Você está na página 1de 3
PRÁTICA 01: ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E ARREDONDAMENTO INTRODUÇÃO Sabemos que é impossível medir uma grandeza

PRÁTICA 01: ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E ARREDONDAMENTO

INTRODUÇÃO Sabemos que é impossível medir uma grandeza física com precisão absoluta, ou seja, qualquer medição apresenta um erro maior ou menor conforme a precisão da medida. Essa medida é baseada nos algarismos significativos que é definido como um conjunto de números corretos de uma medida, acrescido de um último algarismo, que é o algarismo duvidoso. Ex: 3,45 - tem 3 algarismos significativos e o número 5 é o duvidoso; 0,043 tem 2 algarismos significativos e o número 3 é o duvidoso; 12400 – tem 5 algarismos significativos e o número 0 é o duvidoso. Notemos que, zero(s) à direita é (ou são) algarismos significativos – segundo exemplo. E que zero(s) à esquerda não

é (ou não são) algarismos significativos – último exemplo.

OBJETIVOS

Verificar na pŕatica o conceito de algarismos significativos;

Aplicar a regra do arredondamento;

Expressar o resultado de um cálculo com um número correto de algarismos significativos.

MATERIAL NECESSÁRIO

correto de algarismos significativos. MATERIAL NECESSÁRIO Réguas com graduações diversas (centímetros e

Réguas com graduações diversas (centímetros e milímetros). Figuras geométricas (moedas, quadrados e triângulos com áreas diferentes). Calculadora.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Medir uma grandeza significa compará-la com outra de mesma espécie e verificar quantas vezes a primeira é menor ou maior do que esta. Em geral, a precisão de uma medida é determinada

pelo instrumento através do qual a medida é realizada e pela habilidade da pessoa que a realiza. Ao fazermos uma medida, devemos expressá-la de maneira que o resultado represente o melhor possível

a grandeza medida. Por exemplo, ao medirmos o comprimento mostrado na Figura 1 com uma régua

graduada em centímetros verificamos que o mesmo tem com certeza mais de 14 cm. Podemos estimar também mais uns 3 mm. Dizemos, então que o comprimento medido é 14,3 cm. Observe que nesta medida os algarismos 1 e 4 são exatos, enquanto que o 3 foi estimado sendo, portanto, um algarismo duvidoso. Por que, então, não expressamos o comprimento somente com os algarismos corretos? A resposta é que 14,3 cm dá uma melhor ideia do comprimento medido do que simplesmente 14 cm. Temos então, 3 algarismos significativos. Na Figura 2 podemos dizer que o valor medido é 14,35 cm, sendo os algarismos 1, 4 e 3 exatos e o algarismo 5 estimado. Neste caso temos uma medida com quatro algarismos significativos. Em uma medida, chamamos de algarismos significativos, todos os algarismos corretos mais o primeiro duvidoso. O algarismo duvidoso surge sempre ao estimarmos uma fração da menor divisão da escala do aparelho de medida. Nas operações com números significativos, arredonda-se para baixo se o algarismo desprezado à direita do menor algarismo significativo for menor ou igual a 4; arredonda-se para cima se o algarismo desprezado for maior ou igual a 5). REGRA PARA A SOMA E/OU SUBTRAÇÃO: O resultado de uma soma ou subtração terá o mesmo número de casas decimais da parcela com menor número de casas decimais. REGRA PARA A MULTIPLICAÇÃO E/OU DIVISÃO: O resultado de uma multiplicação e/ou divisão terá o mesmo número de ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS da parcela com menor número de ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS usadas no cálculo.

número de ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS usadas no cálculo. PROCEDIMENTOS Procedimento 1: Medidas com a escala em

PROCEDIMENTOS Procedimento 1: Medidas com a escala em centímetros

Medir o diâmetro do Círculo. Uma medida para cada membro da equipe. Anote o resultado na tabela.

Medida 1

Medida 2

Medida 3

Média

Diâmetro (cm)

Calcule o comprimento da circunferência usando o valor médio do diâmetro.

Calcule a área do círculo.

Meça os lados do triângulo retângulo e anote os resultados na tabela abaixo.

 

Medida 1

Medida 2

Medida 3

Média

Hipotenusa a (cm)

       

Cateto b (cm)

       

Cateto c (cm)

       

Verifique se suas medidas satisfazem o teorema de Pitágoras. Comente o resultado.

 

Meça o lado do quadrado e anote os resultados na tabela abaixo.

 
 

Medida 1

Medida 2

Medida 3

Média

Lado L (cm)

       

Calcule a diagonal: D = L√2 (Utilizar todos os algarismos para a √2).

Meça individualmente a diagonal e compare com o valor calculado anteriormente. Comente o resultado.

Procedimento 2: Medidas com a escala em milímetros

Medir o diâmetro do Círculo. Uma medida para cada membro da equipe. Anote o resultado na tabela.

 

Medida 1

Medida 2

Medida 3

Média

Diâmetro (cm)

       

Calcule o comprimento da circunferência usando o valor médio do diâmetro.

 

Calcule a área do círculo.

 

Meça os lados do triângulo retângulo e anote os resultados na tabela abaixo.

 
 

Medida 1

Medida 2

Medida 3

Média

Hipotenusa a (cm)

       

Cateto b (cm)

       

Cateto c (cm)

       

Verifique se suas medidas satisfazem o teorema de Pitágoras. Comente o resultado.

 

Meça o lado do quadrado e anote os resultados na tabela abaixo.

 
 

Medida 1

Medida 2

Medida 3

Média

Lado L (cm)

       

Calcule a diagonal: D = L√2

Meça individualmente a diagonal e compare com o valor calculado anteriormente. Comente o resultado.

PÓS-LABORATÓRIO

Um paralelepípedo tem lados: 23,17 mm, 16,53 mm e 4,02 mm. Use uma calculadora para determinar o volume. Anote o valor fornecido pela calculadora e depois a resposta com um número correto de algarismos significativos.

No quadro abaixo, fizemos as contas com uma calculadora e deixamos para você escolher a resposta com um número correto de algarismos significativos.

Operações

Resultado da calculadora

Resultado com algarismos significativos

12,53 m + 35,4 m

47,93 m

 

47,09 cm – 12, 1 cm

34,99 cm

 

1,53 m x 9,8 m x 4,321 m

64,789074 m 3

 

(14,53 m : 3,98 m) x 4,5 m

16,4283391 m

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DIAS, NILDO LOIOLA; OLIVEIRA, RINALDO E SILVA DE; CAVALCANTE, FRANCISCO SALES ÁVILA. Práticas de Física: na escola e na vida. Coleção Programa de Formação Continuada e em Serviço na área de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Fortaleza, CE, Secretária de Educação, 2009.

NASCIMENTO, JOSIVAN MANOEL DO; SOUZA, MARCUS VENÍCIUS JULIANO DE; ABAGE, MIGUEL; CHAVES, PETRUS CARLOS; GAIÃO, JOSENILDO PEREIRA; JÚNIOR, EDVALDO; GORETTE, MARIA; JERÔNIMO, SULLY JERÔNIMO; SILVA, CÍCERO HENRIQUE DA; SILVA, CARLOS ALBERTO FAUSTINO; RODRIGUES, MAURICIO JOSÉ. Manual de Laboratório: Experimentos de Física. CENTROS DE ENSINO EXPERIMENTAL GINÁSIO PERNAMBUCANO, PANELAS E TIMBAÚBA.

Obs: Recorte as escalas abaixo para fazer as medidas desta prática.

GINÁSIO PERNAMBUCANO, PANELAS E TIMBAÚBA. Obs: Recorte as escalas abaixo para fazer as medidas desta prática.
GINÁSIO PERNAMBUCANO, PANELAS E TIMBAÚBA. Obs: Recorte as escalas abaixo para fazer as medidas desta prática.
GINÁSIO PERNAMBUCANO, PANELAS E TIMBAÚBA. Obs: Recorte as escalas abaixo para fazer as medidas desta prática.
GINÁSIO PERNAMBUCANO, PANELAS E TIMBAÚBA. Obs: Recorte as escalas abaixo para fazer as medidas desta prática.