SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO

Cemat

TABELAS

POTÊNCIAS MÉDIA DE APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS E DE AQUECIMENTO TIPO Até 80 L De 100 a 150 L De 200 a 400 L Aquecedor de Água por Passagem Aquecedor de Ambiente Aspirador de Pó Batedeira Cafeteira Uso Doméstico (Máq. Café) Uso Comercial 127 V Chuveiro 220 V Equipamento de Som Ebulidor Enceradeira Espremedor de Frutas Exaustor/Coifa Ferro de Passar Automático Freezer 1 ou 2 portas Freezer 3 ou 4 portas Fogão (por boca) Forno (De Embutir) Forno de microondas Aquecedor de Água por acumulação POTÊNCIA (W) 1.500 2.500 4.000 6.000 1.000 700 100 600 1.200 4.200 6.000 50 1.000 300 200 100 1.000 250 500 1.500 4.500 1.200 TIPO Geladeira Geladeira Duplex Grill Hidromassagem Impressora Liqüidificador Máquina de Costura Máquina Lavar Louças c/ aquecimento Máquina Lavar Roupas s/ aquecimento Máquina de Secar Roupas Micro Computador Moedor de lixo Rádio Gravador Secador de Cabelos Som Modular (Por módulo) Torneira Elétrica Torradeira TV Ventilador Vídeo Cassete

Tabela – 1..1 POTÊNCIA (W) 250 500 1.200 660 150 350 100 1.500 1.500 400 3.500 150 300 a 600 50 1.000 50 2.500 1.000 100 100 25

POTÊNCIAS NOMINAIS DE CONDICIONADORES DE AR TIPO JANELA CAPACIDADE BTU/h 7.000 8.500 10.000 12.000 14.000 18.000 21.000 30.000 kcal/h 1.750 2.125 2.500 3.000 3.500 4.500 5.250 7.500 W 1.100 1.300 1.400 1.600 1.900 2.600 2.800 3.600 POTÊNCIA NOMINAL

Tabela – 1..2

VA 1.500 1.550 1.560 1.900 2.100 2.860 3.080 4.000

NOTAS: 1) Valores válidos para os aparelhos até 12.000 BTU/h, ligados em 127 V ou 220 V e para os aparelhos a partir de 14.000 BTU/h ligados em 220 V. 2) Quando a capacidade do sistema de refrigeração estiver indicado em TR (Tonelada de Refrigeração) considerar o seguinte: - sistemas de até 50 TR em uma unidade: 1,8 kVA/TR - sistemas acima de 50 TR com mais de uma unidade: 2,3 kVA/TR - sistemas acima de 100 TR: 2,8 kVA/TR - sistemas até 50 TR em várias unidades pequenas (10 TR) distribuídas: 1 kVA/TR Fonte: Recommended Practice for Eletric Power Systems in Commercial Building – IEEE DONOR - NTE 013 3.ª Edição DDI 28/02/02 20

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO

Cemat

FATORES DE DEMANDA PARA ILUMINAÇÃO E TOMADAS DE USO GERAL UNIDADES CONSUMIDORAS NÃO RESIDENCIAIS DESCRIÇÃO Auditórios, salões p/exposições e semelhantes Bancos, lojas e semelhantes Barbearias, salões de beleza e semelhantes Clubes e semelhantes Escolas e semelhantes Escritórios Garagens comerciais e semelhantes Hospitais e semelhantes Hotéis e semelhantes

Tabela – 2..1

FATOR DE DEMANDA (%) 100 100 100 100 100 para os primeiros 12 kVA 50 para o que exceder a 12 kW 100 para os primeiros 20 kVA 70 para o que exceder de 20 kVA 100 40 para os primeiros 50 kVA 20 para o que exceder de 50 kVA 50 para os primeiros 20 kVA 40 para os seguintes 80 kVA 30 para o que exceder de 100 kVA 100 100 para os primeiros 20 kVA 80 para o que exceder de 20 kVA 100

Igrejas e semelhantes Oficinas e Indústrias Restaurantes e semelhantes

NOTAS: 1) É recomendável que a previsão de cargas de iluminação e tomada feita pelo consumidor atenda as prescrições da NBR 5410. 2) Para lâmpadas incandescentes e halógenas, considerar kVA=kW (fator de potência unitária). 3) Para lâmpadas de descarga (fluorescente, vapor de mercúrio/sódio metálico) considerar kVA=kW/0,85. 4) Tomadas específicas (aparelhos especiais) devem ser consideradas a parte, utilizando outros fatores de demanda.
FATORES DE DEMANDA PARA ILUMINAÇÃO DE UNIDADES CONSUMIDORAS RESIDENCIAIS ISOLADAS (CASAS E APARTAMENTOS) CARGA INSTALADA CI (KW) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 CI < < CI < CI < CI < CI < CI < CI < CI < CI < CI CI > 1 ≤ 2 ≤ 3 ≤ 4 ≤ 5 ≤ 6 ≤ 7 ≤ 8 ≤ 9 ≤ 10 10 FATOR DE DEMANDA 0,86 0,81 0,76 0,72 0,68 0,64 0,60 0,57 0,54 0,52 0,45 Tabela - 2..2

NOTAS: 1) É recomendável que a previsão de cargas de iluminação feita pelo consumidor atenda as prescrições da NBR 5410. 2) Para lâmpadas incandescentes, considerar kVA=kW (fator de potência unitária). 3) Para lâmpadas fluorescente, considerar kVA=kW/0,92. 5) Esta tabela pode ser usada para tomadas de uso geral quando não forem conhecidos os aparelhos a serem ligados.

DONOR - NTE 013

3.ª Edição

DDI

28/02/02

21

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO

Cemat

FATORES DE DEMANDA DE FORNOS E FOGÕES ELÉTRICOS NÚMEROS DE APARELHOS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 100 75 70 66 62 59 56 53 51 49 FATOR DE DEMANDA %
POTÊNCIA ATÉ 3,5 KW

Tabela - 3

POTÊNCIA SUPERIOR A 3,5 KW

100 56 55 50 45 43 40 36 35 34

NOTAS: 1) Considerar para a potência destas cargas kW = kVA (fator de potência unitário) 2) Fonte: NEC - 1984.

FATORES DE DEMANDA DE APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS E DE AQUECIMENTO NÚMEROS DE APARELHOS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 FATOR DE DEMANDA % 100 92 84 76 70 65 60 57 54 52 49 48 46 45 44 NÚMERO DE APARELHOS 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 a 30 31 a 40 41 a 50 51 a 60 61 ou mais

Tabela - 4 FATOR DE DEMANDA % 43 42 41 40 40 39 39 39 38 38 37 36 35 34 33

NOTAS: 1) Aplicar os fatores de demanda a carga instalada determinada por grupo de aparelhos, separadamente. 2) Considerar kW = kVA (fator de potência unitário). 3) No caso de hotéis, o consumidor deve verificar a conveniência de aplicação desta tabela ou de fator de demanda igual a 100%

DONOR - NTE 013

3.ª Edição

DDI

28/02/02

22

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO

Cemat

FATORES DE DEMANDA PARA CONDICIONADORES DE AR TIPO JANELA NÚMEROS DE APARELHOS 1 11 21 31 41 51 76 Acima a a a a a a a de 10 20 30 40 50 75 100 100

Tabela - 5

FATOR DE DEMANDA % 100 86 80 78 75 70 65 60

NOTA: 1) Quando se tratar de unidade central de condicionamento de ar, deve-se tomar o fator de demanda igual a 100%

DETERMINAÇÃO DA DEMANDA EM FUNÇÃO DA QUANT. DE MOTORES – (VALORES EM kVA) - MOTORES MONOFÁSICOS POTÊNCIA DO MOTOR (CV)
1/4 1/3 1/2 3/4 1 1 1/2 2 3 5 7 1/2 10 12 1/2 15

Tabela - 6 9 3,9
2,574 3,003 4,602 5,226 6,084 9,165 11,583 15,873 24,024 34,476 45,396 58,266 66,066

1 1
0,66 0,77 1,18 1,34 1,56 2,35 2,97 4,07 6,16 8,84 11,64 14,94 16,94

2 1,5
0,99 1,155 1,77 2,01 2,34 3,525 4,455 6,105 9,24 13,26 17,46 22,41 25,41

3 1,9
1,254 1,463 2,242 2,546 2,964 4,465 5,643 7,733 11,704 16,796 22,116 28,386 32,186

QUANTIDADE DE MOTORES 4 5 6 7 FATOR DE DIVERSIDADE 2,3 2,7 3 3,3
1,518 1,771 2,714 3,082 3,588 5,405 6,831 9,361 14,168 20,332 26,772 34,362 38,962 1,782 2,079 3,186 3,618 4,212 6,345 8,019 10,989 16,632 23,868 31,428 40,338 45,738 1,98 2,31 3,54 4,02 4,68 7,05 8,91 12,21 18,48 26,52 34,92 44,82 50,82 2,178 2,541 3,894 4,422 5,148 7,755 9,801 13,431 20,328 29,172 38,412 49,302 55,902

8 3,6
2,376 2,772 4,248 4,824 5,616 8,46 10,692 14,652 22,176 31,824 41,904 53,784 60,984

10 4,2
2,772 3,234 4,956 5,628 6,552 9,87 12,474 17,094 25,872 37,128 48,888 62,748 71,148

FONTE: RTD-027-CODI NOTA: A tabela já fornece o valor total da demanda de acordo com o número de motores e o fator de diversidade. Exemplo: Demanda de 5 motores de 2 CV = 8,019 kVA.

DONOR - NTE 013

3.ª Edição

DDI

28/02/02

23

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO

Cemat

DETERMINAÇÃO DA DEMANDA EM FUNÇÃO DA QUANT. DE MOTORES – (VALORES EM kVA) - MOTORES TRIFÁSICOS QUANTIDADE DE MOTORES POTÊNCIA 1 2 3 4 5 6 7 8 DO MOTOR FATOR DE DIVERSIDADE (CV) 1 1,5 1,9 2,3 2,7 3 3,3 3,6
1/3 1/2 3/4 1 1 1/2 2 3 4 5 7 1/2 10 12 1/2 15 20 25 30 40 50 60 75 100 125 150 0,65 0,87 1,26 1,52 2,17 2,70 4,04 5,03 6,02 8,65 11,54 14,09 16,65 22,10 25,83 30,52 39,74 48,73 58,15 72,28 95,56 117,05 141,29 0,98 1,31 1,89 2,28 3,26 4,05 6,06 7,55 9,03 12,98 17,31 21,14 24,98 33,15 38,75 45,78 59,61 73,10 87,23 108,42 143,34 175,58 211,94 1,24 0,98 2,39 2,89 4,12 5,13 7,68 9,56 11,44 16,44 21,93 26,77 31,63 41,99 49,08 57,99 75,51 92,59 110,49 137,33 181,56 222,40 268,45 1,50 2,00 2,90 3,50 4,99 6,21 9,29 11,57 13,85 19,90 26,54 32,41 38,29 50,83 59,41 70,20 91,40 112,08 133,74 166,24 219,79 269,22 324,97 1,76 2,35 3,40 4,10 5,86 7,29 10,91 13,58 16,25 23,36 31,16 38,04 44,96 59,67 69,74 82,40 107,30 131,57 157,01 195,16 258,01 316,04 381,48 1,95 2,61 3,78 4,56 6,51 8,10 12,12 15,09 18,06 25,95 34,62 42,27 49,95 66,30 77,49 91,56 119,22 146,19 174,45 216,84 286,68 351,15 423,87 2,15 2,87 4,16 5,02 7,16 8,91 13,33 16,60 19,87 28,55 38,08 46,50 54,95 72,93 85,24 100,72 131,14 160,81 191,90 238,52 315,35 386,27 466,26 2,34 3,13 4,54 5,17 7,81 9,72 14,54 18,11 21,67 31,14 41,54 50,72 59,94 79,56 92,99 109,87 143,06 175,43 209,34 260,21 344,02 421,38 508,64

Tabela - 7

9 3,9
2,53 3,39 4,91 5,93 8,46 10,53 15,76 19,62 23,48 33,74 45,01 54,95 64,93 86,19 100,74 119,03 154,99 190,05 226,79 281,89 372,68 456,50 551,03

10 4,2
2,73 3,65 5,29 6,38 9,11 11,34 16,97 21,13 25,28 36,33 48,47 59,18 69,93 92,82 108,49 128,18 166,91 204,67 244,23 303,58 401,35 491,61 593,42

200 190,18 285,27 361,34 437,41 513,49 570,54 627,59 684,65 741,70 798,76 FONTE: RTD-027-CODI NOTA: A tabela já fornece o valor total da demanda de acordo com o número de motores e o fator de diversidade. Exemplo: Demanda de 3 motores de 5 CV = 11,44 kVA.

FATORES DE DEMANDA INDIVIDUAIS PARA MÁQUINAS DE SOLDA A TRANSFORMADOR E APARELHOS DE RAIOS X E GALVANIZAÇÃO EQUIPAMENTO POTÊNCIA DO APARELHO

Tabela - 8

FATOR DE DEMANDA (%)

Solda a arco e aparelhos de galvanização Solda a resistência Aparelho de raios X

1º maior 2º maior 3º maior Soma dos demais Maior Soma dos demais Maior Soma dos demais

100 70 70 30 100 60 100 70

NOTA: Máquinas de solda tipo motor gerador deverão ser consideradas como motores.

DONOR - NTE 013

3.ª Edição

DDI

28/02/02

24

DONOR .750V.6 até 10 De 10. f) As características técnicas dos postes e pontaletes estão indicados no item 6 e tabelas 12 e 13. com isolamento –PVC .1 até 47 De 47.ª Edição DDI 28/02/02 25 .5 20 T4 50(50) 50 46 25 5 7.5 10 40 NOTAS a) Não poderá ser utilizado disjuntor unipolar conjugado em ligações bifásicas e trifásicas.1 até 60 De 60.5 10 30 T6 65 67 50 7.6/1kV (Ligação Subterrânea)).1 até 75 60 Bipolar 60 Bipolar 70 Tripolar 60 Tripolar 70 Tripolar 100 Tripolar 120 Tripolar 150 Tripolar 175 FP-1 B2 T1 FP T2 25(25) 40 27 16 2 5 20 T3 TRIFÁSICA 35(35) 40 38 16 3 7.5 20 T5 70(70) (*) 95(95) 50 57 35 7. deverá ser efetuado com no mínimo 03 eletrodos de aterramento. M1 MONOFÁSICA Até 5 40 6(6) FM 10(10) 10(10) 16(16) 16(16) Monopolar 20 20 25 32 32 5 7 13 15 23 6 10 10 16 16 1 2 2 2 2 3 5 3 15 M2 B1 BIFÁSICA De 5.1 até 38 De 38.5 De 7. com isolamento-XLPE 0. g) aterramento para as categorias de atendimento T5 e T6.1 até 7.6/1kV -cabos multiplex e) diâmetro nominal do eletroduto do aterramento deverá ser de Ø16 mm.1 até 23 De 23. b) A indicação entre parênteses dos condutores refere-se a seção do neutro. PVC ou Aço.1 até 15 De 15.1 até 27 De 27. c) Os condutores do ramal de entrada serão de cobre. (*) O disjuntor deve ser instalado na Caixa de Proteção Tipo DJ-1 (ver norma técnica –CEMAT NTE 010). 70ºC (Ligação Aérea) e XLPE 0.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat RAMAL DE ENTRADA – 220/127 V UNIDADE CONSUMI DORA RAMAL DE ENTRADA CARGA DISJUNTOR CATE INSTALADA (A) KW GORIA Monopolar CAIXA MEDIÇÃO COBRE 70ºC 750V (mm²) POTENCIA Tabela – 9 ATERRAMENTO COBRE (mm²) POTÊNCIA DO MAIOR MOTOR MONO OU SOLDA A MOTOR CV ELETRODUTO DISPONI BILIZADA ( ∅ -interno) (kVA) (mm) FN FN TRIF.NTE 013 3. d) Os condutores do ramal de ligação serão de alumínio.

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat RAMAL DE ENTRADA – 380/220 V UNIDADE CONSU MIDORA Tabela 10 POTÊN.1 até 40 De 40. DISPO- CATE GORIA CARGA INSTALADA KW DISJUNTOR (A) Monopolar RAMAL DE ENTRADA CAIXA COBRE 70ºC MEDIÇÃO ELETROD 750V (∅ -interno) NIBILI∅ ( mm) ZADA (kVA) ATERRAMENTO COBRE (mm²) POTÊNCIA DO MAIOR MOTOR M OU SOLDA A MOTOR CV FN FN TRIF (mm²) MONOFÁ SICA M1 M2 B1 Até 10 De 10. b) A indicação entre parênteses dos condutores refere-se a seção do neutro.1 até 50 De 50.ª Edição DDI 28/02/02 26 . e) A potência do motor é fator determinante da faixa de ligação.0. d) Os condutores do ramal de ligação serão de alumínio. 70ºC (Ligação Aérea) e XLPE 0.1 até 13 De 13. DONOR . (*) O disjuntor deve ser instalado na Caixa de Proteção Tipo DJ-1 (ver norma técnica –CEMAT NTE 010).6/1kV cabos multiplex .1 até 75 40 FM Monopolar 6(6) 10(10) 10(10) 16(16) FP 16(16) 25(25) 35(35) 20 20 25 32 32 40 40 9 13 23 27 39 46 66 6 10 10 16 16 16 16 3 5 5 5 3 5 5 10 10 5 10 12 30 30 40 60 Bipolar 60 Bipolar 70 Tripolar 60 Tripolar 70 Tripolar 100 BIFÁSICA B2 T1 TRIFÁ SICA T2 T3 NOTAS a) Não poderá ser utilizado disjuntor unipolar conjugado em ligações bifásicas e trifásicas.1 até 26 De 26. com isolamento XLPE . c) Os condutores do ramal de entrada serão de cobre.NTE 013 3. g) As características técnicas dos postes e pontaletes estão indicados no item 6 e tabelas 18 e 19 h) aterramento para as categorias de atendimento T5 e T6. deverá ser efetuado com no mínimo 03 eletrodos de aterramento. ou singelos de cobre PVC 750 V.750V.1 até 22 De 22.6/1kV (Ligação Subterrânea)). f) diâmetro nominal do eletroduto do aterramento deverá ser de Ø16 mm. com isolamento PVC . PVC ou Aço.

(*) O disjuntor deve ser instalado na Caixa de Proteção Tipo DJ-1 (ver norma técnica –CEMAT NTE 010 DONOR . b) A indicação entre parênteses dos condutores refere-se a seção do neutro. POR REDE MONO FÁSICA M1 Até 4 20 6(6) 20 5 6 2 ATEND.ª Edição DDI 28/02/02 27 .1 até 22 De 22.6/1kV cabos multiplex ou de cobre singelo PVC 750 V .1 até 26 De 26. d) A potência do motor é fator determinante da faixa de ligação.NTE 013 3.1 até 40 De 40.1 até 13 De 13. CONSU MIDO RA Tabela 11 CATE GORI A CARGA INSTALADA kW RAMAL DE ENTRADA DISJUNTOR CAIXA DE COBRE 70ºC ELETRODUTO POTÊN. com isolamento XLPE -0.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat RAMAL DE ENTRADA – 254/127 V (PADRÃO MONOFÁSICO-ATENDIDO POR TRANSFORMADOR MONOFÁSICO INDIVIDUAL OU POR REDE DE DISTRIBUIÇÃO MONOFÁSICA) UNID. c) Os condutores do ramal de ligação serão de alumínio.1 até 50 De 50. e) As características técnicas dos postes e pontaletes estão indicados no item 6 e tabelas 18 e 19. MONO FÁSICO TRANSFORMADOR DE BIPOLAR 5 Kva 30 TRANSFORMADOR DE BIPOLAR 10 Kva 50 TRANSFORMADOR DE BIPOLAR 15 Kva 70 FM 6(6) 10(10) 16(16) 20 25 25 7 12 17 6 10 16 2 3 5 RAMAL DE LIGAÇÃO – 380/220V CONDUTOR UNIDADE CONSUMIDORA CATE GORIA CARGA INSTALADA ALUMÍNIO-(Aéreo) MULTIPLEX PE KW mm² XLPE COBRE(Aéreo)SINGELO mm² Tabela 12 COBRE(Subterrâneo) mm² MONOFÁSICA M1 M2 Até 10 De 10. POR TRANSF. DISPO750V (A) MEDIÇÃO (∅ -interno) ∅ NIBILIZADA (mm²) (mm/ (kVA) BIPOLAR ATERRAMENTO COBRE (mm²) POTÊNCIA DO MAIOR MOTOR MONO OU SOLDA A MOTOR CV ATEND.1 até 75 1x10+10 6(6) 10(10) 10(10) 16(16) 16(16) 16(16) 16(16) 25(25) 35(35) BIFÁSICA B1 B2 T1 2x10+10 3x10+10 3x25+25 10(10) 16(16) 10(10) 16(16) 25(25) TRIFÁSICA NOTA: T2 T3 a) Não será permitido ramal de ligação subterrâneo em alumínio.

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat RAMAL DE LIGAÇÃO– 254/127 V (PADRÃO MONOFÁSICO-ATENDIDO POR TRANSFORMADOR MONOFÁSICO INDIVIDUAL OU POR REDE DE DISTRIBUIÇÃO MONOFÁSICA) CONDUTOR UNIDADE CONSUMIDORA CATE GORIA CARGA INSTALADA ALUMÍNIO-(Aéreo) MULTIPLEX PE KW mm² XLPE COBRE(Aéreo)SINGELO mm² Tabela 13 COBRE(Subterrâneo) SINGELO mm² ATENDIDO POR REDE MONOFÁ SICA M1 TRANSF. c) Os condutores do ramal de ligação serão de alumínio. DE 10 KVA TRANSF. MONOFÁSICO 10(10) 16(16) 2X16+16 16(16) 16(16) NOTA: a) Não será permitido ramal de ligação subterrâneo em alumínio. com isolamento XLPE . DE 15 KVA Até 4 6(6) 2x10+10 10(10) 10(10) 10(10) ATENDIDA POR TRANSFORM.0. e) As características técnicas dos postes e pontaletes estão indicados no item 6 e tabelas 18 e 19. d) A potência do motor é fator determinante da faixa de ligação. DE 5 KVA TRANSF.6/1kV cabos multiplex ou singelos de cobre PVC -750 V . (*) O disjuntor deve ser instalado na Caixa de Proteção Tipo DJ-1 (ver norma técnica –CEMAT NTE 010 DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 28 .NTE 013 3. b) A indicação entre parênteses dos condutores refere-se a seção do neutro.

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat RAMAL DE LIGAÇÃO – 220/127 V CONDUTOR UNIDADE CONSUMIDORA CATE GORIA CARGA INSTALADA ALUMÍNIO-(Aéreo) MULTIPLEX PE KW mm² XLPE COBRE(Aéreo)SINGELO mm² Tabela 14 COBRE(Subterrâneo) mm² MONOFÁSICA M1 M2 Até 5 De 5. (*) O disjuntor deve ser instalado na Caixa de Proteção Tipo DJ-1 (ver norma técnica –CEMAT NTE 010 DONOR . com isolamento 0.PVC d) A potência do motor é fator determinante da faixa de ligação.ª Edição DDI 28/02/02 29 . b) A indicação entre parênteses dos condutores refere-se a seção do neutro.1 até 60 De 60.1 até 75 1x10+10 6(6) 10(10) 10(10) 16(16) 10(10) 16(16) 16(16) 25(25) 35(35) 50(50) 70(70) 95(95) BIFÁSICA B1 B2 T1 T2 2x10+10 3x10+10 3x25+25 10(10) 10(10) 10(10) 16(16) 25(25) 35(35) TRIFÁSICA T3 T4 T5 T6 3x70+70 50(50) 70(70) NOTA: a) Não será permitido ramal de ligação subterrâneo em alumínio.1 até 27 De 27.1 até 23 De 23.1 até 7.1 até 15 De 15.NTE 013 3.5 De 7.1 até 47 De 47. c) Os condutores do ramal de ligação serão de alumínio. e) As características técnicas dos postes e pontaletes estão indicados no item 6 e tabelas 18 e 19.1 até 38 De 38.6/1kV cabos multiplex com isolação XLPE ou singelos de cobre 750 V .6 até 10 De 10.

podendo o mesmo ter 9 ou 12 terminais. 5 < P ≤ 40 NOTAS: a) b) O número sublinhado é a tensão de funcionamento do motor. bastando ligar em estrela paralelo ou triângulo paralelo. funcionando ambos nas duas tensões de rede.NTE 013 3. Poderá haver motores com tensão de placas 220/380/440/760V. DONOR .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DISPOSITIVOS P/ REDUÇÃO DA CORRENTE DE PARTIDA DE MOTORES TRIFÁSICOS TIPO DE PARTIDA Tabela 15 TAPS TAPS DE PARTI DA TIPO DE CHAVE ESTRELA TRIÂNGULO SÉRIE PARALELO POTÊNCIA DO MOTOR P(CV) P≤5 TIPO DO MOTOR - TIPO DO TENSÃO DA TENSÃO DE PLACA NÚMERO DE ROTOR REDE (V) DO MOTOR (V) TERMINAIS 220/127 380/220V (a) 220 V -6∆ 3 Υ ou 3 ∆ 6Υ-6∆ DIRETA 5 < P ≤ 15 INDUÇÃO GAIOLA 220/127 380 / 220 V (c) 5 < P ≤ 15 INDUÇÃO GAIOLA 220/127 220/380/440/760V 12 ∆ S 12 // 50. DE PARTIDA ESTRELA TRIÂNGULO INDIRETA AUTOMÁTICA 5 < P ≤ 40 5 < P ≤ 40 SÉRIE PARALELO CHAVE COMPENSADORA AS OUTRAS CARACTERÍSTICAS SÃO IDÊNTICAS AS CHAVES MANUAIS.65 e 80 50 INDIRETA MANUAL CHAVE COMPENSA DORA 5 < P ≤ 25 INDUÇÃO GAIOLA 220/127 380/220 V 6 Υ ou 6 ∆ RESISTÊNCIA IGUAL A CHAVE SÉRIE-PARALELO DESDE QUE OS VALORES EM OHMS DAS RESISTÊNCIAS OU OU REATÂNCIA REATÂNCIAS SEJAM IGUAIS OU MAIORES QUE O VALOR OBTIDO NA RELAÇÃO 60: CV (220/127V).ª Edição DDI 28/02/02 30 .

Bifásicas Trifásicas até 70 mm2 Monofásicas ou Bifásicas Trifásicas até 25 mm2 Trifásicas acima de 25 mm2 Monofásicas ou Bifásicas Trifásicas até 25 mm2 Trifásicas acima de 25 mm2 DIMENSÕES (mm) Tabela 16 RESISTÊNCIA 20 cm do TOPO (daN) FERRO GALVANIZADO (CIRCULAR) Ø 80 Ø 100 Ø 100 100 x 100 Ø 140 120 x 100 Ø 170 140 X 110 100 x 100 120 x 120 140 x 140 90 150 90 150 300 90 150 300 CONCRETO (CIRCULAR OU QUADRADO) MADEIRA (QUADRADO) NOTAS: 1) Poderão ser usados postes com 150 daN. Bifásicas ou Trifásicas até 25 mm2 Trifásicas acima de 25 mm2 Monofásicas ou Bifásicas Trifásicas até 25 mm2 Trifásicas acima de 25 mm2 DIMENSÕES (mm) Tabela 17 EMBUTIMENTO (mm) FERRO GALVANIZADO (CIRCULAR) Ø 60 800 Ø 80 80 x 80 100 x 100 1000 - MADEIRA (QUADRADO) NOTAS: 1) Os pontaletes deverão ficar. de concreto ou madeira. 3) Os pontaletes de madeira não deverão ser embutidos em parede ou muro de alvenaria.ª Edição DDI 28/02/02 31 . 3) O vão livre máximo do ramal de ligação não deverá ultrapassar 30 metros. CARACTERÍSTICAS DOS PONTALETES CARACTERÍSTICAS PONTALETES LIGAÇÃO Monofásicas. dois metros acima da parede. DONOR . para as ligações trifásicas cuja seção do ramal de ligação seja superior a 25 mm2.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat CARACTERÍSTICAS DOS POSTES PARTICULARES CARACTERÍSTICAS POSTES LIGAÇÃO Monofásicas. 2) O acabamento dos pontaletes de ferro poderá ser feito com tinta cor de alumínio. 2) Os postes de madeira deverão apresentar tratamento contra a ação de agentes externos. quando não forem em madeira de lei. no máximo.NTE 013 3. quando o vão for inferior a 20 metros.

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 01 SITUAÇÃO DA EDIFICAÇÃO PARA ESCOLHA DO PADRÃO S UAÇÃO IT 3 OU 4 S UAÇÃO IT 3 OU 4 S UAÇÃO IT 1 OU 2 S UAÇÃO IT 1 OU 2 S UAÇÃO IT 1 OU 2 S UAÇÃO IT 1 OU 2 S UAÇÃO IT 3 OU 4 S UAÇÃO IT 3 OU 4 NOT A O padrão para atendimento às situações aqui mostradas deverá ser esc olhido conforme indicado no Desenho 02 DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 32 .NTE 013 3.

10.NTE 013 3. 07. em lugar da caixa de medição deve ser instalada a Caixa de P roteção T CP para alojar apenas o disjuntor de ipo .O visor do medidor deve ficar voltado para a via pública. 12. 13 R E VE DES NHOS 09. 15 R E NOT AS 1.CEMAT E ) DONOR . no limite da propriedade 2-Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição. 14 R E VE DES NHO 08 R E S UAÇÃO 3 IT S UAÇÃO 4 IT visor da caixa Via pública visor da caixa T R ENO ER T ERRE NO VE DES NHOS 11.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 02 SITUAÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO S UAÇÃO 1 IT S UAÇÃO 2 IT visor da caixa visor da caixa via públic a via pública VE DES NHOS 06.ª Edição DDI 28/02/02 33 . proteção (ver Caixa tipo CP na Norma NT 010 .

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 03-01 ALTURAS MÍNIMAS DO RAMAL DE LIGAÇÃO AO SOLO-MEDIÇÃO INSTALADA NO PADRÃO DE ENTRADA DA UNIDADE CONSUMIDORA DONOR .NTE 013 3.ª Edição DDI 28/02/02 34 .

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 03-02 ALTURAS MÍNIMAS DO RAMAL DE LIGAÇÃO AO SOLO .NTE 013 3.MEDIÇÃO INSTALADA NOPOSTE DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO A 3000 DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 35 .

ª Edição DDI 28/02/02 36 .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 04 COMPONENTES DA ENTRADA DE SERVIÇO SUBTERRÂNEA DONOR .NTE 013 3.

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 05 RAMAL DE LIGAÇÃO SUBTERRÂNEO DONOR .NTE 013 3.ª Edição DDI 28/02/02 37 .

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 06 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INS ALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO T EMBUT IDA EM P AREDE (Fornec imento para as c ategorias M1. B1 B2 e T a T ) 1 3 1 25 4 0 1 8 2 V tabela de er 3 7 20 25 2 2 1 1 4 2 V tabela de er R amal de ligação com condutor singelo Ligação a 4 fios 6 1 1 1 2 S aídas opcionais 1 5 1 6 17 1600 Ver tabela de VE NOT 2 R A 23 R amal de ligação com condutor singelo Ligação a 3 fios 5 19 NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 cm em c ada c ondutor pa ra fac ilitar a ligaç ão d a medição e proteção e 1.ª Edição DDI 28/02/02 38 .CE E MAT ) V tabela de er 18 R amal de ligação com condutor singelo Ligação a 2 fios DONOR .T ipo CP para alojar apenas o disjuntor de proteç ão (ver c aixa . tipo CP na norma NT 010 . M2.5 m p / c onfec ç ão do pinga douro 2)-Quando a m ediç ão for instalada no poste da rede de distribuiç ão em lugar da Caixa de Medição.NTE 013 3. deve ser instalada a Caixa de P roteç ão.

5 6 1 23 4 10 3 2 7 10 Ver tabela de distânc ia do ramal ao piso 2 8 21 Ver tabela de distância do ramal ao piso 17 22 22 19 11 R amal de ligação c om c ondutor multiplexado R amal de ligação c om c ondutor singelo 12 11 18 14 Saídas opc ionais NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 c m em cada condutor para fac ilitar a ligação da mediç ão e proteção e 1.ª Edição DDI 28/02/02 39 .5 m p/ confec ção do pingadouro 1600 13 20 15 16 DONOR .NTE 013 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 07 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INS ALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO EMBUT EM P T IDA AREDE (Fornec imento para as categorias T T e T ) 4.

tipo CP na norma NT 010 .T CP para alojar apenas o disjuntor de proteção (ver caixa ipo .5 m p/ confecç ão do pingadouro 2)-Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição em caixa de mdição em poste.CE E MAT ) Ramal de ligaç ão c om c ondutor singelo Ligaç ão a 2 fios Ver tabela de distância do ramal ao piso DONOR .NTE 013 3. B2 e T a T ) 1 3 27 1 Ver tabela de distância do ramal ao piso 32 8 4 25 3 7 11 Ver tabela de distância do ramal ao piso 2 20 28 24 29 Ramal de ligaç ão c om c ondutor singelo Ligação a 4 fios 2 V tabela de er distânc ia do ramal ao piso 26 6 11 21 S aídas opcionais 12 13 4 1 5 1 16 17 VE NOT 2 R A VE NOT R A Ramal de ligaç ão c om c ondutor singelo Ligaç ão a 3 fios 1 9 8 1 NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 cm em cada condutor para facilitar a ligação da medição e proteção e 1.ª Edição DDI 28/02/02 40 . deve ser instalada a Caixa de P roteção.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 08 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INS ALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO EMBUT EM T IDA P AREDE COM PONT ALET E (Fornec imento para as c ategorias M1. B1. M2.

B2 e T a T ) 1 3 1 1 3 8 Ver tabela de distância do ramal ao piso 4 27 30 M1. V tabela de er distância do ramal ao piso 0.30 m 0. M2 B1.ª Edição DDI 28/02/02 41 . disjuntor de proteção (ver c aixa tipo CP na norma NT 010 E CEMAT ) 250 V tabela de er distância do ramal ao piso R amal de ligação com condutor singelo Ligação a 2 fios DONOR . em lugar da Caixa de Medição.30 m 2 20 2 8 29 24 25 Ramal de ligaç ão c om condutor singelo Ligação a 4 fios 30 1 1 29 V tabela de er distância do ramal ao piso 2 2 2 1 S aídas opcionais 3 1 2 1 14 R amal de ligação com condutor singelo Ligaç ão a 3 fios VE NOT 2 R A 8 1 19 NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 c m em c ada condutor para fac ilitar a ligaç ão da mediç ão e proteção e 1. B1 .B2.T .5 m p/ confec ção do pingadouro 2)-Quando a medição for instalada no poste da red e de distrib uição .NTE 013 3.30 m 0. deve ser instalada a Caixa de P roteção. B3 3 2 T 2 1. M2.T ipo CP para alojar apenas o .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 09 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INS ALADO EM MURO OU MURET T A (Fornec imento para as c ategorias M1.

30 m DONOR . 5 6 1 4 32 8 1 27 7 Ver tabela de distância do ram al ao piso 20 28 25 11 29 Ver tabela de distância do ramal ao piso 2 30 24 R amal de ligação com condutor singelo Ligação a 4 fios 11 30 29 22 Saídas opc ionais 21 NOT A Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 cm em cada condutor para facilitar a ligação da medição e proteção e 1.ª Edição DDI 28/02/02 42 .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 10 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INST ALADO EM MURO OU MURET A (Fornec imento para as categorias T T e T ) 4.NTE 013 3.5 m p/ confecç ão do pingadouro 1600 12 23 18 19 250 2000 13 0.

3 estiver do outro lado da rua H (m) 3.CEMAT E ) Ramal de Ligação com condutor multiplexado DONOR .0 m p/ confecção do pingadouro 2)-Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição.T ipo CP para alojar apenas o disjuntor de proteção (ver caixa tipo CP na .ª Edição DDI 28/02/02 43 . deve ser instalada a Caixa de P roteção.9 4. norma NT 010 .1 não houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 11 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INST ALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO FIXADA EM POS E T (Fornec imento para as categorias M1 e M2 ) FONT E 27 33 1 2 28 25 4 CARGA 24 11 29 Ramal d e Ligação com condutor singelo 30 21 VE NOT 2 R A POSTE DE 1 5 16 17 32 5 metros 6 metros 7 metros APLICAÇÃO L (m) E (m) Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua.2 houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição 7 1.7 19 NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 cm em cada condutor para facilitar a ligação da medição e proteç ão e 1.8 5. e 6 1. em lugar da Caixa de Medição.NTE 013 3. e 5 1.

NTE 013 3. E o disjuntor de proteç ão (ver caixa tipo CP na norma NT 010 . e 5 1.1 não houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua. em lugar da Caixa de Mediç ão.2 houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição 7 1.CEMAT ) DONOR . e 6 1.0 m p/ confec ção do pingadouro 19 R amal de Ligação com c ondutor multiplexado 2)-Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição. deve ser instalada a Caixa de Proteção.7 NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 c m em cada condutor para fac ilitar a ligação da mediç ão e proteção e 1.3 estiver do outro lado da rua 0.8 5.ª Edição DDI 28/02/02 44 .T CP para alojar apenas ipo .30 m h (m) 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 12 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INS ALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO FIXADA EM POS E T T (Fornec imento para as c ategorias B1 e B2 ) FONT E 33 1 27 4 CARGA 31 2 28 11 25 24 29 30 R amal de Ligação com c ondutor singelo 21 VE NOT 2 R A POSTE DE 5 metros 32 1 5 16 17 18 23 6 metros 7 metros APLICAÇÃO L (m) E (m) Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua.9 4.

9 4.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 13 P ADRÃO DE ENT RADA COM MEDIDOR INST ALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO FIXADA EM POS E T (Fornec imento para as categorias T a T ) 1 3 2 FONT E 1 33 27 4 CARGA 0.NTE 013 3. deve ser instalada a Caixa de P roteção.5 m p/ confec ção do pingadouro 2)-Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição . e 6 1.3 estiver do outro lado da rua 0.T CP para alojar apenas ipo .1 não houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua.30 m 0. e 5 1.7 23 NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 cm em cada condutor para fac ilitar a ligação da medição e proteção e 1. em lugar da Caixa de Medição.20 m 20 2 31 0. o disjuntor de proteção (ver caixa tipo CP na norma NT 010 E .8 5.30 m 3 25 24 29 11 Ramal d e Ligação com condutor singelo POSTE DE VE NOT 2 R A 5 metros 30 32 18 6 metros 7 metros APLICAÇÃO L (m) E (m) Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua.CEMAT ) 19 Ramal de Ligação com condutor multiplexado DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 45 .2 houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição 7 1.20 m h (m) 3.

5 5. 5 6 1 23 4 10 3 2 7 10 Ver tabela de distância do ramal ao piso 2 8 Ver tabela de distânc ia do ramal ao piso 21 17 22 22 19 11 R amal de ligação com condutor multiplexado R amal de ligaç ão com c ondutor singelo Saídas opcionais 11 18 13 14 NOT A 1)-Deverá ser deixada uma ponta m ínima de 80 c m em cada condutor para facilitar a ligação da medição e proteção e 1.ª Edição DDI 28/02/02 46 .5 m p/ confecção do pingadouro 1 1600 2 20 15 16 TABELA.NTE 013 3.5 4.5 DESENHO 14 DONOR .DISTÂNCIA MÍNIMA DO RAMAL DE LIGAÇÃO AO PISO SITUAÇÃO Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua e não houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua e houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição estiver do outro lado da rua DISTÂNCIA (m) 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat P ADRÃO DE ENT RADA INS ALADO EM P T AREDE COM A MEDIÇÃO INS ALADA EM CAIXA T DE MEDIÇÃO FIXADA NO POST DA REDE DE DIST E RIBUIÇÃO (Fornec imento para as c ategorias T T e T ) 4.

5 5.30 m .ª Edição DDI 28/02/02 47 250 0. 5 6 1 32 4 8 1 27 7 Ver tabela de distância do ramal ao piso 2 20 28 25 11 29 V tabela de er distânc ia do ramal ao piso 30 24 Ram al de ligaç ão c om c ondutor singelo Ligaç ão a 4 fios TABELA.NTE 013 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat P ADRÃO DE ENT RADA INST ALADO EM MURO OU MURET COM MEDIÇÃO INST A ALADA EM CAIXA DE MEDIÇÃO FIXADA NO POS E DA REDE DE DIS RIBUIÇÃO T T (Fornec imento para as c ategorias T T e T ) 4.5 m p/ confec ção do pingadouro DESENHO 15 DONOR .DISTÂNCIA MÍNIMA DO RAMAL DE LIGAÇÃO AO PISO SITUAÇÃO Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua e não houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição estiver do mesmo lado da rua e houver trânsito de veículos sob o ramal de ligação Quando a rede de distribuição estiver do outro lado da rua DISTÂNCIA (m) 3.5 4.5 11 30 29 22 Saídas opcionais 21 12 1600 23 18 19 NOT A Deverá ser deixada uma ponta mínima de 80 cm em cada condutor para fac ilitar a ligação da medição e proteção e 1.

ª Edição DDI 28/02/02 48 .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 16 NFFF FFFN LIGAÇÕES INT ERNAS NA CAIXA DE MEDIÇÃO DO P ADRÃO DE ENT RADA DE S ERVIÇO T RIFÁS ICO.NTE 013 3.T a T 1 3 APLICAÇÃO -MEDIÇÃO A QU RO (04) FIOS AT -MEDIDOR T IFÁS R ICO DE VOLT S -DIS JUNT T IFÁS OR R ICO DE AT 100 A É -CAIXA DE MEDIDÇÃO POLIFÁS ICA .T IPO FP F F F N N F F F DONOR .

ª Edição DDI 28/02/02 49 .T IPO FP F FN N F F MEDIDOR MODERNO DONOR .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 17 N FF F FN LIGAÇÕES INT ERNAS NA CAIXA DE MEDIÇÃO DO P ADRÃO DE ENT RADA DE S ERVIÇO BIFÁS ICO APLICAÇÃO -MEDIÇÃO A T S (03) FIOS RÊ -MEDIDOR BIFÁS ICO DE VOLT S -DIS JUNT BIFÁS OR ICO DE AT 70 A É -CAIXA DE MEDIDÇÃO POLIFÁS ICA .NTE 013 3.

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 18 NF FN LIGAÇÕES INT ERNAS NA CAIXA DE MEDIÇÃO DO P ADRÃO DE ENT RADA DE S ERVIÇO MONOFÁS ICO LINHA CARGA FN N F APLICAÇÃO -MEDIÇÃO A DOIS (02) FIOS -MEDIDOR MONOFÁS ICO DE 120 OU 240 VOL S T -DIS JUNT MONOFÁSICO DE AT 60 A OR É IPO FM -CAIXA DE MEDIÇÃO MONOFÁSICA T DONOR .NTE 013 3.ª Edição DDI 28/02/02 50 .

NTE 013 3. NÃO PODEM S US ER ADOS DOIS DIS JUNT ORES MONOFÁS ICOS DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 51 .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 19 N FF FF N LIGAÇÕES INT ERNAS NA CAIXA DE MEDIÇÃO DO P ADRÃO DE ENT RADA DE S ERVIÇO MONOFÁS ICO EM S EMAS MRT IST LINHA CARGA -MEDIÇÃO A T RÊS (03) FIOS EM SIS EMAS T MRT -MEDIDOR MONOFÁS ICO DE VOL S T -DIS JUNT BIFÁS OR ICO DE AT 70 A É -CAIXA DE MEDIÇÃO MONOFÁS ICA T FM IPO N F F F F AT ENÇÃO O DIS JUNT DEVE S OR RÁ ER BIFÁSICO.

T F N F F N F MEDIDOR ANT IGO DONOR .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 20 FN F F FN LIGAÇÕES INT ERNAS NA CAIXA DE MEDIÇÃO DO P ADRÃO DE ENT RADA DE S ERVIÇO BIFÁS ICO APLICAÇÃO -MEDIÇÃO A T RÊS (03) FIOS -MEDIDOR BIFÁS ICO DE VOLT S -DIS JUNT BIFÁS OR ICO DE AT 70 A É IPO FP -CAIXA DE MEDIDÇÃO POLIFÁSICA .ª Edição DDI 28/02/02 52 .NTE 013 3.

NTE 013 3. VOL S T -DIS JUNT T OR RIFÁS ICO DE 120 a 175 A -CAIXA DE MEDIDÇÃO POLIFÁS ICA .T FP IPO -1 COMBINADA COM CAIXA DJ-1 NFF F DDI 28/02/02 53 DONOR .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 21 NFFF LIGAÇÕES INT ERNAS NA CAIXA DE MEDIÇÃO DO P ADRÃO DE ENT RADA DE S ERVIÇO T RIFÁS ICO.ª Edição .T T e T 4. 5 6 S AÍDAS OPCIONAIS F F F N N FF F APLICAÇÃO -MEDIÇÃO A QUAT (04) FIOS RO -MEDIDOR T RIFÁS ICO DE 200 A.

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 22 CAIXA P A AT R AR ER AMENT DE AL O VENARIA 30 c m 1 3 2 25 c m 15 c m 25 c m CAIXA P ARA AT AMENT COM MANILHA DE BAR OU DE PVC ERR O RO DE 4 " 50 3 1 2 DONOR .NTE 013 3.ª Edição DDI 28/02/02 54 .

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 23 CONEXÃO DO ATERRAMENTO – CABO COM HASTE DE TERRA DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 55 .NTE 013 3.

NTE 013 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 24 CAIXA DE PASSAGEM DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 56 .

2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QU A N T I D A D E *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.20 3 2 V 3 V 1 V 1 0.G rosqueável Caixa de Medição Tipo FM Caixa de Medição Tipo FP Caixa de Proteção Tipo CP (ver nota ) Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.G rosqueada longa Eletroduto PVC. em lugar da caixa de medição deve ser instalada a Caixa de Proteção Tipo CP para alojar apenas o disjuntor . B1 . rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F.40 3 2 V 3 V 1 V 1 3 2 V 3 V V 1 3 2 V 3 V 1 1 V 1 1 1 1 V 1 1 2 2 V 1 1 1 1 1 V 1 3 2 V 3 V 3 V 1 1 3 1 1 1 V 4 V 6 V 8 4 V 1 6 V 1 1 4 3 V 1 1 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material da concessionária NOTA Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição.30 3 2 V 3 V 1 1 1 V 1 1 1 1 1 V 1 0. B2 e T1 a T3) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND.G rosqueado Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Alça preformada de serviço p/ condutor multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç m pç V 1 0.NTE 013 3. M2. DONOR .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat LISTA DE MATERIAIS DESENHO 06 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO EMBUTIDA EM PAREDE (Fornecimento para as categorias M1 .G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.ª Edição DDI 28/02/02 57 .

DONOR . T5 e T6) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND. 2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QU A N T I D A D E *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.G rosqueado Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Alça preformada de serviço p/ condutor multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç m pç m pç pç pç pç m pç 1 V 1 1 1 V 1 0.ª Edição DDI 28/02/02 58 .G rosqueada longa Eletroduto PVC.40 3 2 V 3 V 1 3 2 V 3 V 4 V 1 1 1 V 3 1 1 4 1 V 8 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material da concessionária NOTA Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição.NTE 013 3. instalar apenas a Caixa de Proteção Tipo DJ-1 para alojar o disjuntor . rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F.G rosqueável Caixa de Medição Tipo FP-1 Caixa de Proteção Tipo DJ-1 Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 07 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO EMBUTIDA EM PAREDE (Fornecimento para as categorias T4.

º Pontalete de F. DONOR . M2.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 08 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO EMBUTIDA EM PAREDE COM PONTALETE (Fornecimento para as categorias M1 .ª Edição DDI 28/02/02 59 .40 3 V 1 3 V 1 3 V 1 1 V 1 1 V 1 1 1 1 1 V 1 3 V 1 1 V 1 1 1 1 1 2 3 1 1 1 V 4 V 6 V 8 4 V 1 6 V 1 1 4 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material fornecido pela REDE/CEMAT NOTA Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição.G rosqueado Curva de PVC – rígido rosqueável de 135.30 3 V 1 1 1 1 1 V 1 0. concreto armado ou madeira Cinta de aço galvanizado ou parafuso zincado de 16 mm (5/8”) de 120 mm de comprimento Alça preformada multiplexado de distribuição p/ condutor m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç pç pç pç m m pç pç pç 1 1 1 1 1 1 2 3 4 V 1 1 1 1 V V V 1 1 1 1 V V V 1 1 1 1 V V V 1 1 1 1 V V V 1 1 1 1 V V V 1 1 1 1 V V V 1 0.G rosqueada longa Eletroduto PVC.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.G Bujão de ferro galvanizado (F. B1 . 2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QUANTIDADE *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 * 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.NTE 013 3.G rosqueável Caixa de Medição Tipo FM Caixa de Medição Tipo FP Caixa de Proteção Tipo CP (ver nota ) Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.G) ou de PVC rígido Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Arame Liso galvanizado –14 BWG Poste de ferro galvanizado (FG).20 3 V 1 0. rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F. B2 e T1 a T3) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND. em lugar da caixa de medição deve ser instalada a Caixa de Proteção Tipo CP para alojar apenas o disjuntor .

2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QUANTIDADE *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 * 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F. rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F. B2 e T1 a T3) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND.ª Edição DDI 28/02/02 60 . B1 .20 3 V V 4 2 V 1 0. DONOR .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 09 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO EMBUTIDA EM MURO OU MURETA (Fornecimento para as categorias M1 .G rosqueada longa Eletroduto PVC.30 3 V V 4 2 V 1 1 1 1 1 V 1 0. em lugar da caixa de medição deve ser instalada a Caixa de Proteção Tipo CP para alojar apenas o disjuntor . M2. concreto armado ou madeira Alça preformada de serviço p/ condutor multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç pç pç pç m m pç pç 1 V V 1 1 1 V V 1 1 1 V V 1 1 1 V V 1 1 V V 1 1 V V 1 V 1 0.G rosqueável Caixa de Medição Tipo FM Caixa de Medição Tipo FP Caixa de Proteção Tipo CP (ver nota ) Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.º Pontalete de F.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.40 3 V V 4 2 V 1 3 V V 4 2 V 1 3 V V 4 2 V 1 1 V 1 1 1 1 1 1 V 1 3 V V 4 2 V 1 V 1 1 V 1 1 3 4 1 11 1 1 1 5 4 6 V 4 V 6 V 8 4 V 2 6 V 2 2 8 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material fornecido pela REDE/CEMAT NOTA Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição.G Bujão de ferro galvanizado (F.NTE 013 3.G rosqueado Curva de PVC – rígido rosqueável de 135.G) ou de PVC rígido Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Arame Liso galvanizado –14 BWG Poste de ferro galvanizado (FG).

T5 e T6) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 10 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO EMBUTIDA EM MURO OU MURETA (Fornecimento para as categorias T4.NTE 013 3.ª Edição DDI 28/02/02 61 .G Bujão de ferro galvanizado (F.G rosqueável Caixa de Proteção Tipo DJ-1 Caixa de Medição Tipo FP-1 Caixa de Proteção Tipo CP Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F. 2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QUANTIDADE *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 * 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.G rosqueada longa Eletroduto PVC.G rosqueado Curva de PVC – rígido rosqueável de 135.º Pontalete de F.40 3 4 V 6 2 1 1 V 1 3 4 V 6 2 V 1 1 V 1 1 1 1 5 1 8 V 8 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material fornecido pela REDE/CEMAT DONOR . rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F. concreto armado ou madeira Cinta de aço galvanizado ou parafuso zincado de 16 mm (5/8”) de 150 mm de comprimento Alça preformada de serviço p/ condutor multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç pç pç pç m m pç pç pç 1 V V 1 4 1 1 V V 1 4 1 0.G) ou de PVC rígido Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Arame Liso galvanizado –14 BWG Poste de ferro galvanizado (FG).

com porca e arruela Alça preformada de serviço p/ cabo multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç pç pç pç m m pç pç pç pç 1 V V 1 2 2 1 1 V V 1 2 2 V 1 0.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F. DONOR .20 3 V V 4 2 V 1 3 V V 4 2 V 1 1 1 V 1 1 1 3 4 1 1 V 4 4 V 2 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material fornecido pela REDE/CEMAT NOTA Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição. em lugar da caixa de medição deve ser instalada a Caixa de Proteção Tipo CP para alojar apenas o disjuntor .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 11 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO FIXADA EM POSTE (Fornecimento para as categorias M1 e M2) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND.G rosqueado Curva de PVC – rígido rosqueável de 135.NTE 013 3.G rosqueável Caixa de Medição Tipo FM Caixa de Medição Tipo FP Caixa de Proteção Tipo CP (ver nota ) Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.G) ou de PVC rígido Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Arame Liso galvanizado –14 BWG Poste de ferro galvanizado (FG).G rosqueada longa Eletroduto PVC. 2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QUANTIDADE *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 * 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.º Pontalete de F.ª Edição DDI 28/02/02 62 . concreto armado ou madeira Cinta de aço galvanizado ou parafuso zincado de 16 mm (5/8”) de 120 mm de comprimento Parafuso de cabeça quadrada de aço zincado de 16 mm (5/8”) por 120 mm de comprimento.G Bujão de ferro galvanizado (F. rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F.

G Bujão de ferro galvanizado (F.G rosqueável Caixa de Medição Tipo FM Caixa de Medição Tipo FP Caixa de Proteção Tipo CP (ver nota ) Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F. concreto armado ou madeira Cinta de aço galvanizado ou parafuso zincado de 16 mm (5/8”) de 120 mm de comprimento Parafuso de cabeça quadrada de aço zincado de 16 mm (5/8”) por 120 mm de comprimento.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.G rosqueada longa Eletroduto PVC. DONOR .NTE 013 3. com porca e arruela Alça preformada de serviço p/ cabo multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç pç pç pç m m pç pç pç pç 1 V V 1 3 2 1 1 V V 1 3 2 V 1 0.G) ou de PVC rígido Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Arame Liso galvanizado –14 BWG Poste de ferro galvanizado (FG).G rosqueado Curva de PVC – rígido rosqueável de 135. 2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QUANTIDADE *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 * 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 12 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO FIXADA EM POSTE (Fornecimento para as categorias B1 e B2 ) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND.30 3 V V 4 2 V 1 3 V V 4 2 1 1 1 1 V 1 1 V 4 6 1 1 V 6 6 V 2 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material fornecido pela REDE/CEMAT NOTA Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição.ª Edição DDI 28/02/02 63 . rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F. em lugar da caixa de medição deve ser instalada a Caixa de Proteção Tipo CP para alojar apenas o disjuntor .º Pontalete de F.

2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QUANTIDADE *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 * 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F. T3) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND.G rosqueado Curva de PVC – rígido rosqueável de 135.G) ou de PVC rígido Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Arame Liso galvanizado –14 BWG Poste de ferro galvanizado (FG). T2. em lugar da caixa de medição deve ser instalada a Caixa de Proteção Tipo CP para alojar apenas o disjuntor . com porca e arruela Alça preformada de serviço p/ cabo multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç pç pç pç m m pç pç pç pç 1 V V 1 4 2 1 1 V V V 4 2 1 V 1 0.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.NTE 013 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 13 PADRÃO DE ENTRADA COM MEDIDOR INSTALADO EM CAIXA DE MEDIÇÃO FIXADA EM POSTE (Fornecimento para as categorias T1. rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F.G Bujão de ferro galvanizado (F. DONOR . concreto armado ou madeira Cinta de aço galvanizado ou parafuso zincado de 16 mm (5/8”) de 120 mm de comprimento Parafuso de cabeça quadrada de aço zincado de 16 mm (5/8”) por 120 mm de comprimento.ª Edição DDI 28/02/02 64 .G rosqueada longa Eletroduto PVC.º Pontalete de F.40 3 V V 4 2 3 V V 4 2 1 V 1 1 1 1 1 V V 1 1 5 2 8 V 8 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material fornecido pela REDE/CEMAT NOTA Quando a medição for instalada no poste da rede de distribuição.G rosqueável Caixa de Medição Tipo FM Caixa de Medição Tipo FP Caixa de Proteção Tipo CP (ver nota ) Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.

G rosqueável Caixa de Medição Tipo FP-1 Caixa de Proteção Tipo DJ-1 Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.ª Edição DDI 28/02/02 65 .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 14 PADRÃO DE ENTRADA INSTALADO EM PAREDE E A MEDIÇÃO INSTALADA NO POSTE DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO (Fornecimento para as categorias T4. 2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QU A N T I D A D E *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.G rosqueado Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Alça preformada de serviço p/ condutor multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç m pç m pç pç pç pç m pç 1 1 V 1 0.G rosqueada longa Eletroduto PVC.NTE 013 3.40 3 2 V 3 V 1 3 2 V 3 V 1 1 V 3 1 V 4 V 1 1 4 1 V 8 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material da concessionária DONOR . T5 e T6) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND. rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F.

ª Edição DDI 28/02/02 66 . rosqueado Ø16mm (3/4”) Luva de PVC ou F. T5 e T6) RAMAL DE LIGAÇÃO AÉREO CONDUTOR MULTIPLEXADO ITEM DESCRIÇÃO UND.NTE 013 3. concreto armado ou madeira Cinta de aço galvanizado ou parafuso zincado de 16 mm (5/8”) de 150 mm de comprimento Alça preformada de serviço p/ condutor multiplexado m pç m pç pç pç pç pç pç pç m pç pç pç pç pç pç m pç m pç pç pç pç pç pç pç m m pç pç pç 1 V V 1 4 1 1 V V 1 4 1 0. 2 fios LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios QUANTIDADE *1 *2 *3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 * 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 Condutor de alumínio multiplexado Conector tipo Cunha para ramal de serviço Condutor de cobre com isolamento para 750 V Armação secundária de um estribo com haste de Ø16x150mm Armação secundária de dois estribos com haste de Ø16x350mm Armação secundária de três estribos com haste de Ø16x500mm Armação secundária de quatro estribos com haste Isolador roldana para baixa tensão Arruela quadrada de 38mm com furo de Ø de 18mm Chumbador de aço de Ø 16 x 150mm Eletroduto rígido de PVC ou F.G rosqueado Curva de PVC – rígido rosqueável de 135.G) ou de PVC rígido Ramal de entrada –condutor de cobre isolado-750 V Arame Liso galvanizado –14 BWG Poste de ferro galvanizado (FG).G Bujão de ferro galvanizado (F.G rosqueável Caixa de Proteção Tipo DJ-1 Caixa de Medição Tipo FP-1 Caixa de Proteção Tipo CP Disjuntor monopolar Disjuntor bipolar Disjuntor Tripolar Condutor de cobre nu (terra) Haste de aterramento de aço cobreado Ø16 x 2400mm Fita auto-fusão * Bucha e contra-bucha para eletroduto de PVC rígido ou F.G rosqueada longa Eletroduto PVC.G rosqueável e massa calafetadora Curva de 90º PVC ou F.º Pontalete de F.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat DESENHO 15 PADRÃO DE ENTRADA INSTALADO EM MURO OU MURETA E A MEDIÇÃO INSTALADA NO POSTE DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO (Fornecimento para as categorias T4.40 3 4 V 6 2 1 1 V 1 3 4 V 6 2 V 1 V 1 1 1 5 1 8 V 8 8 V 2 fios CONDUTOR SINGELO LIGAÇÃO A 3 fios 4 fios V -Quantidade variável * -Material fornecido pela REDE/CEMAT DONOR .

ª Edição DDI EM FIOS 28/02/02 67 .NTE 013 3.RAMAL DE LIGAÇÃO CONEXÕES E AMARRAÇÕES AMARRAÇÕES COM PRÓPRIO CABO 70 Para a rede Secundária ou Ramal de Entrada 70 Com 2 pernas do próprio cabo dar 5 voltas estreitas e apertadas EMENDAS EM CABO-CABO Com duas pernas do próprio cabo dar 5 voltas estreitas e apertadas PÉ DE GALINHA 04 voltas completas DONOR .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat ANEXOS ANEXO A DESENHO 01 .

NTE 013 3.ª Edição DDI 28/02/02 68 .SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat ANEXO B (Continuação) DESENHO 02 RAMAL DE LIGAÇÃO – AMARRAÇÕES E CONEXÕES DONOR .

ª Edição DDI 28/02/02 69 .NTE 013 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat ANEXO B (Continuação) DESENHO 03 RAMAL DE LIGAÇÃO – LIGAÇÕES DONOR .

NTE 013 3.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat ANEXO B (Continuação) DESENHO 04 AMARRAÇÃO E CONEXÃO DO RAMAL DE LIGAÇÃO COM RAMAL DE ENTRADA COM CABO Alça Preformada de Serviço Ramal de Ligação Cabo de alumínio Conector Tipo Cunha ou Paralelo Ramal de Entrada Cabo de cobre Fases Neutro COM FIO 4 voltas apertadas 4 voltas longas Até nº 6AWG Para o Consumidor Nota: Conexão válida para condutor do mesmo material (Al-Al ou Cu-Cu) CABO-CABO P/Ramal de Ligação Com 2 pernas do próprio cabo dar 5 voltas estreitas e apertadas P/Rede Secundária DONOR .ª Edição DDI 28/02/02 70 .

caso haja necessidade de remoção desse poste. LOCAL ----------------------------------------. Tenho conhecimento e estou de acordo que. À CEMAT AGÊNCIA DE ( NOME DA AGÊNCIA ) Eu -------------------------------------------. -----------------------------------------------------------------(NOME EM LETRA DE FORMA) RG: CPF ASSINATURA---------------------------------------------: II.abaixo assinado venho solicitar autorização para efetuar a ligação da minha unidade consumidora localizada na rua ----------------------------no município de ----------------. Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição e/ou Fornecimento de Energia em Tensão Primária de Distribuição. serei o único responsável pela manutenção das características anteriormente encontradas. seja para melhorias na rede de distribuição ou por outros motivos de força maior.ª Edição DDI 28/02/02 71 . Comprometo-me a fazer valer o presente termo perante herdeiros ou sucessores.através de ramal subterrâneo com a ocupação de um poste de propriedade dessa concessionária Declaro que o ramal será construído de acordo com as Normas Técnicas da Cemat. Declaro ainda que na abertura e no fechamento do passeio público.NTE 013 3.DATA --------------------- DONOR . o custo da remoção do poste correrá por conta da REDE/CEMAT e o da adequação do meu ramal subterrâneo será de minha inteira responsabilidade. única e exclusivamente na área para alteração de meu ramal. prejuízos e demais eventos que essa derivação venha a causar a mim ou a terceiros. pelo que assumo plena responsabilidade pelos danos.SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Cemat ANEXO B TERMO DE RESPONSABILIDADE PARA UTILIZAÇÃO DE RAMAL DE ENTRADA SUBTERRANEO A.na rede de distribuição de energia elétrica da REDE/CEMAT .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful