UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda

EEIMVR

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS

RELATÓRIO DE FÍSICA EXPERIMENTAL Lei de Hooke

Disciplina: Física Experimental I Professor: Osvaldo Turma: VC Alunos: André Krom Matheus Callado

O objetivo desta prática é o estudo de forças que dependem da posição. e a constante da mola será medida a partir do gráfico da força exercida pela mola em função de sua distensão.Com essa experiência verificar-se-á experimentalmente a Lei de Hooke e determinar a constante elástica. sendo a força exercida por um mola. .RESUMO Neste experimento será medida a distensão da mola em função da força exercida sobre ela.

2. O sinal negativo na expressão vetorial da Lei de Hooke significa que o vetor força elástica (Fel) atua no sentido contrário ao vetor deformação (x).Através da aplicação de 5(cinco) massas. a mola sofria uma distensão que foi medida em centímetros. FUNDAMENTOS TEÓRICOS Hooke estabeleceu uma lei que relaciona a força elástica (Fel) com a deformação (x) produzida na mola que é a seguinte: Enunciado da Lei de Hooke: "A intensidade da força elástica (Fel) é proporcional à deformação (x)". em que era acrescida 50g (cinquenta). . tal que a força é igual ao deslocamento da massa a partir do seu ponto de equilíbrio vezes a característica constante da mola ou do corpo que sofrerá deformação” [1]. conservativa e não constante. . K é a constante elástica e X deslocamento sofrido pela mola. e através da análise do gráfico força versus deslocamento é possível conhecer a constante elástica.Foi calculada então a força exercida pela mola em função do peso. [2] Expressão da Lei de Hooke: Fel = kx (1) ou vetorialmente: Fel = . INTRODUCÃO “A lei de Hooke é a lei da física relacionada a elasticidade de corpos.K x (2) Onde F é a força elástica sofrida pela mola. O alongamento de molas helicoidais obtido através da aplicação das massas causou uma força deformadora. que serve para calcular a deformação causada pela força exercida sobre um corpo.1.

Na extremidade inferior suspende-se um corpo de massa mo= 50g como indicado na figura abaixo: Figura 1: Esquematização do experimento. Este procedimento foi repetido 5(cinco) vezes sofrida pela mola. RESULTADOS E ANALISES DE DADOS . medida pela régua milimetrada. sendo que em cada desenvolvimento acrescentava-se um peso de massa igual a 50g e media-se a distensão Assim pode-se determinar a relação existente entre a variação da força e a variação do comprimento.3. PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS Partindo desse princípio. é possível determinar a constante elástica da mola. 4. foi realizado o experimento da seguinte forma: Prendeuse a mola na vertical na sua extremidade superior a um suporte fixo sobre a bancada. e tomou-se como base um ponto em que a mola permanece em repouso. A partir do gráfico força versus deslocamento.

97 1959. com isso tornou-se possível calcularmos o coeficiente angular e o coeficiente linear da reta cujo valores encontrados foram de.20. respectivamente.1. 5.106 12. CONCLUSÃO Avaliando o experimento referente à Lei de Hooke. sendo possível calcular as forças envolvidas e mostrar que o . Após a construção do gráfico e todos os cálculos concluídos notamos que o gráfico 1 está de acordo com a lei de Hooke.0 99. foi construída uma tabela (tabela 1) com os valores medidos: (Tabela 1) n 1 2 3 4 5 F = mg x(cm (N) ) 49.67 e 489. tal que a força é igual ao deslocamento da massa a partir do seu ponto de equilíbrio vezes a característica da constante da mola que sofrerá a deformação. Também foi calculado a constante “K” da mola sendo esse igual a (166.9 149.3 m (g) N = números de eventos em ordem Através dos valores descritos na tabela 1 foi construído um gráfico força x deslocamento (gráfico 1). que serve para calcular deformação causada pela força exercida sobre um corpo. observamos que o seu funcionamento é adequado.95 2449.Logo após serem seguidos procedimentos acima citados.99 489.902 8.706 5.0 249.97 979.59) N/cm. pois é a lei da física relacionada a elasticidade de corpos.7 199.200 3.510 14.99 1469. 51 +/. 89.

12° edição.. A característica da mola é que cessada a força deformadora. pág. 6.experimento em laboratório condiz à realidade da mola e com os dados da tabela 1.Sears & Zemansky . 193 II ) [2] Física I – Mecânica . “Estimativa e Erros em Experimentos de Física” . Santono et. ela volta à posição inicial. pág. 194 III) A.Sears & Zemansky . e quando uma mola de aço está sob a ação de uma força ela se deforma sendo que essa deformação x(cm) é proporcional à força aplicada. BIBLIOGRAFIA I ) [1] Física I – Mecânica . foi possível estabelecer uma relação entre o peso suspenso e a deformação da mola. Dizemos que a mola possui uma força restauradora.12° edição. al.

IV) José Henrique Violo. “Fundamentos da Teoria de Erros” .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful