Você está na página 1de 4

COMUNICAÇÃO LINGUAGENS, SIGNOS E LÍNGUA PALAVRAS

(Marcelo Fromer e Sérgio Britto) Palavras não são más Palavras não são quentes Palavras são iguais Sendo diferentes Palavras não são frias Palavras não são boas Os números pra os dias E os nomes das pessoas Palavras eu preciso Palavras com urgência Palavras que se usam Em caso de emergência Dizer o que se sente Cumprir uma sentença Palavras que se diz Se diz e não se pensa Palavras não têm cor Palavras não têm culpa Palavras de amor Pra pedir desculpas [...]

a) Em quais versos o eu lírico transmite a ideia de que palavras soltas, isoladas de um contexto, não têm valor em si? Copie três deles. b) Quando é que as palavras passam a ter importância, segundo a letra da canção? Vivemos um mundo de representações, ou seja, todos os sentimentos ou pensamentos são representados através de algum tipo de sinal ou símbolo (verbais e não-verbais). Para se relacionar com o mundo e com as pessoas, o ser humano precisa estabelecer associações entre esses elementos diferentes, atribuindo valores e conceitos. Dá-se o nome de linguagens a esse conjunto de meios que possibilitam aos indivíduos interagir e comunicar-se. As linguagens podem ser: • • Linguagem verbal – aquela que é representada através da palavra escrita ou falada. Linguagem não-verbal – aquela que é representada através de imagens, desenhos, gestos, expressão facial, cores, sons. A partir daí, temos a linguagem gestual, a dança, a pintura, a música, o cinema, o teatro, a linguagem digital etc.

Entre essas linguagens, a linguagem verbal desempenha um papel de extrema relevância na nossa vida cotidiana, pois é empregada na maior parte das situações de comunicação e nos ajuda a compreender outras linguagens, facilitando acesso mais amplo ao conhecimento e à participação social. Algumas linguagens são mistas, ou seja, constituem-se a partir de outras linguagens, como por exemplo, o cinema, que mistura linguagem verbal com imagens, músicas, sons e cores. Todas as linguagens precisam de meios materiais para serem transmitidas. A língua precisa de sons e símbolos visuais para fazer sentido, a música se constitui através de sons, e daí por diante. O texto faz parte do universo material da linguagem, pois representa materialmente – através da palavra, dos gestos, do olhar, das imagens – um ato de comunicação em determinada situação.

A LÍNGUA E OS SIGNOS LINGUÍSTICOS

já não para proteger-se do frio. o sentido. não há dúvida. língua é um sistema de representações socialmente construído e constituído por sons e símbolos visuais que fazem sentido nesse universo de linguagem e que são classificados como signos linguísticos.Todos os povos possuem uma língua para representar os símbolos verbais de comunicação. os sem-peles. a parte concreta do signo. o escritor italiano Humberto Eco fala sobre o valor simbólico das vestimentas humanas. c) Mencione um elemento que não é parte do vestuário e que assume. na sociedade moderna. Justifique. a parte abstrata do signo. O signo possui dupla face: Significante x Significado • • Significante – é a imagem. publicado na revista Superinteressante. Mas também não há dúvida de que. conquistadas pelo preço de uma dura luta – e outros. mas para afirmar que pertenciam à classe dominante”. uma peça do vestuário tem o mesmo valor simbólico que uma pele de animal usada pelos antigos caçadores? Explique sua resposta. pode-se afirmar que a pele de animal usada pelos seres humanos nos primórdios da história da humanidade era um signo? Explique.) = signo Significante = o desenho x Significado = conceito. Significado – é o conceito. papel semelhante ao que foi apontado para a pele. Assim. a) De acordo com o trecho lido. os inaptos. os símbolos. Exemplos: M E S A = signo lingüístico Significante = símbolos (letras e fonemas) x Significado = conceito (móvel sobre o qual várias atividades são realizadas. se terá criado a distinção entre os bons caçadores – munidos das suas peles. Os signos devem ser conhecidos pelos envolvidos no processo comunicativo para que a comunicação seja possível. Não é preciso muita imaginação para enxergar a circunstância social em que os caçadores envergaram as peles. sentido (proibido buzinar) Atenção: Linguística é a ciência que investiga a linguagem verbal. diz Eco. “[O ser humano] Tinha frio e cobria-se. Prática Pedagógica: No depoimento a seguir. O suíço Ferdinand de Saussure é considerado o “pai” da Lingüística moderna por ter desenvolvido os estudos sobre a linguagem verbal. VARIEDADES LINGUÍSTICAS . b) Na sociedade moderna. poucos dias depois da invenção do primeiro traje de peles.

Variedades linguísticas ou dialetos – são todas as variações determinadas pela região. Exemplos: Uma linguagem repleta de termos de uma região pode ser inadequada em uma revista de circulação nacional. No contexto do poema. qual é o sentido desse verso? Diversos fatores influenciam o uso que as pessoas fazem da língua: a região onde moram. a profissão. o nível de escolaridade. que podem ser causados pelo nível de escolaridade. A preocupação com a adequação da linguagem é fundamental na comunicação. a idade.  Variedades sociais – são as diferenças em termos fonológicos. profissão. idade. são muitas as variedades linguísticas no Brasil. grupo social. sexo. de Gonçalves Dias. Dominar a variedade padrão é importante para que se possa empregá-la em situações comunicativas mais formais. o sexo. Uma linguagem caracterizada por gírias é totalmente inadequada em uma entrevista de emprego. . o Brasil. morfológicos e sintáticos. Assim. Nele. a idade. o grupo social a que pertencem.Assim como os grupos humanos são diversificados e estão em constante transformação. a profissão.  Leia o poema a seguir: Lisboa: aventuras tomei um expresso cheguei de foguete subi num bonde desci de um elétrico pedi um cafezinho serviram-me uma bica quis comprar meias só vendiam peúgas fui dar a descarga disparei um autoclisma gritei: “ó cara!” responderam-me: “ó pá!” positivamente as aves que aqui gorjeiam não gorjeiam como lá. idade. o nível de escolaridade.A que se referem as “aventuras” vividas em Lisboa? 2. Diversos fatores influenciam o uso que as pessoas fazem da língua: a região onde moram. profissão. (José Paulo Paes) 1. desde que permita uma comunicação eficiente. e compara-o em minúcias a Portugal. o eu lírico lamenta sua distância da terra natal. sexo. etc. Uma variedade linguística pode ser adequada em uma situação e inadequada em outra. o sexo. nível de escolaridade. etc. na escola. Qualquer variedade linguística é válida. aprendemos a variedade considerada padrão.De que forma a maneira como o poema se organiza no espaço contribui para a construção de sentidos no texto? 3.  Variedades regionais – representam as diferenças de uma língua nas diversas regiões em que é falada. a língua também reflete e ajuda a construir essa diversidade. mas. o grupo social a que pertencem.O último verso do texto faz referência ao poema “Canção do exílio”.

1980. informal – usado em situações familiares... Gíria ou jargão – é uma forma de linguagem baseada no vocabulário criado por determinado grupo social com o objetivo de distingui-lo dos demais falantes da língua. É o registro de maior prestígio social.] Que importa que uns falem mole descansado Que os cariocas arranhem os erres na garganta Que os capixabas paroaras escancarem as vogais? Que tem se o quinhentos reis meridional Vira cinco tostões do Rio pro Norte? Juntos formamos este assombro de misérias e grandezas. Leia este trecho da revista Discutindo a Língua Portuguesa: A voz do Brasil Acusado constantemente de cometer “erros”. a manchete do jornal “corrigiu” a fala do presidente. ed. em palestras. 1. Variações de estilo ou registros lingüísticos – são as variações que ocorrem na fala ou na escrita de uma mesma pessoa conforme a situação de comunicação.. Lula tem. na verdade. Variedade histórica – os contextos sociais mudam. em que não há preocupação com o rigor gramatical. e a língua acompanha esse processo. e) literário e popular. ano 1.] “Eu conquistei o direito de andar de cabeça erguida.. Poesias completas. culto. .] Mário de Andrade.Que alterações gramaticais o jornal fez na fala do presidente? Por que essas mudanças são consideradas correções? 2. os falantes mudam. c) racial e folclórico.  Gíria – distingue grupo de jovens. Como vemos.  Registro coloquial. nome de vegetal! [.. Esse tema aparece no seguinte poema: [. d) histórico e geográfico. a manchete também opera sobre ela ao menos três interferências gramaticais. portanto.(Enem-2005) As dimensões continentais do Brasil são objeto de reflexões expressas em diferentes linguagens. neste país.  O texto poético ora produzido trata de diferenças brasileiras no âmbito: a) étnico e religioso. padrão – usado em situação formal. se distanciado cada vez mais da fala popular que o consagrou. A frase inspirou a manchete do jornal Folha de S.] De certo modo. São Paulo: Martins. b) lingüístico e econômico. com muito sacrifício. Paulo.. Revista Discutindo Língua Portuguesa.4. há preocupação com a correção gramatical. Aqui. ao sintetizar a fala do presidente. n. E não vai ser a elite brasileira que vai fazer eu baixar minha cabeça”. 6.. Brasil. [.  Registro formal. [. Paulo: “Elite não me fará baixar a cabeça”. BEARZOTI FILHO.. conversas com amigos. em congressos científicos.  Jargão – distingue grupo profissional.