Você está na página 1de 5

Terça-feira, 21 de fevereiro de 2012 – [GMT+1

]

NÚMERO 160
Eu não teria faltado a um Seminário por nada no mundo – PHILIPPE SOLLERS Ganharemos por que não temos outra escolha – AGNÈS AFLALO

www.lacanquotidien.fr

PETIÇÃO INTERNACIONAL PELA ABORDAGEM CLÍNICA DO AUTISMO
por iniciativa do Instituto psicanalítico da criança (Universidade popular Jacques Lacan)

ASSINAR A PETIÇÃO EM LINHA no site www.lacanquotidien.fr
Desde o dia 16 de fevereiro, dia da colocação em linha da petição, 5066 assinaturas já foram recolhidas.

O TEXTO DA PETIÇÃO INTERNACIONAL PARA A ABORDAGEM CLÍNICA DO AUTISMO:www.lacanquotidien.fr

Sofrimentos da criança

Cada vez que eles desejaram. a dificuldade de falar do que lhe importa é tanto mais difícil de ultrapassar quanto menos confiança ele tenha nas palavras ditas ou ouvidas. por isso que fui tocada pelo retorno frequente de três traços marcantes. Ela se diz. às mamães. Durante vários decênios. Hoje. Sem a vontade dessa mamãe de ajudar seu filho. nada teria sido possível. Michel consentiu em vir falar. foi possível inventar soluções que melhor convinham à criança e aos seus pais. não hesitou em fazê-lo ser acompanhado [por especialistas] durante muitos anos e ele teve então diversos reeducadores. Ela se diz aliviada que não reste quase nada das crises. sem dúvida. porque ela não aguentava mais. ficava feliz de constatar que a relação com o seu filho se apaziguava também em casa. É. Outro traço diz respeito. mas ela não tinha ninguém que pudesse tomar conta dele. Corria o risco de perder o seu emprego porque. faz um ano.por Agnès Aflalo Há pouco mais de trinta anos. Elas puderam sentir um momento de extrema solidão que surgiu ou foi reativado no momento da chegada desse filho e que as deixou na impossibilidade de formular uma condenação. Sua mamãe veio pedir ajuda. Ela se diz orgulhosa dele e de seus progressos escolares. Nem Michel nem sua mamãe podiam dizer o que não ia bem. que tinha dez anos. É a aposta a cada . mas dedicamos também tempo para ouvir sua mãe. mas nenhum dos dois aguentava mais. seu estado melhorou e ele pode voltar à sua classe. porém sob medida. se encontram tomados por uma vontade de fazer bem feito que os tiranizam e os esgotam sem que eles possam disso se queixar. os jovens e suas famílias. Sua mãe também pediu para ser ouvida. e frequentemente ele é vigorosamente afastado da memória. Os sintomas são diferentes a cada vez. E a cada vez que ela conseguia ultrapassar um stress intenso. minha prática pública ocupa metade do meu tempo: os adultos inicialmente. Os dois primeiros dizem respeito aos pais. a escola lhe telefonava quase todos os dias para vir buscar seu filho em crise. muitas vezes. a mãe de Michel encontrou o sorriso. Quanto à criança. os pais não podem se impedir de retornar contra eles esse fracasso ou o que ressentem como tal. eu jamais ouvi duas vezes a mesma história familiar. sobretudo. Mas. depois as crianças. sobretudo feliz de se sentir enfim escutada. Apesar de seu modesto salário. A fala não é fácil para ele. entretanto. convencidos de que nunca é o bastante. Não posso me impedir de pensar em Michel. Encontrei muitas crianças que sofriam tanto que renunciaram a se fazer ouvir. E. Permanecer pragmática sem prejulgar do bem daquele que sofre – pais ou filhos – é consentir em acolher a absoluta singularidade de cada um. há pouco. Nós recebemos Michel. quando os filhos se distanciam deles. Encontrei também inúmeros pais em sofrimento e que não sabiam mais como se fazer ouvir. Tratava-se frequentemente de bricolagem. Neles não faltam nunca ideais elevados para seus filhos. Após uma breve hospitalização que o apaziguou. Pode ser um momento mais ou menos furtivo. Essa mãe estava ainda mais esgotada pelo fato de cuidar sozinha de seu filho e por ter feito tudo o que acreditava que era o melhor para ele.

edições Cécile Defaut. redatora chefe do Jornal Nouvel Âne. A doutora Agnès Aflalo é psiquiatra.vez renovada de uma fala reencontrada que tem uma chance de atingir os sintomas. ex interna dos hospitais psiquiátricos (AIHPRP). Assinaram a petição *** Novas Instituições signatárias . ex médica hospitalar. É autora de numerosos artigos. médica chefe do CMP Cruz Vermelha francesa de Bagnolet. e autora do O assassinato falho da psicanálise. Ela ensina na Seção Clínica de Paris Île de France. 2009.

lacanquotidien. ao fim deste. tamanho 10. em formato Word • Fonte: Calibri • tamanho dos caracteres: 12 • espaço: 1. .15 • parágrafo: justificado • nota de rodapé: a mencionar manualmente no corpo do texto.À atenção dos autores ________________________________ As propostas de textos para publicação em Lacan Cotidiano devem ser endereçados por e-mail ou diretamente no site www.fr clicando em “proposez um article” (proponha um artigo).

Tradução: Fernando Coutinho .