Você está na página 1de 5
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO PROCESSO TC N.º 02766/11 Objeto: Prestação de Contas Anual Órgão/Entidade:

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC N.º 02766/11

Objeto: Prestação de Contas Anual Órgão/Entidade: Câmara Municipal de Logradouro Exercício: 2010 Responsável: José Marinaldo da Cruz Relator: Auditor Oscar Mamede Santiago Melo

EMENTA: PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL – PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL – PRESIDENTE DE CÂMARA DE VEREADORES – ORDENADOR DE DESPESAS – CONTAS DE GESTÃO – APRECIAÇÃO DA MATÉRIA PARA FINS DE JULGAMENTO – ATRIBUIÇÃO DEFINIDA NO ART. 71, INCISO II, DA CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA, E NO ART. 1º, INCISO I, DA LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL N.º 18/93 – Regularidade das contas. Recomendação.

ACÓRDÃO APL – TC – 00194/12

Vistos, relatados e discutidos os autos da PRESTAÇÃO DE CONTAS DE GESTÃO DO

EX-PRESIDENTE

DA

CÂMARA

MUNICIPAL

DE

LOGRADOURO/PB,

SR.

JOSÉ

MARINALDO DA CRUZ, relativa ao exercício financeiro de 2010, acordam, por unanimidade, os Conselheiros integrantes do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA, em sessão plenária realizada nesta data, na conformidade da proposta de decisão do relator a seguir, com fundamento no art. 71, inciso II, da Constituição Estadual, e no art. 1º, inciso I, da Lei Complementar Estadual n.º 18/93, em:

1) JULGAR REGULARES as referidas Contas;

2) RECOMENDAR a atual gestora da Câmara Municipal de Logradouro no sentido de guardar estrita observância aos termos da Constituição Federal e das normas emanadas por essa Corte de Contas.

Presente ao julgamento o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas Publique-se, registre-se e intime-se. TCE – Plenário Ministro João Agripino

João Pessoa, 21 de março de 2012

Conselheiro Fernando Rodrigues Catão Presidente

Auditor Oscar Mamede Santiago Melo Relator

Isabella Barbosa Marinho Falcão Procuradora Geral

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO PROCESSO TC N.º 02766/11 RELATÓRIO AUDITOR OSCAR MAMEDE SANTIAGO MELO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC N.º 02766/11

RELATÓRIO

AUDITOR OSCAR MAMEDE SANTIAGO MELO (Relator): O Processo TC nº 02766/11 trata do exame das contas de gestão do ex-Presidente da Câmara Municipal de Logradouro/PB, Vereador José Marinaldo da Cruz, relativa ao exercício financeiro de 2010.

A Auditoria deste Tribunal, com base nos documentos que compõe os autos, emitiu relatório constatando, sumariamente, que:

a) a Lei Orçamentária Anual – Lei Municipal n.º 216/2009 – estimou as transferências e fixou as despesas do Legislativo Municipal em R$ 300.000,00, com incremento de créditos suplementares esse valor passou para R$ 354.000,00;

b) a receita orçamentária efetivamente transferida e a despesa realizada foram da ordem de R$ 348.000,00;

c) o total da despesa do Poder Legislativo alcançou o percentual de 6,90% do somatório da receita tributária e das transferências efetivamente arrecadadas no exercício anterior;

d) os gastos com a folha de pagamento da Câmara Municipal corresponderam a 55,26% das transferências recebidas;

e) a remuneração de cada Vereador correspondeu a 8,89% do subsídio recebido pelo Deputado Estadual;

f) os subsídios dos vereadores, recebidos no exercício, corresponderam a 2,47% da Receita Efetivamente Arrecadada pelo Município;

g) a despesa com pessoal obedeceu aos limites estabelecidos na Lei de Responsabilidade Fiscal, atingindo 2,93% da RCL;

h) os relatórios de gestão de fiscal foram devidamente publicados e encaminhados a esta Corte de Contas;

i) o exercício analisado não apresentou registro de denúncia;

j) a diligência in loco não foi realizada no exercício em análise.

A Auditoria destacou que ficou impossibilitada de levantar a remuneração paga aos vereadores, devido a Lei que fixou os subsídios dos Edis não conter valores exatos, sugerindo que fosse recomendada a atual gestão que fixasse os subsídios dos agentes políticos para o quadriênio 2013/2016, de acordo com a legislação em vigor, ou seja, Constituição Federal e Lei de Responsabilidade Fiscal. Ao final, apontou as seguintes irregularidades:

1. Descumprimento da Resolução Normativa RN-TC 03/2010, pela ausência da relação da frota de veículos locados pela Câmara Municipal;

2. Informações inconsistentes prestadas ao aplicativo SAGRES, referente aos decretos de abertura de créditos adicionais;

3. pagamento de diárias de modo recorrente no exercício, configurando complemento remuneratório e descumprimento de decisão deste Tribunal.

Notificado o responsável, apresentou sua defesa, a qual foi analisada pelo Órgão Técnico que não alterou o seu posicionamento inicial.

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO PROCESSO TC N.º 02766/11 Os autos foram encaminhados ao Ministério

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC N.º 02766/11

Os autos foram encaminhados ao Ministério Público que através da sua representante opinou pela irregularidade das contas do Presidente da Câmara Municipal de Logradouro, Sr. José Marinaldo da Cruz, referente ao exercício financeiro de 2010, sobremodo em face da percepção de valores a título de diárias, sem comprovação da sua regularidade; pela declaração de atendimento integral aos ditames da Lei de Responsabilidade Fiscal (LC nº 101/2000) por parte do sobredito gestor, relativamente ao exercício de 2010; pela imputação de débito, no valor de R$ R$ 7.125,00 (sete mil, cento e vinte e cinco reais), tendo em vista o recebimento injustificado de diárias e pela recomendação à Câmara Municipal de Logradouro, no sentido de guardar estrita observância aos termos da Constituição Federal, bem como às orientações emanadas desta Eg. Corte de Contas.

É o relatório.

PROPOSTA DE DECISÃO

AUDITOR OSCAR MAMEDE SANTIAGO MELO (Relator): Após análise dos fatos apresentados aos autos, passo a comentar as irregularidades então remanescentes:

1) No que diz respeito à Resolução Normativa RN-TC 03/2010, verificou-se que foi descumprido o art. 14, inciso VII, da referida Resolução, pois, não foi encaminhada a relação da frota de veículos da entidade. Contudo, vale ressaltar que a prestação de contas foi encaminhada a esta Corte de Contas pela atual gestora daquele Poder Legislativo, não podendo ser atribuída a falha ao ex-gestor, cabendo recomendação para que a gestora observe o que preceitua a RN-TC 03/2010, para não mais incorrer em falha dessa natureza.

2) Quanto à inconsistência apresentada no SAGRES, verificou esse Relator, que o fato ocorreu devido não ter sido informado o decreto nº 31/2010 que abriu crédito suplementar no valor de R$ 48.000,00. Nesse caso, recomendo à Câmara de Logradouro que procure adaptar a sua contabilidade ao sistema de acompanhamento de gestão dos recursos da sociedade, pois, é uma exigência dessa Corte de Contas que os valores contidos na prestação de contas sejam idênticos àquelas informações prestadas no SAGRES.

3) Com relação à concessão de diárias, verifica-se que existe previsão legal para a concessão das mesmas, porém, não foram observadas às regras contidas na Resolução Normativa RN- TC 09/2001 que disciplina a comprovação do pagamento de diárias pelas administrações públicas municipais. Informo ainda que, no Processo TC 05109/10, prestação de contas do exercício de 2009 da Câmara Municipal de Logradouro, houve recomendação à atual gestora daquela CASA, para evitar a repetição dessa falha, sob pena de imputação de débito em prestações de contas futuras.

4) No que tange à questão da fixação dos subsídios dos vereadores, informo que houve recomendação, através do Acórdão APL-TC 878/2011, a atual Mesa Diretora da Câmara Municipal de Logradouro, para observar os preceitos constitucionais quando da fixação dos subsídios dos vereadores para o quadriênio 2013/2016.

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO PROCESSO TC N.º 02766/11 Diante do exposto, PROPONHO, que o

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC N.º 02766/11

Diante do exposto, PROPONHO, que o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, com fundamento no art. 71, inciso II, da Constituição Estadual, e no art. 1º, inciso I, da Lei Complementar Estadual n.º 18/93:

1) JULGUE REGULARES as referidas contas;

2) RECOMENDE a atual gestora da Câmara Municipal de Logradouro no sentido de guardar estrita observância aos termos da Constituição Federal e das normas emanadas por essa Corte de Contas.

É a proposta.

João Pessoa, 21 de março de 2012

Auditor Oscar Mamede Santiago Melo Relator

Em

21 de Março de 2012

Em 21 de Março de 2012 Cons. Fernando Rodrigues Catão PRESIDENTE Auditor Oscar Mamede Santiago Melo

Cons. Fernando Rodrigues Catão PRESIDENTE

Março de 2012 Cons. Fernando Rodrigues Catão PRESIDENTE Auditor Oscar Mamede Santiago Melo RELATOR Isabella Barbosa

Auditor Oscar Mamede Santiago Melo RELATOR

Catão PRESIDENTE Auditor Oscar Mamede Santiago Melo RELATOR Isabella Barbosa Marinho Falcão PROCURADOR(A) GERAL

Isabella Barbosa Marinho Falcão PROCURADOR(A) GERAL