Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO DAS CIÊNCIAS DA VIDA E DA SAÚDE

DISCIPLINA GENÉTICA

DogmaDogma CentralCentral dada BiologiaBiologia molecularmolecular

(Replicação,(Replicação, TranscriçãoTranscrição ee Tradução)Tradução)

PROFESSORA: FABIANA MOURA COSTA MOTTA

Divisão celular

Divisão celular

Replicação do DNA

ETAPAS

1)

Rompimento das pontes de hidrogênio que ligam as bases nitrogenadas, separando os dois filamentos

2) Encaixe de nucleotídeos livres (já existentes na célula) nos nucleotídeos dos filamentos originais

3) Formação de duas moléculas novas de DNA, após a complementação dos filamentos originais pelos nucleotídeos novos

14/3/2012

Dogma central da biologia molecular

Dogma central da biologia molecular
Replicação do DNA Uma das características mais importantes do DNA é sua capacidade de autoduplicação

Replicação do DNA

Uma das características mais importantes do DNA é sua capacidade de autoduplicação ou replicação

Replicação do DNA

Replicação do DNA

Replicação do DNA

Replicação do DNA
Replicação do DNA

Replicação do DNA

Dogma central da biologia molecular

Dogma central da biologia molecular

14/3/2012

Replicação do DNA

Envolve um conjunto de atividades enzimáticas

Replicação do DNA • Envolve um conjunto de atividades enzimáticas

Replicação do DNA

Replicação do DNA

Transcrição

Formação de moléculas de RNA, sintetizadas a partir da molécula de DNA

Transcrição • Formação de moléculas de RNA, sintetizadas a partir da molécula de DNA
Transcrição ETAPAS 1) Rompimento das pontes de hidrogênio que ligam as bases nitrogenadas, separando os
Transcrição
ETAPAS
1)
Rompimento das pontes de hidrogênio que ligam as
bases nitrogenadas, separando os dois filamentos
2) Encaixe
de
nucleotídeos
livres
de
RNA
nos
nucleotídeos dos filamentos originais
3) Formação de uma molécula nova de RNA e união dos
filamentos originais do DNA

Tipos de RNA

tRNA - transportador identifica e transporta os aminoácidos até o ribossomo

Tipos de RNA • tRNA - transportador identifica e transporta os aminoácidos até o ribossomo

Tipos de RNA

mRNA – mensageiro contém informação genética para a sequência de aminoácidos das proteínas

Tipos de RNA • mRNA – mensageiro contém informação genética para a sequência de aminoácidos das

14/3/2012

Transcrição

Transcrição

Tipos de RNA

rRNA – ribossômico constituinte dos ribossomos, associa-se com uma série de proteínas para formar os ribossomos

rRNA – ribossômico constituinte dos ribossomos, associa-se com uma série de proteínas para formar os ribossomos

Dogma central da biologia molecular

Dogma central da biologia molecular

Tradução

Formação de proteínas, sintetizadas a partir da molécula de RNA

Tradução • Formação de proteínas, sintetizadas a partir da molécula de RNA Hemoglobina

Hemoglobina

Tradução • Formação de proteínas, sintetizadas a partir da molécula de RNA Hemoglobina
Tradução ETAPAS 1) Encaixe do ribossomo no mRNA 2) Encaixe dos tRNA (carregando aminoácidos), complementares
Tradução
ETAPAS
1)
Encaixe do ribossomo no mRNA
2) Encaixe
dos
tRNA
(carregando
aminoácidos),
complementares à molécula do mRNA
3)
União dos aminoácidos formando a proteína

Síntese protéica

Síntese protéica

14/3/2012

Tradução

mRNA
mRNA

tRNA

Tradução mRNA tRNA RIBOSSOMO

RIBOSSOMO

Tradução mRNA tRNA RIBOSSOMO

Código genético

Relação entre a sequência de bases no DNA e a sequência correspondente de aminoácidos, na proteína

O código genético encontra-se na forma de triplets – os códons

correspondente de aminoácidos, na proteína O código genético encontra-se na forma de triplets – os códons
correspondente de aminoácidos, na proteína O código genético encontra-se na forma de triplets – os códons

Tradução

5

3’

A U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A

Molécula de mRNA

A

5’ 3’ A U G G C A U G C G A C G
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Molécula de mRNA
Início da
proteína
Met
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met
tRNA
Ala
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A

14/3/2012

Ribossomo 5’ 3’ A U G G C A U G C G A C
Ribossomo
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Molécula de mRNA
Início da
proteína
tRNA
Met
Ala
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Ligação peptídica
Met
Ala
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met Ala 5’ 3’ A U G G C A U G C G A
Met
Ala
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Direção do avanço do ribossomo
Asp
Phe
Gly
Glu
Met
Ala
Cys
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Direção do avanço do ribossomo
Gly
Phe
Glu
Met
Ala
Cys
Asp
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A

14/3/2012

Asp Phe Gly Glu Met Ala Cys 5’ 3’ A U G G C A
Asp
Phe
Gly
Glu
Met
Ala
Cys
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Direção do avanço do ribossomo
Asp
Phe
Gly
Glu
Met
Ala
Cys
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Direção do avanço do ribossomo
Gly
Phe
Met
Glu
Ala
Cys
Asp
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Gly Phe Met Glu Ala Cys Asp 5’ 3’ A U G G C A
Gly
Phe
Met
Glu
Ala
Cys
Asp
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Gly
Met
Phe
Ala
Cys
Asp
Glu
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met His Gly Ala Cys Asp Glu Phe 5’ 3’ A U G G C
Met
His
Gly
Ala
Cys
Asp
Glu
Phe
5’
3’
A U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met His Gly Ala Cys Asp Glu Phe 5’ 3’ A U G G C A

14/3/2012

Gly Phe Met Ala Cys Asp Glu 5’ 3’ A U G G C A
Gly
Phe
Met
Ala
Cys
Asp
Glu
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Gly
Met
Phe
Ala
Cys
Asp
Glu
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met His Ala Gly Cys Asp Glu Phe 5’ 3’ A U G G C
Met
His
Ala
Gly
Cys
Asp
Glu
Phe
5’
3’
A U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met His Ala Gly Cys Asp Glu Phe 5’ 3’ A U G G C A
Met His Ala Gly Cys Asp Glu Phe 5’ 3’ A U G G C
Met
His
Ala
Gly
Cys
Asp
Glu
Phe
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met
Ala
Cys
His
Asp
Glu
Phe
Gly
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met
Ala
Cys
Asp
Glu
Phe
Gly
His
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A

14/3/2012

Met Ala Cys His Asp Glu Phe Gly 5’ 3’ A U G G C
Met
Ala
Cys
His
Asp
Glu
Phe
Gly
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met
Ala
Cys
His
Asp
Glu
Phe
Gly
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met
Ala
Cys
Asp
Glu
Phe
Gly
His
5’
3’
A
U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
Met Ala Cys Asp Glu Phe Gly His 5’ 3’ A U G G C
Met
Ala
Cys
Asp
Glu
Phe
Gly
His
5’
3’
A U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A
FIM

Dogma central da biologia molecular

Dogma central da biologia molecular

14/3/2012

Met

Ala

Cys

Asp

Glu Phe Gly His 5’ 3’ A U G G C A U G C
Glu
Phe
Gly
His
5’
3’
A U G G C A U G C G A C G A A U U C G G A C A C U A
A

FIM