Você está na página 1de 2

EXCELENTSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ... VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ...

Maria da Luz, nacionalidade..., estado civil ..., profisso ..., residente e domiciliada na rua ..., portadora da cdula de identidade n. ..., inscrita no CPF sob o n. ..., por meio de seu advogado (procurao anexa DOC 1), que esta subscreve, vem respeitosamente perante a presena de Vossa Excelncia, apresentar QUEIXA CRIME contra Joo da Paz, nacionalidade ..., estado civil ..., profisso ..., residente e domiciliado na rua ..., portador da cdula de identidade n. ..., inscrito no CPF sob o n. ... , com fulcro no art. 100, 3 do Cdigo Penal, pelas razes de fato e direito expostas a seguir:

I Dos Fatos No dia 28 de maio de 2011, em torno das 12 horas, na confluncia das ruas Maria Paula e Genebra, a querelante teve seu relgio subtrado pelo querelado, que se utilizou de violncia e grave ameaa exercida com uma faca. A autoria foi descoberta na mesma data, foi instaurado Inqurito Policial instrudo com prova robusta de materialidade e autoria. O inqurito foi enviado ao Ministrio Pblico e permanece l h mais de 30 dias sem qualquer manifestao por parte do parquet.

II Do Direito Com a conduta descrita anteriormente, o querelado praticou o crime previsto no art. 157 do Cdigo Penal. O supracitado dispositivo preceitua: Art. 157. Subtrair coisa mvel, alheia, para si ou para outrem, mediante violncia ou grave ameaa ou violncia, a pessoa, ou depois de hav-la, por qualquer meio, reduzindo impossibilidade de resisncia: Pena recluso, de 4 (quatro) a 10 (dez) anos, e multa. Conforme exposto o Inqurito Policial aps concludo, foi remetido ao Ministrio Pblico e l permanece desde a data ... sem qualquer manifestao por parte do parquet, no oferecendo a denncia no prazo legal estabelecido pelo art. 46 do Cdigo de Processo Penal. Destarte mencionar que essa situao legitima a parte para oferecer queixa crime nos termos do art. 100 3 do Cdigo Penal. O referido dispositivo preceitua:

Art. 100. A Ao penal pblica, salvo quando a lei expressamente a declara privativa do ofendido. [...] 3. A ao de iniciativa privada pode intentar-se nos crimes de ao pblica, se O Ministrio Pblico no oferecer denncia no prazo legal. III Do Pedido Diante do exposto, requer seja: a) Recebida, autuada e processada a presente queixa crime. b) Feita a citao do Querelado. c) Condenado o querelado nas penas do art. 157 do Cdigo Penal. d) Estabelecida a fixao do valor mnimo da indenizao pelos danos sofridos.

Nestes termos, Pede deferimento.

Local ..., Data ... Advogado ... OAB ...