Você está na página 1de 2
Emergencista pré-hospitalar A comunicação com o paciente pode ser benéfica e contribuir para o seu relaxamento,

Emergencista pré-hospitalar 1

A comunicação com o paciente pode ser benéfica e contribuir para o seu relaxamento, desde que você seja honesto. Dizer ao paciente que você está treinado em primeiros socorros irá ajudá-lo, pois diminui o medo e estabelece vínculos de confiança.

Avisar ao paciente que o Serviço de Emergência Médica (Corpo de Bombeiros Militar ou o SAMU) está a caminho pode ajudar a tranquilizá-lo.

É essencial ao emergencista ter discernimento quanto aos limites do que pode ser comunicado ao paciente. Avisar que a criança do paciente está morta ou um ente querido está seriamente ferido não ajudará em nada. Portanto, não faça comentários sobre os pacientes ou sobre a gravidade do acidente.Quando a assistência de emergência é prestada, o emergencista deve ter maior sensibilidade sobre o que dizer ao paciente. Nessas situações, como uma tentativa de acalmar o paciente, o emergencista pode avisar que outras pessoas estão cuidando de seus entes queridos. É importante lembrar que um paciente vivendo o estresse da doença ou de um trauma pode não tolerar uma pressão adicional.

Atuar como emergencista exige que você controle os seus próprios sentimentos no local da emergência. Você aprenderá a envolver-se com a assistência aos pacientes enquanto, ao mesmo tempo, controla as suas próprias reações emocionais ao enfrentar uma situação de doença ou ferimentos graves. Os pacientes não necessitam unicamente de simpatia ou lágrimas, mas exigem um atendimento profissional.

Prestar assistência como emergencista requer que você admita que o local do acidente ou os tipos de emergência podem afetá-lo. Você deve conversar com outros trabalhadores do serviço de emergência ou especialistas do Serviço de Emergência Médica, para lidar com os

1 Luiz Cláudio Barbosa Castro - Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal. Osiel Rosa Eduardo Tenente-Coronel Combatente do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal. Francisco das Chagas Pontes Rodrigues - Major do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal.

seus problemas emocionais e o estresse ocasionado pelas situações de emergência. No local da emergência, você

seus problemas emocionais e o estresse ocasionado pelas situações de emergência.

No local da emergência, você deve ser um profissional altamente disciplinado. Observe a sua linguagem diante dos pacientes e do público. Concentre-se em auxiliar o paciente e evite distrações desnecessárias. Coisas simples, como fumar um cigarro no local da emergência, mostra que você não é disciplinado e não pode ser um emergencista.

Você não precisa mudar o seu estilo de vida para ser um emergencista. Entretanto, no momento em que você é requisitado para prestar assistência a uma pessoa, alguns aspectos relacionados à mudança de seu comportamento devem ser considerados. Sua atuação e aparência podem facilitar a obtenção da confiança do paciente. Tomar uma dose a menos de bebida alcoólica em uma festa pode parecer pouco importante; porém, o significado dessa pequena ação é fundamental para que o emergencista preste uma assistência adequada nas situações de emergência. Você deve manter-se em boas condições de saúde. Se você tem limitações físicas, como dificuldade em agachar ou de respirar, o seu treinamento terá pouca utilidade.