Você está na página 1de 2

LISTA B

PROGRAMA DE ACÇÃO PARA O BIÉNIO 2009 / 2010

A lista de sócios que recebeu a designação B propõe-se fundamentalmente promover:


- o desempenho e visibilidade da Profissão de Arquitecto Paisagista;
- a qualidade e oportunidade de intervenção da Associação;
- o apoio aos sócios no exercício da profissão;
- a dinamização / utilização da sede da APAP;
- e o envolvimento dos estudantes de Arquitectura Paisagista.

Para a sua actuação reconhece em primeiro lugar o enorme trabalho promovido pelas Direcções anteriores, o qual se
propõe prosseguir e desenvolver.

Para o cumprimento desta missão a lista B procurou integrar uma diversidade de sócios, em termos de antiguidade,
experiência e áreas de actuação, que se pode resumir da seguinte forma – mais de metade trabalha em gabinetes de
projecto e planeamento (a grande maioria gabinetes próprios); cerca de um terço lecciona em cursos de A. P.; e cerca
de um terço trabalha em serviços públicos, em áreas que vão de Câmaras Municipais à Agricultura, Florestas,
Valorização da Paisagem e do Património, Conservação da Natureza e Ordenamento do Território.

Dum primeiro consenso entre estes profissionais destacam-se os principais aspectos que ilustram o Programa
apresentado com a lista, em 12 de Novembro passado.

Enquanto Associação

• Conclusão do processo de criação da Ordem dos Arquitectos Paisagistas.


• Realização de um Congresso – preparado com muita antecedência e projectado para fora da profissão, a realizar
numa instituição científica e/ou cultural de referência - Setembro de 2010(?). Desenvolvimento do programa do
congresso numa abordagem científica, artística e filosófica, numa perspectiva interdisciplinar, relançando a
discussão em sessões interprofissionais.
• Assegurar o encontro regular dos sócios, na sede, num dia fixo – 1ª quinta feira de cada mês (?) – com a realização
de seminários e palestras; apresentação e exposição de trabalhos; testemunho de “seniores”; acções de formação
– sempre que desejável envolvendo outras profissões e também os estudantes de A. P. (neste caso divulgando nas
Universidades) e seleccionando datas apropriadas.
Tirar ainda partido da vinda de profissionais estrangeiros reconhecidos.
• Animar e manter actualizada a bolsa de emprego.
• Divulgação de iniciativas e actividades dos sócios e também de outras instituições – exemplo: Jardim Botânico de
Coimbra, Associação dos Sítios e Jardins Históricos, outras.
• Obtenção de “sponsors” e fontes de financiamento para publicar Monografias sobre os “Mestres” – primeira geração
de Arquitectos Paisagistas Portugueses.
• Contratação de um jovem Arquitecto Paisagista, a tempo parcial, para dinamização do presente Programa.
• Estabelecimento de Grupos de Trabalho - criação de uma base de dados comum e actualização do Inventário do
Património Paisagístico;
Inventário das Paisagens Vernaculares Portuguesas;
Políticas, Instrumentos e Boas Práticas de Ordenamento da
Paisagem a nível europeu (National Trust, Conservatoire du Litoral).

Exercício da Profissão e Apoio aos Sócios

• Criação de uma tabela de honorários de referência.


• Reforçar e tornar acessível o apoio jurídico.
• Defesa da coordenação de Equipas por Arquitectos Paisagistas – concursos públicos, outros.
• Equacionar o estabelecimento de um protocolo para a criação de Seguros de Responsabilidade Civil Profissional.
• Ponderar a defesa da obrigatoriedade de entrega de telas finais dos Projectos de Arquitectura Paisagista, assinadas
pelos projectistas, tal como nas outras especialidades.
• Equacionar se as declarações devem passar a anuais(?) Aumentando o valor respectivo(?).
• Formação profissional – temas sugeridos: Decreto Lei n.º 316/2007 de 19 de Setembro; Lei de Protecção ao
Sobreiro e Azinheira; Processos de conservação e equilíbrio das funções da paisagem; Recuperação e
renaturalização de cursos de água; campos de golfe sustentáveis.
• Visitas a projectos de A. P. e a projectos realizados por diferentes entidades com técnicas interessantes, medidas
ambientais de destaque, etc.

Colaboração com Universidades

Diálogo e apoio, nomeadamente na relação entre os diversos graus académicos, antes e pós Bolonha.

Comunicação e cooperação entre os sócios

Esforço para recolha, arquivo e divulgação atempada de:


• Boletim informativo trimestral (?)
• Revista – 2 números por ano.
• Página da APAP – anuário dos sócios;
anuário dos Gabinetes de A. P.;
divulgação de concursos e respectivos resultados;
divulgação de teses de mestrado e doutoramento;
divulgação de seminários, conferências;
apresentações nacionais e internacionais;
divulgação das newsletter da IFLA e EFLA.

Interesses relacionados