Você está na página 1de 48
Ciclos Biogeoquímicos Instituto Federal do Ceará – Campus Sobral Curso Superior de Tecnologia em Saneamento
Ciclos Biogeoquímicos Instituto Federal do Ceará – Campus Sobral Curso Superior de Tecnologia em Saneamento

Ciclos Biogeoquímicos

Instituto Federal do Ceará – Campus Sobral

Curso Superior de Tecnologia em Saneamento Ambiental

Disciplina de Hidrobiologia

Professor:Michael Viana

A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Elementos construtivos Principais Nutrientes Macronutrientes >>
A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Elementos construtivos Principais Nutrientes Macronutrientes >>

A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Elementos construtivos Principais Nutrientes Macronutrientes >>

Elementos construtivos Principais Nutrientes

Macronutrientes >> quantidades

Micronutrientes << quantidades

A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS BIO = seres vivos (Biosfera) GEO = atmosfera, hidrosfera e
A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS BIO = seres vivos (Biosfera) GEO = atmosfera, hidrosfera e

A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

BIO = seres vivos (Biosfera)

GEO = atmosfera, hidrosfera e litosfera

QUÍMICOS = componentes químicos

hidrosfera e litosfera QUÍMICOS = componentes químicos Estudo das trocas de materiais entre componentes vivos e

Estudo das trocas de materiais entre componentes vivos e não vivos (reciclagem de materiais do Ecossistema)

A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS • Os principais: ­ Água ­ Carbono ­ Oxigênio ­
A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS • Os principais: ­ Água ­ Carbono ­ Oxigênio ­

A DINÂMICA DOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

Os principais:

­ Água

­ Carbono

­ Oxigênio

­ Nitrogênio

­ Fósforo.

CICLO DO CARBONO CARBONO ORGÂNICO CARBONO INORGÂNICO
CICLO DO CARBONO CARBONO ORGÂNICO CARBONO INORGÂNICO

CICLO DO CARBONO

CICLO DO CARBONO CARBONO ORGÂNICO CARBONO INORGÂNICO
CICLO DO CARBONO CARBONO ORGÂNICO CARBONO INORGÂNICO
CARBONO ORGÂNICO
CARBONO
ORGÂNICO
CARBONO INORGÂNICO
CARBONO
INORGÂNICO
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO E O SISTEMA CO 2
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO E O SISTEMA CO 2

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO E O SISTEMA CO 2

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO • A molécula de dióxido de carbono é constituída por um
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO • A molécula de dióxido de carbono é constituída por um

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO

A molécula de dióxido de carbono é constituída por um átomo de carbono e dois de oxigénio

As águas contêm quantidades variáveis de CO 2

Geralmente em equilíbrio com carbonatos (CO3 = ) e bicarbonatos (HCO3 ­ )

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO • Depende de fatores como: ­ Temperatura ­ pressão atmosférica ­
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO • Depende de fatores como: ­ Temperatura ­ pressão atmosférica ­

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO

Depende de fatores como:

­ Temperatura

­ pressão atmosférica

­ sólidos dissolvidos

­ pressão parcial do CO 2 na atmosfera

como: ­ Temperatura ­ pressão atmosférica ­ sólidos dissolvidos ­ pressão parcial do CO 2 na
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO O SISTEMA CO 2 Principais fases do sistema CO 2 na
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO O SISTEMA CO 2 Principais fases do sistema CO 2 na

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO

O SISTEMA CO 2

Principais fases do sistema CO 2 na água

CO 2 (ar) CO 2 (dissolvido) + água H 2 CO 3 H 2 CO
CO 2 (ar)
CO 2 (dissolvido) + água
H 2 CO 3
H 2 CO 3
H +
+ HCO 3 -
H +
+ CO 3 2-

Ácido fraco

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO EquilíbrioEquilíbrio dede formasformas O SISTEMA CO 2 • A proporção de
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO EquilíbrioEquilíbrio dede formasformas O SISTEMA CO 2 • A proporção de

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO

EquilíbrioEquilíbrio dede formasformas

O SISTEMA CO 2

A proporção de cada forma de carbono depende do pH

EquilíbrioEquilíbrio dede formasformas O SISTEMA CO 2 • A proporção de cada forma de carbono depende
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO CO 2 “livre” + H 2 CO 3 + HCO 3
CICLO DO CARBONO INORGÂNICO CO 2 “livre” + H 2 CO 3 + HCO 3

CICLO DO CARBONO INORGÂNICO

CO 2 “livre” + H 2 CO 3 + HCO 3 ­ + CO 3
CO 2 “livre” + H 2 CO 3 + HCO 3 ­ + CO 3 2­

CARBONO INORGÂNICO TOTAL

Maiores responsáveis pelo CO 2 da água • Atmosfera • Chuvas • Águas subterrâneas •
Maiores responsáveis pelo CO 2 da água • Atmosfera • Chuvas • Águas subterrâneas •

Maiores responsáveis pelo CO 2 da água

Atmosfera

Chuvas

Águas subterrâneas

Decomposição

Respiração de organismos

Importância do CO 2 • O dióxido de carbono é essencial à vida no planeta.
Importância do CO 2 • O dióxido de carbono é essencial à vida no planeta.

Importância do CO 2

O dióxido de carbono é essencial à vida no planeta.

É fundamental para a fotossíntese das plantas.

É a base do sistema tampão dos ecossistemas aquáticos.

O pH e as águas continentais H 2 O ↔ H + + OH ­
O pH e as águas continentais H 2 O ↔ H + + OH ­

O pH e as águas continentais

H 2 O ↔ H + + OH ­

Água pura: [H + ] = [OH ­ ]

Águas naturais, influência de sais, ácidos e bases

Ácido carbônico H 2 CO 3 ↔ 2H + + CO 3 = (diminui o pH)

Carbonatos e bicarbonatos

CO 3 = (diminui o pH) • Carbonatos e bicarbonatos CO 3 = + H 2
CO 3 = (diminui o pH) • Carbonatos e bicarbonatos CO 3 = + H 2

CO 3 = + H 2 O ↔ OH ­ HCO 3 ­ + H 2 O ↔ H 2 CO 3 + OH ­

bicarbonatos CO 3 = + H 2 O ↔ OH ­ HCO 3 ­ + H
bicarbonatos CO 3 = + H 2 O ↔ OH ­ HCO 3 ­ + H

Eleva

o pH

O pH e as águas continentais • pH das águas continentais: entre 6 e 8
O pH e as águas continentais • pH das águas continentais: entre 6 e 8

O pH e as águas continentais

pH das águas continentais: entre 6 e 8

Influencia na vida aquática

Em ecossistemas de baixos valores de pH:

­ Ácidos formados pelos microrganismos aquáticos

­ Dissociação dos ácidos sulfúrico, nítrico, oxálico, acético e carbônico

­ Ausência de substâncias tamponadoras (CO 3 = e HCO 3 ­ ) dissolvidas ↓pH

O pH e as águas continentais • Em ecossistemas de elevados valores de pH: ­
O pH e as águas continentais • Em ecossistemas de elevados valores de pH: ­

O pH e as águas continentais

Em ecossistemas de elevados valores de pH:

­ Precipitação é menos que a evaporação. Ex:

Nordeste

­ Ecossistemas equáticos com influência marinha

­ Regiões cársticas (ricas em cálcio)

Em valores extremos de pH, a vida no ecossistema aquática é comprometida

Relação pH – comunidades aquáticas • Influência do pH sobre as comunidades ­ atua nos
Relação pH – comunidades aquáticas • Influência do pH sobre as comunidades ­ atua nos

Relação pH – comunidades aquáticas

Influência do pH sobre as comunidades

­ atua nos processos de permeabilidade (troca iônico)

Responsáveis pelo aumento do pH

­ Macrófitas e algas, removem CO 2

pelo aumento do pH ­ Macrófitas e algas, removem CO 2 Evita formação de ácido carbônico

Evita formação de ácido carbônico

­ Quanto maior a biomassa vegetal, maior serão as alterações de pH

Relação pH – comunidades aquáticas ­ Variação de pH no mesmo ecossistema Zona litorânea =
Relação pH – comunidades aquáticas ­ Variação de pH no mesmo ecossistema Zona litorânea =

Relação pH – comunidades aquáticas

­ Variação de pH no mesmo ecossistema

Zona litorânea = macrófitas (maior influência) = maior pH Zona limnética = algas (menor influência, exceto em florações) = menor pH

(maior influência) = maior pH Zona limnética = algas (menor influência, exceto em florações) = menor
Relação pH – comunidades aquáticas • Responsáveis pela queda do pH: ­ Bactérias e animais
Relação pH – comunidades aquáticas • Responsáveis pela queda do pH: ­ Bactérias e animais

Relação pH – comunidades aquáticas

Responsáveis pela queda do pH:

­ Bactérias e animais aquáticos

­ Processos de decomposição e respiração

­ Liberação de CO 2 e formação de ácido carbônico e íons H +

­ Microrganismos nitrificantes

e respiração ­ Liberação de CO 2 e formação de ácido carbônico e íons H +
Relação pH – comunidades aquáticas • Outras fontes de H + : ­ Dissociação de
Relação pH – comunidades aquáticas • Outras fontes de H + : ­ Dissociação de

Relação pH – comunidades aquáticas

Outras fontes de H + :

­ Dissociação de ácidos em H + + A ­

­ Chuvas (pH entre 5 e 6)

CICLO DO CARBONO ORGÂNICO
CICLO DO CARBONO ORGÂNICO

CICLO DO CARBONO ORGÂNICO

Formas de C orgânico Carbono orgânico total Carbono orgânico particulado da biota (COP biota )
Formas de C orgânico Carbono orgânico total Carbono orgânico particulado da biota (COP biota )

Formas de C orgânico

Carbono orgânico total
Carbono orgânico total
Carbono orgânico particulado da biota (COP biota )
Carbono orgânico
particulado da
biota (COP biota
)
Carbono orgânico detrital
Carbono
orgânico detrital
da biota (COP biota ) Carbono orgânico detrital Carbono orgânico particulado detrital (COP detrital )
Carbono orgânico particulado detrital (COP detrital )
Carbono orgânico
particulado
detrital
(COP detrital )
Carbono orgânico dissolvido (COD)
Carbono
orgânico
dissolvido (COD)
Carbono orgânico dissolvido (COD
Carbono orgânico dissolvido (COD

Carbono orgânico dissolvido (COD

Carbono orgânico dissolvido (COD
• Fitoplâncton • Zooplâncton • Bactérias C O P biota
• Fitoplâncton • Zooplâncton • Bactérias C O P biota

Fitoplâncton

Zooplâncton

Bactérias

COP biota

C O P detrital
C O P detrital

COP detrital

C O P detrital
• Origina­se: COD ­ da decomposição de animais e plantas ­ Excreção de microrganismos •
• Origina­se: COD ­ da decomposição de animais e plantas ­ Excreção de microrganismos •

Origina­se:

COD

­ da decomposição de animais e plantas

­ Excreção de microrganismos

Principais representantes:

­ Proteínas

­ Carboidratos

­ Lipídeos

­ e compostos húmicos

Fonte de energia e nutrientes para bactérias e algas cianofíceas

Principais formas de COD
Principais formas de COD

Principais formas de COD

Principais formas de COD
Relação COD e estado trófico

Relação COD e estado trófico

Relação COD e estado trófico
CICLO DO FÓSFORO
CICLO DO FÓSFORO

CICLO DO FÓSFORO

Fósforo • Armazenamento de energia (ATP) • Estruturação da membrana celular • Limitante à produtividade
Fósforo • Armazenamento de energia (ATP) • Estruturação da membrana celular • Limitante à produtividade

Fósforo

Armazenamento de energia (ATP)

Estruturação da membrana celular

Limitante à produtividade primária (e na eutrofização)

Na água, encontra­se sob forma de fosfato

Formas de fosfato na água

Formas de fosfato na água

Formas de fosfato na água
Ortofosfato • H 3 PO 4 ; H 2 PO 4 ­ ; HPO 4
Ortofosfato • H 3 PO 4 ; H 2 PO 4 ­ ; HPO 4

Ortofosfato

H 3 PO 4 ; H 2 PO 4­ ; HPO 4 2­ ; e PO 4 3­

Variam sua forma de acordo com o pH

Ativamente assimilado pelos produtores primários

Principais fontes de fosfato para ecossistemas aquáticos • Fontes Naturais: ­ Rochas da bacia de
Principais fontes de fosfato para ecossistemas aquáticos • Fontes Naturais: ­ Rochas da bacia de

Principais fontes de fosfato para ecossistemas aquáticos

Fontes Naturais:

­ Rochas da bacia de drenagem (apatita)

­ Decomposição de organismos alóctones

Liberação de fosfatos pelas rochas:

­ Imtemperização + desagregação

­ Solúvel

­ Adsorvidos à argila

Principais fontes de fosfato para ecossistemas aquáticos • Fontes artificiais: ­ Esgoto doméstico (excretas e
Principais fontes de fosfato para ecossistemas aquáticos • Fontes artificiais: ­ Esgoto doméstico (excretas e

Principais fontes de fosfato para ecossistemas aquáticos

Fontes artificiais:

­ Esgoto doméstico (excretas e detergentes)

­ Despejos industriais

­ Efluentes agrícolas

­ Rações de peixes e camarões

Circulação do fosfato no corpo aquático
Circulação do fosfato no corpo aquático

Circulação do fosfato no corpo aquático

Circulação do fosfato no corpo aquático
Fosfato como indicador de estado trófico
Fosfato como indicador de estado trófico

Fosfato como indicador de estado trófico

Fosfato como indicador de estado trófico
Macrófitas aquáticas e os fosfatos • Efeito bombeamento • Não é fator limi­ tante ao
Macrófitas aquáticas e os fosfatos • Efeito bombeamento • Não é fator limi­ tante ao

Macrófitas aquáticas e os fosfatos

Efeito

bombeamento

Não é fator limi­ tante ao cresci­ mento de MA

Macrófitas aquáticas e os fosfatos • Efeito bombeamento • Não é fator limi­ tante ao cresci­
CICLO DO NITROGÊNIO
CICLO DO NITROGÊNIO

CICLO DO NITROGÊNIO

Nitrogênio • Responsável pela síntese de proteínas • Formas de N: ­ Nitrato (NO 3
Nitrogênio • Responsável pela síntese de proteínas • Formas de N: ­ Nitrato (NO 3

Nitrogênio

Responsável pela síntese de proteínas

Formas de N:

­ Nitrato (NO 3 ­ )
­ Nitrato (NO 3 ­ )

­ Nitrito (NO 2 ­ )

­ Amônia (NH 3 )

Amônio (NH 4 + )
Amônio (NH 4 + )

­

2 ­ ) ­ Amônia (NH 3 ) Amônio (NH 4 + ) ­ Principais fonte

Principais fonte s de nitrogênio para os produtores primários

­ Óxido nitroso (N 2 O)

­ Nitrogênio molecular (N 2 )

­ Nitrogênio orgânico dissolvido (aminas, aminoácidos, peptídeos, etc.)

­ Nitrogênio orgânico particulado (bactérias, fitoplâncton, zooplâncton e detritos)

Formas de nitrogênio em ecossistemas aquáticos
Formas de nitrogênio em ecossistemas aquáticos

Formas de nitrogênio em ecossistemas aquáticos

Formas de nitrogênio em ecossistemas aquáticos
Principais processos envolvidos no ciclo do nitrogênio • Nitrificação • Desnitrificação • Fixação do N
Principais processos envolvidos no ciclo do nitrogênio • Nitrificação • Desnitrificação • Fixação do N

Principais processos envolvidos no ciclo do nitrogênio

Nitrificação

Desnitrificação

Fixação do N atmosférico Assimilação

Excreção

Nitrificação e desnitrificação • Nitrificação: NH 3 NO 2 NO 3 ­ Nitrosomonas e Nitrobacter
Nitrificação e desnitrificação • Nitrificação: NH 3 NO 2 NO 3 ­ Nitrosomonas e Nitrobacter

Nitrificação e desnitrificação

Nitrificação: NH 3

Nitrificação e desnitrificação • Nitrificação: NH 3 NO 2 NO 3 ­ Nitrosomonas e Nitrobacter ­

NO 2

e desnitrificação • Nitrificação: NH 3 NO 2 NO 3 ­ Nitrosomonas e Nitrobacter ­ Aerobiose

NO 3

­ Nitrosomonas e Nitrobacter

­ Aerobiose

2NH 3 + 3O 2 2HNO 2 + 2H 2 O + energia 2HNO 2 + O 2 2HNO 3 + energia

Desnitrificação: NO 3

2 → 2HNO 3 + energia • Desnitrificação: NO 3 N 2 • 5S + 6NO

N 2

5S + 6NO 3 + 2H 2 O 5SO 4 + 3N 2 + 4H + energia

­ Anaerobiose

Fixação biológica de N 2 atmosférico • Pode ser realizado por: ­ Cianofíceas ­ Bactérias
Fixação biológica de N 2 atmosférico • Pode ser realizado por: ­ Cianofíceas ­ Bactérias

Fixação biológica de N 2 atmosférico

Pode ser realizado por:

­ Cianofíceas

­ Bactérias

Pode ser responsáveis por quase metade do N incorporado em um lago

Assimilação • Nitrogênio inorgânico dissolvido (amônio, nitrato, nitrito) é incorporado em compostos orgânicos
Assimilação • Nitrogênio inorgânico dissolvido (amônio, nitrato, nitrito) é incorporado em compostos orgânicos

Assimilação

Nitrogênio inorgânico dissolvido (amônio, nitrato, nitrito) é incorporado em compostos orgânicos

Excreção

Animais excretam nitrogênio sob forma de amônio, uréia e ácido úrico

Classificação de nível trófico
Classificação de nível trófico

Classificação de nível trófico

Classificação de nível trófico