Você está na página 1de 1

especial C 4 cotidiano SÁBADO, 6 DE DEZEMBRO DE 2008 ef

ENTREVISTA UrbanAgefoca
Sepudesse,amarravaosecretá- Aclasse média só quermais
ENRIQUE riodePlanejamentonumacadeirade espaço paraoscarros. [...]Podepassar nasintervenções
PEÑALOSA rodasediria:váandarpelasuacidade mesessemandaremum quarteirão urbanasdeSP

Eduardo Anizelli/Folha Imagem


................................................................................................
DA REPORTAGEM LOCAL

O segundo e último dia do


Urban Age, conferência inter-
nacional para discutir os rumos
das grandes cidades do mundo,
tendo São Paulo como foco des-
ta edição, direcionou o debate
para as intervenções urbanas
realizadas na capital.
A professora do LabHab (La-
boratório de Habitação e As-
sentamentos Humanos) da
FAU (Faculdade de Arquitetu-
ra e Urbanismo) da USP Ermí-
nia Maricato chamou a atenção
para as dificuldades e os confli-
tos existentes por trás das mu-
danças que se tenta fazer em
São Paulo e ressaltou a ocupa-
ção ilegal de parte significativa
do território brasileiro.
“Nas regiões Norte e Nordes-
te, há 90% de informalidade da
ocupação do solo”, afirmou Er-
mínia, acrescentando que para
tirar a população das áreas de
proteção ambiental é preciso
mudar o mercado imobiliário.
Para Nadia Somekh, diretora
do curso de arquitetura do
Mackenzie, o mercado tem dia-
logado mais com os pesquisa-
dores da área do que com o pró-
Enrique Peñalosa, ex-prefeito de Bogotá, na estação Sé do metrô de São Paulo; urbanista participou do Urban Age, evento internacional que terminou ontem
prio poder público.
“[O mercado imobiliário] es-
tá aprendendo a pensar em um
lucro inclusivo, social e demo-

FOLHA - Oque fazumaboacidade?


Numacidadeavançada,ricos crático”, opina Nadia.
O ex-governador do Paraná e
ex-prefeito de Curitiba Jaime
Lerner afirmou que os planeja-
dores não se comunicam com a

usamotransportepúblico
ENRIQUE PEÑALOSA - Jan Gehl
[urbanista dinamarquês que população e que, sem isso, é
defende que as cidades priori- muito difícil mudar a realidade.
zem ciclistas e pedestres] diz Na mesma linha de raciocínio,
que é aquela em que os mora- o professor do curso de arquite-
dores têm vontade de sair de tura do Makenzie Carlos Leite
casa, estar nas ruas —não no Para ex-prefeito de Bogotá, é preciso restringir o uso dos carros para melhorar trânsito afirmou que São Paulo passou
por diversas intervenções ur-
shopping. Uma cidade tem de
ser boa para as pessoas mais banas que acabaram por desor-
vulneráveis: crianças, cadei- ganizar sua estrutura.
A única forma de reduzir os congestionamentos é res- São Paulo para o Urban Age, conferência internacional “É a primeira vez que a cida-
rantes, idosos, pobres, ciclistas.
Transporte não faz ninguém tringir o uso do carro. Para Enrique Peñalosa, prefeito sobre urbanismo que acabou ontem, Penãlosa, que ho- de está preparada para inter-
feliz, é apenas necessário, como venções estruturais”, opina.
água potável. Mas se há um par-
de Bogotá de 1998 a 2001 e responsável por iniciar a je atua como consultor, falou à Folha sobre a impor- O ex-secretário de Planeja-
que, isso faz as pessoas felizes. implantação do Transmilênio, sistema de ônibus rápi- tância de uma boa calçada e de um transporte públi- mento Jorge Wilheim disse ver
O desafio é criar a cidade para na crise econômica mundial
as pessoas, e não para os carros.
do, nenhum transporte público resolve o problema do co eficiente e disse que a cadeira de rodas é a melhor uma oportunidade de mudança
FOLHA - Que coisas melhoram a vi- trânsito se os carros não forem retirados das ruas. Em máquina de planejamento urbano. (MARIANA BARROS) do mercado imobiliário e da
daurbana? ocupação irregular das áreas
PEÑALOSA - Os parques são algo públicas e protegidas.
necessário ou um luxo? Acho de carros. Muita gente em SP PEÑALOSA - É possível medir a FOLHA - Éumaquestãocultural? US$ 150 milhões por km. Cada Para a professora da FAU
que as pessoas precisam, sim, tem carro, mas usa metrô. Não democracia analisando como o PEÑALOSA - Sim. A classe média, passageiro custa US$ 1,50. O (Faculdade de Arquitetura e
de um espaço desses, não para é porque adoram o metrô, mas espaço público é distribuído que tem carro, só quer mais es- Transmilênio custa US$ 10 mi- Urbanismo) da USP, Regina
sobreviver, mas para serem porque é mais rápido, não pre- entre pedestres, ciclistas, ôni- paço para os carros. Vão do es- lhões por km e cada passageiro, Meyer, o debate do Urban Age
mais felizes. Todos em São Pau- cisa estacionar. De um lado, é bus e carros. Quanto mais ten- tacionamento do prédio ao es- US$ 0,50. Leva 45 mil passagei- esquentou a discussão sobre os
lo jogam bola. Por que não há preciso melhorar o transporte der para os primeiros, mais de- tacionamento do escritório, ao ros por hora por direção. Não problemas paulistanos e con-
campos ou quadras públicas? público; de outro, é preciso res- mocrática será. É uma questão estacionamento do shopping, estou dizendo que é melhor ou tribuiu para educar os repre-
FOLHA - O que caracteriza uma ci- tringir o uso de automóveis. política, não há nada técnico ao estacionamento do clube e pior, mas é bom o suficiente. sentantes do poder púbico, ele-
dade avançada? Há varias maneiras de se fa- nisso. Se houver mais espaço podem passar meses sem andar FOLHA - Eascalçadas? vando o nível de informação.
PEÑALOSA - Temos uma idéia de zer isso. O rodízio é uma delas. para carros, haverá mais carros; em um quarteirão. A única coi- PEÑALOSA - Calçadas são parte “A real dimensão das cidades
que progresso é ter mais pes- Nenhum transporte público do menos espaço, menos carros. sa que querem do governo é po- do sistema de transporte, por- é que elas são problema e tam-
soas usando carros, mas nas ci- mundo acaba com os conges- As cidades ricas, há 15 anos, de- lícia e rodovias. Querem metrô que a jornada começa quando bém solução”, resumiu Regina.
dades mais avançadas do mun- tionamentos. A única maneira cidiram não fazer mais vias pa- não para usar, mas porque que- saímos de casa. Uma calçada
do, como Zurique, na Suíça, ou é restringir o uso de carros. ra melhorar o trânsito. rem que os ônibus vão para o boa é símbolo de que o cidadão Estrangeiros
Tóquio, no Japão, as pessoas Tem de haver restrições a esta- FOLHA - A piora é porque a popula- subsolo. Não querem que o ôni- que caminha tem o mesmo va- A diretora de Planejamento
quase não usam automóvel. cionamentos, sobretudo nas çãoestá crescendo? bus tire o espaço dos carros. lor de outro que tem um carro de Nova York Amanda Burden
Uma cidade verdadeiramen- ruas. Outra forma é criar uma PEÑALOSA - Não. Pode parecer FOLHA - É melhor investir em ôni- de US$ 30 mil. É símbolo de de- contou como foram obtidos in-
te avançada é aquela em que os taxa, como em Londres, ou ro- que fazer mais estradas melho- bus ouemmetrô? mocracia. O que diferencia vestimentos para a cidade após
ricos usam transporte público, dízio, como em SP e Bogotá. ra o trânsito, mas isso não é ver- PEÑALOSA - Em SP, há três ve- uma cidade boa de uma ruim é a destruição causada pelos ata-
caminham e vão a parques. O FOLHA - Deve-secombaterocarro? dade. Você conhece uma única zes mais gente usando ônibus a qualidade das calçadas. ques de 11 de setembro.
contrário disso é quando os ri- PEÑALOSA - Não estou falando cidade do mundo que tenha re- do que metrô; é muito mais As de SP estão muito melho- Os arquitetos Brandon Haw,
cos usam helicópteros, vão a de restringir a compra, de colo- solvido o problema do trânsito prático e barato. Londres, para res agora do que há dez anos, representando o arquiteto
clubes fechados, a shoppings, car taxas na compra. É bom que fazendo vias maiores? Não há. 10 milhões de habitantes, tem principalmente nas áreas mais Norman Foster, que cancelou
moram em condomínios. as pessoas tenham carro, para Nos EUA, apesar das estra- 1.850 km de metrô. Proporcio- centrais. Se eu pudesse, amar- sua participação na conferên-
Avanço é o que acontece no poderem viajar, sair à noite. das gigantescas, o trânsito pio- nalmente, SP, que tem 20 mi- rava o secretário de Planeja- cia, e Kees Christiaanse apre-
Central Park, em NY, onde 50 Elas só não devem usá-lo nas ra a cada ano. O que gera o trân- lhões, teria de ter 3.700 km de mento numa cadeira de rodas e sentaram projetos para edifí-
bilionários andam ao lado de horas de pico. Vamos cobrar sito é o número de viagens que metrô [Grande SP tem hoje 322 diria: vá andar pela sua cidade. cios de usos múltiplos.
pessoas que nem sabem onde pelo uso, não pela aquisição. Ou cada automóvel faz e as distân- km de transporte urbano sobre Uma cadeira de rodas é a má- A programação do dia teve,
vão dormir naquela noite. cobrar mais caro pelo combus- cias que percorrem. Construir trilhos]. Ainda assim, Londres quina do planejamento urbano. ainda, discussões sobre a adap-
FOLHA - Comofazerisso? tível. Gasolina no Brasil deveria túneis e viadutos só faz com desloca 1 milhão a mais de pes- FOLHA - Como o sr. avalia o progra- tação das cidades às mudanças
PEÑALOSA - Precisamos
de se- custar três vezes mais, e o di- que os carros vão mais longe e soas em ônibus do que em me- maCidadeLimpa? climáticas e apresentações so-
gurança, diminuir a criminali- nheiro arrecadado deve ser in- façam mais viagens. Nos pri- trô. Mesmo com metrô, é preci- PEÑALOSA -É um exemplo para bre projetos realizados em Li-
dade. Agora, para fazer com que vestido em transporte. meiros anos, isso alivia o trân- so um bom sistema de ônibus. o mundo. É o que de mais im- ma, no Peru, Buenos Aires, na
as pessoas usem transporte pú- FOLHA - É preciso optar entre car- sito, como já ocorreu em SP. A linha amarela que está sen- portante se passou em SP nos Argentina, e Mumbai, na Índia.
blico é preciso restringir o uso ros oupessoas? Depois piora de novo. do construída custa mais de últimos dez anos. (MB)

[+] SANTA IFIGÊNIA:


JardinseCidadeJardimtestamzonaazuleletrônica REGRAS PARA
ESTACIONAR MUDAM
A PARTIR DE HOJE
Sistemas começam a funcionar na segunda-feira e, caso resultado após 180 dias seja positivo, tecnologia deverá ser expandida As regras de estaciona-
mento das ruas do Triunfo,
................................................................................................
parte do Programa de Aquisi- Arouche e, em junho de 2007, Timbiras e General Osório,
BRUNA SANIELE
ção de Tecnologia da CET ZONA AZUL ELETRÔNICA 150 vagas no aeroporto de Con- na região da Santa Ifigênia,
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
(Companhia de Engenharia de gonhas. mudam a partir de hoje. Em
A partir de segunda-feira Tráfego)—serão disponibiliza- ) JARDINS ) CIDADE JARDIM Segundo Celso Buendia, ge- alguns trechos onde era per-
dois novos sistemas de zona das 2.016 vagas para os Jardins O usuário adquire um cartão O usuário deve ligar para um nú- rente de estacionamento da mitido o uso de cartão zona
azul eletrônica serão disponibi- e 1.056 para a Cidade Jardim. com crédito para dez horas de mero e fazer um cadastro para a CET, caso os novos sistemas se- azul será proibido estacionar
lizados na região dos Jardins e Os sistemas permitem a utili- estacionamento por R$ 18 compra dos créditos por meio de jam avaliados positivamente das 7h às 20h, de segunda a
no bairro Cidade Jardim, por zação fracionada de apenas ) Por um programa instalado no cartão de crédito. O usuário po- após 180 dias todos os sistemas sexta-feira. Aos sábados, a
um período inicial de testes de meia hora, ao contrário do talão celular ou pelo envio de mensa- derá adquirir até 20 créditos de eletrônicos deverão ser expan- restrição será das 7h às 15h.
180 dias. Nos dois sistemas o que não permite compra infe- gens, o usuário fornece o número 30 minutos por R$ 18 didos para toda a cidade. Na rua do Triunfo, onde era
usuário utilizará o telefone ce- rior a uma hora. Também não é de seu cartão, a placa do veículo e ) Mais informações no site “A CET está criando outras permitido estacionar nos
lular para obter créditos para necessário fazer a renovação do informações da vaga www.cetsp.com.br alternativas para que o usuário dois lados, será proibido pa-
estacionamento. tempo— que será automática tenha mais conforto com a con- rar no lado ímpar de segun-
Enquanto nos Jardins o até o limite máximo de duas veniência que os meios eletrô- da a sexta, das 7h às 20h, e
usuário deve comprar um car- horas. O custo dos sistemas ele- nicos carregam. A CET não está aos sábados, das 7h às 15h.
tão para adquirir os créditos, na trônico e tradicional é o mes- celular os veículos estaciona- meçou em abril de 2006 com impondo uma tecnologia, por No lado par, o estaciona-
Cidade Jardim a compra é de- mo— R$ 1,80 por hora. dos e o tempo de utilização de 572 vagas na praça Charles Mi- isso estamos fazendo testes em mento será permitido, mas
bitada no cartão de crédito. O A zona azul eletrônica facilita cada vaga. ller, no Pacaembu. Em setem- ambientes controlados. São no- só com cartão de zona azul.
talão continua permitido. a fiscalização, pois permite que A primeira experiência da bro de 2006 foram disponibili- vas opções para o motorista”, Mais informações em
A zona azul eletrônica faz o agente controle por meio do CET com bilhete eletrônico co- zadas 408 vagas no Largo do diz Buendia. www.folha.com.br/0834011.