Você está na página 1de 2

Deixe-me ver suas marcas

Alexandre Carvalho

Há algum tempo, uma


famosa casa de leilões
da Inglaterra vendeu um
violão que pertenceu a
Elvis Presley. Como de
costume, o leiloeiro
deveria apresentar
provas de que aquele
objeto era verdadeiro, o
que geralmente é feito
com fotos ou vídeos.
Mas neste caso as provas apresentadas foram marcas no
instrumento, que eram características do modo de Elvis tocar. No
braço havia marcas dos acordes que ele costumava tocar e, no
tampo traseiro, os arranhões das grandes fivelas dos cintos
típicos de seu figurino. Para os compradores uma foto ou vídeo
ainda deixaria dúvidas (poderia ser uma réplica!). Mas aquelas
marcas foram suficientes para que eles disputassem ferozmente e
um deles arrematasse a peça por alguns milhares de dólares, sem
questionar. Ele tinha certeza de quem havia sido o dono!

Meu violão também tem minhas marcas. Não uso cintos


extravagantes como os de Elvis, mas o braço tem as marcas dos
acordes e escalas que costumo usar. Também tenho um modo de
colocar as cordas, de ajustar o equalizador, entre outras
características, que juntas são uma espécie de assinatura minha.
Seja seu instrumento um violão, teclado, bateria ou qualquer
outro, se você observar, ele tem suas marcas.

A bíblia diz em IPe 2:9 que somos povo adquirido, somos


propriedade, temos um dono. E, como instrumentos, as pessoas
devem ver em nós marcas que sejam uma assinatura do músico
que nos toca!

Há, porém três pontos interessantes que devemos observar:

• Mais tempo usado pelo músico, mais marcas


ganhamos – Quando paguei pelo meu violão, ele passou a
ser meu. Mas somente com o uso ele adquiriu minhas
marcas. Jesus pagou por você e por mim um preço maior
que qualquer outro instrumento (Ap 5:9). Mas as pessoas
só identificarão marcas à medida que formos usados.
• Se mais de uma pessoa usa, não dá pra dizer, com
certeza, quem é o dono – Só há dois músicos que podem
nos tocar, Jesus e o Diabo. Jesus é um dono que não gosta
de emprestar instrumentos (Tg 4:5), por isso o Diabo rouba.
Isso sempre acontece quando o instrumento fica meio
distante do dono, não é muito usado por ele. Porém, ao
contrário do meu violão, nós podemos optar por ficar longe
do dono.

• Nossas marcas interiores ditam as exteriores - Quando


Jesus nos usa como instrumentos seus, Ele produz marcas
internas. Andar com a bíblia, usar camisas com frases que
falam de Jesus, ser membro de uma igreja, usar gíria de
crente ou ter cargos e títulos são como as fotos, não provam
que somos verdadeiros. Em Gl 6:15-17, o apóstolo Paulo
falando da circuncisão, deixa claro que marcas exteriores
não têm valor algum, mas sim o ser uma nova criatura e
termina dizendo: “...trago no meu corpo as marcas do
Senhor Jesus”. Ele não está simplesmente falando das
chicotadas e prisões, mas da profunda transformação
interior que sofreu e que agora podia ser vista no seu estilo
de vida.

Examine as marcas que você tem. Elas podem ser reconhecidas


como uma assinatura de seu dono? Aqueles que te conhecem querem
ter as mesmas marcas que você tem? Ainda que hoje você seja um
instrumento roubado, você pode voltar às mãos de seu legítimo dono
agora mesmo, e o melhor, Ele pode apagar as marcas que o ladrão fez
em você (IJo 1:9)! Como eu disse antes, somos instrumentos que
podemos optar por estar perto ou longe do dono.