CADASTRO SOCIOECONÔMICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA POR BARRAGENS

Sílvia Maria Frattini Gonçalves Ramos
MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA NESA – Núcleo Estratégico de Gestão Socioambiental

Belo Horizonte, 31 de maio de 2011

HISTÓRICO REGULAMENTAÇÃO DO CADASTRO SOCIOECONÔMICO

• Grupo de Trabalho Interministerial – GTI do Atingido (Decreto s/nº de 10/10/2003);

• Reconhecimento de passivos sociais na implantação de hidrelétricas e formulação dos Acordos Sociais – utilização do “conceito amplo de atingido”;
• Acordos Sociais: UHE Cana Brava, UHE Serra da Mesa, UHE Tucuruí, APM Manso, UHE Machadinho, UHE Barra Grande, UHE Foz do Chapecó, UHE Campos Novos; • Fundos de Desenvolvimento: UHE Barra Grande, UHE Campos Novos, UHE Cana Brava e Serra da Mesa, UHE Belo Monte.
Cadastro Socioeconômico

• Realização de estudos em parceria com Banco Mundial (Projetos PNUD) para desenvolvimento de temas socioambientais.342.HISTÓRICO REGULAMENTAÇÃO DO CADASTRO SOCIOECONÔMICO • Utilização do conceito “amplo de atingido” nos processos de licenciamento nos empreendimentos a partir de 2004. de 26 de outubro de 2010 . dentre outros: – conceituação de impactos sociais de hidrelétricas. • Decreto 7. – critérios para identificação dos atingidos.

1o Fica instituído como o cadastro de socioeconômico.Decreto nº 7. qualificação e registro público da população atingida por empreendimentos de geração de energia hidrelétrica. Parágrafo único.342 de 26 de outubro de 2010 Art. Deverá ser assegurada ampla publicidade ao cadastro de que trata este Decreto. DECRETO 7. instrumento identificação.342/ 2010 .

2o O cadastro socioeconômico previsto no art.perda de fontes de renda e trabalho das quais os atingidos dependam economicamente. em virtude da ruptura de vínculo com áreas do polígono do empreendimento. inviabilizando a atividade extrativa ou produtiva.342 de 26 de outubro de 2010 Art. 1o deverá contemplar os integrantes de populações sujeitos aos seguintes impactos: I .perda da capacidade produtiva das terras de parcela remanescente de imóvel que faça limite com o polígono do empreendimento e por ele tenha sido parcialmente atingido. IV . III .Decreto nº 7. DECRETO 7.342/ 2010 .perda de áreas de exercício da atividade pesqueira e dos recursos pesqueiros.perda de propriedade ou da posse de imóvel localizado no polígono do empreendimento. II .

342 de 26 de outubro de 2010 Art.prejuízos comprovados às atividades produtivas locais.prejuízos comprovados às atividades produtivas locais a jusante e a montante do reservatório.342/ 2010 . DECRETO 7. a subsistência e o modo de vida de populações. a subsistência e o modo de vida de populações. afetando a renda. VI . com inviabilização de estabelecimento. e VII . incluindo as terras de domínio público e uso coletivo.inviabilização do acesso ou de atividade de manejo dos recursos naturais e pesqueiros localizados nas áreas do polígono do empreendimento.Decreto nº 7. afetando a renda. 1o deverá contemplar os integrantes de populações sujeitos aos seguintes impactos: V . 2o O cadastro socioeconômico previsto no art.

Decreto nº 7.342 de 26 de outubro de 2010 Propriedade e posse Capacidade produtiva Perda Áreas para exercício de atividade pesqueira Integrantes da população sujeitos aos impactos Fontes de renda e trabalho Prejuízos Inviabilização de acessos e atividades de manejo Atividades produtivas locais de recursos naturais e pesqueiros .

o polígono do empreendimento abrange áreas sujeitas à desapropriação ou negociação direta entre proprietário ou possuidor e empreendedor. ao enchimento do reservatório e à respectiva área de preservação permanente.342/ 2010 . DECRETO 7.Decreto nº 7. às vias de acesso e às demais obras acessórias do empreendimento. incluindo as áreas reservadas ao canteiro de obras. Para os efeitos do disposto neste Decreto.342 de 26 de outubro de 2010 Parágrafo único.

os requisitos para que o responsável pelo empreendimento elabore o cadastro socioeconômico da população atingida por empreendimentos de geração de energia hidrelétrica.Decreto nº 7.342 de 26 de outubro de 2010 Art. no âmbito do Ministério de Minas e Energia. a ser realizada pelo responsável pelo empreendimento. e II . no âmbito do processo de licenciamento ambiental. . com as seguintes funções: I . 3o Fica instituído o Comitê Interministerial do Cadastro Socioeconômico.acompanhar a elaboração do cadastro socioeconômico. e manifestar-se sobre sua adequação.apresentar.

Pecuária e Abastecimento.342/ 2010 . do Desenvolvimento Agrário. por representantes dos órgãos e entidades federais com atribuições relativas à população atingida pelo empreendimento analisado. 2o.Decreto nº 7. 2o O Comitê será integrado.342 de 26 de outubro de 2010 1o O Comitê será composto por representantes dos Ministérios de Minas e Energia. DECRETO 7. quanto aos impactos referidos no art. da Pesca e Aqüicultura e da Secretaria-Geral da Presidência da República. ainda. da Agricultura. cabendo ao Ministério de Minas e Energia a sua coordenação. do Meio Ambiente.

Pecuária e Abastecimento . Composição: Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria Geral da Presidência de República Ministério da Agricultura.Decreto nº 7.342 de 26 de outubro de 2010 Ministério de Minas e Energia (Coordenação) Ministério da Pesca e Aquicultura Ministério do Meio Ambiente Institui Comitê Interministerial.

342 de 26 de outubro de 2010 Apresentar requisitos para elaboração do Cadastro pelo responsável pelo empreendimento Competência do Comitê Interministerial Acompanhar a elaboração do Cadastro Manifestar-se sobre a adequação do Cadastro .Decreto nº 7.

do Desenvolvimento Agrário e da Pesca e Aquicultura.342/ 2010 . 6º Este Decreto se aplica aos empreendimentos a serem licenciados a partir de janeiro de 2011. frente ao cadastro socioeconômico da população atingida por empreendimentos de geração de energia hidrelétrica. cláusula específica sobre responsabilidades do concessionário. 5º A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL incluirá. da Agricultura.342 de 26 de outubro de 2010 Art. Art.Decreto nº 7. DECRETO 7. Pecuária e Abastecimento. Art. 4º O cadastro socioeconômico e o funcionamento do Comitê serão disciplinados em ato conjunto dos Ministérios de Minas e Energia. do Meio Ambiente. nos contratos de concessão de uso do bem público e nos editais de leilão.

monitorament o e avaliação ambiental ÓRGÃO AMBIENTAL Apresentação de EIA/RIMA Solicitação LP Obtenção LP Solicitaçã oe obtenção da LI Solicitaçã oe obtenção da LO Renovaç ão da LO Cadastro Socioeconômico .MOMENTO DO CADASTRO Aprovação Licitação da concessão MOMENTO PREFERENCIAL DO CADASTRO Registro na ANEEL para estudo de viabilidade SETOR ELÉTRICO PROJETO BÁSICO ENGENHARI A INVENTÁRIO ESTUDO DE VIABILIDADE PROJETO EXECUTIVO / CONSTRUÇÃ O Implantação de projetos e elaboração de programas de monitorament o PRAZO FINAL DO CADASTO E DAS REPARAÇÕ ES Operação ANEEL MEIO AMBIENTE Manejo.

Garças 3 7. Salto Augusto 13. Garabi/Parnambi 8. Escondido 4. Foz do Formiga Baixo 5.Empreendimentos em licenciamento no IBAMA 15 Usinas Hidrelétricas 1. Jacaré 9. Mortes2 11. Kabiara 10. Pocilga 12. Foz do Sacre 6. Apiaká – Kayabi 2. Salto Utiariti 14. Tucumã . Erikbatsa 3. São Simão Alto 15.

Tijuco Alto 25. Jardim do Ouro 12. Itacoara 13. Chacorão 5. Itumirim 10. Castelhano 4. Ribeiro Gonçalves 19. Couto Magalhães 8. Jamanxim 11. Pedra Branca 17. Itapiranga 9. Túpiratins 26. Uruçui 6. São Manoel . Marabá 20. Cachoeira do Caí 2. São Luís do Tapajós 21. Serra Quebrada 23.Empreendimentos Fase: licença Prévia no IBAMA 26 UHE’s 1. Jatobá 15. Tabajara 24. Riacho Seco 18. Santa Isabel 22. Cachoeira dos Patos 3. Pai Querê 16. Davinópolis 7. Jirau 14.

Empreendimentos em licenciamento no IBAMA Empreendimentos com LP e sem LI Empreendimentos com LI e sem LO 5 UHE’s 4 UHE’s PCH em fase de licenciamento no IBAMA: 44 PCH’s 8 PCH’s com TR para LP 8 PCH’s com LP Cadastro Socioeconômico .

informações gráficas: Mapas e imagens Responsável pelo Cadastro: responsável pelo empreendimento Momento do Cadastro: Inclusão de custos no edital Plano Cadastral: • Indicação de responsável técnico • Equipe técnica para elaborar. sistematizar questionários em banco de dados • Capacitação da equipe que realiza o cadastramento • Plano de Comunicação do Cadastramento • Meios para assegurar atendimento à população atingida Cadastro Socioeconômico .Portaria Interministerial para a regulamentação do Decreto nº 7.342 de 26 de outubro de 2010 Linhas Mestras: Objetivo do cadastro: informações e subsídios para mitigação e compensação dos impactos sociais Composição do Cadastro: dados e informações do atingido.

342 de 26 de outubro de 2010 Linhas Mestras: • Plano de Comunicação: ampla divulgação do cadastramento e dos resultados do cadastro (sem expor o indivíduo) • Acesso às informações do Cadastro • Aprovação do Cadastro pelo Comitê Interministerial • Revisão do Cadastro Socioeconômico – Alteração do polígono do empreendimento – Omissão de identificação da pessoa atingida – Solicitação do Comitê Interministerial devido ao concessionário não ter dado início ao processo de negociação e implementação das medidas de reparação dos atingidos • Banco de Dados Sociais: MME/NESA .Portaria Interministerial para a regulamentação do Decreto nº 7.

Portaria Interministerial do Cadastro 2. Banco de Dados Sociais . Manual de procedimentos 4.ENCAMINHAMENTOS 1. Regimento do Comitê Interministerial do Cadastro Socioeconômico 3.

Sílvia Ramos silvia.ramos@mme.br .gov.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful