Você está na página 1de 2

Quest„o 17 : Seja G = (a; b ) 2 R 2 = a 6= 0 : DeÖna a seguinte operaÁ„o no grupo:

8 (a; b ) ; (c; d ) 2 G (a; b ) : (c; d ) = ( ac; ad +

b ) :

a) Mostre que (G; :) È um grupo n„o-abeliano. Quem È o elementro neutro de G ? Quem È o elemento inverso de (a; b )? Quem È o centro de G ?

SoluÁ„o: Claramente podemos verÖcar que G È um grupo n„o abeliano. De fato, calcular a associativida È trivial. Para veriÖcarmos o elementro neutro, basta supormos que um certo (x; y ) È o elemento neutro de G: Logo

assim,

(x; y ) : (a; b ) = ( a; b )

8 (a; b ) 2 G

(a; b )

(xa; xb + y ) = (a; b )

(x; y ) : (a; b ) =

xa

x

e

= 1 e y = 0

=

a

xb + y = b

Logo o elemento neutro È dado pelo par (1; 0) :

Da mesma forma, podemos calcular o elemento inverso de (a; b ) que ser· da

forma

Para veriÖcar que G n„o È abeliano veriÖcamos que dado os dois elementos de G, (1; 2) e (4; 3) temos

1 ; b

a

a

:

(1; 2) : (4; 3) = (4 ; 5)

(4; 3) : (1; 2) = (4 ; 11)

o que implica que G n„o È abeliano. Agora, calculando Z (G ) : Temos que Z (G ) = f (a; b ) ; (a; b ) : (x; y ) = ( x; y ) : (a; b ) 8 (x; y ) 2 G g :

Ja sabemos que o elementro neutro pertence ao centro. Ent„o, vamos supor que exista um outro elemento no centro e mostraremos que ele È o prÛprio elementro neutro. De fato, se (a; b ) 2 Z (G ), ent„o temos que

(a; b ) : (1; 1) = (1 ; 1) : (a; b )

(a; a + b ) = (a; b + 1)

e daÌ concluÌmos que a = 1: Por outro lado, temos tambÈm que

(a; b ) : (2; 1) = (2 ; 1) (a; b )

(2a; a + b ) = (2 a; 2b + 1)

1

o que implica que b = 0. E assim, vemos que (a; b ) sÛ pode ser o elementro neutro.

b) Seja K = f (1; b ) ; b 2 R g . Mostre que K È subgrupo normal em G e

G

que K ' R :

SoluÁ„o:

K È subgrupo de G pois dados dois elementos (1; x) e (1; y ) em K temos que (1; x + y ) tambÈm pertence a K , com elementro neutro (1; x) :

_

E mais, K È normal em G pois dado (a; b ) 2 G e (1; x) 2 K temos

(a; b ) (1 ; x) (a; b ) 1

Agora deÖna

=

=

(a; b ) (1 ; x)

1 ; b

a

a

(a; ax + b )

1 ; b

a

a

= (1; ax) 2 K

f : G ! R com f (a; b ) = a

1 - boa deÖniÁ„o:

(a; b ) = ( c; d ) ) a = c ) f (a; b ) = f (c; d )

2 - HomomorÖsmo

f ((a; b ) (c; d )) = f (ac; ad

+ b ) = ac = f (a; b ) f (c; d )

3 - Sobrejetora, pois dado a 2 R temos que o elemento (a; a) 2 G tem imagem a ou seja, f (a; a) = a:

4- Calculando o n˙cleo

ker f

=

f (a; b ) 2 G ; f (a; b ) = 1 g

=

f(a; b ) 2 G ; a = 1g

=

f(1; b ) 2 G g = K

Logo pelo teorema do IsomorÖsmos temos que

G

K ' R :

2