UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CAMPUS II – ALAGOINHAS – BA PROFESSORA ORIENTADORA: VALDECI DOS SANTOS DISCIPLINA

: PRÁTICA PEDAGÓGICA E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ALUNA: ELLEN MATOS SILVA BOMFIM

São conteúdos do estudo dirigido: Plágio, Projetos Educacionais e Abordagens Metodológicas.

A atividade docente requer uma formação contínua para estabelecer inovações no exercício profissional e por meio desta formação, segundo Perrenoud (2000) apud Paim e Frigério (s.d.), buscar reformulações que visem “praticar uma pedagogia ativa e diferenciada, buscando sempre envolver os alunos em procedimentos de projeto, conduzi-los a uma avaliação formativa e ao trabalho em equipe”. Para que essas reformulações sejam colocadas em prática, é necessária a criação de um Projeto Educacional com atividades que possam ser realizadas por todos os alunos, e que essas atividades ultrapassem os limites das escolas, universidades ou sistemas educacionais. Mas o que é um Projeto Educacional? De acordo com Moura e Barbosa (2007) e Silva (2009), é um planejamento de trabalho com objetivos bem definidos em função de problemas, necessidades, oportunidades, ou interesses de uma organização ou grupo de pessoas, com finalidade de planejar e orientar ações voltadas para a melhoria de processos educativos em seus diferentes níveis e contextos. Desta forma, um Projeto Educacional, quando posto em ação, irá possibilitar a integração de todos os alunos, realçando as qualidade e habilidade de cada um, além de solucionar problemas diagnosticados pelo professor em sala de aula. O Projeto Educacional apresenta cinco propostas tipológicas de projeto que irão nortear a atividade do professor e, desta maneira, desenvolver as competências citadas anteriormente. Segundo, Moura e Barbosa (2007), tais tipologias são: Projeto de Intervenção: “é um projeto que irá promover uma intervenção no foco do problema,

alterando a organização e a operação do sistema com a função de resolver ou atender as necessidades”. junto com os alunos. 2006). propondo novos rumos pedagógicos inseridos em modelos epistemológicos que ressaltam a capacidade de criar. transcendendo o “conteudismo” conservador das práticas das salas de aula. Ensino. numa perspectiva teórica e histórica. . além de desenvolver uma maior qualidade de ensino. A partir desta análise. nos contextos formativos formal. o ensino de conteúdos significativos. realizados por professores”. os docentes necessitam realizar previamente um planejamento fundamentado nas principais necessidades e perfil de cada turma. Mas o que vem a ser estratégia metodológica? Segundo Mazzioni (2006) e Souza (2011). Souza (2011) ressalta ainda que as abordagens metodológicas: “Refletem desdobramentos de concepções de Formação. “desenvolvendo ações. o professor irá buscar por estratégias metodológicas que possibilitem a integração de todos. e Projetos de Aprendizagem: “projeto realizado por alunos no âmbito escolar com a finalidade de desenvolver-se em determinados pontos de uma disciplina”. que ultrapassem as fronteiras da fragmentação do saber. a utilização de estratégias metodológicas diversificadas nos projetos irão desenvolver competências individuais e gerar aprendizagens fundamentais. contemplando a relação contextual ensino e prática social. Projetos de Pesquisa: “este visa obter conhecimentos sobre determinado problema verificando e apurando soluções através de experimentações”. Projetos de Ensino: “visam promover melhorias no processo de ensino aprendizagem. Projetos de Desenvolvimento: “são projetos internos de um sistema buscando inovar em suas atividades”. Educação. de construir e de se harmonizar com o universo” (OLIVEIRA. Aprendizagem. Ao desenvolver os projetos. Sociedade e Cultura. envolvendo uma ou mais disciplinas. a relação cultura científica-cultura humanística”. não-formal e informal. Desta forma. métodos de ensino norteadores de aprendizagem significativa. Cabe ressaltar que tais projetos não são excludentes e o professor pode articula-los. refere-se aos meios utilizados pelos docentes na articulação dos conteúdos implicando no processo ensino-aprendizagem. a dialética entre o lugar de fala e o lugar de escuta implicado na relação professor-aluno e a dinâmica cognitiva inerente às concepções de conhecimento e de experiência.

a criar autoconfiança.d. al. Por apresentar tais benefícios.d. s. a utilização de variadas estratégias metodológicas irá promover o desenvolvimento das habilidades e dos valores dos alunos.) “se configura quando . de acordo com os PCNs apud Brasil (1998) citado por Valentin e Santana (s. A metodologia de projeto é bastante atraente. estudo de texto.d. Esse desafio instiga os alunos a buscar pela verdade. “favorecem o desenvolvimento da capacidade de decidir. a metodologia de projeto. Os projetos dão margem a perguntas desafiadoras e colocam os alunos em uma posição ativa de investigador (CRIANDO PROJETOS. essa atitude é conceituada como plágio. além de proporcionar aos estudantes a alegria em aprender. trabalhos falsificados. segundo Oliveira (2006). sendo assim determinados como se fossem de autoria própria. vem sendo bastante aplicada em sala de aula e. falar e escutar. (s. aulas práticas. além de ajuda-lo a “refletir e a criar com autonomia soluções para os problemas que enfrenta” (OLIVEIRA.).Desta maneira. tornando-se apenas. não faz questionamentos ao que é “transmitido” pelo professor. que segundo Nery et. um assimilador de conhecimentos. a utilização desse tipo de estratégia rompe com os arcaicos paradigmas de ensino. 2006). Essas atitudes refletiram na vida do aluno.. consequentemente. pois. na sua maioria. onde este torna-se apto a tomar decisões e fazer escolhas adequadas na vida. Esses. desta forma. desenvolvendo habilidades essenciais para a formação integral do ser humano”. metodologia de projeto e entre outros” (SOUZA. em descobrir e pesquisar. debate. estudo do meio. a utilização de metodologia de projeto na sala de aula é uma alternativa promissora. vem ocorrendo uma profusão de publicações de trabalhos científicos. segundo Oliveira (2006). estudo dirigido. a correlacionar o tema em questão com sua vivência.. ultimamente. 2011).. entre outros. a refletir sobre os fatos. “é um verdadeiro atentado aos direitos morais do autor: tanto à paternidade quanto à integridade de sua criação”. superior aos alunos e não correlaciona a vivência da sala de aula com a vida real dos alunos e esses não interagem com as aulas. segundo Moraes (s. Esse tipo de atitude. Desta forma. construção de mapas conceituais. pesquisa. produção de textos.. apresentam conteúdos registrados sem fazer menção do verdadeiro autor. no qual o professor é o sabe tudo. uma vez que envolve os alunos em investigações de problemas que geram resultados originais que se assemelham com a vida real. Publicando. Dentre essas estratégias.).d.). Dentre essas variadas estratégias metodológicas encontram-se “exibição de filmes. escolher. “forçando-os” a pesquisar. Nesse contexto.

Já o artigo 33 da Lei de Direitos Autorais apud Kischelewski (s. Preocupados com essa má conduta dos estudantes e pesquisadores e “diante da inexistência de normas internas especificas e instrumentos estabelecidos para o tratamento adequado de ocorrência dessa natureza” (OLIVA. uma comissão com objetivo de criar recomendações e diretrizes sobre o tema da Ética e Integridade na Prática Científica. “a punição pode consistir em detenção de 3 meses a 1 ano e multa. a CNPq vem agindo de forma preventiva nos cursos de graduação e pós-graduação incentivando na abordagem de questões éticas.br/normas/lei_po_085_11. este definido como a republicação de resultados científicos já divulgados como se fossem novos. .br/normas/lei_po_085_11.htm). 2011).cnpq. O texto em questão “tipifica quatro condutas ilícitas. a fabricação de resultados. estabelecendo parâmetros para investigar eventuais condutas reprováveis (http://www. Desta forma. Caso o plágio seja cometido com intenção de se obter lucro. (http://www. sem citá-lo como fonte de pesquisa”. o plagio e o autoplagio. Cabe resaltar que a CNPq também condena autores que não participam do trabalho diretamente.um aluno retira. através da portaria PO-085 de 5 de maio de 2011. conceitos ou frases de outro autor (que as formulou e as publicou).d. sem lhe dar o devido crédito. a falsificação.). As punições. para que esses transtornos não venham a ocorrer. sem informar a publicação prévia”. além do pagamento de multa”. variando de 2 a 4 anos. o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) criou. seja de forma direta ou indireta. de acordo com a CNPq.htm). ideias. seja dos livros ou da Internet. a pena será ainda maior. ocorrerão a suspensão de financiamento por meio de bolsas e a devolução do valor que foi investido no trabalho.cnpq.

pdf>. Disponível em: < http://www. Planejamento e gestão de projetos educacionais.12. L. UFSC.pdf.03.br/disciplinas/mte/APOSTILA_MTE...br/normas/lei_po_085_11. CNPq. s.03.com. Disponível em: < http://ambd. Acesso em 07.( Departamento de Engenharia de Produção.pdf. S.2007.12. BRAGAGLIA.B.. C. KISCHELEWSKI. D. Programa de Mestrado em Tecnologia). The perception of academic plagiarism concept among production engineering students and actions for its reduction. F. Belo horizonte. Criando projetos: características dos projetos Benefícios do trabalho com projeto. Acesso em 08. MOARES. s. Acesso em 08.2012. Brasília.br/banco_objetos/%7BED9D77D3-29EC4DD2-BF761233A70DD3EC%7D_Apresenta%C3%A7%C3%A3o%20para%20professores. SOUZA. BARBASTEFANO.S. Entenda o Direito Autoral..03. Universidade Comunitária Regional de Chapecó: Unochapecó. Florianopolis-SC. Disponível em: <Http://www.. As Estratégias Utilizadas no Processo de Ensino – Aprendizagem: Concepções de Alunos e Professores de Ciências Contábeis. R. BARBOSA.. 2006. NERY. P. MOURA. Percepção do conceito de plágio acadêmico entre alunos de engenharia de produção e ações para sua redução. Ética e Integridade na Prática Científica.03.edu. Acesso em: 08 de março de 2012. N.G.pdf>.br/pesquisa/swf/DireitoAutoral. Disponível em: http://faculdadesocial.REFERÊNCIAS ARAÚJO. Metodologia e técnicas de ensino. BARBOSA.com. R.htm>.d. Acesso em: 07.cnpq.d.03.. Nem Tudo Que Parece é: Entenda o Que é Plágio.G. F.2012. A.aprendebrasil. Disponível em: http://www.2012.G. CLEMENTE. 2011.C.tecnologiadeprojetos.hd1..pdf. 2007.br/dialogospossiveis/artigos/4/06. O Plágio na Pesquisa Acadêmica: A proliferação da Desonestidade Intelectual. 2009.d. Disponível em: http:///education/Common/br/resources/DEP/projectDesign/DEP_pbl_research. L. s. Acesso em 08.G. MANZZIONI. F. Disponível em: .com.

Acesso em: 08. CEFET.br/normas/lei_po_085_11. N. GT: Educação Ambiental.V..com. s. A. 2006. Sites: http://www. VALENTIN. R. n.L.12 PAIM. dissertação de mestrado.22. SANTANA. E. C.http://www. n.ebah.C. na Educação Básica. SILVA. N.cnpq. Significado e contribuições da afetividade. OLIVEIRA.03. L.br/content/ABAAABqqYAC/nem-tudo-que-parece-entenda-queplagio.htm . Revista Metáfora Educacional. UNIVEN: Nova Venécia – ES.Cap2. Disponível em: <http://professoranilma. SANTOS. L.blogspot. Projetos de educação ambiental no contexto escolar: Mapeando possibilidades.03. no contexto da Metodologia de Projetos. O Desafio de Trabalhar a Diversidade Cultural na Escola. Metodologia de Projetos..html>.. A Abordagem metodológica estudo do meio no currículo de formação de professores e discursos formativos sobre identidade profissional do professor.com/2009/04/metodologia-de-projetos. Methodological approach Study in the educational setting in teacher training curriculum and formative discourses about professional identity of teacher.2012. UNESP.d. Feira de Santana-BA. A Metodologia de Projetos como recurso de ensino e aprendizagem na Educação Básica.11. Rio Claro. FRIGÉRIO. Acesso em: 08. 2009.(Dissertação de Mestrado). Belo Horizonte-MG. 2011.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful