Você está na página 1de 26

Gestão de Projectos

Gestão de Projectos
Gestão de Projectos
Gestão de Projectos

Projectos como redes de actividades Determinação do caminho crítico Método de PERT Método CPM Exercício Links

Gestão de Projectos

Determinação do caminho crítico Método de PERT Método CPM Exercício Links Gestão de Projectos
Determinação do caminho crítico Método de PERT Método CPM Exercício Links Gestão de Projectos
Projectos como redes de actividades Projectos são conjuntos de actividades interdependentes que pretendem alcançar
Projectos como redes de actividades
Projectos são conjuntos de actividades
interdependentes que pretendem alcançar
objectivos (metas e especificações precisas)
Objectivos principais da gestão de um projecto
incluem o cumprimento de durações previstas e
a minimização de recursos (financeiros, mão de
obra, equipamento)

Projectos como redes de actividades

Arcos representam actividades do projecto Nós representam pontos específicos no tempo que marcam o fim de uma ou mais actividades A direcção de um arco é utilizada para representar a sequência das actividades. Uma actividade dirigida na direcção de um nó tem de estar concluída antes que qualquer actividade dirigida a partir desse nó se inicie

No desenvolvimento de uma rede de projecto considera-se que:


actividade dirigida a partir desse nó se inicie No desenvolvimento de uma rede de projecto considera-se
actividade dirigida a partir desse nó se inicie No desenvolvimento de uma rede de projecto considera-se
Projectos como redes de actividades Uma representação alternativa consiste em associar as actividades a nós
Projectos como redes de actividades
Uma representação alternativa consiste em
associar as actividades a nós e as relações de
dependência entre as actividades a arcos

Projectos como redes de actividades

Considere um projecto com as actividades A, B, C, D, E, F e G com a seguinte sequência:

A precede B e C C e D precedem E B precede D E e F precedem G



C, D, E, F e G com a seguinte sequência: A precede B e C C
C, D, E, F e G com a seguinte sequência: A precede B e C C

Projectos como redes de actividades

F

Projectos como redes de actividades F A C G 1 2 4 E 6 5 D
A C G 1 2 4 E 6 5 D B 3
A
C
G
1
2
4
E
6
5
D
B
3
Projectos como redes de actividades F A C G 1 2 4 E 6 5 D

Note que para evitar que o mesmo arco represente mais do

Considere um projecto com cinco actividades A, B, C, D e E com a seguinte sequência:

Determinação do caminho crítico

que uma actividade se recorre a um arco fictício

A- 3; B- 1; C- 4; D- 2; E- 5

Tempos de conclusão:

A precede C e D B precede D C e D precedem E


fictício A- 3; B- 1; C- 4; D- 2; E- 5 Tempos de conclusão: A precede
fictício A- 3; B- 1; C- 4; D- 2; E- 5 Tempos de conclusão: A precede

Determinação do caminho crítico

5

E

4

Arco fictício

Rede do projecto

C

3

1

A

5
5
4
4
2
2
1
1

2

D

Determinação do caminho crítico 5 E 4 Arco fictício Rede do projecto C 3 1 A

3

B

Determinação do caminho crítico 5 E 4 Arco fictício Rede do projecto C 3 1 A

Um acontecimento j pode ocorrer logo que todas as actividades dirigidas para o nó j estejam concluídas

Determinação do caminho crítico

Determinação do caminho crítico j2 Tempo mais cedo A B C 1 3
Determinação do caminho crítico j2 Tempo mais cedo A B C 1 3
Determinação do caminho crítico j2 Tempo mais cedo A B C 1 3
Determinação do caminho crítico j2 Tempo mais cedo A B C 1 3
Determinação do caminho crítico j2 Tempo mais cedo A B C 1 3

j2

Tempo mais cedo

j2 Tempo mais cedo A B C 1 3

A

B

C

j2 Tempo mais cedo A B C 1 3
1
1
3
3
Determinação do caminho crítico j2 Tempo mais cedo A B C 1 3
Determinação do caminho crítico j2 Tempo mais cedo A B C 1 3

Determinação do caminho crítico

j só ocorre quando A, B e C estão concluídas U j = max (U 1 + t 1j , U 2 +t 2j , U 3 +t 3j ) Fórmula geral U j= max (U i +t ij ) No exemplo:

U 1 = 0 U 2 = U 1 + t 12 = 3 U 3 = max(( U 2 +t 23 ), (U 1 +t 13 ))= max(3,1)= 3 U 4 = max ((U 2 +t 24 ),(U 3 +t 34 ))= max(7,5)= 7 U 5 = U 4 +t 45 = 12

Tempo mais cedo (cont.)

2 4 ),(U 3 +t 3 4 ))= max(7,5)= 7 U 5 = U 4 +t
2 4 ),(U 3 +t 3 4 ))= max(7,5)= 7 U 5 = U 4 +t

Tempo mais tarde de um nó Vi é o tempo mais tarde a que um acontecimento i pode ocorrer sem atrasar a conclusão do projecto para além do seu tempo mais cedo

Determinação do caminho crítico

Tempo mais tarde

7 F G i 8 H
7
F
G
i
8
H
9
9
do projecto para além do seu tempo mais cedo Determinação do caminho crítico Tempo mais tarde
do projecto para além do seu tempo mais cedo Determinação do caminho crítico Tempo mais tarde
do projecto para além do seu tempo mais cedo Determinação do caminho crítico Tempo mais tarde

Determinação do caminho crítico

V 5 = U 5 = 12 V 4 = V 5 -t 45 = 7 V 3 = V 4 -t 34 = 5 V 2 = min ((V 4 -t 24 ), (V 3 -t 23 ))= min (3,5)= 3 V 1 = min ((V 2 -t 12 ), (V 3 -t 13 ))= min (0, 4)= 0

V i = min (V 7 -t i7 , V 8 -t i8 , V 9 -t i9 ) Fórmula geral V i = min (V j -t ij ) No exemplo:

Tempo mais tarde (cont.)


9 -t i 9 ) Fórmula geral V i = min (V j -t i j
9 -t i 9 ) Fórmula geral V i = min (V j -t i j

A diferença entre o tempo mais tarde e o tempo mais cedo dá-nos a folga desse acontecimento. O tempo de folga representa o atraso que pode ser tolerado num acontecimento sem atrasar o prazo de conclusão de um projecto. Os acontecimentos com folgas nulas dizem-se críticos

Determinação do caminho crítico

de conclusão de um projecto. Os acontecimentos com folgas nulas dizem-se críticos Determinação do caminho crítico
de conclusão de um projecto. Os acontecimentos com folgas nulas dizem-se críticos Determinação do caminho crítico

0

0

0

0

2

Determinação do caminho crítico

Determinação dos acontecimentos críticos

T. + tarde Folga

5

3

7

0

12

3

3

7

0

12

T. + cedo

5

3

4

2

1

Acont.

crítico Determinação dos acontecimentos críticos T. + tarde Folga 5 3 7 0 12 3 3
crítico Determinação dos acontecimentos críticos T. + tarde Folga 5 3 7 0 12 3 3

4

2

(fim + cedo = Ui+tij, fim + tarde = Vj; caminho crítico-A-C-E)

Determinação do caminho crítico

Folga

3 0*

7 0*

12 0*

5

7

Determinação das actividades críticas

Vj

5

3

7

12

1

Ui+tij

Actividade

C

D

A

B

E

crítico Folga 3 0* 7 0* 12 0* 5 7 Determinação das actividades críticas Vj 5
crítico Folga 3 0* 7 0* 12 0* 5 7 Determinação das actividades críticas Vj 5

Technique)

para a duração

uma

Review das

se admite seguirem

a duração

que estimativas

sobre and

Evaluation

diferentes actividades

distribuição tipo beta:

Método de PERT

incertezas

actividades três

Mais provável - m Optimista - a Pessimista - b

(Program

Consideram-se

incorpora

PERT

das


actividades três Mais provável - m Optimista - a Pessimista - b ( Program Consideram-se incorpora
actividades três Mais provável - m Optimista - a Pessimista - b ( Program Consideram-se incorpora

Para aplicar o método calculam-se a média e

Esta distribuição é caracterizada por dois parâmetros.

Recorrem-se aos valores médios para

variância para cada actividade

determinar o caminho crítico

Média = (a + 4m +b)/6 Variância = ((b-a)/6) 2

Método de PERT


cada actividade determinar o caminho crítico Média = (a + 4m +b)/6 Variância = ((b-a)/6) 2
cada actividade determinar o caminho crítico Média = (a + 4m +b)/6 Variância = ((b-a)/6) 2

A duração total do projecto é uma variável aleatória com um valor médio (resultante da adição dos tempos médios de duração das actividades do caminho crítico) e uma variância (resultante da soma das variâncias dessas actividades) Sempre que existem caminhos críticos paralelos com diferente variância escolhe-se aquele com maior variância

Método de PERT

que existem caminhos críticos paralelos com diferente variância escolhe-se aquele com maior variância Método de PERT
que existem caminhos críticos paralelos com diferente variância escolhe-se aquele com maior variância Método de PERT

O método Critical Path Method (CPM) baseia-se na hipótese de que as durações das actividades são proporcionais aos recursos utilizados na sua execução Se atribuirmos mais recursos (isto é, fizermos um “crashing”) a uma actividade é de esperar que a sua duração se reduza embora daí resulte um custo adicional (custo “crash”)

Método CPM

é de esperar que a sua duração se reduza embora daí resulte um custo adicional (custo
é de esperar que a sua duração se reduza embora daí resulte um custo adicional (custo

Realizando o “crashing” das actividades críticas poderemos reduzir a duração total do projecto Aumentam os custos directos (inversamente proporcionais às durações das actividades) embora os custos indirectos (proporcionais à duração do projecto) diminuam e possam cobrir o custo adicional

Método CPM

os custos indirectos (proporcionais à duração do projecto) diminuam e possam cobrir o custo adicional Método
os custos indirectos (proporcionais à duração do projecto) diminuam e possam cobrir o custo adicional Método

Os objectivos sejam financeiros e as restrições temporais; O objectivo seja minimizar a duração com restrições orçamentais; Ocorram situações com objectivos múltiplos

Nos problemas simples poderemos utilizar métodos de enumeração. Em situações mais complexas teremos que recorrer a modelos de programação matemática O método poderá ser aplicado em problemas onde:

Método CPM

que recorrer a modelos de programação matemática O método poderá ser aplicado em problemas onde: Método
que recorrer a modelos de programação matemática O método poderá ser aplicado em problemas onde: Método

Defina a rede de actividades e determine o caminho crítico para um projecto de recolha de informação sobre terrenos a adquirir para fins florestais (ver quadro seguinte)

Exercício

um projecto de recolha de informação sobre terrenos a adquirir para fins florestais (ver quadro seguinte)
um projecto de recolha de informação sobre terrenos a adquirir para fins florestais (ver quadro seguinte)
   

1

1

1

1

1

3

3

2

4

1

6

1

1

5

1

6

   

Duração

Precedida

               

H

 

H

 

E,G, H

   

O

F

E, G,

G,

L,

A

B

C

D

B

D

D,

I

E,

K

M

N

J,

Exercício Actividade A B C D E F G H I J K L M

Exercício

Actividade

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

 
 
 
P=6
P=6

Resolução do Exercício

Resolução do Exercício N=5 G=3D=1 I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1 F=3 C=1 B=1 A=1
Resolução do Exercício N=5 G=3D=1 I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1 F=3 C=1 B=1 A=1
Resolução do Exercício N=5 G=3D=1 I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1 F=3 C=1 B=1 A=1
Resolução do Exercício N=5 G=3D=1 I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1 F=3 C=1 B=1 A=1
Resolução do Exercício N=5 G=3D=1 I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1 F=3 C=1 B=1 A=1

N=5

G=3D=1

I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1
I=4
J=1
H=2
K=6
L=1
E=1
O=1M=1

F=3

C=1

F=3 C=1

B=1

A=1

Resolução do Exercício N=5 G=3D=1 I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1 F=3 C=1 B=1 A=1
Resolução do Exercício N=5 G=3D=1 I=4 J=1 H=2 K=6 L=1 E=1 O=1M=1 F=3 C=1 B=1 A=1
Links http://www.informs.org http://www.pmforum.org http://www.primavera.com
Links
http://www.informs.org
http://www.pmforum.org
http://www.primavera.com