Você está na página 1de 3

FCT/UNL – Departamento de Física

Quantificação da Incerteza em Medidas Experimentais

FÍSICA II
Quantificação da Incerteza em Medidas Experimentais
O presente documento tem por objectivo estabelecer normas de registo e tratamento de dados conducente à quantificação da incerteza dos resultados experimentais obtidos nas aulas laboratoriais de Física II.

1.

Registo de medidas experimentais

O acto de medir consiste em comparar a dimensão de uma grandeza de referência com uma grandeza da mesma natureza de dimensão desconhecida, de forma a determinar o seu valor (medida directa). Normalmente, o valor obtido numa medição não corresponde ao valor verdadeiro da grandeza. Toda a medida tem uma incerteza associada, eventualmente, devido a dois tipos de contribuições: Sistemática – que pode ter origem na concepção insuficiente do modelo teórico usado para descrever os resultados (ex. simplificações matemáticas…), nos instrumentos (ex. instrumento não calibrado…) e/ou na influência de parâmetros externos (ex. variação não prevista da temperatura a que decorre a experiência…). Incerteza Aleatória – têm carácter acidental ou indeterminado induzidos no valor da grandeza pelo operador, quer na fase de realização da medida ou por execução imperfeita de parte ou partes do procedimento experimental. A amplitude da incerteza aleatória atenua-se quando se aumenta o número de vezes que se realiza a medida. As medidas podem ser qualificadas em exactas (erros sistemáticos pequenos) indicando quão próximo o valor médio experimental está do valor verdadeiro e/ou precisas (erros aleatórios pequenos) como indicação da reprodutibilidade da medida e do número de algarismos significativos.

1.1

Medida Directa
[ x , grandeza] = [ xi , valor da grandeza] ± [ ∆x i , incerteza] [unidade] FÍSICA II - PROF. ANTÓNIO DIAS 1

A medida obtida por leitura directa num instrumento é registada na seguinte forma

ANTÓNIO DIAS ∆z e uc(z) para casos particulares. A incerteza de z é obtida pelo método de propagação das incertezas. tendo x = x + ∆x .. sendo n o número de medições n 1 Incerteza nas medições a) n = 1. . ∑( x i − x )2 n( n − 1 ) . 2 . relacionada com as incertezas padrão combinadas das grandezas de medição directa pela expressão: ⎛ ∂z ⎞ ⎛ ∂z ⎞ 2 2 uc ( z ) = ⎜ ⎟ [uc ( x )] + ⎜ ⎟ [uc ( y )] + . incerteza é a média dos desvios em relação à média ∆x = 1 n ∑ x i − x ou o n i máximo desvio em relação à média ∆x = max ( x i − x ) 2 c) n > 10. o valor de z tem associada uma Incerteza Padrão Combinada uc(z)..…). a incerteza é a resolução do instrumento de medida ∂ x (menor variação mensurável) b) 1 < n ≤ 10. desvio padrão da média s m = s r digital = ∂x 2 3 ou s r analógico = s n ∂x 2 6 = . y = y + ∆y. Então. o Limite Superior da Incerteza para z é: ∆z = onde ∂z ∂z ∆x + ∆y + .. desvio padrão de resolução instrumental 1. incerteza padrão combinada uc = s 2 + s m + s r2 sendo cada um destes termos f definidos de seguida: desvio padrão de exactidão instrumental s f = ∂e 2 3 onde ∂e é o erro máximo da medição e que quando não é fornecido pelo fabricante pode se considerar nulo. x = ∑ xi . z = f(x. o valor de z é afectado do desvio médio em relação à média (n ≥ 3) ou do maior desses desvios (n = 2) ou da resolução instrumental (n = 1) das grandezas de medição directa.FCT/UNL – Departamento de Física Quantificação da Incerteza em Medidas Experimentais 1 n Valor mais provável: média.2 Medida indirecta Se a medida directa de uma grandeza z é impossível..PROF.. ∂y ∂x ∂z ∂z e são derivadas parciais de z em ordem a x e a y. o seu valor pode ser determinado usando uma relação entre esta e outras grandezas mensuráveis.. ∂x ∂y b) n > 10.y. ⎜ ∂y ⎟ ⎝ ∂x ⎠ ⎝ ⎠ 2 2 Na tabela 1 são indicadas expressões de FÍSICA II . a) n ≤ 10..

[uc ( x )]2 1. FÍSICA II .x a . cuidado semelhante deve existir no registo de medidas indirectas. Os arredondamentos inerentes a estes registos seguem as regras usuais.y x z= y ∆x x + ∆y y z = k .PROF.FCT/UNL – Departamento de Física Quantificação da Incerteza em Medidas Experimentais Tabela 1 – Determinação da Incerteza em medidas indirectas Função z= x+ y Limite Superior da Incerteza Incerteza Padrão Combinada ∆z = ∆x + ∆y ∆z z = [uc ( z )]2 = [uc ( x )]2 + [uc ( y )]2 ⎡ u ( y )⎤ ⎡ uc ( z ) ⎤ ⎡ u ( x )⎤ =⎢ c +⎢ c ⎥ ⎢ z ⎥ ⎥ ⎣ ⎦ ⎣ x ⎦ ⎣ y ⎦ uc ( z ) u (x) =a c z x 2 2 2 z = x . ∆x i .x a z = k . x i . A incerteza associada a estas medidas deve ser apresentada apenas com um algarismo significativo (há excepções). Desta forma. y b z = ln( x ) ∆z z =a =a ∆x x ∆z z ∆x x +b ∆y y ⎡ uc ( y ) ⎤ ⎡ uc ( z ) ⎤ ⎡ uc ( x ) ⎤ ⎢ z ⎥ = ⎢a x ⎥ + ⎢b y ⎥ ⎣ ⎦ ⎣ ⎦ ⎣ ⎦ uc ( z ) = uc ( x ) x 2 2 2 ∆z = ∆x x z = sen( x ) ∆z = cos( x ) ∆x [uc ( z )]2 = [cos( x )]2 . o valor medido. ANTÓNIO DIAS 3 . deve ser registado com o cuidado de o seu digito mais à direita ser da mesma ordem de grandeza da sua incerteza.3 Algarismos significativos São os algarismos necessários para expressar os resultados obtidos com a mesma precisão que as medidas realizadas.