gregos pertenciam a uma elite intelectual. 2 – O Teatro: surgido inicialmente como parte do culto ao deus Dioniso.” Sófocles. separando as lendas dos fatos verdadeiros. para a vida e para o homem. 6 – Religião Grega: 6. 8 – Filosofia Grega: 8. salientava o luxo e a elegância. vai ter grande prestígio entre os gregos como gênero artístico. Apolo (deus da luz e das artes). etc.A Filosofia grega criou a idéia de leis e princípios universais regulando a natureza. aconteceu a fusão da cultura grega. considerado o “Pai da Tragédia”. As bacantes).Estilo Jônico: valorizava a leveza e a elegância das colunas e construções. Píndaro (que enalteceu os jogos olímpicos e a poetisa Safo.) 6. . .A Comédia: satirizava os costumes da sociedade e o comportamento humano. dava uma aparência de funcionalidade. 3 – A História: os gregos foram os primeiros a procurar tratar a história com um espírito crítico.Procurava-se representar a figura humana de maneira realista.2 – Temos também Hesíodo (O trabalho e os dias). os grandes nomes são Ictínio e Calícrates (construtores do Partenon). ódio. .4 – Principais deuses: Zeus (senhor de todos os deuses).2 – O Racionalismo: viam a Razão como a melhor maneira de se compreender os fenômenos do mundo e de conhecer a “verdade”. inclusive estando sujeitos às mesma paixões (amor. Os conceitos de beleza e as bases do pensamento racional que nós temos hoje. as quais podem ser conhecidas pelo pensamento humano. Tales (625-546 a. . Afrodite (deusa do amor e da beleza). 1. estão diretamente influenciados por eles. suas obras falam sobre as aflições existenciais do homem (Os persas.1 – Principais teatrólogos gregos: . as paixões e a justiça. Poseidon (deus das águas). o “Pai da História”: escreveu uma obra chamada História. . inveja. 7 – Poesia Grega: 7. . . “Muitos são os prodígios. Anaximandro e Anaxímenes): defendiam que tudo na natureza derivava de um elemento básico. . procura as causas e as conseqüências das ações humanas.Eurípedes.Tucídides: o grande cronista da Guerra do Peloponeso.1 – Estilos arquitetônicos gregos: . entretanto nada é mais prodigioso do que o homem. em suas obras aborda a questão da luta do homem contra o seu destino (Édipo rei. 7.Sófocles. Teseu. o grande comediante da Grécia (As nuvens.2 – Escola de Mileto (Tales. 8. 6.A Tragédia: fala sobre os problemas eternos do homem. .1 – Politeísmo: crença em vários deuses. . na qual fala de vários povos da Antigüidade e da guerra contra os persas. Electra). .Haviam ainda muitos semideuses como Hércules. Antígona. protetora do casamento). Hades (senhor do mundo subterrâneo). . porém idealizada. Procuravam explicações racionais para o universo. costumava variar em seus temas (Medéia. Perseu.Destaques: Fídias (autor da estátua da deusa Atena) e Míron (autor de O Discóbolo). O desenvolvimento econômico deles exigia que eles procurassem ter uma compreensão mais apurada de seu passado. Anaximandro defendia que era o ar e Anaxímenes que era a matéria (átomo). 6.) acreditava que era a água. surgindo uma nova cultura: a cultura helenística.Aristófanes.Heródoto de Helicarnasso. etc. gerador de todas as coisas. rompendo com a idéia dos mistérios inacessíveis da divindade que a religião defendia. . como a questão do destino.3 – Criaram um grande conjunto de mitos e lendas. Os sete contra Tebas. Prometeu Acorrentado). Deu origem posteriormente à ciência. 2.1 – O Antropocentrismo: supervalorizavam a dimensão humana nas artes e na filosofia.Ésquilo. 5 – Na Arquitetura. que era sustentada pelo trabalho braçal dos escravos. As vespas). 1. As rãs.Estilo Dórico: caracterizado pela simplicidade e rigidez. As troianas. a mitologia grega.

pessimismo e relativismo. nunca praticaria o mal.C. a religião e o Estado grego. Todo aquele que conhecesse realmente o bem. e não as idéias o que realmente interessava.C.4 – Os Sofistas (século V a. 2. Astronomia e Política. Apologia de Sócrates. 3 – Ciências:Grandes avanços na Matemática (Euclides . Geografia (Erastótenes).2 – Medicina: Hipócrates de Cós.1 – Matemática: Tales de Mileto e Pitágoras (Teorema de Pitágoras). Heráclito contrapunha-se às idéias pitagóricas. 8. Principal obra: Política.5 – Sócrates (470-399 a. Teatro. Física. Não acreditavam em verdades absolutas.): fundador da Escola Socrática. Deu grande impuso à lógica. foi condenado à morte. defendiam a racionalidade do universo através dos números. 4. 8. O maior de todos os prazeres seria o prazer de aprender. . . e início do V a. Zoologia.): esta escola filosófica surgiu na época da democracia ateniense.6 – Platão (429-347 a. Ele defendia que era o mundo material.C. 4 – Filosofia: novas escolas. 8. o Pai da Medicina. e não mais o universo.4 – Ciências Naturais: Anaximandro e Aristóteles.C. Platão defendia que a virtude não provinha dos sentidos. procurando expressar movimento.1 – Arquitetura marcada pelo luxo e pela grandiosidade.geometria). conhece a ti mesmo! – Sócrates. Protágoras. negativismo. Eles criticavam as tradições. Defendia que cada fenômeno terrestre era como um pálido reflexo do mundo das idéias. dor e violência.): seguidor de Sócrates. 2 – A cultura helenística caracterizou-se por uma arte mais realista. Também contribuíram Empédocles.3 – Ceticismo: fundada por Pirro.C. Muito popular entre os soldados. Ela será a mistura entre a cultura grega e as diversas culturas do Oriente. Homem. defendia que a felicidade e a sabedoria estavam na prática da virtude.C.). que tudo é duvidoso e que o ser humano jamais terá certeza de coisa alguma .Outro filósofo que também defendia a teoria atomista era Demócrito (460-370 a. justiça.Trabalhou como preceptor de Alexandre da Macedônia. O homem é a medida de todas as coisas. procurando aceitar com serenidade a dor e o prazer. 8. 9. . à política e às ciências naturais. defendia que não é possível encontrar verdade nenhuma. Tinham no homem o centro de suas preocupações. . a felicidade e a tristeza. 1. defendendo que o universo estava em constante movimento. Física (Arquimedes de Siracusa).. CULTURA HELENÍSTICA: 1 – A Cultura Helenística é um fruto direto das conquistas orientais de Alexandre da Macedônia. Hiparco e Ptolomeu.C. criador do sistema geocêntrico). Lógica.1 – Estoicismo: fundada por Zenon. Foi o primeiro a procurar compreender as doenças através das causas e dos sintomas.Na mesma época. escreveu sobre Filosofia. etc. História. Pérgamo (Ásia Menor) e a ilha de Rodes no mar Egeu.As sucessivas lutas entre esses reinos acabou provocando o seu enfraquecimento e facilitou a subseqüente dominação romana (séculos II e I a. Astronomia (Aristarco. O universo seria perfeito e imutável. 8.2 – As artes plásticas eram marcadas pelo monumentalismo. 9 – Ciência Grega: 9. O Banquete. 5 – Em termos políticos.): seguidores de Pitágoras. Poesia.2 – Epicurismo: fundada por Epicuro de Atenas (341-270 a. a prática do bem e a apreciação da arte. Acabaram favorecendo o desenvolvimento da Matemática.3 – Os Pitagóricos (final do século VI a. defendia a disciplina e o equilíbrio interior. mas que provinha do contato do espírito com as idéias universais de bondade. 4. Valorizavam a lógica e a retórica (arte de discursar em público). Galeno e Alcméon.1 – Os principais centros da cultura helenística foram Alexandria (do Egito). mas sim que haviam diferentes visões do mundo e das coisas. pregava a obtenção do prazer como a base da felicidade humana.): discípulo de Platão. Valorizavam a amizade.).C.). 9. Principais Obras: A República. Por criticar o Estado ateniense durante a Guerra do Peloponeso (governo dos 30 tiranos). 2. Botânica.3 – Astronomia: Tales de Mileto. características constantes em tempos de guerra. a democracia grega foi substituído pelo despotismo e tirania dos reinos helenísticos.7 – Aristóteles (384-322 a. 9. 4.C. deu continuidade à sua escola.