Você está na página 1de 12

0,50€

Editorial
JB agora também dispon vel Pois é, cá estamos
nós (Equipa e amigos
da BE) novamente às
voltas com a redacção
de um jornal do Agru-
pamento, apesar de
termos reconhecido
anteriormente o ama-
dorismo dos 4 núme-

em ros que saíram do JB,


no ano lectivo ante-
rior!
http://www.smallr.net/jornaldabiblioteca No final sugerimos
a criação de um corpo
redactorial alargado
que garantisse maior
qualidade e um jornal
mais qualificado!
Como tal não foi ainda
possível e temos sido
motivados por promo-
tores de iniciativas
que merecem ser
divulgadas, por mem-
bros da comunidade
educativa que gosta-
vam de ler o JB e
também pela disponi-
bilidade manifestada

15 a 18 Dez Bloco C por alguns colabora-


dores do ano anterior,
aqui vai o 5º JB em
tempo de Natal.

Boas Festas!

Professora Ana Prata


Notícias da Biblioteca
Já nas “Bancas”
O Mês da BE
INFOBIB
Boletim Informativo da Biblioteca do Agrupamento
Vertical de Escolas de Almodôvar A partir deste ano o Dia Internacional da
Biblioteca Escolar passa a ser o Mês Interna-
cional da Biblioteca Escolar, que será
comemorado durante o mês de Outubro de
Desde o passado mês de Novembro que começou a chegar às caixas
de correio pessoais e institucionais, via “e-mail”, o INFOBIB. cada ano. A nossa Biblioteca, como de cos-
tume, também se juntou à festa e afixou car-
Para isso procedeu-se à recolha dos “e-mails” pelas turmas (2º e 3º
ciclos e secundário), funcionários e professores. Se houver alguém que tazes por toda a escola, para que todos se
recordem deste momento único.
se tenha inscrito e não esteja a receber deve contactar com o professor
Rogério Prata ou com a senhora D. Augusta, na Biblioteca. Claro que
também se aceitam inscrições novas.
O INFOBIB destina-se à divulgação das iniciativas da Biblioteca; das
efemérides mais importantes, especialmente as que forem comemoradas
por iniciativa da Biblioteca; os títulos novos (quando existam) ou os que
forem sendo catalogados.
Não é um veículo noticioso do Agrupamento. Pretende-se que seja
uma única “folha”, com informação reduzida, para não dispersar a aten-
ção do receptor. Aposta-se, sobretudo, na imagem.

(Professor Rogério Prata)


(Vitor Gregório 11ºB)

Árvore de Natal
http://be-eb23salmodovar.blogspot.com
É no endereço acima indicado que podes encontrar, desde o passado
ano lectivo, informação disponível para quem quiser saber mais sobre a
BE, ler algumas coisas e até participar com actualizações/opiniões perti-
nentes ou nos passatempos lançados. É um espaço livre, onde qualquer
aluno, professor ou funcionário da Escola se pode dirigir mesmo a partir
da nossa Biblioteca
de sua casa.

Até logo… Ficamos à espera da sua visita!

No passado dia 12 do corrente


mês, foi inaugurada a Árvore de Natal
da Biblioteca. A imagem acima ilustra
o momento da inauguração, o qual
contou com a colaboração de três
jovens alunos desta casa.

(Professor Rogério Prata)


(Professora Ana Cristina Duarte)

2
Biblioteca dos Pequeninos
Biblioteca Escolar /Centro de Recursos Educativos
1º CEB e Pré- Escolar

Datas Especiais:

No dia 16 de Outubro comemorámos o Dia Mundial da


Alimentação.
Distribuímos desdobráveis relacionados com a efeméride e
na Biblioteca da nossa Escola lemos a história:” A galinha
Ruiva”.

A partir da história fizemos pãezinhos com a turma da


professora Fátima Vasco .

Comemoração do Mês Internacional da Biblioteca Escolar

No âmbito desta comemoração lemos a história “Um


Lobo Culto”, de Pascal Biet (ilustrador), Editora Âmbar:
Um lobo esfomeado esquece a fome e dedica-se a
aprender a ler, de modo a ser aceite num pequeno
círculo de animais–leitores.
Vai em primeiro lugar à escola, depois à biblioteca e
finalmente à livraria. Só depois de ler fluentemente os
outros animais o aceitam. Alguém no grupo se lembra
então que o caminho a seguir será tornarem-se conta-
dores de histórias.
********
Este lobo transformou a sua fome carnívora noutro
tipo de fome – a fome da leitura.
Um belo conto!

Este foi o puzzle muito bonito e colorido


que os meninos da Educadora Luci
construiram a partir da história.

(Educadora Lucília Baroa)

3
Actividades no Agrupamento
Comemoração do S. Martinho Área de Projecto Qu mica 12º ano
Como já vendo sendo hábito, comemorámos o S. Mar- No âmbito da disciplina de área de projecto química do 12º
tinho no passado dia 11 de Novembro. Organizadas ano, os alunos Afonso Murta, Luísa Fialho, Rafael Pinto e
pelos professores do Departamento de Expressões e Sara Sousa decidiram investigar os efeitos das drogas no
com a preciosa colaboração dos Cavaleiros da Vila ritmo cardíaco. Para tal, foi utilizado como modelo biológico a
Negra, decorreram diversas actividades: jogos tradicio- dáfnia. A dáfnia é um microcrustáceo típico de água doce,
nais, baptismo de novos cavaleiros, castanha assada e também conhecida por “pulga-de-água”. Estes organismos
batata-doce, debate sobre Hipoterapia, entrega de meda- apresentam a particularidade de terem exoesqueleto e um
lhas aos vencedores do Corta-Mato, almoço-convívio do organelo parecido com o coração dos animais. A escolha da
2º ciclo, exposição de plantas dos alunos do Curso de dáfnia prende-se com o facto de a mesma ser um organismo
Jardinagem… invertebrado, ou seja, é menos sensível à dor.
Para todos os alunos, professores e outros que viabi- Estudos nacionais comprovam que a grande maioria dos
lizaram este evento, aqui fica o nosso agradecimento por jovens não sabe que a nicotina, o álcool e a cafeína consti-
nos terem proporcionado um dia diferente, com experiên- tuem drogas. O mesmo se verificou com os alunos do 9º ao
cias novas e boa disposição. 12º ano inquiridos na nossa escola.
Nos dias de hoje, estas substân-
cias psicoactivas começam a ser
consumidas desde muito cedo pelos
mais novos de forma natural e social
que desconhecem, porém, as suas
consequências e efeitos a curto e
longo prazo.

(Os Alunos do 12ºA - Química)

Teatro no Último Dia De Aulas

(Professora Ana Prata)

O Dia da Alimentação
No dia 16 de Outubro de 2008 comemorámos o “Dia
Mundial da Alimentação”.
A nossa turma participou na elaboração da salada
gigante.
Fomos à escola EB1 de Almodôvar comer uma gran-
de salada de fruta com os meninos de todas as turmas. O final do 1º período aproxima-se e todos temos razões
A salada tinha os seguintes frutos: maçã, pêra, bana- para celebrar. Assim, para comemorar a festa do Natal e a
na, kiwi, romã, ananás, uvas… chegada do ano novo, os alunos do 8º A decidiram preparar
Nós gostámos muito desse dia, porque é importante uma pequena festa para os seus colegas e para a comunida-
para a nossa saúde comer alimentos saudáveis. de. Assim, no último dia de aulas, no dia 18 de Dezembro,
durante o período da manhã, dirige-te ao polivalente da escola
para assistires à peça A Menina e o Ano Novo, cuja encena-
ção ficou a cargo dos professores de Línguas da turma: a pro-
fessora Paula Lagarto, a professora Maria Augusta Silva e o
professor Manuel Estraga, uma iniciativa conjunta e um exem-
plo de interdisciplinaridade que todos podemos seguir.
Aparece e diverte-te!

4 (EB1 de Almodôvar – 4º ano – Turma G) (Professora Paula Lagarto)


Sorrisos de Natal. Atelier de sombras chinesas
Uma Atitude Radical! No dia 23 de Setembro de 2008 fomos assistir a um
atelier de sombras chinesas onde a actriz nos con-
tou a seguinte história: “A princesa e a ervilha”.

“A princesa e a ervilha”
Era uma vez um rei e uma rainha que tinham um
filho.
Certo dia a rainha disse ao filho:
- Meu filho, tens de encontrar uma princesa para
casar.
Então o príncipe foi viajar para encontrar uma
princesa para casar, mas voltou sem uma princesa
No dia 16 de Dezembro, pelas 10 horas e trinta minutos, a turma e ficou muito triste.
C do 11º ano, do Curso Tecnológico de Acção Social, entrou em Numa noite de tempestade ouviu-se bater à porta
acção com a operação Sorrisos de Natal. e a rainha foi abrir, era uma linda jovem, que estava
Esta foi uma actividade planeada em parceria com as disciplinas encharcada, que lhe pediu:
de TEC, PRAS e com o Gabinete de Acção Social da CMA. - Posso cá ficar?
A actividade dividiu-se em duas vertentes: a lúdica e a solidária. -Claro que sim – respondeu a rainha.
A primeira dirigiu-se aos alunos do 4º ano e tinha como finalidade A rainha mandou fazer a cama para a jovem, mas
“agarrar” o maior número de sorrisos, que se encontravam espalha- não era uma cama normal, tinha vinte colchões,
dos pela escola, animada, ainda, por algumas figuras do imaginário vinte cobertores e uma almofada e por baixo uma
natalício que as acompanharam na sua busca. No final, todos rece- pequena ervilha.
beram uma pequena lembrança. No dia seguinte, a rainha perguntou à jovem:
Finda a correria dos mais pequenos, o Pai Natal, com o seu - Como dormiste esta noite?
séquito de digníssimas companheiras, duendes e árvores radiosas, - Muito mal, estava lá qualquer coisa que me fez
distribuiu bons natais e votos prósperos pela comunidade escolar. andar às voltas na cama.
A segunda vertente relaciona-se com o projecto Ecoponto Solidá- - Filho, anda ver esta linda jovem, é realmente
rio, que consiste na recolha de bens materiais na escola, que serão, uma princesa.
posteriormente, distribuídos por famílias carenciadas do concelho. A princesa e o príncipe casaram e viveram felizes
para sempre.
Desde já aproveitamos para lembrar que podem deixar o vosso
contributo (alimentos, vestuário, livros, cobertores…) na BE/CRE. Depois de ouvirmos a história, construímos as nos-
sas próprias sombras chinesas com cartolina preta
A RECOLHA PROLONGA-SE ATÉ AO MÊS DE ABRIL. e papel.
Gostámos muito de ir a esta actividade.
LEMBRE-SE… SORRIA E FAÇA SORRIR…
(Beatriz Floriano e Lúcia Lourenço
4º ano Turma G)
(Fernanda Monteiro)

Europa Exposição de marcadores


A Europa é um lindo e colorido continente. Tal como no ano passado, os alunos do 2º ciclo
Este continente situa-se no hemisfério norte do planeta Terra e é foram motivados, pelas respectivas professoras de
formado por cinquenta e um países, alguns deles são Luxemburgo, LP, a fazer o seu marcador. Para evitar a competição
França, Portugal, Espanha, Rússia, Inglaterra, Itália, Alemanha, e tendo em conta que a qualidade dos marcadores é
Grécia e Escócia. grande, foi decidido que seria feita uma exposição,
No mapa da Europa podemos observar que o relevo é princi- não havendo concurso. O que pretendemos é que os
palmente plano mas também existem terrenos montanhosos, tais nossos alunos leiam, que sintam prazer em folhear
como: Pirenéus, Cárpatos , Apeninos e Balcãs. um livro e descobrir nele o que as suas páginas têm
Os animais mais comuns da Europa são os seguintes: faisões, para lhes oferecer.
urso pardo, javali, lince, rena, raposa, lebre e lontra. Surgiu esta ideia de fazer marcadores, pela impor-
Os tipos de flora predominantes são as estepes e a tundra. tância do livro, como objecto lúdico e de aprendiza-
Entre as penínsulas que existem na Europa, para nós as mais gem, que deve ser tratado com o maior respeito e
importantes são a Ibérica, a Itálica, a Jutlandia, a Escandinava e a carinho. A nossa vontade é, sobretudo, que se crie,
Balcânica. nos nossos alunos, essa relação de respeito pelos
Os principais rios são Reno, Douro, Tibre, Sena, Tejo, Volga, livros, tratando-os com o maior cuidado, para que não
Tamisa, Danúbio e Pó e Ebro. se estraguem, não lhes dobrando as folhas nos
Nos vários países que existem na Europa há costumes e tradi- momentos de pausa na leitura. E porque ler é tão
ções diferentes, tais como Halloween, Natal, Páscoa, Ano Novo, importante, os marcadores do 5º ano deveriam ter
Lendas e Danças. uma frase, com a definição do que é LER e os do 6º
ano, a definição do que é POESIA. Alguns alunos
(Trabalho realizado pelos alunos do 3ºano- turma D - EB1 de conseguiram fazê-lo com muita criatividade, não só
Almodôvar, no âmbito do PNEP em articulação com a Área de Pro- nas palavras, mas também no marcador, que lhes
jecto “Europa mais”) será útil ao longo do(s) ano(s).
5
(Professora Solange Sousa)
CORTA-MATO ESCOLAR 2008/2009

No passado dia 5 de Novembro teve lugar o já habitual Corta-Mato


Escolar da Escola EB 2,3/S Dr. João de Brito Camacho, organizado pelo
grupo de Educação Física e pelos alunos do curso tecnológico de
Desporto.

Distribuídos por 5 escalões


(femininos e masculinos), participa-
ram 114 alunos, do 5º ao 12º ano de
escolaridade.

A actividade teve lugar, mais uma vez, no espaço da feira e, apesar de


não terem participado tantos alunos como em anos anteriores, o balanço
foi bastante positivo tendo os alunos do curso tecnológico de Desporto
dado uma ajuda preciosa aos professores de Educação Física.

Salienta-se a boa participação dos nossos “atletas”, assim como a


colaboração da GNR, na segurança do evento, dos Bombeiros de
Almodôvar, na assistência médica, e ainda de algumas funcionárias da
escola, na preparação dos lanches.

Um agradecimento especial a todos


os professores que puderam acompa-
nhar as turmas e que facilitaram a parti-
cipação dos alunos na actividade.

Os 6 primeiros classificados de cada escalão estão apurados para o


Corta-mato Distrital a realizar em local a definir. Os resultados dos 3 primei-
ros, em cada categoria, foram:

Juvenis Femininos
Infantis A Femininos Infantis A Masculinos
1º Daniela Mariano nº 8 10º C
1º Mara Guerreiro nº 13 5º B 1º José Afonso nº 10 5º A
2º Solange Branco nº 14 9º A
2º Tatiana Lança nº 18 5º C 2º Diogo Guerreiro nº 6 5º C
3º Soraia Passarinho nº 15
3º Denise Carvalho nº 1 5º D 3º Miguel Paulo nº 18 5º B
10º B
Infantis B Femininos Infantis B Masculinos Juvenis Masculinos

1º Rosa Rodrigues nº 9 5º D 1º Fábio Venâncio nº5 7ºB 1º Ruben Ramos nº12 9ºE

2º Joana Paulino nº 9 6º A 2º Ricardo Monteiro nº18 6ºB 2º Pedro Cristina nº16 10ºC

3º Laura Messias nº 10 6º D 3º Artur Guerreiro nº3 5ºC 3º Joel Reis nº14 10ºC
Iniciados Masculinos Juniores Masculinos
Iniciados Femininos
1º João Candeias nº 7 9º C 1º Fábio Eugénio nº 9 12º B
1º Justine Jacques nº 18 8º A
2º André Pereira nº 2 8º B 2º João Sousa nº 9 9º A
2º Ana Gil nº 2 9º C
3º Cristian Costa nº 5 9º B 3º Humberto Venâncio nº 5
3º Tatiana nº 17 6º A
12º C
(Professora Cristina Teixeira e
alunos do Curso Tecnológico de Desporto)

6
Natal
Toca o sino pequenino Quadrinhas ao Menino Jesus
Poemas de Natal:
A todos um Bom Natal Toca o sino pequenino Menino Jesus
Sino de Belém, Diz-me onde estás
A todos um Bom Natal Já nasceu o Deus Menino Lembra-te que o Mundo
A todos um Bom Natal Que a Senhora tem. Precisa de PAZ!
Que seja um Bom Natal, É Natal, é Natal, Menino Jesus, olhos bonitinhos
para todos vós. Vamos sem demora, Dá sol e amor
No Natal pela manhã Já nasceu o Deus Menino Para os mais velhinhos
Ouvem-se os sinos tocar Que a Senhora adora. Menino Jesus chegou o Natal
E há uma grande alegria, no ar. É Natal, nasceu um bebé Sabes onde eu moro?
Nesta manhã de Natal Diz ao Pai Natal!
Há em todos os países Não é só pela chaminé Diz ao Pai Natal
Muitos milhões de meninos, Com o Pai Natal ao pé A minha morada
Felizes. Nem pinheiro, nem estrelinhas Esperarei por ele
Vão aos saltos pela casa Natal é uma adivinha De noite acordada.
Descalças ou com chinelas Sabem o que é? Quero ver as prendinhas
Procurar suas prendas, Sabem o que é? Que ele me vai dar
Tão belas É Natal, nasceu um bebé. Eu portei-me bem!
Depois há danças de roda Ontem, hoje e amanhã Podes perguntar…
As crianças dão as mãos E tu nem sequer sabias
No Natal todos se sentem, Que não é só em Dezembro (Recolha feita por Carolina Palminha)
Irmãos Natal é todos os dias.
Se isto fosse verdade
Para todos os Meninos
Cantigas dos Reis Planta, símbolo do Natal
Era bom ouvir os sinos
Santos reis, santos coroados
Tocar.
Vinde ver quem vos coroou,
Entrai Pastores Foi a Virgem Mãe sagrada
Quando por aqui passou.
Entrai, pastores entrai O caminho era torto
Por este portal sagrado Uma estrela vos guiou
Vinde adorar o menino Em cima de uma cabana
Numas palhinhas deitado. Essa estrela se poisou. Esta planta, vinda da América Central, mais
Alegra os céus e a terra, A cabana era pequena especificamente da região de Taxco del Alarcon,
Cantemos com alegria Não cabiam todos três era denominada pelos aztecas de "cuetlaxochitl". A
Já nasceu Deus Menino Adoraram Deus Menino planta era utilizada por este povo para a produção
Filho da Virgem Maria. Cada um por sua vez. de tintas usadas na cosmética e para tingir tecidos,
Eu hei-de dar ao Menino Pinheirinho além de usarem a sua seiva na produção de medi-
camentos contra a febre.
Eu hei-de dar ao Menino Pinheirinho, pinheirinho Uma lenda mexicana tenta explicar a associa-
Uma fitinha pró chapéu De ramos verdinhos ção feita entre esta planta e o Natal.
E ele também me há-de dar P’ra enfeitar, p’ra enfeitar Uma menina, de nome Pepita, não sabia o que
Um lugarzinho no céu. Bolas, bonequinhos. oferecer ao menino Jesus por ocasião da missa de
Olhei para o céu, Uma bola aqui,uma acolá Natal. Não podendo adquirir uma oferta digna da
Estava estrelado Estrelinhas que luzem sua vontade, expõe o seu problema ao seu primo
Vi o Deus Menino Que lindo que está. Pedro, que a acompanhava a caminho da igreja.
Em palhas deitado, Olha o Pai Natal Este consola-a e diz-lhe que é o amor com que se
Em palhas deitado, De barbas branquinhas dá uma oferta que valoriza a mesma, especialmen-
Em palhas estendido, Trás o saco cheio de lindas te aos olhos de Deus. Pepita deixa-se convencer e
Filho duma rosa, prendinhas. vai recolhendo plantas vulgares das margens do
Dum cravo nascido! caminho por onde passa. Quando chega à igreja,
Truz, truz, truz dá-se conta da pobreza da sua oferta e chora de
No seio da Virgem Maria
Encarnou divina graça. tristeza. Tenta, no entanto, oferecer os pálidos
Truz, truz, truz ramos com todo o amor da sua alma. Então, frente
Entrou e saiu por ela
Quem é que vem aí? a toda a congregação, reunida no templo, as folhas
Como o sol pela vidraça.
É o grupo de pastores dos ramos ficam tingidos de uma cor brilhante e
Arre, burriquito,
Que chegou agora aqui. vermelha. O povo reunido para a eucaristia fica
Vamos a Belém,
Ó meu Menino Jesus espantado e declara o acontecimento como um
Ver o Deus Menino
Da lapa do coração milagre.
Que a Senhora tem.
Dai-me vós alguma coisa Segundo outra versão desta lenda, as flores-do-
Que a Senhora tem,
Que está pobre o meu surrão… natal irrompem do chão, molhado pelas lágrimas da
Que a Senhora adora,
Ó meu Menino Jesus criança.
Arre burriquito
Descalcinho pelo chão
Vamos lá embora.
Metei os vossos pezinhos (Retirado de Revista Guia de Natal, Casa Dois
Dentro do meu coração Editora pela professora Solange Sousa) 7
Cantinho da História
Origem e Significado Origem do Pai Natal
do Natal Estudiosos afirmam que a figura do bom velhinho
foi inspirada num bispo chamado Nicolau, que nasceu
O Natal é a data em que comemoramos o nascimento de
Jesus Cristo. Na Antiguidade, o Natal foi comemorado em na Turquia em 280 d.C.. O bispo, homem de bom cora-
várias alturas diferentes, pois não se sabia com exactidão ção, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando
quando tinha ocorrido. É na Idade Média que o Papa Júlio I saquinhos com moedas junto às chaminés das casas.
fixa em 25 de Dezembro o nascimento de Cristo como forma Foi transformado em santo (São Nicolau) pela Igreja
de atrair o interesse das populações que, desde o tempo dos Católica, após várias pessoas relatarem milagres a ele
romanos, já costumavam festejar nessa data o início do Inver- atribuídos.
no em homenagem ao deus Mitra. A adoração a Mitra, divin- A associação da imagem de São Nicolau ao Natal
dade persa que, segundo a mitologia, se aliou ao sol para aconteceu pela 1ª vez na Alemanha e espalhou-se pelo
obter calor e luz em benefício das plantas, foi introduzida em mundo em pouco tempo. Nos Estados Unidos, ganhou
Roma no último século antes de Cristo, tornando-se uma das
o nome de Santa Claus, no Brasil de Papai Nöel e em
religiões mais populares do Império. Pouco a pouco a festa
cristã do Natal substituiu o tradicional culto pagão. Portugal de Pai Natal.
Conta a Bíblia que um anjo anunciou a Maria que ela daria Até o final do século XIX o Pai Natal era represen-
à luz, Jesus o filho de Deus. Na véspera do nascimento, o tado com uma roupa de Inverno de cor castanha.
casal viajou de Nazaré para Belém, chegando na noite de Porém, em 1881, uma campanha publicitária da Coca-
Natal. Como não encontraram lugar para dormir, tiveram de -Cola mostrou o bom velhinho com uma roupa, também
ficar no estábulo de uma estalagem. E ali mesmo, entre bois e de Inverno, mas nas cores vermelha e branca (as cores
cabras, Jesus nasceu, sendo enrolado com panos e deitado do refrigerante) e com um gorro vermelho com pompom
numa manjedoura. Pastores que estavam próximos com os branco. A campanha publicitária fez tal sucesso que a
seus rebanhos foram avisados por um anjo e visitaram o bebé. nova imagem do Pai Natal se espalhou rapidamente
Três reis magos que viajavam há dias seguindo uma estrela,
pelo mundo.
também encontraram o lugar e ofereceram presentes ao
menino: ouro, mirra e incenso. No retorno, espalharam a notí-
cia de que havia nascido o filho de Deus.
S mbolos do Natal
As antigas comemorações do Natal costumavam durar
12 dias, pois teria sido este o tempo que levaram os três Árvore - Representa a vida renovada, o nascimento de
reis Magos a chegar até à cidade de Belém onde entrega- Jesus. O pinheiro foi escolhido pelas suas folhas sem-
ram os presentes (ouro, mirra e incenso) ao menino Jesus. pre verdes, cheias de vida. Essa tradição surgiu na
Actualmente, as pessoas costumam montar as árvores e Alemanha, no século 16. As famílias germânicas enfei-
outras decorações natalícias no começo de Dezembro e tavam as suas árvores com papel colorido, frutas e
desmontá-las no dia de Reis (6 de Janeiro). doces. Somente no século 19, com a vinda de emigran-
No entanto, permanecem dúvidas sobre a altura do ano em tes alemães para a América, é que o costume se espa-
que Cristo terá nascido, porque a Bíblia (Lucas 2:8) diz: "Ora, lhou pelo mundo.
havia naquela mesma região pastores que estavam no campo, Presentes - Simbolizam as ofertas dos três reis magos.
e guardavam os seus rebanhos, durante as vigílias da noite.” Este hábito é anterior ao nascimento de Cristo. Os
Dezembro é tempo de Inverno; costuma chover e nevar na romanos celebravam a Saturnália em 17 de Dezembro
região da Palestina. Consequentemente, os pastores não com troca de presentes. O Ano Novo romano tinha dis-
poderiam permanecer ao ar livre nos campos durante as tribuição de mimos para as crianças pobres.
vigílias da noite… A data exata do nascimento de Jesus é Velas - Representam a boa vontade. No passado euro-
inteiramente desconhecida. O mais plausível é que tenha sido peu, apareciam nas janelas, indicando que os morado-
no começo do Outono. Apesar das dúvidas, o Natal é uma res eram hospitaleiros.
data de grande importância para o Ocidente, pois marca o Estrela - No topo do pinheiro, representa a esperança
ano 1 da nossa História. dos reis magos em encontrar o filho de Deus. Terá sido
uma estrela que os orientou até ao estábulo onde nas-
Significado do Natal: ceu Jesus…
Cartões - Surgiram na Inglaterra em 1843, criados por
Universal, abrangente, calorosa, assim é a festa de Natal, que John C. Horsley que ofereceu um ao seu amigo Henry
envolve todos. Uma das mais coloridas celebrações da huma- Cole; este sugeriu a criação de cartas rápidas para feli-
nidade, é a maior festa da cristandade, da civilização surgida citar conjuntamente os membros de toda uma família.
do cristianismo no Ocidente. Não há quem consiga ignorar a Presépio - Reproduz o nascimento de Jesus; ou seja,
data, por mais que conteste os simbolismos: neve, Pai Natal uma manjedoura, os animais, os reis Magos e os pais
vestido com roupa de lã e botas, castanhas, trenós, renas… do menino. O primeiro a armar um presépio foi São
Até as pessoas de pouco espírito natalício acabam cedendo: Francisco do Assis, em 1223. As ordens religiosas
um presentinho aqui, outro ali; uma estrelinha de Belém na incumbiram-se de divulgar o presépio, a aristocracia
porta de casa, luzinhas, um mimo para marcar a celebração da investiu em montagens grandiosas e o povo assumiu a
vida, que é o autêntico sentido da festa. Independentemente tarefa de continuar com o ritual.
do consumismo, tão marcante, o Natal mantém símbolos
sagrados do amor, do mistério e da solidariedade.
(Recolha feita na internet pela professora Ana Prata)
8
Cantinho da Natureza
Planta Considerada Extinta em Curiosidades da Geologia
Portugal foi Descoberta nas 1. Na Islândia, as diferenças de temperatura entre as massas
geladas e o calor dos vulcões criam diversos fenómenos
Caldas da Rainha naturais. As rochas exalam vapores vulcânicos que escul-
pem cavernas ou transformam águas geladas em ilhas de
Investigadores do Jardim Botânico do Museu água morna no meio do gelo.
Nacional de História Natural da Universidade de
Lisboa descobriram no centro das Caldas da
Rainha, mais propriamente na Quinta da Boneca,
uma espécie de uma planta Fissidens exilis Hedw
considerada extinta em Portugal.
O investigador César Garcia do Museu Nacional
de História Natural detectou na Ribeira da Quinta da
Boneca a presença de Fissidens exilis Hedw., uma
pequena planta que se considerava extinta no nosso
país, devido ao facto de não ter sido encontrada há
várias décadas. Uma confirmação posterior com
vários elementos da equipa da investigadora, Cecília
Sérgio do Jardim Botânico certificou a determinação, A
observando espécimes de herbário.
B

C
A- Localização Geográfica da Islândia B- Vista de satélite do
relvo da ilha C- vulcanismo secundário na Islândia

2. Nos fundos oceânicos existem zonas de intensa actividade


Fissidens exilis é uma pequena planta que vive vulcânica. Existem as chamadas "fontes quentes", que estão
em taludes geralmente calcários, húmidos e som- permanentemente a expelir lava e gases. No entanto não
brios, não formando geralmente populações de ele- são zonas desabitadas, pois existem milhares de camarões
vada dimensão. A população agora descoberta nas em seu redor, alimentando-se de bactérias que crescem pró-
Caldas da Rainha é importante porque ocupa uma ximo destas nascentes de água quente. Pode ter sido em
área considerável.
locais como estes que começou a vida na Terra.
São necessárias medidas urgentes de gestão por
parte das autoridades, com o objectivo de preservar
este espaço tão distinto e tão ameaçado por estar
nas proximidades de um grande aglomerado popu-
lacional.

A B
A e B – fontes hidrotermais ao largo dos Açores

(Adaptado de www.naturlink.pt pela


(Professora Ana Cristina Duarte)
professora Ana Cristina Duarte)

9
Filmes
Título: A Última Legião
Realizador: Doug Lefler
Ano: 2007
País: EUA
Género: Aventura/Acção
Classificação: M/12
Duração: 97 minutos
Sinopse: “Roma, 476 d.C. O poderoso Império Romano ameaça ruir. No dia da coroação do jovem
Rómulo Augusto, com apenas 12 anos, Ambrosinus (Ben Kingsley), mentor e tutor de Rómulo, pres- -
sente o perigo e Aurélio (Colin Firth), da quarta legião, é ordenado guarda pessoal de Rómulo. Nessa
noite, o general bárbaro Odoacro e o seu exército invadem Roma e uma batalha brutal devasta a
cidade. Rómulo e Ambrosinus são capturados e feitos prisioneiros na ilha de Capri. Mas nem todos
os legionários romanos estão mortos. Aurélio está vivo e reúne um grupo de homens para tentar
libertar o jovem Rómulo Augusto. São eles a única réstia de esperança…
Com um elenco notável no qual se destacam os nomes de Colin Firth, Ben Kingsley e Aishwarya Rai
e produção dos veteranos Dino de Laurentiis e Tarak Bem Ammar, A ÚLTIMA LEGIÃO inspira-se no
livro de Valerio Manfredi sobre um poderosíssimo império prestes a desabar.”

Estreias em Janeiro:
1 de Janeiro 2009 15 de Janeiro 2009 29 de Janeiro 2009

- A Valsa com Bashir - A Corte do Norte - A Duquesa


- Como Perder Amigos e Alienar - Appaloosa - My Mom's New Boyfriend
Outros - Deception - O Rapaz Do Pijama às Riscas
- RocknRolla - A Quadrilha - Marley e Eu - Revolutionary Road
- Smother - O Rei da Califórnia - Um Amor de Perdição
- Traitor - Warlords
Nota: As informações disponibiliza-
8 de Janeiro 2009 22 de Janeiro 2009 das nesta página são susceptíveis
de alteração, se as distribuidoras
- A Troca - Fireflies in the Garden assim o decidirem.
- Die Welle - Frost/Nixon
- I Know Who Killed Me - O Estranho Caso de Benjamin (Lista de estreias retirada de:
- Sete Vidas Button http://cinema.sapo.pt/Xw7/)
- Transporter 3 - Punisher: War Zone
- Veneno Cura - Suburban Girl
- Vicky Cristina Barcelona

Música
Título: Good Girl Gone Bad
Cantora: Rihanna
Ano: 2007
Género: Pop/R&B/Rock
Duração: 46:02
Descrição: Good Girl Gone Bad é o terceiro álbum de estúdio da cantora Rihanna. Este álbum
bateu recordes como um dos mais populares de uma mulher em toda história da Indústria musi-
cal, com TODOS os seus singles ficando no Top 40 da Billboard. Outro Recorde desde álbum
foi que ele foi o quarto album na história da musica de uma mulher a ter 2 singles no top 5 da
billboard. Take a Bow e Disturbia, respectivamente. Algo feito antes somente por Madonna,
Mariah Carey e Ashanti. Este álbum inclui êxitos como Umbrella, primeiro single do álbum, com
a participação do rapper Jay-Z, canção que ficou em primeiro lugar durante 8 semanas na Bill-
board e conquistando o primeiro lugar em cerca de 15 paradas internacionais.

10
Livros
Para os Mais Novos:
Título: Amarguinha Tem Um Irmão
Autor: Tiago Rebelo
Editora: Editorial Presença
Género: Infantil
Sinopse: "Quando, no dia em que fez nove anos, Amarguinha recebeu dos pais uma linda bicicleta
amarela, com campainha e tudo, pensou que aquele era o melhor presente que alguma vez podia
receber. Mas os pais tinham-lhe reservado uma surpresa ainda maior – a notícia extraordinária que ia
ter um irmãozinho! Amarguinha nem queria acreditar, sentia-se a menina mais feliz do planeta e foi a
correr contar a novidade à Branca e ao Martinho, os seus melhores amigos. Ia ter um irmão com
quem partilhar todas as suas alegrias e brincadeiras… E quando finalmente chegou o dia em que o
Miguelinho nasceu, Amarguinha sentiu bem dentro de si que a partir de aquele momento tudo ia ficar
mais bonito e o mundo passaria a ser um lugar ainda mais colorido e maravilhoso! Uma obra de
grande sensibilidade pedagógica, maravilhosamente ilustrada por Danuta Wojciechowska."

Título: Para Além dos Bosques Profundos


Autores: Paul Stewart e Chris Riddell
Editora: Porto Editora
Género: Fantasia
Sinopse: “O jovem Twing habita nos Bosques Profundos, com os trolls, mas não é um deles. Numa
tentativa ousada de descobrir o seu lugar no mundo, Twing perde-se no misterioso e assustador
mundo para além dos Bosques Profundos. Pelo caminho, encontra uma variedade de estranhas per-
sonagens, como os carniceiros, os gnomos gulosos e os piratas celestes. Evitando sempre cruzar o
caminho do temível gloamglozer, cuja presença assombra os pensamentos de todos os habitantes
do mundo do Abismo, Twing continua a sua demanda, até descobrir as suas raízes, não entre as
árvores, mas nos céus…

Para os Mais Velhos:


Título: Predadores
Autor: Pepetela
Editora: Dom Quixote
Género: Romance
Sinopse: "Caposso não abriu a boca de assombro, mas admirado ficou. Muitos portugueses e ango-
lanos tinham começado a abandonar o país desde o ano passado, quando reconheceram a inevita-
bilidade da independência. Achavam que o país era deles, se babavam todos com as riquezas reais
ou supostas de Angola, a terra do futuro, se fossem eles a mandar, não com negros no poder. E a
guerra que estoirou entre os movimentos de libertação aumentou o pânico e as filas de embarque.
O aeroporto de Luanda tinha virado um hotel de três estrelas negativas, centenas de pessoas dor-
mindo pelo chão dias a fio, à espera dos aviões da ponte aérea, o lixo se acumulando e as paredes
enegrecendo de sujo. A terra estava de facto a ferro e fogo".

Título: Mr. Pip


Autor: Lloyd Jones
Editora: Editorial Estampa
Género: Romance
Sinopse: Na aldeia de uma ilha tropical, num país em guerra civil, apenas um branco, Mr. Watts,
decidiu ficar. As crianças ficam sem professores e Mr. Watts assume essa responsabilidade, lendo à
turma um velho exemplar de "Grandes Esperanças" de Charles Dickens. Decide, também, que todas
as mães, todos os pais, tios e tias, irmãos e irmãs mais velhas poderiam ir partilhar com a turma o
que sabiam do mundo. Punha-se de lado enquanto a visita contava a história, anedota ou teoria.
Este é um livro muito especial, por vezes terno, por vezes duro, mas encantador. Neste livro estão
todas as cores, todos os sentimentos, grandes esperanças e grandes aprendizagens.
(Professora Solange Sousa)
Podes ler um excerto deste livro no site do JB
11
Cantinho Verde
A água
A declaração da Comissão das Nações Unidas sobre Direitos Eco-
nómicos, Sociais e Culturais de que a água é um direito indispensável para
uma vida digna e condição prévia para o respeito dos outros direitos huma-
nos, é um reconhecimento aberto da situação preocupante deste recurso
natural. No ano de 2000, 17% da população mundial não tinha acesso a
uma fonte segura de abastecimento de água e 40% não dispunha de servi-
ços de saneamento de água adequados.
De acordo com o World Water Council, no ano de 2015, cerca de
3.500 milhões de pessoas viverão em lugares onde a água será escassa.
Nessa altura, pelo menos 40% dos africanos terá um acesso inadequado à
água, enquanto a percentagem na América Latina será de 20%.

A água, escassa e mal distribuída


Os países mais industrializados (América do
Norte, Europa Ocidental e Japão) são os responsáveis
pela maior parte das emissões de gases de efeito de
estufa e, todavia, os países em vias de desenvolvimento
são os que mais sofrerão os efeitos das alterações
climáticas e, mais concretamente, a não disponibilidade
da água. Com o objectivo de remediar essa situação é
imprescindível que a população mundial realize
investimentos avultados, e que poderiam ser o dobro dos
realizados até agora em infra-estruturas hidráulicas,
ligadas ao saneamento doméstico, ao tratamento das
águas residuais e ao regadio. Para além da seca
provocada pelas alterações climáticas, existe outro
problema não menos importante, a “seca antrópica”, provocada por uma gestão da água mais centrada no
aumento da oferta do que na administração dos consumos. Por esse motivo, é necessária uma nova cultura da
água baseada numa gestão integral que prime pela eficácia e eficiência dos sistemas de abastecimento, dê
prioridade ao interesse social e ambiental dos usos da água, corrija as perdas e controle a procura e os usos da
água. Na planificação e gestão da água é necessário ter em consideração as previsões sobre as alterações
climáticas.

Antes de passar uma década, cerca de 3.500 milhões de


pessoas sofrerão de escassez de água. Em África, o continente
mais afectado pelas alterações climáticas, a percentagem da
população sem um acesso adequado à água pode chegar a
40%.

A subida do nível dos oceanos pode provocar a emigração


forçada de milhões de pessoas. No Bangladesh, um aumento de
meio metro nas próximas décadas poderia obrigar vinte milhões
de pessoas a deslocar-se.

(Retirado de National Geographic – Agenda Verde 2008)

Ficha Técnica
Podes consultar o Jornal Online em: Título: Jornal da Biblioteca
Data: Dezembro / 2008
www.smallr.net/jornaldabiblioteca Publicação: 5.ª
Direcção: Ana Prata
Revisão: Rogério Prata
Edição: Vitor Gregório 11º B
Podes enviar os teus trabalhos, queixas Estabelecimento de ensino: EB 23/S
e sugestões, para o e-mail: Dr. João de Brito Camacho
Agrupamento Vertical de Escolas de Almodôvar
Tiragem: 100ex.
jornaldabiblioteca@gmail.com Preço: 0.50€
12 E-mail: jornaldabiblioteca@gmail.com
Página: http://www.smallr.net/jornaldabiblioteca