BPN/SLN vs.

Dias Loureiro Gestão Grupo BPN enviou dinheiro para fora do País 439 milhões de euros enviados para o Brasil.
O Grupo Banco Português de Negócios (BPN) transferiu para o Brasil, entre Abril de 2003 e Setembro de 2008, mais de 439 milhões de euros. Só o Banco Insular, um dos alvos das investigações do Banco de Portugal e do Ministério Público, enviou para aquele país da América do Sul uma verba superior a 232 milhões de euros – montante que representa 64 por cento do seu próprio buraco financeiro, de 360 milhões de euros, e 33 por cento do prejuízo oficial, 700 milhões de euros. Os dados do Banco Central do Brasil, que o Correio da Manhã consultou, não deixam margem para dúvidas: em apenas cinco anos o Banco Insular em Cabo Verde, o BPN Portugal, Sociedade Lusa de Negócios-Madeira, BPN Cayman, off-shore nas ilhas Caimão, Banco Africano de Investimento (BAI), em Angola, Banco Efisa, Seac Banche, em Itália, e Erei – Excellence Real Estate Investments, na Holanda, transferiram para várias empresas do Grupo Sociedade Lusa de Negócios (SLN) 439 449 342 milhões de euros, ao câmbio actual. Ao todo, esta transferência de capital concretizou-se em 207 operações. Os anos de 2005, quando as ligações entre o BPN e o Banco Insular suscitaram as primeiras dúvidas à equipa da 'Operação Furacão', 2006 e 2007 concentram o grosso dos envios de dinheiro: 169 operações, 82 por cento do total. Com 65 transferências financeiras, o Banco Insular foi o principal veículo de envio de dinheiro para o Brasil. Só em Maio de 2005 foram realizadas 15 operações, uma delas de quase 20 milhões de euros, o valor mais alto entre 2003 e Setembro de 2008. BPN Portugal, SLN--Madeira e BPN Cayman têm também um peso importante nessas transferências financeiras, com verbas que rondam entre os 40 e os 80 milhões de euros. ROTA DO DINHEIRO (Entre Abril de 2003 e Setembro de 2008) ILHAS CAIMÃO, GEORGE TOWN BPN Cayman: PORTUGAL, LISBOA BPN PORTUGAL: PORTUGAL, LISBOA Banco Efisa: MADEIRA, FUNCHAL SLN Madeira: CABO VERDE, CIDADE DA PRAIA Banco Insular: HOLANDA,AMESTERDÃO EEI-Excellence Real Estate Invest.: ITÁLIA, FLORENÇA Seac Banche: ANGOLA, LUANDA Banco Africano de Investimento (BAI): 40.783.934 euros 79.960.922 euros 1.045.770 euros 55.178.528 euros 232.243.839 euros 2.240.936 euros 82.000 euros 27.913.413 euros

VALOR TOTAL: 439.449.342 euros

PREJUÍZOS SUPERARAM PREVISÕES A Caixa Geral de Depósitos já injectou no BPN uma verba na ordem de mil milhões de euros, um montante muito superior ao buraco oficial de 700 milhões de euros apurado na altura da nacionalização do banco. Mais de um mês após o Governo ter decidido nacionalizar o BPN, Francisco Bandeira (à dir.), vice-presidente da CGD e novo presidente do BPN, afirmou que a situação do banco estava controlada. A propósito do envio de novas informações para as autoridades, deixou claro que 'se no processo de gestão forem encontradas novas situações que levantem dúvidas e eticamente sejam reprováveis' estas serão enviadas às autoridades.

REFÚGIO ALENTEJANO FOI ABANDONADO O Paço dos Infantes, herdade no concelho da Vidigueira, para onde foi pensado um dos maiores investimentos no ramo turístico por parte do BPN, foi posto de parte depois da saída de Oliveira e Costa da presidência do banco, em Fevereiro. Quem conhece a zona diz mesmo que o local está praticamente 'ao abandono'. 'É muito raro por aí estar alguém. Chegou a haver muito movimento, mas nos últimos meses não se vê por aqui ninguém', disse ao CM um trabalhador agrícola de uma propriedade vizinha. 'O senhor Oliveira e Costa acho que só o vi aí uma vez', acrescentou a mesma fonte. A herdade, a cerca de cinco quilómetros da Vidigueira, apresenta um aspecto inabitado, com pouca movimentação, e onde só o muro da entrada parece estar em boas condições. A importância do local estaria para além da finalidade turística – e seria tanta para Oliveira e Costa que o ex-banqueiro, agora em prisão preventiva, mandou construir um bunker por baixo da adega, tal como noticiou ontem o semanário 'Sol'. Nesse refúgio, cuja construção ficou a meio, segundo a mesma notícia, todos os movimentos dentro da herdade poderiam ser controlados através de um sistema de segurança de vanguarda, que não chegou a ser instalado. Desconhece-se os motivos que levaram a pensar em tal abrigo, com cem metros quadrados, três quartos, sala de refeições, entre outras divisórias. 'Sempre houve aí obras, mas nunca nos apercebemos do que podia sair dali. Toda a gente pensava que era só uma adega', referiu o mesmo trabalhador quando questionado sobre a existência de um bunker no Paço dos Infantes.

BANCO INSULAR REVELADO EM MAIO DE 2008 O governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, revelou na audição parlamentar de Novembro que recebeu de Abdool Vakil, a 15 de Maio, a denúncia parcial das ligações do BPN ao Banco Insular (BI), mas garantiu que só a 2 de Junho, numa segunda carta, deu conta da existência do balcão virtual do BI e do buraco financeiro que lhe estava associado. 'Nada me pesa na consciência em relação a ter cometido qualquer acto, deliberado ou por omissão, que possa ter contribuído para esta situação com o desfecho que conhecemos', afirmou aos deputados. Certo é que o BdP suspeita da existência de branqueamentos de capitais no BPN, por isso tem a correr seis processos contra o banco.

PORMENORES BANCO INSULAR A propriedade do Banco Insular (BI) foi desconhecida até Junho de 2008. Sediado em Cabo Verde, é detido pela Insular Holdings (Londres). E esta é detida por duas empresas off-shore, a Fiduciary Nominees Limited e a Fiduciary Trust Limited, controladas pelo Fiduciary Group, de Gibraltar. Estavam dependentes da SLN. BPN CAYMAN O BPN Cayman foi constituído em 2000 e é detido em 99,8% pelo BPN SGPS. Dos seus cofres saíram verbas para créditos ao BPN Brasil – Banco de Investimento, BPN Creditus Brasil, imobiliária Ergi – Empreendimentos, Fuentes Participações. BANCO AFRICANO Em 2006 o BAI, maior banco privado de Angola, comprou 20% do capital do BPN Brasil, detido em 80% pela SLN. As transferências do BAI dirigiram-se, justamente, para o BPN Brasil. ERGI EMPREENDIMENTOS A Ergi–Empreendimentos, empresa imobiliária, foi o principal destino das transferências de dinheiro para o Brasil: só o Banco Insular cedeu-lhe créditos de 228 milhões de euros. SEAC BANCHE Sediada em Florença, a Seac Banche é a empresa fabricante do equipamento para o multibanco que o BPN adquiriu em Porto Rico. Enviou para o Brasil apenas 82 mil euros. EREI Fundada em 2001 na Holanda, a Erei – Excellence Real Estate Investiments é detida por uma sociedade com sede na offshore de Gibraltar.

NOTAS MIGUEL CADILHE: QUEIXA AO PGR Foi Miguel Cadilhe que apresentou queixa à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra os anteriores gestores do BPN, após ter mandado realizar um auditoria interna ao banco. DIAS LOUREIRO: CONSELHEIRO DE ESTADO Dias Loureiro, administrador da SLN de 2001 a 2005, voltou ontem a reafirmar na SIC que não vê razões para deixar o cargo de conselheiro de Estado. EM DÍVIDA: AMIGO LIBANÊS Segundo o 'Público', o amigo libanês de Dias Loureiro, Abdul Rahman El-Assir, é dos maiores devedores do BPN. Foi-lhe concedido um empréstimo de 42 mil milhões que não foi pago. António Sérgio Azenha / P.G. / D.R.

PS.: Este Abdul R. El-Assir é um grande amigo e parceiro de negócios do Dias Loureiro. É também conhecido internacionalmente como um grande negociante/traficante de armas. O "amigo" El-Assir foi convidado especial nos casamentos dos filhos do Dias Loureiro. O sr. Conselheiro de Estado, há 30 e poucos anos vivia em Coimbra e para ir à sua aldeia (Aguiar da Beira) ía de camioneta. Hoje, só um dos seus carros (Mercedes Top-gama) custou-lhe 275.000,00 Euros (55.000 contos)! Vive numa bruta casa de 500.000 contos, no Estoril, na Quinta do Patiño (sítio onde já tiveram lugar grandiosas festas, com alguns convidados a virem de vários países, nos seus jactos particulares directamente para o aeródromo de Tires, ali ao lado). Como podem ver, o sr. Conselheiro Dias Loureiro é uma pessoa de bom gosto e de "melhores" companhias! Para quem começou a estudar como seminarista, chegou longe… Durante os anos em que foram realizadas todas aquelas negociatas, o sr. conselheiro não só estava profundamente ligado ao Grupo BPN/SLN, como foi ele que ajudou a montar aqueles esquemas todos, ou alguém tem dúvidas?! Ele, o Conselheiro, é, desde a infância, muito amigo do Jorge Coelho, como toda a gente sabe. Parece que naquela altura, fizeram uma aposta para verem qual dos dois chegaria mais longe na política e nos negócios!...

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful