Você está na página 1de 13

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORDEIRÓPOLIS Estado de São Paulo

PROCESSO SELETIVO

E D I T A L

Nº 003/2009

A PREFEITURA MUNICIPAL DE CORDEIRÓPOLIS, Estado de São Paulo, com ob- servância do disposto no Inciso II, do artigo 37 da Constituição Federal, na Lei Orgânica do Muni- cípio de Cordeirópolis e demais dispositivos legais pertinentes,

FAZ SABER, a todos quantos do presente Edital vierem ou

dele tomarem conhecimento que fará realizar neste Município, Processo Seletivo de Provas e Títulos, para elaboração de escala de substituição de servidores afastados em decorrência de impedimento legal

e em decorrência de necessidade premente a ser verificada no âmbito da Secretaria de Educação deste

Município, durante o ano letivo de 2010, que será regido de acordo com as Instruções Especiais, que

ficam fazendo parte integrante deste Edital

INSTRUÇÕES ESPECIAIS

1 -

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1.

O presente Processo Seletivo destina-se para elaboração de escala de substituição de servi- dores afastados em decorrência de impedimento legal e de necessidade premente a ser ve- rificada no âmbito da Secretaria de Educação deste Município, durante o exercício de

2010.

1.2.

Os candidatos aptos, de acordo com a ordem de classificação, serão aproveitados, se neces- sário for, para prestarem serviços na área de Educação do Município, ocupando vaga cria- da em decorrência de afastamentos ou impedimentos legais de seus titulares.

1.3.

A Fiscalização do Processo Seletivo ficará sob a responsabilidade de uma Comissão, espe- cialmente indicada pela Prefeitura Municipal de Cordeirópolis.

1.4.

Este Seletivo terá a validade de um ano, contados da data em que ocorrer a homologação, não podendo ser prorrogado.

1.5.

Este Processo Seletivo será realizado na modalidade de Provas e Títulos.

2 -

DOS EMPREGOS TEMPORÁRIOS

Emprego Público

Requisitos

Carga

Salário Base

horária *

**

Professor de Educação Física

Ensino Superior Completo Registro no Órgão de Classe (CREF)

30

hrs

1.695,31

Professor PEB I

Magistério - Normal Superior ou Li- cenciatura Plena em Pedagogia

30

hrs

1.413,29

Professor de Educação Artística

Curso superior – Licenciatura de graduação plena com habilitação es- pecífica na área

30

hrs

1.695,31

* - Carga Horária Semanal

** - Salário Base referente ao mês de outubro/2009.

1

3 -

DAS INSCRIÇÕES

3.1

As inscrições estarão abertas e deverão ser efetuadas pelo próprio candidato ou por procu-

rador legalmente habilitado, no período de 13 a 23 de outubro de 2009, no horário das 13:00 às 17:00 horas, na Rua Visconde do Rio Branco, nº 127 - Centro, em Cordeirópolis.

Será exigido no ato da inscrição:

a)

cópia reprográfica da Cédula de Identidade (RG) (não necessariamente autenticada);

 

b)

apresentação de Cadastro de Pessoa Física (CPF), na sua forma original;

c)

preenchimento da Ficha de inscrição;

 

d)

pagamento da taxa de inscrição.

3.2.

São condições para a participação no Seletivo:

a)

ser brasileiro nato ou naturalizado ou cidadão Português;

 

b)

estar quite com o serviço militar, se do sexo masculino;

 

c)

estar quite com a Justiça Eleitoral;

d)

não apresentar antecedentes criminais, estando em exercício de seus direitos civis e políti- cos;

e)

ter, na data do encerramento das inscrições, idade mínima de 18 (dezoito) anos;

 

f)

gozar de boa saúde física e mental;

 

g)

possuir os requisitos necessários para o exercício do cargo;

 

h)

conhecer e estar de acordo com as exigências contidas no presente Edital;

i)

não ter tido contrato de prestação de serviço temporário firmado com a Prefeitura Munici- pal de Cordeirópolis, rescindido unilateralmente pela Municipalidade, por motivo de co- metimento de infração disciplinar, ou equivalente.

j)

não ter sido demitido anteriormente da Prefeitura Municipal de Cordeirópolis, pelo come- timento de infração disciplinar;

3.2.1.

A inscrição do candidato implicará o conhecimento e a tácita aceitação das normas e con- dições estabelecidas neste Edital, em relação às quais não poderá alegar desconhecimento. O deferimento da inscrição dar-se-á mediante o correto preenchimento da ficha de inscri- ção, a assinatura do candidato no requerimento de inscrição e o pagamento da taxa de ins- crição.

3.3.

A inscrição deverá ser feita através de Ficha de Inscrição, que será fornecida aos interessa- dos, em local próprio, constante do item 3.1.

3.4.

O pagamento da importância devida a título de taxa de inscrição, conforme tabela abaixo, deverá ser efetuado diretamente no local das inscrições.

   

Emprego Público

Taxa de Inscrição - Valor

 
 

Professor de Educação Física

R$ 25,00

 

Professor PEB I

R$ 20,00

 

Professor de Educação Artística

R$ 25,00

3.4.1.

Não haverá, em hipótese alguma, devolução da importância paga objeto da inscrição do candidato.

3.4.2.

Não serão aceitos pedidos de isenção de pagamento do valor da inscrição, seja qual for o motivo alegado.

3.5.

No caso de inscrição por procuração será exigida a entrega do respectivo mandato, acom- panhado de cópia do documento de identidade do candidato e apresentação da identidade do procurador. Deverá ser entregue uma procuração para cada candidato. O candidato as- sumirá as conseqüências de eventuais erros cometidos por seu procurador ao efetuar a ins- crição.

2

3.6.

Não será aceita inscrição por via postal, fac-símile, condicional ou fora do período cons- tante do item 3.1. Será cancelada a inscrição se for verificado, a qualquer tempo, o não a- tendimento a todos os requisitos fixados.

3.7.

As informações prestadas na ficha de inscrição são de inteira responsabilidade do candida- to, podendo a Prefeitura Municipal de Cordeirópolis excluir do Processo Seletivo aquele que a preencher com dados incorretos ou rasurados, bem como aquele que prestar infor- mações inverídicas, ainda que o fato seja constatado posteriormente.

4 -

DAS PROVAS

4.1.

O Processo Seletivo constará, de acordo com a legislação vigente, de uma Prova Específica e prova de títulos.

4.2.

A Prova Específica será composta de 40 (quarenta) questões que versarão sobre Português e questões específicas que visam avaliar o candidato no desempenho das atividades ine- rentes ao cargo em questão. Cada questão terá o valor de 2,5 pontos.

4.2.1.

As questões constantes da Prova Específica serão testes de múltipla escolha, com 04 (qua- tro) ou 05 (cinco) alternativas, sendo uma e somente uma correta.

4.3.

A Prova Específica, será realizada na cidade de Cordeirópolis, sendo que a data, os locais e horários de sua aplicação, serão divulgados posteriormente aos candidatos.

4.3.1.

A Provas de Títulos, será realizada na cidade de Cordeirópolis, sendo que a data, local e horário de sua realização, serão divulgados posteriormente aos candidatos.

4.4.

Os candidatos deverão comparecer no local de provas, com antecedência de 15 (quinze) minutos, munidos de Cartão de Protocolo de Inscrição, Cédula de Identidade, lápis, borra- cha e caneta esferográfica azul ou preta.

5 -

DA PRESTAÇÃO DAS PROVAS OBJETIVAS

5.1.

As provas específicas, que terão a duração de três horas, serão realizadas na cidade de Cor- deirópolis, conforme constante nos itens 4.2 e 4.3.

5.2.

Ao candidato só será permitida a realização da prova na data, no local e horário indicado pela Comissão do Processo Seletivo.

5.2.1.

Somente será admitido para realizar a prova o candidato que estiver munido de documento de identidade, na sua forma original e Protocolo de Inscrição.

5.2.1.1.

Serão considerados documentos de identidade as carteiras e/ou cédulas de identidade ex- pedidas pelas Secretarias de Segurança, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar ou pelo Ministério das Relações Exteriores, Cédula de Identidade para Estrangeiros (em validade), Cédula de Identidade fornecida por Órgãos ou Conselhos de Classe que, por Lei Federal, valem como documento de identidade.

5.2.1.2.

Não serão aceitos, por serem documentos destinados a outros fins: Boletins de Ocorrência, Protocolos, Certidão de Nascimento, Título Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitação (emitida anteriormente à Lei 9.503/97), Carteira de Estudante, Crachás e Identidade Fun- cional de natureza pública ou privada.

5.2.1.3.

Os documentos deverão estar em perfeitas condições, de forma a permitir a identificação do candidato com clareza.

5.2.2.

Não será admitida no local de prova o candidato que se apresentar após o horário determi- nado.

5.2.2.1.

Não haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado para justificar o atraso ou au- sência do candidato.

5.3.

A prova específica terá caráter classificatório. Para prestar a prova escrita, o candidato de- verá comparecer ao local designado para sua realização munido de caneta esferográfica azul ou preta, lápis, borracha e comprovante de inscrição, bem como de documento origi- nal de identidade, conforme disposto no item 5.2.1.1. deste Edital.

5.3.1.

Durante a prova Específica não será permitida consulta bibliográfica de qualquer espécie, nem a utilização de máquina calculadora ou qualquer outro equipamento eletrônico.

3

5.3.2.

No ato de realização da prova Específica será fornecido o Caderno de Questões. O candi- dato não poderá ausentar-se da sala de prova levando este material sem autorização do fis- cal.

5.3.3

O candidato lerá as questões no Caderno de Questões e marcará suas respostas em um Ga- barito, que receberá juntamente com o caderno de questões.

5.3.4

O Gabarito, após ter sido preenchido corretamente deverá ser entregue ao Fiscal de Classe, sendo que o Caderno de Provas ficará de posse do candidato, para posterior conferência.

5.3.5

No prazo de até 24 (vinte e quatro) horas, contadas do término da prova escrita, será divul- gado o “gabarito oficial”, através do site: www.publicoweb.com.br, para conhecimento dos candidatos.

5.3.6.

Não serão computadas questões respondidas fora do campo específico, ou não respondidas, nem questões que contenham mais de uma resposta (mesmo que uma delas esteja correta), com emenda ou rasura, ainda que legível. Não deverá ser feita nenhuma marca fora do campo reservado às respostas ou à identificação do candidato.

6 -

DA PROVA DE TÍTULOS

6.1

A avaliação de títulos, de caráter classificatório, valerá até 50,00 (cinqüenta) pontos, ainda que a soma dos valores dos títulos apresentados seja superior a esse valor.

6.2

Os títulos deverão ser entregues no dia, local e horário a ser divulgados aos candidatos. Ao entregar os títulos, o candidato receberá o Protocolo de Entrega dos Títulos.

6.3

O candidato, na entrega dos títulos, deverá anexar o Formulário para Entrega de Títulos, conforme modelo no Anexo II deste Edital, já devidamente preenchido e assinado, decla- rando os títulos entregues, seu nome, RG e cargo pretendido, com letra legível ou de for- ma.

6.4

Os títulos e o formulário deverão ser entregues dentro de envelope opaco, tamanho ofício, ou similar, constando na sua parte externa os seguintes dados:

Prefeitura Municipal de Cordeirópolis Processo Seletivo - Edital nº 003/2009 Candidato:

Emprego:

Data:

/

/

6.5

Não serão recebidos originais de documentos. As cópias dos documentos entregue somen- te serão analisadas se autenticadas, em Cartório de Notas e não serão devolvidos em hi- pótese alguma.

6.6

A entrega dos documentos referentes aos títulos não faz, necessariamente, que a pontuação postulada seja concedida. Os documentos serão analisados pela Comissão de Concurso Público ou a empresa especialmente contratada para aplicação deste Processo Seletivo, de acordo com as normas estabelecidas neste Edital.

6.7

A não apresentação dos títulos importará na atribuição de nota zero ao candidato na fase de avaliação de títulos, que não possui caráter eliminatório, mas somente classificatório.

6.8

Os certificados e diplomas expedidos por instituição estrangeira deverão ser revalidados por instituição de ensino superior brasileira.

6.9

Os títulos especificados neste Edital deverão conter timbre, identificação do órgão expedi- dor, carimbo e assinatura do responsável e data.

6.10

Para comprovação de conclusão de curso de pós-graduação em nível de mestrado ou dou- torado somente será aceito o diploma, devidamente registrado, expedido por instituição o- ficial ou reconhecida pelo MEC.

6.11

Todo documento expedido em língua estrangeira somente será considerado quando tradu- zido para a Língua Portuguesa por tradutor juramentado.

6.12

Cada título será considerado uma única vez.

6.13

Serão rejeitados, liminarmente, os títulos entregues fora do prazo divulgado no Edital.

4

6.14

Será permitida a apresentação de Títulos por procuração, mediante entrega do respectivo mandato, acompanhado de cópia do documento de identidade do candidato e apresentação da identidade do procurador.

6.14.1

Deverá ser apresentada uma procuração para cada candidato, que ficará retida.

6.15

Não serão aceitas, para feito de pontuação por titulação, declarações das instituições de ensino atestando que o candidato cumpriu as disciplinas teóricas do curso de graduação ou pós-graduação, porém que se encontram na fase de apresentação ou elaboração da mono- grafia.

6.16

Os títulos considerados neste concurso, suas pontuações, o limite máximo por categoria e

a forma de comprovação, são assim discriminados:

Títulos

Valor Unitário de Pontos

Máximo de Pontos no Item

Certificado ou Diploma de curso de Doutorado “Stricto Sensu”

8,0 (oito)

8,0 (oito)

Certificado ou Diploma de curso de Mestrado “Stricto Sensu”

5,0 (cinco)

5,0 (cinco)

Diploma de Graduação, com carga horária de no mínimo 360 horas

3,0 (três)

3,0 (três)

Certificado de curso de Especialização Pós-Graduação “Latu Sensu”, com carga horária de, no mínimo, 360 horas

2,0 (dois)

4,0 (quatro)

Experiência Profissional. Será considerado como título o tempo de e- xercício no magistério (PEB I ou PEB II, conforme o caso), a razão de 0,01 pontos por dia de efetivo exercício.

0,01 (um centé- simo)

30,00 (trinta)

Nota máxima em títulos

50 (cinqüenta)

Obs. Todos os títulos devem ser relacionados com a área da Educação

6.17

Não poderão ser apresentados títulos que sejam usados como pré-requisito para o exercí- cio do emprego em questão.

6.17.1

A apresentação, pelo candidato, de título que constitua pré-requisito para o exercício do emprego em questão, importará na imediata eliminação do candidato, deste processo sele- tivo.

6.18

Os títulos referentes à Experiência Profissional, tão somente serão considerados, se constar expressamente do documento apresentado, o número de dias de efetivo exercício no ma- gistério (PEB I ou PEB II, conforme o caso), do candidato;

6.18.1

Em caso de tempo de serviço concomitante, será considerado apenas um.

7 -

DO JULGAMENTO DAS PROVAS

7.1.

As provas serão julgadas na escala de 0 (zero) a 100 (cem) e terão caráter classificatório.

7.2.

Na avaliação da prova escrita será considerado o escore bruto. O escore bruto corresponde ao número de acertos que o candidato obtém na prova.

7.3.

Não haverá, em hipótese nenhuma, vista da prova.

8 -

DA CLASSIFICAÇÃO

8.1.

A nota final do candidato, que será considerada como parâmetro para a elaboração da es- cala de substituição, será igual ao total de pontos obtido pelo mesmo, na prova específica, adicionada ao número de pontos obtidos na Prova de Títulos.

8.2.

Os candidatos habilitados serão classificados por ordem decrescente do valor da nota final.

8.3.

Na divulgação das listas e editais contendo a classificação ou convocação dos candidatos,

nome do candidato eliminado ou desclassificado, deverá ser substituído pelo número de sua inscrição ou número de seu RG (Cédula de Identidade)

o

5

9 -

DO CRITÉRIO DE DESEMPATE

9.1

Havendo empate na Classificação Final, terá preferência, sucessivamente o candidato que:

a)

tiver maior idade;

b)

obtiver maior pontuação com relação às questões específicas;

c)

obtiver maior pontuação com relação às questões de Português

10

-

DO RECURSO E DA REVISÃO

10.1

Do indeferimento ou deferimento das inscrições caberá recurso dirigido ao Prefeito Muni- cipal, no prazo de 03 (três) dias, contados da divulgação do ato recorrido.

10.2

No prazo máximo e improrrogável de 03 (três) dias, a contar da data de publicação das no- tas e classificação final do processo seletivo, o candidato poderá solicitar, por petição fun- damentada, à Comissão de Processo Seletivo que proceda a revisão das notas a ele atribuí- das.

10.3

Ocorrendo irregularidade insanável ou preterição de formalidades substanciais que possam afetar no resultado do Processo Seletivo, qualquer candidato poderá interpor recursos, diri- gido ao Prefeito Municipal, no prazo máximo e improrrogável de 03 (três) dias, contado da ocorrência do fato que julgar irregular, devendo o Prefeito Municipal, se entender proce- dente o recurso, anular o processo seletivo, parcial ou totalmente, determinando o cumpri- mento da formalidade preterida, e se for o caso, proceder à imediata apuração de responsa- bilidades.

10.4

Os recursos a que se refere este Capítulo, terão efeito suspensivo, e deverão ser decididos no prazo máximo e improrrogável de 05 (cinco) dias, contados da data de sua interposição.

10.4.1

Os recursos deverão ser entregues na Prefeitura Municipal de Cordeirópolis - Serviço de Protocolo Geral, no horário das 13:00 às 16:00 horas, nos dias úteis.

10.5

Os recursos deverão estar devidamente fundamentados e conter o nome do candidato, o emprego no qual está inscrito, o número de inscrição e o número do documento de identi- dade.

10.6

Somente serão apreciados os recursos expressos em termos convenientes, que apontarem as circunstâncias que os justifiquem e interpostos dentro do prazo estipulado.

10.7

O recurso interposto por procurador só será aceito se estiver acompanhado do respectivo instrumento de procuração, com firma reconhecida e cópia reprográfica do documento de identidade do procurador.

10.8

Os recursos recebidos serão encaminhados à empresa Antunes Consultoria para análise e manifestação a propósito do argüido, sendo a resposta encaminhada diretamente para a Prefeitura que publicará o seu deferimento ou indeferimento, pela imprensa.

10.9

Serão indeferidos os recursos interpostos fora dos prazos estabelecidos.

11 -

DA HOMOLOGAÇÃO

11.1. O Seletivo será homologado após a publicação do resultado final, e transcorrido os prazos para interposição de recursos.

11.2. Caberá ao Prefeito Municipal de Cordeirópolis, a homologação deste Processo Seletivo.

11.3. A homologação deverá ser processada no prazo máximo e improrrogável de 5 (cinco) dias, contados da data da divulgação do resultado final do Seletivo.

12 -

DA CONVOCAÇÃO

12.1. A convocação do candidato, ante a ocorrência de vaga, obedecerá rigorosamente à ordem de classificação final dos candidatos habilitados, de acordo com as necessidades da Prefei- tura Municipal de Cordeirópolis.

12.2. Os convocados deverão apresentar, junto ao setor competente da Secretaria da Educação da Prefeitura Municipal de Cordeirópolis, toda a documentação necessária para o exercício

6

da atividade docente, sendo que, a falta de documentos importará na exclusão do candida- to da lista de classificação.

13 -

DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

13.1.

Será excluído do Seletivo o candidato que, além das demais hipóteses previstas neste Edi-

 

tal:

a)

apresentar-se após o horário estabelecido para a realização da prova;

b)

apresentar-se para a prova em outro local que não seja o previsto no Edital de Convocação

e

no Cartão de Protocolo;

c)

não comparecer a prova específica, seja qual for o motivo alegado;

d)

não apresentar um dos documentos de identidade exigidos nos termos deste Edital, para a realização da prova;

e)

ausentar-se do local da prova, durante sua realização, sem a devida autorização do fiscal;

f)

for surpreendido em comunicação com outras pessoas ou utilizando calculadora, livros, notas, ou impressão não permitidos;

g)

lançar mão de meios ilícitos para a realização da prova;

h)

não devolver integralmente o material solicitado;

i)

estiver portando ou fazendo uso de qualquer tipo de equipamento eletrônico de comunica- ção (celulares, pagers, etc.);

j)

perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos.

13.2.

A inscrição do candidato implicará o conhecimento das presentes instruções e aceitação tácita das condições do Seletivo, tais como se acham estabelecidas neste Edital e nas nor-

mas legais pertinentes, das quais não poderá alegar desconhecimento.

13.3.

A inexatidão das afirmativas e/ou irregularidades nos documentos, mesmo que verificadas

a

qualquer tempo, em especial por ocasião da posse acarretarão a nulidade da inscrição,

com todas as suas decorrências, sem prejuízos das demais medidas de ordem administrati- va, civil ou criminal.

13.4.

O prazo de validade do Seletivo será de 01 (um) ano, contado da data da publicação do termo de homologação, não podendo ser prorrogado,.

13.5.

A aprovação e classificação definitiva geram para o candidato, apenas a expectativa de di- reito à ser convocado para prestar serviços. A Prefeitura Municipal de Cordeirópolis reser- va-se o direito de proceder às convocações dos candidatos, de acordo com a lista de classi- ficação, à medida das necessidades do serviço, de acordo com a ocorrência de vaga a ser substituída, durante o período de validade do Seletivo.

13.6.

O candidato deverá manter atualizado seu endereço desde a inscrição até a publicação da classificação definitiva, junto à Prefeitura Municipal de Cordeirópolis - Setor de Pessoal.

13.7.

Os itens deste Edital poderão sofrer eventuais alterações, atualizações ou acréscimos, en- quanto não consumada a providência ou evento que lhes disserem respeito, ou até a data

da convocação dos candidatos para a prova correspondente, circunstância que será men- cionada em edital ou aviso a ser publicado pelo órgão de imprensa que divulga os atos da Prefeitura Municipal de Cordeirópolis (Diário Oficial do Município de Cordeirópolis) e a- fixado no lugar de costume na Prefeitura Municipal de Cordeirópolis - SP e divulgação a- través da Rede Mundial de Computadores (Internet), pelo site: www.publicoweb.com.br.

13.8.

O não atendimento, pelo candidato, das condições estabelecidas neste Edital, implicará sua eliminação do Seletivo, a qualquer tempo.

13.9.

É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar os Editais, Comunicados e demais publicações referentes a este Processo Seletivo, através do órgão da imprensa que divulga os atos oficiais da Prefeitura Municipal de Cordeirópolis (Diário Oficial do Município de Cordeirópolis) e afixado no lugar de costume na Prefeitura Municipal de Cordeirópolis - SP e divulgação através da Rede Mundial de Computadores (Internet), pelo site:

7

13.10.

Os casos omissos serão resolvidos pelo Prefeito Municipal, ouvida sempre a Comissão de Seletivo e a empresa especialmente contratada para a preparação, elaboração, aplicação e divulgação deste Processo Seletivo.

Cordeirópolis, 02 de dezembro de 2008

(assinado no original) Carlos César Tamiazo Prefeito Municipal

8

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORDEIRÓPOLIS Estado de São Paulo

PROCESSO SELETIVO

E D I T A L

Nº 003/2008

A N E X O

I

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

TODOS OS EMPREGOS

PORTUGUÊS

CONTEÚDO: Ortografia; Verbo: Tempo, modos, vozes e conjugações; Pronome e seu emprego; Regência verbal e nominal. Concordância verbal e nominal. Estrutura da frase, da oração e do perí- odo; Sintaxe; Figuras de linguagem; Figuras de pensamento; Sinônimos e Antônimos; Pontuação; Formação de palavras; Literatura; Classes gramaticais; Acentuação.

Sugestões Bibliográficas:

1. CUNHA, Celso. Nova Gramática do Português Contemporâneo. RJ, Nova Fronteira, 1985.

2. Gramática em 44 lições - Francisco Platão Saviolli - Editora Ática.

3. Gramática da Língua Portuguesa - Pasquale & Ulisses - Editora Scipione.

4. Entre outras gramáticas reconhecidas da Língua Portuguesa

LEGISLAÇÃO

Indicações Bibliográficas:

Brasil, MEC, A Nova LDB 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE – Lei nº 8.069, de 13/07/1990. BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto/Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Lei Orgânica do Município de Cordeirópolis Lei Municipal nº 2233 de 30 de dezembro de 2004 (Institui o Plano de Carreira e Remuneração pra os integrantes do Quadro do Magistério do Departamento de Educação e Cultura do Município de Cordeirópolis e dá outras providências) e suas posteriores alterações (Leis 100/2006 e 103/2006)

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

PROFESSOR PEB I CONTEÚDO: Teoria e Prática da Educação – Conhecimentos Político-Pedagógicos – Função so- cial e política da escola: perspectiva critica e perspectiva neoliberal; gestão democrática e autono- mia na organização do trabalho escolar; projetos político-pedagógicos. A educação básica no Brasil:

acesso; permanência; inclusão e fracasso escolar. A organização da educação básica: LDB Lei Fe- deral 9394/96, ECA – lei 8.069/1990 e Constituição Federal, arts. 205 a 214.; princípios e fins da educação nacional; diretrizes curriculares para o ensino fundamental e para a educação infantil; pa- râmetros curriculares nacionais. Conhecimentos da Pratica de Ensino: Processos e conteúdos do en-

9

sino e da aprendizagem; conhecimento na escola; a organização do tempo e do espaço e a avaliação escolar, projetos de trabalho e a interdisciplinaridade; cotidiano escolar: relações de poder na esco- la; currículo e cultura; tendências pedagógicas na pratica escolar, referenciais da educação infantil, habilidades básicas (competências e alfabetização). A Filosofia, Sociologia e Psicologia da Educa- ção (fundamentos); História da Educação Brasileira; Sociedade Brasileira; Educação e Cidadania; Concepção de ensino e aprendizagem; Fundamentos de Currículo: conceito, fundamentos e compo- nentes; Fundamentação teórica, orientações metodológicas e enfoques das diferentes áreas do co- nhecimento; Avaliação do processo educativo; Didática.

Indicações Bibliográficas:

- Luckesi. Cipriano C. Avaliação da Aprendizagem Escolar. Editora Cortez. 18a edição, 2006.

- Morin. Edgard. Os Sete Saberes necessários à educação do Futuro. Cortez Editora. Unesco. 12a ed. 2000.

- Fagundes. Teresa Cristina Pereira Carvalho (organizadora). Ensaios sobre Gênero e Educação. Salvador. 2001.

- Ramos. Rossana. Passos para a Inclusão. Cortez Editora. 3a ed. 2006.

- Hoffmann. Jussara. Avaliação. Mito e Desafio – Uma perspectiva construtivista. 36a edição. Edi- tora Mediação. Porto Alegre, 2006.

- Prioste. Claudia e outros. Dez Questões Sobre a Educação Inclusiva da Pessoa com Deficiência Mental. Avercamp Editora. São Paulo. 1998.

- Paula. Jairo de. Como Contornar Situações Difíceis em Sala de Aula. 8a edição. São Paulo. 2000.

- Nérici. Imídio Giuseppe. Didática – Uma Introdução. 2a ed. São Paulo. Editora Atlas. 1993.

- Mizukami. Maria da graça Nicoletti. Ensino – As Abordagens do Processo. Editora Pedagógica e Universitária Ltda – EPU.

- Freire. Paulo. Professora Sim, Tia Não. Cartas a Quem Ousa Ensinar. Editora Olho D’Água. São Paulo. 2000.

- Abramovich. Fanny. Quem Educa Quem? 9a edição. Summus Editorial.

- Sant’Anna. Flávia Maria. Microensino e habilidades Técnicas do Professor. Editora Mc. Graw Hill do Brasil. 1979.

- Ferreiro. Emília. Alfabetização em Processo. 5a edição. Cortez Editora. São Paulo.1989.

- Moysés. Lucia. O Desafio de Saber Ensinar. 2a edição. Eduff Papirus.

- Freire. Paulo. Educação como Prática da Liberdade. 9a edição. Editora Paz e Terra. 1979.

- Lollini. Paolo. Didática e Computador. Quando e como a Informática na Escola. Edições Loyola. São Paulo. 1991.

- Parra. Nélio. Didática para Escola de 1o e 2o graus. 7a edição. Biblioteca Pioneira de Ciências So- ciais. Livraria Pioneira Editora. São Paulo.

- Paz. Sebastião. Orientador Moderno. Editora Panorama do Saber. 2001.

- Neto. Ernesto Rosa. Didática da Matemática. Editora Ática. São Paulo. 4a edição. 1992.

- Bertrand. Yves. Teorias Contemporâneas da Educação. Publicações Instituto Piaget.

- Parâmetros Curriculares Nacionais. Ensino Médio. Brasília. Ministério da Educação.1999.

- Moreira. Ana Angélica Albano. O Espaço do Desenho: A educação do educador. Editora Loyola.

3a edição. São Paulo.

- Cadernos de Pesquisa. Fundação Carlos Chagas. Novembro de 1989. n. 71.

- Cadernos de Pesquisa. Fundação Carlos Chagas. Maio de 1988. n.65. Escola em Tempo Integral.

- Piletti. Nelson. História da Educação no Brasil. Editora Ática. São Paulo.

- Beard. Ruth M. Como a Criança Pensa. Editora Ibrasa. São Paulo. 1978.

- Outras obras que abrangem o programa proposto.

10

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDO: 1. Área Biológica: Anatomia, Cinesilogia, Primeiros Socorros, Fisiologia do Exer- cício. - 2. Área Pedagógica: Psicologia da Educação e do Esporte, Aprendizagem Motora, Desen- volvimento Motor, Metodologia do Ensino da Educação Física. - 3. Área de Ginástica e Recreação:

Atividades Recreativas, Ginástica Atividades Escolares, Ritmo e dança. - 4. Área de desportos cole- tivos: Regras, Fundamentos, e técnicas de ensino do Voleibol, Basquete, Handebol, Futebol. - 5. Área de Desporto individual: Atletismo Fundamentos e técnicas de Ensino. - 6. Identidade, Cultura

e Cidadania. - 7. Educação Física Especial.

Indicações Bibliográficas:

- McArdle, William D.Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 5.ed. Rio

de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan, 2003.

- Borges, Kátia Euclydes de Lima e. Sugestões para o planejamento de aulas inclusivas de Educa-

ção Física e esporte com alunos com transtornos de défict de atenção/hiperatividade. In: Temas atu- ais VIII em educação física e esportes.

- Brandão, Maria Regina Ferreira. A psicologia do esporte. In: Cinergis Revista do Departamento de Educação Física e Saúde. Santa Cruz do Sul, RS Vol. 4, n. 2 (jul./dez. 2003).

- Petersen, Ricardo Demetrio de Souza. Desordens motoras na aprendizagem do esporte. In: Des- porto para crianças e jovens: razões e finalidades.

- Silva, Verônica Sales da. Atividades lúdicas no processo terapêutico em crianças com disfunção motora. In: Caderno de metodologia do ensino superior. Salvador, Ba Vol. 3, n. 3 (dez. 2001).

- Cavalheiro, Andrea Strumbogianakis. Dançar, ato de amor e comprometimento com o ser huma- no. Porto Alegre: UFRGS, 1995.

- Pereira, Ricardo Reuter. A interdisciplinaridade na ação pedagógica do professor de educação físi- ca da rede municipal de ensino de Porto Alegre. 2004.

- Wenetz, Ileana. Gênero e sexualidade nas brincadeiras do recreio. 2005.

- Levine, Shar. Brincando de Einstein: atividades científicas e recreativas para sala de aula. 2.ed. Campinas: Papirus, 1996.

- Regras oficiais de voleibol, basquete, handebol, futebol, atletismo.

- Teixeira, Hudson Ventura. Educação Física e Desportos. 3 ed. São Paulo: Saraiva 1997.

- Lemos, Ailton de Sousa. Voleibol escolar. Rio de Janeiro: Sprint, 2004.

- Guimarães, Pedro Paulo. Subsídios de handebol. [2003].

- Tenroller, Carlos Alberto. Futsal : ensino e prática. Canoas: Ulbra, 2004.

- Gaya, Adroaldo Cezar Araujo. Estratégia para organização de uma competição de atletismo para

criança, baseada no princípio da equidade de oportunidade de triunfo. In: Olho mágico; o cotidiano,

o debate e a crítica em educação física escolar. Canoas: Editora da ULBRA, 2001.

- Outras obras que abrangem o programa proposto.

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO ARTISTICA CONTEÚDO: Teorias e concepções de Arte: do pensamento antigo ao pós - moderno. As dimen- sões da Arte e suas principais articulações. Elementos básicos das composições artísticas (coreográ- ficas, teatrais, musicais, visuais, audiovisuais) e suas gramáticas articuladoras. Das origens da Dan- ça, do Teatro, da Música e das Artes Visuais à contemporaneidade. Características, produções e produtores dos principais períodos, escolas, movimentos e tendências no Brasil e no mundo. O co- nhecimento Arte no currículo escolar: razões e finalidades. Ensino de Educação Artística no Ensino Fundamental. A metodologia do ensino de Arte. O desenvolvimento expressivo nas diferentes áreas artísticas e suas relações com o desenvolvimento biológico, afetivo, cognitivo e sócio - cultural do

11

ser humano. As diferentes linguagens artísticas e a educação. Aplicação didática e prática dos se- guintes referenciais: Arte - área de conhecimento, Arte – Linguagem, Arte e Educação.

Indicações Bibliográficas:

- Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998 – Volume 1: Introdução; volume 2: Formação pessoal e social; volume 3: Conhecimento de mundo;

- BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. A imagem do ensino de Arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo: Perspectiva, 2005;

- BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Inquietações e mudanças no ensino da arte. Cortez. 2002,

- BASTIDE, R. Arte e Sociedade. São Paulo: Nacional, 1979; BOSI, Alfredo. Reflexões sobre a Ar- te. São Paulo: Ática, 2004;

- COLL, César e Ana Teberosky. Aprendendo Arte - Conteúdos essenciais para o Ensino Funda- mental de 1ª a 4ª série. Editora Ática: 2002;

- KOBAYASHI, Maria do Carmo Monteiro. A Construção da Geometria pela criança. Editora da

Universidade do Sagrado Coração – EDUSC, 2001;

- KOELLREUTER, H. J. Educação Musical no Terceiro Mundo: Função, problemas e possibilida-

des. In: Cadernos de Estudo - Educação Musical nº 1. São Paulo/ Atravez& Belo Horizonte/UFMG,

1990;

- MARTINS, Mirian Celeste. Didática do Ensino de Arte: a língua do mundo:poetizar, fruir e co-

nhecer arte. São Paulo: FTD, 1998;

- PROENÇA, Graça. Descobrindo a História da Arte. São Paulo: Editora Ática, 2005;

- ZANINI, Walter (org) História Geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 1983

- Outras obras que abrangem o programa proposto.

Cordeirópolis, 08 de outubro de 2009

(assinado no original) Carlos César Tamiaszo Prefeito Municipal

12

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORDEIRÓPOLIS Estado de São Paulo

PROCESSO SELETIVO - E D I T A L

Nº 003/2008

A N E X O

I

I

FORMULÁRIO PARA ENTREGA DE TÍTULOS

TÍTULOS APRESENTADOS

Candidato(a):

Emprego:

RG. nº

- Assinatura

Número de Títulos Apresentados

Relação dos Títulos

(

)

Data

/

/

13