Você está na página 1de 2

Dinamizador

Dra. Dhilma Freitas

Local Escola Secundária de Santa Maria

Calendarização

26 de Maio, sábado, das 9:00 ás 14:00

Duração

25 horas - 1 a 2 créditos

Destinatários

Professores de todos os grupos de ensino

Destinatários Professores de todos os grupos de ensino Inscrições 8 0 Sintra de 579 0 4

Inscrições

80 Sintra

de

579 04 Professores Mem- das

- de

13 C

Associação

Costa,

Ramos

Francisco

Praceta

Mercês

Tapada

93 Martins

2725

36

955

61/

917

21

profsintra@gmail.com

Tel.:

e-mail:

www.profsintra.org
www.profsintra.org

www.profsintra.org

www.profsintra.org
www.profsintra.org
www.profsintra.org
T e l . : e-mail: www.profsintra.org Número mínimo de participantes: 20 Valor: 70 € -

Número mínimo de participantes: 20

Valor: 70- sócios da APS/ 90- não associados

20% no acto da inscrição

Data limite de inscrição: 21 de maio

acto da inscrição Data limite de inscrição: 21 de maio Associação de Professores de Sintra Formação

Associação de Professores de Sintra

Formação de Professores

AAAA EducaçãoEducaçãoEducaçãoEducação emememem SexualidadeSexualidadeSexualidadeSexualidade nononono ContextoContextoContextoContexto EscolarEscolarEscolarEscolar novosnovosnovosnovos paradigmasparadigmasparadigmasparadigmas

paradigmasparadigmasparadigmasparadigmas Associação de Professores de Sintra Entidade Formadora

Associação de Professores de Sintra

Entidade Formadora Registo de Acreditação nº CCPFC/ENT-AP-0295/10

Fundamentação

Em Portugal, a realização de um trabalho de Educação em Sexualidade, de forma intencional no espaço escolar tem sido tema de constantes discussões em vários espaços sociais.

Ao longo destas discussões, deparamo-nos com algumas posições favoráveis e outras tantas desfavoráveis, fazendo com que durante muito tempo esse trabalho tivesse uma história de avanços e retrocessos dentro da escola. Entre- tanto, a partir da aprovação e regulamentação da Lei n. 60/2009 de 06 de Agosto, lei esta que aprova e regulamenta o trabalho de educação em sexualidade na escola, em Portugal, este tipo de discussão perde o seu sentido.

Deparamo-nos agora com uma outra problemá- tica colocada por muitos professores/as através dos contactos que temos mantido: como realizar este trabalho na escola se os/as professores/as não têm uma formação adequada para fazê-lo? Na sua formação inicial não tiveram essa prepa- ração.

Além disso, os cursos de formação continuada nessa área são escassos e nem sempre aten- dem as suas expectativas. Buscando contribuir para minimizar esta falta manifestada por mui- tos/as professores/as e ainda dar-lhes a possibi- lidade de se sustentarem, a partir de uma sólida fundamentação teórica e de partilhas de expe- riências de práticas bem sucedidas neste âmbi- to, é que se propõe a realização desta oficina de formação.

Pretende-se, também, apoiá-los/as no processo de concepção, planificação, implementação e avaliação de projetos intencionais de educação em sexualidade nas escolas onde leccionam, contribuindo, assim,

para a operacionalização e inovação das práti- cas lectivas desses/as professores/as e também para a criação de um repositório de recursos validados para a educação em sexualidade no contexto escolar.

Objetivos

Dar a conhecer e discutir as implicações da Lei nº 60/2009 de 06 de Agosto e da Porta- ria 196-2010 que regulamentam a educa- ção sexual em contexto escolar;

Promover a articulação entre as orienta-

ções das legislações anteriormente citadas

e o currículo escolar;

Conceber, planificar, implementar e avaliar projectos intencionais de Educação Sexual no espaço escolar;

Construir materiais pedagógicos com pro- postas de trabalho para os alunos, que os

ajudem a desenvolver o pensamento crítico

e a ampliar o seu olhar sobre a sexualida-

de;

Estimular a formação de grupos de estudos nas escolas dos formandos, centrados na discussão e operacionalização da Educa- ção Sexual em contexto escolar, assim como na análise da prática profissional e na partilha de experiências;

Desenvolver a capacidade de trabalhar em colaboração com os pares, fomentando a partilha de ideias e experiências;

Accionar parcerias visando o intercâmbio entre escolas e outras instituições para a promoção da Educação sexual;

Desmistificar alguns dos muitos mitos e tabus relacionados à sexualidade e a edu- cação para a sexualidade;

Fomentar a utilização pedagógica das Tec- nologias de Informação e Comunicação

Conteúdos

Concepções acerca de sexualidade: constru- ção sócio-histórica-cultural da sexualidade;

Quadro legal e normativo que enquadra a educação sexual em contexto escolar e as Implicações nas práticas de ensino das dis- posições curriculares mais recentes;

Educação Sexual: Conceito(s);

Educação Sexual: Finalidades e objetivos’;

Educação sexual na escola e na família:

diferentes contextos;

Educação sexual intencional em contexto escolar: fundamentos e perspectivas;

“Perfil” do professor de Educação Sexual face às disposições legais;

Manifestações da sexualidade infantil;

Manifestações da sexualidade adolescente;

Relações de Género;

Metodologias de ensino-aprendizagem: tra- balho de projecto, dinâmicas de grupo; roleplay; tomada de decisão.