Você está na página 1de 5

Modelo de Referência ISO/OSI

1

A grande importância da interconexão dos computadores/dispositivos através de redes de comunicação deu origem a uma necessidade que foi tornando-se evidente à medida que os desenvolvimentos neste domínio foram acentuando-se: a normatização das redes de comunicação. Iniciou-se, então, no seio da ISO (International Organization for Standardization), uma reunião de esforços no sentido de definir uma proposta de arquitetura normalizada para as redes de comunicação. Dada a grande diversidade dos equipamentos e das soluções existentes no que diz respeito à comunicação, o resultado deste trabalho foi de fato a padronização de um modelo (modelo de referência) sobre o qual deveriam ser baseadas as arquiteturas de redes de comunicação de forma a permitir a interconexão de equipamentos heterogêneos, tornando transparente ao usuário a forma como esta interconexão fosse implementada. Essa situação levou a elaboração de um modelo que servisse como referência para que todos os fabricantes desenvolvessem soluções capazes de interagir entre si. A arquitetura RM-OSI (Reference Model for Open Systems Interconnection) foi criada pela ISO (International Standards Organization) com a finalidade de padronizar o desenvolvimento desses produtos para redes de comunicação de dados, em resposta ao crescente número de arquiteturas proprietárias. Seu objetivo é permitir a interligação de equipamentos e sistemas distintos sem problemas de compatibilidade. É uma referência que mostra sempre o que fazer, mas não como fazer. A ISO lançou o modelo de referência OSI em 1984. Trata-se de uma descrição ou modelo de referência e não um novo padrão estabelecendo o modo como a informação deve ser transmitida entre os pontos de uma rede. Um sistema baseado em tal modelo de referência é dito um sistema aberto, uma vez que este está aberto à comunicação com outros equipamentos, de diferentes classes, fabricantes, modelos, etc. Baseada nesta filosofia, a proposta, definida numa série de documentos produzidos por aquela organização, foi denominada de Modelo de Referência para interconexão de Sistemas Abertos ou RM-OSI (Reference Model for Open Systems Interconnection), cujos conceitos principais estão contidos nesta seção. Esse modelo propõe uma estrutura em camadas para o desenvolvimento de soluções que funcionem sob qualquer plataforma, independentemente do hardware ou software utilizado. Para que os pacotes de dados trafeguem de uma origem até um destino, através de uma rede, é importante que todos os dispositivos da rede usem a mesma linguagem, o mesmo protocolo. Logo, podemos definir o protocolo como sendo um conjunto de regras, ou um acordo, que determina o formato e como ocorrerá a transmissão de dados. A camada n em um computador se comunica com a camada n em outro computador. Dividir a rede nessas sete camadas oferece uma solução para os problemas de interoperabilidade apresentados anteriormente, pois oferece como vantagens:    Decompor as comunicações de rede em partes menores e mais simples, facilitando sua análise; Padronizar os componentes de rede, permitindo o desenvolvimento e o suporte por parte de vários fabricantes; Possibilitar a comunicação entre tipos diferentes de hardware e de software de rede;

as funções associadas a cada pino.  As funções de cada camada foram escolhidas segundo a definição dos protocolos normatizados internacionalmente. a codificação dos sinais. são 7 essas camadas. multiponto.  Cada camada possui suas funções próprias e bem definidas. As camadas do Modelo OSI A Camada Física é responsável pela transferência de bits num circuito de comunicação. etc). duração de cada sinal representando um bit. De maneira geral. Evitar que as modificações em uma camada afetem as outras. etc).  Os tipos de conectores a serem utilizados nas ligações (número de pinos utilizado. a sua função é garantir que cada bit enviado de um lado será recebido do outro lado sem ter alterado o seu valor. as questões a serem resolvidas neste nível são:  Os modos de representação dos bits “0” e “1” de maneira a evitar ambiguidade ou confusões (valor da tensão em volts para representação dos valores dos mesmos. Para isto. cujos princípios de definição foram os seguintes:  Cada camada corresponde a um nível de abstração necessário no modelo. possibilitando maior rapidez no seu desenvolvimento.  O modo de transmissão adotado (unidirecional. etc). E como mostra a figura 1.  O modo de conexão adotado (ponto-a-ponto.  O número de camadas deveria ser suficientemente grande para evitar a realização de funções muito diversas por uma mesma camada. etc). bidirecional.  A maneira como as conexões são estabelecidas para a inicialização de um diálogo e como é feita a desconexão ao final deste.  O número de camadas deveria ser suficientemente pequeno para evitar uma alta complexidade da arquitetura. 2 Figura 1. . Arquitetura das sete camadas do modelo OSI O modelo foi criado seguindo a filosofia de multicamadas.  A escolha das fronteiras entre cada camada deveria ser definida de modo a minimizar o fluxo de informação nas interfaces.

etc. Ela fornece mecanismos de multiplexação e controle de fluxo que torna possível para os vários protocolos de rede conviver dentro de uma rede multiponto e serem transportados pelo mesmo meio da rede. Sub Camada de Controle de Acesso ao Meio . uma vez que as informações trocadas através da camada Física não são isentas de erros de transmissão. que efetua a verificação de erro e que é a subcamada mais alta da Camada de enlace.  Os mecanismos de controle de fluxo para limitar o volume de informação trocados entre entidades fonte e destino. A Camada de Enlace de Dados tem por função principal a transformação do meio de comunicação “bruto” em uma linha livre de erros. . na metade inferior. Ela efetua esta função através do fracionamento das mensagens recebidas do emissor em unidades de dados denominadas quadros. Ela especifica os mecanismos para endereçamento de estações conectadas ao meio e para controlar a troca de dados entre utilizadores da rede. o suporte de comunicação adotado. que trata de pegar e entregar dados ao meio. que correspondem a algumas centenas de bytes. A concepção desta camada deve se relacionar à definição das interfaces elétricas e mecânicas. O endereçamento é realizado pelo endereço MAC ou também chamado endereço físico (MAC Address) que consiste em um número único a cada dispositivo de rede possibilitando o envio de pacotes para um destino especificado mesmo que esteja em outra sub-rede. Esta camada é geralmente quebrada em duas sub camadas: Sub Camada de Controle de Enlace Lógico .LLC (Logical Link Control). Estes quadros são transmitidos sequencialmente e vão gerar quadros de reconhecimento enviados pelo receptor. na metade superior. 3 Figura 2. Pacote ou quadro de informação Dentre os fatores com os quais a camada de Enlace deve preocupar-se estão:  A forma como os bits provenientes da camada Física serão agrupados em quadros.MAC (Medium Access Control).  Os mecanismos de detecção e correção de erros a serem implantados. seus modos de funcionamento.

4 Figura 3. denominadas sessões. o que quer dizer que os serviços que poderiam ser fornecidos pelas camadas superiores são dispensáveis. independentemente da natureza da informação ou das redes suportando a comunicação. os “usuários” dos serviços de Sessão são as entidades de apresentação. formadas pelas camadas de 1 a 4.  Resolve todos os problemas relacionados à interconexão de redes heterogêneas (incompatibilidade de endereços. incoerência em relação aos tamanhos das mensagens). Esta é uma das camadas mais simples do modelo OSI. O modelo hierárquico adotado pela ISO nos permite analisar duas classes distintas de camadas: as camadas inferiores. ela define a forma como os pacotes de dados serão encaminhados do emissor ao receptor:  Os caminhos a serem utilizados podem ser definidos em função de tabelas estáticas ou determinados dinamicamente no momento de cada diálogo em função das condições de tráfego da rede (routing). formadas pelas camadas de 5 a 7. Portanto sua função é permitir a transferência de informações do sistema emissor ao sistema receptor de forma confiável e econômica. A Camada de Transporte garante que as 3 camadas inferiores estão fazendo seus trabalhos e fornece um stream de dados lógico e transparente entre o usuário final e o serviço de rede ao qual ele está conectado. Endereço Físico (MAC Address) Esta subcamada é provedora de acesso a um canal de comunicação e o endereçamento neste canal possibilitando a conexão de diversos computadores numa rede. longe dos fornecidos por camadas como a de transporte. oferecendo uma quantidade relativamente limitada de serviços. A Camada de Sessão é a primeira camada (no sentido bottom-up) enquadrada na segunda classe. A principal função desta camada (Sessão) é oferecer aos seus usuários meios para o estabelecimento das conexões. Um exemplo disto é a interconexão de estações no sistema UNIX. . Segundo o modelo OSI. por exemplo. A importância dos serviços fornecidos por esta camada está no fato que muitas aplicações existentes podem funcionar simplesmente com a existência de um serviço confiável de transporte de informação. e as camadas superiores. de modos que estes possam trocar dados. que tratam essencialmente de problemas de comunicação.  Gestão dos problemas de congestionamento provocados pela presença de uma quantidade excessiva de quadros de dados na rede (controle de fluxo). cujos serviços se orientam mais às aplicações escritas pelos usuários no sentido de facilitar ou simplificar as suas tarefas. Atua também como interface entre a LLC e a camada física provendo uma emulação de comunicação full duplex. A Camada de Rede é a responsável pela gestão de sub-redes.

aplicativos de redes locais como planilhas e processadores de texto. que são efetivamente os processos que utilizam as redes (e os serviços oferecidos pelas camadas inferiores). Finalmente. para uma transferência de arquivo. pode ser convertido para o estilo MS-DOS. São os programas aplicativos dos usuários. por exemplo. particularmente as funções de: criptografia. bancos de dados distribuídos. correio eletrônico. transações. as transações que rodam no terminal do usuário. A Camada de Apresentação trata tudo o que possa estar relacionado à representação dos dados a serem transmitidos.Uma sessão pode ser utilizada para permitir a conexão à distância a um computador. temos a aplicação do usuário. etc. . para o carregamento de programas à distância. compressão de dados e conversão de dados (por exemplo. ou os conjuntos de caracteres EBCDIC para ASCII).CRLF. etc. o fim de linha no estilo UNIX. através 5 de um terminal.apenas com CR. neste nível. A Camada de Aplicação .