Você está na página 1de 13
DISCIPLINA: PROCESO DE FABRICAÇÃO ASSUNTO: CIÊNCIA DOS MATERIAIS DATA: 08/03/2012 PROFESSOR: NILMÁRIO GALDINO GUEDES
DISCIPLINA: PROCESO DE FABRICAÇÃO ASSUNTO: CIÊNCIA DOS MATERIAIS DATA: 08/03/2012 PROFESSOR: NILMÁRIO GALDINO GUEDES

DISCIPLINA: PROCESO DE FABRICAÇÃO ASSUNTO: CIÊNCIA DOS MATERIAIS DATA: 08/03/2012 PROFESSOR: NILMÁRIO GALDINO GUEDES

CIÊNCIA DOS MATERIAIS

1. INTRODUÇÃO

Os materiais têm sido importantes na cultura humana desde milênios de anos atrás para

o

uso em transportes, habitação, comunicação, recreação, proteção, etc.

2.

OBJETIVOS

Os objetivos é o de buscar soluções para projetos específicos, procurar novos materiais, bem como manipulá-los e analisando sua microestrutura, segundo alguns critérios:

- Analisando as condições de serviços e de exposição;

- Quais as propriedades físicas e mecânicas esperadas;

- Viabilização econômica do projeto.

3. PROPRIEDADES IMPORTANTES

Podem ser agrupadas em seis categorias diferentes:

- Mecânica (módulo de elasticidade, Resistência mecânica);

- Elétrica (constante dielétrica, condutividade);

- Térmica (capacidade calorífica, condutividade);

- Magnética (estímulo a campo magnético);

- Ótica (reflexão, refletividade, radiação luminosa);

- Deteriorativa (reatividade química).

4. CLASSIFICAÇÃO DOS MATERIAIS:

1º GRUPO: sólidos

- metais;

- cerâmicos;

- polímeros.

2º GRUPO: adicionais

- compósitos;

- semicondutores;

- biomateriais.

Metais: São combinações de elementos metálicos, bons condutores de eletricidade e calor e não transparentes, também são muitos resistentes e deformáveis.

Cerâmicos: São compostos entre elementos metálicos e não metálicos freqüentemente óxidos, nitretos e carbetos. A grande variedade de materiais que se enquadra nesta classificação é composta de materiais argilosos, cimentos e vidros. Os cerâmicos são duros, porém muito quebradiços.

Polímeros: São materiais comuns de plásticos e borracha, compostos orgânicos baseados no carbono, hidrogênio e outros não metálicos com estrutura molecular muito grande, baixa densidade e extremamente flexíveis.

Compósitos: Consiste em um ou mais tipo de material, trabalhando juntos, sendo que, as propriedades do conjunto são melhores do que a de um material individual. Ex:

concreto e fibras de carbono impregnadas.

Semicondutores: São materiais que possuem propriedades elétricas intermediárias aos condutores normais. Eles tornaram possíveis os circuítos integrados que revolucionaram as indústrias de eletrônicos. (micro circuitos).

Biomateriais: São empregados em componentes implantados no interior do corpo humano. Todos os materiais citados anteriormente podem ser usados com biomateriais.

Metais Ferrosos

O ferro

O ferro não é encontrado puro na natureza. Encontra-se geralmente combinado com

outros elementos formando rochas as quais dar-se o nome de MINÉRIO.

Minério de ferro

O minério de ferro é retirado do subsolo, porém muitas vezes é encontrado exposto

formando verdadeiras montanhas.

Os principais minérios de ferro são a Hematita e Magnetita. Para retirar as impurezas, o minério é lavado, partido em pedaços menores e em seguida levados para a usina siderúrgica.

ALTO FORNO

A carga num alto-forno é feita na parte superior e consta do seguinte: minério de ferro a

reduzir (hematita), coque ou carvão de lenha (para fornecer o calor e o CO necessários à redução), e fundente (calcário) para fluidificar as impurezas e formar uma escória mais fusível. Na parte inferior, logo acima do cadinho é injetado ar quente para alimentar a combustão do carvão. Das reações que se dão resultam os seguintes produtos:

1.

Gusa que goteja dentro do cadinho;

 

2.

A escória que flutua sobre a gusa;

3.

Gases.

A

gusa é recolhida para ulteriores transformações (obtenção de ferro fundido e aço).

A

escória é aproveitada para o fabrico de tijolos refratários, cimento, lã mineral e lastro

de

pavimentação.

 

Os

gases

saem

pela

parte

superior

e

são

recolhidos

para

sua

utilização

como

combustível.

Obtenção do ferro gusa Na usina, o minério é derretido num forno denominado ALTO FORNO
Obtenção do ferro gusa Na usina, o minério é derretido num forno denominado ALTO FORNO

Obtenção do ferro gusa

Na usina, o minério é derretido num forno denominado ALTO FORNO. No alto forno, já bastante aquecido, o minério é depositado em camadas sucessivas, intercaladas com carvão coque (combustível) e calcário (fundente).

PROPRIEDADES MECÂNICAS

As propriedades mecânicas definem o comportamento ou as respostas do material à ação de esforços mecânicos.

1.0

RESISTÊNCIA

Tração;

Escoamento

Compressão

Flexão;

Cisalhamento

Fluência;

Tensão de Ruptura.

2.0

CONFORMABILIDADE

% alongamento;

% de redução de área;

Raio de flexão.

3.0

RESILIÊNCIA

Modulo de elasticidade;

Modulo de flexão;

Modulo de cisalhamento.

4.0

TENACIDADE

Resistência ao impacto;

Sensibilidade ao entalhe;

Intensidade da tensão critica.

5.0

DURABILIDADE

Dureza;

Resistência ao desgaste;

Resistência a fadiga.

A resistência é a capacidade de um material acomodar tensão.

Tração: O ensaio detração uniaxial é um dos mais populares ensaios mecânicos. Fornece informações referentes à resistência e ductilidade do material ensaiado.

Em resumo as principais propriedades mecânicas dos materiais são:

Resistência à tração;

Elasticidade;

Ductilidade;

Fluência;

Fadiga;

Dureza;

Tenacidade entre outras.

Resistência máxima de um material submetido a uma carga de tração. É a tensão máxima desenvolvido em um material em um teste de tração.

que

a

descrição de várias outras propriedades mecânicas, como por exemplo, a tensão de escoamento e tensão de ruptura,

O

proporciona

módulo

de

elasticidade ou

medida

módulo

de Young é

um

parâmetro

Está

mecânico

uma

da rigidez de

associado

com

A ductilidade ou ductibilidade é

a propriedade

física dos

materiais

de

suportar

a deformação

plástica,

sob

a ação

de

cargas,

sem

se romper ou

fraturar. Ela é

caracterizada pelo fluxo do material sob ação de uma tensão cisalhante.

A fluência é a deformação plástica que ocorre num material, sob tensão constante ou

quase constante, em função do tempo. A temperatura tem um papel importantíssimo nesse fenômeno. A fluência ocorre devido à movimentação de falhas, que sempre

existem na estrutura cristalina dos metais.

Fadiga são esforços cíclicos repetidos. De maneira geral, peças sujeitas a fadiga estão submetidas a esforços que se repetem com regularidade. Trata-se das tensões cíclicas.

Dureza, outra propriedade mecânica que é uma medida da resistência de um material a uma deformação plástica localizada (por exemplo, uma pequena impressão ou risco).

Tenacidade é a capacidade de um determinado material de absorver energia do impacto, que por sua vez está relacionada com a sua resistência e ductilidade.

O ensaio de resistência ao choque dá informações da capacidade do material absorver e dissipar essa energia. Como resultado do ensaio de choque obtém-se a energia absorvida pelo material até sua fratura, caracterizando assim o comportamento dúctil ou frágil.

CLASSIFICAÇÃO DOS METAIS

Ligas ferrosas Aços com baixo, médio e alto teor de carbono; Aços inoxidáveis (liga de cromo).

Aço liga Ferros fundidos Ferros cinzento, nodular e branco

Ligas não ferrosas Cobre e suas ligas; Alumínio e suas ligas entre outros.

Ferros cinzento, nodular e branco  Ligas não ferrosas Cobre e suas ligas; Alumínio e suas

HSLA (inglês) / BLAR (português): Aços de alta resistência e baixa liga, conhecidos também como aços micro ligados. Possuem aproximadamente 0,1 a 0,3% de carbono, os elementos mais comuns são: nióbio, vanádio e titânio.

Aço duplex é um tipo de aço inoxidável composto pela combinação de dois tipos de microestrutura: Ferrítica e austenítica.

Aço PH é o aço inoxidável endurecível por precipitação (PH). De estrutura martensítica, é ferro magnético e tem sua dureza aumentada por um processo diferente dos martensíticos atingindo uma resistência a tração da ordem de 1700 MPa. Possuem boa ductilidade e tenacidade sendo sua resistência à corrosão comparável ao aço austenitico 304. O aço PH é muito usado na indústria aeroespacial enquanto que o duplex possui larga aplicação nas indústrias alimentícias, químicas, petroquímicas, papel e celulose dentre outras.

AÇO (liga de Fe C)

É uma liga Ferro-Carbono cujo teor em Carbono varia entre 0.03% e 2.06%, contendo Si, Mn, P e S.

O aço é um produto resultante:

1)

Do refino da gusa bruta no conversor Bessemer ou Thomas (figura abaixo) a ar ou a oxigênio.

No conversor o oxigênio ou o ar é insuflado entre a massa líquida deixando-a borbulhar.

Esses conversores são usados para refino da gusa rica em silício (Si) e pobre em fósforo (P), também serve para o refino do Chumbo (Pb), Cobre (Cu) e Níquel (Ni).

2) Do refino da gusa bruta com sucatas de aço ou de ferro fundido em

2) Do refino da gusa bruta com sucatas de aço ou de ferro fundido em fornos como o Siemens-Martin e elétrico; FORNO SIEMENS MARTIN

3) Da refusão de sucata de aço em qualquer forno, menos do tipo conversor. A temperatura de fusão do aço é em torno de 1350 a 1400° C.

AÇO AO CARBONO

É uma liga de ferro-carbono que contém 0 a 2 % de carbono (industrialmente de 0,05 a 1,7 %). Apresenta também pequenas porcentagens de manganês, silício, fósforo e enxofre.

Depois do ferro o carbono é o elemento mais importante. É o determinativo do aço: a quantidade de carbono define o tipo de aço em doce ou duro. O aumento do carbono

resulta no aumento da dureza e da resistência à tração e diminuição da resistência e da maleabilidade.

No aço doce, o manganês, em pequena porcentagem torna-o dúctil e maleável. No aço rico em carbono, entretanto, o manganês endurece o aço e aumenta-lhe a resistência.

O

silício torna o aço mais duro e tenaz, evita a porosidade, remove os gases, os óxidos,

as

falhas e vazios na massa do aço. É um elemento purificador.

O

fósforo quando em teor elevado torna o aço frágil e quebradiço, motivo pelo qual se

deve reduzi-lo ao mínimo possível, já que não se pode eliminá-lo integralmente.

O enxofre é também um elemento prejudicial ao aço, tornando-o granuloso e áspero,

devido aos gases que produz na massa metálica.

O enxofre enfraquece a resistência do aço.

CARACTERÍSTICA DO AÇO:

1. Cor acinzentada;

2. Peso específico: 7,8g/cm3 ;

3. Temperatura de fusão: 1350 a 1400º C;

4. Maleável (lamina-se bem);

5. Dúctil (estira-se bem em fios)

6. Tenaz (resiste bem à tração, à compressão e a outros esforços de deformação lenta);

7. Deixa-se soldar, isto é, uma barra de aço liga-se a outra pela ação do calor (solda

autógena, soldadura de duas peças do mesmo metal a quente) ou pela ação combinada

do calor com os choques, na bigorna ou no martelete (caldeamento);

8. Deixa-se trabalhar bem pelas ferramentas de corte;

9. Apresenta boa resiliência, isto é, resiste bem aos choques;

10. Com determinadas porcentagens de carbono, apresenta condições especiais de dureza (adquire têmpera);

11. Com determinadas porcentagens de carbono, é mais elástico;

12. Oferece grande resistência à ruptura.

Pelo teor de Carbono (C), costuma-se classificar os aços em:

· aços extra-doces < 0,15 % C

· aços doce 0,15 - 0,30 % C

· aços meio-doces 0,30 - 0,40 % C

· aços meio-duros 0,40 - 0,60 % C

· aços duros 0,60 - 0,70 % C

· aços extra-duros 0,70 - 1,20 % C

AÇO LIGA OU AÇOS ESPECIAIS

Além do ferro-carbono contém outros elementos, chamados elementos de adição:

níquel, cromo, manganês, tungstênio, molibdênio, vanádio, cobalto, silício e alumínio.

Estes elementos são adicionados em quantidades que proporcionam determinadas características ao aço, tais como: resistência à tração e à corrosão, elasticidade, dureza, etc., bem melhores do que as dos aços-carbono comuns. Dependendo da porcentagem dos elementos obtém-se: aços de usinagem, aços para cementação, aços para beneficiamento, aços para molas, aços para ferramentas, aços resistentes à corrosão e ao calor (inoxidáveis), aços com propriedades físicas especiais, aços para válvulas de motores de explosão, etc.

Aço prata é uma denominação comercial dos aços ferramentas (ao carbono ou especial) de bitola pequena, temperáveis em água ou em óleo. Apresenta aparência brilhante, prateada.

FORMAS COMERCIAIS DOS AÇOS

Os aços de baixo teor de carbono (< 0,30 %) são vendidos na forma de vergalhões, perfilados (L, T, duplo T, H, U, etc.) chapas, fios e tubos.

Os aços com médio e alto teor de carbono (> 0,30 %) são encontrados no comércio na forma de vergalhões (chatos, quadrados, redondos, sextavados) chapas e fios.

CLASSIFICAÇÃO DOS AÇOS

1 - Classificação da DIN (alemã)

a) Aços ao carbono:

Usa-se o símbolo St (stahl = aço), seguido da resistência mínima à tração.

Ex.: St 42 ( str = 42 Kg/mm 2 )

No caso de aços de qualidade emprega-se a letra C seguida do teor de carbono multiplicado por 100. Ex.: C 35 (teor médio de C = 0,35 %)

Quando o aço é fino (c/baixo teor de P e S), usa-se o símbolo CK seguido do teor médio de C multiplicado por 100. Ex.: CK 15 (aço fino com teor médio de C = 0,15 %)

b) Aço liga

No caso de baixa liga, os aços são representados de acordo com o seguinte exemplo.

médio de C = 0,15 %) b) Aço liga No caso de baixa liga, os aços

No caso de aços de alta liga (> 5%) a designação é feita antepondo-se a letra X, e dispensando os multiplicadores com exceção do multiplicador do C.

Ex.: X 10 Cr Ni Ti 1892

0,1 % C

18 % Cr

9

2

% Ti

% Ni

FERROS FUNDIDOS:

GG (grauguss) fe fo cinzento;

GH (hartguss) fe fo em coquilha

GT (temperguss) fe fo nodular;

GS (stahlguss) aço fundido.

Ex.: GG 18 - fe fo cinzento com σ tr = 18Kg/mm 2

GS 22 Mo 4 - aço fundido com 0,22 C e 0,4 % Mo

As chapas são em geral:

· chapas pretas: tais como saem dos laminadores;

· chapas galvanizadas: revestidas de zinco;

· chapas estanhadas (folhas de flandres).