Você está na página 1de 2
EST - Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Microcontroladores

EST - Escola Superior de Tecnologia de Setúbal

Microcontroladores

Opto-electrónica

A opto-electrónica é importante pois permite, por exemplo, interligar um circuito

de fraco sinal com um outro de sinal forte. Os optos-acopladores possuem um receptor

que funciona por polarização através de luz emitida por um emissor, geralmente um díodo luminoso (LED). Este tipo de componente isola os circuitos de outros com tensões elevadas (ordem dos 800V de pico) protegendo assim o circuito com tensões mais fracas. Existem opto-acopladores de diversos tipos: transístores (4N25, 4N26), tiristores, triacs (MOC3021, MOC3020) e outros.

4N26), tiristores, triacs (MOC3021, MOC3020) e outros. Figura 1: Circuito de acoplamento entre sinais digitais e

Figura 1: Circuito de acoplamento entre sinais digitais e analógicos de potência elevada

O esquema aqui apresentado é constituído por um opto-acoplador a triac (MOC3021) e por um triac (BT139), controlando a potência entregue à carga em função de um determinado valor do ângulo de disparo, que determina o maior ou menor tempo de passagem das alternâncias da fonte de sinal V 1 .

O MOC3021 é composto por um díodo luminoso (LED) que, através da luz que

emite, coloca o foto-triac no estado de condução. A condução do triac do MOC3021 deixa passar as duas alternâncias da fonte V 1 , que são atenuadas pelos divisores resistivos R1 e R2. O triac coloca uma tensão de disparo na gate do BT139, este, por sua vez, fecha o circuito fazendo acender a lâmpada (carga resistiva pura). O brilho da lâmpada poderá ainda ser ajustado através de R2, que, basicamente, altera o tempo de condução do triac, colocando mais ou menos energia na carga.

Parâmetros que caracterizam o MOC3021

Parâmetros

Valor

Corrente directa do LED emissor (I F )

60mA

Tensão inversa no emissor (V R )

3V

Potência máxima do emissor (P FM )

100mW

Tensão directa do LED emissor (V F )

1,5V

Corrente de corte do receptor (I DRM )

100nA

Máxima tensão no receptor (V TM )

3V

Tabela 1: Valores típicos de tensões e correntes para O MOC3021

EST - Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Microcontroladores

EST - Escola Superior de Tecnologia de Setúbal

Microcontroladores

Limitações de funcionamento do triac BT139

Sendo o triac um dispositivo bidireccional deixam de ter significado as limitações aO nível de tensões inversas, problema existente no tiristor (V Rpp ). No entanto as limitações existem ao nível da:

Potência máxima dissipada (P máx ) e máxima temperatura de junção( T jmáx ).

Valores máximos de tensão (V Gmáx ), corrente(I Gmáx ) e potência (P Gmáx ) de gate.

Limites máximos de valores eficazes, de pico não repetitivo e de pico repetitivo da corrente e tensão.

Alguns valores típicos desses parâmetros, para a serie da BT139 da Phillips, são:

Parâmetros

Valor

Potência máxima na gate (P Gmáx )

5W

Tensão máxima na gate (V Gmáx )

5V

Corrente máxima na gate (I Gmax )

2A

Temperatura máxima de junção(Tj max )

125º

Tensão inversa de pico (V DRM )

800V

Corrente máxima eficaz (IT RMS )

16A

Tabela 2: Valores típicos de tensões e correntes para um triac

O dimensionamento das resistências para se conseguir um bom funcionamento do circuito teve como base os parâmetros das correntes e tensões que os dispositivos activos podem suportar (MOC3021 e BT139).

O código para um microcontrolador da série MCS-51 que permite comandar a lâmpada

é tão simples quanto o siguinte:

CLR CONTROL ; permite ligar a lâmpada STEB CONTROL; permite desligar a lâmpada

O bit CONTROL é o apresentado na figura 1.