ExpErimEntação no Ensino dE Química

Escurecimento e Limpeza de Objetos de Prata Um Experimento Simples e de Fácil Execução Envolvendo Reações de Oxidação-Redução

Elen Romão Sartori, Érica Ferreira Batista e Orlando Fatibello-Filho
Neste artigo, é descrito um experimento simples e de fácil execução, envolvendo reações de oxidação-redução de escurecimento e limpeza de objetos de prata, como brinco e fio de prata enrolado. Esse experimento auxilia os estudantes a compreenderem de uma forma mais fácil os conceitos de oxidação-redução, além de despertar a curiosidade para questões de química que estão presentes no cotidiano. reações de oxidação-redução, objetos de prata, limpeza da prata

Recebido em 29/8/07, aceito em 20/6/08

61

A

limpeza da prataria é uma atividade muito comum no cotidiano de pessoas que possuem objetos dessa natureza, sejam talheres, ornamentos de mesa ou jóias em prata. Com o passar do tempo, esses objetos escurecem, perdendo seu brilho, em decorrência da oxidação desse metal pelo contato com oxigênio e com compostos contendo enxofre, os chamados compostos sulfurados, gerando, assim, sobre a superfície desses objetos de prata, uma camada insolúvel de sulfeto de prata (Ag2S), de coloração azulada ou ligeiramente violácea, tornando-se preta com o passar do tempo (Gentil, 1996). A poluição atmosférica, de origem natural ou antropogênica, contém grande quantidade desses compostos sulfurados, podendo, assim, ocasionar o escurecimento da prata. Alguns alimentos, como o ovo, a cebola e os diversos legumes da família do repolho, sejam eles a mostarda, a couve-de-bruxelas, a couve-flor, os brócolis e o nabo, também promovem o escurecimento de objetos de prata. Esses alimentos apresentam, em sua estrutura, compostos sulfurados
QUÍMICA NOVA NA ESCOLA

(Eq 1) como a cisteína (um aminoácido) de sulfeto de prata na superfície que, com o cozimento, sofre a dedo objeto de prata (Equação 2), de composição destes em compostos forma mais acentuada quando em odorantes, sobretudo ácido sulfídrico, contato direto com a pele. Pessoas mercaptana e sulfeto de metila, que que transpiram mais acabam acelereagem um com os outros, formando rando o processo de escurecimento trissulfetos. Quanto maior o tempo da prata metálica. de cozimento, maior a concentração desses compostos formados, 4Ag(s) + O2(g) + 2S2-(aq) + 4H+(aq)  causando, assim, um agravamento 2Ag2S(s) +2H2O(l) (Eq. 2) do odor (This, 2001). Esse mesmo aminoácido também está presente no Para evitar alguns problemas suor (Conn e Stumpf, 1984) que, em estéticos, muitos dos acessórios de presença de água, prata ou folheados à converte-se em ácido prata recebem uma Com o passar do tempo, sulfídrico, ácido pirúcamada de verniz objetos em prata vico e amônia pela (propionato de ditioescurecem, perdendo seu ação da enzima cisbis-estearil) ao térmibrilho, em decorrência da teína dessulfurilase no de sua confecção, oxidação desse metal pelo (Equação 1). O H2S(g) que atua como uma contato com oxigênio e liberado na presença barreira de proteção, com compostos contendo de oxigênio gasoso impedindo a peneenxofre. favorece a formação tração de umidade
Escurecimento e Limpeza de Objetos de Prata N° 30, NOVEMBRO 2008

Cabe enfatizar que essa rimental simples: o escurecimento e a recebidos pela espécie que se reduz previsão é válida para as espécies limpeza de alguns objetos de prata. este artigo permite como o somatório das reações de semi-reação. reduzidas ou oxidadas e. serão cedidos pela espécie que sofre químicas no estado padrão. ocorrem simultaneamente. sofrerá oxidação. ligações químicas. de escuum ou mais elétrons pela espécie valor de potencial-padrão de redução recimento e limpeza da prata: (átomos. ação de oxidação exige uma reação que a previsão da espontaneidade de Material e reagentes de redução e vice-versa (Masterton e uma reação química para as espécies Slowinski. No entanto. e seu estado de oxidação diminui para o balanceamento da equação. a redução é. químicas fora do estado padrão fica Lista de material necessário para a A oxidação resulta na perda de prejudicada. ou seja. de oxidação-redução vai se proo potencial-padrão de redução da como mencionado. O • 3 ovos. fornece original constituem exemplos de reações envolvidas o valor do potencialA poluição atmosférica. meio de uma proposta mais elétrons pelas ocorre no processo. que promovem o seu escurecimento. Quando que cada semi-reação de redução • objeto de prata ou recoberto ela perde elétrons. pois os elétrons winski. O agente oxisemi-reação com menor valor de poutilizados um brinco e um fio de dante recebe elétrons de uma outra tencial-padrão de redução deve ser prata enrolado. maior é a tendência de ao professor uma abordagem prática oxidação e redução. a liberação de um ou mais elétrons número total de elétrons recebidos 1996). be elétrons. Por dação-redução envolve a transferêno de hidrogênio (IUoutro lado. ciais-padrão de redução de ambas o objeto fique exposto aos agentes Para saber se uma dada reação semi-reações de redução. resultanfornecem a tendência relativa de não espontâneo. por meio de uma proposta expeao de oxidação. Este artigo permite ao lado. quanto mais positivo o valor do padrão. Quando sendo os elétrons • 1 colher de sopa. O processo de essa semi-reação ocorrer na forma sobre as reações de oxidação-reduredução ocorrerá simultaneamente como está escrita (Masterton e Sloção. Quancompostos sulfurados. Ambos os processos O número total de elétrons perdidos pel. é preciespécie que está sendo reduzida A camada de sulfeto de prata so consultar tabelas contendo os menos o potencial-padrão de redução formada na superfície dos objetos potenciais-padrão de redução (Eº) de da espécie que está sendo oxidada de prata e o resgate de seu brilho cada uma das semi(Eºred . Assim. 1977). sendo cotidiano. prática sobre as reações cesso que resulta semi-reações resulta • tripé e tela de amianto. Por outro que essa substância co de vidro Pyrex. empregando materiais alternativos oxidação. pode-se prever qual por prata (brinco. • papel toalha ou lenço de pa(Vogel. diz-se que foi oxiapresenta. Neste trabalho.Eºox). Basicamente. • papel alumínio. com o passar do por uma espécie implica no recebipela outra espécie. Essas reações individuais atividades químicas igual a 1. do o valor é positivo. diz-se esse somatório. Esses vapadrão elétrico da de origem natural ou redução. professor uma abordagem por sua vez. tendo como eletrodo diz-se que a reação escurecimento da prata. por em ganho de um ou na reação global que • 1 copo tipo americano. íons ou moléculas). de oxidação-redução.0 mol simples e facilmente disponíveis no não existem isoladamente. escurecimento e a limpeza uma espécie rececancelados durante • sal de cozinha (cloreto de sódio.62 e de substâncias agressivas (Gentil. por definias espécies químicas fora do estado De um modo geral. ou seja. podendo ocasionar o de alcançarem um equilíbrio. um valor cia de elétrons de uma espécie para PAC – União Internacional de Química negativo de potencial-padrão elétrico outra. contém as substâncias têm em receber ou padrão de redução (Masterton e Slogrande quantidade de doar elétrons. de alguns objetos de prata. acessórios dada e seu estado de oxidação atinge espécie ganha ou perde elétrons. experimental simples: o espécies. respectivamente. Eles da reação global indica um processo perda e ganho de elétrons. mostrando a tendência que lores de potenciaisreação global (∆Eº) antropogênica. substância e torna-se invertida. tempo. 1977). fazendo com que espécie. o prosomatório de ambas • bico de Bunsen ou lamparina. cessar espontaneamente. indicando • 1 béquer de 500 mL ou um frasreduzido. 1981). 1996). que ela foi reduzida que é indispensável • água. Cada reL-1 e temperatura igual a 25oC. analisando-se o realização do experimento. uma reação de oxipadrão de referência é espontânea. formando e quebrando foram determinados winski. o NaCl). visto que por uma espécie deve ser igual ao • flanela QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Escurecimento e Limpeza de Objetos de Prata N° 30. sempre em busca experimentalmente. reações químicas de oxidação(Tabela 1). oxidação-redução deve ser analisada potencial-padrão de redução de uma Em vista disso. 1977). NOVEMBRO 2008 . ocorrendo. Pura e Aplicada) (Feltre. cada reação de ção. Aqui também vale a do em uma mudança no estado de diversas espécies químicas serem observação supramencionada para oxidação das espécies envolvidas. foram valores mais positivos. essa camada de proteção mento desse(s) elétron(s) por outra A diferença dos valores de potendeixa de existir. A de prata).

92 V (Eq. com formação de uma camada escura.87 (g) + 3e  Au(s) + (aq) H2O2(aq) + 2H - + 2e  2H2O Co3+(aq) + e.44 -0. Al(s). 4) Parar o cozimento. Observar o resultado. que representa o processo de escurecimento do objeto de prata (Tabela 1): 2Ag(s) + S2-(aq)  Ag2S(s) + 2e. até que se observem rachaduras na casca dos ovos. dar leves batidas nestes. 2H2O(l) 1.77 1.50 1.36 -1. determina-se o mínimo múltiplo comum (m.23 V (Eq. 3) O2(g) + 4H+(aq) + 4e. suficiente para o cozimento de três ovos.14 0. Eº (Volts) -3. Ag2S(s). fina e insolúvel de sulfeto de prata. 3) Forrar a parte interna de um copo tipo americano com papel alumínio e colocar a solução preparada anteriormente. O2(g).80 1. que contêm átomos de enxofre. e a segunda. por exemplo.76 -0.) entre os números de elétrons perdidos e re- Figura 1: (a) Oxidação superficial do fio de prata.87 -2.34 0. 2Ag(s) + S2-(aq) 2+ (aq) (aq) + 2e  Fe(s) - Discussão dos resultados Escurecimento de um objeto de prata O processo de escurecimento do objeto de prata mimetiza a reação que. (b) Limpeza do fio de prata pela redução da Ag+(aq) no sulfeto de prata. ocorre quando se utiliza um brinco de prata ou. na água de cozimento. as proteínas da clara. 2) Para igualar o número de elétrons e estabelecer a quantidade de Ag(s) e de O2(g). Ao se cozinhar demais os ovos. liberam o ácido sulfídrico (H2S).c.Procedimento O trabalho foi dividido em duas etapas: a primeira correspondendo ao processo de escurecimento do objeto de prata. As equações 3 e 4 mostram respectivamente as semireações de oxidação da prata e de redução do oxigênio. Li(s) K + (aq) 2+ Potencial-padrão de redução. com auxílio de uma colher. Semi-reação de redução Li+(aq) + e. NOVEMBRO 2008 . 4) Secar com papel toalha ou lenço de papel e lustrar com uma flanela. Escurecimento de um objeto de prata 1) Colocar uma certa quantidade de água em um béquer.23 3+ (aq) + e  K(s) - Ba (aq) (aq) + 2e  Ba(s) - Ca 2+ + 2e  Ca(s) - Mg2+(aq) + 2e.00 0. um talher de prata para manusear o preparo das refeições. retirar o objeto de prata. 63 Tabela 1: Potenciais-padrão de redução (Eº) em solução aquosa a 25 ºC (Dean. 3) Inserir o objeto de prata e deixar em cozimento por 25 minutos. naturalmente. lavar com água de torneira e observar o resultado. 2) Adicionar a esta 1 colher (sopa) de sal de cozinha e misturar bem. 3) Retirar o objeto de prata e lavar com água em abundância. Mg(s) Na Al Zn Fe + (aq) (aq) + e  Na(s) + 3e  Al(s) - 3+ 2+ (aq) + 2e  Zn(s) - Ag2S(s) + 2e.m.0.69 -0. em solução salina de NaCl. Sn2+(aq) Cu Ag 2+ (aq) + 2e  Cu(s) - + (aq) + e  Ag(s) + 14H + O2(g) + 4H+(aq) + 4e. além da reação global (Equação 2). Ag2S(s).69 V (Eq.91 -2. 1985).92 -2. Co2+(aq) F2(g) + 2e  2F (aq) - Escurecimento e Limpeza de Objetos de Prata N° 30.04 -2. Esse composto QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Sn 2+ + + 2e  Sn(s) - 2H (aq) + 2e  H2(g) - Sn4+(aq) + 2e. quando em contato com alumínio metálico. ao processo de limpeza da prata. com formação espontânea (∆Eº > 0) de uma camada muito fina e insolúvel de sulfeto de prata (Figura 1(a)). 3) Inserir o objeto de prata e deixar reagir por 3 minutos. 4) 4Ag(s) + O2(g) + 2S2-(aq) + 4H+(aq)  2Ag2S(s) +2H2O(l) 1. 2H2O Cr2O7 Au 3+ 2(aq) (aq) + 6e  2Cr - + 7H2O 1.33 1. levam à oxidação superficial do objeto de prata. gasoso na presença de oxigênio gasoso. 2) Após 12 minutos de aquecimento.68 -0. Limpeza de objeto de prata 1) Aquecer 250 mL de água até a fervura.15 0. quando os ovos já se encontram cozidos. com o odor inconfundível de ovo podre. deixando parte da clara exposta.71 -2.82 2.

CNPq e FAPESP pelos recursos concedidos. Ag(s). o brilho original. sendo responsável pela redução da Ag+(aq) no sulfeto de prata. perde a coloração preta. proveniente da dissociação dos compostos sulfurados liberados durante o cozimento excessivo. indicando a participação de 6 elétrons no total. pois ele oxida o alumínio metálico. Elen Romão Sartori (elensartori@dq. pelas fotos. é mestre e doutoranda em Ciências (Química Analítica) pelo Programa de Pós-Graduação em Química do Departamento de Química da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). NOVEMBRO 2008 Figura 2: (a) Brinco de prata escurecido naturalmente pela formação de uma camada escura. O sulfeto de prata. sendo responsável pela redução do oxigênio de 0 para –2. Essa camada de Ag 2S (s) formada pode ser removida quando a peça de prata é colocada em contato com alumínio metálico em uma solução contendo NaCl. Al (s). forma-se H2S(aq).68 V (Eq. sempre que multiplicar as reações por um número qualquer.m. para formar uma camada escura de Ag2S(s) na superfície do objeto de prata. em relação ao do alumínio metálico. que representa o processo de limpeza do objeto de prata (Tabela 1): Ag2S(s) + 2e. o m. pois ele oxida a prata metálica. Érica Ferreira Batista (erica_quim@yahoo. deixando o ambiente com odor característico fétido. Ag2S(s).br) é aluna do curso de Bacharelado em Química pela UFSCar. QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Com essa reação. mestre em Físico-Química pelo IQSC-USP doutor em Ciências . Al(s). respectivamente. Ag2S(s). Ag+(aq). Limpeza do objeto de prata Decorridos três minutos da inserção do objeto de prata no copo forrado internamente com papel alumínio contendo a solução salina de NaCl. A migração dos elétrons entre Al(s) e Ag2S(s) ocorre pelo contato entre essas espécies. os valores de Eº não são alterados. de 0 para +1. reage com a prata oxidada. Ag2S(s). Orlando Fatibello-Filho (bello@dq.92 V.64 cebidos (Usberco e Salvador. que ilustram o conceito de reações de oxidação-redução. é necessário multiplicar a equação 5 por 3 e a equação 6 por 2. é o agente oxidante. para isso. licenciado em Química pela UFSCar. A diferença de potencial elétrico positiva para a reação global. e seu m. indica que o processo de Escurecimento e Limpeza de Objetos de Prata . que é liberado da solução na forma gasosa. de +1 para 0. em meio aquoso é o agente oxidante. (b) Redução da Ag+(aq) no sulfeto de prata. O íon sulfeto (S2-). voltando a exibir o seu brilho original (Figura 1(b)).m. O2(g). os números são 2 e 4. de 0 para +3. anteriormente passou pelo processo de escurecimento. A diferença de potencial elétrico positiva para a reação global. Considerações finais O presente artigo apresentou dois procedimentos experimentais simples. sendo que a solução de NaCl(aq) promove essa migração e também o balanço de cargas da solução. ∆Eº = 0. bacharel pela Universidade Estadual de Maringá (UEM).ufscar. Al(s). o alumínio metálico. Resgate de seu brilho original. Essa limpeza também foi aplicada em um brinco de prata (Figura 2(a)) escurecido naturalmente (Figura 2(b)) pelo uso constante. fina e insolúvel de sulfeto de prata. Ag2S(s). N° 30. Ag2S(s). observa-se que a superfície do objeto de prata que. 6) transferência de elétrons entre o Al(s) e Ag2S(s) ocorre espontaneamente. Haverá oxidação do Al(s) com liberação de íons Al3+(aq) na solução e migração dos elétrons em direção à superfície do objeto de prata. br). que se hidrolisa em duas etapas (equação 8 e 9): S2-(aq) + H2O(l)  HS-(aq) + OH-(aq) (Eq. Ag(s). 5) Al(s)  Al3+(aq) + 3e3Ag2S(s) + 2Al(s)  6Ag(s) + 2Al3+(aq) + 3S2-(aq) 1.br). ∆Eº = 1.m. é igual a 6. 2Ag(s) + S2-(aq) -0. respectivamente. é reduzido a Ag(s).ufscar. É bom assinalar que.99 V (Eq. é o agente redutor.com. Seu m. de uma forma acelerada. Ag2S(s). liberando S2-(aq). 7) Nesse caso. além da reação global (equação 7). Por outro lado. Por que Ag+(aq) no Ag2S(s) sofre redução? Agradecimentos Os autores agradecem a Kadu Neves. 9) Questões que podem ser trabalhadas pelos professores 1) O que é uma reação de oxidação-redução? 2) Qual o requisito básico para se prever a espontaneidade de uma reação de oxidaçãoredução? 3) O que indica o valor de potencial-padrão que cada semireação de redução apresenta? 4) Compare o potencial-padrão de redução do sulfeto de prata. Esse valor indica o número total de elétrons envolvidos e. entre os números de elétrons perdidos e recebidos entre as espécies Al(s) e Ag2S(s) são 3 e 2. é o agente redutor. e de oxidação do alumínio metálico. é igual a 4. (Química Analítica) e livre docente pelo Instituto de Química da USP (São Paulo). Assim. imitando.c. e a CAPES. É possível observar o escurecimento de uma peça de prata quando esta é colocada em contato com sulfeto (S2-).99 V. 0. Para este. proveniente da dissociação de compostos sulfurados liberados durante o cozimento excessivo de ovos. a prata metálica. Por outro lado. é necessário multiplicar a equação 3 por 2. As equações 5 e 6 mostram respectivamente as semi-reações de redução do sulfeto de prata. 1995). a reação que ocorreria normalmente no decorrer do seu uso por uma pessoa. resgatando assim. 8) HS-(aq) + H2O(l)  H2S(aq) + OH-(aq) (Eq.c.c. no qual a Ag+(aq) no sulfeto de prata.69 V (Eq. Al(s). O oxigênio. é professor titular do Departamento de Química da UFSCar. indica que o processo de transferência de elétrons entre a Ag(s) e o O2(g) ocorre espontaneamente. H2S(g). Ag2S(s).

UNICAMP Eduardo Bessa Azevedo .UFS Agnaldo Arroio . 1984.USP Karem Soraia Garcia Marquez .UFRJ QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Flávio Maximiano .UESC Salete Linhares Queiroz . Potencial de redução e eletronegatividade: obstáculo verbal.UFBA Waldmir N. Aveiro Antonio Carlos R.UERJ Fernanda V. p. GENTIL. e SLOWINSKI.UFMG Maria Helena Roxo Beltran . 21-23.UnB Ermelinda Moutinho Pataca .Col. Amorim .UNESP Antonio Cachapuz .UFMG Ângela Fernandes Campos . D. e STUMPF. Um cientista na cozinha.UFMG Luiz Carlos Gomide Freitas . São Paulo: Saraiva. de Araújo Neto . V. Coimbra . São Paulo: Moderna. M.UnB Roberta Lourenço Ziolli . Química Nova na Escola.USP Paulo Anselmo Ziani Suarez .UNIJUI Hélio Anderson Duarte . Trad. 2. 3ª ed.UFSJ Nelson Orlando Beltran .a simple and easy experiment involving oxidation and reduction reactions.C. F.UFRGS Rogério Custódio . Lootens Machado .UnB Paulo César Pinheiro . J.USP Eduardo Galembeck . emitindo pareceres sobre os artigos submetidos para publicação em Química Nova na Escola: Adjane da Costa Tourinho e Silva . 4ª ed.UFRGS José de Alencar Simoni . ao longo de 2008. silver objects.UFRPE Marcelo Giordan .UNICAMP Maurício dos Santos Matos .A. Keywords: oxidation-reduction reactions. USBERCO. This experiment helps the students understanding the concepts of oxidation-reduction reactions. Abstract: Darkening and cleaning of silver objects .UFRPE Maria Arminda P S. silver´s objects such as ears and spiral wire. e SALVADOR.UNICAMP Daisy de Brito Rezende . MASTERTON.USP Patrícia F.PUC/RJ Roberto Ribeiro da Silva .USP Sonia Krapas Teixeira . M. Química Nova na Escola.K. 1995.USP Agustina Echeverria .USP Paulo Sérgio Lacerda Beirão . 4.C. silver cleaning Nota Assessores QNEsc 2008 Gostaríamos de agradecer aos assessores que colaboraram.UNICAMP Elio Carlos Ricardo .UFMG Carlos Alberto Lombardi Filgueiras . W. Química geral superior.UNICAMP Romeu Cardozo Rocha .UFU Rejane Martins Novais Barbosa .ULBRA Júlio Carlos Afonso .UFBA Nidia Franca Roque . Trad.UEL Soraia Freaza Lôbo . Almeida .FSA Lenir Basso Zanon .UFRGS Maria Ângela V.USP Fábio Merçon .UNICAMP Orlando Fatibello Filho . A. 2004.UFMT Irlan von Linsingen .B.UFSC Isabel Martins .USP Marcelo Leandro Eichler . Mennucci e cols.UFMG Helena Capetti Callai . 1977.UFSCar Patrícia Benedini Martelli . Lange´s handbook of chemistry.UFSC Carmen Fernandez . Bandeirantes Edênia Maria Ribeiro do Amaral .Filho .FURG Maria Eliza M. F. 5ª ed.PUC/RS Rosária da Silva Justi .UNIJUÍ Marlon Soares . GUIMARÃES.E.UFMG Irene Cristina de Mello . E. 2001.UFG Matthieu Tubino . Para saber mais LOPES. MERÇON.Referências CONN.UNIJUÍ Murilo Cruz Leal .UNB Clarice Sumi Kawasaki .Univ. São Paulo: Ática. São Paulo: Edgard Blücher. Corrosão: um exemplo usual de fenômeno químico. FELTRE. n. Química: Físico-Química.UnB Paulo Alves Porto . Mateus .UFSJ Patrícia Busko Di Vita .UNICAMP Per Christian Braathen .UFG Alfredo Luis M.UFMG Roseli Pacheco Schnetzler . Carvalho . Rio de Janeiro: LTC.L. 1990.UFMG Rochele de Quadros Loguércio . THIS.UFBA Nivaldo Baccan . New York: Mc GrawHill.USP Elizabete Lustosa Costa . DEAN. n. Dai de Carvalho .UFRGS Flávia Rezende . NOVEMBRO 2008 65 .O.A.UNICAMP Edvaldo Sabadini .UNIMEP Rosenira Serpa da Cruz . 11-14.UFMG Pedro Antonio Muniz Vazquez . PALMA.UFBA Maria do Carmo Galiazzi .UNIJUÍ Regina Maria de Almeida Neves .UEMS Arnaldo Alves Cardoso . VOGEL. it is described a simple and easy experiment based on reactions of oxidation-reduction in the darkening and cleaning.UFRPE Anna Maria Pessoa de Carvalho .. P Introdução . Gimeno.PUC/RS Bernardo Jefferson de Oliveira .UNICAMP José Luís de Paula Barros Silva . H.USP Denise Curi . A. J. Química analítica qualitativa. São Paulo: Mestre Jou.UFBA José Vicente Lima Robaina .UFMG Maria Emília C.UFSJ Paulo Rogério Miranda Correia .UNICAMP Antônio Rogério Fiorucci .UFRJ Julio Cezar Foschini Lisbôa . 4ª ed.UFF Sônia Maria Nobre Gimenez .PUC/RS Escurecimento e Limpeza de Objetos de Prata Milton Antônio Auth .UFPR Joice de Aguiar Baptista .UNICAMP José Cláudio Del Pino . In this article. Química: Físico-Química.R. 1996.USP Glaura Goulart Silva . Trad. e TIERA.I.UnB José Augusto Rodrigues .UFMG Andréa Horta Machado .USP Maurivan Güntzel Ramos .PUC/SP Maria Inês Petrucci Rosa . Rodrigues.UNISINOS Bayardo Baptista Torres .F.UNESP Attico Inacio Chassot .UnB Marli Dallagnol Frison .UFRJ Carlos Alberto Marques . and help them understand and solving several daily phenomenons of chemistry. p. E. P .UFSCar Luiz Henrique Ferreira . 18. L. e MAINIER.UFSCar Mansur Lutfi . Maria da Conceição Marinho Oki .C.UNICAMP Maria José Araújo Sales .IBAMA Flávia Maria Teixeira dos Santos . E.UFRJ Joanez Aparecida Aires . 52-54.CEFET/RJ Wildson Luiz Pereira dos Santos .USP Célia Maria Soares Gomes Sousa . Corrosão. 19. Bagno. A. Química Nova na Escola.UFSCar Roque Moraes .UFMG Alice Ribeiro Casimiro Lopes . Rio de Janeiro: Interamericana. Dias Neto e A. L. 30ª ed.UFRPE Edson Aparecido Abdul Nour . V.J.H. 1985.Univ.USP Antonia Marli dos Santos .UNICAMP Marcelo Brito Leão . à bioquímica. Oxidação de metais.UERJ Ana Luiza de Quadros .IMES Rejane Maria Ghisolfi Silva . p.UNIVIÇOSA Raul Vicenzi . 2.UnB Rochel Montero Lago . V. Castro Lima . Trad.C. V.UFS Elizabeth Tunes . Almeida . 1996.UnB N° 30.USP Berenice Álvares Rosito . R.UFRPE Ricardo Gauche . 3ª ed. 1981.UNIJUÍ Lilavate Izapovitz Romanelli .USP Cláudio Airoldi . 2003.ENSG Nelson Rui Ribas Bejarano . n.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful