Você está na página 1de 9
www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

LIÇÃO 11 – CPAD – Juvenis TEMA: Seus relacionamentos e a Bíblia

COMENTARISTAS Régia Maria Carvalho César Moisés Carvalho Miriam Reiche Verônica de Oliveira Araújo

LIÇÃO 11 QUAL É O CERTO?

TEXTO BÍBLICO

Efésios 5.1­8, 15­17

ENFOQUE BÍBLICO

“Não sabeis vós que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6.19).

OBJETIVOS

Definir o que significa “namorar” e “ficar”. Analisar as conseqüências da sexualidade e sensualidade precoce. Apontar o que a Bíblia diz sobre o assunto.

INTRODUÇÃO

Em razão da forte pressão a que os Juvenis estão submetidos, é necessário o ensino e o reforço dos valores bíblicos referentes ao tema proposto.

OBS: Na próxima lição será abordado o jugo desigual.

Namorar ou ficar?

De repente, dois jovens são atraídos um pelo outro. A atração é normal: “Você é toda linda, minha querida; em você não há defeito algum” (Ct 4.7 – NVI).

Em primeiro lugar, vamos destacar a diferença entre amor e paixão.

Amor e Paixão

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

Uma das justificativas para se ter um relacionamento sexual antes do casamento é o fato de se estar apaixonado. Assim, a atração entre o par seria “irresistível”. É necessário traçar­se um limite entre a paixão e o amor.

A paixão é cega, egoísta e só pensa no momento presente. Já o amor se preocupa com a pessoa envolvida, não faz nada que possa prejudicar o outro, cuida de sua reputação. O amor verdadeiro é capaz de sacrifícios.

Em primeiro lugar, quanto às qualidades e defeitos é necessário avaliar se estes não são vícios ou impedimentos reais a uma ligação mais profunda. Se os defeitos não são de caráter destrutivo, então, podem ser equilibrados pelo amor. Quando um dos elementos do par é mentiroso, não aprecia trabalhar, apresenta desculpas improváveis para suas ações, é hora de uma reflexão: aprecia­se conviver com um mentiroso, uma pessoa que não leva a sério o trabalho e o estudo?

A Palavra de Deus estabelece as características do amor: “Não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal” (1 Co. 13.5 ­ ARA). O verdadeiro amor não age para envergonhar ninguém, porém cuida do bem­estar da pessoa amada. Amor verdadeiro pressupõe respeito, não difama, segue as normas estabelecidas, jamais prejudica o outro.

A paixão apenas se preocupa com o momento sem atentar para os sentimentos da outra pessoa; o amor se preocupa com o outro e pode crescer.

É necessário, pois, não deixar se guiar pelas emoções, mas para serem observadas as características do outro. O namoro é um tempo para a aproximação, conhecer­se um ao outro. Existe a necessidade de verificarem­se as primeiras impressões se confirmam.

Um namoro pode ser firmado ou não. Há necessidade de um ouvir o outro, para então, decidir se o relacionamento deve estabelecer­se ou ser interrompido. Alguém pode tentar enganar­nos, porém com o tempo, suas palavras demonstrarão seu caráter:

Em primeiro lugar, precisamos destacar o que, em nossa cultura, representa o namoro:

uma fase de relacionamento, diálogo para se conhecer alguém, para que depois, possa ocorrer o noivado e o casamento. Ocorre que com a proliferação do pecado, novas táticas vão se introduzindo como “o ficar”. Existem aqueles que estão desinteressados em um compromisso e então ocorre o brincar com o sentimento alheio.

A fase do namoro é realmente uma fase de diálogo, de comunicarem seus sonhos. È um tempo para se conhecer realmente a pessoa que, futuramente, poderá estar a seu lado. Assim, também se observa a preferência de cada um: o que um gosta, o que o outro não aprecia. Quem é a pessoa? Como reage ao ser contrariada? Quais são seus sonhos? Estuda ou trabalha? Sabe respeitar? Leva a sério as verdades bíblicas? Cultua a Deus? È reverente no culto?

Os textos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, e não traduzem necessariamente a opinião deste Site e/ou de seus patrocinadores.

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

Um dos fatores importantes no namoro é o relacionamento familiar. O Juvenil não deve isolar­se de da família. O seu pretendente deve saber que o outro (a) tem família e deve procurar conhecê­la. Deve­se desconfiar daqueles que desejam que seu amado (a) se volte contra a família. Qual será a intenção da tentativa de isolar­se alguém da família? (Permita que os alunos respondam). Tal pessoa que colocou na cabeça do outro que não deve importar­se com a opinião da família; depois romperá o relacionamento e dirá aos outros: ‘Também, ele (ela) não se dava com a família!

As regras estabelecidas pela família devem ser seguidas: o horário de entrada, saída às vezes apenas no final da semana, por exemplo. Os pais, pessoas mais experientes, são capazes de dar orientações seguras e confiáveis: “Meu filho, obedeça aos mandamentos de seu pai e não abandone o ensino de sua mãe. Amarre­os sempre junto ao coração; ate­os ao redor do pescoço. Quando você andar, eles o guiarão; quando dormir, o estarão protegendo; quando acordar, quando falarão com você” (Pv 6.20­22 ­ NVI).

O jovem sofre inúmeras influências do mundo: por meio de revistas, novelas existe a tentativa de impor­se um padrão mundano. Quem não o segue é rotulado de “ultrapassado”, “estar por fora” “quadrado” dentre outros. Assim, uma das influências altamente nocivas pode der observada pelo “ficar”.

O dicionário Houiass apresenta o registro de ficar como regionalismo e seu uso informal. Considerados estes aspectos, ficar é registrado com o sentido de manter o convívio com alguém de algumas horas sem compromisso de estabilidade ou fidelidade amorosa.

O termo “ficar” na maioria das vezes tem sido empregado para indicar um relacionamento de intimidades físicas. É para tentar passar a idéia que todos entraram nessa “onda”. Ainda tenta transmitir o conceito de que a pessoa que não aderir ao ficar, estará de lado, sozinha, solitária: “O inexperiente acredita em qualquer coisa, mas o homem prudente vê bem onde pisa” (Pv 14.15 – NVI). O apelo emocional é fortíssimo. Até parece que os “ficantes” serão felizes? Será que o Juvenil acredita que no final, os participantes desse modismo imoral realmente desfrutarão de paz e felicidade?

Devemos ter cuidado com as idéias que o mundo apregoa. Uma delas é a que a virgindade é um tabu; que o jovem que a adota é ultrapassado; está por fora. Sempre há aqueles que tentam ridicularizar nossos conceitos cristãos. Por que o fazem? Eles agem assim, porque apreciam a quebra dos padrões bíblicos, ao mesmo tempo em que desejam arrastar um jovem para o “ficar” no sentido mais usual da expressão. Desejam uma ligação sem compromisso. Depois de ter intimidades físicas, descartam a pessoa.

A Bíblia destaca que o jovem deve manter­se puro, não devem existir intimidades sexuais fora do casamento. É fundamental o exercício do domínio próprio, também denominado na Bíblia de temperança.

Os textos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, e não traduzem necessariamente a opinião deste Site e/ou de seus patrocinadores.

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

OBS: “A temperança como fruto do Espírito é a abnegação dos desejos ou prazeres maus: mundanos, egoístas, mesquinhos, indignos, carnais e pecaminosos, contrários à Palavra de Deus, à santidade do Espírito, e à nossa natureza cristã, conforme 2 Pedro 1.4” (Antonio GILBERTO. O fruto do Espírito, p. 134).

Nossos jovens são pressionados a aderir às práticas imorais. O argumento empregado é:

‘A água roubada é doce, e o pão que se come escondido é doce’ (Pv. 9.17 – NVI), ou

seja praticar coisas proibidas, é divertido. É divertido brincar com os sentimentos

alheios? Tratar o seu próximo como senão fosse nada? Deus nos criou com objetivo:

temos valor e devemos aprender a valorizar o que Deus nos deu: “Porque fostes

comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso

espírito, os quais pertencem a Deus” (1 Co 6.20).

Quantas lágrimas são derramadas pelos jovens que foram vítimas do “ficar”. A pessoa

que feriu de tal forma os sentimentos dos outros sofrerão as conseqüências diante de

Deus: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem

semear, isso também ceifará” (Gl 6.7). Também, pode­se sofrer, porque deixamos de

observar a ordenança da Palavra de Deus: Alguém afirma que “gosta de alguém”,

prepara­lhe uma armadilha Este cai num laço e depois declara: ‘Eu só fiquei’. Só

..

“ficou” e destruiu um coração. Expressa­se dessa forma, como de não tivesse

responsabilidade por seus atos: “Alegra­te, jovem, na tua juventude, e recreie­se o teu

coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem ao teu

coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas cousas Deus te

pedirá conta” (Ec 11.9 ­ ARA). O jovem cristão seve buscar a verdadeira alegria, não o

falso prazer.

Como ficará a sua consciência? Deus nos criou com livre­arbítrio, capacidade de julgar,

de não aceitar qualquer proposta, principalmente quando se sabe, previamente, que ela é

imoral. È melhor permanecer na vontade do Senhor. A “alegria” que o pecado traz é

passageira; logo terminará em dor. Faça a escolha certa como Moisés: “Escolhendo,

antes, ser maltratado com o povo de Deus do que por, um pouco de tempo, ter o gozo

do pecado” (Hb 11.25).

Muitas vezes é difícil para o Juvenil, demonstrar firmeza diante de colegas que o

ridicularizam por não concordar com os padrões mundanos em relação ao namoro. O

certo é que não podemos nos espelhar nos outros, mas na Palavra de Deus. Se almejarmos

o nosso bem, desejarmos ser felizes, devemos praticar o que nossa consciência cristã

ordena. O tempo mostrará a infelicidade daqueles que cederam à imoralidade. Contra o

ficar, adote o ser firme em seus propósitos: “Portanto, amados, sabendo disso,

guardem­se para que não sejam levados pelo erro dos que não têm princípios

morais, nem percam a sua firmeza e caiam” (2 Pe.3.17­ ARA).

Estejam atentos (as)!

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

Deus nos concedeu vida e também vida eterna. Não devemos desperdiçar a nossa vida

por um momento de prazer! É necessário estar vigilante e fugir da tentação. Tudo

acontece de modo sutil. Certos hábitos mundanos devem ser totalmente rejeitados, como

o “selinho”. Depois,beijos, carícias, prolongadas. Os dois ficam demasiado tempo a sós.

Precipitam­se; não conseguem dominar as emoções; depois a tristeza de ter “avançado” o

sinal. Quem avança o sinal vermelho no trânsito, corre perigo. Quando desobedecemos às

advertências, cuidados da Palavra de Deus, podemos cair em armadilhas.

Não podem ser aceitos os convites para um relacionamento constituído à base da

imoralidade: o que se inicia por meio do pecado, terminará

sofrimento.

certamente com dor e

Dizer “não” a uma situação tentadora é dizer que ama a pessoa e não deseja apenas um

relacionamento ocasional. È guardar­se a si mesmo para o âmbito do casamento. É não

contentar­se com emoções passageiras. Se a pessoa envolvida disser que não compreende

a atitude de outro, é porque não deseja um compromisso sério. Quem ama não fará nada

para envolver o outro em uma situação imoral, não o forçará a tomar uma atitude

contrária a seus princípios.

Devido a nossos princípios muitos se afastarão de nós. Em certos momentos, será até uma

bênção que se apartem de nós. Outros se aproximarão; porque sentirão em nós uma

“fibra” moral, de verdadeira determinação de não ceder a impulsos, formas mundanas de

relacionamento. Um rapaz convertido apreciará os valores de uma jovem convertida, pois

sabe que pode confiar nela. Ela não é “arrastada” pela opinião dos outros.

Possíveis desculpas apresentadas para tentar justificar um relacionamento sexual antes do

casamento:

  • ß Todos os jovens agem assim. Será? Existem aqueles que resolveram guardar­se um para o outro. Não temos de decidir pela cabeça dos outros, nem pela maioria. Cada um tem de tomar decisões e assumi­las. Os outros não poderão fazer nada por nós.

  • ß Medo de perder o seu amado e ficar sozinho. Em primeiro lugar, a companhia de alguém não significa necessariamente que a solidão termine. Há muitas pessoas que sofrem de solidão ao lado de outro ser humano. Não adianta simplesmente “ter alguém”. A companhia de outra pessoa só é importante, quando existe amor e preocupação pelo bem­estar. Se a pessoa ficar sozinha, ainda haverá possibilidade de relacionar­se com outra pessoa que ame a Deus, que valorize você e seja comprometido com o Senhor.

  • ß Que temos a perder? Por um momento de prazer desfrutado fora do tempo, tem­se tudo a perder: a confiança um no outro, consciência pesada, a comunhão com Deus.

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

  • ß Como sabemos se dará certo se não experimentarmos antes? Há tantas coisas que não podemos experimentar antes. O novo trabalho, novo emprego. Não pode ser testado antes do tempo apropriado. A pessoa tem de enfrentá­lo com suas expectativas, com seus novos desafios. A união de duas pessoas não deve ser encarada como uma aventura, mas como um amor responsável. Supondo­se que há necessidade de uma experiência antes do casamento e depois se usa a desculpa: ‘Não deu certo’ para a separação. Quantas experiências serão necessárias até se firmar um compromisso? Vê­se a armadilha forjada para a prática da imoralidade constante. Porém, se na época do namoro, o par chega à conclusão que o relacionamento não deve prosseguir, e não houve comprometimento sexual, será menos doloroso o rompimento. Pode­se buscar outro relacionamento com a ajuda de Deus sem constrangimento e sem traumas.

  • ß Para ser popular. Alguns são adeptos do relacionamento préconjugal para “contar” vantagem.

  • ß Para preencher alguma carência afetiva. Quem preenche o nosso vazio é Deus. Precisamos sentir o Seu amor, para então podermos amar de forma especial alguém. Não podemos colocar a responsabilidade do outro satisfazer todas as nossas carências emocionais. E muito menos, permitir um relacionamento íntimo para tentar resolver problemas emocionais, ao contrário estes se agravarão. Deve­se lembrar que amar representa mais dar do que receber.

Um impacto negativo

Duas pessoas se interessam uma pela outra para construir algo, um relacionamento inicial

pode tornar­se algo positivo ou negativo.

Determinadas atitudes são estranhas a um namoro, ou seja, podem assumir impacto

negativo, conseqüências desagradáveis. Abandonar a igreja, “relaxar” nos estudos podem

ser dois exemplos. O par deve ter cuidado com sua vida espiritual: deve dedicar tempo à

oração, à leitura da Bíblia; deve ser freqüente aos cultos, participar das atividades

propostas pela direção da igreja. Se existe descuido da parte espiritual, isso afetará o lado

emocional. Se houver o cultivo da vida espiritual, quando ocorrer uma crise será mais

fácil superá­la.

O par deve não descuidar dos estudos e do trabalho. Não devem dedicar­se ao namoro,

desejando encontrar­se em todo o tempo de tal forma a impedir que cada um estude de

modo responsável. Um não deve solicitar o outro, impedindo seu crescimento. É

importante o horário dedicado ao sono.

A Bíblia recomenda o equilíbrio. O par deve ler bons livros cristãos, incluindo livros de

orientação para a fase juvenil que orientem sobre o período de namoro, noivado,

casamento.

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

Às vezes, investe­se tempo demasiado com o outro, impedindo o desenvolvimento

pessoal e profissional do outro. Até no uso do tempo, na divisão de atividades, deve

existir equilíbrio.O par deve ser um bom estudante para o bem dos dois. Deve­se ir com

prudência, pois o relacionamento poderá firmar­se ou não.

Outra atitude de caráter negativo são encontros escondidos sem o conhecimento dos pais.

Quando se termina um namoro:

O fim de um relacionamento não significa que a vida acabou. Algumas reflexões a serem

feitas:

  • ÿ Não abrigue sentimentos de culpa. Não carregue um “peso” desnecessariamente. Deus o (a) ajudará em um momento como esse, cheio de dúvidas e tristeza.

  • ÿ Não se deve falar mal, nem difamar a pessoa desse relacionamento. Isso só piorará a situação.

  • ÿ Lembre­se de que Deus tem um plano a seu respeito. Louve a Deus sempre, mesmo nos momentos de aflição.

  • ÿ Não é necessário dar os detalhes do rompimento.

  • ÿ Não se isole. Continue a conviver normalmente com os amigos, a freqüentar a igreja. Se encontrar a pessoa do relacionamento desfeito, cumprimente­a.

  • ÿ Não fica insistindo, não persiga a outra pessoa envolvida. É necessário dar um tempo para reflexão dos dois lados: dê um tempo para si mesmo, e um tempo para a outra pessoa.

  • ÿ Não procures se “vingar” , iniciando um novo relacionamento só para demonstrar que outra pessoa me “quer”. Depois de certa pausa para a reflexão, de certo tempo de oração, se for o caso, inicie novo relacionamento porque está de fato interessado nesta pessoa. Não faça alguém de desculpa para sua decisão.

  • ÿ Evite a autocompaixão, pena de si mesmo. Não tenha pensamentos negativas tias como: ‘Nada dará certo’ para mim. Confie em seu Deus.

  • ÿ Procure ajuda de Deus, leia a Bíblia. Seja curado de mágoa, Perdoe ao outro envolvido.

  • ÿ Sobretudo, lembre­se de que não é o único a passar por tal situação.

  • ÿ Peça ajuda, orientação dos pais e suas orações.

O que Deus pensa a respeito?

Deus deve ser buscado em primeiro lugar, não somente na hora de um problema. Ele

deve ser o nosso guia.

O cristão em tudo procura agradar a Deus: “Agrada­te do Senhor, e ele satisfará os

desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele , e o mais ele

fará” (Sl 37.4­5 – ARA).

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

Então, o cristão pergunta: ‘Será que Ele concorda com meu comportamento?’; ‘Sou

verdadeiro com Deus e com o próximo?’ A cada passo, ele analisar suas ações; se estas

não estiverem de acordo com o plano divino, o crente fiel se arrepende e retorna ao

caminho da verdade.

Deus deseja que nós tenhamos vida santificada. Em primeiro lugar, a santificação

significa separação para Deus. Quando um objeto, um vaso era separado, no Antigo

Testamento, era para ser usado exclusivamente para o Senhor. Nós devemos ser santos

também em nossos relacionamentos. Vivemos no mundo, porém obedecendo ao padrão

de santidade estabelecido por Deus. Em segundo lugar, a santidade significa separação do

pecado, oi seja o afastar­se de praticar o pecado. Essa é o plano de Deus para nossas

vidas: “A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham­se da

imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa

e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que

não conhecem a Deus” (1Ts 4.3­4 – NVI).

A santificação deve ser buscada em todas as áreas de nossa vida: “E o mesmo Deus de

paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam

plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”

(1 Ts 5.23).

A santificação é importante para sermos participantes da Vinda de Cristo (Hb 12.14).

Quando se avançou o sinal

Um (a) jovem precipitou­se, envolvendo­se em um relacionamento sexual. Deve haver

arrependimento e buscar­se o perdão de Deus: “O que encobre as suas transgressões

nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Pv. 28.13)

OBS: O professor deve pedir graça a Deus e abrir a porta ao diálogo para ajudar vidas. O Juvenil deve confiar em seu professor, sabendo que o fato a ser analisado, não será divulgado a outras pessoas.

A pessoa deverá buscar a sua restauração em Deus e pedir ajuda a alguém experiente de

sua confiança. Ele é misericordioso e está disposto a estender Sua mão para nos renovar.

Deverá haver reflexão, rompimento com o pecado: “Se confessarmos os nossos

pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a

injustiça” (1 Jo. 1.9). Não há mancha que Ele não possa remover.

A pessoa deve aceitar o perdão de Deus, vigiar para não cair novamente no mesmo erro.

O Senhor deseja restaurar vidas, e usá­las em Sua obra.

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

www.escoladominical.com.br dicas de lições bíblicas

Davi pecou, havia praticado imoralidade sexual, mas foi restaurado à comunhão com

Deus. Ele orou: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um

espírito reto. Torna a dar­me a alegria da tua salvação e sustém­me com um espírito

voluntário” (Sl. 51.10,12).

CONCLUSÃO

Sempre existe a mão de Deus a guiar­nos em todas as fases de nossa vida.

O porquê de nossas decepções, tristezas não é compreendido no momento atual.

O namoro é uma época de convívio, amizade e onde deve existir o compartilhar de

sentimentos e ideais.

Durante o namoro, a santidade deve ser buscada para se evitar o ceder a impulsos

impuros.

O certo é que Deus nos dará vitória para superarmos todos os obstáculos.

Que as palavras deste hino possam ser uma realidade na vida de todos: “A trilha

seguirei,/E provas eu terei./Meu guia sê,/Do mal vem me livrar:/Puro me conservar!/Pra

sempre vou cantar/O teu louvor” (3 a estrofe do hino 575 da Harpa Cristã).

Colaboração para o Portal EscolaDominical: Prof ª Ana Maria Gomes de Abreu.

Interesses relacionados