Você está na página 1de 3
Universidade Federal do Rio Grande do Sul Disciplina: Conversão Eletromecânica de Energia II Aluno: Roger

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Disciplina: Conversão Eletromecânica de Energia II Aluno: Roger Halmenschlager da Silva Cartão UFRGS: 150562 Data: 27/03/2012

Cálculo do fator de distribuição de enrolamento de uma máquina síncrona

Objetivo

O trabalho consiste na análise da variação do Fator de Distribuição de uma máquina síncrona em função das harmônicas da senoide fundamental.

Fundamentos teóricos

Fator de Distribuição Kd:

Em uma máquina síncrona cujo enrolamentos estão localizados em apenas duas ranhuras (enrolamento concentrado), as tensões induzidas na bobina estão em fase e portanto a tensão do enrolamento é a média aritmética da tensão individual das bobinas. Caso as bobinas estejam distribuídas em várias ranhuras (enrolamento distribuido), as tensões induzida

nas bobinas não estão em fase, mas deslocadas uma da outra pelo ângulo α. A tensão no enrolamento é a soma fasorial das tensões das bobinas. O fator de distribuição Kd é definido por:

Kd

somafasorialdastensõesdasbobinas

somaaritméticadastensõedasbobi nas

(1)

  somaaritméticadastensõedasbobi nas   (1) Figura 1 - Tensão das bobinas em um enrolamento

Figura 1 - Tensão das bobinas em um enrolamento distribuído

O fator de distribuição pode ser determinado por um

diagrama fasorial construído pela a tensão das bobinas. Figura 1 mostra um exemplo de 3 ranhuras por polo e por fase. A tensão da bobina é definida pelos fasores de módulos constantes RS, ST, e TU, cada qual é uma corda de um círculo com centro em

0 e subentendido um ângulo

representa a resultante da soma das tensões RS, ST,

e TU do enrolamento. Da equação 1 e Fig 1,

em 0. O fasor RU

K

d

RU ( RS )

q

K

d

K

d

Rx ( Ry )

q

2 Rx

(2

q Ry

)

K

d

OR sen n

(

(

/ 2)

/ 2)

.

qOR sen

.

K

d

sen n

(

/ 2)

qsen ( / 2)

(2)

Onde:

α = ângulo entre duas ranhuras adjacentes

q = número de ranhuras por polo e por fase

Considerando a diferença de fase entre as tensões harmônicas de ordem h de bobinas adjacentes dada

por hα, temos que o fator de distribuição para a

ordem h harmônica é determinada por:

K dh

sen qh

qsen h

(

/2)

/2)

(

(3)

Aplicação

Dado a seguinte máquina síncrona:

Gerador trifásico:

N o de polos: P = 8 polos,

Frequência: f = 60 Hz, Ranhuras no estator: n = 96 ranhuras.

Estudaremos a variação do fator de distribuição de enrolamento em função das diferentes harmônicas de tensão.

Sabemos que o valor do fator de distribuição de enrolamento é dado por:

Sendo q o número de ranhuras/polo/fase

,

o espaçamento angular entre as ranhuras

,  o espaçamento angular entre as ranhuras , e h a ordem harmônica. A tabela

,

e h a ordem harmônica.

A tabela 1 apresenta o fator de distribuição calculado até a 61ª harmônica.

Podemos observar na figura 2 que o valor do fator de distribuição oscila entre 1 e -1, atingindo seu valor absoluto máximo em

e

, para k = 1,2,3

Ordem

Fator de distribuição (K dh )

harmônica (h)

1

0,958

3

0,653

5

0,205

7

-0,158

9

-0,271

11

-0,126

13

0,126

15

0,271

17

0,158

19

-0,205

21

-0,653

23

-0,958

25

-0,958

27

-0,653

29

-0,205

31

0,158

33

0,271

35

0,126

37

-0,126

39

-0,271

41

-0,158

43

0,205

45

0,653

47

0,958

49

0,958

51

0,653

53

0,205

55

-0,158

57

-0,271

59

-0,126

61

0,126

Tabela 1 Valor de Kd para as diferentes harmônicas

Figura 2 – Fator de distribuição em função da ordem harmônica para q = 4.

Figura 2 Fator de distribuição em função da ordem harmônica para q = 4.

Podemos expandir essa analíse para diferentes máquinas com diferentes “q”. Assim obtemos

os resultados apresentados na tabela 2.

 

Fator de Distribuição K dh

 

q

h=1

3

5

7

9

11

1

1.000

1.000

1.000

1.000

1.000

1.000

2

0,966

0,707

0,259

0,259

0,707

0,966

3

0,960

0,667

0,218

0,177

0,333

0,177

4

0,958

0,653

0,205

0,158

0,271

0,126

5

0,957

0,647

0,200

0,149

0,247

0,110

6

0,956

0,644

0,197

0,145

0,236

0,102

0,955

0,637

0,191

0,136

0,212

0,087

Tabela 2 Fator de distribuição em máquinas trifásicas

Conclusão

O fator de distribuição é uma grandeza muito

importante e deve ser levada em conta na hora do dimensionamento de máquinas trifásicas,

pois permite a atenuação de diferentes frequências harmônicas do sinal, melhorando assim a forma de onda da tensão induzida em seus terminais.

Juntamente com o fator de passo K p (não detalhado neste relatório) podemos melhorar ainda mais a forma de onda nos terminais da máquina trifásica, pois este pode ser calculado de forma a anular uma frequência harmônica bem definida ou atenuar ainda mais as harmônicas que não são atenuadas pelo fator de distribuição K dh , obtendo assim uma forma de onda mais próxima da 1ª harmônica.

Fontes

CHAPMAN,

S.

J.

Electric

Machinery

Fundamentals 4 ed.

FITZGERALD; KINGSLEY; UMANS. Electric Machinery 6ed.

SEN, P. C. Principles of Electric Power and Machines 2ed.