Você está na página 1de 25

Estruturas de Armazenagem

Estruturas de Armazenagem 2º - Logística Embalagem e Armazenamento Prof.ª: Vívian Alves

2º - Logística Embalagem e Armazenamento

Prof.ª: Vívian Alves

Estruturas de Armazenagem 2º - Logística Embalagem e Armazenamento Prof.ª: Vívian Alves

Armazenagem

  • Administração do espaço necessário para manter os

estoques.

  • O planejamento de armazéns inclui: localização, dimensionamento de área, arranjo físico, equipamentos para movimentação, tipo e sistemas de armazenagem, de sistemas informatizados para localização de estoques e mão de obra disponível.

Funções da armazenagem

Abrigo de produtos Consolidação Transferência e transbordo Agrupamento

Espaço físico próprio

  • Vantagens: armazenagem mais barata do que se alugasse espaço; maior grau de controle,

mantendo alto nível de serviço; espaço pode ser

convertido.

  • Cuidados para: redução de riscos de incêndio, arrombamento e deterioração / Uso de EPI’s e EPC’s.

Espaço físico de terceiros:

Armazéns públicos

  • Quem precisa contratar espaço físico por curto período de tempo ou realocar área de estocagem constantemente;

  • Mais adequado para produções muito sazonais.

  • Oferecem amplo leque de serviços e alto grau de especialização

Deve ser capaz de atender:

  • Recepção, armazenagem, despacho, consolidação, combinação de cargas, transferências e estocagem em trânsito (tempo no qual as mercadorias permanecem nos

veículos de transporte durante a sua entrega).

O que se espera de um armazém público:

  • Manuseio, armazenagem e distribuição por volumes e peso;

  • Estocagem em trânsito;

  • Armazenagem sem taxação;

  • Temperatura e umidade controladas no ambiente;

  • Aluguel de espaço por m²;

  • Espaço para escritório e serviços administrativos;

  • Informação de tráfego;

  • Consolidação de carregamentos;

  • Inventário físico;

  • Facilidades de transmissão de dados;

  • Empacotamento e montagem;

  • Marcação , etiquetagem, gravação, embalagem.

  • Proteção e amarração da carga;

  • Carga e descarga de veículos;

  • Preparação de relatórios e documentos;

  • Manutenção de entregas para clientes com crédito.

Cinco tipos básicos de armazéns:

  • De commodities: manuseio e armazenagem de produtos como madeira, algodão, cereais. Commodities são produtos básicos, homogêneos e de amplo consumo, que podem ser produzidos e negociados por uma ampla gama de empresas. Commodities (significa mercadoria em inglês) pode ser definido como mercadorias, principalmente minérios e gêneros agrícolas, que são produzidos em larga escala e comercializados em nível mundial. Commodities agrícolas: soja, suco de laranja congelado, trigo, algodão, borracha, café, etc. Commodities minerais: minério de ferro, alumínio, petróleo, ouro, níquel, prata, etc. Commodities financeiras: moedas negociadas em vários mercados, títulos públicos de governos federais, etc. Commodities ambientais: créditos de carbono O Brasil é um grande produtor e exportador de commodities. As principais commodities produzidas e exportadas por nosso país são: petróleo, café, suco de laranja, minério de ferro, soja e alumínio.

  • Para granéis: a granel em montes, sem conta nem peso, à mistura, sem embalagem.

A granel, em grande quantidade, a rodo, abundantemente; diz-se de carga que não é

ensacada nem encaixotada; em desordem, desalinhadamente.

Ex.: carvão, minério de ferro, calcário, grãos, fertilizantes e vários outros materiais afins.

  • Refrigerados (frigorificados)

  • Para utilidades domésticas e mobiliários

  • De mercadorias em geral

Armazenagem de produtos leves

  • Estantes

  • É o tipo de estrutura que se utiliza para o armazenamento de produtos com pequeno volume e peso, não paletizados e com armazenamento manual.

  • Estantes de grande comprimento

  • É um sistema utilizado basicamente para o armazenamento de cargas leves mas que simultaneamente possuem um tamanho relativamente grande. Esta é uma estrutura intermediária entre as estantes e as estantes para paletes.

  • Estantes flow-rack

  • Esta estrutura é utilizada para o armazenamento de cargas leves (caixas). Neste sistema o produto é colocado num plano inclinado com trilhos e este desliza até à outra extremidade do trilho.

  • Estantes em dois andares

  • Esta é a denominação que se dá as estantes convencionais que tem uma grande altura, e que estão posicionadas em conjuntos formando corredores, sendo o acesso à parte superior feito através de uma escada. A principal vantagem deste sistema é a junção das principais características das estantes leves (o armazenamento manual, a seletividade, o baixo custo) com a possibilidade de aproveitamento máximo da altura

Organização e multiplicação do espaço

Mezanino

  • É usado para a duplicação de uma determinada área, dividindo-se o espaço verticalmente com a colocação de pisos intermediários. Como sistema de armazenagem é utilizado para cargas a granel das quais são exemplo as caixas soltas.

Divisórias

  • São utilizadas para se fazer a divisão de ambientes industriais, organizando-se desta forma o espaço em áreas, sendo possível a colocação de portas ou guichês .

Estruturas de Armazenagem

  • Perante tanta oferta é por vezes importante analisar qual a melhor solução para que a tal conciliação entre o espaço e a velocidade seja conseguida. Chegou-se então à conclusão que a melhor solução é optar por uma mistura de toda esta oferta, aproveitando-se as

vantagens de cada um, atendendo sempre as

características de giro e volume das mercadorias que se

pretende armazenar.

Empilhamento sobre o piso -

Blocagem ou Block Stacking

Empilhamento sobre o piso - Blocagem ou Block Stacking

Estante convencional para paletes

  • É um sistema utilizado principalmente para a armazenagem de cargas paletizadas. É uma estrutura pesada, que permite uma elevada seletividade, visto que os paletes são colocados e retirados individualmente pelas empilhadeiras.

Estante convencional para paletes  É um sistema utilizado principalmente para a armazenagem de cargas paletizadas.

Estante convencional para paletes

Este sistema tem uma série de vantagens, como por exemplo

  • Possibilita a localização e a movimentação de qualquer palete sem que seja necessário mover as outras;

  • Permite a arrumação de uma grande variedade de produtos;

  • Faculta planos de apoio de diversas alturas;

  • Ajusta-se a cargas de rotação relativamente elevada;

  • Pode ser facilmente montado e desmontado;

  • É compatível com a maior parte dos equipamentos de movimentação e com a maioria dos tipos de pisos industriais.

  • Protege a mercadoria contra estragos;

  • Permite um melhor aproveitamento do pé-direito;

Possui, no entanto, também algumas desvantagens, tais como:

  • Para um pé-direito superior a 8 metros há necessidade de se utilizar equipamentos especiais;

  • Baixa densidade de estoque devido à necessidade de corredores para a circulação das empilhadeiras;

  • Obriga a um layout bem definido.

Drive-in ou drive-through

  • Consiste num bloco de estruturas contínuas com corredores, é utilizado quando a carga pode ser paletizada, é pouco variada e não necessita de alta seletividade ou velocidade. Os componentes deste sistema de armazenagem são bastante semelhantes aos da estante convencional para paletes, no entanto esta estrutura apresenta uma maior fragilidade, pois é bastante instável, necessitando de algumas exigências extras para sua estabilização. Neste tipo de estruturas, como a seletividade é baixa, a retirada dos paletes é feita de uma forma mais lenta. A principal diferença entre o drive-in e o drive-thru, é que no primeiro a arrumação da estrutura impossibilita a empilhadeira de atravessar os corredores, enquanto que no segundo essa movimentação já é possível pois a arrumação é feita na parte superior. Estes tipos de estrutura são utilizados principalmente quando o aproveitamento do espaço é mais importante que a agilidade no processo de armazenamento

Drive in / Drive through

Drive in / Drive through

Cantilever

  • É uma estrutura que se utiliza quando é necessário armazenar de maneira rápida produtos não paletizados e com um grande e variável comprimento como por exemplo tubos e chapas de aço. Possui uma alta densidade e seletividade de armazenagem

Cantilever  É uma estrutura que se utiliza quando é necessário armazenar de maneira rápida produtos

Dinâmica

  • Designada, em inglês, por gravity flow rack. O tipo de paletes utilizados neste tipo de estrutura é muito importante, visto que, o que vai determinar o perfeito funcionamento do sistema, sem risco de paradas ou quebras, é o bom apoio dos paletes nos roletes. A operação deste sistema faz-se colocando-se um palete numa extremidade da pista, e devido à inclinação da pista, esta vai deslizando até à extremidade oposta da estrutura. Aqui, o primeiro palete a entrar será obrigatoriamente o primeiro a sair.

Dinâmica

Dinâmica

Push-back

  • Bloco de estruturas semelhantes ao drive-in utilizado para cargas paletizadas. Os paletes são colocadas em trilhos que possuem uma leve inclinação, e o primeiro palete colocadao é empurrado para trás pelo segundo, e assim sucessivamente. Quando se procede a retirada dos paletes, como a pista de carga é um pouco inclinada, possibilita o controle da velocidade do palete por parte do operador da empilhadeira. Quando se retira um palete, os outros descem a pista, ficando sempre um palete na parte frontal. Esta característica faz aumentar a seletividade desta estrutura, no entanto como é composta por um complexo sistema de trilhos, o número de posições paletes na profundidade é de apenas 2 a 5 paletes.

Push-back

Push-back

Flow-rack

  • Esta estrutura é utilizada para o armazeamento de cargas leves (caixas). Neste sistema o produto é colocado num plano inclinado com trilhos e este desliza até à outra extremidade do trilho

Flow-rack  Esta estrutura é utilizada para o armazeamento de cargas leves (caixas). Neste sistema o

Estante de grande comprimento:

  • Utilizada, basicamente, para cargas leves que possuem um tamanho relativamente grande para ser colocado nas estantes convencionais. É um produto intermediário entre as estantes e os porta-paletes.

Estante de grande comprimento:  Utilizada, basicamente, para cargas leves que possuem um tamanho relativamente grande

Big-Bags

  • São contentores flexíveis de volume médio usados para transporte e armazenamento de qualquer tipo de líquidos, granulados ou produtos em pó. São econômicos e de fácil manuseio.

  • São usados para embalagem e estocagem de produtos em pó e granulados, incluindo fertilizantes, sais, produtos químicos, granulados sintéticos, rações, lixo tóxico, cimento, minerais, metais e muitos outros produtos. Feitos sob medida, especialmente para atender as necessidades de cada cliente, os big-bags estão disponíveis em diferentes tamanhos e especificações, sempre de acordo com os padrões internacionais de segurança.

Big-Bags

Big-Bags
Racks
Racks